Arquivo da tag: Fome zero e agricultura sustentável

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número dois diz: “Acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar e melhoria da nutrição e promover a agricultura sustentável”. Mais sobre este ODS em https://nacoesunidas.org/pos2015/ods2 e notícias sobre o tema abaixo.

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número dois diz: “Acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar e melhoria da nutrição e promover a agricultura sustentável”.

 

Mais sobre este ODS em https://nacoesunidas.org/pos2015/ods2 e notícias sobre o tema abaixo.

COVID-19: Sanções econômicas devem ser retiradas para evitar crises de fome, diz especialista da ONU

Uma especialista em direitos humanos da ONU pediu o fim imediato de sanções internacionais para evitar crises de fome nos países atingidos pela pandemia de COVID-19.

“A imposição contínua de sanções econômicas prejudiciais a Síria, Venezuela, Irã, Cuba e, em menor grau, ao Zimbábue, para citar os casos mais importantes, prejudica severamente o direito fundamental dos cidadãos comuns a alimentos suficientes e adequados”, disse Hilal Elver, relatora especial da ONU para o direito à alimentação.

Países devem atenuar os efeitos da COVID-19 no comércio e nos mercados de alimentos, alerta FAO

A incerteza sobre a disponibilidade de alimentos pode desencadear uma onda de restrições à exportação, gerando escassez no mercado mundial. Essas reações podem alterar o equilíbrio entre a oferta e a demanda por alimentos, levando a picos de preços e maior volatilidade.

É preciso fazer tudo que é possível para assegurar que o comércio flua tão livremente quanto seja permitido, principalmente para evitar a escassez de alimentos.

Da mesma forma, também é essencial proteger os produtores de alimentos e trabalhadores do setor alimentício na elaboração e comercialização no varejo, visando minimizar a propagação da doença nesse setor e manter as cadeias de suprimento de alimentos.

Assistência remota é usada pelo Programa Mundial de Alimentos durante a COVID-19

Remote Assistance: learn about the methodology used by the WFP Centre of Excellence Brazil

In recent weeks, the World Food Programme (WFP) – Centre of Excellence Against Hunger Brazil team – as well as other United Nations teams around the world – has had to adapt to restrictions imposed by the Covid-19 pandemic and all employees are working from home. However, the Centre had already started to adopt remote assistance methodologies to support countries back in 2019. With new travel restrictions, the team has been improving these tools so that what was previously done in person can continue to take place remotely.

Learn how the team is working remotely.

Assistência remota é usada pelo Programa Mundial de Alimentos durante a COVID-19

Assistência remota: conheça a metodologia usada pelo Programa Mundial de Alimentos durante a COVID-19

Nas últimas semanas, o time brasileiro do Programa Mundial de Alimentos (WFP, em inglês) –Centro de Excelência contra a Fome – assim como outras equipes das Nações Unidas ao redor do mundo – tem se adaptado às restrições impostas pela pandemia da COVID-19 e todos os funcionários estão trabalhando de casa. No entanto, o Centro já tinha começado a adotar metodologias de assistência remota para apoiar países desde 2019. Com as novas restrições de viagem, a equipe está aperfeiçoando estas ferramentas, assim o que antes era feito presencialmente agora possa ser feito remotamente.

Conheça um pouco mais como é feita a assistência remota.

FAO recomenda o aument do consumo de frutas e legumes. Foto: Magda Ehlers/Pexels

FAO: dicas de uma alimentação saudável para enfrentar a crise da COVID-19 

A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) apela a todos para que fortaleçam seu sistema imunológico com uma dieta saudável e consciente evitando desperdícios, e fornece recomendações para mitigar os efeitos da pandemia na segurança alimentar e nutrição.

A FAO elaborou uma série de perguntas e respostas sobre o impacto da COVID-19 na alimentação e na agricultura. ‘Quem está mais ameaçado por sua segurança alimentar e meios de subsistência devido à pandemia?’, ‘Como a pandemia afetará a demanda de alimentos?’. Estas são algumas das perguntas que preocupam o mundo e que a FAO responde. 

Tabuleiro do jogo Viva os ODS. Foto: ONU

Enfrente a quarentena da COVID-19 com o jogo dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

Em tempos de quarentena da COVID-19, o Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio) tem uma dica para distrair as crianças dentro de casa: o jogo “Viva os Objetivos”, que explica tudo sobre a Agenda 2030 e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. O material está disponível gratuitamente para download em português e é destinado para crianças de 8 a 10 anos, podendo entreter a família toda.

De forma lúdica e didática, o jogo de tabuleiro apresenta perguntas para os principais desafios enfrentados para transformar a Terra num planeta mais sustentável.

Prateleiras de supermercado em Nova Iorque. Foto: Beatriz Barral/ONU

COVID-19: FAO desaconselha corrida aos supermercados

A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) desaconselha a corrida aos supermercados durante a pandemia da COVID-19. De acordo com a diretora da FAO em Nova Iorque, Carla Mucavi, pesquisas da ONU mostram que ainda não existem rupturas nos bens essenciais e a situação deve permanecer assim nas próximas semanas.

No entanto, para evitar uma crise nos próximos meses, é preciso que os governos garantam acesso aos alimentos, sobretudo, para as populações vulneráveis.

Plano de Resposta Humanitária Global do COVID-19 será coordenado pelo Escritório das Nações Unidas de Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA) e depende de abordagem global - Foto: Gerd Altmann/Pixabay

ONU lança plano de resposta humanitária: abordagem global é a única maneira de lutar contra COVID-19

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, lançou nesta quarta-feira (25) um plano de resposta humanitária global de 2 bilhões de dólares para lutar contra a COVID-19 nos países mais vulneráveis, numa proposta para proteger milhões de pessoas e reduzir a disseminação do vírus no mundo. O plano contempla 51 países de América do Sul, África, Oriente Médio e Ásia.

A COVID-19 já matou mais de 16 mil pessoas em todo o mundo e há aproximadamente 400 mil casos registrados.

O plano de resposta será implementado pelas agências da ONU, com Organizações Não Governamentais (ONGs) internacionais e consórcios de ONGs tendo um papel direto na resposta.

O plano prevê o envio de equipamentos para testes e suprimentos médicos, instalação de  estações para lavagem das mãos em acampamentos e assentamentos, campanhas de informação pública e pontes aéreas para levar trabalhadores e insumos na América Latina, África e Ásia.

Leguminosas garantem alimentação saudável para crianças em idade escolar - Foto: StockSnap/Pixabay

Programa Mundial de Alimentos recomenda inclusão de leguminosas na dieta infantil

O feijão é talvez a mais famosa leguminosa no cardápio brasileiro. Mas esse grupo de alimentos tem outros integrantes que também contribuem para uma dieta saudável, especialmente para crianças em idade escolar. Grão-de-bico, lentilha, ervilha e fava são exemplos de outras leguminosas que podem ser transformadas em pratos deliciosos, além de nutritivos. A recomendação é do Programa Mundial de Alimentos (WFP).

Através dos programas de alimentação escolar, o Programa orienta a inclusão de leguminosas nos cardápios, em combinação com grãos, legumes, proteínas, folhas e minerais.

Conheça os benefícios desse grupo de alimentos.

Crianças fazem uma refeição na escola, que participa de um programa de alimentação escolar na América Latina e no Caribe. Foto: Ubirajara Machado/FAO

COVID-19: FAO pede medidas em favor da população que depende da alimentação escolar

A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura pediu que os governos implementem medidas em favor da população escolar cujas famílias têm mais dificuldades em acessar alimentos, para fornecer o apoio nutricional que os programas de alimentação escolar garantiam.

As recomendações para minimizar o impacto gerado pelo fechamento de programas de alimentação escolar na segurança alimentar e nutricional devem ser decididas por cada país, tomando todas as precauções para evitar a transmissão do COVID-19.

Entre as medidas adotadas pelos governos de muitos países da América Latina e do Caribe diante da rápida expansão do coronavírus está o fechamento de escolas e, portanto, a suspensão de alimentação escolar.

A merenda escolar é uma das ações do PMA em mais de 60 países. Foto: Simon Pierre Diouf/PMA

COVID-19 deixa 9 milhões de crianças sem refeições escolares, diz Programa Mundial de Alimentos

O Programa Mundial de Alimentos (WFP) diz que cerca de 9 milhões de crianças estão sem acesso a merenda escolar após o fechamento das escolas para conter o novo coronavírus.

Com a interrupção das aulas, estes alunos deixaram de ter alimentos em seus estabelecimentos de ensino.

O WFP prevê que esse número vai aumentar nos próximos dias e semanas, podendo chegar a 860 milhões de crianças e jovens dispensados de escolas e universidades devido à pandemia. O número equivale à metade da população estudantil do mundo.

No Brasil, as ações estimularão mudanças no processo produtivo do setor de café, rumo a uma economia de baixo carbono. Foto: Negative Space/Pexels

Projeto de PNUMA e Ministério da Economia estimula uso do selo ecológico pelo setor cafeeiro

O rótulo dos alimentos é uma importante ferramenta de informação na hora de escolher o produto a ser consumido. Uma forma de torná-lo ainda mais útil aos consumidores é a rotulagem ambiental. Nela, são apresentadas as características e o ciclo de vida dos produtos, permitindo a comparação com outros similares e, consequentemente, uma escolha mais consciente por aquele que possui menor impacto ambiental.

Para incentivar a produção e o consumo responsável, o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) lançou na quarta-feira (11), em Brasília (DF), um projeto que capacitará produtores nacionais de café a cumprirem os requisitos de obtenção de selos ecológicos. A iniciativa conta com a parceria do Ministério da Economia, do International Climate Initiative (IKI) e do One Planet Network.

De abril a outubro, os coletores de flores e suas famílias sobem as montanhas da Serra do Espinhaço, em Minas Gerais, para coletar as flores sempre-vivas, ficando lá por semanas. Foto: FAO

Flores sempre-vivas de MG entram na lista do patrimônio agrícola mundial

Um sistema agrícola tradicional na Serra de Espinhaço, no sul de Minas Gerais, foi registrado como um dos Sistemas Importantes do Patrimônio Mundial da Agricultura (SIPAM), que é gerenciado pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

Os agricultores locais, dedicados à colheita das flores sempre-vivas, desenvolveram um sistema agrícola eficaz que combina o cultivo de flores, horticultura agroflorestal, pastoreio de gado e culturas agrícolas, tudo em altitudes que chegam a 1,4 mil metros.

Usinas elétricas ou pecuária? Quando se trata de mudanças climáticas, a principal causa do aumento das emissões dos gases de efeito estufa é a criação de animais para alimentação. Nos Estados Unidos, 80% de toda a área agricultável é reservada ao pasto ou ao cultivo de ração para alimentar os animais que serão abatidos e transformados em carne. Para atender ao aumento da demanda global por carne, áreas de florestas tropicais são destruídas para o cultivo de espécies como boi, galinha e porco. Todos podem contribuir em nível individual para o reequilíbrio do clima. Junte-se às Nações Unidas no combate às mudanças climáticas!

VÍDEO: Seus hábitos alimentares podem influenciar o clima global?

Usinas elétricas ou pecuária? Quando se trata de mudanças climáticas, a principal causa do aumento das emissões dos gases de efeito estufa é a criação de animais para alimentação.

Nos Estados Unidos, 80% de toda a área agricultável é reservada ao pasto ou ao cultivo de ração para alimentar os animais que serão abatidos e transformados em carne.

Para atender ao aumento da demanda global por carne, áreas de florestas tropicais são destruídas para o cultivo de espécies como boi, galinha e porco.

Todos podem contribuir em nível individual para o reequilíbrio do clima. Junte-se às Nações Unidas no combate às mudanças climáticas!

Em dezembro de 2017, a Assembleia Geral das Nações Unidas aprovou resolução criando a Década da ONU para a Agricultura Familiar (2019-2028). Foto: MDA

FAO recebe inscrições para conferência online sobre desenvolvimento territorial

As Conferências Online – Série 2030, organizadas pelo escritório regional da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) para a América Latina e o Caribe e pelo Instituto de Estudos do Peru (IEP), apresentam uma coleção de 30 documentos que reúnem trabalhos de mais de 90 especialistas regionais e internacionais dedicados a futuro da agricultura, da alimentação e do desenvolvimento rural.

A próxima conferência será realizada na quinta-feira (12), às 12h (horário de Brasília), e será ministrada por Ángela Penagos (Centro Latino-Americano para o Desenvolvimento Rural da Colômbia) e Arilson Favareto (Universidade Federal do ABC), com moderação de Carolina Trivelli (Instituto de Estudos Peruanos). Saiba como participar.

Em 3 de março de 2020 na Síria, o diretor executivo do PMA, David Beasley (sentado, no centro), e a diretora executiva do UNICEF, Henrietta H. Fore (em pé, segundo da direita), visitam crianças da terceira série na escola Tal-Amara no sul rural de Idlib. Foto: UNICEF

Em visita à Síria, representantes de UNICEF e WFP alertam para impacto do conflito sobre crianças

É urgente acabar com a violência na Síria e melhorar o acesso da ajuda humanitária em todo o país, disseram na terça-feira (3) a diretora-executiva do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), Henrietta Fore, e o diretor-executivo do Programa Mundial de Alimentos (WFP), David Beasley.

Ao encerrar uma visita de dois dias ao país, os dois chefes das agências também enfatizaram a necessidade de fornecer às famílias serviços básicos e melhorar suas condições econômicas.

A viagem ocorre em meio a uma escalada militar no noroeste da Síria e no momento em que o conflito está prestes a entrar em seu décimo ano. A guerra deixou um terço do povo sírio em situação de insegurança alimentar, uma em cada três crianças fora da escola e mais da metade de todas as instalações de saúde não funcionais.

Narrado pela voz da ativista humanitária e poeta norte-americana Maya Angelou, o filme utiliza trechos do seu aclamado poema “Ainda assim me levanto” para ilustrar o cotidiano de várias mulheres produtoras de alimentos em todo o mundo.

VÍDEO: Empodere uma mulher. Alimente uma nação. É assim que nos levantamos

Narrado pela voz da ativista humanitária e poeta norte-americana Maya Angelou, o filme utiliza trechos do seu aclamado poema “Ainda assim me levanto” para ilustrar o cotidiano de várias mulheres produtoras de alimentos em todo o mundo.

Mulheres rurais estão encarando de frente os efeitos das mudanças climáticas, porém possuem acesso limitado aos recursos produtivos, serviços, educação e oportunidades de trabalho, ao mesmo tempo que exercem horas excessivas de trabalho e usufruem de pouco poder de decisão.

O vídeo faz parte faz parte da campanha global “Verdadeiras Inovadoras”, do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola das Nações Unidas (FIDA).

Distribuição de alimentos na Venezuela. Foto: NRC/Ingebjørg Kårstad

Estudo da ONU aponta que 1 em cada 3 venezuelanos não tem o suficiente para comer

A hiperinflação na Venezuela fez com que cerca de um terço da população — mais de 9 milhões de pessoas — não coma o suficiente e precise de assistência, segundo estimativas publicadas na terça-feira (25) pelo Programa Mundial de Alimentos (WFP, na sigla em inglês).

A conclusão é baseada em uma Avaliação de Segurança Alimentar realizada pela agência das Nações Unidas a pedido do governo do país entre julho e setembro do ano passado.

Projeto Além do Algodão, do WFP Brasil, contribui para a geração de renda dos agricultores familiares. Crédito: Julie Krabbe Clausen/Pexels.

Agências da ONU participam de workshop para impulsionar produção de algodão sustentável

Centro de Excelência contra a Fome do Programa Mundial de Alimentos (WFP), Organização Internacional do Trabalho (OIT) e Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) participaram do evento organizado pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e a Agricultura (FAO) para impulsionar produção de algodão sustentável em países da América Latina e África.

Workshop aconteceu em Santiago, no Chile, e teve como foco negociações estratégicas e modelos de negócios para mercados têxteis, focando em mercados para projetos de Cooperação Sul-Sul trilateral da Agência Brasileira de Cooperação (ABC) que envolvem o algodão, dentre eles o Projeto Além do Algodão, do WFP Brasil.

Apesar de ser desenvolvido com foco em professores de crianças de 4 a 10 anos, qualquer pessoa pode se cadastrar e realizar o curso. Foto: UNICEF

UNICEF lança curso online sobre alimentação saudável

O Fundo nas Nações Unidas para a Infância (UNICEF) lançou esta semana um curso online de 8 horas/aula para capacitar professores sobre alimentação saudável e prevenção da obesidade em crianças. O objetivo é ajudar a desnaturalizar hábitos alimentares que aumentem a obesidade em crianças.

O curso online “Comer Saudável, Crescer Saudável”, desenvolvido pela Cipó – Comunicação Interativa, é gratuito. Apesar de ter como foco professores de crianças de 4 a 10 anos, qualquer pessoa pode se cadastrar, recebendo um certificado ao final.

Os legumes são as sementes comestíveis de plantas leguminosas cultivadas para alimentação. Feijões secos, lentilhas e ervilhas são algumas das mais conhecidas e consumidas. Foto: PNUMA

Em Dia dos Legumes, PNUMA destaca benefícios climáticos e comunitários do plantio do feijão

Em comemoração ao Dia Mundial dos Legumes (10 de fevereiro), o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) destaca seu valor e seus benefícios para a saúde humana e lembra como seu consumo pode ajudar a alcançar a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.

Os legumes são altamente nutritivos, ricos em fibras solúveis e têm baixo teor de gordura. Assim, podem diminuir o colesterol e ajudar a controlar o açúcar no sangue. Devido a essas qualidades, elas são recomendadas pelas organizações de saúde para o tratamento de doenças como diabetes e problemas cardíacos. Também foi demonstrado que os legumes ajudam a combater a obesidade.

Município de Coronel José Dias, no Piauí. Foto: Flickr (CC)/Otávio Nogueira

FAO e Piauí discutem parceria em políticas de redução da pobreza e da desnutrição infantil

A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) no Brasil e o Governo do Piauí estão discutindo parcerias para execução de ações no estado com o apoio da agência da ONU.

“A FAO Brasil e o valioso estado do Piauí irão trabalhar juntos para fortalecer as políticas públicas estatais para diminuir a pobreza, lutar contra a desnutrição infantil nas zonas rurais e melhorar o IDH”, destacou o representante da FAO no país, Rafael Zavala.

Produtor rural no semiárido. Foto: EBC

Projeto de desenvolvimento rural na Bahia lidera ranking de investimentos do FIDA

O Projeto de Desenvolvimento Rural Sustentável da Região Semiárida da Bahia, o Pró-Semiárido, foi considerado o melhor do mundo pelo Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA).

O fundo das Nações Unidas financia ações de apoio a populações rurais globalmente, entre elas, a iniciativa baiana. O projeto ocupa a primeira posição no ranking de 231 ações financiadas pelo FIDA em 98 países.

Projeto de PNUD e EMBRAPA promove produção sustentável de açaí no Pará

O intercâmbio e a construção de conhecimento para a inovação e o desenvolvimento sustentável no Marajó (PA) estão entre as principais conquistas do Centro de Referência em Manejo de Açaizais (Manejaí).

As atividades do centro se desenvolvem desde 2016 por meio do Projeto Bem Diverso, executado em parceria entre Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) e Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), com recursos do Fundo Global para o Meio Ambiente (GEF).

Opening of Consciência, art exhibition to promote the SDGs - September 2019 -Photo: Naiara Azevedo

Mais de 140 mil pessoas visitam exposição do UNIC Rio sobre desafios globais

Mais de 140 mil pessoas visitaram a exposição Consciência, organizada em parceria pelo Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio), Centro Cultural Correios e Instituto Claro na capital fluminense.

A mostra, inaugurada em setembro e encerrada este mês, apresentou ilustrações do artista peruano Ivan Ciro Palomino. As imagens despertam a curiosidade pelo uso provocativo de elementos do cotidiano (uma cadeira, uma mala, uma piscina, por exemplo) colocados em contextos de crises climática, migratória e humanitária.

Programas de alimentação escolar podem contribuir para combater a má nutrição no mundo. Foto: WFP

Como as escolas podem nos ajudar a enfrentar a má nutrição no mundo?

Uma em cada três pessoas no mundo está malnutrida. E isso pode mudar em breve para uma em cada duas pessoas, se continuarmos com os negócios como de costume, com impactos negativos na saúde e no bem-estar das populações.

Dado o aumento acentuado da carga dupla da má nutrição entre crianças em idade escolar (a coexistência de sobrepeso e obesidade juntamente com a desnutrição), as escolas representam um importante ponto de entrada para uma melhor nutrição.

Equipes do Centro de Excelência contra a Fome visitam centro de pesquisa na Tanzânia. Foto: WFP

Com apoio do Brasil, Tanzânia impulsiona pequenos agricultores algodoeiros

O projeto “Além do Algodão” apoia pequenos agricultores e suas famílias, bem como instituições públicas em Benin, Moçambique, Quênia e Tanzânia, em uma iniciativa conjunta do governo brasileiro, representado pela Agência Brasileira de Cooperação (ABC/MRE), e do Programa Mundial de Alimentos (WFP) das Nações Unidas.

A ação conecta subprodutos de algodão, como óleo e farelo de algodão, e culturas consorciadas, como milho, sorgo e feijão, a mercados estáveis, incluindo programas de alimentação escolar. O objetivo é contribui para a geração de renda dos agricultores familiares e aumentar a segurança alimentar e nutricional nas áreas rurais.

Prêmio do FIDA impulsiona projetos inovadores criados por jovens latino-americanos e caribenhos para o desenvolvimento rural. Foto: FIDA

Prêmio do FIDA impulsiona projetos de jovens latino-americanos para o desenvolvimento rural

O Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) das Nações Unidas realiza em 30 de janeiro em Bogotá, na Colômbia, evento de lançamento do Prêmio Juventude Rural Inovadora na América Latina e no Caribe.

Para se inscrever, os jovens devem ser nacionais e residentes dos países da América Latina e do Caribe e ter iniciativas já implementadas e validadas, com resultados concretos para a promoção do desenvolvimento rural em uma das oito categorias do concurso. As inscrições vão até 29 de fevereiro.

Megaincêndios são aqueles que cobrem mais de 400 quilômetros quadrados, acelerados pela combinação de secas e temperaturas altas. Foto: Unsplash/Matt Howard

Os ‘megaincêndios’ são o novo normal?

Os enormes incêndios florestais na Austrália, na Amazônia, na Califórnia, na bacia do Congo e na Indonésia chamaram a atenção do mundo para os riscos de longos períodos de clima excepcionalmente quente e seco — um dos efeitos das mudanças climáticas.

A temperatura média global está agora 1,1°C mais alta do que no início do século passado. Temperaturas mais altas criam, em algumas partes do mundo, condições mais secas, aumentando a probabilidade e a intensidade de incêndios florestais e megaincêndios.

Foto: Ruben Rodrigues Olivares/EBD-CSIC

PNUMA: manejo integrado de pragas minimiza uso de pesticidas nas lavouras

O manejo integrado de pragas é uma abordagem ecossistêmica que combina diferentes estratégias e práticas de manejo para o cultivo saudável, minimizando o uso de pesticidas. Evitar substâncias venenosas ao lidar com pragas não apenas protege o meio ambiente, mas também os polinizadores, inimigos naturais das pragas, os organismos benéficos e as pessoas e os animais que dependem das plantas. O relato é do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA).

Projeto cria meios de subsistência para comunidades afetadas pela seca na Zâmbia. Foto: PNUMA

Como sobreviver quando a chuva e as florestas estão diminuindo?

“Este ano, vimos a pior seca de todos os tempos”, diz a zambiana Julliette Machona, de 35 anos. “Normalmente, os rios secam nesta parte sul da Zâmbia em julho, mas este ano eles já estavam vazios em maio. A pouca água que nos resta é suficiente para as pessoas e o gado. Não temos água para cultivar.”

Percebendo as dificuldades crescentes de ganhar a vida cultivando tomates e milho em uma região que já recebe menos chuva do que a média, ela reuniu um grupo de mulheres para tecer cestas e vassouras como meio de subsistência. O relato é do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA).

Mercado de alimentos em San Lucas Tolimán, na Guatemala. Foto: Banco Mundial/Curt Carnemark

Revista lança série de artigos sobre Década de Ação da ONU sobre Nutrição

A Revista Pan-Americana de Saúde Pública lançou, nas últimas semanas, uma série de artigos sobre a Década de Ação das Nações Unidas pela Nutrição (2016-2025), com foco em experiências do Brasil.

Os quatro textos tratam de guias alimentares, implementação de políticas públicas e prevenção e controle da obesidade, além de outras ações para estimular uma alimentação saudável e sustentável.

A espécie dos gafanhotos do deserto é a mais poderosa: tem chifres curtos e podem formar grandes enxames rapidamente e ameaçar as produções agrícolas. Foto: FAO / Carl de Souza.

Tecnologia da FAO permite monitoramento e prevenção de infestações de gafanhotos

Por mais de 40 anos, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) tem ajudado países em risco a vencer a luta contra infestações de gafanhotos.

Realizando um importante trabalho de coleta de dados, o aplicativo eLocust3 permite que equipes em campo de todo o mundo mapeiem os movimentos de gafanhotos entre países e iniciem ações para controlar um enxame antes que ele provoque danos graves.

As infestações por gafanhotos afetam os meios de subsistência e a segurança alimentar de milhões e podem levar anos para serem controladas. Inovadora, a ferramenta desenvolvida pela agência da ONU ajuda a proteger agriculturas de subsistência em dezenas de países.

Fazendeira trabalha em campos próximos à Vila Chatiune, no Nepal. Foto: ONU Mulheres | Narendra Shrestha.

Fundo Verde destina US$160 mi a Chile, Nepal e Quirguistão para combate às mudanças climáticas

Apoio financeiro do Fundo Verde para o Clima (GCF) ao Chile, Nepal e Quirguistão visa oferecer suporte às respostas implementadas por esses países no combate às mudanças climáticas.

A iniciativa foi aprovada em novembro (13), em Songdo, na Coreia do Sul. Estima-se que o Fundo, apoiado pela ONU, beneficiará 1,5 milhões de pessoas.

A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) tem apoiado a elaboração de projetos com o objetivo de combater as mudanças climáticas e construir resiliência nas três nações.

Algodão tem papel estratégico no desenvolvimento sustentável da América Latina

Brasil treina pesquisadoras peruanas em inovações tecnológicas para setor algodoeiro

Com o objetivo de fortalecer capacidades na cadeia de valor do algodão, duas pesquisadoras peruanas do Instituto Nacional de Inovação Agrária (INIA) estiveram no Brasil este mês para um estágio no escritório da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Algodão), na cidade de Campina Grande (PB).

Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), governos peruano e brasileiro executam em conjunto desde 2015 o projeto +Algodão Peru, cujo objetivo é melhorar a competitividade dos sistemas de produção de algodão no país.