Arquivo da tag: Indústria; inovação e infraestrutura

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número 11 diz: “Tornar as cidades e os assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis”.

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número 9 diz: “Construir infraestruturas resilientes, promover a industrialização inclusiva e sustentável e fomentar a inovação”.

 

Mais sobre este ODS em https://nacoesunidas.org/pos2015/ods9 e notícias sobre o tema abaixo.

Objetivos Globais – números em ação

CEPAL promove fórum latino-americano e caribenho sobre desenvolvimento sustentável

A terceira reunião do Fórum dos Países da América Latina e do Caribe sobre o Desenvolvimento Sustentável será realizada de 22 a 26 de abril na sede central da Comissão Econômica para América Latina e o Caribe (CEPAL) em Santiago, Chile. O objetivo é analisar os avanços na implementação regional da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável. O evento terá transmissão ao vivo pela Internet.

Rede norte-americana de lanchonetes Subway estuda adquirir produtos de agricultores familiares da Bahia. Foto: Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR/BA)

Rede norte-americana de lanchonetes estuda adquirir produtos da agricultura familiar baiana

Alimentos saudáveis da agricultura familiar despertaram o interesse da rede norte-americana de lanchonetes Subway, cujos executivos reuniram-se na terça-feira (16) em Juazeiro (BA) com técnicos do governo baiano e das Nações Unidas para discutir uma eventual parceria no estado.

A reunião teve a participação de representantes da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), do conjunto de cooperativas da agricultura familiar Central da Caatinga e do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) da ONU.

A parceria pode beneficiar os agricultores familiares do projeto Pró-Semiárido, executado por governo da Bahia e FIDA e que tem como objetivo fomentar o crescimento sustentável em 32 municípios baianos.

O analista do Banco Central Fabiano Alberton deu orientações sobre como organizar gastos e receitas mensais, de forma a evitar o endividamento. Foto: Cáritas RJ/Diogo Felix

Palestra sobre educação financeira reúne refugiados e migrantes no Rio

Quais são as formas de crédito existentes? Como elaborar um orçamento doméstico? Quais documentos são necessários para se abrir uma conta bancária? Essas e outras dúvidas comuns para quem vem de outro país foram tema da palestra “Educação Financeira para Imigrantes”, realizada na última sexta-feira (12) na sede do Banco Central no Rio de Janeiro (RJ).

O evento teve apoio do Ministério da Justiça e Segurança Pública e do Programa de Atendimento a Refugiados (PARES) da Cáritas RJ. O relato é da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR).

Consulta médica em clínica no Espírito Santo. Foto: Secretaria de Estado da Saúde do Espírito Santo

OMS divulga primeira diretriz sobre intervenções de saúde digital

A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou na quarta-feira (17) dez recomendações sobre como os países podem usar a tecnologia acessível via celulares, tablets e computadores para melhorar a saúde das pessoas e os serviços essenciais.

Nos últimos dois anos, a OMS revisou sistematicamente as evidências sobre tecnologias digitais e consultou especialistas de todo o mundo para produzir recomendações sobre formas de utilizá-las para maximizar o impacto nos sistemas de saúde e na saúde das populações.

A diretriz traz recomendações sobre a telemedicina, que permite às pessoas que vivem em locais remotos obter serviços de saúde usando telefones celulares, sites ou outras ferramentas digitais. A OMS ressalta que este é um complemento valioso para as interações cara a cara, mas não pode substituí-las completamente. Também é importante que as consultas sejam conduzidas por profissionais de saúde qualificados e que a privacidade das informações de saúde dos indivíduos seja mantida.

Criança vai à escola em dia chuvoso no sudoeste da China. Foto: Banco Mundial

Crescimento desigual e tensões comerciais prejudicam desenvolvimento sustentável, diz Guterres

Crescimento desigual, níveis crescentes de dívidas, possíveis saltos na volatilidade financeira e acentuadas tensões comerciais globais estão prejudicando o progresso para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). A avaliação foi feita na segunda-feira (15) pelo secretário-geral da ONU, António Guterres, durante o Fórum sobre Financiamento para Desenvolvimento, realizado em Nova Iorque.

Em discurso, Guterres declarou que mudança climática, emissões de gases causadores do efeito estufa e tecnologias que abalam mercados de trabalho são um grande desafio. “Estamos aqui hoje como parte de um esforço para coordenar uma urgente resposta global para reverter estas tendências”, disse.

Painel na Quarta Assembleia da ONU para o Meio Ambiente discutiu o problema do lixo marinho. Foto: Flickr (CC)/Bo Elde

Painel em Nairóbi discute formas de combater o lixo marinho e a poluição por microplásticos

O painel de discussão sobre Lixo Marinho — Impactos, Desigualdade e Injustiça Ambiental, realizado durante a Quarta Assembleia da ONU para o Meio Ambiente, em Nairóbi, no Quênia, no início de março, abordou o papel da justiça ambiental nas comunidades afetadas pela poluição por resíduos marinhos e microplásticos.

“A menos que o Estado de Direito ambiental seja fortalecido, mesmo regras aparentemente rigorosas são destinadas a falhar, e o direito humano fundamental a um meio ambiente saudável não será realizado”, disse na ocasião David Boyd, relator especial da ONU para os direitos humanos e o meio ambiente. O relato é da ONU Meio Ambiente.

De acordo com o censo demográfico mais recente, as mulheres rurais são responsáveis pela renda de 42,2% das famílias do campo no Brasil.. Foto: Banco Mundial/Andrea Borgarello

FAO lista sete maneiras de ampliar acesso de mulheres rurais à tecnologia

As Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs) melhoram a vida dos pequenos agricultores de diversas maneiras, desde o monitoramento de safras até o acompanhamento dos preços de mercado e a disseminação de boas práticas para facilitar o acesso a serviços bancários.

No entanto, muito desse potencial permanece inexplorado, particularmente no caso das mulheres, que desempenham um papel fundamental na produção agrícola, mas também enfrentam desigualdades digital, rural e de gênero. Muitas vezes, elas tendem a ter menos acesso às TIC, o que as deixa em desvantagem.

Diante desse cenário, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) listou sete maneiras de ampliar o acesso de mulheres rurais às Tecnologias de Informação e Comunicação.

ONU-HABITAT e Prefeitura de Niterói promovem semana da inovação pelos objetivos globais

O Programa das Nações Unidas para Assentamentos Humanos (ONU-HABITAT) e a Prefeitura de Niterói (RJ) realizam de 2 a 9 de maio o Laboratório #ODSWeek, cujo objetivo é promover a inovação e construir soluções criativas para desafios da cidade relacionados aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Durante uma semana, os interessados irão receber conteúdos diários sobre metodologias participativas, co-criação de ideias inovadoras e a importância das políticas baseadas em evidências. As inscrições vão até 2 de maio.

Os servidores municipais poderão também participar do Prêmio ODS Week, que irá reconhecer e premiar as melhores soluções para desafios prioritários que afetam o desenvolvimento da cidade de Niterói.

Vista aérea da cidade e do porto de Santos (SP). Foto: EBC

CEPAL reduz para 1,3% estimativa de crescimento para América Latina e Caribe em 2019

A Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) reduziu nesta quinta-feira (11) para 1,3% sua projeção de crescimento para os países da região em 2019, frente à previsão de avanço de 1,7% feita em dezembro de 2018. Para o Brasil, a previsão é de avanço de 1,8% este ano, frente a 2% previstos anteriormente.

De acordo com a CEPAL, as novas estimativas são influenciadas pelo complexo cenário externo e pelas dinâmicas internas observadas nos países da região.

Foto: Fundação Telefônica Vivo

Fundação Telefônica Vivo é uma das vencedoras de prêmio de impulso ao voluntariado

Com a proposta de promover a cidadania de maneira integrada e colaborativa, a Fundação Telefônica Vivo criou, em 2005, seu programa de voluntariado empresarial.

O alcance entre os funcionários foi expressivo: entre 2017 e 2018, a Fundação registrou 15 mil funcionários engajados em gerar impacto positivo no entorno das sedes da empresa. Esse número representa quase metade do quadro de trabalhadores da companhia no país.

Como reconhecimento, a iniciativa venceu em 2018 o Prêmio Viva Voluntário, promovido pela Casa Civil em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), na categoria Voluntariado Empresarial.

Vista de São Paulo, encoberta por nuvem de poluição. Foto: Wikimedia (CC)/Alexandre Giesbrecht

Agências da ONU e parceiros lançam medidas para diminuir mortes causadas por poluição do ar

A poluição do ar não é um problema novo. Estamos preocupados com nevoeiros contaminados com fumaças há séculos, das conhecidas “smogs” de Londres no século 19 aos nevoeiros que frequentemente encobrem cidades como Pequim e Délhi nos dias atuais. A novidade, no entanto, é a noção do quão exatamente isso é ruim para nossa saúde.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), doenças relacionadas à poluição do ar matam 7 milhões de pessoas por ano. Mas o ar ruim não só mata. Em 2018, estudos ligaram a poluição do ar a diversos problemas, de milhões de casos de diabetes a níveis mais baixos de inteligência. Não é de se admirar que o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, definiu a poluição do ar como “o novo tabaco”.

Mas junto às notícias ruins existe a decisão de agir. Em 2018 foi realizada a primeira Conferência Global sobre Poluição do Ar e Saúde, organizada pela OMS junto à ONU Meio Ambiente e outros parceiros. Na conferência, participantes se comprometeram a reduzir mortes ligadas à poluição do ar em dois terços até 2030.

Indústria na Turquia. Foto: Banco Mundial/Simone D.

Atividade econômica global deve acelerar no segundo semestre, prevê FMI

As perspectivas para o crescimento global estão no nível mais baixo desde a crise financeira, mas devem acelerar no segundo semestre de 2019, relatou na terça-feira (9) o Fundo Monetário Internacional (FMI), afirmando que esse cenário ocorrerá desde que “equívocos políticos que possam prejudicar atividades econômicas” sejam evitados.

A previsão do FMI é de uma expansão global de 3,3% em 2019, e crescimento de 3,6% para o ano seguinte, de acordo com o relatório anual Perspectivas da Economia Mundial. O crescimento deve ser impulsionado por ajustes de políticas monetárias nas principais economias.

Para o Brasil, a projeção é de crescimento de 2,1% este ano e de 2,5% no ano que vem. Segundo o FMI, a prioridade para o país deve ser conter a crescente dívida pública, garantindo que os necessários gastos sociais continuem intactos.

Esquema de irrigação restaurado tem aumentado a produtividade de agricultores na província de Nangarhar, no Afeganistão. O projeto opera sob o comando do Ministério da Agricultura, Irrigação e Pecuária e trabalha para melhorar a produtividade agrícola, aprimorando a eficiência do uso da água. A iniciativa recebe apoio financeira do Fundo Afegão de Segurança de Reconstrução.

Afeganistão: com apoio do Banco Mundial, novo canal de irrigação traz desenvolvimento; vídeo

Esquema de irrigação restaurado tem aumentado a produtividade de agricultores na província de Nangarhar, no Afeganistão. O projeto opera sob o comando do Ministério da Agricultura, Irrigação e Pecuária e trabalha para melhorar a produtividade agrícola, aprimorando a eficiência do uso da água. A iniciativa recebe apoio financeira do Fundo Afegão de Segurança de Reconstrução. Confira nesse vídeo.

Comitê lança publicação com recomendações e estratégias sobre uso de medicamentos e “medicalização da vida”. Foto: ONU

Publicação traz recomendações e estratégias sobre uso de medicamentos

O Comitê Nacional para Promoção do Uso Racional de Medicamentos lançou na segunda-feira (8), na sede da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), em Brasília (DF), a publicação “Uso de medicamentos e medicalização da vida: recomendações e estratégias”.

O documento é resultado de debate realizado em agosto de 2018 entre representantes do Comitê e especialistas sobre três temas: medicalização da vida, uso de medicamentos por grupos em situação de vulnerabilidade e uso racional de antimicrobianos.

Tomás Pippo, coordenador de Medicamentos e Tecnologia em Saúde da OPAS/OMS Brasil, lembrou que o “uso irracional de medicamentos, além de não produzir benefícios para a saúde, pode gerar consequências negativas e desperdícios ao sistema de saúde”.

Accelerate2030 identifica negócios inteligentes e inovadores em fase de crescimento, que tenham impacto direto em ao menos um dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Foto: Jay Burton

Lançada nova edição de programa que identifica negócios de impacto no Brasil

O Impact Hub e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) lançaram na segunda-feira (8) a terceira edição do Accelerate 2030, programa que identifica negócios inteligentes e inovadores em fase de crescimento com impacto direto em ao menos um dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

A expectativa é de que 30 negócios sejam escolhidos na etapa nacional. Os três que apresentarem melhor desempenho serão indicados para a etapa global, da qual participam 16 países.

As inscrições podem ser feitas até 30 de abril.

Evento em SP lançou plataforma online "Empresas com Refugiados", banco de dados sobre boas práticas e incentivos à contratação de refugiados. Foto: Rede Brasil do Pacto Global

Plataforma ajuda a integrar refugiados ao mercado de trabalho brasileiro

O crescente número de pessoas que buscam refúgio no Brasil – em 2018, foram cerca de 80 mil solicitações formais, segundo dados da Polícia Federal – faz com que setor público e privado, assim como agências das Nações Unidas, busquem soluções para o acolhimento digno dessas pessoas no país.

Pensando na ampliação do acesso ao mercado de trabalho, a Rede Brasil do Pacto Global e a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), com o apoio da ONU Mulheres, lançaram na semana passada (3), em São Paulo (SP), a plataforma online “Empresas com Refugiados”, um banco de dados sobre boas práticas e incentivos à contratação de refugiados.

Moradores de favela em Dhaka, capital de Bangladesh. Foto: Banco Mundial/Dominic Chavez

Relatório das Nações Unidas aborda renovação de sistema financeiro e economia global

Um novo relatório das Nações Unidas envolvendo mais de 60 organizações internacionais alerta que uma revisão abrangente do sistema financeiro mundial é necessária caso governos queiram honrar compromissos para responder a questões críticas, como mudança climática e erradicação da pobreza até 2030. O documento apresenta uma série de recomendações sobre como gerar um sistema financeiro e uma economia global mais sustentável.

As recomendações incluem uma mudança para investimentos de longo prazo e a inclusão da sustentabilidade como fator central de risco; uma renovação do sistema de comércio multilateral; uma resposta à concentração dos mercados nas mãos de um pequeno número de companhias poderosas, o que não é limitado às fronteiras nacionais.

O Programa EletriCidadania de Voluntariado Corporativo conseguiu, em 14 anos, mudar a cultura de atividades sociais da COPEL. Foto: COPEL

Empresa promove voluntariado para apoiar organizações da sociedade civil no Paraná

Quando, em 2004, a Companhia Paranaense de Energia (COPEL) decidiu estimular seus funcionários a realizar ações sociais por meio da utilização de até quatro horas mensais de sua jornada de trabalho para trabalhos voluntários, não imaginava a espiral virtuosa que geraria.

Vencedor do Prêmio Viva Voluntário 2018 na categoria Voluntariado no Setor Público, o Programa EletriCidadania de Voluntariado Corporativo conseguiu, em 14 anos, mudar a cultura de atividades sociais da empresa.

O Programa Nacional de Voluntariado, Viva Voluntário, é uma iniciativa do governo federal implementada pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

Sessenta por cento dos resíduos e três quartos do uso de recursos e emissões de gases de efeito estufa vêm das cidades. Foto: EBC

Cúpula das Cidades pede abordagem integrada para infraestrutura urbana

Embora os Estados-membros tenham adotado uma resolução sobre infraestrutura sustentável na Assembleia Ambiental das Nações Unidas (UNEA), em março, a Cúpula das Cidades reforçou no mesmo mês em Nairóbi, no Quênia, a importância da ação local e a necessidade de uma abordagem integrada para a infraestrutura urbana.

Sessenta por cento dos resíduos e três quartos do uso de recursos e de emissões de gases de efeito estufa vêm das cidades, o que as torna ótimos lugares para promover o consumo e a produção sustentáveis.

Mas preservar o bem-estar de uma população cada vez mais urbana, incluindo pessoas que ainda não têm acesso a moradias e serviços básicos acessíveis e adequados, é tão importante quanto a busca por atingir as metas de desenvolvimento sustentável. Uma abordagem integrada à infraestrutura urbana poderia ajudar a fazer as duas coisas, de acordo com a ONU Meio Ambiente.

Porto de Fortaleza (CE). Foto: MTUR/Jade Queiroz

Movimento de carga nos portos da América Latina e do Caribe sobe 7,7% em 2018

O movimento de carga em contêineres nos portos da América Latina e do Caribe aumentou 7,7% em 2018 na comparação com o ano anterior, segundo dados divulgados nesta quarta-feira (3) pela Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL). A análise inclui o comportamento de uma amostra de 31 países e 118 portos e zonas portuárias da região.

Dez países responderam por 84,1% do total de volume de cargas movimentado. São eles (ordenados do maior para o menor, segundo a quantidade de TEU mobilizados): Brasil, México, Panamá, Colômbia, Chile, Peru, Argentina, Equador, República Dominicana e Jamaica.

Missões promovidas por PNUD e SEBRAE buscam melhores práticas internacionais para empreendimentos de impacto socioeconômico no Brasil. Foto: Arquivo Pessoal

Missões internacionais buscam melhores práticas para negócios de impacto social

O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE) promovem missões internacionais para conhecer experiências com o objetivo de impulsionar os negócios de impacto — empreendimentos com impacto socioeconômico positivos — no Brasil.

Além de estimular o conhecimento de outros ecossistemas de negócios de impacto, a iniciativa ajuda a identificar os principais atores do setor, os desafios dos empreendedores sociais e os mecanismos de apoio existentes.

Relatório da CEPAL apresenta panorama sobre o desenvolvimento sociodemográfico, econômico e ambiental dos países da região. Foto: EBC

CEPAL lança anuário com dados sobre situação socioeconômica e ambiental da América Latina

A Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) lançou na quinta-feira (28) o Anuário Estatístico da América Latina e do Caribe 2018, disponível em seu site, no qual apresenta um panorama sobre o desenvolvimento sociodemográfico, econômico e ambiental dos países da região.

O relatório destacou desigualdades de gênero nos países da região, evidenciadas pela falta de autonomia econômica das mulheres. Enquanto 28,1% das mulheres latino-americanas e caribenhas de 15 anos ou mais não conta com renda própria, 13,2% dos homens estão em situação similar.

Quanto às condições de moradia e serviços básicos, 95% da população da América Latina e do Caribe dispõe de luz elétrica, 86% têm acesso à água por tubulação, enquanto apenas 65% dispõe de um sistema de esgoto.

O encontro foi uma das 11 oficinas realizadas em todo o mundo pelo UNAIDS para discutir atualizações do software usado para estimar número de pessoas vivendo com HIV. Foto: UNAIDS

Encontro em Joanesburgo analisa tendências da epidemia de HIV nos países africanos

Mais de 100 pessoas de 11 países da África Oriental e Austral, apoiadas por nove organizações, reuniram-se em Joanesburgo, na África do Sul, para analisar as tendências e taxas da epidemia de HIV em seus países.

O encontro foi uma das 11 oficinas realizadas em todo o mundo pelo Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) entre 28 de janeiro e 30 de março, durante as quais 140 equipes nacionais — incluindo epidemiologistas, coordenadores de programas de HIV e especialistas em monitoramento e avaliação — aprenderam as últimas atualizações do software usado para estimar o número de pessoas vivendo com HIV, novas infecções por HIV e mortes relacionadas à AIDS.

Mata fechada na Amazônia peruana. Foto: Flickr (CC)/Joseph King

Oficina sobre redução do desmatamento recebe inscrições de jornalistas até 8 de abril

Oito jornalistas do mundo poderão viajar a Lima e para a Amazônia Peruana com o objetivo de vivenciar a floresta tropical, interagir com produtores de matérias-primas, participar de oficinas técnicas e dialogar sobre sustentabilidade com representantes da ONU e de comunidades tradicionais.

A iniciativa reflete o importante papel da imprensa internacional no destaque dos problemas relacionados ao desmatamento motivado pelas commodities agrícolas. As inscrições vão até 8 de abril.

Os jornalistas selecionados terão direito a passagens aéreas e hospedagem, por meio do suporte dos escritórios nacionais do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

O seminário é uma das atividades da Iniciativa Incluir, lançada em 2015 pelo PNUD para fortalecer o envolvimento privado no apoio aos esforços globais e locais para reduzir a pobreza e tornar o desenvolvimento mais inclusivo. Foto: Thiago Siqueira

PNUD e SEBRAE debatem em Brasília inovação social e negócios de impacto

O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE) realizaram na quinta-feira (29) em Brasília (DF) encontro que debateu inovação social, negócios de impacto e suas cadeias de valor.

O seminário é uma das atividades da Iniciativa Incluir, lançada em 2015 pelo PNUD para fortalecer o envolvimento privado no apoio aos esforços globais e locais para reduzir a pobreza e tornar o desenvolvimento mais inclusivo.

Evento em Paris reuniu especialistas para debater os desafios e possibilidades do uso da inteligência artificial para o aprendizado. Foto: PMA

Conferência em Paris discute potencialidades da Inteligência Artificial na educação

A conferência “Inteligência Artificial para o Desenvolvimento Sustentável”, tema da Semana de Aprendizagem Móvel da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), debateu no início de março (4 a 8), em Paris, as potencialidades e os desafios da utilização da Inteligência Artificial (IA) na educação.

De acordo com o secretário da Educação de São Paulo, Rossieli Soares, que participou de uma sessão de debates na UNESCO, as lacunas na educação no Brasil serão ainda maiores se o uso de tecnologias e da Inteligência Artificial não fizerem parte dos currículos escolares no país. “É necessário que as crianças brasileiras adquiram competências em programação para se preparar às mudanças no mundo do trabalho”, declarou.

Sobrevoo da área atingida pelo rompimento da barragem em Brumadinho (MG). Foto: Presidência da República/Isac Nóbrega

ONU apoia criação de padrões globais para barragens de mineração

Em resposta ao recente rompimento da barragem da mineradora Vale em Brumadinho (MG), que deixou ao menos 214 mortos e 91 desaparecidos, o Conselho Internacional de Mineração e Metais, a ONU Meio Ambiente e os Princípios para o Investimento Responsável (PRI) lançarão uma revisão independente com o objetivo de estabelecer padrões internacionais para instalações que armazenam rejeitos de mineração.

As falhas nas barragens de rejeitos têm consequências ambientais de longo alcance, com a lama tóxica liberada se infiltrando no solo e nos rios próximos. O desastre de Brumadinho mostrou a necessidade da implementação rápida de fortes padrões internacionais para a contenção de resíduos tóxicos de mineração, apontou a ONU Meio Ambiente.

A política da empresa é de que os funcionários possam usar quatro horas do expediente de trabalho por mês para ajudar a comunidade. Foto: Acervo Pessoal

Empresa brasileira recebe prêmio por impulsionar voluntariado em comunidades

Um em cada dez funcionários da empresa de produção e processamento de alimentos Cargill dedica parte do seu tempo para atividades voluntárias — o número é representativo, já que a empresa soma atualmente mais de 20 mil colaboradores.

O incentivo às atividades de voluntariado por parte da empresa foi reconhecido pelo prêmio Viva Voluntário 2018 na categoria “Voluntariado Empresarial”. A homenagem é fruto de uma parceria entre Casa Civil da Presidência de República e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

A CEPAL prevê crescimento de 2% para a economia brasileira em 2019. Foto: EBC

CEPAL: arrecadação tributária tem retomada na América Latina e no Caribe em 2017

A carga tributária média nos países da América Latina e do Caribe atingiu 22,8% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2017, um aumento de 0,2 ponto percentual na comparação com 2016, segundo a publicação “Estatísticas Tributárias na América Latina e no Caribe 2019”.

A média da carga tribuária da região está 11,4 pontos percentuais abaixo da média dos países da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) — 34,2% do PIB em 2017 —, apesar da diferença entre esses dois grupos ter diminuído frente aos 16,4 pontos percentuais de 1990.

O relatório é uma publicação conjunta de Centro Interamericano de Administrações Tributárias (CIAT), Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL), Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e OCDE, por meio do Centro de Política e Administração Tributária e do Centro de Desenvolvimento.

Volume de poluentes do ar em Pequim caiu de 25% a 83%, dependendo do poluente, desde 2013. Foto: ONU Meio Ambiente

ONU: melhora na qualidade do ar em Pequim serve de modelo para outras cidades

Mais de 20 anos depois de Pequim começar a procurar maneiras de melhorar a qualidade do ar em uma das maiores e mais crescentes cidades do mundo em desenvolvimento, seus esforços bem-sucedidos fornecem um modelo para outras metrópoles, de acordo com um relatório divulgado pela ONU no início de março (9).

“Essa melhora na qualidade do ar não aconteceu por acidente. Foi resultado de um enorme investimento de tempo, recursos e vontade política”, disse Joyce Msuya, diretora-executiva em exercício da ONU Meio Ambiente. “Entender a história da poluição do ar em Pequim é crucial para qualquer nação, distrito ou municipalidade que deseja seguir caminho semelhante”.

A fabricante de móveis sueca IKEA produziu uma cortina que, segundo a empresa, purifica o ar usando uma superfície tratada com minerais que permite ao tecido desmembrar os poluentes quando entra em contato com a luz interna ou natural. O processo é semelhante à fotossíntese. Foto: ONU Meio Ambiente

Empresa sueca produz cortina que reduz poluição do ar dentro de casa

Arranha-céus cobertos de fumaça, engarrafamentos tóxicos e uma série de chaminés podem ser as primeiras imagens que vêm à mente quando se discute a poluição do ar. Mas novas pesquisas mostraram as toxinas invisíveis que poluem o ar em nossas casas.

Com o aumento da conscientização nos países desenvolvidos, soluções que vão desde purificadores de ar a plantas de interior têm sido discutidas para ajudar a remover partículas perigosas do ar em residências.

Agora, a fabricante de móveis sueca IKEA produziu uma cortina que, segundo a empresa, purifica o ar usando uma superfície tratada com minerais que permite ao tecido desmembrar os poluentes quando entra em contato com a luz interna ou natural. O processo é semelhante à fotossíntese. O relato é da ONU Meio Ambiente.

Participantes celebram encerramento da 63ª sessão da Comissão da ONU sobre a Situação das Mulheres na sede da ONU, em Nova Iorque. Foto: ONU Mulheres/Ryan Brown

Comissão da ONU aprova documento final para garantir proteção social às mulheres

O órgão das Nações Unidas dedicado exclusivamente à promoção da igualdade de gênero e ao empoderamento de mulheres finalizou na sexta-feira (22) sua sessão anual com um acordo sobre maneiras de salvaguardar e melhorar o acesso de mulheres e meninas a sistemas de proteção social, serviços públicos e infraestrutura sustentável.

A 63ª sessão da Comissão sobre a Situação de Mulheres (CSW63) tradicionalmente reúne defensoras dos direitos das mulheres de todo o mundo na sede da ONU em Nova Iorque para duas semanas de diálogos, painéis e eventos. A sessão foi concluída com um forte compromisso de Estados-membros para garantir que serviços, infraestrutura e sistemas de proteção social sejam projetados e usados para prevenir a discriminação e criar um “campo nivelado” para mulheres e meninas.

O Objetivo do Desenvolvimento Sustentável (ODS) número 5 prevê alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas. Foto: EBC

UNOPS e ONU Mulheres lançam campanha sobre infraestrutura para igualdade de gênero

O Escritório das Nações Unidas de Serviços para Projetos (UNOPS) e a ONU Mulheres no Brasil lançam nesta terça-feira (26) a campanha digital “Mulheres na Infra, Infra para Mulheres”, nas plataformas Facebook e Instagram.

O objetivo da ação é chamar a atenção para a atuação de mulheres profissionais na área de infraestrutura e informar sobre como o investimento nessa área pode contribuir para promover a igualdade de gênero.

Lisiane Lemos é especialista de soluções da Microsoft e membro do Conselho Consultivo do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA). Foto: Acervo Pessoal

Atuar pelo fim da discriminação racial é fundamental para efetivação de direitos, diz executiva

Para marcar Dia Internacional para a Eliminação da Discriminação Racial, lembrado na quinta-feira (21), o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) entrevistou a advogada e executiva gaúcha Lisiane Lemos. Considerada uma das pessoas negras mais influentes do mundo, ela é uma das principais ativistas brasileiras pelo fim do racismo no mundo corporativo.

Segundo pesquisa do Instituto Ethos, pessoas negras ocupam apenas 5% dos cargos executivos no Brasil. Homens negros correspondem a 4,6% desse percentual e mulheres negras, 0,7%.

Para Lisiane, há avanços recentes, mas permanece o desafio de levar profissionais seniores negros a cargos de liderança. “Na base, enquanto ‘trainee’, jovem aprendiz, as pessoas negras são uma porcentagem alta, mas quanto mais se sobe na pirâmide, mais baixo o percentual fica. Precisamos de mais vozes que deem visibilidade para inverter esses números”, declarou.

Durante visita a São Paulo, o diretor-geral da OMC disse que políticas de abertura comercial são vitais para impulsionar competitividade. Foto: OMC

Em visita a SP, chefe da OMC defende maior integração do Brasil no comércio internacional

O diretor-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), Roberto Azevêdo, visitou São Paulo (SP) esta semana para participar de uma série de eventos que discutiram a importância das políticas de abertura comercial e de um sistema de comércio baseado em regras para promover a competitividade da economia brasileira.

Esses eventos incluíram o lançamento da iniciativa “O Brasil Quer Mais”, liderada pela Câmara de Comércio Internacional (ICC Brasil), que pretende mobilizar o setor empresarial e o governo brasileiro em torno da abertura comercial como caminho para o crescimento econômico.

“A maior integração comercial pode trazer muitos benefícios ao Brasil. A OMC pode ter um papel muito importante aqui — tanto como uma plataforma para resolver disputas quanto para negociar novas regras que possam melhorar a integração do Brasil à economia mundial”, declarou.

Jorge Chediek, enviado do secretário-geral da ONU para a Cooperação Sul-Sul, e o presidente do Uruguai, Tabaré Vásquez (centro), no lançamento de relatório sobre a cooperação entre países em desenvolvimento no mundo digital. Foto: ONU/Laura Quinones

ONU lança plataforma para cooperação técnica entre países do Sul Global

Quando países do Sul Global fecharam um histórico acordo de cooperação técnica há 40 anos, a tecnologia digital era algo do futuro, mas nações em desenvolvimento avançaram um longo caminho desde então. A China, por exemplo, conseguiu enviar um veículo de exploração para o lado escuro da Lua, enquanto a Índia tem um satélite orbitando Marte.

Uma nova ferramenta digital lançada na terça-feira (19), pouco antes da Segunda Conferência de Alto Nível da ONU para Cooperação Sul-Sul, busca fortalecer o compartilhamento de tecnologias em benefício dos países em desenvolvimento.

Empresários e técnicos do setor de refrigeração comercial se reuniram em São Paulo (SP) na quinta-feira (14) para debater a utilização do propano R-290 como fluido frigorífico em equipamentos de refrigeração. Foto: UNIDO

Setor de refrigeração participa de workshop em SP sobre uso de propano como fluido frigorífico

Empresários e técnicos do setor de refrigeração comercial se reuniram em São Paulo (SP) na quinta-feira (14) para debater a utilização do propano R-290 como fluido frigorífico em equipamentos de refrigeração.

O evento foi organizado pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) e pela Organização das Nações Unidas para Desenvolvimento Industrial (UNIDO) no âmbito do Programa Brasileiro de Eliminação dos HCFCs (PBH).

Por meio da Cooperação Sul-Sul, treinamento e orientações técnicas sobre produção de arroz foram fornecidos a agricultores africanos. Agora, a Costa do Marfim comemora uma farta colheita do produto. Foto: FAO/Wang Jinbiao

O que é Cooperação Sul-Sul e por que ela importa?

Mais de 1 mil pessoas, incluindo delegações governamentais e representantes do setor privado e da sociedade civil, irão se reunir nesta semana (de 20 a 22) na capital da Argentina, Buenos Aires, para a Segunda Conferência de Alto Nível das Nações Unidas para a Cooperação Sul-Sul, ou BAPA+40.

A Cooperação Sul-Sul se refere à cooperação técnica entre países em desenvolvimento no Sul Global. É uma ferramenta usada por Estados, organizações internacionais, acadêmicos, sociedade civil e setor privado para colaborar e compartilhar conhecimento, habilidades e iniciativas de sucesso em áreas específicas, como desenvolvimento agrícola, direitos humanos, urbanização, saúde, mudança climática etc.

O tema central das discussões de Buenos Aires será como a Cooperação Sul-Sul representa uma oportunidade de alcançar a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, o modelo globalmente aceito para paz e prosperidade às pessoas e ao planeta.

Lise Kingo, presidente-executiva do Pacto Global da ONU, durante mesa-redonda que discutiu a resistência à igualdade de gênero nas empresas. Foto: Pacto Global

Apesar de progressos, ainda há resistência a políticas de igualdade de gênero nas empresas

Avanços para alcançar a igualdade de gênero ganharam força e iniciativas para aumentar a diversidade foram implementadas em empresas e organizações no mundo todo, mas um nível significativo de resistência e reações adversas permanece, de acordo com um grupo empresarial das Nações Unidas.

Paralelamente aos encontros da Comissão sobre a Situação das Mulheres, que ocorre na sede das Nações Unidas, em Nova Iorque, o Pacto Global da ONU – maior iniciativa de sustentabilidade corporativa do mundo – reuniu líderes empresariais para mesas-redondas. As conversas, que começaram na quinta-feira (14), têm objetivo de encontrar maneiras para superar os obstáculos para atingir a igualdade de gênero.