Arquivo da tag: Energia limpa e acessível

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número 7 diz: “Assegurar o acesso confiável, sustentável, moderno e a preço acessível à energia para todos”.

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número 7 diz: “Assegurar o acesso confiável, sustentável, moderno e a preço acessível à energia para todos”.

 

Mais sobre este ODS em https://nacoesunidas.org/pos2015/ods7 e notícias sobre o tema abaixo.

Mercado de alimentos em San Lucas Tolimán, na Guatemala. Foto: Banco Mundial/Curt Carnemark

FAO: América Latina e Caribe vão responder por mais de 25% das exportações agrícolas globais até 2028

Até 2028, a América Latina e o Caribe vão responder por mais de 25% das exportações globais de produtos agrícolas e pesqueiros, segundo um novo relatório da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Publicação ressalta expansão do protagonismo regional em meio à desaceleração na produção e nas trocas em nível mundial.

Academias de ciência pedem medidas urgentes contra a poluição do ar

Na sede da ONU, em Nova Iorque, representantes das academias de ciência e medicina de quatro países — entre eles, o Brasil — apresentaram neste mês (19) um apelo urgente por mais investimentos na luta contra a poluição do ar.

As instituições pediram que todas as nações do mundo adotem medidas de controle das emissões de poluentes e implementem sistemas de monitoramento da qualidade do ar. O relato é da ONU Meio Ambiente.

Empreendedora australiana desenvolveu aplicativo que ensina conceitos de biologia e ecologia para crianças, por meio de um jogo eletrônico. Foto: My Green World

Australiana usa tecnologia para promover educação ambiental de crianças

A australiana Natalie Kyriacou, fundadora e diretora-executiva da empresa My Green World, foi finalista do prêmio Jovem Campeão da Terra de 2018, da ONU Meio Ambiente. A empreendedora tem uma missão: lembrar as pessoas da conexão intrínseca que elas possuem com a natureza e mostrar como a empatia pela biodiversidade é fundamental para o futuro da vida na Terra.

A jovem desenvolveu uma plataforma digital de conteúdos pedagógicos sobre biologia e ecologia, adaptados para crianças. Outro produto da sua companhia é o aplicativo World of the Wild, que ensina conceitos de conservação por meio de um jogo eletrônico.

Vista do Elevador Lacerda, em Salvador, na Bahia. Foto: Agência Brasil/Fabio Rodrigues Pozzebom

Capital baiana sedia em agosto Semana do Clima da América Latina e Caribe

Em meio a crescentes apelos por uma ação climática mais forte e mais rápida, a Semana do Clima da América Latina e Caribe, que acontece de 19 a 23 de agosto na cidade de Salvador (BA), deverá impulsionar a resposta da região à atual emergência climática.

Realizada todos os anos em África, América Latina e Caribe e Ásia-Pacífico, as Semanas Regionais do Clima são plataformas colaborativas únicas para entidades governamentais e não governamentais abordarem a amplitude das questões climáticas sob uma estrutura única. Saiba como participar.

Placas fotovoltaicas para produção energia solar. Foto: ELETROBRAS/FURNAS

Investimento em energias renováveis supera o de combustíveis fósseis em 2018 no mundo

O investimento global em energias renováveis atingiu 288,9 bilhões de dólares em 2018, superando o apoio financeiro à geração de energia a partir de combustíveis fósseis, segundo novos dados publicados nesta terça-feira (18).

Os números mostram que, embora o investimento em energias renováveis tenha caído 11% em relação ao ano anterior, 2018 foi o nono ano consecutivo com investimentos acima de 200 bilhões de dólares e o quinto ano consecutivo acima de 250 bilhões de dólares.

A queda no investimento em 2018 pode ser parcialmente atribuída à baixa dos custos relacionados à tecnologia para energia solar fotovoltaica, o que significa que a mesma quantidade pode ser gerada com menos investimento, bem como a uma desaceleração na implantação da energia solar na China. O relato é da ONU Meio Ambiente.

Prêmio Jovens Campeões da Terra receberá votos do público para escolher vencedores. Foto: PEXELS

Brasileiros estão entre finalistas de premiação global sobre meio ambiente e empreendedorismo

Três brasileiros estão entre os cinco finalistas regionais da premiação Jovens Campeões da Terra, promovida pela ONU Meio Ambiente para viabilizar soluções inovadoras para problemas ambientais.

Os vencedores vão receber consultorias técnicas e uma verba de 15 mil dólares para tirar suas ideias do papel. Ganhadores serão anunciados em setembro durante evento das Nações Unidas em Nova Iorque.

Luis Alfonso de Alba, enviado especial da ONU para a Cúpula do Clima de 2019, durante reunião com empresários no Rio de Janeiro. Foto: UNIC Rio/Naiara Azevedo

Setor privado é essencial para mundo cumprir acordo climático, diz enviado especial

O setor privado brasileiro e global pode contribuir de maneira substancial para o cumprimento do Acordo de Paris para o clima, cujo principal objetivo é fortalecer a resposta mundial às mudanças climáticas ao manter a elevação de temperatura neste século abaixo do 1,5 grau Celsius.

A opinião é do enviado especial da ONU para a Cúpula do Clima de 2019, Luis Alfonso de Alba, que na quinta-feira (13) reuniu-se com empresários brasileiros no Rio de Janeiro (RJ) em um encontro articulado pela Rede Brasil do Pacto Global das Nações Unidas, braço no país da maior iniciativa de sustentabilidade corporativa do mundo.

“O setor privado a cada dia tem um papel mais claro, mais amplamente reconhecido por todos os atores, incluindo os governos, pela capacidade de inovação, pela capacidade que têm também de apoiar a transformação com recursos econômicos, e por uma série de ações coordenadas por setores que vão permitir uma transformação do modelo de desenvolvimento”, disse Alba em entrevista ao Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio).

O ambientalista e biólogo norte-americano Thomas Lovejoy trabalha na Amazônia há mais de 50 anos. Foto: Slobodan Randjelovic

Precisamos implementar modelos de desenvolvimento que preservem a Amazônia, diz especialista

A atual taxa de declínio da natureza, sem precedentes na história da humanidade, foi confirmada pelo novo relatório da Plataforma Intergovernamental de Ciência e Política sobre Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos (IPBES), o documento mais abrangente sobre o assunto, divulgado recentemente.

Em entrevista ao Banco Mundial, o ambientalista e biólogo norte-americano Thomas Lovejoy fala sobre seu trabalho de mais de 50 anos na conservação da Amazônia, região que abriga 40% da floresta tropical remanescente do mundo, 25% da biodiversidade terrestre e mais espécies de peixes do que qualquer outro sistema fluvial do planeta.

“Um dos maiores problemas é o desmatamento motivado por atividades agropecuárias. O desenvolvimento da infraestrutura também é uma grande ameaça, especialmente se alguns projetos continuarem do jeito que estão. Precisamos pensar em alternativas e trabalhar com os governos estaduais para criar modelos de desenvolvimento sustentável que preservem a floresta”, disse. Leia a entrevista completa.

Da esquerda para a direita, a ativista do clima, Greta Thunberg; o ex-governador da Califórnia, Arnold Schwarzenegger; o presidente austríaco, Alexander Van der Bellen; e o secretário-geral da ONU, António Guterres; durante cúpula mundial em Viena. em 28 de maio de 2019. Foto: ONU Viena/Nikoleta Haffar

É preciso acabar com subsídios a combustíveis fósseis, diz chefe da ONU

É necessário taxar a poluição, não as pessoas, e acabar com os subsídios para combustíveis fósseis, disse o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, no fim de maio (28) durante a Cúpula Mundial da Coalizão R20, uma organização ambiental apoiada pela ONU e fundada por Arnold Schwarzenegger, ex-governador da Califórnia.

A ideia de subsidiar combustíveis fósseis como uma maneira de melhorar a vida das pessoas não poderia estar mais errada, disse o chefe da ONU na capital da Áustria, Viena. Subsidiar combustíveis fósseis significa gastar o dinheiro de contribuintes para “impulsionar furacões, espalhar secas, derreter geleiras, branquear corais: destruir o mundo”, disse Guterres.

ONU Meio Ambiente lista quatro inovações para limpar o ar que respiramos

À medida que um movimento global para combater a poluição do ar ganha força, os inovadores estão enfrentando o desafio, revelando produtos e tecnologias que removem algumas das perigosas toxinas que estão se infiltrando em nossos pulmões e acelerando a mudança climática.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a cada ano, cerca de 7 milhões de mortes prematuras são causadas pela poluição do ar. São 800 pessoas morrendo a cada hora. Mas a boa notícia é que há uma crescente compreensão do público de que ações devem ser tomadas.

A poluição do ar é o tema do Dia Mundial do Meio Ambiente deste ano, lembrado em 5 de junho. Foto: ONU Meio Ambiente

Ônibus elétricos colocam Chile no caminho de um futuro mais sustentável

O Chile possui atualmente a maior frota de ônibus elétricos da América Latina e do Caribe. Os 200 veículos chegaram às ruas da capital, Santiago, este ano como parte de um plano para cortar emissões e reduzir a poluição do ar. Até 2040, o país busca ter uma frota totalmente elétrica em seu sistema público de transporte.

“Para enfrentar decisivamente a mudança climática, a mobilidade elétrica é essencial. Estamos dando um salto em direção a um sistema de transportes mais limpo, mais eficaz e sustentável”, disse Carolina Schmidt, ministra do Meio Ambiente do Chile e presidente da Conferência das Nações Unidas sobre Mudança do Clima, a COP25.

Em dezembro, o país sediará a COP25 e irá liderar uma das negociações mais desafiadoras de nossos tempos: tentar conseguir compromissos mais ambiciosos para reduzir as emissões dos países com o objetivo de manter o aquecimento global abaixo de 1,5°C.

Foto: Michael Pinsky

Artistas transformam a poluição do ar em arte

Os artistas são conhecidos por se inspirarem no mundo ao seu redor. Por isso, não é surpresa que alguns tenham começado a jogar luz sobre uma das questões ambientais mais urgentes do nosso tempo: a poluição do ar.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a cada ano cerca de 7 milhões de mortes prematuras são causadas pela poluição do ar, com nove em cada dez pessoas respirando ar tóxico. A poluição do ar também é conhecida por contribuir para a mudança climática e, portanto, os esforços para combatê-la também podem ajudar a enfrentar a crise climática.

A hora de agir é agora, e os artistas – como tantos outros – estão procurando maneiras de aumentar a conscientização sobre a poluição do ar, encontrar soluções para reduzi-la e até mesmo usá-la como um recurso. Leia algumas das experiências em andamento nesse relato da ONU Meio Ambiente.

Secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, visita Vanuatu em última parada de missão ao Pacífico para ver os efeitos da mudança climática. Foto: ONU/Mark Garten

ONU: líderes mundiais precisam adotar políticas ‘esclarecidas’ sobre ações climáticas

Encerrando uma visita de uma semana ao Pacífico Sul, o secretário-geral das Nações Unidas pediu para líderes mundiais adotarem escolhas “esclarecidas” sobre ações climáticas, à medida que “todo o planeta” pode sofrer.

António Guterres lembrou que, para alguns Estados insulares do Pacífico, a “mudança climática é agora uma ameaça existencial”.

Destacando que vilarejos inteiros estão sendo realocados, meios de subsistência estão sendo destruídos e pessoas estão ficando doentes por problemas relacionados ao clima, Guterres lamentou que “os riscos são todos muito reais”.

Mata fechada na Amazônia peruana. Foto: Flickr (CC)/Joseph King

Manejo sustentável de florestas é ferramenta fundamental no combate às mudanças climáticas

No manejo florestal tradicional, as árvores ainda são vistas principalmente como fonte de madeira. Todos os outros produtos derivados de terras arborizadas — como mel, cogumelos, líquen, pequenos frutos, plantas medicinais e aromáticas, bem como quaisquer outros produtos extraídos de florestas para uso humano — são considerados de importância secundária.

No entanto, os recursos florestais não madeireiros trazem amplos benefícios para milhões de famílias no mundo todo, tanto em termos de subsistência como de renda. Além disso, o manejo sustentável das florestas permite sua conservação, garantindo o combate às mudanças climáticas e à poluição do ar. Leia o relato completo da ONU Meio Ambiente.

Projeto busca reduzir emissões de gases de efeito estufa na produção de ferro-gusa, aço e ferroligas, e promover a adoção de boas práticas produtivas na siderurgia para se alcançar sustentabilidade ambiental, social e também econômica. Foto: Rooseveelt Almado (CC)

PNUD oferece cursos sobre produção de carvão vegetal para a siderurgia brasileira

Em Belo Horizonte (MG), o projeto Siderurgia Sustentável, implementado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), promove na sexta-feira (17) uma série de minicursos sobre a produção sustentável de carvão vegetal para a siderurgia.

Mesmo que a maioria das pessoas não consiga identificar, no dia a dia, produtos da siderurgia, como o aço, o ferro-gusa e as ferroligas, esses materiais são utilizados na produção de carros, aviões, eletrodomésticos e até celulares. Na fabricação desses insumos, o carvão é indispensável.

De importância particular são as questões que envolvem o acesso à luz elétrica, como um meio de melhorar o padrão de vida em países em desenvolvimento, segundo a UNESCO. Foto: EBC

UNESCO lembra importância da luz para as artes e o pensamento científico

Em mensagem para o Dia Internacional da Luz, 16 de maio, a diretora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), Audrey Azoulay, disse que a luz e seu tratamento são elementos essenciais das artes visuais e performáticas, da literatura e do pensamento humano.

“Do nascimento do universo à criação de todas as espécies de novas tecnologias, dos raios-X às ondas de rádio, em campos tão diversos como medicina, agricultura, energia, óptica e inúmeros outros, a luz moldou – e continua a moldar – o nosso mundo. Ao entender a luz, nós somos capazes de alcançar o maior progresso científico e tecnológico.”

Produtor rural no semiárido. Foto: EBC

Centro da ONU promove seminário em Brasília sobre economia rural sustentável

O Centro Internacional de Políticas para o Crescimento Inclusivo (IPC-IG), o Instituto Brasileiro de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) e o Environmental Defense Fund (EDF) promovem esta semana (14 e 15) em Brasília (DF) seminário sobre oportunidades de negócios para uma economia rural sustentável. O evento reunirá especialistas internacionais, representantes do governo brasileiro e do setor privado.

O “Seminário Internacional Oportunidades de Negócios para uma Economia Rural Sustentável:a contribuição das florestas e da agricultura” tem como objetivo explorar novas oportunidades de negócios sustentáveis ​​para o setor rural brasileiro, bem como identificar desafios e estratégias para desenvolvê-las.

Sessenta por cento dos resíduos e três quartos do uso de recursos e emissões de gases de efeito estufa vêm das cidades. Foto: EBC

Cúpula das Cidades pede abordagem integrada para infraestrutura urbana

Embora os Estados-membros tenham adotado uma resolução sobre infraestrutura sustentável na Assembleia Ambiental das Nações Unidas (UNEA), em março, a Cúpula das Cidades reforçou no mesmo mês em Nairóbi, no Quênia, a importância da ação local e a necessidade de uma abordagem integrada para a infraestrutura urbana.

Sessenta por cento dos resíduos e três quartos do uso de recursos e de emissões de gases de efeito estufa vêm das cidades, o que as torna ótimos lugares para promover o consumo e a produção sustentáveis.

Mas preservar o bem-estar de uma população cada vez mais urbana, incluindo pessoas que ainda não têm acesso a moradias e serviços básicos acessíveis e adequados, é tão importante quanto a busca por atingir as metas de desenvolvimento sustentável. Uma abordagem integrada à infraestrutura urbana poderia ajudar a fazer as duas coisas, de acordo com a ONU Meio Ambiente.

Mata fechada na Amazônia peruana. Foto: Flickr (CC)/Joseph King

Em dia internacional, ONU defende educação sobre florestas para preservar recursos naturais

No Dia Internacional das Florestas, lembrado nesta quinta-feira (21), a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) defende a educação sobre esses ecossistemas como estratégia para preservar os recursos naturais do planeta

Cerca de 90% de todas as espécies terrestres de seres vivos são encontradas nas florestas, que oferecem não apenas um habitat para a biodiversidade, mas também uma série de serviços ecossistêmicos para os humanos.

Representantes da UNIDO, CIBiogás e SEBRAE-Paraná firmam parceria para estimular setor de biogás e biometano. Foto: UNIDO

Agência da ONU e indústria firmam parceria para alavancar setor de biogás e biometano no Sul do Brasil

Com o objetivo de alavancar o setor de biogás e biometano no Sul do Brasil, a Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (UNIDO) firmou nesta segunda-feira (18) uma parceria com o Centro Internacional de Energias Renováveis–Biogás (CIBiogás) e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE) do Paraná. A cooperação prevê diálogos sobre políticas públicas para a área e a elaboração de modelos de negócios.

Assembleia em Nairóbi, no Quênia, reuniu 4,7 mil participantes, entre ministros, cientistas, empresários e lideranças da sociedade civil. Foto: ONU Meio Ambiente/Natalia Mroz

Ministros adotam resoluções sobre economia circular e produção sustentável

Após cinco dias de diálogos na Quarta Assembleia da ONU para o Meio Ambiente, em Nairóbi, no Quênia, ministros de mais de 170 países adotaram na sexta-feira (15) um plano que pede a aceleração da mudança para modelos sustentáveis de desenvolvimento. Documento afirma que é necessário usar ciência e inovação para tornar o uso de recursos naturais mais eficiente, reduzir o uso de plástico descartável e promover economias de baixo carbono.

Vista aérea de Xangai, na China. Foto: ONU Meio Ambiente

Poluição do ar é tema do Dia Mundial do Meio Ambiente, que terá China como país-sede

Nesta sexta-feira (15), o vice-ministro de Ecologia e Meio Ambiente da China, Zhao Yingmin, e Joyce Msuya, diretora-executiva interina da ONU Meio Ambiente, anunciaram que o país sediará as comemorações do Dia Mundial do Meio Ambiente, em 5 de junho de 2019, com o tema “poluição do ar”.

Aproximadamente 7 milhões de pessoas morrem prematuramente a cada ano devido à poluição do ar, sendo 4 milhões das mortes somente na região da Ásia e do Pacífico. O Dia Mundial do Meio Ambiente deste ano incitará governos, indústria, comunidades e indivíduos a se unirem para explorar a energia renovável e as tecnologias verdes, bem como melhorar a qualidade do ar em cidades e regiões de todo o mundo.

A reunião de aprovação foi realizada em Foz do Iguaçu (PR), na Itaipu Binacional. Foto: UNIDO/Renata Thomazi

Agência da ONU e fundo ambiental liberam US$1 mi para setor de biogás no Brasil em 2019

A Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (UNIDO) e o Fundo Global para o Meio Ambiente (GEF, na sigla em inglês) aprovaram na semana passada (14) investimento de 1 milhão de dólares na cadeia de biogás da agroindústria brasileira para o ano de 2019.

O montante vai financiar capacitações, mapeamento e divulgação de informações e modelos de negócio, bem como ações de desenvolvimento de tecnologia e unidades de demonstração, com execução prevista para cinco anos, e com o custo estimado de 7 milhões de dólares.

Aterro sanitário em Danbury, Connecticut. Foto: ONU/Evan Schneider

Economia circular pode ajudar países a combater mudanças climáticas, diz relatório

Um relatório da Circle Economy, grupo apoiado pela ONU Meio Ambiente, aponta que apenas 9% da economia global é circular, o que significa que o planeta reutiliza menos de 10% das 92,8 bilhões de toneladas de minerais, combustíveis fósseis, metais e biomassa usados todos os anos em processos produtivos.

Divulgado na terça-feira (22) no Fórum Econômico Mundial, em Davos, o documento destaca o potencial do reaproveitamento e da reciclagem para combater as mudanças climáticas e cumprir o Acordo de Paris.

O coordenador-residente do Sistema ONU no Brasil, Niky Fabiancic (direita) e o vice-governador eleito de Roraima, Frutuoso Lins. Foto: PNUD

Vice-governador eleito de Roraima reúne-se com representantes da ONU no Brasil

O vice-governador eleito de Roraima, Frutuoso Lins, visitou na quinta-feira (22) a Casa da ONU em Brasília (DF) para reunião com representantes do Sistema das Nações Unidas no Brasil.

Na ocasião, ele mencionou uma série de desafios enfrentados pelo estado, entre eles o alto fluxo de entrada de migrantes e solicitantes de refúgio da Venezuela e a pobreza extrema.

O coordenador-residente do Sistema ONU no Brasil, Niky Fabiancic, ofereceu ajuda das agências das Nações Unidas para enfrentar os desafios mencionados, e propôs nova reunião para março ou abril do ano que vem, a ser realizada em Roraima.

Projeto busca reduzir emissões de gases de efeito estufa na produção de ferro-gusa, aço e ferroligas, e promover a adoção de boas práticas produtivas na siderurgia para se alcançar sustentabilidade ambiental, social e também econômica. Foto: Rooseveelt Almado (CC)

Workshop discute desempenho socioambiental e econômico no setor siderúrgico

O desempenho socioambiental e econômico das empresas que participam do Projeto Siderurgia Sustentável é tema do workshop realizado esta semana em Inhaúma (MG).

Implementado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e coordenado pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA), o projeto financia empresas selecionadas por meio de edital para o desenvolvimento e adoção de processos produtivos mais limpos.

Jamie McGoldrick (segundo à esquerda), coordenador humanitário da ONU para o processo de paz no Oriente Médio, visita um paciente em hospital da Faixa de Gaza. Foto: OCHA/Mustafa El Halabi

Coordenador humanitário da ONU alerta para falta de energia elétrica na Faixa de Gaza

Os habitantes da Faixa de Gaza estão vivendo com apenas quatro horas de energia elétrica por dia, devido à escassez de combustível, o que torna sua situação “terrível”, conforme se aproximam os meses de inverno. O alerta foi feito na terça-feira (23) pelo coordenador humanitário das Nações Unidas para o território palestino ocupado, Jamie McGoldrick.

Em entrevista ao UN News, ele lembrou ter testemunhado em um hospital infantil local a queda de energia elétrica durante uma cirurgia de emergência, o que deixou pacientes e médicos no escuro por quase um minuto antes de um gerador ser acionado.

O Acordo de Paris, em vigor desde 2016, prevê que os países signatários diminuam suas emissões de gases de efeito estufa, levando em consideração suas condições econômicas e sociais. Foto: PNUD

Siderurgia Sustentável desenvolve cadeia de produção com baixa emissão de poluentes

Com o objetivo de unir esforços para reduzir a emissão de gases estufa do processo produtivo do carvão vegetal sustentável, bem como de seu uso pelo setor siderúrgico, o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) no Brasil implementa o Projeto Siderurgia Sustentável.

Sob a coordenação técnica do Ministério do Meio Ambiente (MMA) e com recursos do Fundo para o Meio Ambiente Global (GEF), o projeto incentiva processos, tecnologias e arranjos produtivos inovadores e mais eficientes para a produção de carvão vegetal advindo de florestas plantadas e para seu uso na siderurgia brasileira.

O objetivo é o desenvolvimento de uma cadeia de produção siderúrgica de baixa emissão de gases de efeito estufa.

Presidente da França, Emmanuel Macron. Foto: ONU/Mark Garten

Presidente da França e primeiro-ministro da Índia recebem maior prêmio ambiental da ONU

O presidente francês Emmanuel Macron e o primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, receberam nesta semana (26), em Nova Iorque, o Prêmio Campeões da Terra, a mais alta condecoração ambiental das Nações Unidas. Outros cinco ativistas e iniciativas foram reconhecidos com o título. Entre os vencedores, estavam as empresas Beyond Meat e Impossible Foods, que propõem alternativas culinárias ao consumo de carne bovina, usando apenas vegetais.

A empresa de energia FURNAS sediou, na última segunda-feira (17), um seminário para debater a geração de energia de olho no cumprimento do Acordo de Paris e dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). O evento, organizado pela empresa e pelo Programa das Nações Unidas sobre Desenvolvimento (PNUD), discutiu os principais avanços e desafios do setor energético, com foco no cumprimento da Agenda 2030. Durante o evento foi lançado o “Glossário de Termos do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 7: Energia limpa e acessível”, produzido pelo Grupo Assessor da ONU Brasil para a Agenda 2030.

No Rio, seminário debate energia sustentável e cumprimento do Acordo de Paris

A empresa de energia FURNAS sediou, na última segunda-feira (17), um seminário para debater a geração de energia de olho no cumprimento do Acordo de Paris e dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

O evento, organizado pela empresa e pelo Programa das Nações Unidas sobre Desenvolvimento (PNUD), discutiu os principais avanços e desafios do setor energético, com foco no cumprimento da Agenda 2030.

Durante o evento foi lançado o “Glossário de Termos do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 7: Energia limpa e acessível”, produzido pelo Grupo Assessor da ONU Brasil para a Agenda 2030.

Cidade do Panamá. Foto: Flickr (CC)/Matthew Straubmuller

ONU e União Europeia ajudam Panamá a adotar meios de transporte elétricos

A ONU Meio Ambiente, a União Europeia e o governo do Panamá lançaram neste mês (9) uma parceria para tornar mais verdes e sustentáveis os meios de transporte do país centro-americano. Projeto visa popularizar a mobilidade elétrica. Segundo estimativas das Nações Unidas, se a atual frota de ônibus e táxis da Cidade do Panamá fosse substituída por veículos elétricos, seria possível impedir a liberação de 8,5 milhões de toneladas de CO2 até 2030.

Elefante na selva, em Gana. Foto: Banco Mundial/Arne Hoel

Chefe ambiental da ONU pede mais esforços contra mudanças climáticas e destruição da natureza

Em entrevista às Nações Unidas, o chefe da ONU Meio Ambiente, Erik Solheim, cobrou que países e setor privado acelerem esforços contra as mudanças climáticas e a perda de vida silvestre. Dirigente lembrou que 2017 foi o primeiro ano em que a energia solar gerou mais eletricidade do que o uso de petróleo, carvão e gás somados. Marco histórico deve estimular mudanças mais amplas rumo a modelos de crescimento econômico sustentáveis.

Zona central de Brasília iluminada por lâmpadas de LED. Foto: Agência Brasília/Gabriel Jabur

Banco Mundial: eficiência energética é fundamental para futuro com cidades sustentáveis

O Projeto de Instrumentos Financeiros para Cidades com Eficiência Energética do Brasil, que une o Banco Mundial e a Caixa, tem o objetivo de alavancar capital do setor privado para investimentos nas áreas de indústria e iluminação pública urbana nos próximos 15 anos.

Por meio da iniciativa, centros urbanos brasileiros poderão criar subprojetos para substituir completamente as atuais lâmpadas de vapor de sódio por LED. Já as indústrias poderão modernizar sistemas de bombeamento, motores, fornos e outros tipos de equipamentos.