Trabalho decente e crescimento econômico

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número 8 diz: “Promover o crescimento econômico sustentado, inclusivo e sustentável, emprego pleno e produtivo e trabalho decente para todos”.

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número 8 diz: “Promover o crescimento econômico sustentado, inclusivo e sustentável, emprego pleno e produtivo e trabalho decente para todos”.

 

Mais sobre este ODS em https://nacoesunidas.org/pos2015/ods8 e notícias sobre o tema abaixo.

Foto: UNCTAD

Análise da OMC sobre política comercial brasileira critica ‘complexo regime tributário’

A última avaliação da política comercial brasileira, feita pela Organização Mundial do Comércio (OMC), foi concluída na última quarta (19) com elogios pelos esforços na tentativa de sair da crise e barrar o desemprego. No entanto, os Estados-membros não economizaram críticas ao baixo apoio doméstico à agricultura, bem como ao complexo regime tributário, manifestando preocupação com possíveis distorções fiscais entre produtos importados e domésticos.

Sede da CEPAL, em Santiago do Chile. Foto: Carlos Vera/CEPAL

CEPAL divulga estimativas de crescimento da América Latina e Caribe para 2017

CEPAL divulga no início de agosto (3) seu relatório anual com estimativas de crescimento para 2017 na América Latina e no Caribe. O levantamento apresenta uma análise do desempenho econômico da região durante o primeiro semestre do ano e mostra as perspectivas para os próximos meses. Nessa edição, os capítulos temáticos da publicação examinarão os desafios para dinamizar o investimento e o crescimento.

O arroz (foto) pode ser contaminado pelo arsênio – um semimetal inodoro e insípido encontrado nas rochas e no solo. Ele entra na cadeia alimentar principalmente através de culturas que absorvem água de irrigação contaminada. Foto: FAO / J.Belgrave

Novas normas alimentares da ONU regulam medicamentos para gado e higienização de frutas e verduras

O organismo das Nações Unidas que estabelece os padrões dos alimentos adotou uma série de medidas para garantir maior segurança alimentar. Elas incluem os limites máximos de resíduos para uma variedade de medicamentos utilizados em gados e outros animais, além de revisões que orientam as práticas agrícolas e higiênicas para minimizar os perigos microbianos, químicos e físicos em frutas e vegetais.

Juliana Maia, assistente de programas da ONU Mulheres Brasil. Foto: Sistema FIRJAN/Vinícius Magalhães

ONU Mulheres defende igualdade de gênero e racial no setor privado

A diversidade racial na iniciativa privada foi tema de um seminário no Rio de Janeiro que contou com a participação da ONU Mulheres. A agência das Nações Unidas lembrou que, segundo o Perfil Social, Racial e de Gênero das 500 Maiores Empresas do Brasil, as funcionárias negras representam apenas 10,6% do número de total de profissionais. No quadro executivo, existem apenas duas afrodescendentes entre 548 diretores.

Parceria entre a OIT e a UNIVAG levou conhecimentos de gastronomia para 32 mulheres haitianas que vivem no Brasil. Foto: OIT

Culinárias do Brasil e do Haiti se misturam em projeto da OIT para a capacitação de migrantes

Em Cuiabá, 32 mulheres haitianas participaram de um curso de gastronomia brasileira e mato-grossense. Formação oferecida pela Universidade de Várzea Grande (UNIVAG), em parceria com a Organização Internacional do Trabalho (OIT), também ensinou às migrantes como empreender. Turma criou uma marca própria de biscoitos a partir de receita típica do Brasil, incrementada com tradições do Haiti.

Campanha 'Talentos Invisíveis' aborda desafios que refugiados enfrentam para se inserir no mercado de trabalho brasileiro. Imagem: Agência África

Campanha destaca qualificações profissionais de refugiados que buscam emprego no Brasil

Em parceria com o Programa de Apoio para a Recolocação dos Refugiados (PARR) e a empresa EMDOC, a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) lançou nas redes sociais a campanha “Talentos Invisíveis”, uma ação inédita para facilitar o ingresso de pessoas refugiadas no mercado de trabalho brasileiro. Até o final do ano passado, o Brasil abrigava 9.552 pessoas reconhecidas como refugiadas pelo governo federal.

Porto de Tema, em Gana. Foto: Banco Mundial/Jonathan Ernst

Recomendações econômicas da ONU mostram-se exatas e aplicáveis ao desenvolvimento, diz relatório

Análises econômicas feitas pelas Nações Unidas nos últimos 70 anos mostraram-se precisas e úteis para ajudar países a enfrentar a atual situação econômica mundial e implementar os novos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), concluiu novo relatório da Organização.

Publicado pela primeira vez em janeiro de 1948, após a Segunda Guerra Mundial, a Pesquisa Econômica e Social Mundial (‘World Economic and Social Survey’) é o mais antigo relatório econômico e social anual do tipo e promove uma ampla compreensão do conceito de desenvolvimento.

São Paulo vai receber cursos e oficinas sobre consumo de energia em edificações. Foto: Flickr / Gordon (CC)

Negócios e direitos humanos: os deveres dos Estados não terminam nas fronteiras nacionais

Os Estados devem controlar as corporações para além de suyas fronteiras nacionais para proteger as comunidades dos impactos negativos de suas atividades, disseram especialistas da ONU em direitos humanos, ao lançarem novas orientações sobre as obrigações dos Estados Partes no Pacto Internacional de Direitos Econômicos, Sociais e Culturais (PIDESC), no contexto das atividades comerciais.

Foto: OMC

Diferenças comerciais devem ser resolvidas com discussão e cooperação, diz chefe da OMC ao G20

A líderes do G20, o diretor-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), o brasileiro Roberto Azevêdo, defendeu a continuidade de mercados abertos para se ter os benefícios do comércio que, quando acompanhado das políticas domésticas certas, constitui uma poderosa força para o crescimento inclusivo, a criação de empregos e melhores padrões de vida, especialmente quando todos os países trabalham para se adaptar à rápida mudança econômica.

Menina palestina dentro da casa parcialmente destruída de sua família, olha a destruição no bairro de Shejaiya, em Gaza. Foto: UNICEF

Condições de vida em Gaza estão ‘cada vez mais deploráveis’, alerta ONU

Dez anos após a ocupação do Hamas na Faixa de Gaza, as condições de vida de 2 milhões de pessoas no enclave palestino têm se deteriorado ainda mais rápido do que a previsão feita em 2012. À época, um documento da ONU afirmara que o território se tornaria “inabitável” até 2020.

As informações são do relatório “Gaza – 10 anos depois”, divulgado pelas Nações Unidas nesta semana.

Fórum sobre os Princípios de Empoderamento das Mulheres foi promovido, no Rio de Janeiro, pela ONU Mulheres e Pacto Global com apoio da White Martins. Foto: Erik Barros Pinto

No Rio, empresas e ONU debatem igualdade de gênero no setor privado

No início de julho (3), a primeira edição do Fórum sobre os Princípios de Empoderamento das Mulheres (WEPs) no Rio de Janeiro reuniu cerca de 150 gestores, especialistas e representantes de companhias e das Nações Unidas para debater a promoção da igualdade de gênero no mercado de trabalho. Presença feminina na chefia de corporações foi um dos destaques das discussões. Encontro foi promovido pela ONU Mulheres e pela Rede Brasil do Pacto Global.

Um bebê tem a circunferência do meio do braço esquerdo medida como forme de identificar sinais de desnutrição. A área vermelha, até 12cm, indica desnutrição grave; a amarela (13cm) indica desnutrição moderada; enquanto a verde (14cm) é um bom indicador. Foto: UNICEF / Connelly

Desnutrição infantil retira mais de US$ 1 bilhão da economia da República Democrática do Congo

A economia da República Democrática do Congo (RDC) está perdendo cerca de 4,5% do produto interno bruto (PIB) para os efeitos da desnutrição infantil, de acordo com um estudo apoiado pelas Nações Unidas divulgado nesse mês. “Esses resultados exigem que todos nós atuemos agora para evitar futuras perdas causadas pela fome”, disse o diretor de campo do Programa Mundial da Alimentos da ONU (PMA), Claude Jibidar.

Edifícios nos arredores de Wall Street. Foto: Michael Aston/Flickr (CC)

Onze bancos internacionais unem-se à ONU para promover transparência climática

Representando mais de 7 trilhões de dólares em ativos, instituições financeiras como Itaú, Bradesco, ANZ, Barclays, Citi, National Australia Bank, Royal Bank of Canada, Santander, Standard Chartered, TD Bank Group e UBS uniram-se aos esforços da ONU Meio Ambiente no sentido de fortalecer a transparência e a avaliação de riscos e oportunidades de negócios ligados à mudança do clima.

Tal iniciativa torna as instituições financeiras mais bem preparadas para apoiar a transição financeira rumo a uma economia mais estável e sustentável, disse a ONU Meio Ambiente.

Um sistema de saúde reprodutiva mais efetivo pode empoderar mulheres a terminarem seus estudos e se juntarem à força de trabalho. Foto: Banco Mundial

No Dia Mundial da População, ONU lembra importância do planejamento reprodutivo

No Dia Mundial da População, a diretora-executiva em exercício do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), Natalia Kanem, lembrou que, todos os dias, mulheres em situação de vulnerabilidade, especialmente as mais pobres e refugiadas, enfrentam obstáculos sociais, econômicos e geográficos para terem acesso a informações e serviços de planejamento reprodutivo.

Há 50 anos, o então secretário-geral das Nações Unidas estabeleceu o Fundo de População da ONU, o UNFPA. Desde que iniciou suas atividades, em 1969, a agência colabora para remover os obstáculos relacionados ao planejamento reprodutivo e garantir os direitos reprodutivos das mulheres. O UNFPA contribuiu para quase dobrar o uso de métodos modernos de contracepção — de 36% em 1970 para 64% em 2016.

Parceiros de todo o Sistema das Nações Unidas se reuniram em 30 de maio, na sede do UNAIDS em Genebra, na Suíça. Foto: UNAIDS

Debate em Genebra discute igualdade de gênero nas organizações internacionais

Parceiros de todo o Sistema das Nações Unidas reuniram-se no fim de maio (30) na sede do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) em Genebra, na Suíça, para discutir como as mudanças comportamentais, institucionais e culturais podem acelerar o progresso rumo à igualdade de gênero.

Em seu discurso, a diretora-executiva adjunta do UNAIDS, Jan Beagle, enfatizou que, se o gerenciamento de mudanças for realizado de forma sensível à questão de gênero, as barreiras à igualdade no local de trabalho podem ser abordadas e superadas.

A OMC prevê crescimento de 2,4% para o comércio global em 2017, caso a economia mundial se recupere como esperado. Foto: UNCTAD.

Organizações econômicas pedem ao G20 impulso ao comércio internacional e apoio a trabalhadores

Organização Mundial do Comércio (OMC), Fundo Monetário Internacional (FMI) e Banco Mundial pediram aos dirigentes do G20 um impulso ao comércio internacional com a redução das barreiras alfandegárias e dos subsídios, enquanto simultaneamente busquem melhores políticas para apoiar trabalhadores que perderam seus empregos.

Em declaração divulgada antes do início da cúpula do G20, as organizações enfatizaram que o bem-estar econômico de bilhões de pessoas depende do comércio internacional e que uma profunda integração comercial acompanhada de políticas domésticas de apoio aos trabalhadores podem ajudar a impulsionar a renda e acelerar o crescimento global.

Grãos de soja. Foto: Jonas Oliveira/ANPr

ONU Meio Ambiente e parceiros promovem desafio de inovação para cadeia de grãos

SEBRAE, EMBRAPA e ONU Meio Ambiente estimulam startups e empreendedores a criar soluções sustentáveis para a cadeia de produção de grãos. As inscrições estão abertas até 16 de julho.

As propostas devem estar alinhadas à solução de problemas ou identificação de oportunidades que tragam melhoras socioambientais para a cadeia produtiva de grãos, tais como: redução de emissão de carbono, diminuição de perdas e ineficiências, gestão de resíduos, uso eficiente de energia, controle ou redução de defensivos químicos, eficiência no uso de recursos hídricos, conservação do solo e soluções colaborativas.

Taís Araújo, defensora dos Direitos das Mulheres Negras da ONU Mulheres Brasil, ao lado de Nadine Gasman, representante da ONU Mulheres Brasil, e Niky Fabiancic, coordenador-residente da ONU Brasil. Foto: ONU Mulheres/Bruno Spada

Grupo Temático de Gênero, Raça e Etnia da ONU discute situação das mulheres negras no Brasil

Recém-nomeada defensora dos Direitos das Mulheres Negras da ONU Mulheres Brasil, Taís Araújo foi apresentada pela representante da ONU Mulheres Brasil, Nadine Gasman, ao Grupo Temático de Gênero, Raça e Etnia do Sistema das Nações Unidas no Brasil, uma das instâncias de articulação e gestão da Agenda 2030 de Desenvolvimento Sustentável e da Década Internacional de Afrodescendentes. O encontro ocorreu na segunda-feira (3), na Casa da ONU, em Brasília.

Parceria entre OIT e associações do setor têxtil e de vestuário visa a tornar essa indústria mais sustentável. Foto: Agência Brasil/Tânia Rêgo

OIT e associações da indústria têxtil e de vestuário lançam Laboratório de Moda Sustentável

Organização Internacional do Trabalho (OIT), Associação Brasileira do Varejo Têxtil (ABVTEX) e Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (ABIT), com o apoio do Instituto C&A e a realização do Instituto Reos, lançaram nesta sexta-feira (7) o Laboratório da Moda Sustentável — por um setor do vestuário mais sustentável e justo.

A iniciativa pretende abordar os principais desafios do setor de vestuário no Brasil em temas de sustentabilidade ambiental, trabalho decente, entre outros.

Designer de roupas Lara Khoury em seu estúdio em Beirute. Foto: ONU Mulheres/Joe Saade

No Dia das Micro, Pequenas e Médias Empresas, ONU reconhece jovens empreendedores

Com o tema deste ano “empreendimento juvenil e autoemprego”, o Dia das Micro, Pequenas e Médias Empresas, celebrado pela primeira vez este ano, busca aumentar a conscientização pública sobre os negócios que geralmente empregam menos de 250 pessoas.

Globalmente, as micro, pequenas e médias empresas formais e informais representam mais de 90% do total de empresas e contribuem, em média, em até 70% do total de empregos e 50% do PIB.

Encontro no Chile abordou desafios de saúde das mulheres, crianças e adolescentes. Foto: UNFPA

Políticas públicas devem ter perspectiva de gênero para garantir direitos das mulheres, diz CEPAL

Em evento no Chile para discutir desafios de saúde do público feminino e infanto-juvenil, a secretária-executiva da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL), Alicia Bárcena, alertou que na região “a pobreza tem o rosto de mulher”.

Segundo a dirigente, mulheres representam uma parcela desproporcionalmente maior dos segmentos de menor renda. Miséria também afeta o bem-estar das crianças e adolescentes.

A feira também foi uma oportunidade de promover interação entre refugiados, migrantes e brasileiros. Foto: ACNUR/Diogo Félix.

Migrantes são grupo prioritário da agenda de desenvolvimento sustentável, diz CEPAL

Os migrantes sofrem simultaneamente diversas carências e discriminações, sendo um grupo prioritário da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, disse a diretora da divisão de desenvolvimento social da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL), Laís Abramo.

A diretora chamou a atenção para os fatores estruturais que estão na origem dos diferentes fluxos migratórios na América Latina, como a pobreza e as múltiplas dimensões da desigualdade, assim como a precariedade dos mercados de trabalho e os déficits de trabalho decente.

Uma chilena da força de paz da ONU no Haiti, a MINUSTAH, realiza trabalhos de engenharia em Cité Soleil, na capital Porto Príncipe, com a segurança fornecida por militares brasileiros. Contingentes militares de Brasil, Japão, Chile, Equador, Paraguai, Coreia do Sul e Nepal participaram desta operação, em setembro de 2011. Foto: Victoria Hazou/ONU/MINUSTAH

ONU procura mulheres para cargos de liderança em operações de paz e missões políticas pelo mundo

A ONU relançou o Banco de Talentos de Mulheres Experientes (Senior Women Talent Pipeline, em inglês), que se insere nos esforços iniciados pelo ex-secretário-geral Ban Ki-moon de aumentar a participação de mulheres em cargos de liderança. O atual secretário-geral, António Guterres, assumiu o compromisso de alcançar a igualdade de gênero nas operações de paz das Nações Unidas até 2026.

Menino em favela no Rio de Janeiro. Foto: EBC

CEPAL vê com preocupação congelamento do gasto público brasileiro

A Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) vê com preocupação a iniciativa do governo brasileiro de congelar seus gastos públicos para os próximos 20 anos, e sugere, pelo contrário, mais investimentos públicos e proteção do gasto social no país, de forma a evitar aumento da pobreza e das desigualdades.

As declarações foram feitas pela diretora da divisão de desenvolvimento social da CEPAL, Laís Abramo, durante evento de lançamento do relatório “Panorama Social da América Latina” 2016, realizado no BRICS Policy Center, no Rio de Janeiro, na última segunda-feira (26). O documento indicou desaceleração da queda da desigualdade na região, especialmente a partir de 2012.

certificação contribui para estruturar a cadeia têxtil, gerando oportunidades de negócios e favorecendo a oferta de boas condições de trabalho. Foto: Elói Corrêa/ AGECOM

Setor têxtil certifica empresas para eliminar trabalho escravo de cadeias produtivas

A garantia de direitos trabalhistas e a eliminação do trabalho escravo são os principais objetivos do Programa de Monitoramento de Cadeia Produtiva do Vestuário e Calçados, uma iniciativa desenvolvida pela Associação Brasileira do Varejo Têxtil (ABVTEX), com empresas do segmento em todo o país.

O programa tem o papel de assegurar segurança e saúde ao trabalhador, além da formalização das oficinas de costura e empresas de produção de vestuário.

Pedro Piauí (primeiro à direita), sua mulher e seus oito filhos. Foto: CPT

‘Depois de trabalhar três meses em uma fazenda, não quiseram me pagar’

Após trabalhar três meses em uma fazenda de Campos Lindos, no Tocantins, dormindo em uma barraca de lona e comendo pouco, o trabalhador rural Pedro Alves dos Santos foi informado de que não receberia pelo trabalho efetuado. Pedro procurou sindicatos e autoridades locais e só assim conseguiu garantir seus direitos.

A história de Pedro assemelha-se às de mais de 50 mil pessoas resgatadas do trabalho escravo no Brasil desde 1995. Entrevistados pelo Centro de Informação das Nações Unidas (UNIC Rio), especialistas e representantes da ONU instam o Brasil a continuar o combate a esse crime ainda frequente no país, garantindo a manutenção da legislação para o tema, as fiscalizações e a publicação do cadastro de empregadores flagrados.

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Assédio sexual no trabalho é tema de nova cartilha da OIT e do MPT

Uma nova cartilha com orientações sobre assédio sexual no ambiente de trabalho será lançada pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) e pela Organização Internacional do Trabalho (OIT). Produzida em formato de perguntas e respostas, a publicação traz informações sobre como identificar e denunciar o assédio sexual no trabalho, além de explicar as responsabilidades e consequências para trabalhadoras(es) e empregadoras(es) nessas situações.

O lançamento da cartilha acontece nesta quarta-feira, às 18h, na Procuradoria-Geral do Trabalho em Brasília.

Evento foi realizado no Palácio do Itamaraty, centro do Rio de Janeiro. Foto: UNIC Rio

ONU reúne refugiados, autoridades e sociedade civil no Rio para debater crise humanitária global

No Dia Mundial do Refugiado, cerca de 100 pessoas reuniram-se nesta terça-feira (20) no Palácio Itamaraty, no Rio de Janeiro, para discutir questões relacionadas ao alto número de refugiados e deslocados no mundo devido a conflitos, violência e perseguições.

O evento, promovido pelo Centro de Informação das Nações Unidas (UNIC Rio), teve a presença de representantes da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), da Cáritas Arquidiocesana, do Comitê Nacional para os Refugiados (CONARE), do Ministério das Relações Exteriores, da sociedade civil, da academia e da imprensa.

Refugiados de países como Síria, Colômbia, República Democrática do Congo e Gâmbia que vivem no Rio também estiveram presentes, e contaram em uma roda de conversa suas dificuldades e conquistas desde que chegaram ao país.