Educação de qualidade

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número 4 diz: “Assegurar a educação inclusiva e equitativa e de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos”.

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número 4 diz: “Assegurar a educação inclusiva e equitativa e de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos”.

 

Mais sobre este ODS em https://nacoesunidas.org/pos2015/ods4 e notícias sobre o tema abaixo.

Uma mulher vende vegetais na Gâmbia. Foto: FAO/Seyllou Diallo

Gâmbia discute impactos de programa de aquisição de alimentos no país

A Gâmbia realizou no início de maio (9 e 10) uma consulta nacional para discutir os impactos do Programa de Aquisição de Alimentos para a África (PAA África), uma iniciativa do Programa Mundial de Alimentos (PMA), da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), do Brasil e de nações africanas parceiras para conectar a agricultura familiar a ações de compras públicas de comida.

Menino durante ato contra a violência nas favelas do Rio de Janeiro. Foto: Mídia Ninja

CEPAL lança relatório sobre desenvolvimento social da América Latina e Caribe na terça-feira (30)

A Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) divulgará na próxima terça-feira (30) a nova edição de seu principal relatório anual sobre temas de desenvolvimento social. O documento ‘Panorama Social da América Latina 2016’ será lançado pela secretária-executiva da CEPAL, Alicia Bárcena, em coletiva de imprensa na sede do organismo regional, em Santiago do Chile.

Para a OIT, mudanças no mercado de trabalho demandam novas formas de governança para garantir emprego decente para todas e todos. Foto: Marcos Santos/USP Imagens

Transformações do trabalho demandam garantia de direitos, dizem especialistas

O papel do trabalho na sociedade contemporânea passa por transformações significativas, impulsionadas principalmente pelas tecnologias de informação e comunicação e pela crescente flexibilização das relações trabalhistas. Tais mudanças demandam novas formas de governança com vistas a garantir o trabalho decente para todas e todos nas próximas décadas.

Essa foi a conclusão de pesquisadores e especialistas reunidos na quinta-feira (18) no Rio de Janeiro para o “4º Diálogo Nacional sobre o Futuro do Trabalho”, promovido pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) em parceria com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA).

Estudante na Universidade Católica do Peru. Foto: Banco Mundial/Dominic Chavez

Banco Mundial: 25% dos universitários da América Latina e Caribe são de média e baixa renda

Número foi estimado pelo Banco Mundial a partir de dados de 2013 e representa um avanço na ampliação do acesso ao ensino superior — em 2000, as pessoas mais pobres representavam apenas 16% dos estudantes de universidades da região. Apesar dos progressos, o organismo internacional alerta que apenas a metade dos universitários da América Latina e Caribe se forma, o que indica a necessidade de bons sistemas de financiamento para os estudantes de baixa renda.

Prêmio Itaú-Unicef prorroga prazo de inscrições para 2 de junho

A 12ª edição do Prêmio Itaú-UNICEF prorrogou o prazo de inscrições e receberá candidaturas até as 23h59 de 2 de junho. Com o tema “Educação integral: parcerias em construção”, premiação busca dar visibilidade para iniciativas de cooperação entre organizações da sociedade civil e escolas públicas que somam esforços para promover o desenvolvimento integral de crianças, adolescentes e jovens em condições de vulnerabilidade social.

Refugiadas receberam informações sobre acesso a ensino superior, técnico e profissionalização no Brasil. Foto: Rede Brasil Pacto Global/Fellipe Abreu

Refugiadas vivendo em São Paulo recebem orientações para ingressar no ensino superior e técnico

Na semana passada, em São Paulo, refugiadas da Síria, República Democrática do Congo, Colômbia, Nigéria e Moçambique participaram de mais uma rodada do projeto “Empoderando Refugiadas”, coordenado pela ONU.

Foi o terceiro encontro da iniciativa em 2017. No evento, realizado na sede da consultoria jurídica EMDOC, estrangeiras conheceram oportunidades de capacitação em universidades brasileiras e outras instituições.

Imagem: UNFPA/Museu do Amanhã

Museu do Amanhã e UNFPA realizam seminário para discutir o futuro das meninas brasileiras

A importância do investimento e da proteção das meninas brasileiras será tema do seminário ’10 meninas na construção dos amanhãs’, que acontece no dia 26 de maio, no auditório do Museu do Amanhã. Evento é aberto ao público e a jornalistas.

Encontro de especialistas reunirá jovens de realidades socioeconômicas distintas para abordar obstáculos à plena realização das meninas. Seminário também terá a presença da astrônoma brasileira Duília de Mello, que falará sobre como se tornou uma cientista da NASA.

Em Belo Horizonte, jovens realizam uma partida de 'queimado' temática, para discutir questões de gênero e orgulho LGBTI. Imagem de 2016. Foto: Mídia Ninja (CC)

Em dia internacional, ONU defende igualdade de direitos e mais acesso a serviços para pessoas LGBTI

Por ocasião do Dia Internacional contra a Homofobia, a Transfobia e a Bifobia, lembrado nesta quarta-feira (17), dirigentes da ONU fizeram um apelo por mais respeito ao amor em toda a sua diversidade. Agências da ONU defenderam o fim da discriminação, ainda responsável por excluir pessoas LGBTI dos serviços de saúde, do mercado de trabalho e da proteção institucional para famílias e casais.

No Brasil, representantes das Nações Unidas alertaram para a violência motivada pela orientação sexual em evento na sede nacional do organismo, localizada em Brasília.

Iniciativa do UNODC envolve comunidades locais, atuando em centros esportivos e escolas. Foto: UNODC

Agência da ONU reúne jovens em Brasília para discutir violência, criminalidade e uso de drogas

O Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crimes (UNODC) promoveu na segunda-feira (16) em Brasília o evento Diálogos da Juventude, que reuniu crianças e adolescentes de 11 a 17 anos em Brasília (DF) para compartilhar opiniões e experiências pessoais com relação a violência, criminalidade e drogas.

A atividade faz parte do programa “Vamos Nessa” (Line Up, Live Up, na versão em inglês), iniciativa global do UNODC para a prevenção da violência e da criminalidade entre jovens por meio da prática esportiva.

Agricultores com seus animais, Mongu, na região ocidental da Zâmbia. Foto: Felix Clay/Duckrabbit, 2012 (Flickr/CC)

Agroindústria poderá expulsar camponeses de suas terras na Zâmbia, alerta relatora da ONU

“Muitos camponeses são forçados a trabalhar como agricultores contratados para as grandes fazendas industriais comerciais em condições adversas, ou são forçados a vender seus produtos a preços desvalorizados para multinacionais que detêm monopólios e que compram produtos para exportação”, explicou alertou a relatora especial das Nações Unidas para o Direito à Alimentação, Hilal Elver.

Juan Carlos Tedesco. Foto: UNESCO

UNESCO no Brasil lamenta a morte do intelectual argentino Juan Carlos Tedesco

A UNESCO no Brasil emitiu na quinta-feira (11) uma nota de pesar pela morte do argentino Juan Carlos Tedesco, intelectual, docente e ex-ministro da Educação de seu país de origem durante o período de 2007 a 2009. Em comunicado, a agência das Nações Unidas descreveu Tedesco como alguém que “trabalhou sempre com a premissa de que a educação de qualidade para todos é condição indispensável para atingirmos a justiça social”.

O documento consolida o Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) e 170 indicadores socioeconômicos para o Brasil. Foto: EBC

Grupos vulneráveis têm melhora no IDH municipal, mas desigualdades persistem no Brasil

Relatório lançado nesta quarta-feira (10) pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) mostrou que houve melhora do Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) entre os grupos mais vulneráveis — como mulheres, negros e população rural — entre 2000 e 2010.

No entanto, as desigualdades persistem. Apesar de diferença entre o IDHM de negros e brancos ter se reduzido pela metade no intervalo de dez anos, o IDHM da população negra era 14,4% inferior ao dos brancos em 2010.

O Centro de Excelência contra a Fome apoia países africanos a reproduzir iniciativas brasileiras de alimentação escolar. Na imagem, criança se alimenta em centro do Programa Mundial de Alimentos na Região das Nações, Nacionalidades e Povos do Sul (SNNPRS), na Etiópia. Foto: PMA/Silvanus Okumu

Especialistas discutem benefícios da alimentação escolar vinculada à agricultura familiar

A alimentação escolar vinculada à agricultura familiar tem múltiplos benefícios, especialmente quando adotada em uma abordagem multissetorial. Essa foi a conclusão de oficina realizada na Etiópia no início de maio, que discutiu os impactos do programa PAA África no país.

Implementado na Etiópia em 2012, o PAA África ajudou a desenhar o programa de alimentação escolar do país, com apoio do governo brasileiro, do Programa Mundial de Alimentos (PMA), da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e de outros parceiros.

Aplicativo ajudará pais e mães a acompanharem alimentação dos filhos na escola. Foto: PEXELS

Com apoio da UNESCO, São Paulo seleciona equipe para desenvolvimento de aplicativo sobre cardápio escolar

Até 21 de maio, profissionais que queiram melhorar a educação pública por meio da tecnologia podem se inscrever na 1ª Seleção de Inovação Tecnológica do Pátio Digital. O desafio proposto pelo concurso é o desenvolvimento de um aplicativo para tornar a informação sobre o cardápio escolar mais acessível. A competição é uma iniciativa da Secretaria Municipal de Educação de São Paulo e conta com o apoio da UNESCO.

Foto do 14º Acampamento Terra Livre, em abril de 2017, em Brasília. Crédito da foto: Apib Comunicação/Flickr/CC

Brasil recebe centenas de recomendações para combater violações aos direitos humanos

Estados-membros das Nações Unidas fizeram nesta terça-feira (9) mais de 240 recomendações de direitos humanos ao Brasil, em meio à Revisão Periódica Universal (RPU).

Grande parte das recomendações refere-se à segurança pública. Os países pediram uma reformulação do sistema penitenciário brasileiro e o combate à violência e ao abuso policial, especialmente contra a população negra e pobre.

Os países também pediram o combate à violência contra os povos indígenas, o impulso à demarcação de terras e a participação dessa população nas decisões.

Leia aqui reportagem completa com todas as principais recomendações feitas ao Brasil por mais de cem países.

Crianças recebem alimentação em escola na Bolívia. Foto: PMA/Boris Heger

Brasil responde por quase metade das crianças da América Latina e Caribe beneficiadas por alimentação escolar

Representantes de governos, da ONU, do setor privado e da academia reuniram-se na Cidade do México, em abril, para o VIII Seminário de Alimentação Escolar para a América Latina e o Caribe. Na região, 85 milhões de crianças recebem refeições diariamente em centros de ensino. Apenas no Brasil, 41,5 milhões de estudantes da rede pública são beneficiados por iniciativas de alimentação escolar, segundo dados de 2015 coletados pelo Programa Mundial de Alimentos (PMA).

A refugiada síria e ativista pela educação, Muzoon Almellehan, visita

Conflitos armados deixam 25 milhões de crianças fora da escola, diz UNICEF

Em 22 países, conflitos armados e violência deixam mais de 25 milhões de crianças de seis a 15 anos fora da escola. O número equivale a 22% do total de jovens nesta faixa etária. É o que revela um novo levantamento do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), divulgado na terça-feira (25). Segundo a agência da ONU, meninas são desproporcionalmente afetadas pelo abandono escolar motivado por guerras.

Crianças fazem atividades físicas e lúdicas em escola em Joinville, Santa Catarina. Foto: Na Lata/Geração Movimento

Iniciativa premiada pelo PNUD leva atividades físicas para aulas de diferentes disciplinas

Em Joinville, em Santa Catarina, e no Sumaré, em São Paulo, o projeto Geração Movimento mostrou que as atividades físicas podem fazer parte do ensino de todas as matérias escolares. Através da capacitação de professores, iniciativa fomentou planos de aula interdisciplinares e diversificou as práticas corporais propostas para os alunos.

Projeto alcançou mais de 18 mil estudantes desde sua criação, em 2015, e foi reconhecido no ano passado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

Relatório da CEPAL mostrou que número de lares conectados à Internet na região da América Latina e do Caribe subiu 14,1% anualmente nos últimos cinco anos. Foto: EBC

Países latino-americanos e caribenhos avaliam impactos socioeconômicos das novas tecnologias

Para aproveitar a chamada quarta revolução industrial e evitar serem arrasados pelo “tsunami” tecnológico, os países latino-americanos e caribenhos devem entender primeiro do que se trata esse processo global, identificar os setores que podem se nutrir das novas tecnologias e avaliar os possíveis benefícios e custos de sua utilização.

A análise foi feita por autoridades e especialistas no Fórum de Países da América Latina e do Caribe sobre o Desenvolvimento Sustentável, realizado na Cidade do México, e que teve a participação da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL).

Imagem: Vídeo do 18º Prêmio Arte na Escola Cidadã

Abertas inscrições para premiação sobre ensino de arte nas escolas brasileiras

Até 28 de maio, professores de arte poderão se inscrever no 18º Prêmio Arte na Escola Cidadã, uma iniciativa do Instituto Arte na Escola em cooperação com a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) no Brasil e com o Banco Bradesco. Premiação vai reconhecer projetos desenvolvidos em diferentes níveis de ensino. No Brasil, existem mais de 500 mil docentes ministrando a disciplina de artes na educação básica.

Campus da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), que oferece vagas presenciais em mais de 60 cursos para pessoas reconhecidas como refugiadas no Brasil. Foto: CCSUFSCar/Matheus M. Ramos

UFSCar abre inscrições para seleção de refugiados em 65 cursos presenciais de graduação

A Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) divulgou nesta semana o edital de seleção para pessoas em situação de refúgio que desejam fazer os cursos de graduação presenciais nos campi São Carlos, Araras, Sorocaba e Lagoa do Sino — todos no interior do estado de São Paulo. São 65 formações disponíveis. Para cada curso ofertado, há uma vaga reservada exclusivamente para estudantes refugiados.

Instituição faz parte da Cátedra Vieira de Mello, uma iniciativa da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) para ampliar o debate acadêmico sobre deslocamento forçado e garantir o acesso de refugiados ao ensino superior.

Imagem: UIT

Em dia mundial, agência da ONU encoraja mulheres e meninas a participar do mercado de tecnologia

A desigualdade de gênero também é um obstáculo na hora em que mulheres decidem acessar a rede mundial de computadores ou planejar uma carreira na área de tecnologia. Segundo a União Internacional de Telecomunicações, há 257 milhões a menos de usuárias de internet na comparação com os homens conectados.

Para reverter esse cenário, a agência da ONU lembra, neste 27 de abril, o Dia das Meninas na área de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC), com atividades de capacitação em diferentes partes do mundo, incluindo no Brasil.

Braulina Aurora Baniwa, presidenta da Associação de Estudantes Indígenas da Universidade de Brasília. Foto: ONU Mulheres

‘Escolas têm que pautar questão da violência contra mulheres indígenas’, diz liderança

Na ocasião do Dia Laranja Pelo Fim da Violência contra Mulheres, lembrado a cada dia 25, a ONU Mulheres entrevistou Braulina Aurora Baniwa, presidenta da Associação de Estudantes Indígenas da Universidade de Brasília (AAIUnB).

Braulina falou sobre a importância da demarcação de terras para a luta das mulheres indígenas, sobre o contexto de violência dentro e fora de suas comunidades e sobre a importância da educação para a prevenção da violência, valorização da diferença e da diversidade.

Número de pesquisadores na América Latina e no Caribe é bem inferior ao de países desenvolvidos. Foto: EBC

América Latina e Caribe têm até 90% menos pesquisadores do que países desenvolvidos, diz CEPAL

A América Latina e o Caribe têm apenas 520 pesquisadores por 1 milhão de habitantes, proporção bem inferior da verificada em países desenvolvidos — onde, em média, o número varia de 2 mil a 8 mil. Disparidades foram tema de palestra dada na quinta-feira (20) pela secretária-executiva da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe, Alicia Bárcena, durante evento de abertura do ano letivo da Universidade do Chile.

UNESCO pede mais acessibilidade à informação para pessoas com deficiências visuais. Foto: Associação Indiana para os Cegos

Em dia do livro, UNESCO pede acessibilidade para pessoas com deficiências visuais e de aprendizado

Em mensagem para o Dia Mundial do Livro e do Direito do Autor, celebrado no domingo (23), a diretora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), Irina Bokova, alertou para a necessidade de tornar conhecimentos disponíveis para pessoas com deficiência visual e com dificuldades de aprendizado. No mundo, 39 milhões de indivíduos não podem ver e outros 246 milhões têm uma visão muito reduzida.

UNESCO pediu mais investimentos de prefeituras do Brasil na educação básica. Foto: UNESCO

UNESCO pede que prefeituras deem prioridade a investimentos em educação básica

Os novos prefeitos e dirigentes municipais que completam, em abril, seus primeiros 100 dias de governo devem se preocupar mais com os investimentos na Educação Básica. A declaração foi feita na segunda-feira (10) pela coordenadora de Educação da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) no Brasil, Rebeca Otero, durante abertura do evento online Jornada dos 100 Dias na Educação.

Daniel Balaban lembrou que modelo brasileiro tem inspirado países da África, Ásia e América Latina. Foto: PMA/Isadora Ferreira

Centro da ONU participa de celebração dos 62 anos do programa nacional de alimentação escolar

Em cerimônia na terça-feira (11) para celebrar os 62 anos do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), autoridades do governo brasileiro e da ONU participaram do lançamento da 2ª edição do concurso Melhores Receitas da Alimentação Escolar. Evento em Brasília também marcou a publicação do livro com os pratos vencedores e finalistas da 1ª competição, realizada no ano passado com o apoio do Centro de Excelência contra a Fome.

Da esquerda, o diretor-geral da OMC, Roberto Azevêdo; o presidente do Banco Mundial, Jim Yong Kim; a diretora-executiva do FMI, Christine Lagarde; e o CEO das Câmaras de Comércio da Alemanha, Martin Wansleben, no lançamento em Berlim do relatório ‘Tornando o comércio um motor de crescimento para todos’ Foto: OMC

ONU: políticas nacionais podem compensar impacto do desemprego causado pela concorrência no mercado

O comércio leva a ganhos de produtividade e benefícios significativos para os consumidores, especialmente os pobres, mas também pode ser responsável por deslocamentos de empregos que devem ser enfrentados através de políticas nacionais sólidas e capazes de ajudar a recuperação dos desempregados.

Foi o que afirmaram economistas da Organização Mundial do Comércio (OMC), do Fundo Monetário Internacional (FMI) e do Banco Mundial nessa semana (10) durante lançamento de relatório.

Para especialista, discussões sobre gênero devem integrar políticas públicas de educação. Foto: EBC

Falta de informação prejudica debate sobre gênero nas escolas, aponta especialista

Em entrevista à ONU Mulheres, a cientista social Sylvia Cavasin defende que políticas escolares devem levar discussões sobre gênero para centros de ensino. Segundo a especialista, os debates desenvolvidos continuam sendo fruto de iniciativas individuais de alguns professores.

Para ela, “as famílias desconhecem o que é gênero e caem na desinformação, que tem criado uma espécie de terrorismo e de perseguição” aos docentes que abordam a temática com alunos.