Fome zero e agricultura sustentável

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número dois diz: “Acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar e melhoria da nutrição e promover a agricultura sustentável”. Mais sobre este ODS em https://nacoesunidas.org/pos2015/ods2 e notícias sobre o tema abaixo.

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número dois diz: “Acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar e melhoria da nutrição e promover a agricultura sustentável”.

 

Mais sobre este ODS em https://nacoesunidas.org/pos2015/ods2 e notícias sobre o tema abaixo.

Foto: PMA/Antony Njuguna

Centro de ONU lança vídeos sobre iniciativas de proteção social e alimentação escolar

O Centro de Excelência contra a Fome, organismo do Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas (PMA), está divulgando neste mês uma série de vídeos sobre seu trabalho na área de proteção social. A instituição ajuda 18 países do Sul global a desenvolver projetos de combate à fome e à pobreza. Entre os destaques das atividades do Centro, estão iniciativas na área de alimentação escolar e segurança nutricional.

Guilherme Costa é novo presidente do Codex Alimentarius. Foto: Codex/Bin Han

Brasileiro Guilherme Costa é eleito presidente de comissão da ONU sobre regulação de alimentos

O veterinário brasileiro Guilherme Costa foi eleito neste mês (18) o novo presidente da Comissão Codex Alimentarius, organismo criado por agências da ONU para proteger a saúde do consumidor e garantir práticas justas no comércio de alimentos. Votação foi realizada durante a 40ª sessão da entidade. Essa é a primeira vez em que o Brasil ocupa o cargo. Há mais de 30 anos, nenhum país das Américas chefiava a comissão.

Fundação Banco do Brasil reconhece projetos sociais. Imagem: Fundação BB

Fundação Banco do Brasil divulga projetos sociais reconhecidos por premiação em parceria com a ONU

A Fundação Banco do Brasil divulgou nesta terça-feira (25) o resultado da primeira fase do seu Prêmio de Tecnologia Social. Das 735 iniciativas inscritas neste ano, 173 foram consideradas aptas para receber a certificação oferecida pela instituição. Em 2017, a premiação conta com a parceria da UNESCO, da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), do Banco Mundial e do Programa da ONU para o Desenvolvimento (PNUD).

O arroz (foto) pode ser contaminado pelo arsênio – um semimetal inodoro e insípido encontrado nas rochas e no solo. Ele entra na cadeia alimentar principalmente através de culturas que absorvem água de irrigação contaminada. Foto: FAO / J.Belgrave

Novas normas alimentares da ONU regulam medicamentos para gado e higienização de frutas e verduras

O organismo das Nações Unidas que estabelece os padrões dos alimentos adotou uma série de medidas para garantir maior segurança alimentar. Elas incluem os limites máximos de resíduos para uma variedade de medicamentos utilizados em gados e outros animais, além de revisões que orientam as práticas agrícolas e higiênicas para minimizar os perigos microbianos, químicos e físicos em frutas e vegetais.

Projeto do PNUD para capacitação em artesanato de mulheres em Bangladesh. Foto: ONU/W. Wild

Centro da ONU lança revista sobre metodologia de combate à pobreza

O Centro Internacional de Políticas para o Crescimento Inclusivo (IPC-IG) lançou neste mês a nova edição de sua principal publicação — a revista Policy in Focus. Periódico aborda as conquistas, mas também as controvérsias, da chamada ‘Graduation Approach’, uma metodologia de combate à extrema pobreza desenvolvida no início da década passada. Iniciativa combina transferência de recursos, capacitação e acesso a serviços.

Crianças se alimentam em uma escola no Timor-Leste, com refeições fornecidas pelo Programa Mundial de Alimentos da ONU, PMA, e o Ministério da Educação do país asiático. Foto: ONU/Martine Perret

Na ONU, países reafirmam compromisso com Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

Em Nova Iorque, líderes de mais de 70 países se reuniram no Fórum Político de Alto Nível da ONU para debater os progressos e desafios da Agenda 2030 para o desenvolvimento sustentável.

Relatório do secretário-geral da organização sobre os progressos realizados em prol dos ODS mostrou que, apesar de o progresso global ter sido evidente em muitos casos, foi desigual nos países e regiões. Além disso, os avanços foram considerados insuficientes em diversos objetivos.

Menina em Guaribas, no sul do Piauí, cidade escolhida para lançar o programa Fome Zero em 2003 no Brasil. Foto: Agência Brasil

FAO realiza concurso para jornalistas que abordam combate à fome

Até 31 de julho, jornalistas, cinegrafistas e fotógrafos podem inscrever reportagens num concurso da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO) sobre o direito a alimentação. Vencedores ganharão uma viagem — com passagens e estadia pagas — para Montevidéu, onde apresentarão seus trabalhos para mais de mil legisladores das Frentes Parlamentares contra a Fome na América Latina e no Caribe

Servidores de 10 países recebem treinamento da FAO sobre gestão da posse de terra

Turma começou treinamento nesta semana e conta com 30 alunos, que são funcionários dos governos do Brasil, Colômbia, Equador, El Salvador, Guatemala, Panamá, Paraguai, Peru, República Dominicana e Uruguai. Participantes receberão conteúdos que abordam como o reconhecimento dos direitos legítimos da posse de terra é capaz de reduzir litígios. A validação legal também é importante para garantir o uso sustentável dos recursos naturais.

No Quênia, até 3 milhões de pessoas estão lutando para encontrar o suficiente para comer, em meio ao avanço da mais recente seca. A chuva insuficiente nos últimos dois anos teve como resultado uma colheita fraca e um gado dizimado em algumas partes do país.

Avanço da seca no Quênia ameaça 3 milhões de pessoas, alerta agência agrícola da ONU

No Quênia, até 3 milhões de pessoas estão lutando para encontrar o suficiente para comer, em meio ao avanço da mais recente seca. A chuva insuficiente nos últimos dois anos teve como resultado uma colheita fraca e um gado dizimado em algumas partes do país.

Segundo estimativas do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola das Nações Unidas, o FIDA, algumas regiões podem chegar a níveis de emergência até setembro deste ano, enquanto muitas famílias estão comendo apenas uma vez ao dia. Confira nesse vídeo.

Aldeia Paikum, TI Bakairi (MT), empenhada na produção de adubo orgânico. Foto: FUNAI

UNICEF e Mato Grosso promovem seminário para discutir direitos dos jovens indígenas

Em Barra da Graça, no Mato Grosso, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) promove na quinta-feira (20) o seminário “Atenção à Criança e ao Adolescente Indígena no Selo UNICEF – Edição 2017/2020”. Objetivo do encontro é definir propostas para enfrentar a mortalidade e a desnutrição infantis, o sub-registro de nascimento e as lacunas na oferta de educação para crianças e adolescentes indígenas do estado.

Pai e filhas em Beirute, no Líbano. Foto: Banco Mundial/Dominic Chavez

ONU abre chamada de artigos para revista sobre proteção social no Oriente Médio e norte da África

O Centro Internacional de Políticas para o Crescimento Inclusivo (IPC-IG) abriu nesta semana (17) a chamada de artigos para a nova edição da sua principal publicação, a revista Policy in Focus. O próximo volume abordará como políticas de proteção social não contributivas estão mudando países o Oriente Médio e do Norte da África — região conhecida pela sigla MENA, em inglês. Prazo para envio de propostas é 28 de julho.

Usina da COOPERCUC consegue processar 500 kg de fruta por dia. Foto: FIDA/Juan Cortes Carrasbal

Cooperativa do semiárido baiano expande produção com apoio do fundo agrícola da ONU

Há mais de uma década, mulheres do semiárido baiano decidiram liderar uma associação de cultivo de frutos silvestres, como o umbu, o maracujá e a goiaba. Hoje, a Cooperativa Agropecuária Familiar de Canudos, Uauá e Curaçá (COOPERCUC) vende anualmente 280 mil dólares em produtos comercializados mundo afora. Iniciativa recebeu apoio do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola das Nações Unidas (FIDA).

Iêmen enfrenta guerra, escassez de alimentos e água e surto de cólera. Foto: OMSIêmen enfrenta guerra, escassez de alimentos e água e surto de cólera. Foto: OMS

Dirigentes da ONU pedem a lideranças políticas do Iêmen que busquem a paz

Em pronunciamento no Conselho de Segurança sobre a conjuntura no Iêmen, dirigentes da ONU cobraram nesta semana (10) que lideranças políticas locais ouçam os apelos da sociedade civil por paz. O país vive uma crise humanitária descrita como o “resultado direito” do conflito civil que debilitou o acesso a serviços básicos. Atualmente, mais de 20 milhões de pessoas precisam de ajuda humanitária e 7 milhões correm risco de passar fome.

Paraguai, Bolívia e Brasil discutem projeto transfronteiriço para erradicação da febre aftosa

No Rio de Janeiro, representantes da indústria pecuária da Bolívia, Paraguai e Brasil se reuniram no início do mês (3) com o diretor e especialistas do Centro Pan-Americano de Febre Aftosa (PANAFTOSA). Encontro discutiu projeto transfronteiriço entre os três países para eliminar a doença. Iniciativa será financiada pelo Grupo Interamericano para a Erradicação da Febre Aftosa (GIEFA), que também participou dos diálogos na capital fluminense.

José Graziano da Silva, à esquerda, e Roberto Azevêdo, à direita. Foto: OMC

ARTIGO: Unidas pela segurança dos alimentos

Em artigo publicado na imprensa brasileira, os brasileiros Roberto Azevêdo, da Organização Mundial do Comércio (OMC), e José Graziano da Silva, da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Alimentação (FAO), explicam como as atividades das duas agências da ONU se complementam e defendem a importância dos padrões internacionais de qualidade para produtos alimentícios. Normas garantem que a comida que chega à mesa das pessoas seja mais saudável, segura e barata.

Um bebê tem a circunferência do meio do braço esquerdo medida como forme de identificar sinais de desnutrição. A área vermelha, até 12cm, indica desnutrição grave; a amarela (13cm) indica desnutrição moderada; enquanto a verde (14cm) é um bom indicador. Foto: UNICEF / Connelly

Desnutrição infantil retira mais de US$ 1 bilhão da economia da República Democrática do Congo

A economia da República Democrática do Congo (RDC) está perdendo cerca de 4,5% do produto interno bruto (PIB) para os efeitos da desnutrição infantil, de acordo com um estudo apoiado pelas Nações Unidas divulgado nesse mês. “Esses resultados exigem que todos nós atuemos agora para evitar futuras perdas causadas pela fome”, disse o diretor de campo do Programa Mundial da Alimentos da ONU (PMA), Claude Jibidar.

Crianças se banham em um lago formado por poços de escavação em Bentiu, Sudão do Sul. Em todo o país, apenas 41% das crianças têm acesso a água segura e limpa. Foto: UNICEF / Hatcher-Moore

Cinco anos após a independência do Sudão do Sul, crianças têm infância negada

Sudão do Sul está em conflito desde dezembro de 2013, com ao menos 2,5 mil crianças mortas ou feridas, e mais de 2 milhões de crianças deslocadas ou procurando refúgio em países vizinhos. Centenas também foram estupradas e sexualmente abusadas.

“O dia de independência de um país deve ser celebrado. No entanto, hoje, no Sudão do Sul, não haverá comemoração para os milhões de crianças envolvidas nesse conflito”, disse Mahimbo Mdoe, representante do UNICEF no país, por ocasião do dia da independência do país, 9 de julho.

VÍDEO: O que é desenvolvimento sustentável?

Governo brasileiro enfatiza responsabilidade fiscal em relatório sobre objetivos globais da ONU

Em relatório sobre os objetivos globais a ser apresentado na sede da ONU em Nova Iorque a partir desta semana, o governo brasileiro enfatiza a importância da responsabilidade fiscal para atingir os princípios de responsabilidade socioambiental presentes na Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.

“No Brasil, aprendemos, na prática, que é vazio falar em responsabilidade social e ambiental na ausência de responsabilidade fiscal”, diz o texto de apresentação do relatório, assinado pelo presidente Michel Temer. “Ao repor ordem nas finanças públicas, recuperamos a confiança que se traduz em mais investimentos de qualidade, em mais atividade econômica, em mais trabalho decente”, completa.

Alimentação escolar no Senegal. Foto: PMA/Benedicte Pansier

No Senegal, programa da ONU triplica produtividade agrícola e aumenta áreas cultivadas em quase 400%

No Senegal, as regiões cobertas pelo Programa de Aquisição de Alimentos para a África — PAA África — tiveram seus índices de produtividade agrícola triplicados após a implementação da iniciativa. Taxas médias de produção passaram de 0,8 tonelada por hectare para 2,57 toneladas.

O projeto também aumentou as áreas cultivadas — de 51 hectares para 245 — e fez duplicar a produção de arroz. Avanços foram divulgados e debatidos ao final de junho, durante seminário sobre a continuidade da estratégia.

Organizações alertam para riscos de o Brasil não conseguir atingir os objetivos de erradicar a pobreza e a fome. Foto: EBC

ONGs veem cenário brasileiro preocupante para os objetivos globais da ONU

Mais de 20 organizações da sociedade civil apresentam a partir desta semana em reunião da ONU em Nova Iorque relatório sobre a implementação no Brasil da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.

Segundo as organizações, o Brasil corre risco de retrocessos na busca pelos sete Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) que serão analisados no fórum — entre eles, a erradicação da pobreza, a fome zero e a agricultura sustentável, a garantia da saúde e do bem-estar e a igualdade de gênero.

As ONGs elogiaram, por outro lado, a criação da Comissão Nacional dos ODS, a única da América Latina com representação paritária entre governo e sociedade civil. Leia a reportagem completa.

ONU Mulheres foi uma das entidades apoiadoras da Marcha das Mulheres Negras, em 2015. À direita, a diretora-executiva da ONU Mulheres, Phumzile Mlambo-Ngcuka Foto: ONU Mulheres/Bruno Spada

ONU Mulheres e movimento de mulheres negras discutem em Brasília ações para Agenda 2030

A representante da ONU Mulheres Brasil, Nadine Gasman, apresentou no fim de junho (27) em Brasília a estratégia de comunicação e ação política “Mulheres Negras Rumo a Um Planeta 50-50 em 2030” para organizações brasileiras de mulheres negras.

Segundo Nadine, este é o momento de as organizações traçarem um posicionamento para atuação conjunta, garantindo o cumprimento da Agenda 2030 e por um Planeta 50-50. “Nós contamos com as organizações de mulheres negras do país para traçar os rumos dessa estratégia. Somente vamos obter êxito se trabalharmos conjuntamente. Há muito o que ser feito, e a ONU Mulheres está disposta atuar como colaboradora desse processo”, declarou.

Mulher prepara campo para próxima semeadura no Niger. Foto: FAO/Giulio Napolitano

Canadá libera US$ 38 mi para agências da ONU combaterem a fome na Somália, Níger e RD Congo

Com aportes de 38 milhões de dólares do governo do Canadá, três agências da ONU implementarão um projeto de combate à fome e promoção da resiliência em três países africanos — República Democrática do Congo, Níger e Somália. Iniciativa foi anunciada na quarta-feira (5) e terá por objetivo enfrentar, ao longo de cinco anos, as causas da insegurança alimentar em comunidades dessas nações.

O Projeto Dom Távora foi contratado em 2013, com investimento previsto de US$28 milhões. Foto: Ministério do Desenvolvimento Agrário

Fundo da ONU visita Sergipe para avaliar projetos de desenvolvimento agrícola

Representantes do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) reuniram-se com o governador de Sergipe, Jackson Barreto, para discutir o andamento do Projeto Dom Távora, que vem sendo executado no estado com recursos do organismo internacional.

A iniciativa tem como meta atender 10 mil famílias de pequenos produtores rurais, beneficiando 40 mil pessoas, por meio da implementação de 300 planos de negócios. O projeto atua em 15 municípios dos territórios Agreste Central, Centro Sul, Baixo São Francisco e Médio Sertão Sergipano.

Projeto do FIDA e do governo do Piauí visar fortalecer produção agrícola do Semiárido. Foto: FIDA/Larissa Machado

Fundo agrícola da ONU anuncia liberação de R$ 56 milhões para projetos no semiárido do Piauí

O Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) informou ao governo do Piauí que disponibilizará um financiamento adicional de 56 milhões de reais para o Projeto Viva o Semiárido (PVSA). Iniciativa busca consolidar e expandir base produtiva de comunidades agrícolas do estado. Objetivo é estimular geração de renda no meio rural. Projetos financiados pela agência da ONU deverão beneficiar 5.360 famílias.

Zimbábue prepara estratégia para programa de alimentação escolar

O Centro de Excelência Contra a Fome — fruto de parceria entre o governo brasileiro e o Programa Mundial de Alimentos (PMA) das Nações Unidas — tem apoiado o governo do Zimbábue desde 2016 no desenvolvimento de uma estratégia nacional de alimentação escolar.

Após três missões técnicas do Centro de Excelência no Zimbábue para avaliar a situação e o potencial da alimentação escolar no país, o governo zimbabuano realizou na semana passada um seminário nacional que marca a transição da fase de diagnóstico para a de elaboração do documento estratégico para o tema.

OPAS/OMS lançou espaço virtual para troca de informações sobre nutrição. Foto: EBC

Agências da ONU lançam programa de trabalho para orientar países a cumprir metas de nutrição

Países que aprovaram a resolução da Assembleia Geral da ONU sobre a Década de Ação pela Nutrição – lembrada de 2016 a 2025 – podem consultar um programa de trabalho com recomendações sobre metas globais de combate à fome e à má nutrição. Publicação foi elaborada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

Homem mostra ouriço de castanha-do-brasil na Floresta do Vale, reserva legal comunitária do assentamento Vale do Amanhecer, em Juruena (MT). Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

ONU: precisamos de soluções baseadas na floresta para melhorar a vida das pessoas

Atualmente, as florestas cobrem 30% da área terrestre do planeta, ou quase 4 bilhões de hectares. As florestas geridas de forma sustentável são ecossistemas saudáveis, produtivos, resilientes e renováveis, que fornecem bens vitais e serviços a pessoas em todo o mundo. Estima-se que 25% da população mundial – 1,6 bilhão de pessoas – depende das florestas para sua subsistência. A ONU lançou em 2017 um plano estratégico para as florestas e para as pessoas; saiba mais nesse vídeo.