Saúde e bem-estar

O ODS 3 diz: "Assegurar uma vida saudável e promover o bem-estar para todos, em todas as idades"

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número 3 diz: “Assegurar uma vida saudável e promover o bem-estar para todos, em todas as idades”.

 

Mais sobre este ODS em https://nacoesunidas.org/pos2015/ods3 e notícias sobre o tema abaixo.

Cidade do Panamá. Foto: Flickr (CC)/Matthew Straubmuller

ONU e União Europeia ajudam Panamá a adotar meios de transporte elétricos

A ONU Meio Ambiente, a União Europeia e o governo do Panamá lançaram neste mês (9) uma parceria para tornar mais verdes e sustentáveis os meios de transporte do país centro-americano. Projeto visa popularizar a mobilidade elétrica. Segundo estimativas das Nações Unidas, se a atual frota de ônibus e táxis da Cidade do Panamá fosse substituída por veículos elétricos, seria possível impedir a liberação de 8,5 milhões de toneladas de CO2 até 2030.

Estudantes em Cotonou, no Benim. Foto: UNFPA/Ollivier Girard

Em dia mundial, ONU defende espaços seguros para promover direitos dos jovens

Em mensagem para o Dia Internacional da Juventude, comemorado pela ONU em 12 de agosto, o secretário-geral António Guterres defendeu a criação de espaços seguros para os jovens, onde crianças e adolescentes tenham seus direitos protegidos e suas vozes, ouvidas.

Atualmente, existem no mundo 1,8 bilhão de pessoas de dez a 24 anos de idade — o maior contingente nessa faixa etária já registrado em toda a história.

Os barbeiros são insetos transmissores da doença de Chagas. Foto: OPAS/Ary Rogerio Silva

Paraguai interrompe transmissão da doença de Chagas por insetos

A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) anunciou na terça-feira (7) que o Paraguai conseguiu interromper a transmissão vetorial da doença de Chagas, quando a patologia passa para uma pessoa por meio da picada de insetos, como os barbeiros. Com a notícia, a região das Américas já conta 18 países que quebraram o ciclo de infecção por vetores em nível nacional ou em regiões com prevalência crônica da enfermidade.

Gestante. Foto: PEXELS

Fundo de População da ONU apresenta a campanha Ela Decide para ginecologistas e obstetras no RN

Tem início na quinta-feira (9) a 31ª Jornada de Ginecologia e Obstetrícia do Rio Grande do Norte. Evento reunirá especialistas para debater igualdade de gênero, depressão pós-parto, ginecologia na infância e adolescência e violência contra as mulheres. O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) apresentará no fórum a campanha Ela Decide, uma iniciativa em prol do empoderamento de jovens e mulheres.

Selo do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) reconhece qualidade nos serviços de saúde oferecidos a adolescentes no DF. Foto: EBC

UNFPA divulga lista de ações em saúde selecionadas para segunda etapa de selo de qualidade

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) divulgou na segunda-feira (6) a lista de 26 ações e serviços de saúde selecionados para a segunda etapa do selo “Chega Mais”, que reconhece e incentiva atendimento de qualidade para adolescentes do Distrito Federal (DF).

O selo avalia se os serviços em saúde reconhecem a saúde sexual e reprodutiva como parte integral dos direitos humanos e seu exercício sendo fundamental para usufruir de outros direitos fundamentais.

Hospital de Al-Thawra, em Hodeida, no Iêmen, em foto de abril de 2017. Foto: OCHA/Giles Clarke

Ataque contra hospital eleva risco de nova epidemia de cólera no Iêmen

Um ataque mortal contra um dos últimos hospitais em funcionamento no Iêmen, na cidade portuária de Hodeida, colocou centenas de milhares de pessoas sob risco, prejudicando os esforços para prevenir uma terceira epidemia de cólera no país afetado pela guerra, disseram oficiais da ONU na sexta-feira (3).

“Tudo o que estamos fazendo para tentar acabar com a maior epidemia de cólera do mundo está sob risco”, disse a coordenadora humanitária da ONU no Iêmen, Lise Grande, completando que todos os dias novos casos de cólera são identificados.

Equipe da OMS e população local abrem caminho para levar vacina contra o ebola a comunidades remotas na República Democrática do Congo. Foto: OMS

Conflito na República Democrática do Congo aumenta complexidade de resposta ao ebola, diz OMS

Proteger pessoas vulneráveis no leste da República Democrática do Congo (RDC) do mais novo surto de ebola no país será “muito complexo”, dados os enormes desafios logísticos e o conflito em andamento na região, disse a Organização Mundial da Saúde (OMS) na sexta-feira (3).

“Sabemos, por exemplo, que houve cerca de 20 mortes”, disse Peter Salama, vice-diretor-geral de preparação e resposta de emergência, a jornalistas em Genebra.

“Não podemos, neste ponto, confirmar se foram todos casos confirmados ou prováveis de ebola”, acrescentou. “Esperamos, no entanto, que os números aumentem nas próximas semanas, com base na trajetória da epidemia neste ponto de desenvolvimento”.

Médico tira a pressão de paciente. Foto: PEXELS

Doenças crônicas são responsáveis por 63% de todas as mortes no mundo, diz OPAS

Em congresso de gestores e especialistas da América Latina, a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) afirmou nesta sexta-feira (3), no Rio Grande do Sul, que as doenças crônicas matam 36 milhões de pessoas por ano em todo o mundo. Número de falecimentos equivale a 63% de todas as mortes registradas anualmente. As mais fatais dessas enfermidades são as doenças cardiovasculares e o acidente vascular cerebral (AVC).

O estigma e a discriminação em unidades de saúde são um grande obstáculo para acabar com a AIDS. Foto: UNAIDS

Tailândia e Vietnã promovem ações para pôr fim à discriminação contra pessoas vivendo com HIV

O estigma e a discriminação em unidades de saúde são um grande obstáculo para acabar com a AIDS no mundo todo. Reduzem significativamente a qualidade de vida das pessoas e dificultam seu acesso a serviços de saúde e de HIV.

O tema foi abordado em sessão da 22ª Conferência Internacional de AIDS, ocorrida em Amsterdã no fim de julho, e que apresentou projetos de Tailândia e Vietnã. A sessão também teve participação de representantes do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS).

A prefeitura de Atiquizaya, em El Salvador, desenvolveu a iniciativa “Escolas Sustentáveis”. Foto: FAO

Projeto em El Salvador alia boas práticas de alimentação escolar e participação social

A prefeitura de Atiquizaya, em El Salvador, desenvolveu a iniciativa “Escolas Sustentáveis”, uma metodologia que promove atividades de alimentação escolar, participação social e educação nutricional por meio de hortas pedagógicas, compra da agricultura familiar local e adoção de menus saudáveis.

A ação está em linha com o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) número 2, que prevê extinguir a fome no mundo, alcançar a segurança alimentar, melhorar a nutrição e promover a agricultura sustentável até 2030. O projeto tem apoio da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) e do governo brasileiro.

Os relatores lembraram que dados oficiais publicados recentemente mostraram uma elevação da taxa de mortalidade infantil no Brasil pela primeira vez em 26 anos. Foto: EBC

Brasil precisa colocar direitos humanos à frente da austeridade fiscal, dizem relatores da ONU

Um grupo de especialistas em direitos humanos das Nações Unidas pediu nesta sexta-feira (3) que o Brasil reconsidere seu programa de austeridade fiscal e coloque os direitos humanos de sua população, que está sofrendo duras consequências, no centro de suas políticas econômicas.

“Pessoas vivendo na pobreza e outros grupos marginalizados estão sofrendo desproporcionalmente como resultado de medidas econômicas restritivas em um país que já foi considerado exemplo de políticas progressistas para reduzir a pobreza e promover a inclusão social”, disseram os especialistas.

Extinguir a fome no mundo; alcançar a segurança alimentar e melhoria da nutrição e promover a agricultura sustentável são ações que sintetizam o Objetivo 2 do Desenvolvimento Sustentável (ODS). Foto: ONU Meio Ambiente

Mudar padrões de produção e consumo pode ser antídoto contra obesidade, diz FAO

Temas como a demanda global de alimentos, a epidemia de obesidade e as novas tendências de mercado foram abordados pelo diretor-geral da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), o brasileiro José Graziano da Silva, durante congresso promovido pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) na terça-feira (31).

“O maior problema do mundo já não é mais a fome, a fome hoje é algo bem equacionado, a gente sabe onde está, e sabe por que. Ela está basicamente nas regiões de conflito e seca”, declarou.

“Uma epidemia que afeta tantos países desenvolvidos, como os em desenvolvimento, é a obesidade, que é uma questão ainda não equacionada e que vai afetar o futuro da alimentação de uma maneira que nós ainda não conseguimos dizer”, alertou.

Família aguarda chegada de ajuda humanitária fornecida pelo UNICEF em Hodeida, no Iêmen, em junho deste ano. Foto: UNICEF

Iêmen: ataques contra sistemas de água violam leis de guerra, diz UNICEF

A violência contínua e os ataques contra infraestrutura civil em Hodeida ameaçam diretamente centenas de milhares de crianças e suas famílias no Iêmen, segundo a chefe do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), em comunicado divulgado nesta quarta-feira (1).

“Os ataques contra instalações e serviços civis são inaceitáveis, desumanos e violam as leis básicas da guerra”, disse a diretora-executiva do UNICEF, Henrietta Fore. “No entanto, os últimos dias registraram uma escalada nos ataques contra sistemas e instalações essenciais para a vida de crianças e famílias”, acrescentou.

O UNAIDS Brasil destaca que a adesão e o consequente sucesso do tratamento antirretroviral depende do acesso ininterrupto e em tempo adequado aos medicamentos. Foto: UNAIDS Brasil

Conferência sobre AIDS alerta para falta de remédios antirretrovirais na América Latina

Nos países latino-americanos, uma das conquistas mais importantes na resposta ao HIV têm sido o reconhecimento de que o acesso ao tratamento faz parte do direito à saúde no sistema público, resultando em um aumento no número de pessoas recebendo tratamento antirretroviral nos últimos anos.

No entanto, um grande desafio para atender esse direito é garantir o fornecimento ininterrupto de medicamentos antirretrovirais e outros produtos essenciais. O relato é do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS).

Na Namíbia, Monika, de 30 anos, soube que tinha HIV há apenas dois anos. Com os remédios adequados, ela evitou que sua filha fosse infectada durante a gravidez, mas a menina contraiu o vírus durante o período de amamentação. Foto: OMS

Programa da ONU elogia esforços da Namíbia para eliminar AIDS

Novas pesquisas na Namíbia mostram que 77% de todos os adultos vivendo com HIV estão com a carga viral suprimida. Isso significa que o vírus foi reduzido a quantidades indetectáveis por testes laboratoriais padrão, o que permite a recuperação do sistema imunológico e impede o desenvolvimento da AIDS. Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) elogiou em julho (26) os avanços do país africano.

Michel Sidibé, chefe do UNAIDS, durante a abertura da 22ª Conferência Global de AIDS. Foto: UNAIDS

Programa da ONU alerta para buraco de 20% no orçamento global de HIV

Com mais de 15 mil participantes, a 22ª Conferência Internacional de AIDS teve início com um apelo da ONU por mais recursos para a resposta de saúde pública à epidemia. Em Amsterdã para a abertura do evento, o chefe do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS), Michel Sidibé, alertou para uma “persistente lacuna de 20% (no orçamento) entre o que é necessário e o que está disponível”. Encontro ocorreu na cidade holandesa dos dias 23 a 27 de julho.

Manik e Babu, ambos de 18 anos, fazem parte do projeto "O Campeão em Mim". Foto: UNAIDS

Projeto na Índia usa a corrida como forma de empoderar jovens vivendo com HIV

Iniciativa denominada “O Campeão em Mim” usa o esporte para vencer o estigma e a discriminação contra adolescentes vivendo com HIV. Em andamento na cidade de Bangalore, na Índia, o programa adota a corrida como ferramenta de fortalecimento e empoderamento.

Hoje, quase 200 crianças e adolescentes vivendo com HIV fazem parte da ação, que continua a crescer. O relato é do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS).

Aleitamento materno nos primeiros anos de vida salvaria 820 mil crianças por ano no mundo

O leite materno é o melhor alimento para os recém-nascidos e crianças de até 2 anos. No entanto, cinco em cada 20 bebês (25%) na América Latina e no Caribe não são amamentados em sua primeira hora de vida, o que é uma medida essencial para salvar vidas.

Estima-se que, em 2017, 78 milhões de recém-nascidos no mundo tiveram que esperar por mais de uma hora para serem colocados no peito de suas mães, segundo adverte novo relatório publicado pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Para a OMS, crianças devem ser alimentadas exclusivamente com o leite materno durante os seis primeiros meses de vida. Foto: Anton Nossik / Wikipedia / CC

Três em cada cinco bebês não são amamentados na primeira hora de vida no mundo

Um novo relatório lançado pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e pela Organização Mundial da Saúde (OMS) revela que 78 milhões de bebês – três em cada cinco – não são amamentados em sua primeira hora de vida no mundo. Isso os coloca em maior risco de morte e doença, tornando-os menos propensos a continuar amamentando. A maioria desses bebês nasceu em países de baixa e média renda.

Solos saudáveis são essenciais para a segurança alimentar. Foto: FAO/Olivier Asselin

FAO pede que G20 promova manejo sustentável do solo

Em Buenos Aires para a reunião de ministros da Agricultura do G20, o representante Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), Julio Berdegué, elogiou a decisão do fórum de definir o manejo da terra como um dos temas centrais do encontro. Especialista alertou durante a conferência que um terço de todo o solo do mundo está degradado. Dirigente também cobrou mais engajamento dos países na promoção global de práticas agrícolas sustentáveis.

Profissional de saúde exibe vacina contra a hepatite B. Foto: UNICEF/Shehab Uddin

ONU pede que países das Américas intensifiquem esforços para garantir tratamento de hepatites

Na ocasião do Dia Mundial Contra a Hepatite, lembrado em 28 de julho, a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) pediu aos países das Américas que intensifiquem urgentemente os esforços para garantir diagnóstico e tratamento oportunos das hepatites.

As hepatites B e C afetam 325 milhões de pessoas no mundo, resultando em 1,34 milhão de mortes a cada ano. Na região das Américas, 3,9 milhões de pessoas vivem com hepatite B crônica e 7,2 milhões com hepatite C crônica, levando a mais de 125 mil mortes a cada ano.

A atriz Sheron Menezzes e o seu marido Saulo Bernard são os padrinhos da campanha do Ministério da Saúde. Foto: Ministério da Saúde

Ministério da Saúde lança nova campanha de incentivo à amamentação

O Ministério da Saúde do Brasil lançou nesta sexta-feira (27) a nova campanha de incentivo à amamentação.

A iniciativa reforça a importância do leite materno para o desenvolvimento das crianças até dois anos e de forma exclusiva até os seis meses de vida, conforme preconizado pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

A atriz Sheron Menezzes e o seu marido Saulo Bernard são os padrinhos da campanha.

Michelle Bachelet na abertura do 12º Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva. Foto: OPAS/Larissa Domingues

No Rio, Michelle Bachelet defende que países latino-americanos invistam mais em saúde

Em visita ao Rio de Janeiro para o 12º Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva, a ex-presidenta do Chile, Michelle Bachelet, pediu na quinta-feira (27) que países da América Latina e Caribe invistam uma porcentagem maior do seu PIB em saúde. Essa é a melhor forma de garantir o acesso e a cobertura universais dos serviços de atendimento, avaliou a ex-chefe do Estado chileno durante a abertura do evento.

Maitê Gadelha, presidente da IFMSA Brazil e Jaime Nadal, representante do UNFPA no Brasil. Foto: UNFPA

Fundo de População da ONU firma parceria com associação de estudantes de medicina do Brasil

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e a Federação Internacional das Associações dos Estudantes de Medicina do Brasil (IFMSA Brazil) firmaram na quarta-feira (25) uma parceria para sensibilizar universitários e promover os direitos humanos. A cooperação entre as instituições promoverá eventos, ações de conscientização e distribuição de materiais informativos, além de estágios no escritório da agência da ONU, em Brasília.

Médico vacina profissional de saúde na cidade de Mbandaka, em junho deste ano. Foto: OMS/Lindsay Mackenzie

OMS declara fim do surto de ebola na República Democrática do Congo

A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou nesta terça-feira (24) o fim do surto de ebola na República Democrática do Congo (RDC), graças aos esforços nacionais e internacionais para conter a doença, disse a principal agência de saúde da ONU.

Falando da capital do país, Kinshasa, Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da OMS, cumprimentou os “esforços incansáveis” das equipes locais no combate à doença, que matou 29 pessoas e infectou outras dezenas no país.

Onze países das Américas notificaram 2.472 casos confirmados de sarampo neste ano, segundo a OPAS/OMS. Foto: Wilson Dias/ABr

Após 2 mil casos de sarampo nas Américas, OPAS destaca necessidade de vacinação e vigilância

A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) destacou nesta terça-feira (24) a necessidade de os países das Américas intensificarem as atividades de vacinação e vigilância para prevenir e combater a propagação do sarampo.

No Brasil, o organismo internacional está colaborando com as ações para controle do surto de sarampo em dois estados: Amazonas (444 casos confirmados, a maioria em Manaus) e Roraima (216 casos confirmados).

O diretor-geral adjunto e chefe do Departamento de Ciências Nucleares e Aplicações da AIEA (à direita), Aldo Malavasi, e o presidente da Sociedade Brasileira de de Medicina Nuclear (SBMN), Juliano Cerci. Foto: AIEA

AIEA firma parceria com Sociedade Brasileira de Medicina Nuclear para treinamento de profissionais

A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) assinou nesta semana (18) um acordo de parceria com a Sociedade Brasileira de Medicina Nuclear (SBMN) que irá aumentar as oportunidades de treinamento para profissionais de medicina nuclear na América Latina e no Caribe, assim como nos países africanos de língua portuguesa.

“O Brasil oferece um pano de fundo ideal para o acordo de parceria, pois o país abriga o maior número de centros de medicina nuclear na região da América Latina e Caribe, com várias instalações de última geração relacionadas a todas as áreas da medicina nuclear”, disse a chefe da seção de Medicina Nuclear e Diagnóstico por Imagem da Divisão de Saúde Humana da AIEA, Diana Paez.

Os países estão dando passos significativos no combate à resistência antimicrobiana, mas sérias lacunas ainda permanecem e exigem ação urgente, segundo novo relatório. Foto: Pixabay (CC)

Países têm dado passos importantes na luta contra resistência antimicrobiana, diz relatório

Os países estão dando passos significativos no combate à resistência antimicrobiana, mas sérias lacunas ainda permanecem e exigem ação urgente, segundo novo relatório divulgado na quarta-feira (18) por Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) e Organização Mundial da Saúde (OMS).

O relatório registra progressos em 154 países. Alguns deles, incluindo muitos europeus, têm trabalhado em políticas de combate à resistência antimicrobiana em setores humanos e animais por mais de quatro décadas.

A estratégia piloto pretende identificar as equipes e os serviços públicos de saúde adequados a adolescentes. Foto: EBC

Selo reconhece serviços de saúde de qualidade para adolescentes no DF

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) divulgou na terça-feira (17) a lista de serviços de saúde do Distrito Federal selecionados na primeira etapa do selo “Chega Mais”, que reconhece e incentiva atendimento de qualidade voltado para adolescentes.

A ação é resultado de uma parceria firmada entre UNFPA, Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal (SES-DF), Escola de Aperfeiçoamento do SUS (EAPSUS) e Secretaria de Estado de Políticas para Crianças, Adolescentes e Juventude do Distrito Federal (SECriança-DF).

Um centro de recepção e documentação inaugurado pelo governo federal com apoio do Sistema ONU Brasil na cidade de Pacaraima está há um mês identificando e emitindo documentos para pessoas vindas da Venezuela. Foto: ACNUR/Reynesson Damasceno

Com apoio da ONU Brasil, centro governamental em Pacaraima recebe venezuelanos

Um centro de recepção e documentação inaugurado pelo governo federal com apoio do Sistema ONU Brasil na cidade de Pacaraima está há um mês identificando e emitindo documentos para pessoas vindas da Venezuela. Localizado a poucos metros da fronteira, o local começou a operar no dia 18 de junho. O centro também oferece informações, serviços sociais e de saúde para aqueles que escolheram permanecer no Brasil.