Igualdade de gênero

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número 5 diz: “Alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas”.

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número 5 diz: “Alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas”.

 

Mais sobre este ODS em https://nacoesunidas.org/pos2015/ods5 e notícias sobre o tema abaixo. Dentro do Sistema ONU, quem lidera o tema é a ONU Mulheres. Acesse o site da agência no Brasil (www.onumulheres.org.br).

ONU Mulheres foi uma das entidades apoiadoras da Marcha das Mulheres Negras, em 2015. À direita, a diretora-executiva da ONU Mulheres, Phumzile Mlambo-Ngcuka Foto: ONU Mulheres/Bruno Spada

ONU e UnB promovem ‘Diálogos Mulheres Negras Rumo a um Planeta 50-50’

Os 30 anos da articulação política do movimento de mulheres negras, celebrados ao longo de 2018, são o fio condutor da atividade acadêmica “Diálogos Mulheres Negras Rumo a um Planeta 50-50: contra o Racismo e a Violência e pelo Bem Viver” que acontecerá na próxima quarta-feira (20/6), das 14h às 19h, em Brasília, informou a ONU Mulheres.

Para participar do encontro, é necessário fazer inscrição pela Internet até terça-feira (19). Também haverá transmissão online.

Câmara do ECOSOC na sede da ONU, em Nova Iorque. Foto: ONU/Rick Bajornas

Brasil é eleito para conselho econômico e social da ONU

O Brasil está entre os 18 países eleitos nesta semana (13) para integrar o Conselho Econômico e Social da ONU (ECOSOC). Organismo coordena agências especializadas das Nações Unidas e é responsável por formular recomendações sobre desenvolvimento, comércio internacional, industrialização, recursos naturais, direitos humanos, condição da mulher, população, ciência e tecnologia, prevenção do crime e bem-estar social.

No Sudão do Sul, a produção de mel vem transformando a vida de um grupo de mulheres. A péssima condição das estradas e a falta de segurança na região, contudo, dificultam a venda do produto e colocam em risco a comunidade. Em 2017, a Missão das Nações Unidas no país anunciou um plano para a reforma da principal estrada da área. Com a obra, a missão da ONU no Sudão do Sul poderá patrulhar melhor a região e garantir segurança para que a comunidade possa prosperar.

Com apoio da ONU, produtoras de mel melhoram vendas no Sudão do Sul; vídeo

No Sudão do Sul, a produção de mel vem transformando a vida de um grupo de mulheres. A péssima condição das estradas e a falta de segurança na região, contudo, dificultam a venda do produto e colocam em risco a comunidade.

Em 2017, a Missão das Nações Unidas no país anunciou um plano para a reforma da principal estrada da área. Com a obra, a missão da ONU no Sudão do Sul poderá patrulhar melhor a região e garantir segurança para que a comunidade possa prosperar. Saiba mais neste vídeo.

Alya baseia-se nos valores da sua criação para liderar e orientar comunidade de refugiados sírios no Líbano. Foto: ACNUR

Refugiada síria desafia tradições no papel de líder comunitária no Líbano

Com a cabeça enrolada em um lenço preto e branco — um cachecol tradicionalmente usado como adorno entre os homens árabes — Alya caminha confiante entre as tendas de um assentamento informal na região norte do Vale do Beca, no Líbano.

A refugiada síria, de 50 anos, confere se está tudo bem com os outros refugiados no assentamento. Ela é a líder por aqui, também conhecida como “shawish”, um papel tradicionalmente atribuído a homens refugiados que supervisionam e gerenciam assentamentos informais no Líbano. O relato é da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR).

UNFPA e Itaipu apresentam no Paraná projeto para prevenção da gravidez na adolescência

Levar informações de qualidade e apropriadas para que adolescentes possam tomar decisões voluntárias, informadas e responsáveis sobre sua saúde, seu futuro e evitar gestações não planejadas foi um dos objetivos de parceria firmada entre a Itaipu Binacional e o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) no Brasil. A iniciativa será apresentada na sexta-feira (15) aos prefeitos e representantes de secretarias de Saúde e Educação dos municípios do Oeste do Paraná.

Seminário na ENAP discute desafios para garantir igualdade de gênero em esferas de representação política. Foto: Missão Diplomática da Suécia no Brasil

Seminário discute mulheres na política com especialistas de países nórdicos e América Latina

Teve início nesta segunda-feira (11), na Escola Nacional de Administração Pública (ENAP), em Brasília, o seminário ‘Equidade de Gênero: Representação Política de Mulheres’, que reúne até amanhã especialistas brasileiras, latino-americanas e de países nórdicos. Promovido pela ONU Mulheres e pelo programa Diálogos Nórdicos, o evento tem transmissão ao vivo pela internet e discute como alcançar a igualdade entre homens e mulheres em esferas de governança.

O primeiro ato da caminhada foi dedicado à vereadora Marielle Franco, sendo conduzido pela ONU Mulheres. Foto: UIM

Marielle é homenageada em ato no Equador contra feminicídio e violência de gênero

A vereadora Marielle Franco, assassinada em março no Rio de Janeiro, além de mulheres e meninas vítimas de feminicídios na América Latina e no Caribe foram homenageadas por autoridades ibero-americanas e participantes da 4ª Cúpula Ibero-Americana de Agendas Locais de Gênero, em Cuenca, no Equador, ocorrida em maio (de 15 a 18).

Mais de 500 pessoas vestidas de branco empunharam velas, lamparinas e leques na “Caminhada de Mulheres pela Paz e Não Violência contra as Mulheres e Meninas nas Cidades”. O relato é da ONU Mulheres.

Lucy Wanjiku é uma jovem mãe que vive com HIV e lidera a organização Vozes de Mulheres Jovens Positivas do Quênia. Foto: UNAIDS

UNAIDS destaca importância de empoderar meninas para evitar novas infecções por HIV

Lucy Wanjiku é uma jovem mãe que vive com HIV e lidera a organização Vozes de Mulheres Jovens Positivas do Quênia. Ela tinha apenas 19 anos quando descobriu que estava vivendo com HIV. “Ser mãe adolescente e viver com HIV foram experiência muito diferentes”, disse Lucy. “Fui discriminada pela comunidade, minha família e até mesmo por serviços de saúde. Não há estrutura de suporte disponível”.

A história de Wanjiku é comum na África Subsaariana. Cerca de 6,9 mil meninas adolescentes e mulheres jovens entre os 15 e os 24 anos são infectadas com HIV a cada semana; das quais, 5,5 mil vivem na África Subsariana. O relato é do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS).

Cerca de 170 cabos e soldados do Exército participaram de treinamento em Boa Vista. Foto: UNFPA Brasil

ONU capacita oficiais do Exército para combater exploração sexual de venezuelanos em Roraima

Em Boa Vista, cerca de 170 cabos e soldados do Exército Brasileiro participaram na quarta-feira (6) de um curso da ONU sobre proteção contra a exploração e o abuso sexuais. Formação abordou como esses crimes ocorrem em situações de deslocamento forçado e fluxos migratórios mistos, que reúnem refugiados e migrantes, como é o caso dos venezuelanos que chegam ao Brasil pelo estado de Roraima.

Camila Pitanga, embaixadora da ONU Mulheres no Brasil, no 3º Congresso Nacional da Liderança Feminina. Foto: ABRH/Gustavo Morita

Camila Pitanga denuncia ‘discriminação sistemática’ contra mulheres no mundo do trabalho

“O domínio do homem branco na incessante atividade econômica é um produto histórico-social. Uma relação que foi construída. E aí eu pergunto: se tudo foi construído, o que nos impede de construir uma nova relação entre homens e mulheres?”. Com o questionamento, a atriz Camila Pitanga convocou executivos do Brasil a mudar a forma como o mundo do trabalho trata as mulheres.

A artista, que é embaixadora da Boa Vontade da ONU Mulheres no país, participou em maio (24) do encerramento do 23º Congresso Nacional da Liderança Feminina (CONALIFE).

ONU Mulheres lança #UseLaranja, nova campanha pelo fim da violência de gênero

“Todo dia 25, eu uso a cor laranja pelo fim da violência contra as mulheres. É quando eu me uno a milhões de mulheres e homens de todo o mundo. Dia Laranja pelo Fim da Violência contra as mulheres é um momento para você fazer ações de prevenção à violência contra as mulheres em casa, na comunidade, na empresa, na escola.”

A declaração é da atriz Juliana Paes, defensora para a Prevenção e a Eliminação da Violência contra as Mulheres da ONU Mulheres. Ela participa de campanha da agência da ONU com vídeos e peças digitais que explicam situações de violência baseada em gênero, incentivam a consciência pública e estimulam ações de prevenção e eliminação.

Interior de um estúdio de rádio afegão, onde mulheres reivindicam democracia e direitos humanos. Foto: UNAMA/Fardin Waezi)

No Afeganistão, mulheres jornalistas desafiam a violência – e o machismo

Os perigos do trabalho como jornalista no Afeganistão foram relembrados em um novo ataque na capital Cabul no final de abril. Nove fotógrafos e repórteres afegãos foram mortos. Os profissionais, que estavam na região para reportar um ataque suicida, foram alvejados por um segundo homem-bomba ao chegar ao local.

Fora da capital afegã, os perigos de realizar reportagens, particularmente para mulheres jornalistas, nunca foram tão claros. Confira nessa matéria especial.

Carla Daniel na sede da UNIFIL, no sul do Líbano. Foto: Acervo Pessoal

Capitão é 1ª militar brasileira a trabalhar no Departamento de Operações de Paz da ONU

Primeira e única mulher brasileira a concluir uma missão de paz da ONU a bordo de um navio, a capitão de fragata Carla Daniel, de 51 anos, acostumou-se a vanguardismos. Desde dezembro do ano passado, ela também é a primeira militar brasileira a trabalhar no Departamento de Operações de Paz das Nações Unidas (DPKO), em Nova Iorque.

Carla atua no Escritório de Assuntos Militares (OMA, na sigla em inglês), que faz parte do Serviço de Operações Militares em Andamento (CMOS), como oficial de assuntos de missões de paz. Ela faz o elo entre a missão, no caso a Força Interina de Segurança das Nações Unidas para Abyei (UNISFA), a ONU e o país que contribui com militares para essa operação, a Etiópia. Leia a entrevista concedida ao Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio).

O programa Escola sem Partido viola frontalmente a Constituição e os tratados internacionais ratificados pelo Estado brasileiro, segundo especialistas do governo federal e da ONU. Foto: EBC

Brasil: apenas 3,6% dos alunos da rede pública concluem o fundamental com habilidades avançadas de leitura

Taxa foi identificada pela UNESCO a partir dos resultados da Prova Brasil de 2013. Quando avaliado o desempenho em matemática, esse índice caía para 1,3%. Dados são de pesquisa que alerta também para desigualdades de cor e gênero no acesso ao aprendizado.

Relatório foi tema de seminário que reuniu cerca de 150 professores e especialistas de secretarias estaduais em Brasília nesta semana (23).

Da esquerda para a direita: Paulo Parente; Marcela Trigo; Tatiana Campello; Denise Nascimento; José Graça Aranha; Felipe Augusto Melo de Oliveira e José Carlos Pinto. Foto: Parque Tecnológico da UFRJ

Evento em Parque Tecnológico da UFRJ aborda participação das mulheres na inovação

O Parque Tecnológico da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e o escritório da Organização Mundial de Propriedade Intelectual (OMPI) no Brasil organizaram no fim de abril (24) a segunda edição do evento “Propriedade intelectual no parque”, que celebrou o Dia Mundial da Propriedade Intelectual.

Na ocasião, especialistas discutiram a participação das mulheres na pesquisa e inovação, enfatizando as desigualdades ainda persistentes na academia brasileira.

Hoje, a historiadora Heliana Hemetério, que também é especialista em gênero e raça, compõe a vice-presidência da Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT). Foto: Alexander Hugo

Dia Laranja: historiadora Heliana Hemérito é símbolo do combate a violência, racismo e LGBTIfobia

Aos 65 anos, Heliana Hemetério tem muitas histórias para contar. Mulher negra e lésbica, iniciou sua vida na militância social em 1986, quando se engajou politicamente com o movimento negro. Percebeu posteriormente que uma pauta importante não estava sendo abordada naquele espaço — o gênero. Naquele momento, transitou para o movimento de mulheres negras e, em seguida, para o movimento feminista. No início da década de 1990, começou a frequentar espaços de discussões relacionadas à população LGBTI.

Heliana Hemérito deu entrevista à Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) como parte da ação digital “Destaque-Laranja”, uma iniciativa que diversas agências do Sistema ONU no Brasil farão, ao longo do ano, em reconhecimento a pessoas, cidades, escolas, universidades, empresas e outras instituições com atuação relevante para a prevenção e eliminação da violência contra as mulheres e meninas no país.

A detecção e o tratamento precoce do câncer de colo do útero podem aumentar drasticamente a chance de sobrevivência de uma mulher. Foto: UNAIDS

Iniciativa da ONU e parceiros trata e previne câncer de colo do útero em países africanos

Estudos mostram que as mulheres vivendo com HIV têm entre quatro e cinco vezes mais chances de desenvolver câncer invasivo de colo do útero. No entanto, a doença pode ser evitada por meio da exames e do tratamento precoce de lesões pré-cancerosas.

Uma nova parceria de 30 milhões de dólares com o objetivo de ajudar a acabar com o câncer de colo do útero, liderada por Plano de Emergência do Presidente dos Estados Unidos para Alívio da AIDS (PEPFAR), Instituto George W. Bush e Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) vai acelerar os esforços capazes de salvar vidas em oito países africanos.

Atriz Emma Watson esconde livros no metrô de Londres. Imagem de novembro de 2016. Foto: Instagram/Emma Watson

Em São Paulo, ONU Mulheres promove amanhã sua 1ª caça aos livros sobre igualdade de gênero

A estação Vila Prudente, do metrô de São Paulo, será palco amanhã (25), às 14h, da primeira caça aos livros promovida pela ONU Mulheres no Brasil. Participantes terão uma hora para encontrar uma das 150 cópias do livro “Malala: a menina que queria ir para a escola”, da brasileira Adriana Carranca. Desses volumes, 30 trazem um cupom para a troca por mais uma obra, escolhida e autografada por atrizes e personalidades brasileiras e estrangeiras, como a britânica Emma Watson, embaixadora da Boa Vontade da agência das Nações Unidas.

A professora e cientista Joana D’Arc Felix de Souza. Foto: Acervo Pessoal

No dia da propriedade intelectual, agência da ONU promove debate com cientista brasileira

Para celebrar o Dia Mundial da Propriedade Intelectual, o escritório brasileiro da Organização Mundial de Propriedade Intelectual (OMPI), em cooperação com o Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (CEFET), organizou um debate no Rio de Janeiro para discutir a participação das mulheres na inovação.

Entre as debatedoras, estava a professora e cientista brasileira Joana D’Arc Felix de Souza, que fez um discurso comovente sobre sua origem pobre em Franca, interior de São Paulo, e sua jornada até obter um doutorado em Harvard.

Debate na sede da ONU, em Nova Iorque, lembrou contribuições das mulheres do Sul Global para o debate sobre igualdade de gênero dentro da Organização. Foto: ONU/Manuel Elias

Evento em NY lembra importância das diplomatas do Sul Global na criação da ONU

As diplomatas do Sul Global, entre elas a brasileira Bertha Lutz, tiveram papel essencial nas Nações Unidas desde sua concepção, em 1945, inclusive nas negociações do primeiro acordo internacional a mencionar a igualdade de gênero como direito humano fundamental: a Carta da ONU.

De acordo com estudos acadêmicos recentes, as delegadas mulheres dos países em desenvolvimento tiveram papel significativo em garantir que a Carta fizesse menção à igualdade de gênero. Elas eram apenas quatro dos 850 delegados que assinaram o documento histórico que criou as Nações Unidas na Conferência de San Francisco 73 anos atrás.

Evento na sede da ONU em Nova Iorque na terça-feira (22) lembrou o legado dessas diplomatas, com a presença das pesquisadoras Elise Dietrichson e Fatima Sator, da Escola de Estudos Orientais e Africanos (SOAS, na sigla em inglês), da Universidade de Londres.

Pernambuco e Bahia são os estados que lideram os índices de zika no país. Foto: UNFPA Brasil

Fundo de População da ONU promove reunião em PE para discutir vigilância do zika

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) participa na terça-feira (22) de um encontro entre organizações da sociedade civil, apoiadores nacionais e internacionais e representantes governamentais para discutir a vigilância epidemiológica e as políticas públicas no contexto do vírus zika em Pernambuco.

O representante do UNFPA no Brasil, Jaime Nadal, salienta que a epidemia de zika mostra a necessidade de melhorar o acesso à educação para a sexualidade, assim como o acesso universal a serviços de planejamento da vida reprodutiva. As ações com a sociedade civil são fundamentais, pois estão na linha de frente com a população em situação de maior vulnerabilidade.

Concurso premia mulheres empreendedoras que ajudam a cumprir metas de desenvolvimento da ONU. Foto: PNUD

Concurso reconhece mulheres empreendedoras que apoiam metas da ONU; inscrições até 30 de junho

Até 30 de junho, organismos da ONU recebem inscrições para um concurso sobre mulheres empreendedoras que apoiam os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas (ODS). Iniciativa reconhece proprietárias e líderes de microempresas que promovem o cumprimento dessas metas dentro e por meio dos seus negócios. Inscrições são online e vencedoras participarão de evento na sede da ONU, em Nova Iorque.

Campanha pelos direitos sexuais e reprodutivos ‘Ela decide’ será exibida em cinema de Brasília

Em parceria com a equipe do documentário “Chega de Fiu Fiu”, um vídeo da campanha “Ela Decide” para empoderamento de jovens e mulheres sobre direitos sexuais e reprodutivos será exibido em um cinema em Brasília (DF) no dia 27.

A campanha é a primeira ação da Aliança pela Saúde e Pelos Direitos Sexuais e Reprodutivos no Brasil, iniciativa das empresas Bayer, MSD e Semina e do Instituto Ethos, com o apoio do UNFPA no Brasil e da Embaixada dos Países Baixos.

Série aborda autocuidado e direito à sexualidade. Imagem: Canal Futura

UNICEF leva para o Canal Futura série sobre educação sexual na infância e adolescência

Vai ao ar amanhã (18), no Canal Futura, a série de interprogramas “Que Corpo é esse?”, produção que aborda a educação sexual entre crianças e adolescentes. Realizada em parceria com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e a Childhood Brasil, a obra de animação acompanha os Vila Cesar, uma família brasileira que reflete sobre como lidar com o desenvolvimento de seus cinco filhos. Primeiro episódio estreia às 20h.

Grupo Assessor da Sociedade Civil Brasil da ONU Mulheres e parte da equipe da entidade. Foto: ONU Mulheres/Mara Silva

ONU Mulheres abre inscrições para grupo assessor da sociedade civil

A ONU Mulheres recebe até 17 de junho candidaturas de representantes de organizações e redes brasileiras para o Grupo Assessor da Sociedade Civil (Brasil).

O grupo é formado por 15 pessoas, sendo oito integrantes das organizações e redes feministas e de mulheres; quatro integrantes das organizações e redes de base da sociedade civil e três especialistas nas áreas temáticas de ONU Mulheres Brasil, que podem ser acadêmicas(os) ou especialistas endossadas(os) por institutos de pesquisa ou organizações e redes de mulheres e feministas. Saiba como se inscrever.

Diretora regional da ONU Mulheres para Américas e Caribe, Luiza Carvalho, inaugura encontro com lideranças políticas municipais de países ibero-americanos sobre empoderamento político das mulheres para igualdade de gênero e o cumprimento da Agenda 2030. Foto: ONU Mulheres/Camila Almeida

Em cúpula no Equador, ONU discute empoderamento das mulheres na gestão municipal

A igualdade de gênero e o empoderamento das mulheres na gestão municipal será o tema abordado pela ONU Mulheres durante a 4ª Cúpula Ibero-Americana de Agendas Locais de Gênero, que acontece até sexta-feira (18), em Cuenca, no Equador.

O encontro reúne lideranças políticas ibero-americanas de alto nível sobre governança municipal para a igualdade de gênero e o empoderamento político das mulheres para o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

Vítimas de tráfico humano. Foto: ONU/Martine Perret

No Brasil, especialistas veem fragilização de serviços para mulheres vítimas de tráfico de pessoas

O Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) participou no início do mês de encontro para debater a assistência dada pelo Brasil a vítimas de tráfico internacional. Evento em Brasília reuniu representantes do Judiciário e do Executivo para discutir marcos sul-americanos que podem melhorar políticas públicas do país. Especialistas alertaram para momento de fragilização das instituições que prestam serviços para quem sofreu esse tipo de violação.