Fome zero e agricultura sustentável

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número dois diz: “Acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar e melhoria da nutrição e promover a agricultura sustentável”. Mais sobre este ODS em https://nacoesunidas.org/pos2015/ods2 e notícias sobre o tema abaixo.

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número dois diz: “Acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar e melhoria da nutrição e promover a agricultura sustentável”.

 

Mais sobre este ODS em https://nacoesunidas.org/pos2015/ods2 e notícias sobre o tema abaixo.

Mudanças climáticas ameaçam a Amazônia e, consequentemente, disponibilidade de recursos hídricos para países da região. Foto: Flickr (CC) / Dams999

FAO visita unidade da Embrapa para conhecer inovações em pesquisa florestal

O representante da FAO no Brasil, Alan Bojanic, visitou na semana passada (16) o escritório da Embrapa Florestas, em Colombo, região metropolitana de Curitiba (PR).

Em reunião com a chefia da unidade, Bojanic disse que, para a FAO, “é fundamental conhecer as inovações que estão acontecendo no campo da pesquisa florestal, o desenvolvimento tecnológico, pois é nosso papel facilitar a adoção destas tecnologias”.

Modelo de selo preto em formato de triângulo com advertência na embalagem dos produtos foi proposto pelo IDEC. Foto: IDEC

Agência da ONU volta a defender selo de advertência em rótulos de alimentos no Brasil

A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) voltou a defender nesta sexta-feira (20), durante o 25º Congresso Brasileiro de Nutrição (CONBRAN 2018), a aplicação de ícones frontais de advertência nutricional nos rótulos de alimentos no Brasil. O tema está sendo analisado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), com a participação de diversas instituições.

“Recomendamos aos países da região das Américas, de forma sistemática, a adoção do modelo de advertência frontal”, afirmou a coordenadora da Unidade de Determinantes da Saúde, Doenças Crônicas não Transmissíveis e Saúde Mental da OPAS/OMS no Brasil, Katia Campos.

Na imagem, poluição atmosférica na cidade de São Paulo. Foto: Flickr/Thomas Hobbs (cc)

Poluentes de vida curta ameaçam clima, saúde e produção agrícola na América Latina, diz ONU

Até 2050, se adotarem medidas para combater os poluentes de vida curta, países da América Latina e do Caribe poderão reduzir em 0,9ºC o aumento da temperatura regional.

A estimativa é de um relatório divulgado neste mês (19) pela ONU Meio Ambiente, que alerta para os riscos à saúde, à natureza e à produção agrícola de substâncias como o metano, o carbono negro, os hidrofluorocarbonos (HFC) e o ozônio.

Seminário na Bolívia discutiu estratégias para eliminar febre aftosa na América do Sul até 2020. Foto: OPAS

Seminário da ONU debate como erradicar febre aftosa na América do Sul até 2020

Para discutir estratégias de saúde animal que levem à eliminação da febre aftosa na América do Sul, o Centro Pan-Americano de Febre Aftosa (PANAFTOSA), instituição de pesquisa das Nações Unidas, reuniu para um seminário na Bolívia cerca de 240 especialistas de mais de 20 países. Cientistas, gestores e produtores agrícolas têm a expectativa de ver a doença erradicada na região até 2020.

Atividade realizada em Brasília (DF) teve o objetivo de refletir e incentivar a cidadania alimentar com base no afeto, nas tradições e no direito. Foto: PEXELS

Oficina em Brasília lembra importância da alimentação baseada em afeto, tradições e direito

A Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) e o Observatório de Políticas de Segurança Alimentar e Nutrição da Universidade de Brasília (OPSAN) organizaram na quarta-feira (18), como parte do 25º Congresso Brasileiro de Nutrição (CONBRAN), a oficina “Por uma comida que seja nossa!”.

A atividade, que aconteceu no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília (DF), teve o objetivo de gerar reflexões e promover a cidadania alimentar com base no afeto, nas tradições e no direito.

Segundo a OPAS/OMS, evidências científicas recentes apontam que medidas regulatórias têm impacto na prevenção e controle da obesidade. Foto: EBC

OMS destaca importância da educação alimentar para melhorar nutrição no Brasil

A Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) participou na quarta-feira (18) da abertura do 25º Congresso Brasileiro de Nutrição (CONBRAN 2018). Na ocasião, a coordenadora da Unidade de Determinantes da Saúde, Doenças Crônicas Não Transmissíveis e Saúde Mental da OPAS/OMS no Brasil, Katia Campos, ressaltou que há uma série de medidas essenciais para melhorar a nutrição no Brasil.

“Uma das principais é a educação alimentar e nutricional, que precisa estar articulada com outras ações de política pública, a exemplo da taxação de bebidas adoçadas, da regulação de ambientes escolares e da rotulagem nutricional frontal de alimentos processados e ultraprocessados”, enumerou.

Projeto Dom Helder Câmara visa melhorar condições de vida de agricultores familiares do semiárido brasileiro. Foto: Agência Brasil/Wilson Dias

Projeto de fundo da ONU chega a 11 estados brasileiros para estimular crescimento no semiárido

Retomado no ano passado, o projeto Dom Helder Câmara foi ampliado para beneficiar 60 mil famílias que vivem em zonas rurais do semiárido brasileiro. O programa, que é financiado pelo Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA), está presente agora em 11 estados. No início de abril, gestores da iniciativa rodaram por seis de todas as unidades federativas beneficiadas para divulgar ações futuras.

A FAO e o governo brasileiro recebem até 13 de abril inscrições para curso semipresencial sobre programas sustentáveis de alimentação escolar. Foto: PMA / Ana Claudia Costa

ONU recebe inscrições para concurso sobre alimentação escolar na América Latina e Caribe

Competição da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) visa dar visibilidade a projetos que melhoram o fornecimento de refeições em centros de ensino. Podem participar governos municipais e nacionais, universidades e associações de pais, mães ou agricultores. Inscrições vão até 15 de junho. Premiação inclui verba em dinheiro para a compra de equipamentos usados no preparo de alimentos em escolas.

No Camboja, cerca de um terço da população vive abaixo ou um pouco acima da linha da pobreza e dependem da agricultura como única atividade geradora de renda. Devido ao Sistema Participativo de Garantia (SPG), um programa implementado pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), esta família cambojana foi capaz de escapar da pobreza cultivando produtos orgânicos de maneira sustentável.

FAO ajuda agricultores no Camboja a gerar renda e fugir da pobreza; vídeo

No Camboja, cerca de um terço da população vive abaixo ou um pouco acima da linha da pobreza e dependem da agricultura como única atividade geradora de renda. Devido ao Sistema Participativo de Garantia (SPG), um programa implementado pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), esta família cambojana foi capaz de escapar da pobreza cultivando produtos orgânicos de maneira sustentável. Confira no vídeo.

Luciana prepara seu arroz com partes de alimentos que são nutritivas, mas que são normalmente descartadas. Foto: PMA/Isadora Ferreira

Merendeira de Minas Gerais ajuda escola pública a reduzir desperdício de alimentos

Luciana Aparecida Pinheiro é merendeira de uma escola primária em São Sebastião do Paraíso, em Minas Gerais. A cozinheira criou uma receita de arroz com frango e partes de vegetais que normalmente são jogadas no lixo, como as folhas da beterraba e a casca da abóbora. O prato mudou o funcionamento da cozinha e os hábitos dos alunos e suas famílias.

No ano passado, a receita rendeu à Luciana o prêmio do Concurso Melhores Receitas da Alimentação Escolar, apoiado pela FAO e pelo Centro de Excelência contra a Fome da ONU.

No início de abril, uma missão das Nações Unidas – liderada pelo Programa Mundial de Alimentos – visitou a cidade de Raqqa, na Síria, mesmo em meio à restrição de movimentos e à falta de sinais de internet e telefone. O PMA está se preparando para fornecer alimentação a cerca de 30 mil pessoas entre as mais vulneráveis na cidade atingida brutalmente pela guerra que já dura mais de 7 anos. Confira no vídeo

Síria: Programa Mundial de Alimentos se prepara para ajudar 30 mil pessoas em Raqqa

No início de abril, uma missão das Nações Unidas – liderada pelo Programa Mundial de Alimentos – visitou a cidade de Raqqa, na Síria, mesmo em meio à restrição de movimentos e à falta de sinais de internet e telefone. O PMA está se preparando para fornecer alimentação a cerca de 30 mil pessoas entre as mais vulneráveis na cidade atingida brutalmente pela guerra que já dura mais de 7 anos. Confira no vídeo.

O Brasil tem boas práticas na área de conservação de solos, mas é preciso divulgá-las ainda mais entre os agricultores, segundo representante da FAO no país. Foto: EBC

Agência da ONU elogia práticas brasileiras de conservação do solo

O Brasil tem boas práticas de conservação de solos, como, por exemplo, a integração lavoura–pecuária–floresta, mas é preciso divulgá-las ainda mais entre os agricultores, destacou nesta quinta-feira (12) o representante da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) no Brasil, Alan Bojanic, durante o seminário “Conservação de solo: Sustentabilidade na produção de alimentos e na segurança hídrica”, realizado em Brasília (DF).

Publicação da OMS e do UNICEF visa encorajar aleitamento materno em unidades de saúde. Foto: OMS/Anuradha Sarup

ONU lança orientações para estimular amamentação em unidades de saúde

Divulgada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), publicação sobre aleitamento materno em unidades de saúde dá orientações a profissionais para que incentivem a amamentação. Material também traz recomendações para os pais de recém-nascidos. A alimentação dos bebês com leite materno pelos dois primeiros anos pode salvar a vida de mais de 820 mil crianças.

Representante da FAO participou de fórum de agronegócio em Londrina (PR), onde e ressaltou o papel do Brasil na produção de alimentos. Foto: FAO/Olivier Thuillier

FAO destaca papel do Brasil na resposta à demanda global por alimentos

O representante da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) no Brasil, Alan Bojanic, participou na segunda-feira (9) do 3º Fórum do Agronegócio, que debateu o protagonismo do agronegócio brasileiro pelo mundo, as estratégias para consolidar novos mercados e as soluções para os problemas que atingem o setor, como infraestrutura, armazenamento, competitividade e logística.

Bojanic destacou o papel do Brasil na resposta à demanda global por alimentos. “Até 2024, 2027 temos certeza de que o Brasil estará produzindo 300 milhões de toneladas de grãos, o que é chave para nós que pensamos em segurança alimentar para a população de todo o planeta”, afirmou. Para Bojanic, o Brasil precisa exportar conhecimento, ser modelo de sustentabilidade e líder em empreendedorismo.

Venezuelanos que vivem na Praça Simón Bolívar, em Boa Vista, fazem fila para receber alimentos fornecidos por membros da comunidade local. Foto: ACNUR/Reynesson Damasceno

Voluntários brasileiros apoiam venezuelanos que chegam a Boa Vista

“Deixamos tudo na Venezuela”, diz Nayebis, de 34 anos. “Não temos onde morar ou dormir e não temos nada para comer. Viemos para o Brasil em busca de solidariedade e apoio”.

Um grupo de voluntários brasileiros atendeu o chamado. A advogada Ana Lucíola Franco e a médica Eugênia Moura fundaram a SOS Hermanos, um grupo solidário que arrecada alimentos, roupas, móveis e eletrodomésticos para quem precisa. O relato é da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR).

Projeto Bem Diverso na comunidade do Alto do Rio Pardo de MG. Foto: Projeto Bem Diverso

Conferência discute direitos e desafios de comunidades tradicionais do norte de MG

Assim como os indígenas e quilombolas, as populações tradicionais do norte de Minas Gerais, conhecidas como “geraizeiros”, têm formas próprias de organização social, ocupação e manejo de territórios e recursos naturais, que são condição para sua reprodução cultural, social, religiosa, ancestral e econômica. O grupo utiliza conhecimentos, inovações e práticas gerados e transmitidos pela tradição.

Com o apoio do Projeto Bem Diverso, iniciativa do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) que capacita comunidades rurais para a produção sustentável, ocorre de 6 a 8 de abril em Catanduva, município de Vargem Grande do Rio Pardo (MG), a 5ª Conferência Geraizeira, que discutirá os desafios atuais e comuns a essas comunidades.

O Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas (PMA) relatam que, em três estados afetados por conflitos na Nigéria, a situação das famílias vulneráveis vem melhorando devido à assistência humanitária. Apesar disso, com a chegada da estação chuvosa em junho, elas poderão ficar sem o reabastecimento de alimentos.

Na Nigéria, programa da ONU apoia 1,2 milhão de pessoas afetadas pelo Boko Haram

O Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas (PMA) relata que, em três estados afetados por conflitos na Nigéria, a situação das famílias vulneráveis vem melhorando devido à assistência humanitária. Apesar disso, com a chegada da estação chuvosa em junho, elas poderão ficar sem o reabastecimento de alimentos.

Apesar dos desafios de segurança, o PMA distribui alimentos como arroz, óleo de cozinha, sorgo, sal e alimentos nutricionais especializados para mais de 1,2 milhão de pessoas em todas as áreas afetadas pela Boko Haram na Nigéria. Cerca de 70% dos alimentos distribuídos são adquiridos localmente, ajudando os agricultores nigerianos.

Há também apoio financeiro em lugares onde os mercados estão funcionando, permitindo que as pessoas comprem uma variedade maior de alimentos frescos e ajudem a economia local.

Confira nessa matéria em vídeo.

O Brasil tem boas práticas na área de conservação de solos, mas é preciso divulgá-las ainda mais entre os agricultores, segundo representante da FAO no país. Foto: EBC

FAO e Ministério do Meio Ambiente buscam combater desertificação em áreas degradadas

A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e o Ministério do Meio Ambiente lançaram em fevereiro iniciativa que visa a recuperação de terras degradadas, denominada projeto Redeser. As ações começarão no Maranhão, em quatro municípios com alto risco de desertificação — Barreirinhas, Tutoia Matões e Água Doce. Posteriormente, serão estendidas para os estados de Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Bahia e Alagoas.

Segundo o representante da FAO no Brasil, Ala Bojanic, o projeto integra o escopo da Convenção das Nações Unidas para o Combate à Desertificação e Mitigação dos Efeitos das Secas. “É essencial recuperar e manter a terra hoje, para garantir comida para o futuro”, declarou.

Agricultura familiar é tema de fórum regional com representantes dos estados do Nordeste e Minas Gerais. Foto: MDA

ONU e governos estaduais debatem igualdade de gênero nas zonas rurais do Nordeste

O Ceará recebeu em março a 11ª edição do Fórum Regional dos Gestores Responsáveis pelas Políticas de Apoio à Agricultura Familiar do Nordeste e Minas Gerais. O Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) levou para o evento debates sobre a igualdade entre homens e mulheres no campo. Projetos de fomento produtivo, implementados pela agência da ONU em cinco estados nordestinos, também entraram na pauta das discussões.

Suad, de 18 anos, implora no meio da estrada entre a capital do Iêmen, Sana'a, e Saada com seu sobrinho de apenas 4 anos, cuja mãe foi morta no conflito. Em todo o país, que está em guerra desde 2015, mais de 22 milhões de pessoas precisam de assistência humanitária. Foto: Giles Clarke/OCHA

Iêmen: doadores prometem US$ 2 bi em apoio humanitário; ONU pede solução política

Um apelo que levantou cerca de 2 bilhões de dólares para ajudar milhões de pessoas no Iêmen foi um “notável sucesso de solidariedade internacional” para uma população “cansada da guerra” no Iêmen. No entanto, a ajuda por si só não fornecerá uma solução para o conflito, disse nesta terça-feira (3) António Guterres, secretário-geral das Nações Unidas.

Em 2017, o pior surto de cólera do mundo até hoje afetou 1 milhão de iemenitas, e a difteria está agora em alta no que já era um dos países mais pobres e vulneráveis da região antes do início dos combates. Os últimos dados da ONU indicam que um recorde de 22,2 milhões de pessoas – cerca de 75% da população – agora precisam de ajuda humanitária.

Maria do Carmo Vieira Araujo, 50, Ednalva Maria de Jesus, 31, e Dilma Jesus Panteleon, 40, descascam raízes de mandioca na Cooperativa na Aldeia Marcação Kiriri, perto de Ribeira do Pombal, no Estado da Bahia (12 de abril de 2016). O projeto permitiu mulheres a trabalhar, socializar, processar e vender os seus produtos de modo a sustentar a sua comunidade. O Projeto de Desenvolvimento Rural Sustentável da Região Semiárida da Bahia (Projeto Pró-semiárido), cofinanciado pelo FIDA, tem trabalhado com o povo Kiriri para permitir que eles utilizem seu conhecimento tradicional e tradições como fundamento para construir seu sustento. Foto: IFAD/Lianne Milton/Panos

Bahia e ONU debatem futuro de parceria para combater pobreza no meio rural

Representantes do governo da Bahia e do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) se reuniram em março (20) para avaliar o andamento do Pró-Semiárido, projeto de combate à miséria em comunidades rurais do estado. Atualmente, a iniciativa é implementada nos 32 municípios com os mais altos índices de pobreza do semiárido baiano. Programa fomenta crescimento produtivo e capacitação de agricultores.

Projeto do FIDA e do governo do Piauí visa fortalecer produção agrícola do Semiárido. Foto: FIDA/Larissa Machado

Projeto de fundo agrícola da ONU inspira Piauí a promover igualdade de gênero no campo

Para acabar com as desigualdades de gênero no meio rural, o governo do Piauí instituiu na semana passada (26) o Comitê de Políticas Públicas para as Mulheres Rurais. Organismo ficará responsável por assegurar direitos e acesso a terra, crédito e documentação para agricultoras.

No estado, o projeto Viva o Semiárido, fruto de parceria das autoridades com o Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola das Nações Unidas (FIDA), já implementava ações voltadas para a inclusão produtiva das mulheres no campo. A estratégia da iniciativa para abordar disparidades entre homens e mulheres foi elaborada com o apoio de consultores da ONU e inspirou a criação do novo comitê estadual.

Criação de gado em Caxanga, no Pará, Brasil. Foto: Flickr (CC)/Kelly Sato

ONU participa de celebrações do Brasil pela erradicação da febre aftosa

Teve início na segunda-feira (2) a “Semana Brasil Livre de Febre Aftosa”, organizada pelo Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento e com a participação do Centro Pan-Americano para a doença (PANAFTOSA). Evento celebra a conquista do país sul-americano, que alcançou o status de nação livre da patologia. Reconhecimento oficial será anunciado em maio, na 86º Assembleia da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE).

Mulheres representam 20% da mão de obra do setor agrícola na América Latina e Caribe. Foto: Banco Mundial/Romel Simon

ARTIGO: O concerto da inclusão

Em artigo publicado no jornal Valor Econômico, o chefe da FAO, José Graziano da Silva, cobra mais vontade política na América Latina e Caribe para enfrentar a fome e a pobreza, problemas que se agravaram em anos recentes com a desaceleração econômica regional e o fim do ciclo das commodities.

Para o dirigente, governos não devem esperar a próxima onda de expansão global para lidar com o crescimento da miséria. Cenário atual foi descrito como “teste de sobrevivência da democracia e das lideranças na região”.

Cultivo de mandioca no semiárido piauiense. Foto: FIDA/Manuela Cavadas

Evento em Brasília lança nova fase de programa para desenvolvimento agrícola do Nordeste

O Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) e o Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA) reuniram no início do mês (15) em Brasília (DF) autoridades e representantes da sociedade civil para o lançamento do Programa Semear Internacional.

O programa procura incrementar o impacto e a eficiência de programas e políticas de combate à pobreza rural no Nordeste.

Secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, reúne-se com príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman Al Saud. Foto: ONU/Eskinder Debebe

ONU recebe US$1 bi de Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos para resposta à crise no Iêmen

O secretário-geral da ONU, António Guterres, manifestou profunda gratidão pelos 930 milhões de dólares fornecidos na terça-feira (27) por Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos para o Fundo Humanitário do Iêmen.

Na segunda-feira (26), três anos depois de uma coalizão liderada pela Arábia Saudita intervir na guerra no país, Guterres disse que a escalada militar não é solução para o conflito, e pediu contenção para as partes envolvidas.