Educação de qualidade

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número 4 diz: “Assegurar a educação inclusiva e equitativa e de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos”.

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número 4 diz: “Assegurar a educação inclusiva e equitativa e de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos”.

 

Mais sobre este ODS em https://nacoesunidas.org/pos2015/ods4 e notícias sobre o tema abaixo.

Crianças e adolescentes no Brasil (82%), na Nigéria (77%) e no México (74%) são os mais preocupados com a violência que afeta meninas e meninos. Foto: Agência Brasil

Crianças brasileiras preocupam-se mais com a violência, diz pesquisa do UNICEF

Pesquisa realizada pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) com crianças e adolescentes de 14 países mostrou que eles estão muito preocupados com questões globais que afetam suas vidas, incluindo violência, terrorismo, conflitos e guerras.

A violência contra crianças e adolescentes foi a maior preocupação, com 67% relatando ser muito preocupante. As crianças e os adolescentes no Brasil (82%), na Nigéria (77%) e no México (74%) são os mais preocupados com essa questão.

A pesquisa ouviu mais de 11 mil pessoas entre 9 e 18 anos e foi lançada na ocasião do Dia Mundial da Criança, lembrado nesta segunda-feira (20).

Foto: Gregoire Gauthier e Satoshi Ogita

Banco Mundial financia transporte rodoviário e serviços públicos no Tocantins

O Banco Mundial financia o Projeto de Desenvolvimento Regional Integrado e Sustentável (PDRIS) no Tocantins, cujo objetivo é promover uma maior eficácia do transporte rodoviário e uma maior eficiência dos serviços públicos no estado.

Segundo o organismo internacional, o aumento da eficácia dos serviços de transporte rural melhorará a acessibilidade das populações remotas do estado e, ao mesmo tempo, promoverá a integração econômica regional.

Aluno de Marabá apresenta o resultado de atividades realizadas em sala de aula com a metodologia ECOAR. Foto: Magno Barros

OIT capacita educadores do Pará no combate ao trabalho infantil

Após dois meses de atividade em sala de aula, alunos das redes de escolas municipais de Marabá e Xinguara — localizados na região de Carajás, no sudeste do Pará — apresentaram os resultados alcançados com a metodologia Educação, Comunicação e Arte na Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (ECOAR), uma estrutura multidisciplinar que estimula o debate, a criatividade nas práticas escolares para a conscientização e o enfrentamento do trabalho infantil.

Desenvolvido pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), o ECOAR é um material didático composto por 18 módulos. Ele permite que educadores trabalhem temas relacionados aos direitos humanos das crianças em suas atividades educativas, estimulando o protagonismo de meninas e meninos, propondo o debate e disseminando práticas que promovam a prevenção e a eliminação do trabalho infantil.

Para a UNESCO, a tolerância deve se traduzir em uma oposição contra todas as formas de discriminação. Imagem: ONU

Em dia mundial, UNESCO chama cidadãos a combater todas as formas de discriminação e ódio

Em mensagem para o Dia Internacional para a Tolerância, lembrado nesta semana (16), a nova diretora-geral da UNESCO, Audrey Azoulay, alertou para a ascensão de políticas de exclusão que dividem sociedades e rejeitam a diversidade.

Dirigente fez um chamado para que a tolerância não seja praticada simplesmente como “a aceitação passiva do outro”. Ao contrário, ela deve se traduzir em uma oposição a “todas as formas de racismo, ódio e discriminação”, incluindo o antissemitismo.

Alimentação escolar é crucial para atingir o objetivo global da ONU número dois, de fome zero. Foto: PMA/Alexandra Hilliard

Ministros africanos endossam estudo sobre alimentação escolar; experiência brasileira foi inspiração

Centro de Excelência contra a Fome do Programa Mundial de Alimentos da ONU (PMA), em colaboração com o Escritório do PMA para a África, realizou o estudo, após o Departamento da Recursos Humanos, Ciência e Tecnologia da Comissão da União Africana ter realizado uma visita de estudos ao Brasil para conhecer a experiência brasileira de alimentação escolar vinculada à agricultura local.

O Centro de Excelência contra a Fome contribuiu para mudar o entendimento de governos de cerca de 30 países sobre o potencial da alimentação escolar. Foto: Jaelson Lucas/SMCS

Centro de Excelência contra a Fome completa seis anos de existência

O Centro de Excelência contra a Fome — fruto de uma parceria entre o governo brasileiro e o Programa Mundial de Alimentos (PMA) das Nações Unidas — celebrou seu sexto aniversário no início de novembro (7).

Durante esse período, a organização realizou iniciativas de Cooperação Sul-Sul com mais de 50 países, em áreas como segurança alimentar, nutrição e proteção social. Também ofereceu oportunidades de aprendizagem e assistência técnica a 30 países para ajudá-los a elaborar e implementar programas sustentáveis de alimentação escolar.

A francesa Audrey Azoulay foi nomeada diretora-geral da UNESCO. Foto: ONU/Manuel Elias

Ex-ministra da cultura francesa é nomeada chefe da UNESCO

Os Estados-membros da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) nomearam na sexta-feira (10) Audrey Azoulay, ex-ministra da cultura francesa, para o principal cargo na agência.

Nascida em 1972, Audrey Azoulay atuou como ministra da Cultura da França de fevereiro de 2016 a maio de 2017. Ela é formada em administração pública pela Escola Nacional de Administração da França, tem MBA pela Universidade de Lancaster (Reino Unido) e um diploma em ciência política pelo Instituto de Estudos Políticos de Paris (Sciences Po).

Dada, de 15 anos, segura sua filha de 18 meses em Maiduguri, estado de Borno, nordeste da Nigéria. Foto: UNICEF

Fim do casamento infantil na África Ocidental e Central pode levar 100 anos, alerta UNICEF

A menos que os progressos sejam acelerados, o fim do casamento infantil na África Ocidental e Central levará mais de 100 anos, com consequências profundas para milhões de meninas e forte impacto na prosperidade da região, alertou o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) no fim de outubro (24).

A África Ocidental e Central inclui seis dos dez países com maior prevalência de casamento infantil no mundo: Níger, República Centro-Africana, Chade, Mali, Burkina Faso e Guiné.

Foto: Fora do Eixo (CC)

Homicídio de jovens no Brasil é parte de uma série de violações de direitos, diz agência da ONU

A cada 23 minutos, um jovem negro é assassinado no Brasil. Segundo dados do Ministério da Saúde, das 60 mil pessoas assassinadas por ano no país, 67,9% têm entre 15 e 19 anos e, destes, 71,5% são negros e negras. Entre a população jovem negra assassinada, 93,4% são do sexo masculino.

Para o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), os homicídios são a ponta do iceberg de uma série de violações de direitos da juventude. “É necessário fortalecer trajetórias e investir em juventude, incluindo uma vida sem discriminação e violência, sem racismo, com o devido acesso à Justiça, à educação de qualidade, à saúde e ao emprego digno”, afirmou Anna Cunha, oficial de programa da agência da ONU.

Brigitte Marcon, primeira-dama da França, ao lado de Michel Sidibé, diretor-executivo do UNAIDS. Foto: UNAIDS

Chefe de agência da ONU se reúne com primeira-dama francesa para discutir prevenção do HIV

Em visita a Paris, o diretor-executivo do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS), Michel Sidibé, reuniu-se com a primeira-dama da França, Brigitte Macron, para conversar sobre educação e prevenção de doenças sexualmente transmissíveis. Na África Subsaariana, pesquisas em 35 países mostraram que apenas 36% dos jovens homens e 30% das jovens mulheres identificaram corretamente as formas de prevenir a transmissão sexual do HIV.

Trigésima nona sessão da Conferência Geral da UNESCO teve início nesta terça-feira (31), em Paris. Foto: UNESCO

Delegações de países se reúnem em Paris para definir orçamento e futuro da UNESCO

Teve início nesta terça-feira (31), em Paris, a 39ª sessão da Conferência Geral da UNESCO. Reunião é responsável por definir o orçamento e as atividades da agência da ONU pelos próximos dois anos. Chefes de Estado e ministros participaram da abertura evento, que promoverá debates sobre educação, ciência, cultura e comunicação.

No dia 10 de novembro, representantes dos países-membros decidirão se endossam a indicação do Conselho Executivo da UNESCO para que a francesa Audrey Azoulay assuma o posto de diretora-geral.

Projeto 'Vamos Nessa', do UNODC, usa esporte para promover uma cultura de paz e desenvolver habilidades pessoais entre jovens vivendo em situações de vulnerabilidade. Foto: UNODC/Kevin Town

Escritório da ONU e CBF promovem seminário no Rio sobre prevenção da violência por meio do esporte

O Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) e a Confederação Brasileira de Futebol (CBF Social) realizam nessa terça-feira (31) um seminário sobre o esporte como ferramenta para a construção da paz, especialmente em comunidades vulneráveis. Encontro contará com representantes do município do Rio de Janeiro, de organizações internacionais e do terceiro setor. O evento ocorre no auditório da CBF do estado do Rio de Janeiro.

Foto: EBC

Relatório do Banco Mundial mostra disparidades entre estudantes ricos e pobres globalmente

As sensações de fracasso e impotência, entre outras, acompanham milhões de estudantes de países em desenvolvimento que não sabem ler, escrever ou fazer uma operação de aritmética, mesmo após vários anos de escolarização. Além de nascerem em desvantagem devido à pobreza, ao gênero ou a uma deficiência, eles chegam à idade adulta sem as aptidões mais básicas para a vida.

Alguns dados do mais recente Relatório de Desenvolvimento Global (WDR 2018, na sigla em inglês), do Banco Mundial, revelam as disparidades que existem entre os estudantes ricos e pobres de um mesmo país e entre esses mesmos alunos e os de uma economia desenvolvida. 

Gustavo Chianca lembra que os programas de alimentação escolar foram umas das estratégias responsáveis por tirar o Brasil do Mapa da Fome. Foto: FAO/Thays Puzzi

Merendeiras brasileiras são premiadas em concurso apoiado pela ONU

“Como é servir um alimento na escola? É servir com o coração, com amor. A gente pega o alimento na mão e sabe que tem centenas de crianças esperando por aquela refeição”. É assim que a merendeira Daniela Fernando Felizardo, de Bento Gonçalves, no Rio Grande do Sul, descreve seu trabalho rotineiro.

Ela é uma das cinco vencedoras do concurso Melhores Receitas da Alimentação Escolar, iniciativa do Ministério da Educação que contou com apoio do Centro de Excelência contra a Fome do Programa Mundial de Alimentos da ONU (PMA), da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), do Sebrae e da Caixa.

Ganhadoras foram premiadas em cerimônia na quinta-feira (26), em Brasília.

Participantes do XIII Encontro Nacional das Redes Solidárias para Migrantes e Refugiados estiveram juntos nos dias 17, 18 e 19 de outubro em Brasília. Foto: Victoria Hugueney.

Evento em Brasília reúne propostas para ampliar acesso de migrantes à educação e ao trabalho

Organizações que atuam na proteção, integração e defesa dos direitos de pessoas refugiadas e migrantes apresentaram durante evento em Brasília (DF) na semana passada sugestões para ampliar o acesso dessa população ao ensino superior e ao mercado de trabalho.

No evento, uma mesa de debates sobre a situação migratória de venezuelanos reuniu representantes da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), da Polícia Federal e do Ministério Público do Trabalho, além de voluntários que atuam na linha de frente em Roraima. O encontro teve o apoio da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e da Organização Internacional para as Migrações (OIM).

Erradicação da pobreza é o Objetivo do Desenvolvimento Sustentável (ODS) número 1. Foto: EBC

CEPAL: acesso a serviços básicos e trabalho decente ainda é desafio na América Latina

Ao examinar pesquisas domiciliares de 17 países da América Latina no período 2002-2015, a Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) concluiu que “menos de três em cada 10 lares latino-americanos estão em situação de níveis mínimos de dupla inclusão, ou seja, satisfazem os níveis mínimos de inclusão social e laboral simultaneamente”.

O conceito de dupla inclusão — social e laboral — remete, por um lado, ao acesso universal à educação, à saúde e à proteção social, assim como à infraestrutura básica (energia, água potável e saneamento), e, por outro, ao trabalho decente, ou seja, a empregos de qualidade, remunerados em condições dignas, com acesso a direitos e à proteção social.

O edital Gestão para Equidade: ELAS nas Exatas, parceria do Fundo ELAS, Instituto Unibanco e Fundação Carlos Chagas pela redução do impacto das desigualdades de gênero nas escolhas profissionais e no acesso à educação superior das estudantes, lança seu segundo edital para apoiar novos projetos em todo o Brasil. Nessa segunda edição, o ELAS nas Exatas conta também com o apoio da ONU Mulheres.

ONU Mulheres recebe projetos para ampliar inserção de meninas nas ciências exatas e tecnológicas

O Fundo ELAS, o Instituto Unibanco e a Fundação Carlos Chagas lançaram edital para apoiar novos projetos em todo o Brasil que visem à redução das desigualdades de gênero nas escolhas profissionais e no acesso à educação superior. As inscrições podem ser feitas até 28 de novembro.

A segunda edição do edital, apoiado pela ONU Mulheres, pretende favorecer a inserção das meninas nas áreas de ciências tecnológicas e exatas por meio da promoção da equidade de gênero e do reconhecimento da escola como um espaço estratégico para essa transformação.

UNICAMP assinou convênio para se integrar à Cátedra Sérgio Vieira de Mello do ACNUR. Foto: EBC

UNICAMP incorpora-se à Cátedra Sérgio Vieira de Mello da ONU

A Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) é a mais recente instituição de ensino superior a se incorporar à Cátedra Sérgio Vieira de Mello (CSVM) da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), que promove educação, pesquisa e extensão acadêmica voltada à população em condição de refúgio.

Para a representante do ACNUR no Brasil, Isabel Marquez, a iniciativa prova o compromisso das universidades locais de promoverem pesquisas sobre temas globais, como o refúgio, permitindo o avanço da agenda de direitos humanos em todas as suas frentes.

Marcha das Margaridas de Brasília em 2015. Foto: ONU Mulheres/Isabel Clavelin

ONU alerta para violência contra mulheres nas comunidades rurais

A violência afeta todos os grupos de mulheres e meninas, independentemente da renda, idade ou educação. No entanto, aquelas que vivem em áreas rurais enfrentam diferentes riscos e desafios na resposta à violência. O contexto rural inclui elevados níveis de pobreza, menor acesso à educação superior e ao trabalho decente, menor capacitação econômica e proteção social, o que aumenta ainda mais a vulnerabilidade de mulheres que estão em relacionamentos abusivos.

O tema é destaque do Dia Laranja Pelo Fim da Violência contra as Mulheres, lembrado a cada dia 25 pelas agências das Nações Unidas no Brasil, em especial pela ONU Mulheres.

Foto: Arquivo/Seed/Sergipe

Relatório da UNESCO destaca responsabilidade dos governos em oferecer educação universal de qualidade

Relatório de monitoramento global divulgado pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) nesta terça-feira (24) destaca a responsabilidade dos governos em fornecer uma educação universal de qualidade, enfatizando que a responsabilização é indispensável para alcançar esse objetivo.

Globalmente, menos de 20% dos países garantem legalmente 12 anos de educação gratuita e obrigatória. Atualmente, há 264 milhões de crianças e jovens fora da escola no mundo, e 100 milhões de jovens são incapazes de ler, de acordo com a agência das Nações Unidas.

Educação para o desenvolvimento sustentável foi tema de encontro de 44 jovens latino-americanos em Brasília. Foto: UNESCO

Iniciativa apoiada pela UNESCO reúne 44 jovens latino-americanos em Brasília para discutir sustentabilidade

Quarenta e quatro jovens lideranças, vindas de 13 países da América Latina e Caribe, foram a Brasília para um workshop promovido pela UNESCO e parceiros. O objetivo do encontro: entender como é possível usar a educação para promover o desenvolvimento sustentável. Participantes receberam orientações para resolver, em suas comunidades, problemas sobre gestão responsável de recursos naturais. Turma também visitou a Chapada Imperial.

Menina em sala de aula na Guatemala. Na América Latina e no Caribe, mais de 78% das mulheres com emprego ocupam postos de setores da economia considerados de baixa produtividade. Foto: Banco Mundial/Maria FleischmannMenina em sala de aula na Guatemala. Na América Latina e no Caribe, mais de 78% das mulheres com emprego ocupam postos de setores da economia considerados de baixa produtividade. Foto: Banco Mundial/Maria Fleischmann

Banco Mundial: América Latina ampliou educação, mas população pobre ainda tem menos oportunidades

Na América Latina e Caribe, apenas 50% das crianças de três anos de idade oriundas dos 20% mais pobres está na escola. No caso dos meninos e meninas que fazem parte dos 20% mais ricos, a taxa sobe para 90%. Em faixas etárias mais avançadas, disparidades também podem ser observadas. Em média, apenas 20% dos adultos de 21 anos de idade estão na escola. Todavia, entre os 20% mais ricos, o índice chega a 60%. Dados são de uma nova análise do Banco Mundial sobre acesso a educação.

A cidade de São Paulo é um dos principais destinos de migrantes sul-americanos. Foto: Agência Brasil

Relatório reúne informações para cidades do Mercosul elaborarem políticas de atendimento a migrantes

O Instituto de Políticas Públicas em Direitos Humanos (IPPDH) do Mercosul publicou relatório com informações úteis para a formulação e implementação de políticas públicas de promoção e proteção dos direitos humanos dos migrantes em cidades do bloco.

O estudo, apoiado pelo escritório regional para a América do Sul da Organização Internacional para as Migrações (OIM), analisou as políticas adotadas em São Paulo para o acolhimento de migrantes sul-americanos.

UNESCO lança na terça-feira (24) Relatório de Monitoramento Global da Educação

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) lançará mundialmente na terça-feira (24) o Relatório de Monitoramento Global da Educação 2017/2018, cujo tema é “Responsabilização na educação: cumprir nossos compromissos”. Pela primeira vez, o lançamento mundial acontecerá também no Brasil, em evento em Brasília que terá transmissão ao vivo pela Internet.

O documento monitora as novas metas globais de educação das Nações Unidas, consolidadas no Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) número 4, que prevê assegurar a educação inclusiva e equitativa e de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todas e todos.

Família pede ajuda nas ruas da cidade de Secunda, na província sul-africana de Mpumalanga. Foto: Jan Truter (CC, Flickr)

FMI discute ferramentas de política fiscal para crescimento inclusivo

Em relatório divulgado na quinta-feira (12), o Fundo Monetário Internacional (FMI) afirmou que as crescentes desigualdades e a desaceleração econômica no mundo todo ampliaram as discussões sobre políticas de apoio ao crescimento inclusivo.

Citando programas de transferência de renda da América Latina, como o brasileiro Bolsa Família, o relatório discute políticas fiscais de redução das desigualdades, entre elas a maior tributação do topo da pirâmide, a introdução da renda mínima universal e maiores investimentos em saúde e educação.

Delegação da Guiana conheceu escolas e propriedades rurais de agricultores familiares. Foto: FAO/Fernanda Baldo

Delegação da Guiana visita Espírito Santo para conhecer alimentação escolar do Brasil

Para conhecer o Programa de Alimentação Escolar do Brasil (PNAE), representantes do governo da Guiana viajaram até Vitória, no Espírito Santo, onde puderam ver em primeira mão como a agricultura familiar é inserida nas cadeias de abastecimento dos colégios públicos brasileiros. Na capital capixaba, durante os 200 dias letivos do ano, são servidas cerca de 23 milhões de refeições aos estudantes das 103 unidades de ensino.

Viagem ocorreu dos dias 10 a 11 de outubro e foi promovida pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), com apoio do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

Campanha Liberdade para as Meninas, do UNICEF e da iniciativa Global Goas. Imagem: Global Goals

UNICEF e Beyoncé se unem pela liberdade das meninas

Para lembar o Dia Internacional das Meninas, observado neste 11 de outubro, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) lançou a iniciativa “Liberdade para as Meninas”, projeto de conscientização online que recebeu o apoio da cantora Beyoncé Knowles. O vídeo da campanha mostra jovens de diferentes partes do mundo dançando ao som de “Freedom”, hit da artista norte-americana. Agência da ONU convoca todos a lutar por um mundo mais justo, sem desigualdades de gênero.