Indústria; inovação e infraestrutura

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número 11 diz: “Tornar as cidades e os assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis”.

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número 9 diz: “Construir infraestruturas resilientes, promover a industrialização inclusiva e sustentável e fomentar a inovação”.

 

Mais sobre este ODS em https://nacoesunidas.org/pos2015/ods9 e notícias sobre o tema abaixo.

ONU pede combate à evasão fiscal para financiamento dos objetivos globais. Foto: Agência Brasil

ONU chama países em desenvolvimento a combater a evasão fiscal em prol dos objetivos globais

Os países precisam fortalecer a efetividade de seus regimes tributários para liberar recursos domésticos necessários para garantir a realização dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e promover o crescimento econômico inclusivo, disseram na sexta-feira (16) as Nações Unidas e as principais organizações econômicas e financeiras internacionais.

“Peço à comunidade internacional que estabeleça mecanismos eficazes para combater a evasão fiscal, a lavagem de dinheiro e os fluxos financeiros ilícitos, para que os países em desenvolvimento possam mobilizar melhor seus próprios recursos”, disse o secretário-geral da ONU, António Guterres.

Foto: Mikepaws on VisualHunt.com/CC BY-NC-SA

Veja como o Reino Unido está liderando a luta contra a poluição por plástico

Ainda estamos no segundo mês do ano, mas 2018 já teve passos concretos no combate à poluição por plásticos, pelo menos no Reino Unido.

O Palácio de Buckingham implementou um plano para eliminar o uso de plásticos descartáveis em todas as propriedades reais, enquanto um número crescente de restaurantes e bares está se unindo ao movimento global para acabar com os canudinhos. Leia a lista de medidas adotadas pelo país.

Adriana Carvalho, gerente dos Princípios de Empoderamento das Mulheres, fala da necessidade de investimentos em meninas nas áreas de ciência e tecnologia. Foto: ONU Mulheres/Amanda Talamonte

ONU defende aumentar participação de mulheres em ciência e tecnologia

A ONU Mulheres, a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) e a empresa de análise para decisões de crédito Serasa Experian promoveram no início de fevereiro (5) evento em São Paulo para discutir formas de aumentar a participação das mulheres e meninas na ciência e na tecnologia.

Em 2017, a ONU Mulheres fez o alerta global de que as mulheres estão fora dos principais postos de trabalho gerados pela revolução digital. Elas têm somente 18% dos títulos de graduação em Ciências da Computação e são, atualmente, apenas 25% da força de trabalho da indústria digital.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou a revisão de sua lista de agentes patogênicos prioritários. Foto: EBC

OMS divulga lista de doenças prioritárias para pesquisa e desenvolvimento em 2018

A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou na quarta-feira (14) a revisão de sua lista de agentes patogênicos prioritários, que podem causar uma emergência de saúde pública e para as quais não existem medidas suficientes. O organismo internacional pede que a comunidade médica una esforços de pesquisa e desenvolvimento para tratamentos e vacinas com o objetivo de ajudar a controlar possíveis surtos de oito doenças.

Programa financia startups globais com soluções tecnológicas para serviços de saúde brasileiros. Foto: EBC

IFC apoia startups com soluções tecnológicas para serviços de saúde brasileiros

A Corporação Financeira Internacional (IFC), uma subsidiária do Grupo do Banco Mundial, lançou o TechEmerge Health Brazil, um programa de apoio a startups globais de tecnologia que desenvolvam inovações de saúde relevantes para o Brasil.

A IFC está buscando empresas de tecnologia interessadas em ampliar seus negócios no mercado brasileiro. As inscrições podem ser feitas pelo site www.techemergebrazil.org até 10 de março.

Professora Amivi Kafui Tete-Benissan (esquerda) ensina biologia celular e bioquímica na Universidade de Lomé, na capital do Togo. Foto: Banco Mundial/Stephan Gladieu

Maioria dos países está longe de alcançar paridade de gênero na ciência, dizem agências da ONU

A maioria dos países, industrializados ou não, está longe de alcançar a paridade de gênero nas disciplinas de ciência, tecnologia, engenharia e matemática, em todos os âmbitos do sistema educacional. O alerta foi feito pela diretora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), Audrey Azoulay, e pela diretora-executiva da ONU Mulheres, Phumzile Mlambo-Ngcuka, em mensagem conjunta para a ocasião do Dia Internacional das Mulheres e Meninas na Ciência, 11 de fevereiro.

“É difícil para as meninas acreditarem em si mesmas como cientistas, exploradoras, inovadoras, engenheiras e inventoras quando as imagens que veem nas mídias sociais, nos livros didáticos e na publicidade refletem os papéis estreitos e limitantes de gênero”, disseram as oficiais da ONU.

Investimentos chineses na América Latina e no Caribe estão concentrados nos setores de mineração e hidrocarbonetos. Foto: Flickr/Cassandra Sarmanho (CC)

CEPAL vê alta do investimento chinês na América Latina e no Caribe em 2017

Em 2017, o estoque de investimentos diretos chineses nos países latino-americanos e caribenhos alcançou cerca de 115 bilhões de dólares, avanço de 46% frente ao ano anterior, de acordo com a Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL).

Entre 2005 e 2017, o investimento estrangeiro direto proveniente da China mostrou forte concentração, tanto em termos de setores (com mineração e hidrocarbonetos representando cerca de 80%), como de países de destino (Brasil, Peru e Argentina receberam 81% do total).

Foto: Flickr/EMBARQ Brasil (CC)

ARTIGO: Como aumentar a concorrência no transporte de passageiros de ônibus urbano?

Em artigo, especialistas em transporte público do Banco Mundial afirmam que, muitas vezes, as concessões de ônibus nas cidades latino-americanas não cumprem suas promessas, havendo uma percepção de que as autoridades não conseguiram gerenciar esses processos para maximizar os benefícios públicos. Os especialistas listam princípios fundamentais para o sucesso das concessões de ônibus. Leia o artigo completo.

Jerônimo Villas-Bôas, ecólogo, trabalha com o resgate da produção de mel de espécies nativas de abelhas. Ele foi um dos palestrantes do evento em São Paulo. Foto: PMA/Isadora Ferreira

Evento em SP discute formas de garantir alimentação de qualidade para todos

A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e o Centro de Excelência contra a Fome apoiaram no fim de janeiro (26 e 27) a realização de evento em São Paulo para debater possíveis caminhos para alimentar melhor uma população global que deve chegar a quase 9 bilhões de pessoas até 2030.

O seminário “Fruto — Diálogos do Alimento” reuniu 30 especialistas e 300 convidados, contando com palestras sobre os aspectos culturais, biológicos e sociais da alimentação, tendo como objetivo consolidar o Brasil como principal celeiro dessa discussão.

Foto: Banco Mundial/Athit Perawongmetha

Casos de câncer devem aumentar 70% até 2038, calcula OMS

No Dia Mundial de Combate ao Câncer, lembrado no domingo (4), a Organização Mundial da Saúde (OMS) afirma que “quase todas as famílias do mundo são afetadas pelo câncer de alguma maneira”. Aproximadamente 14 milhões de novos casos são registrados por ano globalmente, e a OMS calcula que essas notificações devam subir 70% nas próximas duas décadas.

A OMS explica que foram feitos muitos progressos na prevenção, no tratamento e nos cuidados paliativos da doença. Mas o acesso a esses avanços é desigual. Em muitos países, o câncer é diagnosticado muito tarde, o tratamento é caro ou inacessível e serviços paliativos não estão disponíveis.

As economias em desenvolvimento, lideradas pela China e pela Índia, responderam por quase 90% das 750 milhões de pessoas que ficaram online pela primeira vez entre 2012 e 2015, de acordo com dados da União Internacional de Telecomunicações (UIT). Foto: EBC

UNESCO publica estudo sobre liberdade de expressão e privacidade na Internet

Os resultados do estudo da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) reforçam a crescente conscientização de como a revolução digital está influenciando todas as esferas da vida pública e privada.

Cada vez mais informações pessoais e públicas são coletadas, armazenadas, processadas e compartilhadas eletronicamente. Tudo isso traz oportunidades para o desenvolvimento socioeconômico e sustentável, assim como desafios diversos em áreas como acesso, liberdade de expressão, privacidade e ética.

Participação de meninas em ciências exatas e tecnológicas é tema de edital da ONU Mulheres e parceiros. Foto: Fuzileiros Navais dos Estados Unidos/Ida Irby

ONU apoiará projetos brasileiros para inclusão de meninas nas áreas de exatas e tecnologia

A ONU Mulheres e instituições parceiras anunciaram nesta semana (23) os ganhadores de um edital que disponibilizará recursos para projetos de inserção de meninas nas áreas de tecnologia e ciências exatas. Entre as dez iniciativas selecionadas, estão programas de capacitação em robótica, desenvolvimento de games e aplicativos, oficinas de mídias digitas e software livre e experimentos com plantas medicinais.

Duas meninas conversam com um psicólogo usando um telefone celular em uma área rural no Nepal. No fundo, uma casa destruída pelos devastadores terremotos de 2015. Foto: UNICEF/Karki

Rede 3G de Internet já chega aos 47 países mais vulneráveis do mundo, comemora ONU

Segundo relatório das Nações Unidas, os 47 países mais vulneráveis do mundo estão no caminho certo para democratizar internet, com 60% dessa população já alcançando os serviços de Internet essenciais para reduzir a pobreza e melhorar o acesso à saúde, por exemplo.

Residem nesses países mais de 880 milhões de pessoas – cerca de 12% da população mundial –, mas representam menos de 2% do produto interno bruto (PIB) mundial e cerca de 1% do comércio mundial de bens.

Em sintonia com a Agenda 2030 da ONU, projeto da UFRJ simplifica a construção de moradias, escolas e hospitais em locais que sofreram e que são vulneráveis a desastres naturais. Utilizando um sistema de mutirão composto por pessoas das localidades afetadas, o ‘Solução Habitacional Simples’ (SHS) utiliza recursos naturais disponíveis para desenvolver construções com baixo custo e impacto ambiental reduzido.

Projeto de haitianos e brasileiros auxilia construção de moradias em locais vulneráveis a desastres

Em sintonia com a Agenda 2030 da ONU, projeto da UFRJ simplifica a construção de moradias, escolas e hospitais em locais que sofreram e que são vulneráveis a desastres naturais.

Utilizando um sistema de mutirão composto por pessoas das localidades afetadas, o ‘Solução Habitacional Simples’ (SHS) utiliza recursos naturais disponíveis para desenvolver construções com baixo custo e impacto ambiental reduzido. Confira nessa matéria especial em vídeo.

Em Ruanda, uma invenção vem melhorando substancialmente a vida das pessoas. O Flexi-biogas, um sistema desenvolvido na África, transforma esterco de vaca em gás de cozinha. O projeto, que será testado por 100 produtores locais, é uma das iniciativas do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola da ONU (FIDA) e do governo de Ruanda para promover a utilização de fontes de energia limpas e renováveis. Confira nessa reportagem especial

Em Ruanda, projeto inovador transforma esterco de vaca em gás de cozinha

Em Ruanda, uma invenção vem melhorando substancialmente a vida das pessoas. O Flexi-biogas, um sistema desenvolvido na África, transforma esterco de vaca em gás de cozinha. O projeto, que será testado por 100 produtores locais, é uma das iniciativas do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola da ONU (FIDA) e do governo de Ruanda para promover a utilização de fontes de energia limpas e renováveis. Confira nessa reportagem especial em vídeo.

Crescimento sustentável da economia global requer melhora da qualidade da mão de obra. Foto: Agência Brasil

Economia global deverá crescer 3,1% em 2018, prevê Banco Mundial

O Banco Mundial anunciou na terça-feira (10), em Washington, que 2018 deve ser o primeiro ano, desde a crise financeira de 2008, em que a economia mundial operará em capacidade total ou quase total. O crescimento é estimado em 3,1%, segundo o relatório Perspectivas Econômicas Globais.

As economias da América Latina e Caribe, dentre as quais o Brasil, também avançarão em 2018. O relatório do Banco Mundial calcula 2% para a região e o mesmo percentual para o país. São progressos importantes frente às projeções para 2017, de 0,9% e 1%, respectivamente.

Foto: OPAS/OMS

Brasil anuncia fracionamento de doses de vacina contra febre amarela em três estados

O Ministério da Saúde anunciou na terça-feira (9) que vai adotar, entre fevereiro e março deste ano, o fracionamento de doses da vacina contra a febre amarela em três estados: Bahia, Rio de Janeiro e São Paulo. Essa medida é recomendada pela Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) como uma das estratégias de imunização que podem ser usadas em casos de emergência.

Redução do nível de oxigênio dos oceanos afeta a vida marinha. Foto: ONU

Redução do nível de oxigênio nos oceanos ameaça vida marinha, alerta estudo

Um novo artigo publicado na revista Science mostra que as concentrações de oxigênio no oceano estão caindo, não apenas como resultado das mudanças climáticas, mas também da poluição. Tal fenômeno representa uma séria ameaça para a vida marinha e para as populações cuja sobrevivência depende dos oceanos.

O estudo — realizado por uma equipe de cientistas da Global Ocean Oxygen Network, um novo grupo de trabalho criado pela Comissão Oceanográfica Intergovernamental da UNESCO — destaca os maiores perigos para as comunidades oceânicas e costeiras e o que será necessário fazer para manter as águas da Terra saudáveis e produtivas.

Xangai, China. Foto: ONU-Habitat/Julius Mwelu

China e ONU Meio Ambiente assinam acordo de cooperação pelo desenvolvimento sustentável

O ministro chinês do Meio Ambiente, Li Ganjie, assinou na sexta-feira (5) um acordo de cooperação estratégica com o diretor-executivo da ONU Meio Ambiente, Erik Solheim, com o objetivo de apoiar a agência das Nações Unidas em seu suporte a países em desenvolvimento no enfrentamento de desafios ambientais.

O acordo também visa a apoiar esses países no desenvolvimento sustentável de suas economias e para aumentar o conhecimento sobre desafios ambientais. O pacto foca na Cooperação Sul-Sul entre países asiáticos e africanos.

Mulheres em campo de refugiados em Darfur do Norte, beneficiárias da iniciativa de acesso seguro a combustíveis e energia do PMA. Foto: UNAMID/Albert González Farran.

Desenvolvimento em países mais pobres depende de acesso a energia, diz relatório da ONU

Expandir o acesso a fontes adequadas, confiáveis e acessíveis de energia é essencial para os países mais pobres do mundo saírem dessa condição, segundo relatório divulgado no fim de novembro (22) pela Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD).

De acordo com o documento, os 47 países menos desenvolvidos do mundo estão ficando muito atrás dos países em desenvolvimento no que se refere ao fornecimento de energia elétrica para residências e empresas. Embora tenham feito grandes progressos nos últimos anos, para atingir o objetivo global de acesso universal à energia até 2030 precisam aumentar em 350% sua taxa anual de eletrificação.

Fonte: UIT

Lixo eletrônico representa ‘crescente risco’ ao meio ambiente e à saúde humana, diz relatório da ONU

O crescente volume de lixo eletrônico, incluindo produtos descartados com bateria ou tomada, tais como celulares, laptops, televisores, refrigeradores e brinquedos eletrônicos, representam uma importante ameaça ao meio ambiente e à saúde humana, alertaram as Nações Unidas em dezembro (13).

Em 2016, foram gerados 44,7 milhões de toneladas métricas de resíduos eletrônicos, um aumento de 8% na comparação com 2014. Especialistas preveem um crescimento de mais 17%, para 52,2 milhões de toneladas métricas, até 2021.

Participantes durante a 12ª reunião anual do Fórum de Governança da Internet. Foto: ONU/ Jean Marc Ferré

Chefe da ONU defende necessidade de governança da Internet para apoiar inovação

Uma governança adequada da Internet é fundamental para a realização da promessa de um mundo melhor para todos, disse o secretário-geral da ONU, António Guterres, durante fórum anual das Nações Unidas realizado em dezembro (18) em Genebra, na Suíça.

Guterres disse que a Internet deve servir para melhorar a condição humana, o que significa acabar com as desigualdades digitais baseadas em localização, recursos e gênero. “E significa estabelecer uma governança que apoie a inovação enquanto respeite os direitos humanos e proteja a sociedade”, acrescentou.

Foto: Banco Mundial/Simone D. MaCourtie

Extremistas usam Internet para atrair jovens, diz estudo da UNESCO

Extremistas violentos usam a Internet para atrair público, disseminar conteúdo e impulsionar o diálogo direto com jovens, segundo estudo de uma agência das Nações Unidas, segundo o qual mais pesquisas são necessárias para descobrir se as mídias sociais têm papel efetivo na radicalização.

“Mais do que propulsora ou causa de comportamento violento, a Internet e as mídias sociais especificamente podem ser facilitadoras de processos mais amplos de radicalização violenta”, disse a pesquisa divulgada na sexta-feira (29) conduzida pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO).

Superciclo das commodities impulsionou crescimento do Brasil no passado. Foto: EBC

Países dependentes de matérias-primas precisam diversificar economia, diz relatório

Sem uma decidida vontade de realizar mudanças de política econômica até 2030, os países em desenvolvimento que dependem de produtos básicos serão superados por economias mais diversificadas em termos de conquistas sociais e econômicas, segundo relatório publicado em dezembro (11) por Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD) e Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

Segundo o relatório, entre as medidas econômicas que podem promover o crescimento inclusivo nos próximos 15 anos, estão a diversificação econômica, a ampliação dos vínculos entre o setor de produtos básicos e a economia nacional, a adoção de políticas de gasto de caráter anticíclico que permitam constituir reservas durante os períodos de preços altos e utilizá-las durante os períodos de redução de preços, a geração de valor agregado nas matérias-primas e o investimento em proteção social, saúde e educação.

Foto: Anvisa

Brasil avança ao atualizar imagens de advertência nos rótulos dos cigarros, avalia OPAS/OMS

A Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) tem recomendado uma série de iniciativas, baseadas nas melhores evidências científicas disponíveis, para auxiliar os países das Américas na redução do número de fumantes. Recentemente, o Brasil fortaleceu uma delas ao atualizar as imagens de advertência nos rótulos dos cigarros e demais produtos derivados do tabaco.

O controle do tabagismo é um poderoso instrumento para melhorar a saúde da população. Globalmente, mais de 7 milhões de pessoas perdem a vida a cada ano, vitimadas por doenças causadas pelo consumo do tabaco – como câncer e diabetes. Esse produto é responsável por mais de 1,4 trilhão de dólares (4,3 trilhões de reais) em custos de saúde e perda de produtividade no mundo.

O relatório anual "Situação Mundial da Infância 2017" destaca a desigualdade digital e debates atuais sobre o impacto da Internet e das redes sociais na segurança e no bem-estar de meninas e meninos. Foto: ACNUR

UNICEF: um terço dos jovens do mundo não tem acesso à Internet

Publicação divulgada pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) no início da semana (11) mostrou que milhões de crianças e adolescentes estão sendo deixados para trás no uso da Internet.

Cerca de um terço dos jovens (entre 15 e 24 anos) em todo o mundo – ou 346 milhões – não está online, exacerbando as desigualdades e reduzindo a capacidade de meninas e meninos de participar em uma economia cada vez mais digital.

Governo do Maranhão assumiu compromisso de priorizar políticas sociais. Foto: Gilson Teixeira/Secap

Maranhão assina acordo com PNUD para implementação da Agenda 2030 no estado

O governo do Maranhão assinou na semana passada (7) em São Luís acordo com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) com o objetivo de fortalecer a implementação da Agenda 2030 no estado por meio da adesão aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

A adesão foi formalizada durante o encerramento do Seminário Mais IDH, que avaliou estratégias de promoção do desenvolvimento socioeconômico nos 30 municípios com menor Índice de Desenvolvimento Humano Municipal do estado.

Parceria da ONU Meio Ambiente com o BNP Paribas tem como um dos focos o financiamento à agricultura familiar em países emergentes. Na foto, agricultores familiares de Minas Gerais. Foto: Imprensa MG/Carlos Alberto

ONU e BNP Paribas fecham acordo para financiamento de projetos sustentáveis em países emergentes

A ONU Meio Ambiente e o banco BNP Paribas assinaram na terça-feira (12) em Paris um memorando de entendimento para desenvolver projetos sustentáveis que abordem desafios ambientais e sociais nos países emergentes.

O BNP Paribas atuará como assessor de mercados de capitais e de estruturação dos Fundos de Finanças Sustentáveis, e levará ao programa capital de investidores institucionais, como fundos de pensão e de investimento. Já a ONU Meio Ambiente garantirá que os impactos ambientais e sociais dos projetos financiados sejam positivos.

Países se comprometeram a acabar com poluição do ar, da água e da terra durante Assembleia Ambiental da ONU em Nairóbi, no Quênia. Foto: Ciência em Pauta (CC)

Países se comprometem a pôr fim a poluição do ar, da água e da terra após cúpula em Nairóbi

Os países se comprometeram nesta quarta-feira (6) a pôr fim à poluição do ar, da terra e da água, com o objetivo de melhorar a qualidade de vida de bilhões de pessoas globalmente. O compromisso foi feito no encerramento da Assembleia da ONU para o Meio Ambiente, realizada esta semana em Nairóbi, no Quênia.

“Hoje colocamos a luta contra a poluição no topo da agenda política global”, disse Erik Solheim, diretor-executivo da ONU Meio Ambiente. “Temos uma longa luta à nossa frente, mas a cúpula mostrou que há um apetite real por mudanças positivas e significativas”.

Previsão da FAO é de que a produção de milho para 2017 na América Latina e no Caribe se manterá em níveis altos como resultado do aumento da produção em Argentina e Brasil. Foto: EBC

FAO: Brasil e Argentina devem ter recorde de produção de milho em 2017

Uma maior produção de milho e uma queda da produção de trigo na América do Sul este ano são dois aspectos destacados pelo relatório “Perspectivas Alimentares”, divulgado no fim de novembro (21) pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

Segundo o documento, a produção de milho do Brasil em 2017 deve alcançar novo recorde de 99,4 milhões de toneladas, aumento de 57% frente a 2016. A Argentina também registrou uma produção recorde de 49,5 milhões de toneladas, apontou.