Arquivo da tag: Igualdade de gênero

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número 5 diz: “Alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas”.

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número 5 diz: “Alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas”.

 

Mais sobre este ODS em https://nacoesunidas.org/pos2015/ods5 e notícias sobre o tema abaixo. Dentro do Sistema ONU, quem lidera o tema é a ONU Mulheres. Acesse o site da agência no Brasil (www.onumulheres.org.br).

Entre 11 e 13 de novembro, no Bahrein, Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (UNIDO) participou do 3º Fórum Mundial de Investimentos Empresariais. Foto: WEIF.

Inovação e empoderamento de mulheres e jovens é tema do 3º Fórum Mundial de Investimentos Empresariais

A terceira edição do Fórum Mundial de Investimentos Empresariais aconteceu entre 11 e 13 de novembro, em Manama, capital do Bahrein. Evento visou debater medidas de inclusão de jovens e mulheres no setor industrial da região do Oriente Médio e Norte da África, a fim de impulsionar o crescimento e garantir o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e a Agenda 2030.

O evento, promovido conjuntamente pela União das Câmaras Árabes; Câmara de Comércio e Indústria do Bahrein; Centro Internacional Árabe de Empreendedorismo e Investimento; e Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (UNIDO), também discutiu as inovações e os desafios trazidos com a 4ª revolução industrial, caracterizada por uma economia digital, para a região.

Em sua fala na abertura do evento, a diretora de suporte a políticas e programas da UNIDO, Fatou Haidara, observou que as mulheres representam metade da população mundial e, questionando a capacidade geral de alcançar os objetivos globais sem essa inclusão, apontou a existência de uma lacuna de gênero na indústria que “com a quarta revolução industrial, se não implementarmos as políticas e medidas corretas, a diferença poderá aumentar ainda mais, e essa é a última coisa que queremos que aconteça”.

Campanha no oeste do Paraná visa prevenir gravidez não planejada na adolescência

Todos os anos, cerca de 500 mil bebês nascem de mães com idade entre 10 e 19 anos no Brasil. O Paraná respondeu no ano passado por 22,3 mil desses nascimentos. Em geral, são gestações que não foram planejadas e acontecem em decorrência da falta de informação, de acesso a métodos contraceptivos ou até mesmo de situações de abuso e violência.

Para tentar reverter esse quadro, a Itaipu Binacional e o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) lançam na quinta-feira (21) a Campanha Tá no Rumo. Voltada ao público adolescente, a iniciativa leva informação de qualidade por meio de exposição interativa e cinedebate.

Marcha das Mulheres Negras contra o Racismo e a Violência e pelo Bem Viver, ocorrida em 2015, em Brasília. Foto: ONU Mulheres/Bruno Spada

Sede da ONU lembra Dia Internacional para Eliminação da Violência contra Mulheres

A comemoração oficial das Nações Unidas para o Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra as Mulheres (25 de novembro) ocorrerá na próxima segunda-feira (25), na Câmara do Conselho Econômico e Social das Nações Unidas (ECOSOC), na sede das Nações Unidas, em Nova Iorque.

Sob a liderança do secretário-geral da ONU, António Guterres, a campanha terá 16 dias de ativismo com o tema “Pinte o mundo de laranja: Geração Igualdade contra o estupro!”. A campanha dura até 10 de dezembro, Dia dos Direitos Humanos. O evento na sede da Organização será transmitido ao vivo pela Internet.

Para participar é necessário enviar proposta, conforme orientações do edital, até 27 de novembro. Foto: PNUD

PNUD seleciona projetos que promovam desenvolvimento sustentável em AM e PI

O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) lançou edital para seleção de projetos nos estados do Amazonas e do Piauí. O objetivo é identificar experiências e metodologias de inovação alinhadas às cadeias de produção locais.

As propostas vencedoras receberão 100 mil reais cada uma para ampliar, aprimorar ou dar continuidade a projetos que promovam o desenvolvimento sustentável da região. O prazo para inscrição é 27 de novembro.

Cerca de 50 mulheres refugiadas participaram da série de workshops do Empoderando Refugiadas em São Paulo no segundo semestre de 2019. Foto: Fellipe Abreu

Empoderando Refugiadas encerra série de workshops sobre educação financeira

Após uma série de treinamentos realizados no segundo semestre de 2019, as mulheres do Empoderando Refugiadas estão capacitadas para a segunda etapa do projeto, que prevê dinâmicas de empregabilidade com representantes de empresas. O último workshop aconteceu na sexta-feira (8) no banco ABN AMRO, em São Paulo, e abordou o tema de educação financeira.

O Empoderando Refugiadas está em sua quarta edição e trabalha a empregabilidade de mulheres em situação de refúgio em São Paulo (SP) e Boa Vista (RR), além do engajamento de empresas na contratação de migrantes e refugiados. O projeto é uma parceria entre Rede Brasil do Pacto Global, Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e ONU Mulheres.

A vice-secretária geral da ONU, Amina Mohammed encontra estudantes em Nairóbi, no Quênia. Foto: Goergina Sane Smith/PNUMA

Conferência de Nairobi: mulheres precisam decidir sobre concepção para alcançar igualdade de gênero

Para alcançar igualdade de gênero, as mulheres precisam ter o poder de tomar suas próprias decisões sobre concepção. A declaração foi feita pela vice-secretária-geral da ONU, Amina Mohammed, durante a abertura da Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento, em Nairobi.

No encontro, a diretora exectuva do UNAIDS, Winnie Byanyima, fez uma declaração de compromisso para intensificar as ações e o compromisso de acabar com a AIDS, eliminar a injustiça social e alcançar as mulheres e meninas que estão sendo deixadas para trás.

O Fundo de População da ONU (UNFPA) organiza o encontro em parceria com os governos do Quênia e da Dinamarca.

Projeto oferece cursos de capacitação para incluir no mercado de trabalho seguro pessoas em situação de vulnerabilidade. Foto: Cozinha&Voz.

Cozinha&Voz lança primeira turma de capacitação para assistente de cozinha no Rio de Janeiro

O Projeto Cozinha&Voz, uma iniciativa da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e do Ministério Público do Trabalho (MPT) em parceria com a chef de cozinha e apresentadora Paola Carosella e com a ONG Casa Poema, da poeta e atriz Elisa Lucinda, abriu na terça-feira (12) as inscrições para a primeira edição do projeto no Rio de Janeiro.

O curso conta com a parceria do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial do Rio de Janeiro (SENAC-RJ) e oferece 20 vagas para transexuais se formarem como Assistentes de Cozinha. A seleção acontece nos dias 12 e 13 de novembro, no MPT, e as aulas têm previsão de início no final de novembro, no SENAC-RJ.

O Cozinha&Voz faz parte do Projeto de Promoção do Trabalho Decente para Pessoas em Situação de Vulnerabilidade, desenvolvido conjuntamente pela OIT e pelo MPT com objetivo de promover a empregabilidade de pessoas em grupos de risco, incluindo-as no mercado de trabalho decente e seguro.

Foram apresentados na oficina promovida pela campanha Livres&Iguais da ONU os cinco padrões de conduta para o enfrentamento à discriminação LGBTI+ no setor privado. Foto: ACNUDH/Livres&Iguais.

Em Brasília, ONU realiza oficina para empresas sobre enfrentamento à discriminação LGBTI+

A Campanha das Nações Unidas Livres & Iguais e seus parceiros realizaram uma oficina para profissionais de recursos humanos e responsabilidade social da iniciativa privada na Casa da ONU, em Brasília.

Foram debatidos conceitos e terminologias relacionados à comunidade LGBTI+ e detalhes dos Padrões de Conduta para Empresas – enfrentando à discriminação contra lésbicas, gays, bissexuais, travestis, pessoas trans e intersexo. O documento, elaborado pelo Escritório do Alto Comissário das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH), visa fortalecer o envolvimento das empresas na promoção da igualdade de direitos e tratamento justo da população LGBTI.

A atividade aconteceu no dia 1º de novembro com a participação de parceiros da sociedade civil e da iniciativa privada. Mais de 20 empresas brasileiras integram a lista de apoiadores oficiais dos Padrões de Conduta do ACNUDH.

Conselho de Segurança marca transição dos 15 anos das forças de paz da ONU no Haiti

Após 15 anos de manutenção da paz no país caribenho, o Conselho de Segurança da ONU mantém seu compromisso de fortalecer e estabilizar o país. Com foco no desenvolvimento sustentável, as Nações Unidas continuarão apoiando o Haiti e sua população, com uma transição ininterrupta de manutenção para a construção da paz.

O novo Escritório Integrado das Nações Unidas no Haiti (BINUH) trabalhará com o governo e parceiros em antigas questões herdadas do período de manutenção da paz, como a eliminação da cólera e a abordagem de casos de exploração e abuso sexual, incluindo casos de paternidade.

Brasil participa da Cúpula de Nairóbi para discutir direitos sexuais e reprodutivos

Ações para salvar vidas de mães, atender a demanda mundial de contracepção e combater a violência baseada em gênero contra mulheres e meninas até 2030. Estes são os principais objetivos da Cúpula de Nairóbi CPID25, que começa nesta terça-feira (12).

O evento tem lugar 25 anos depois da Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento (CPID). Em 1994, 179 países fizeram um chamado ao empoderamento de mulheres e meninas em todas as esferas de suas vidas, incluindo a saúde sexual e reprodutiva.

Conferência Geral da UNESCO acontece entre 12 e 27 de novembro na sede da Organização, em Paris. Foto: UNESCO.

Cooperação global, juventude e inteligência artificial são temas da Conferência Geral da UNESCO de 2019

Entre 12 e 27 de novembro, em Paris, acontece a Conferência Geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO). A Conferência reunirá os 193 Estados-Membros além dos 10 Membros Associados da UNESCO em sua sede para definir o programa e o orçamento da Organização para os próximos dois anos.

A Conferência Geral deste ano está prevista para ser um laboratório global de ideias a fim de mapear a futura cooperação multilateral.

Durante o período da Conferência, a UNESCO sediará uma série de eventos políticos importantes, como o Fórum de Ministros da Cultura; o Fórum da Juventude da UNESCO; a Reunião Ministerial sobre Inclusão e Mobilidade; além de lançamentos de publicações e painéis de debate com a presença de crianças, jovens e líderes políticos globais.

XI Seminário Internacional do Grupo Coimbra de Universidades Brasileiras, em Manaus, contou com a participação do Fundo de População das Nações Unidas - Foto: divulgação

Fundo de População da ONU participa de seminário internacional de universidades

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) participou, na última semana, do XI Seminário Internacional do Grupo Coimbra de Universidades Brasileiras, em Manaus, para explicar o papel da agência na assistência humanitária e no apoio a migrantes e refugiados. Com foco na internacionalização universitária, o Grupo Coimbra reúne 88 instituições.

Realizado em parceria com a Universidade Federal do Amazonas (UFAM), o evento contou com a presença de representantes universitários de 28 países, entre eles Colômbia, Costa Rica, Equador, Argentina, Cuba, Estados Unidos, Itália, Japão, Angola, Moçambique, Nicarágua e Suíça.

O objetivo da oficina é capacitar dirigentes dos sindicatos de trabalhadoras domésticas para serem formadoras. Foto: Pagefact/CC.

OIT promove formação para dirigentes de sindicatos de trabalhadoras domésticas

A Organização Internacional do Trabalho (OIT) promoveu, entre 1 e 3 de novembro, a Primeira Oficina de Formação de Formadoras. Organizada em parceria com a Federação Nacional das Trabalhadoras Domésticas (Fenatrad) e o Solidarity Center, a capacitação aconteceu em Brasília, sob o título “Fortalecendo os Sindicatos de Trabalhadoras Domésticas”.

O curso visou compartilhar conhecimentos para a conscientização, mobilização, empoderamento e sindicalização desta categoria profissional, que apresenta cerca de 5 milhões de trabalhadoras na informalidade.

Comemorando 100 anos em 2019, a OIT é a única agência com estrutura tripartite das Nações Unidas. Ela reúne governos, empregadores e trabalhadores para estabelecer normas trabalhistas, desenvolver políticas e elaborar programas que promovam o trabalho decente para todas as pessoas.

Ação do projeto do Pró-Semiárido na Bahia.

FIDA realiza missão de avaliação do projeto Pró-Semiárido na Bahia

Representantes do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) estiveram na Bahia, entre os dias 23 de outubro e 1º de novembro, em missão de supervisão do projeto Pró-Semiárido – iniciativa da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR) vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural.

Além de mapear o que está dando certo nas intervenções do projeto junto aos agricultores e agricultoras, a missão também avaliou o que precisa melhorar para qualificar ainda mais o trabalho que vem sendo realizado.

Exposição “Ojidu – Árvore da Vida Warao” em cartaz no museu A CASA com abertura no dia 7 de novembro e visitação até 20 de dezembro. Foto: Benjamin Mast.

São Paulo recebe exposição com artesanato de indígenas venezuelanas Warao vivendo no Brasil

Realizada pelo museu A CASA em parceria com a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR); Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA); Fraternidade – Federação Humanitária Internacional (FFHI); União Europeia e governo federal, a exposição “Ojidu – Árvore da Vida Warao” reúne artesanato indígena venezuelano produzido pelas mulheres Warao vivendo no Brasil.

Entre 7 de novembro e 20 de novembro, museu A CASA exibe as peças feitas em palha de buriti, árvore nativa da Amazônia brasileira e venezuelana de importância central na vida dos Warao. As peças estarão à venda no museu e o dinheiro arrecadado apoiará novas ações de geração de renda para essa população.

Desde 2016, venezuelanos Warao chegam ao Brasil em busca de proteção e refúgio. Atualmente, estima-se que pelo menos 4.500 indígenas dessa etnia vindos da Venezuela encontram-se refugiados no Brasil.

Saúde. Foto: Rawpixel/CC.

Consultor do UNFPA visita unidades de saúde da rede pública para conhecer acesso a contraceptivos

Entre 29 de outubro e 1º de novembro, Carlos Anigstein, médico e consultor internacional, visitou unidades de saúde do Distrito Federal (DF) para conhecer mais sobre as rotinas de acesso a contraceptivos na rede pública de saúde, principalmente o Dispositivo Intrauterino (DIU).

A visita aconteceu a convite do escritório regional da América Latina e o Caribe do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA/LACRO) com o objetivo criar um material de boas práticas em saúde a ser compartilhado entre os países da região.

Yilmara e Ghazal, ex-participantes do Empoderando Refugiadas, compartilharam suas experiências com o empreendedorismo gastronômico. Foto: ACNUR | Fellipe Abreu.

Mulheres refugiadas compartilham experiências sobre empreendedorismo em São Paulo

No Museu da Imigração de São Paulo, workshop do Projeto Empoderando Refugiadas reuniu na última segunda-feira (28) mulheres refugiadas e profissionais do mercado para um debate sobre empreendedorismo.

O encontro foi realizado em parceria com Migraflix e MRV, e contou com a presença e depoimentos de refugiadas que abriram seus negócios na área da gastronomia depois de participarem de edições anteriores do projeto.

O Empoderando Refugiadas é uma iniciativa conjunta da Rede Brasil do Pacto Global, Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e ONU Mulheres com foco na empregabilidade de mulheres em situação de refúgio no Brasil.

Agricultora brasileira da associação da comunidade negra de Jatobá. Foto: Banco Mundial/Romel Simon

ARTIGO: O papel das mulheres na segurança alimentar

Em artigo, o representante da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) no Brasil, Rafael Zavala, analisa o papel das mulheres na segurança alimentar à luz dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Ao mesmo tempo em que são responsáveis por mais da metade da produção de alimentos, mais de 60% das pessoas com gome crônica no mundo também são mulheres e meninas. Leia o artigo completo.

CEPAL e OIT lançaram 21ª edição da publicação Conjuntura Laboral na América Latina e no Caribe (outubro de 2019). Foto: OIT

Igualdade de gênero no mercado de trabalho é crucial para crescimento latino-americano

O acesso das mulheres a atividades remuneradas e a redução das lacunas de gênero no mercado de trabalho são cruciais para o crescimento, a igualdade e a diminuição da pobreza na América Latina e no Caribe, destacou estudo de Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) e Organização Internacional do Trabalho (OIT) divulgado na segunda-feira (28).

Apesar de redução recente, a diferença entre a taxa de participação de homens e mulheres no mercado de trabalho latino-americano era de 25,9 pontos percentuais em 2018, indicou a publicação.

Atualmente, o trabalho do IPC-IG inclui um conjunto variado de tópicos, englobando a Agenda 2030 e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Foto: IPC-IG

Centro de políticas vinculado ao PNUD completa 15 anos de atividades no Brasil

O Centro Internacional de Políticas para o Crescimento Inclusivo (IPC-IG), vinculado ao Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), comemora 15 anos de atividade neste mês. Desde 2004, o Centro promove serviços e ferramentas para fortalecer as capacidades institucionais dos países, com o objetivo de apoiar o desenvolvimento, a implementação e a avaliação de políticas sociais e estimular o crescimento inclusivo.

Atualmente, o trabalho do IPC-IG inclui um conjunto variado de tópicos, englobando a Agenda 2030 e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) — proteção social; desenvolvimento rural e agricultura; políticas de redução da pobreza e de desenvolvimento; desenvolvimento sustentável; crescimento econômico e desigualdade; educação; saúde e nutrição; crianças/ jovens; e gênero.

“Conversei pela primeira vez com meu companheiro sobre sexualidade”, conta migrante venezuelana depois de participar de formação do UNFPA em Roraima. Foto: UNFPA Brasil | Yareidy Perdomo.

Em Roraima, UNFPA promove formação em saúde sexual e reprodutiva a mulheres venezuelanas

Keibelin Yanez, 27, migrou da Venezuela para o Brasil em 2017 e participa das formações em saúde sexual, reprodutiva e direitos promovidas pelo Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) em Roraima.

Ela e o esposo decidiram sair da Venezuela quando Keibelin descobriu estar grávida do terceiro filho. Segundo ela, o que ganhavam em seu país de origem mal dava para cuidar das duas crianças que já tinham.

A participação nas formações oferecidas pela ONU ofereceu à Keibelin a possibilidade de cuidar melhor de sua saúde e da saúde de sua família. A reportagem é do UNFPA Brasil.

Debate abordou boas práticas e desafios que ainda impedem fomento aos negócios de mulheres no Brasil. Foto: ONU Mulheres/Gabriela Batista

Somente 8% dos investimentos financeiros na América Latina são destinados a empreendedoras

Novas tendências do sistema financeiro com enfoque em gênero e exemplos de boas práticas orientaram painéis do seminário “Promoção de financiamento inovador por meio de investimentos inteligentes em gênero: experiências, oportunidades e desafios”, realizado por ONU Mulheres, Organização Internacional do Trabalho (OIT) e União Europeia em 10 de outubro, em São Paulo (SP).

Segundo dados de 2019 do Investor LATAM, apenas 8% dos investimentos financeiros na América Latina são destinados ao empreendedorismo feminino frente a 16% de projetos liderados por homens.

Atividade de escuta promovida pelo UNFPA Brasil está inserida em um contexto global de debates acerca do tema nos meses que antecedem a Conferência de Alto Nível a ser realizada em Nairóbi, em comemoração aos 25 anos da CIPD. Foto: UNFPA Brasil | Giselle Cintra.

Casa da ONU recebe pessoas indígenas, negras e LGBTI+ para debater avanços desde Conferência Internacional

Em marco aos 25 anos da Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento (CIPD), ocorrida em 1994 no Cairo, capital do Egito, o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) no Brasil promoveu um encontro com representantes das populações negra, indígena e LGBTQI+ para debater o tema.

O intuito do evento, que ocorreu no dia 16 de outubro na Casa da ONU, foi promover a escuta e o diálogo sobre os avanços e os desafios em relação à saúde sexual, reprodutiva e aos direitos dessas comunidades desde a Conferência Internacional de 1994.

Segundo a oficial de programa para a equidade de gênero, raça, etnia e comunicação do UNFPA Brasil, “para os grupos historicamente colocados em situação de maior vulnerabilidade social, os obstáculos para a garantia de direitos e ampliação de liberdades ainda persistem”.

Durante o segundo semestre de 2019, o Empoderando Refugiadas promove workshops temáticos para mulheres refugiadas em São Paulo (SP) e Boa Vista (RR). Foto: Fellipe Abreu

Refugiadas são treinadas em leis trabalhistas e canais de denúncia de violência de gênero em SP

A conscientização sobre o direito trabalhista brasileiro e as possibilidades de enfrentamento da violência contra a mulher no Brasil foram temas de workshop realizado no escritório de advocacia Mattos Filho, em São Paulo (SP), na última terça-feira (22).

O encontro reuniu profissionais do Direito e as participantes da quarta edição do projeto Empoderando Refugiadas – iniciativa de Rede Brasil do Pacto Global, Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e ONU Mulheres, com foco na empregabilidade de mulheres em situação refúgio no Brasil.

Bandeira do Orgulho LGBTI. Foto: Benson Kua

ONU e ativistas brasileiras lembram importância da visibilidade intersexo

A campanha da ONU Livres & Iguais, a Associação Brasileira de Intersexos (ABRAI) e a Associação Brasileira Profissional pela Saúde Integral de Travestis, Transexuais e Intersexos (ABRASITTI) unem-se no Dia Internacional da Visibilidade Intersexo para promover maior conscientização sobre esse tema.

Pessoas intersexo nascem com características sexuais (incluindo genitais, gônadas e padrões cromossômicos) que não se encaixam nas típicas noções binárias de corpos masculinos e femininos.

Intersexo é um termo guarda-chuva usado para descrever uma ampla gama de variações naturais do corpo. Em alguns casos, características intersexuais são visíveis no nascimento, enquanto outras não são aparentes até a puberdade.

Iniciativa de mulheres Xavante promove o fortalecimento da segurança alimentar e nutricional, e da gestão territorial da reserva Pimentel Barbosa (MT). Foto: FUNAI | Mario Vilela.

No Mato Grosso, iniciativa de mulheres Xavante resgata alimentação tradicional

O Projeto Abahi Tebrezê é uma ação das mulheres indígenas Xavante da reserva Pimentel Barbosa, em Mato Grosso. Elas trabalham em prol do resgate do conhecimento alimentar tradicional através da revitalização do cultivo de batatas nativas.

Iniciado em 2010, a iniciativa foi inicialmente conduzida pelos homens da aldeia, mas em 2017 as mulheres decidiram assumir o protagonismo das ações, contribuindo para o fortalecimento da segurança alimentar em seu território.

O Abahi Tebrezê, além de resgatar a alimentação tradicional, possui um caráter educativo mais amplo, promovendo o intercâmbio de conhecimentos; o fortalecimento da cultura; a gestão do território; e maior conscientização sobre os direitos das mulheres indígenas da comunidade Xavante. O relato é da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

Coordenador de juventude do município de Duque de Caxias (RJ), Ewerton Vital entregou a moção "Parceiros da Juventude" em reconhecimento aos trabalhos prestados pelo UNFPA. Foto: Divulgação/Ewerton Vital

Fundo de População da ONU debate parcerias com município de Duque de Caxias (RJ)

O coordenador de juventude de Duque de Caxias (RJ), Ewerton Vital, visitou a sede do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) em Brasília (DF) no início de outubro (8) para apresentar projetos de investimento em jovens do município e se colocar à disposição para ampliar o debate e estabelecer futuras parcerias.

Na ocasião, o oficial de programa para Juventude e HIV do UNFPA, Caio Oliveira, lembrou que o investimento na juventude é urgente. No Brasil, existem quase 50 milhões de jovens, e ao menos 11 milhões estão fora do mercado de trabalho e das instituições de ensino, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE).

O modo de produção da comunidade da Barra da Aroeira segue os princípios da agroecologia. A maior parte dos alimentos produzidos pelas agricultoras quilombolas são consumidos pelas famílias da própria comunidade e alguns produtos são vendidos em feiras na capital Palmas. Foto: FAO

Mulheres quilombolas destacam-se com produção agrícola sustentável no Tocantins

No município de Santa Tereza, em Tocantins, está a comunidade quilombola Barra da Aroeira. Formada em meados da década de 1930, a comunidade reúne cerca de 97 famílias que produzem de tudo um pouco: arroz, feijão, mandioca, abóbora, inhame, batata-doce, hortaliças, além da criação de galinha e porcos.

O modo de produção da comunidade da Barra da Aroeira segue os princípios da agroecologia. A maior parte dos alimentos produzidos pelas agricultoras quilombolas são consumidos pelas famílias da própria comunidade e alguns produtos são vendidos em feiras na capital Palmas. Leia a reportagem da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

Mãe e filha em centro de saúde apoiado pelo UNFPA. Agência presta serviços de saúde reprodutiva, sexual, materna e neo-natal. Foto: UNFPA Namíbia/Emma Mbekele

UNFPA lança ‘Jornada Zero Violência contra Mulheres e Meninas’ no Distrito Federal

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) tem trabalhado no mundo para alcançar a meta de três zeros até 2030: zero necessidades insatisfeitas de contracepção, zero mortes maternas evitáveis e zero violências ou práticas nocivas contra mulheres e meninas.

Nesse sentido, o UNFPA Brasil, a Secretaria da Mulher e outros órgãos do Governo do Distrito Federal (GDF) lançaram no início de outubro (9) o programa “Jornada Zero Violência contra mulheres e meninas” no Paranoá (DF).

O objetivo é mobilizar a sociedade e articular uma rede de enfrentamento à violência contra a mulher nas regiões administrativas do Distrito Federal.

Composta por 17 agricultoras familiares, a Associação Chocolateiras de Teixeirópolis foi criada em 2015 e, desde então, trabalha com a verticalização da produção — do plantio do cacau à fabricação do chocolate. Foto: Associação Chocolateiras de Teixeirópolis

Chocolateiras de Rondônia contribuem para aumento de renda na região amazônica

Acordar cedo e ir para o campo faz parte do dia a dia das mulheres chocolateiras de Teixeirópolis, município situado a 300 quilômetros da capital Porto Velho, Rondônia. O estado é o terceiro maior produtor de cacau do Brasil, ficando atrás apenas de Bahia e Pará.

Formada por 17 agricultoras familiares, a Associação Chocolateiras de Teixeirópolis foi criada em 2015 e, desde então, trabalha com a verticalização da produção — do plantio do cacau à fabricação do chocolate. O relato é da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

“Nossos Campeões e Jovens Campeões de 2019 se atrevem a sonhar mais; eles se esforçam mais e vão mais longe. Suas ações falam mais alto que palavras”, Inger Andersen, diretora Executiva do PNUMA. Foto: PNUMA.

Pioneiros globais recebem maior prêmio ambiental da ONU

O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) homenageou oficialmente 12 agentes de mudança ambiental de todo o mundo com o prêmio ‘Campeões da Terra’ e ‘Jovens Campeões da Terra’ de 2019 das Nações Unidas.

O Campeões da Terra – principal prêmio ambiental da ONU – é entregue anualmente a líderes destacados do governo, sociedade civil e setor privado cujas ações tiveram um impacto positivo no meio ambiente.

A cerimônia de premiação, realizada em Nova Iorque em 26 de setembro, reconheceu os premiados nas categorias Inspiração e Ação; Liderança em Políticas; Visão Empresarial; e Ciência e Inovação.

Conheça a rotina de trabalho da equipe da Empodera, que se desloca pelo município do Rio de Janeiro, para acompanhar de perto a implementação do programa Uma Vitória Leva à Outra, garantindo continuamente sua qualidade. Foto: ONU Mulheres

ONU Mulheres conta rotina de implementadoras do programa ‘Uma Vitória Leva à Outra’

“Uma Vitória Leva à Outra” é um programa conjunto da ONU Mulheres e do Comitê Olímpico Internacional, em parceria com as ONGs Women Win e Empodera. Ele visa garantir que meninas e mulheres possam participar, trabalhar com, governar e desfrutar do esporte em igualdade de condições.

O programa foi reconhecido como um legado dos Jogos Olímpicos Rio 2016 e, em sua segunda fase, de 2018 a 2021, treina organizações a trabalhar com o empoderamento de meninas por meio do esporte e, assim, garantir resultados de longo prazo na quebra do ciclo da violência.

A ONU Mulheres detalhou a rotina de quatro profissionais que acompanham a implementação do programa no Rio de Janeiro (RJ). Leia a reportagem completa.

Denise Chevanne-Vogel, especialista para o setor privado da ONU Mulheres Jamaica, participa do Fórum Weps em São Paulo. Foto: Gustavo Dantas/ONU Mulheres

Evento em SP discute ações para ambiente de trabalho seguro para mulheres

Necessidade de implementar ações para promover um ambiente seguro de assédio sexual, atenção às vítimas e promoção da educação. Estas foram as principais propostas de empresas para melhorar as condições de trabalho das mulheres no último dia do Fórum Weps 2019.

O evento foi promovido pela ONU Mulheres, Organização Internacional do trabalho (OIT) e União Europeia nos dias 8 e 9 de outubro, em São Paulo, e faz parte do programa “Ganha-Ganha: Igualdade de Gênero Significa Bons Negócios”.

“Me ensinaram muito sobre os direitos das pessoas LGBTI+ no Brasil. Eu não tinha ideia porque no meu país isso não existe”, Riri, 22 anos. Foto: UNFPA Brasil | Yareidy Perdomo.

Espaço Amigável do UNFPA oferece apoio a migrantes LGBTI+ em Roraima

Depois de ter mantido uma luta constante contra a LGBTIfobia e a discriminação na Venezuela, Riri, de 22 anos, migrou pela segunda vez para o Brasil. Riri relata ter vivido com medo e sofrido “abuso e agressão por ser diferente” em seu país de origem.

“Muitas vezes me perguntam se sou uma mulher transexual, e não sou. Sou uma pessoa que não se identifica com nenhum gênero, e é isso que inquieta as pessoas”, explicou.

Hoje, depois de passar por aquilo que chamou “um turbulento caminho”, fruto da crise econômica da Venezuela, Riri encontrou um lar em Roraima. Logo após ter cruzado a fronteira, conheceu o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), que o forneceu apoio e orientação sobre os direitos das pessoas LGBTI+ vivendo no Brasil.

Experiências sobre a autonomia econômica das mulheres rurais podem estar relacionadas ao desenvolvimento de produtos saudáveis e artesanais, tradicionais e agroecológicos. Foto: ONU Mulheres

Ministério da Agricultura lança concurso para empreendimentos inovadores de mulheres rurais

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) lançou na terça-feira (15) o edital do concurso Inovar para mudar – a autonomia das #MulheresRurais e sua contribuição para reduzir a pobreza e a insegurança alimentar.

A iniciativa integra a 4ª edição da Campanha Regional Mulheres Rurais, Mulheres com Direitos, coordenada pela Secretaria de Agricultura Familiar e Cooperativismo em parceria com ONU Mulheres, Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e outras instituições.

Serão selecionadas práticas individuais ou coletivas inovadoras voltadas para a autonomia econômica das mulheres rurais e que tenham contribuído para melhorar a qualidade de vida e o atendimento às necessidades humanas fundamentais das mulheres e de suas comunidades.

As crianças sentam-se em frente à sua nova escola, feita de tijolos de plástico reciclado em Sakassou, no centro da Costa do Marfim. Foto: UNICEF/Frank Dejongh

Fim da pobreza extrema é crucial para um futuro sustentável, diz chefe da ONU

Um futuro sustentável para todos é improvável, a menos que a globalização beneficie todas as crianças, suas famílias e comunidades, afirmou o secretário-geral da ONU, António Guterres, em sua mensagem para o Dia Internacional pela Erradicação da Pobreza, nesta quinta-feira (17).

Observado a cada 17 de outubro, a data reconhece o esforço e a luta de mais de 700 milhões de pessoas em todo o mundo que vivem com menos de 1,90 dólar por dia.

“O fim da pobreza extrema está no centro dos esforços do mundo para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e construir um futuro sustentável para todos. Mas o sucesso em não deixar ninguém para trás permanecerá ilusório se não atingirmos as pessoas que estão mais atrás primeiro”, afirmou o secretário-geral.

Reunião entre UNFPA, FIOCRUZ e instituições de saúde de países africanos. Foto: FIOCRUZ/Peter Ilicciev

FIOCRUZ e UNFPA reúnem-se para definir prioridades de parceria em direitos da mulher

Representantes da Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ), do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e de ministérios e institutos de saúde de países africanos reuniram-se na semana passada na sede da fundação, no Rio de Janeiro (RJ), para definir prioridades de temas e estratégias para os próximos cinco anos da parceria.

Na primeira oficina, realizada em agosto, já havia sido definida como prioridade da parceria a redução das mortes maternas evitáveis a zero até 2030 nos países participantes.

Para isso, a estratégia pretende criar um Centro de Referência em Saúde Materna. O propósito é fazer análises e aumentar a capacidade dos países, através da troca de experiências proporcionada pela cooperação triangular entre FIOCRUZ, países de América Latina e Caribe e africanos e UNFPA.

Marlova Noleto (quarta da esquerda para a direita), diretora e representante da UNESCO no Brasil, e Ann Vehulst (quinta da esquerda para a direita), presidente da L'Oreal Brasil, com as vencedoras do Prêmio Para Mulheres na Ciência. Foto: UNESCO

L’Oréal, UNESCO e ABC premiam sete cientistas brasileiras no Rio de Janeiro

Na noite da última quinta-feira (10), a Casa FIRJAN foi palco da 14ª edição do programa Para Mulheres na Ciência, uma parceria entre a fabricante de cosméticos L’Oréal Brasil com a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) e a Academia Brasileira de Ciências (ABC).

A premiação reconheceu sete cientistas brasileiras com a entrega de bolsas-auxílio de 50 mil reais cada para que possam dar continuidade aos estudos nas áreas de Ciências da Vida, Química, Física e Matemática. Os trabalhos das pesquisadoras foram escolhidos entre mais de 500 projetos inscritos de todo o Brasil.

Planejamento da carreira e empreendedorismo são alguns dos temas abordados no projeto Empoderando Refugiadas. Foto: Rede Brasil do Pacto Global/Fellipe Abreu

Refugiadas recebem treinamento em SP para entrar no mercado de trabalho

O Espaço Fit Carrefour recebeu no dia 26 de setembro, em São Paulo (SP), o primeiro workshop da quarta edição do Empoderando Refugiadas – iniciativa de Rede Brasil do Pacto Global, Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e ONU Mulheres que trabalha a empregabilidade de mulheres em situação de refúgio no Brasil.

Especialistas em recrutamento e inclusão do setor privado conversaram com as participantes sobre técnicas de entrevista, elaboração de currículos e objetivos profissionais.

O treinamento é o primeiro de uma série de workshops que serão realizados no segundo semestre de 2019, focados no temas de mercado de trabalho, legislação brasileira, empreendedorismo, mídias sociais e educação financeira. Cada encontro é recebido por uma empresa parceira e conta com a participação de profissionais do mercado.

Agricultora segue passos da avó na cafeicultura e integra aliança internacional de mulheres

A conexão da mineira Daiane Vital, de 37 anos, e de sua família com a terra é profunda e vem de muitas gerações. No distrito de Ferreiras ou Ressaca, lugarejo encrustado na Serra da Mantiqueira (MG), trabalhar na cafeicultura é a única fonte de renda. Ela aprendeu o ofício com sua avó, Dona Ana Vital, bastante conhecida na comunidade.

Leia o relato da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) para a campanha “Mulheres Rurais, Mulheres com Direitos”, que promove 15 dias de mobilização para valorizar a contribuição das trabalhadoras do campo ao cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).