Fome zero e agricultura sustentável

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número dois diz: “Acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar e melhoria da nutrição e promover a agricultura sustentável”. Mais sobre este ODS em https://nacoesunidas.org/pos2015/ods2 e notícias sobre o tema abaixo.

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número dois diz: “Acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar e melhoria da nutrição e promover a agricultura sustentável”.

 

Mais sobre este ODS em https://nacoesunidas.org/pos2015/ods2 e notícias sobre o tema abaixo.

Uma mulher vende vegetais na Gâmbia. Foto: FAO/Seyllou Diallo

Gâmbia discute impactos de programa de aquisição de alimentos no país

A Gâmbia realizou no início de maio (9 e 10) uma consulta nacional para discutir os impactos do Programa de Aquisição de Alimentos para a África (PAA África), uma iniciativa do Programa Mundial de Alimentos (PMA), da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), do Brasil e de nações africanas parceiras para conectar a agricultura familiar a ações de compras públicas de comida.

Da esquerda para direita, Ricardo Barros, Carissa Etienne e Oleg Chestnov. Foto: OMS

Brasil é 1º país a assumir compromissos específicos com a Década de Ação para a Nutrição da ONU

O Brasil se tornou na segunda-feira (22) o primeiro país a assumir metas objetivas e mensuráveis com a Década de Ação das Nações Unidas para a Nutrição. A nação se comprometeu a deter o crescimento da obesidade entre adultos, reduzir o consumo regular de bebidas adoçadas com açúcar em pelo menos 30% no mesmo grupo etário e ampliar em no mínimo 17,8% o percentual de adultos que consomem frutas e hortaliças regularmente. O prazo para o cumprimento dos objetivos é 2019.

Autoridades do Mali e de Madagascar visitaram um centro de educação infantil em Bananeiras. Foto: PMA/Isadora Ferreira

Representantes do Mali e de Madagascar conhecem sistema de alimentação escolar do Brasil

Representantes dos governos do Mali e de Madagascar vieram ao Brasil no início de maio para uma visita de estudos sobre alimentação escolar. Organizada pelo Centro de Excelência contra a Fome, a missão levou autoridades das nações africanos até a Paraíba, onde dirigentes puderam ver de perto como o Estado brasileiro conecta a agricultura familiar a centros de ensino que oferecem refeições para seus alunos.

Políticas de alimentação escolar no Brasil. Foto: PMA/Vinícius Limongi

Organismo da ONU e Centro Universitário de Brasília lançam dossiê sobre combate à fome

Como parte das celebrações dos seus cinco anos de existência, o Centro de Excelência contra a Fome — organismo do Programa Mundial de Alimentos da ONU (PMA) — se uniu ao Centro Universitário de Brasília (UniCEUB) e convidou pesquisadores para a elaboração de um Dossiê sobre a Lutra contra a Fome no Mundo. A publicação é uma edição especial do Brazilian Journal of International Law (Revista de Direito Internacional) e já está disponível em meio virtual.

Com formulários em mãos, refugiados sul-sudaneses recentemente chegados exigem ser registrados em centro de recepção no distrito de Arua, norte de Uganda. Foto: ACNUR/Jiro Ose

ONU apela por US$1,4 bilhão para 1,8 milhão de refugiados que fugiram do Sudão do Sul

A Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e o Programa Mundial de Alimentos (PMA) pediram no início dessa semana (15) aos doadores internacionais que aumentem o apoio financeiro para ajudar mais de 1,8 milhão de refugiados que fugiram do conflito em curso no Sudão do Sul. Até o momento, apenas 14% do orçamento de 1,4 bilhão de dólares solicitados para sul-sudaneses fugindo da guerra foi financiado.

Projeto Paulo Freire melhora condições de vida de agricultores familiares do Ceará. Foto: Flickr/Orgânicos do Pivas (CC)

Fundo agrícola da ONU e governo do Ceará repassam R$ 5,8 milhões para negócios de agricultores familiares

O governador do Ceará, Camilo Santana, formalizou na semana passada (12) o repasse de 5,8 milhões de reais para o Projeto Paulo Freire em Campos Sales, município localizado a 485 km de Fortaleza. O montante é fruto de um empréstimo junto ao Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) das Nações Unidas e ao Tesouro Estadual. Iniciativa visa reduzir a pobreza e melhorar as condições de vida de agricultores familiares.

Geleia de umbu é um dos produtos expostos pelo Bem Diverso no AgroBrasília. Foto: PNUD

Em feira agrícola no DF, projeto da ONU apresenta produtos feitos a partir do extrativismo sustentável

Castanha-do-pará, farinha de babaçu, geleia e compotas de umbu feitos a partir do extrativismo sustentável e da agricultura familiar. Esses são os produtos que o projeto Bem Diverso — uma iniciativa do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) — apresenta até o próximo domingo (20) na 10ª edição do AgroBrasília, a Feira Internacional dos Cerrados. Objetivo é levar tema da gestão sustentável de recursos naturais para empreendedores do agronegócio.

De nacionalidade mexicana, Julio Berdegué tem doutorado em Ciências Sociais pela Universidade de Wageningen, Países Baixos, e é mestre em agronomia pela Universidade da Califórnia-Davis, Estados Unidos. Foto: ONU

FAO nomeia Julio Berdegué como representante regional para América Latina e Caribe

A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) nomeou o engenheiro agrônomo e doutor em Ciências Sociais Julio Antonio Berdegué Sacristán como novo subdiretor-geral e representante regional para América Latina e Caribe.

“A única maneira de alcançar a fome zero na América Latina e Caribe é por meio de uma transformação real. Isso não se alcança por meio de projetos e intervenções pontuais, mas requer uma mudança de grande escala. Essa é a missão da FAO na região”, ressaltou o novo representante regional.

Um dos objetivos principais do memorando de entendimento é fortalecer os meios de subsistência do meio rural e promover práticas agrícolas sustentáveis. Na imagem, uma mulher colhe piri-piri na sua plantação na Reserva Especial de Maputo. Foto: Banco Mundial/Andrea Borgarello

Banco Mundial apoia parceria entre Brasil e Moçambique para promover gestão sustentável de recursos naturais

Para ajudar Moçambique a explorar seus recursos naturais de forma sustentável, o Brasil firmou neste mês uma nova parceria com a nação africana. Cooperação conta com o apoio do Banco Mundial e contempla iniciativas voltadas para a proteção da biodiversidade, para o combate às mudanças climáticas e para a regulamentação de territórios. Moçambique possui 40 milhões de hectares de florestas naturais, mas por ano, 140 mil hectares são perdidos para o desmatamento.

PANAFTOSA firma parceria com município fluminense de Miguel Pereira. Foto: PANAFTOSA

Centro da ONU e município de Miguel Pereira firmam parceria para combater doenças de origem animal

O município de Miguel Pereira, no estado do Rio de Janeiro, firmou nesta semana um convênio na área de saúde veterinária com o Centro Pan-americano de Febre Aftosa (PANAFTOSA). Com a parceria, o governo e a instituição de pesquisa capacitarão profissionais de serviços veterinários, produtores de alimentos e comerciantes para estimular o manejo adequado da comida e fortalecer a vigilância sanitária contra doenças transmitidas por animais.

Agricultores com seus animais, Mongu, na região ocidental da Zâmbia. Foto: Felix Clay/Duckrabbit, 2012 (Flickr/CC)

Agroindústria poderá expulsar camponeses de suas terras na Zâmbia, alerta relatora da ONU

“Muitos camponeses são forçados a trabalhar como agricultores contratados para as grandes fazendas industriais comerciais em condições adversas, ou são forçados a vender seus produtos a preços desvalorizados para multinacionais que detêm monopólios e que compram produtos para exportação”, explicou alertou a relatora especial das Nações Unidas para o Direito à Alimentação, Hilal Elver.

Foto: Agência Brasil

ONU e Brasil trazem representantes de 12 países para conhecer alimentação escolar no ES

Representantes de 12 países da América Latina e do Caribe estarão em Vitória, dos dias 16 a 18 de maio, para conhecer a experiência capixaba do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) e o sistema local de compras da agricultura familiar. Viagem das delegações é organizada pelo Programa de Cooperação entre a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e o governo brasileiro. Esta é a primeira missão internacional ao Espírito Santo promovida pela parceria.

O Centro de Excelência contra a Fome apoia países africanos a reproduzir iniciativas brasileiras de alimentação escolar. Na imagem, criança se alimenta em centro do Programa Mundial de Alimentos na Região das Nações, Nacionalidades e Povos do Sul (SNNPRS), na Etiópia. Foto: PMA/Silvanus Okumu

Especialistas discutem benefícios da alimentação escolar vinculada à agricultura familiar

A alimentação escolar vinculada à agricultura familiar tem múltiplos benefícios, especialmente quando adotada em uma abordagem multissetorial. Essa foi a conclusão de oficina realizada na Etiópia no início de maio, que discutiu os impactos do programa PAA África no país.

Implementado na Etiópia em 2012, o PAA África ajudou a desenhar o programa de alimentação escolar do país, com apoio do governo brasileiro, do Programa Mundial de Alimentos (PMA), da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e de outros parceiros.

Aplicativo ajudará pais e mães a acompanharem alimentação dos filhos na escola. Foto: PEXELS

Com apoio da UNESCO, São Paulo seleciona equipe para desenvolvimento de aplicativo sobre cardápio escolar

Até 21 de maio, profissionais que queiram melhorar a educação pública por meio da tecnologia podem se inscrever na 1ª Seleção de Inovação Tecnológica do Pátio Digital. O desafio proposto pelo concurso é o desenvolvimento de um aplicativo para tornar a informação sobre o cardápio escolar mais acessível. A competição é uma iniciativa da Secretaria Municipal de Educação de São Paulo e conta com o apoio da UNESCO.

Consulta nacional contou com a participação de especialistas da ONU. Foto: PMA

Níger e ONU debatem como conectar agricultores familiares a mercados e redes de compras públicas

Em abril, o Níger realizou uma consulta para avaliar as conquistas do Programa de Aquisição de Alimentos para a África (PAA África), uma iniciativa do Programa Mundial de Alimentos (PMA), do Brasil e de nações africanas parceiras para conectar a agricultura familiar a iniciativas de compras públicas de comida. Especialistas discutiram como implementar a estratégia nacional de aquisição de produtos vindos de comunidades agrícolas.

Segundo OPAS/OMS, é essencial evitar alimentos ultraprocessados, que estão fortemente associados a sobrepeso, obesidade e doenças crônicas não transmissíveis. Foto: EBC

Oficina em Brasília discute aumento de hábitos alimentares não saudáveis no Brasil

O Centro de Excelência contra a Fome, fruto de uma parceria entre o Programa Mundial de Alimentos (PMA) das Nações Unidas e o governo brasileiro, participou de uma oficina em Brasília sobre mudanças nos padrões alimentares e aumento do consumo de alimentos ultra processados no Brasil.

Segundo pesquisadores convidados, a obesidade e as doenças crônicas não-transmissíveis a ela associadas são o principal desafio de saúde pública no Brasil atualmente.

O Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), contribui para o crescimento, o desenvolvimento, a aprendizagem, o rendimento escolar dos estudantes e a formação de hábitos alimentares saudáveis, por meio da oferta da alimentação escolar e de ações de educação alimentar e nutricional. Foto: MEC

FAO dá início a curso no Brasil sobre alimentação escolar e proteção social

Cerca de 50 alunos participaram nesta semana (3), em Brasília, do primeiro encontro do curso ‘Alimentação Escolar: desenvolvimento de programas sustentáveis a partir do caso brasileiro’, uma iniciativa da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

Além do Brasil, o curso acontece este ano na Costa Rica, El Salvador, Guatemala, Honduras, Paraguai e Peru, onde também estão sendo realizadas aulas presenciais. Um dos destaques da formação — que chega à sua sétima edição em 2017 — são os resultados do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) brasileiro. A inciativa atende a quase 42 milhões de estudantes por dia ao longo dos 200 dias letivos.

ONU participa de reunião entre Brasil e Tunísia sobre parcerias na área de desenvolvimento social

A convite dos governos do Brasil e da Tunísia, o Centro de Excelência contra a Fome da ONU participou em abril de uma reunião organizada entre autoridades dos dois países para discutir iniciativas de cooperação e dinamização dos fluxos comerciais bilaterais. Parcerias nas áreas de alimentação escolar, saúde, políticas para igualdade de gênero, juventude e trabalho também entraram na pauta das negociações.

Crianças recebem alimentação em escola na Bolívia. Foto: PMA/Boris Heger

Brasil responde por quase metade das crianças da América Latina e Caribe beneficiadas por alimentação escolar

Representantes de governos, da ONU, do setor privado e da academia reuniram-se na Cidade do México, em abril, para o VIII Seminário de Alimentação Escolar para a América Latina e o Caribe. Na região, 85 milhões de crianças recebem refeições diariamente em centros de ensino. Apenas no Brasil, 41,5 milhões de estudantes da rede pública são beneficiados por iniciativas de alimentação escolar, segundo dados de 2015 coletados pelo Programa Mundial de Alimentos (PMA).

Foto: PMA/Arssalan Serra

Com apoio da ONU, seminário em Moçambique discute cooperação Sul-Sul

Nesta semana acontece em Maputo, capital do Moçambique, um seminário para discutir o papel da cooperação Sul-Sul no desenvolvimento de iniciativas de proteção social, segurança alimentar e nutricional e gênero no país. O evento acontece no âmbito de dois projetos realizados em parceria por agências da ONU Brasil, governos de Moçambique e Brasil e pelo DFID, a agência de cooperação internacional do Reino Unido.

Hadiya, deslocada interna iemenita. Foto: ACNUR/Shabia Mantoo

Agência da ONU prevê mais deslocamentos com intensificação do conflito no Iêmen

Desde o início do ano, as hostilidades em Taiz, no Iêmen, já forçaram o deslocamento de quase 50 mil pessoas. Além dessas, 3 milhões já se deslocaram desde o início do conflito em 2015, das quais 2 milhões continuam deslocadas, e 1 milhão retornaram provisoriamente para casas em condições precárias.

A Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) teme que recentes ofensivas militares nas regiões de Taiz e Al Hudaydah possam causar o deslocamento de mais de meio milhão de pessoas, tornando ainda mais grave a crise humanitária no país.

PAA África foi criado em 2012 e apoia agricultores no acesso a insumos e técnicas de produção. Foto: ONU.

Níger realiza consulta para avaliar programa de aquisição de alimentos

O Níger realiza esta semana (27 e 28 de abril) uma consulta nacional para avaliar a experiência do Programa de Aquisição de Alimentos para a África (PAA África) no país.

Lançado em 2012, o PAA África é uma iniciativa conjunta do governo brasileiro, do Programa Mundial de Alimentos (PMA) e da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), com apoio da DFID, agência de cooperação internacional do Reino Unido.