Educação de qualidade

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número 4 diz: “Assegurar a educação inclusiva e equitativa e de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos”.

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número 4 diz: “Assegurar a educação inclusiva e equitativa e de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos”.

 

Mais sobre este ODS em https://nacoesunidas.org/pos2015/ods4 e notícias sobre o tema abaixo.

"Direito à educação e direitos na educação em perspectiva interdisciplinar" é uma coletânea composta por 19 artigos de diferentes especialistas que apresentam aspectos teóricos e práticos do direito à educação.

USP e UNESCO lançam em São Paulo publicação sobre direito à educação

A Cátedra UNESCO de Direito à Educação da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP) e a representação da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) no Brasil promoveram na segunda-feira (23) o Seminário Internacional Responsabilidades na Educação.

O evento teve palestra, debates e lançamento de publicação sobre o tema, com a participação de especialistas nacionais e internacionais.

Embarcação da Escola Ambiental Águas do Capibaribe. Foto: Escola Ambiental Águas do Capibaribe

Projeto do UNICEF em Recife promove empoderamento de meninas e aulas em barco-escola

Desenvolvido pela Secretaria da Mulher do Recife (PE) em parceria com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), o programa “Hoje Menina, Amanhã Mulher” chegou nesta quarta-feira (25) à sua segunda etapa após intensa formação sociopolítica em questões de gênero, cidadania e construção de identidade. O projeto envolveu adolescentes com perfil de liderança comunitária na capital pernambucana.

A segunda etapa incluiu aulas-passeio e atividades culturais. Nesta quarta-feira, 36 meninas navegaram pelos rios Capibaribe, Beberibe e Pina com a Escola Ambiental Águas do Capibaribe, um barco-escola que visa despertar novos olhares sobre a cidade, compreendendo seus contextos e aspectos socioambientais.

O Prêmio Itaú-UNICEF, que até o ano passado reconhecia parcerias entre organizações da sociedade civil (OSCs) e escolas públicas, ganha uma nova categoria, dedicada a ações realizadas exclusivamente por OSCs. Foto: EBC

Prêmio Itaú-UNICEF reconhece projetos para o desenvolvimento de crianças e adolescentes

Há 23 anos reconhecendo iniciativas de educação integral no país, o Prêmio Itaú-UNICEF abre inscrições para sua 13ª edição. O objetivo da premiação é identificar, estimular e dar visibilidade a projetos que contribuam para garantir o desenvolvimento integral de crianças e adolescentes entre 6 e 18 anos em situação de vulnerabilidade social. Neste ano, a premiação terá um aporte 47,5% maior do que em 2017, totalizando 5,9 milhões de reais.

O prêmio, que até o ano passado reconhecia parcerias entre organizações da sociedade civil (OSCs) e escolas públicas, ganhou uma nova categoria, dedicada a ações realizadas exclusivamente por OSCs. As inscrições podem ser feitas até 21 de maio.

O venezuelano Raul recebe seu certificado do reitor da Universidade Federal de Roraima, Jefferson Fernandes do Nascimento. Foto: ACNUR/Flávia Faria

Em Boa Vista, venezuelanos concluem curso de português em universidade parceira da ONU

Em Boa Vista, 75 venezuelanos concluíram na semana passada um curso de português oferecido pela Universidade Federal de Roraima (UFRR). O projeto Português para Acolhimento formou sua sétima turma e as vagas para a próxima, que começará as aulas ainda este mês, acabaram poucas horas após a abertura das inscrições. Iniciativa da instituição de ensino faz parte de projeto de cooperação com a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR).

Políticas de alimentação escolar no Brasil. Foto: PMA/Vinícius Limongi

Após vencer concurso, merendeiras de escolas públicas brasileiras visitam República Dominicana

Cinco merendeiras de escolas públicas brasileiras que venceram a segunda edição do concurso “Melhores Receitas de Alimentação Escolar” chegaram na segunda-feira (23) à República Dominicana para conhecer a experiência do país em alimentação escolar. A viagem faz parte do prêmio da disputa, concedido durante evento ocorrido em outubro do ano passado.

O concurso foi promovido pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), do Ministério da Educação (MEC), e teve o apoio do projeto de Fortalecimento de Programas de Alimentação Escolar na América Latina e no Caribe, do Programa de Cooperação Internacional Brasil – Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

Foto: Flickr (CC)/jvoves

Livros fortalecem diálogo e entendimento mútuo, diz UNESCO em dia mundial

Em mensagem para o Dia Mundial do Livro, lembrado nesta segunda-feira (23), a diretora-geral da UNESCO, Audrey Azoulay, defendeu que a data é uma celebração das liberdades humanas “mais essenciais”, como as liberdades de expressão e de publicação. Dirigente disse que os livros “permitem o compartilhamento de ideias e conhecimento através das fronteiras e fortalecem o entendimento mútuo e o diálogo”.

Luciana prepara seu arroz com partes de alimentos que são nutritivas, mas que são normalmente descartadas. Foto: PMA/Isadora Ferreira

Merendeira de Minas Gerais ajuda escola pública a reduzir desperdício de alimentos

Luciana Aparecida Pinheiro é merendeira de uma escola primária em São Sebastião do Paraíso, em Minas Gerais. A cozinheira criou uma receita de arroz com frango e partes de vegetais que normalmente são jogadas no lixo, como as folhas da beterraba e a casca da abóbora. O prato mudou o funcionamento da cozinha e os hábitos dos alunos e suas famílias.

No ano passado, a receita rendeu à Luciana o prêmio do Concurso Melhores Receitas da Alimentação Escolar, apoiado pela FAO e pelo Centro de Excelência contra a Fome da ONU.

Ouvir as necessidades das crianças e jovens é o primeiro passo para ajudá-los a crescerem saudáveis e seguros. Ao estabelecer regras de forma consistente, calma e amavelmente, é criado um ambiente seguro e saudável para a criança crescer. #EscutaPrimeiro – em inglês, #ListenFirst – é uma iniciativa do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC), Organização Mundial da Saúde (OMS) e parceiros que busca aumentar o apoio à prevenção do uso de drogas com base em evidências científicas, promovendo assim um investimento eficaz no bem-estar das crianças e jovens, suas famílias e comunidades.

VÍDEO: Ouvir as crianças e jovens significa mais saúde e segurança

Ouvir as necessidades das crianças e jovens é o primeiro passo para ajudá-los a crescerem saudáveis e seguros. Ao estabelecer regras de forma consistente, calma e amavelmente, é criado um ambiente seguro e saudável para a criança crescer.

#EscutaPrimeiro – em inglês, #ListenFirst – é uma iniciativa do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC), Organização Mundial da Saúde (OMS) e parceiros que busca aumentar o apoio à prevenção do uso de drogas com base em evidências científicas, promovendo assim um investimento eficaz no bem-estar das crianças e jovens, suas famílias e comunidades.

Acesse o vídeo da campanha e saiba mais aqui.

Com apoio do PNUD, Secretaria Municipal de Educação de Maceió marca início do ano escolar da rede. Foto: PNUD

Com apoio do PNUD, prefeitura de Maceió marca início de ano escolar na rede de ensino

Em cooperação técnica com a Secretaria Municipal de Educação de Maceió (SEMED), o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) promoveu na quinta-feira (5), em Maceió (AL), o Seminário de Volta às Aulas 2018 — que marca de modo simbólico o início do ano escolar da rede municipal de ensino. Nesta quarta edição, o seminário trouxe como tema a política municipal de educação de Maceió e o processo de universalização e inclusão.

Foto: Associação Jadir de Taekwondo

Projeto comunitário de taekwondo promove inclusão pelo esporte

No Rio de Janeiro, uma iniciativa de taekwondo já ajudou quase 6 mil crianças e adolescentes em 18 anos de atividade. O projeto dialoga com os objetivos da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.

Por meio da arte marcial coreana, a Associação Jadir de Taekwondo busca melhorar a qualidade de vida dos seus alunos, proporcionando acesso gratuito ao esporte, incentivando a cultura e oferecendo oportunidades de educação.

Confira neste vídeo produzido pelo Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio).

A empresa do setor elétrico Neoenergia firmou parceria com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) para promover os direitos das crianças e dos adolescentes no Semiárido brasileiro e disseminar conceitos do uso seguro e eficiente da energia elétrica. Foto: EBC

Neoenergia firma convênio com UNICEF para promover direitos de crianças e adolescentes

A empresa do setor elétrico Neoenergia firmou nesta quinta-feira (5) no Rio de Janeiro parceria com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) com o objetivo de promover os direitos das crianças e dos adolescentes no Semiárido brasileiro e disseminar conceitos de uso seguro e eficiente da energia elétrica.

A intenção é difundir, para professores dos municípios situados no Semiárido nordestino, orientações sobre uso eficiente da energia, alinhadas aos conhecimentos sobre os direitos da criança e do adolescente. O projeto deve mobilizar 150 escolas em municípios de Bahia, Pernambuco e Rio Grande do Norte.

Pessoas trans retomam estudos em centro comunitário de Buenos Aires

Kimi Avalos é uma jovem trans que mora em Buenos Aires, na Argentina. Por causa do estigma e da discriminação, ela não pôde continuar seus estudos e concluir o ensino médio.

Ela é uma das 30 alunas trans que iniciaram programa educacional implementado na Casa Trans, um centro comunitário para treinamento e capacitação de pessoas trans fundado na capital argentina. O relato é do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS).

Projeto do UNODC visa a prevenir a violência por meio das práticas esportivas. Foto: UNODC

ONU certifica 600 jovens em programa de prevenção à violência pelo esporte

O Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) celebrará na próxima segunda-feira (2) a formação de jovens no Programa “Vamos Nessa”, focado em prevenir a violência e a criminalidade por meio dos esportes. Entre março e dezembro de 2017, a iniciativa capacitou cerca de 600 jovens entre 11 e 17 anos, além de mais de 80 profissionais de Educação Física, no Distrito Federal e no Rio de Janeiro.

Secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, reúne-se com príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman Al Saud. Foto: ONU/Eskinder Debebe

ONU recebe US$1 bi de Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos para resposta à crise no Iêmen

O secretário-geral da ONU, António Guterres, manifestou profunda gratidão pelos 930 milhões de dólares fornecidos na terça-feira (27) por Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos para o Fundo Humanitário do Iêmen.

Na segunda-feira (26), três anos depois de uma coalizão liderada pela Arábia Saudita intervir na guerra no país, Guterres disse que a escalada militar não é solução para o conflito, e pediu contenção para as partes envolvidas.

Seminário em Salvador (BA) discutiu formas de impulsionar a alimentação escolar nos países de língua portuguesa. Foto: PMA

Países de língua portuguesa discutem alimentação escolar durante seminário em Salvador (BA)

Representantes dos ministérios da Educação de nove países que integram a Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) reuniram-se em Salvador (BA) em 14 e 15 de março para o “Seminário Internacional: Sustentabilidade dos Programas de Alimentação Escolar”.

Os participantes discutiram suas expectativas em relação aos programas de alimentação escolar, formas de melhorá-los e de aumentar as compras de alimentos de agricultores familiares. O seminário foi realizado com apoio do Centro de Excelência contra a Fome, uma parceria entre o governo brasileiro e o Programa Mundial de Alimentos (PMA) da ONU.

Lisiane Kaastrup é especialista de soluções da Microsoft e membro do Conselho Consultivo do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA). Foto: Acervo Pessoal

Profissionais negras demandam mais políticas afirmativas no mercado corporativo brasileiro

As empresas brasileiras e multinacionais com atuação no Brasil começaram a discutir o tema da diversidade de forma mais intensa nos últimos anos, mas falta adotarem políticas e métricas efetivas para aumentar a participação de profissionais negros, ainda extremamente baixa, especialmente nos cargos de liderança. A situação das mulheres negras é ainda mais preocupante.

A avaliação é de quatro profissionais negras e um negro ouvidos pelo Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio), segundo os quais o racismo permanece no mercado corporativo brasileiro, onde menos de 5% dos executivos são afrodescendentes, segundo dados do Instituto Ethos. Quando se fala de mulher negra, o percentual é de apenas 0,4%.

Laila Begum, de 25 anos, segura seu filho Josna Bibi de 10 meses. Foto: ACNUR/Roger Arnold

ONU precisa de US$951 milhões para ajudar refugiados rohingya em Bangladesh

Quando foram forçados a fugir da violência em Mianmar há seis meses, Mohammad Islam e sua família não tinham nada para comer e tiveram que dormir ao ar livre durante o período de ventos fortes.

Agora, morando em uma cabana coberta por um toldo da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), o refugiado rohingya de 45 anos fala sobre o auxílio que recebeu e a luta pela sobrevivência ao lado de sua mulher e de seus cinco filhos.

As agências da ONU, incluindo o ACNUR e seus parceiros, lançaram um apelo conjunto na sexta-feira (23) para arrecadar 951 milhões de dólares a fim de atender as necessidades de cerca de 900 mil refugiados rohingya e de mais de 330 mil bengalis vulneráveis ​​nas comunidades de acolhimento.

Contêineres interativos compõem a estrutura do projeto ‘Tô Dentro’, que trabalha com a prevenção do HIV entre jovens de Viamão (RS). Foto: UNAIDS Brasil

Exposição itinerante em Viamão conscientiza jovens sobre importância do cuidado com a saúde

Já imaginou entrar por uma porta e dar de cara com situações do cotidiano que envolvem sexualidade, só que com uma pitada a mais de interatividade, conectividade, acessibilidade e informação?

Foi essa a experiência vivida por mais de 4 mil jovens que já participaram do projeto ‘Tô Dentro’, da Secretaria de Saúde Municipal de Viamão (RS), uma das cidades signatárias da Declaração de Paris pela Aceleração da Resposta ao HIV.

Para a diretora do UNAIDS Brasil, Georgiana Braga-Orillard, falar a linguagem jovem é o grande mérito da ação. “Quando você se comunica na mesma linguagem, você consegue fazer o jovem entender que aquela mensagem de prevenção é para ele, que é diretamente com ele que queremos falar, e a informação é assimilada”, explicou durante visita ao projeto em Viamão.

O coordenador-residente do Sistema ONU e representante do PNUD no Brasil, Niky Fabiancic, durante abertura da Conferência Internacional da Primeira Infância. Foto: Beto Barata/PR

Políticas públicas para a primeira infância são tema de conferência internacional em Brasília

Compartilhar experiências e lições aprendidas com a ampliação de programas de desenvolvimento da primeira infância e estabelecer um consenso nacional duradouro em torno do programa ‘Criança Feliz’ é a proposta da Conferência Internacional da Primeira Infância, que teve início nesta terça-feira (20) em Brasília. Cinco organismos das Nações Unidas no Brasil apoiam o programa desde sua concepção, em 2016.

O evento marca o início da implementação, em Vitória, da estratégia de Busca Ativa Escolar, que ajuda a localizar meninos e meninas fora da escola. Foto: EBC

Prefeitura de Vitória adere a estratégia do UNICEF para localizar alunos fora da escola

Por que algumas crianças e adolescentes estão fora da escola ou não estão aprendendo na idade certa? Em busca de respostas e soluções para esses desafios, será realizado o 1º Diálogo Intersetorial para Enfrentamento da Exclusão Escolar de Crianças e Adolescentes.

Promovido pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e pela Prefeitura Municipal de Vitória, o encontro ocorre nesta quarta e quinta-feira (14 e 15). O evento marca também o início da implementação, em Vitória, da estratégia de Busca Ativa Escolar, que ajuda a localizar meninos e meninas fora da escola.

Diretora combate evasão escolar de meninas em escola no Tocantins. Foto: Juliana Braga/Banco Mundial

Com apoio do Banco Mundial, diretora combate evasão escolar de meninas no Tocantins

No Brasil, cerca de 22% dos jovens de 15 a 17 anos estão fora da escola. Entre as meninas, as causas incluem gravidez precoce, casamento infantil e prostituição.

No município de Pugmil, interior de Tocantins, a diretora da Escola Estadual Darcy Ribeiro, Elizete Viana, de 51 anos, tem feito da educação uma ferramenta para reverter esse quadro.

Por meio do projeto Desenvolvimento Regional Sustentável Integrado do Tocantins, realizado em parceria com o Banco Mundial, sua escola e outras cinco adotarão um programa de conscientização sobre a violência de gênero, seja física, psicológica ou sexual.

Foto: PMA/Carolina Montenegro

Fundo agrícola da ONU oferece conteúdo para capacitação de 150 merendeiras na Bahia

Cerca de 150 merendeiras de Salvador e Lauro de Freitas, na Bahia, aprenderão a utilizar produtos nativos da caatinga para preparar as refeições que são oferecidas na rede pública de ensino. Profissionais começam neste mês (9) um curso oferecido pelo governo estadual e inspirado pelas atividades do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA), agência da ONU que realiza ações para combater a miséria no semiárido brasileiro.

Refugiada somali após uma prova em escola no campo de refugiados de Dadaab, no Quênia. Foto: ACNUR/Tobin JonesRefugiada somali após uma prova em escola no campo de refugiados de Dadaab, no Quênia. Foto: ACNUR/Tobin Jones

Meninas refugiadas têm menos acesso à educação por serem mulher, diz ONU

Neste 8 de março, Dia Internacional das Mulheres, a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) cobra mais esforços e vontade política para levar educação às meninas e adolescentes em situação de deslocamento forçado. Em Uganda, Etiópia e Quênia, os três países que mais recebem refugiados na África, estudantes mulheres têm 50% menos chances do que os homens de frequentar o ensino fundamental II e o ensino médio.

Foto: Marcos Santos/USP Imagens

Banco Mundial aponta necessidade de reformas para impulsionar emprego no Brasil

Dois relatórios lançados pelo Banco Mundial nesta quarta-feira (7) em Brasília (DF) discutem caminhos para a criação de empregos de qualidade e para o crescimento econômico sustentável no Brasil.

O primeiro deles aborda a produtividade brasileira, que caiu 1% entre 1996 e 2015. Segundo o estudo, melhorá-la não significa fazer as pessoas trabalharem mais horas, mas aumentar a eficiência no uso dos recursos do país.

Participação de meninas em ciências exatas e tecnológicas é tema de edital da ONU Mulheres e parceiros. Foto: Fuzileiros Navais dos Estados Unidos/Ida Irby

Eventos no Rio discutem inserção de meninas nas ciências exatas e tecnológicas

Fundo ELAS, Instituto Unibanco, Fundação Carlos Chagas e ONU Mulheres promovem em março dois eventos no Rio de Janeiro para discutir equidade de gênero e raça na educação pública e a inserção de meninas nas ciências exatas e tecnológicas. Os eventos ocorrem de 19 a 21 de março e terão transmissão ao vivo pela Internet.

“As mudanças em termos de incentivo, investimentos e desenvolvimento técnico precisam acontecer agora. Só assim meninas e adolescentes poderão fazer parte da revolução digital que está acontecendo em todo o mundo”, declarou Nadine Gasman, representante da ONU Mulheres Brasil.

Evasão escolar é problema agravado por queda no orçamento familiar. Foto: EBC

Reduções na renda familiar aumentam evasão escolar no Brasil, aponta Banco Mundial

Banco Mundial indica que jovens de 15 a 25 anos vivendo em lares afetados por quedas nos rendimentos têm 2,3% mais chances de abandonar os estudos. Entre os que têm 18 anos, o índice sobe para 4,5%. O problema preocupa porque, em anos recentes, mais brasileiros viram sua renda encolher.

Segundo os números do organismo financeiro, de 2013 para 2014, o número de domicílios que enfrentaram cortes no orçamento familiar passou de pouco mais de 20% em 2013 para quase 30% em 2014.

Juan Pablo Bohoslavsky. Foto: ONU/Jean-Marc Ferré

Relator da ONU alerta para impacto negativo da austeridade fiscal nos direitos humanos

O impacto negativo das medidas de austeridade fiscal nos direitos humanos não pode continuar sendo ignorado, e as ações efetivas para reverter esse quadro não podem ser adiadas, disse nesta quarta-feira (28) o especialista da ONU sobre dívida externa, finanças e direitos humanos em Genebra, na Suíça.

Este é o primeiro relatório de uma série que busca enfatizar as deficiências das políticas de reforma econômica, tais como as medidas de austeridade, que têm graves consequências nos direitos humanos, em especial na segurança social, no trabalho, na saúde ou na moradia. Essas medidas também enfraqueceram as instituições democráticas, e podem derivar em insegurança, conflito e violência.

Novo relatório publicado por agências da ONU mostrou que taxa brasileira de gravidez na adolescência está acima da média latino-americana e caribenha. Foto: EBC

Taxa de gravidez adolescente no Brasil está acima da média latino-americana e caribenha

A América Latina e o Caribe continua sendo a sub-região com a segunda maior taxa de gravidez adolescente do mundo, afirmou relatório publicado nesta quarta-feira (28) por Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS), Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA).

A taxa mundial de gravidez adolescente é estimada em 46 nascimentos para cada 1 mil meninas entre 15 e 19 anos, enquanto a taxa na América Latina e no Caribe é de 65,5 nascimentos, superada apenas pela África Subsaariana. No Brasil, a taxa é de 68,4 nascimentos para cada 1 mil adolescentes.