Saúde e bem-estar

O ODS 3 diz: "Assegurar uma vida saudável e promover o bem-estar para todos, em todas as idades"

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número 3 diz: “Assegurar uma vida saudável e promover o bem-estar para todos, em todas as idades”.

 

Mais sobre este ODS em https://nacoesunidas.org/pos2015/ods3 e notícias sobre o tema abaixo.

Região entre a estação da Luz e Santa Ifigênia, conhecida como Cracolândia. Foto: EBC/Rovena Rosa

ONU manifesta preocupação com possibilidade de internação compulsória de usuários de drogas em SP

O Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) e a Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) manifestaram nesta segunda-feira (29) preocupação com a possibilidade de se internar compulsoriamente — e em massa — pessoas usuárias de drogas em São Paulo.

O problema das drogas no mundo é um tema fundamental para a saúde pública, lembraram as agências. Por isso, as políticas públicas devem se orientar por princípios como a garantia de direitos humanos, o acesso aos mais qualificados métodos de tratamento e por evidências científicas, salientaram.

Profilaxia pré-exposição é mais uma arma na luta contra a transmissão do HIV. Foto: UNAIDS

Agência da ONU elogia decisão de SUS oferecer pílula anti-HIV para pessoas em risco

O Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) elogiou a decisão do Ministério da Saúde de oferecer a Profilaxia Pré-Exposição (PrEP) através do Sistema Único de Saúde (SUS). A divulgação da informação foi feita pelo ministro da Saúde, Ricardo Barros, na quarta-feira (24), durante participação na Assembleia Mundial de Saúde em Genebra, na Suíça.

“A incorporação da PrEP ao leque de opções de prevenção é muito bem-vinda”, afirmou a diretora do UNAIDS no Brasil, Georgiana Braga Orillard. “Esse esforço é essencial para acelerar a resposta brasileira rumo ao fim da epidemia.”

Brasil e ONU querem promover eliminação da transmissão vertical do HIV em municípios. Foto: EBC

Casos de sífilis congênita dobram na América Latina e Caribe no período 2010-2015, chegando a 22,4 mil

Em levantamento publicado na quinta-feira (25), a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) aponta que, na América Latina e no Caribe, os casos de sífilis congênita dobraram em anos recentes — passando de 10.850 ocorrências em 2010 para a marca alarmante de 22,4 mil bebês nascidos com a doença em 2015. Relatório também aborda oscilações das taxas de transmissão vertical — de mãe para filho — do HIV.

Uma mulher vende vegetais na Gâmbia. Foto: FAO/Seyllou Diallo

Gâmbia discute impactos de programa de aquisição de alimentos no país

A Gâmbia realizou no início de maio (9 e 10) uma consulta nacional para discutir os impactos do Programa de Aquisição de Alimentos para a África (PAA África), uma iniciativa do Programa Mundial de Alimentos (PMA), da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), do Brasil e de nações africanas parceiras para conectar a agricultura familiar a ações de compras públicas de comida.

Foto: Marcello Casal/ABr

ONU pede fim da fístula, um dos ferimentos mais sérios do parto

No Dia Internacional pelo Fim da Fístula Obstétrica, 23 de maio, o diretor-executivo do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), Babatunde Osotimehin, alertou para um dos ferimentos mais sérios que podem ocorrer na hora do parto e que afeta principalmente mulheres de países mais pobres.

O UNFPA trabalha em uma campanha global para eliminar a fístula por meio da prevenção, tratamento e reintegração social. A agência da ONU já apoiou mais de 85 mil cirurgias reparatórias desde 2003 e mais de 15 mil casos somente em 2016.

Menino durante ato contra a violência nas favelas do Rio de Janeiro. Foto: Mídia Ninja

CEPAL lança relatório sobre desenvolvimento social da América Latina e Caribe na terça-feira (30)

A Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) divulgará na próxima terça-feira (30) a nova edição de seu principal relatório anual sobre temas de desenvolvimento social. O documento ‘Panorama Social da América Latina 2016’ será lançado pela secretária-executiva da CEPAL, Alicia Bárcena, em coletiva de imprensa na sede do organismo regional, em Santiago do Chile.

Veículo das forças de segurança israelenses em um muro que separa os agricultores de Biddu de suas terras em na Seam Zone, como é chamada a área entre a linha do armistício de 1949 e a Barreira da Cisjordânia. Foto: Alaa Ghosheh/UNRWA

ONU pede que Israel respeite direitos humanos de prisioneiros

Chefe de direitos humanos da ONU manifestou “grave preocupação” com a greve de fome generalizada promovida pelos prisioneiros palestinos, que entrou no 38º dia sem solução. Segundo a ONU, a saúde de centenas de prisioneiros começou a se deteriorar significativamente.

Os cerca de mil prisioneiros grevistas reivindicam, entre outras coisas, o fim da prisão administrativa, do isolamento e o aumento no número e na duração das visitas familiares, bem como melhor acesso a serviços de saúde. Organizações de direitos humanos israelenses e palestinas confirmam muitas das queixas dos prisioneiros, muitos detidos sem acusação ou julgamento.

Tedros Adhanom Ghebreyesus, o novo diretor-geral da OMS. Foto: OMS

Países elegem 1º africano para chefiar Organização Mundial da Saúde

Durante a 70ª Assembleia Mundial da Saúde, em Genebra, os Estados-membros da Organização Mundial da Saúde (OMS) elegeram nesta terça-feira (23) o etíope Tedros Adhanom Ghebreyesus para o cargo de diretor-geral do organismo internacional. Ghebreyesus será o primeiro africano a liderar a agência de saúde da ONU. Seu mandato terá início em 1º de julho de 2017. Na Etiópia, Ghebreyesus foi ministro das Relações Exteriores, de 2012 a 2016, e ministro da Saúde, de 2005 a 2012.

Foto: ONU

ONU confirma evidências de ataques químicos na Síria em 2016 e 2017

Em reunião no Conselho de Segurança nessa terça (23), chefe de desarmamento da ONU confirmou evidências que ocorreu exposição a substâncias químicas como o composto Sarin na Síria, em 2016 e 2017.

“Este não é um problema para ser politizado”, disse a representante das Nações Unidas para o desarmamento, Izumi Nakamitsu, que destacou que a ONU “não pode ser neutra” nesse tema. A missão foi liderada pela Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ), que atua com a ONU nas investigações.

Da esquerda para direita, Ricardo Barros, Carissa Etienne e Oleg Chestnov. Foto: OMS

Brasil é 1º país a assumir compromissos específicos com a Década de Ação para a Nutrição da ONU

O Brasil se tornou na segunda-feira (22) o primeiro país a assumir metas objetivas e mensuráveis com a Década de Ação das Nações Unidas para a Nutrição. A nação se comprometeu a deter o crescimento da obesidade entre adultos, reduzir o consumo regular de bebidas adoçadas com açúcar em pelo menos 30% no mesmo grupo etário e ampliar em no mínimo 17,8% o percentual de adultos que consomem frutas e hortaliças regularmente. O prazo para o cumprimento dos objetivos é 2019.

Vacina contra o HIV seria método mais econômico para combater a epidemia do que a terapia antirretroviral. Foto: UNAIDS

O mundo precisa de uma vacina contra o HIV, defende agência da ONU

No mês em que se celebra o Dia de Conscientização sobre a Vacina contra o HIV, lembrado em 18 de maio, o Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) defende a manutenção dos esforços de pesquisa que buscam uma imunização contra o vírus. Anualmente, 1,9 milhão de adultos e mais de 150 mil crianças são infectados pelo agente patogênico.

Mesmo que uma redução de 90% nas novas infecções pelo vírus seja alcançada até 2030 — tal como previsto pelas metas da agência da ONU —, 200 mil pessoas por ano continuarão contraindo o HIV.

Diretora-geral da OMS, Margaret Chan, durante a 67ª Assembleia Mundial da Saúde. Foto: OMS/V. Martin

Ministros e autoridades reúnem-se em Genebra para eleger novo(a) diretor(a) da OMS

Ministros e autoridades de saúde de 194 países participam a partir desta segunda-feira (22) da 70ª Assembleia Mundial da Saúde, que ocorre até 31 de maio em Genebra, na Suíça. Durante o encontro, haverá a eleição do novo diretor ou diretora-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Ministros dos países do G20 também se reuniram na semana passada (20) em Berlim, na Alemanha, para discutir uma resposta global coordenada aos desafios da saúde em todo o planeta.

Sala de Situação, Ação e Articulação sobre Direitos das Mulheres foi estabelecida em março de 2016, em resposta da ONU e da sociedade civil à crise sanitária. Foto: ONU Mulheres/Isabel Clavelin

Agências da ONU lembram 1 ano de sala de situação para combate ao zika no Brasil

Após um ano de existência, a Sala de Situação, Ação e Articulação sobre Direitos das Mulheres — criada por ONU Mulheres, Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS/OMS) e Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) — como resposta à crise sanitária do vírus zika, consolidou-se como um canal aberto para as organizações feministas e de mulheres, para a análise de pesquisas e informações sobre saúde e para ações de parceria entre a sociedade civil e as Nações Unidas.

Pressão alta não é mais problema exclusivo de países desenvolvidos e afeta populações de diferentes partes do mundo. Foto: Banco Mundial / Aisha Faquir

Países das Américas apresentam casos bem sucedidos de redução do risco cardiovascular

Quatro países das Américas adotaram ações bem-sucedidas para reduzir o risco cardiovascular de suas populações. Trata-se de um programa apoiado pela Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS/OMS) e pelos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos, que se consiste no acompanhamento integral de pessoas com hipertensão.

Entre 20% e 35% da população adulta da América Latina e do Caribe têm hipertensão. O número de pessoas com pressão arterial elevada tem aumentado nos últimos anos, e muitos não sabem ter essa condição.

Laço vermelho, símbolo da luta contra a Aids. Foto: CC/Sham Hardy

ONU se opõe a projeto de lei brasileiro que criminaliza transmissão do HIV

Projeto de Lei 198/15 torna crime hediondo a transmissão deliberada do vírus da AIDS. Proposta será encaminhada para audiência pública, segundo decisão tomada nesta semana pelo presidente da Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara (CSSF), o deputado Hiran Gonçalves, em reunião com o Ministério da Saúde e o Programa Conjunto das Nações Unidas sobre o HIV/AIDS no Brasil (UNAIDS).

Tanto para a pasta federal, quanto para a agência da ONU, nova legislação contribuiria para afastar as pessoas dos serviços de saúde e reforçaria estigma associado aos portadores de HIV.

Escritório da ONU discute parceria com Recife para combater consumo de drogas

Para discutir parcerias pela prevenção do uso abusivo de substâncias ilícitas em Recife, o Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) reuniu-se na semana passada (10) com a Secretaria Executiva de Políticas sobre Drogas da capital pernambucana.

Durante o encontro, instituições avaliaram a possibilidade de cooperação no “Mobiliza Recife”, iniciativa que aposta no empoderamento de comunidades para combater o consumo de entorpecentes.

Imagem: UNFPA/Museu do Amanhã

Museu do Amanhã e UNFPA realizam seminário para discutir o futuro das meninas brasileiras

A importância do investimento e da proteção das meninas brasileiras será tema do seminário ’10 meninas na construção dos amanhãs’, que acontece no dia 26 de maio, no auditório do Museu do Amanhã. Evento é aberto ao público e a jornalistas.

Encontro de especialistas reunirá jovens de realidades socioeconômicas distintas para abordar obstáculos à plena realização das meninas. Seminário também terá a presença da astrônoma brasileira Duília de Mello, que falará sobre como se tornou uma cientista da NASA.

Em Belo Horizonte, jovens realizam uma partida de 'queimado' temática, para discutir questões de gênero e orgulho LGBTI. Imagem de 2016. Foto: Mídia Ninja (CC)

Em dia internacional, ONU defende igualdade de direitos e mais acesso a serviços para pessoas LGBTI

Por ocasião do Dia Internacional contra a Homofobia, a Transfobia e a Bifobia, lembrado nesta quarta-feira (17), dirigentes da ONU fizeram um apelo por mais respeito ao amor em toda a sua diversidade. Agências da ONU defenderam o fim da discriminação, ainda responsável por excluir pessoas LGBTI dos serviços de saúde, do mercado de trabalho e da proteção institucional para famílias e casais.

No Brasil, representantes das Nações Unidas alertaram para a violência motivada pela orientação sexual em evento na sede nacional do organismo, localizada em Brasília.

Acidentes no trânsito são a principal causa de morte entre adolescentes de dez a 19 anos, provocando 115 mil óbitos por ano. Foto: OMS

Mais de 1,2 milhão de adolescentes morrem anualmente por causas evitáveis, alerta OMS

Mais de 3 mil adolescentes morrem todos os dias por causas evitáveis como acidentes de trânsito, infecções respiratórias inferiores e suicídio. O saldo anual chega a mais de 1,2 milhão de óbitos. Os números são do novo levantamento da Organização Mundial da Saúde (OMS), divulgado na terça-feira (16). Documento alerta que, em 2015, dois terços dos falecimentos juvenis preveníveis foram registrados em países de média e baixa renda da África e do Sudeste Asiático.

Débora Maria da Silva, fundadora e coordenadora do movimento Mães de Maio, mobilizou Assembleia Legislativa de São Paulo para criação da Semana Estadual das Pessoas Vítimas da Violência no Estado de SP. Foto: Percurso da Cultura (CC)

Mulheres relatam impacto do racismo e da violência contra a juventude negra

As mulheres negras são um dos grupos em situação de maior vulnerabilidade, devido ao acúmulo de discriminações decorrentes do racismo, do sexismo e de outras formas de opressão, cujos impactos incidem sobre a trajetória de suas vidas e de suas famílias.

Essa foi a conclusão de relatos feitos à ONU Mulheres para a ocasião de três datas: Dia Internacional das Famílias, celebrado na segunda-feira (15); Dia das Mães, ocorrido no domingo (14); e Dia Nacional de Luta contra o Racismo (13) — contraponto do movimento negro ao Dia da Abolição, considerando a ausência de políticas e medidas de inclusão após o fim da escravização.

Fátima segura seu filho, Jad, enquanto conversa com trabalhadora humanitária. Deslocada pelo conflito sírio, Fátima ficou extremamente fragilizada durante a gravidez. Foto: PMA/Hussam Al Saleh

ONU alerta para perigos e desafios enfrentados por mães vivendo em zonas de conflito

A maternidade deveria ser uma época de alegria, mas, para muitas mulheres que vivem em zonas de conflito, ela vem acompanhada de perigo.

No domingo (14), dezenas de países do mundo comemoram o Dia das Mães. É um dia para celebrar as mães de todos os lugares, mas também um momento para refletir sobre os riscos que muitas delas ainda encontram em sua jornada para a maternidade — e o que podemos fazer em relação a isso.

PANAFTOSA firma parceria com município fluminense de Miguel Pereira. Foto: PANAFTOSA

Centro da ONU e município de Miguel Pereira firmam parceria para combater doenças de origem animal

O município de Miguel Pereira, no estado do Rio de Janeiro, firmou nesta semana um convênio na área de saúde veterinária com o Centro Pan-americano de Febre Aftosa (PANAFTOSA). Com a parceria, o governo e a instituição de pesquisa capacitarão profissionais de serviços veterinários, produtores de alimentos e comerciantes para estimular o manejo adequado da comida e fortalecer a vigilância sanitária contra doenças transmitidas por animais.

Cerca de 19 milhões de pessoas precisam de assistência no Iêmen, sendo que mais da metade depende da ajuda para sobreviver. Foto: Giles Clarke/OCHA

Ataque contra cidade e porto no Iêmen pode comprometer capacidade humanitária, alerta OIM

“Caso o ataque aconteça, a expectativa é que, no mínimo, cerca de 400 mil pessoas fujam da cidade [de Al Hudaydah], aumentando a situação já desesperadora de mais de 2 milhões de pessoas deslocadas e suas comunidades de acolhimento afetadas pelo conflito”, alertou o diretor de operações e emergências da Organização Internacional para as Migrações, Mohammed Abdiker. Cerca de 19 milhões de pessoas precisam de assistência no país, sendo que mais da metade depende da ajuda para sobreviver.

A educação é essencial para promover a paz e da estabilidade em regiões tomadas pelo conflito. Foto: S. Escobar-Jaramillo/ACNUR

ONU e países da América Central discutem problemas sociais que fragilizam saúde da mulher e dos jovens

Representantes de oito países da América Central, de organizações não governamentais e das Nações Unidas se reuniram nesta semana (10), no Panamá, para discussões sobre a implementação a nível regional da Estratégia Mundial para a Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente. Marco global determina que Estados-membros da ONU ponham um fim, até 2030, à mortalidade de mulheres e jovens por problemas de saúde preveníveis.

Segundo relatores da ONU, a total proibição da interrupção da gravidez atualmente em vigor em El Salvador vai de encontro aos padrões internacionais de direitos humanos e violam as obrigações internacionais do país. Foto: PNUD El Salvador

Relatores da ONU pedem que El Salvador autorize interrupção da gravidez em circunstâncias específicas

Um grupo de especialistas das Nações Unidas pediu que o Congresso de El Salvador “aproveite a excepcional oportunidade de avançar na proteção dos direitos humanos de mulheres e meninas” na revisão de artigo do Código Penal do país, que visa a descriminalizar a interrupção da gravidez em circunstâncias específicas.

Segundo os relatores da ONU, El Salvador é um dos poucos países do mundo a criminalizar mulheres pela interrupção da gravidez em qualquer circunstância, incluindo quando a vida delas está em perigo, em casos de estupro ou incesto e quando o feto não sobreviverá.

Foto: Agência Brasil / Marcello Casal

Agência da ONU apoia trabalho de parteiras profissionais na América Latina e no Caribe

No Dia Internacional das Parteiras e Parteiros Profissionais, 5 de maio, o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) destacou a importância do trabalho desses profissionais que salvam vidas, garantem nascimentos sem risco e gestações seguras e desejadas.

Na América Latina e Caribe, no entanto, muitas mulheres ainda não têm acesso a tais serviços. Como resultado, a cada ano, mais de 7,3 mil morrem durante a gravidez e o parto na região. Cerca de 1 milhão dão a luz fora de instituições de saúde, e 2 milhões de recém-nascidos não recebem o tratamento necessário para evitar complicações.

Tabatinga, no Amazonas, é uma das cidades mencionadas na reportagem e no webdocumentário. Foto: Cacalos Garrastazu/UNAIDS-Eder Content

Agência da ONU lembra importância de se promover saúde sexual e reprodutiva na região Norte

O representante do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), Jaime Nadal, ressaltou durante evento em Manaus a importância de se investir na região Norte do Brasil, onde a promoção e atenção em saúde sexual e reprodutiva e a prevenção do HIV/AIDS e outras Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) ainda são grandes desafios.

Nadal chamou atenção para os dados do Amazonas em relação à AIDS: desde 2006, os índices de pessoas infectadas pelo HIV no estado ultrapassam a média nacional. Os números cresceram substancialmente entre jovens de 15 e 24 anos, homens que fazem sexo com homens e gestantes.

O Centro de Excelência contra a Fome apoia países africanos a reproduzir iniciativas brasileiras de alimentação escolar. Na imagem, criança se alimenta em centro do Programa Mundial de Alimentos na Região das Nações, Nacionalidades e Povos do Sul (SNNPRS), na Etiópia. Foto: PMA/Silvanus Okumu

Especialistas discutem benefícios da alimentação escolar vinculada à agricultura familiar

A alimentação escolar vinculada à agricultura familiar tem múltiplos benefícios, especialmente quando adotada em uma abordagem multissetorial. Essa foi a conclusão de oficina realizada na Etiópia no início de maio, que discutiu os impactos do programa PAA África no país.

Implementado na Etiópia em 2012, o PAA África ajudou a desenhar o programa de alimentação escolar do país, com apoio do governo brasileiro, do Programa Mundial de Alimentos (PMA), da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e de outros parceiros.

Foto do 14º Acampamento Terra Livre, em abril de 2017, em Brasília. Crédito da foto: Apib Comunicação/Flickr/CC

Brasil recebe centenas de recomendações para combater violações aos direitos humanos

Estados-membros das Nações Unidas fizeram nesta terça-feira (9) mais de 240 recomendações de direitos humanos ao Brasil, em meio à Revisão Periódica Universal (RPU).

Grande parte das recomendações refere-se à segurança pública. Os países pediram uma reformulação do sistema penitenciário brasileiro e o combate à violência e ao abuso policial, especialmente contra a população negra e pobre.

Os países também pediram o combate à violência contra os povos indígenas, o impulso à demarcação de terras e a participação dessa população nas decisões.

Leia aqui reportagem completa com todas as principais recomendações feitas ao Brasil por mais de cem países.

UNICEF e Amil firmam parceria para combater má nutrição entre crianças e adolescentes

A Amil e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) firmaram em abril uma parceria para desenvolver ações nas áreas de saúde e má nutrição infantis. Cooperação visa promover o aleitamento materno, garantir uma alimentação complementar saudável e prevenir o excesso de peso entre crianças e adolescentes da Amazônia, do Semiárido e de grandes centros urbanos.

Agência da ONU também planeja intervenções para reduzir índices de fome em comunidades indígenas.

Segundo OPAS/OMS, é essencial evitar alimentos ultraprocessados, que estão fortemente associados a sobrepeso, obesidade e doenças crônicas não transmissíveis. Foto: EBC

Oficina em Brasília discute aumento de hábitos alimentares não saudáveis no Brasil

O Centro de Excelência contra a Fome, fruto de uma parceria entre o Programa Mundial de Alimentos (PMA) das Nações Unidas e o governo brasileiro, participou de uma oficina em Brasília sobre mudanças nos padrões alimentares e aumento do consumo de alimentos ultra processados no Brasil.

Segundo pesquisadores convidados, a obesidade e as doenças crônicas não-transmissíveis a ela associadas são o principal desafio de saúde pública no Brasil atualmente.

Armando atualmente vive em um abrigo na fronteira sul do México e recebe assistência jurídica do ACNUR. Foto: ACNUR

Após perder perna, refugiado hondurenho encontra esperança no México

Depois de perder uma perna em um acidente de trem enquanto fugia da violência em Honduras, Armando, de 23 anos, tenta agora se reunir com sua família no México e retomar seu sonho de ser músico.

Diante da chegada de centenas de pessoas da América Central ao México, a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) está trabalhando com o governo e a sociedade civil local para melhorar a capacidade de recepção e fortalecer programas de assistência humanitária.