Fome zero e agricultura sustentável

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número dois diz: “Acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar e melhoria da nutrição e promover a agricultura sustentável”. Mais sobre este ODS em https://nacoesunidas.org/pos2015/ods2 e notícias sobre o tema abaixo.

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número dois diz: “Acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar e melhoria da nutrição e promover a agricultura sustentável”.

 

Mais sobre este ODS em https://nacoesunidas.org/pos2015/ods2 e notícias sobre o tema abaixo.

Sobrepeso e obesidade têm crescido nos países latino-americanos e caribenhos, alertam agências da ONU. Foto: EBC

Debate no Rio discute políticas públicas para conter desperdício de alimentos e obesidade

Melhorar cultivo, acesso e consumo dos alimentos, reinventando a forma com a qual a população brasileira enxerga a alimentação, é um dos focos no combate ao desperdício e à má nutrição, disse o diretor-geral da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), José Graziano da Silva, em mensagem por vídeo transmitida na segunda-feira (13) durante debate no Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro.

O Centro de Excelência contra a Fome contribuiu para mudar o entendimento de governos de cerca de 30 países sobre o potencial da alimentação escolar. Foto: Jaelson Lucas/SMCS

Centro da ONU diz que Brasil é modelo para promover alimentação escolar na África

O Brasil tem sido o “espelho” para países africanos que querem implementar programas próprios de alimentação escolar. A avaliação é do diretor do Centro de Excelência contra a Fome, Daniel Balaban, que participou na semana passada (8), em Brasília, de uma oficina com a Agência Brasileira de Cooperação (ABC) e o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Encontro debateu os rumos da cooperação entre as instituições.

São Tomé e Príncipe. Foto: Flickr (CC)/Michael Stein

FAO libera US$ 54 mi para projetos de restauração ambiental em 10 países

Para combater as mudanças climáticas e suas consequências, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) investirá 54 milhões de dólares em programas de recuperação de ecossistemas. Iniciativa será implementada em São Tomé e Príncipe, Guiné-Bissau, Camarões, Paquistão, Mianmar, Quênia, República Democrática do Congo, Tanzânia, República Centro-Africana e China.

Cardume de peixes em Belize. Foto: Flickr (CC)/Alex Bennett

Mudanças climáticas ameaçam pesca e vida marinha na corrente de Humboldt, diz FAO

O aquecimento global ameaça a pesca no Chile, Equador e Peru, aponta um novo informe da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO). Divulgado nesta semana (5), o relatório mostra que a elevação da temperatura global põe em risco o ecossistema formado pela corrente marítima de Humboldt, responsável em grande medida por sustentar a atividade pesqueira nos três países sul-americanos.

De acordo com o último relatório publicado por FAO e OPAS, a fome aumentou na América Latina e no Caribe pela primeira vez em mais de duas décadas. Foto: EBC

FAO lança concurso de cartazes para Dia Mundial da Alimentação 2018

Em comemoração ao Dia Mundial da Alimentação, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) convoca crianças e adolescentes do mundo inteiro a expressar, em forma de desenho, como o mundo pode alcançar a meta de erradicar a fome até 2030.

O concurso tem o objetivo de propor a criação de um cartaz para a campanha mundial Fome Zero e, por meio desta atividade, conscientizar a nova geração para o fato de que existem 815 milhões de pessoas passando fome no mundo. Além delas, 1,9 milhão estão acima do peso.

Os participantes devem ter entre 5 a 19 anos. Os desenhos podem ser fotografados ou escaneados e enviados pelo site do concurso após preenchimento de cadastro. As inscrições vão até 9 de novembro.

Propriedade rural devastada pelo Furacão Matthew, na cidade haitiana de Leoganne. Foto: MINUSTAH/Logan Abassi

No Haiti, ONU investe US$10,8 mi para recuperar produção agrícola devastada por furacão

Comunidades rurais do sudoeste do Haiti ainda se recuperam da devastação deixada pelo Furacão Matthew, que atingiu a nação caribenha em 4 de outubro de 2016. Para alavancar a produtividade dessas regiões, o Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) anunciou neste mês (2) a injeção de 10,8 milhões de dólares no país. Recursos vão ampliar a atual estratégia de tecnologia agroflorestal da agência das Nações Unidas.

FIDA discute conceder um novo financiamento de 50 milhões de dólares ao governo do Ceará. O acordo possibilitará a ampliação do número de comunidades atendidas pelo Projeto Paulo Freire. Foto: FIDA

Novo gerente de fundo da ONU debate ampliação de projeto de fomento produtivo no Ceará

O Fundo Internacional de Desenvolvimento da Agricultura (FIDA) das Nações Unidas foi recebido no fim de julho (26) pelo secretário de Desenvolvimento Agrário do estado do Ceará, Francisco de Assis Diniz. Na ocasião, foram realizadas visitas de campo à segunda etapa do Projeto Dom Helder Câmara nos municípios de Sobral e Madalena, assim como a apresentação do novo gerente de programas do FIDA para o Brasil, Klaus Reiner, ao secretário estadual.

Atualmente, o FIDA discute conceder um novo financiamento de 50 milhões de dólares ao governo do Ceará. O acordo possibilitará a ampliação do número de comunidades atendidas pelo Projeto Paulo Freire nos mesmos territórios em que atua no estado. O programa de fomento produtivo visa erradicar a pobreza em 600 comunidades rurais de 31 municípios.

Projeto Dom Helder Câmara visa melhorar condições de vida de agricultores familiares do semiárido brasileiro. Foto: SEAD

Fundo da ONU destaca avanços em projeto de desenvolvimento do semiárido brasileiro

Representantes da Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (SEAD) receberam na quinta-feira (2) em Brasília (DF) oficiais do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) das Nações Unidas para revisão de meio termo do Projeto Dom Helder Câmara, que visa melhorar condições de vida de agricultores familiares do semiárido brasileiro.

O projeto cobre o semiárido de 11 estados (todos estados do nordeste, além de Minas Gerais e Espírito Santo) incluindo 913 municípios.

A prefeitura de Atiquizaya, em El Salvador, desenvolveu a iniciativa “Escolas Sustentáveis”. Foto: FAO

Projeto em El Salvador alia boas práticas de alimentação escolar e participação social

A prefeitura de Atiquizaya, em El Salvador, desenvolveu a iniciativa “Escolas Sustentáveis”, uma metodologia que promove atividades de alimentação escolar, participação social e educação nutricional por meio de hortas pedagógicas, compra da agricultura familiar local e adoção de menus saudáveis.

A ação está em linha com o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) número 2, que prevê extinguir a fome no mundo, alcançar a segurança alimentar, melhorar a nutrição e promover a agricultura sustentável até 2030. O projeto tem apoio da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) e do governo brasileiro.

Extinguir a fome no mundo; alcançar a segurança alimentar e melhoria da nutrição e promover a agricultura sustentável são ações que sintetizam o Objetivo 2 do Desenvolvimento Sustentável (ODS). Foto: ONU Meio Ambiente

Mudar padrões de produção e consumo pode ser antídoto contra obesidade, diz FAO

Temas como a demanda global de alimentos, a epidemia de obesidade e as novas tendências de mercado foram abordados pelo diretor-geral da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), o brasileiro José Graziano da Silva, durante congresso promovido pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) na terça-feira (31).

“O maior problema do mundo já não é mais a fome, a fome hoje é algo bem equacionado, a gente sabe onde está, e sabe por que. Ela está basicamente nas regiões de conflito e seca”, declarou.

“Uma epidemia que afeta tantos países desenvolvidos, como os em desenvolvimento, é a obesidade, que é uma questão ainda não equacionada e que vai afetar o futuro da alimentação de uma maneira que nós ainda não conseguimos dizer”, alertou.

Agricultores em comunidade rural da Guatemala. Foto: FAO

FAO e Brasil ajudam Guatemala a melhorar cadastramento de terras

Em visita à Guatemala nesta semana, uma equipe de especialistas do governo brasileiro e da FAO conheceu as instituições e projetos do país centro-americano para avançar no cadastramento de terras e áreas protegidas. O Brasil e a agência da ONU anunciaram que apoiarão as autoridades guatemaltecas em esforços futuros de demarcação, tendo em vista a conservação ambiental e as atividades agrícolas desenvolvidas nos territórios.

O Banco Mundial ouviu a comunidade local sobre suas prioridades de desenvolvimento e para definir a seleção de estradas que precisavam de melhorias. Foto: Banco Mundial

Banco Mundial ouve comunidades locais do Tocantins sobre necessidade de obras em estradas

Miranorte é uma pequena cidade de Tocantins conhecida pela produção de abacaxi. Durante a estação chuvosa, a produção não chegava aos mercados porque as estradas ficavam obstruídas pela água. Em muitos lugares, as rodovias não tinham pontes nem bueiros, o que comprometia a segurança e a acessibilidade.

O Projeto Multissetorial do Banco Mundial em Tocantins se propôs a enfrentar esse e outros desafios. A iniciativa, que incluiu um componente rodoviário rural, decidiu ouvir a comunidade sobre suas prioridades de desenvolvimento e para obter insumos na seleção de estradas que precisavam de melhorias.

A Cooperacre processa as castanhas localmente e comercializa ao mercado doméstico e ao mercado internacional. Foto: Flickr/Sebástian Freire (CC)

ARTIGO: Castanha-do-pará lidera o desenvolvimento sustentável na Amazônia

Em artigo, o diretor do Banco Mundial no Brasil, Martin Raiser, conta a experiência da Cooperativa Central de Comercialização Extrativista do Acre (Cooperacre), fundada há 16 anos por agricultores empreendedores que hoje estão na casa dos 80 anos e concentram uma crescente parcela da produção de castanha-do-pará no Acre.

Os investimentos da Cooperacre foram parcialmente financiados por uma série de projetos multissetoriais do Banco Mundial, com o objetivo de apoiar o desenvolvimento rural integrado e sustentável. Leia o artigo completo.

A Colômbia será um dos primeiros países onde as três agências das Nações Unidas com sede em Roma coordenarão seus planos de ação. Foto: FIDA

Agências da ONU com sede em Roma ampliam colaboração na América Latina e no Caribe

Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) e Programa Mundial de Alimentos (PMA) — as três agências das Nações Unidas com sede em Roma — estão preparando planos de trabalho conjunto para Haiti, Guatemala e Colômbia que incluem a erradicação da pobreza e da fome, a promoção do desenvolvimento rural e agrícola e a prevenção e gestão de desastres naturais.

Solos saudáveis são essenciais para a segurança alimentar. Foto: FAO/Olivier Asselin

FAO pede que G20 promova manejo sustentável do solo

Em Buenos Aires para a reunião de ministros da Agricultura do G20, o representante Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), Julio Berdegué, elogiou a decisão do fórum de definir o manejo da terra como um dos temas centrais do encontro. Especialista alertou durante a conferência que um terço de todo o solo do mundo está degradado. Dirigente também cobrou mais engajamento dos países na promoção global de práticas agrícolas sustentáveis.

Agricultores familiares no Rio de Janeiro. Foto: GERJ/Paulo Filgueiras

Representantes de Brasil e Guatemala discutem políticas públicas de governança da terra

Para fortalecer os laços de cooperação como mecanismo de assistência técnica entre o Brasil e a Guatemala nas políticas públicas de terras, o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) participa de uma missão de 30 de julho a 4 de agosto no país da América Central.

Serão discutidas ações de intercâmbio de experiências e apoio em matéria de governança responsável da terra e a participação no Seminário sobre Governança da Terra e Perspectivas Produtivas para a Guatemala. O relato é da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

As duas maiores instituições da América Latina e do Caribe na área de abastecimento de alimentos, a mexicana Aserca e a brasileira Conab, buscam fortalecer suas capacidades técnicas. Foto: EBC

Companhias de abastecimento de México e Brasil buscam ampliar capacidades técnicas

Representantes dos dois maiores órgãos latino-americanos na área de abastecimento de alimentos, a mexicana Agência de Serviços para a Comercialização e Desenvolvimento de Mercados Agropecuários (Aserca) e a brasileira Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), reúnem-se até quinta-feira (26) na Cidade do México para trocar experiências e fortalecer a segurança alimentar nos dois países.

O encontro busca ampliar as capacidades técnicas dos dois órgãos em termos de apoio à comercialização, operação de mecanismos de gerenciamento de risco de preços e certificação de armazenamento. O relato é da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

Maria Helena Gomes de Souza (70), quebra o babaçu com suas companheiras. Foto: ISPN/Peter Caton

Projeto do PNUD completa 25 anos promovendo produção sustentável no cerrado e caatinga

Presente em mais de cem municípios de 15 estados brasileiros, o Programa de Pequenos Projetos Ecossociais (PPP-ECOS) colocou 950 mil hectares da caatinga e do cerrado sob manejo sustentável. Iniciativa promove técnicas agrícolas e extrativistas ambientalmente responsáveis. Dezesseis mil famílias já foram beneficiadas. Estratégia tem o apoio do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

Família aguarda distribuição de suprimentos do UNICEF na cidade de Hodeida, no Iêmen. Foto: UNICEF

ONU alerta para condições ‘críticas’ em cidade portuária do Iêmen

Funcionários da Organização Internacional para as Migrações (OIM) no Iêmen disseram nesta sexta-feira (20) que a cidade portuária de Hodeida continua “um ambiente difícil” para a entrega de ajuda humanitária a milhares de pessoas deslocadas por intensos confrontos nesta semana.

Hodeida — a principal porta de entrada de alimentos e ajuda humanitária para uma população à beira da inanição — tem sido palco de confrontos entre os rebeldes Houthi, que controlam o porto, e as forças governamentais apoiadas por uma coalizão militar liderada pela Arábia Saudita.

Alunos em escola na Tunísia que tem apoio do PMA para o fornecimento de refeições diárias aos estudantes. Foto: PMA

Centro da ONU visita Tunísia para preparar próximo fórum global de nutrição infantil

Especialistas do Centro de Excelência contra a Fome da ONU concluíram nesta sexta-feira (20) uma viagem à Tunísia para preparar o 20º Fórum Global Anual de Nutrição Infantil, que acontecerá entre 21 e 25 de outubro em Túnis. O evento é a maior conferência internacional dedicada à alimentação escolar. Representantes de mais de 50 países comparecerão ao encontro e são esperadas cerca de 300 pessoas, entre integrantes de governos, ONGs, setor privado e Nações Unidas.

Parlamentares latino-americanos alertam que leis contra a fome podem virar letra morta

Sem orçamento e sem monitoramento, as leis de combate à desnutrição na América Latina e Caribe não terão efeito. O alerta vem das Frentes Parlamentares regionais contra a Fome, que se reuniram neste mês (12), na Guatemala. Mais de 30 deputados e senadores de 19 países discutiram medidas para evitar que legislações sobre o tema virem letra morta, sobretudo tendo em vista a meta da ONU para acabar com a malnutrição até 2030.

Alimentação escolar no Camboja. Foto: PMA/Sharon Freitas

Centro da ONU aposta em assistência remota para combater fome na Ásia

O Centro de Excelência contra a Fome da ONU, com sede no Brasil, presta consultoria técnica para diferentes nações da Ásia. Uma das estratégias adotadas pelo organismo é o uso da assistência remota, que permite o acompanhamento à distância de políticas pelo fim da desnutrição. De acordo com a instituição, modelo deverá ser utilizado ainda mais no futuro, para ampliar o potencial da cooperação Sul-Sul.

“Nunca poderíamos imaginar que eles sequestrariam nossos filhos”, diz Faiza (no centro, de saia vermelha), sentada com outras mães que tiveram suas crianças raptadas. “Eles devem estar mortos agora”. Foto: ACNUR/Colin Delfosse

Mães de crianças desaparecidas quebram silêncio na República Democrática do Congo

“Os rebeldes invadem as nossas aldeias, levam nossos filhos e desaparecem com eles”, conta Augustine. “Eles estupram as meninas e as cortam em pequenos pedaços com facões.”

Há seis anos, a congolesa não vê sua filha. No província de Tanganyika, na República Democrática do Congo, a história se soma a de outras mães que tiveram seus filhos raptados. O relato é da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR).

Campanha #Mulheres Rurais, Mulheres com Direitos reconhece contribuições das agricultoras para a produção sustentável de alimentos. Foto: FAO

FAO realiza concurso de receitas e negócios sustentáveis para mulheres rurais

Estão abertas até 30 de setembro as inscrições para o concurso Saberes e Sabores: as Mulheres Rurais no resgate da alimentação tradicional saudável e na proteção à biodiversidade. É possível concorrer em duas categorias: receitas e saberes gastronômicos ou empreendimentos agrícolas. A iniciativa é da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e da ONU Mulheres.

Cultivo de cacau na Colômbia. Diretrizes da FAO visam equilibrar exploração agrícola e manejo sustentável da terra e recursos naturais. Foto: Banco Mundial/Scott Wallace

Brasil e FAO promovem encontro no Paraguai sobre estatísticas agroambientais

Até amanhã (13), delegações de oito países da América Latina e Caribe estarão em Assunção, no Paraguai, para definir estatísticas comuns no monitoramento de políticas agroambientais. Cúpula é promovida pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e pelo Ministério do Meio Ambiente do Brasil. Com indicadores padronizados, será possível acompanhar a implementação das recomendações da agência da ONU sobre o tema.

Segundo os especialistas da ONU, cinco dos dez pesticidas mais vendidos no Brasil não são autorizados em diversos outros países devido a seus riscos à saúde humana ou ecossistemas. Foto: EBC

Mudanças na lei de agrotóxicos no Brasil violariam direitos humanos, afirmam relatores da ONU

Relatores das Nações Unidas enviaram no início de junho (13) um comunicado ao governo brasileiro manifestando preocupações com as propostas de mudança da lei de agrotóxicos no país. Os especialistas alertaram que, caso aprovadas, tais alterações violarão direitos humanos de trabalhadores rurais, comunidades locais e consumidores dos alimentos produzidos com a ajuda de pesticidas.

De acordo com os relatores, alguns pontos do projeto de lei revisam as regulações para registro de pesticidas e seu uso no Brasil com o objetivo de tornar as regras mais flexíveis, facilitando o registro e a propaganda desses produtos no país. Essas modificações podem enfraquecer a regulação e o controle de pesticidas perigosos no Brasil, maior consumidor e importador desses produtos no mundo.

As atividades da região foram divididas em três eixos integrados: ambiental, produtivo e social. Foto: PNUD

Recuperação de áreas degradadas em Sergipe ajuda no combate à desertificação

Os municípios de Canindé de São Francisco e Poço Redondo ficam no Alto Sertão Sergipano, a cerca de 200 quilômetros da capital do estado, Aracaju. Ambos os municípios têm baixo Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM). Apesar da proximidade com o rio São Francisco, um dos problemas mais sérios dos moradores desses municípios é a desertificação e a degradação da terra, agravadas pelos efeitos da seca.

É nesse contexto que faz toda a diferença o projeto Manejo do Uso Sustentável de Terras do Semiárido do Nordeste Brasileiro (Sergipe), implementado por meio de parceria entre o Ministério do Meio Ambiente, o Governo do Estado de Sergipe e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), com recursos do Fundo para o Meio Ambiente Global (GEF).

A brucelose bovina é uma doença transmissível que ataca bovinos, outras espécies animais e o homem. Foto: EBC

Mais de 60% dos organismos causadores de doenças chegam aos humanos por animais vertebrados

Você sabe o que são zoonoses? O nome é estranho, mas a ideia é bem clara: são doenças que os animais vertebrados, como o boi ou o cachorro, podem transmitir naturalmente para o homem. A AIDS, a gripe suína H1N1, a influenza aviária H5N1 e o ebola são exemplos dessas patologias.

Para alertar sobre os riscos trazidos por essas enfermidades, instituições internacionais lembram o Dia Mundial das Zoonoses, observado em 6 de julho.

Participantes do evento na Argélia discutiram as políticas nacionais e respostas programáticas à insegurança alimentar. Foto: PMA

Centro de Excelência contra a Fome participa de evento sobre segurança alimentar na Argélia

Representantes do Centro de Excelência contra a Fome, fruto de uma parceria entre o governo brasileiro e o Programa Mundial de Alimentos (PMA) das Nações Unidas, participaram na semana passada (2) de um seminário sobre segurança alimentar e nutricional na Argélia.

O evento foi uma oportunidade para ministérios e parceiros de instituições técnicas trabalharem juntos e iniciarem um diálogo sobre conclusões preliminares a respeito das lacunas e recomendações para a segurança alimentar no país.