Fome zero e agricultura sustentável

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número dois diz: “Acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar e melhoria da nutrição e promover a agricultura sustentável”. Mais sobre este ODS em https://nacoesunidas.org/pos2015/ods2 e notícias sobre o tema abaixo.

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número dois diz: “Acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar e melhoria da nutrição e promover a agricultura sustentável”.

 

Mais sobre este ODS em https://nacoesunidas.org/pos2015/ods2 e notícias sobre o tema abaixo.

No Moçambique, a agricultura familiar é uma fonte de renda importante para as mulheres. Foto: PMA / Molly Slotznick

ONU defende acesso a meios de produção e incentivos públicos para agricultores familiares

Em reunião na Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), em Lisboa, o diretor-geral da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), José Graziano da Silva, pediu mais apoio para os agricultores familiares, responsáveis pela produção de mais de 80% da comida consumida no planeta. Governos devem garantir acesso a recursos e incluir pequenos produtores em programas de compras públicas.

Na América Latina e Caribe, existem 16,5 milhões de fazendas de agricultura familiar. Foto: FAO

Na Jamaica, FAO realiza conferência regional para definir prioridades no combate à má nutrição

A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) anunciou nesta segunda-feira (19) que realizará sua 35ª Conferência Regional para a América Latina e o Caribe em Montego Bay, Jamaica, de 5 a 8 de março de 2018.

Encontro, que é a mais alta instância decisória da FAO a nível regional, reunirá representantes dos 33 países-membros da agência da ONU na região e definirá prioridades para o trabalho do organismo ao longo dos próximos dois anos.

Publicação analisa formas de as políticas de proteção social contribuírem para a ampliação da segurança alimentar e nutricional nos países africanos. Foto: PMA

Centro de Excelência contra a Fome lança publicação sobre proteção social em países africanos

O Centro de Excelência contra a Fome — fruto de uma parceria entre o governo brasileiro e o Programa Mundial de Alimentos (PMA) das Nações Unidas — lançou na semana passada (16) uma nova publicação que reúne cinco artigos sobre proteção social em países africanos.

A partir de uma abordagem holística e sistêmica, os estudos de caso encontraram evidências de que programas de transferência de renda, de alimentação escolar vinculada à agricultura local, entre outros, melhoraram o acesso, a disponibilidade, a estabilidade e o consumo de alimentos nesses países.

Celebrações do Dia Africano de Alimentação Escolar em 2017. Foto: PMA

Evento no Zimbábue celebrará Dia Africano de Alimentação Escolar

Em 1º de março, a União Africana vai celebrar o terceiro Dia Africano de Alimentação Escolar. O evento oficial deste ano acontecerá no Zimbábue, e celebrações nacionais e sub-nacionais simultâneas são esperadas.

A data marca o compromisso do continente com a mobilização de um ambiente propício para a governança e o estabelecimento de políticas públicas de alimentação escolar. O relato é do Centro de Excelência contra a Fome — fruto de uma parceria entre o governo brasileiro e o Programa Mundial de Alimentos (PMA).

Agricultores em um campo de arroz no distrito de Dhading, na região central do Nepal. Foto: FIDA/Anwar HossainAgricultores em um campo de arroz no distrito de Dhading, na região central do Nepal. Foto: FIDA/Anwar Hossain

Novo projeto da ONU beneficiará mais de 14 mil agricultores familiares no Nepal

Espera-se que milhares de agricultores familiares se beneficiem de uma iniciativa do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) no Nepal que utiliza uma abordagem inovadora para capacitar os agricultores e agregar valor aos seus produtos.

Iniciativa contribuiu para a implementação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável 1 e 2 – que tratam do fim da pobreza em todas as suas formas; e o fim da fome e alcance da segurança alimentar, respectivamente.

Missão do PMA em Gâmbia. Foto: PMA/Vinícius Limongi

Centro de Excelência contra a Fome visita Gâmbia para tratar de agricultura familiar

Representantes do Centro de Excelência contra a Fome — fruto de uma parceria entre o governo brasileiro e o Programa Mundial de Alimentos (PMA) — realizaram uma missão em Gâmbia no fim de janeiro (22 a 26) com o objetivo de identificar áreas e oportunidades para o PMA ampliar as capacidades dos agricultores familiares do país e intensificar a compra de alimentos produzidos por eles.

A insegurança alimentar e nutricional ainda é um problema sério em Gâmbia, e o PMA está comprometido a combater suas causas, ao mesmo tempo em que apoia o governo a criar uma rede de proteção sistemática para populações vulneráveis a desastres, como secas e inundações.

Projetos do FIDA ajudam a reduzir a pobreza em comunidades rurais do Peru. Foto: FIDA/Pablo Corral Vega

Pesquisa associa atividades da ONU a redução da pobreza em zonas rurais do Peru

Seis projetos do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) no Peru estão por trás da redução da miséria em zonas rurais do país. É o que comprova uma avaliação independente sobre a atuação da agência das Nações Unidas. Nas regiões de Sierra Norte e Sierra Sur, onde o organismo da ONU mantém operações, a pobreza caiu 22% e 12% respectivamente de 2002 a 2016. Análise, porém, alerta para a necessidade de chegar a quem permanece excluído economicamente.

Ali e Rozh, do Iraque, trabalham como voluntários em um banco de alimentos de Viena. Foto: ACNUR/Andras D Hajdu.

Refugiados iraquianos na Áustria trabalham como voluntários no combate à pobreza

Em uma manhã fria em uma propriedade industrial de Viena, na Áustria, Ali e Rozh checam as caixas de vegetais doados. Os dois solicitantes de refúgio, ambos do Iraque, não procuram comida para si. Eles são voluntários em um banco de alimentos que combate o desperdício e distribui comida excedente a pessoas pobres no país. O relato é da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR).

“Estamos felizes em usar nosso tempo para o bem”, diz Ali Majid Abdul Razzaq Al Khalid, de 32 anos, veterinário de Diyala, leste do Iraque. “Há refugiados pobres, mas há também austríacos pobres que vivem na rua. Isso foi um choque para nós quando chegamos aqui — ver pessoas pobres na Europa, em uma terra supostamente rica”.

O relatório combina exemplos de empresas de todo o mundo com uma análise aprofundada de 10 corporações em oito países, incluindo o Brasil. Foto: FAO/Ubirajara Machado

Programa Mundial de Alimentos discute impulso à alimentação escolar no mundo

Representantes de escritórios regionais e de país do Programa Mundial de Alimentos (PMA) reuniram-se na semana passada em Dacar, no Senegal, para discutir a estratégica de atuação do programa no âmbito da alimentação escolar.

Na ocasião, os participantes debateram como as políticas de alimentação escolar do PMA se refletem nas experiências, prioridades, desafios e boas práticas dos escritórios regionais e de país, além de discutirem possíveis caminhos para o futuro.

Consumidores esperam cinco horas na fila para comprar porção de pão de uma pequena padaria em Cumaná, na Venezuela. Foto: IRIN/Meridith Kohut

Crise econômica na Venezuela agrava desnutrição entre crianças, alerta UNICEF

Em meio à crescente insegurança alimentar e à elevação da desnutrição entre crianças diante da crise econômica na Venezuela, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) pediu no fim de janeiro (26) esforços de assistência rápidos e coordenados para alcançar as populações mais vulneráveis.

“Enquanto cifras precisas não estão disponíveis (…), há sinais claros de que a crise está limitando o acesso das crianças a serviços de saúde de qualidade, assim como a medicamentos e alimentos”, disse a agência da ONU em comunicado, enfatizando a gravidade da situação.

Jerônimo Villas-Bôas, ecólogo, trabalha com o resgate da produção de mel de espécies nativas de abelhas. Ele foi um dos palestrantes do evento em São Paulo. Foto: PMA/Isadora Ferreira

Evento em SP discute formas de garantir alimentação de qualidade para todos

A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e o Centro de Excelência contra a Fome apoiaram no fim de janeiro (26 e 27) a realização de evento em São Paulo para debater possíveis caminhos para alimentar melhor uma população global que deve chegar a quase 9 bilhões de pessoas até 2030.

O seminário “Fruto — Diálogos do Alimento” reuniu 30 especialistas e 300 convidados, contando com palestras sobre os aspectos culturais, biológicos e sociais da alimentação, tendo como objetivo consolidar o Brasil como principal celeiro dessa discussão.

Colheita de soja em fazenda localizada no município mato-grossense de Rondonópolis, um dos principais pólos produtivos do país. Na década de 1990, a cidade chegou a ser denominada capital nacional do agronegócio Foto: EBC/Roosewelt Pinheiro

FAO: agricultura amorteceu crescimento fraco da economia brasileira

O representante da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) no Brasil, Alan Bojanic, defendeu nesta semana (23) o papel central do setor agrícola para as atividades produtivas do Brasil. Em 2017, a colheita de grãos do país alcançou a marca de 232 milhões de toneladas. Em um ano de fraco crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), a agricultura funcionou como um “amortecedor” para a economia nacional.

Crianças da Mongólia, no condado de Dadal, zona rural. Foto: Banco Mundial/Khasar Sandag

Agências da ONU defendem investimento no meio rural para lidar com migrações

A Organização Internacional para as Migrações (OIM) e a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) anunciaram nesta semana (24) uma nova parceria para auxiliar países na criação de políticas que combinem gestão migratória e desenvolvimento agrícola. Para agências da ONU, países devem compreender as causas dos deslocamentos humanos, preservar direitos de migrantes e explorar seu potencial.

Especialistas se reúnem em São Paulo para debater como levar alimentação de qualidade para toda a população mundial. Foto: PEXELS

ONU participa de seminário em São Paulo sobre alimentação, gastronomia e sustentabilidade

Em São Paulo, o seminário FRUTO – Diálogos do Alimento reunirá a partir de amanhã (26) 30 especialistas brasileiros e estrangeiros para responder à pergunta “como levar comida de qualidade para todos os habitantes do planeta?”. Organizado pelo chef Alex Atala e pelo produtor Felipe Ribenboim, evento terá a participação do Centro de Excelência contra a Fome das Nações Unidas. Atividades serão transmitidas ao vivo e com tradução pela internet. Acompanhe.

Uso indiscriminado de antibióticos na pecuária pode favorecer desenvolvimento de resistência de bactérias e micróbios a medicamentos. Foto: Departamento dos Estados Unidos para Agricultura/Ryan Thompson

Produtos de origem animal têm ‘impacto excessivo’ para meio ambiente e clima, diz FAO

Em fórum realizado em Berlim, o diretor-geral da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), José Graziano da Silva, ressaltou neste mês (20) que a pecuária continua sendo um dos pilares da segurança alimentar mundial.

Mas alertou que expansão do setor ameaça proteção da biodiversidade, o acesso sustentável a água e, principalmente, o cumprimento dos objetivos do Acordo de Paris — limitar a elevação da temperatura média do planeta.

Pescadores em lago no México. Foto: Banco Mundial/Curt Carnemark

ONU e América Latina discutem estratégias de pesca continental e aquicultura para 2018-2019

Delegações de países da América Latina e do Caribe reuniram-se nesta semana com a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) para discutir o futuro da pesca continental e da aquicultura na região. Encontro definiu estratégias para os próximos dois anos da comissão da FAO sobre o tema. Embora tenha crescido nos últimos 50 anos, a pesca continental em território latino-americano representa apenas 5,12% da captura a nível mundial.

No Sudão do Sul, a diretora-executiva do UNICEF, Henrietta H. Fore, e o chefe de nutrição da agência, Joseph Senesie (de azul), falam com pacientes no Hospital Al Sabbah, na capital Juba, onde o UNICEF está implementando um programa de nutrição. Foto: UNICEF/Prinsloo

Conflito no Sudão do Sul afeta futuro de milhões de crianças, alerta chefe do UNICEF em visita ao país

Após uma visita de dois dias ao Sudão do Sul, país africano devastado pelo conflito e onde 250 mil crianças estão severamente desnutridas e em risco iminente de morte, a chefe do UNICEF disse que apenas o fim das hostilidades pode trazer esperança e segurança para as crianças e os jovens.

Henrietta H. Fore observou que os combates não mostram sinais de diminuir e as necessidades humanitárias são enormes: 2,4 milhões de crianças foram forçadas a fugir de suas casas.

A maioria das famílias que fogem para Kananga, na província do sudoeste de Kasai-Central, na República Democrática do Congo, sofre com uma árdua caminhada de uma semana. Eles embalam seus pertences e colocam as crianças em bicicletas em busca de segurança. Foto: OCHA/Otto Bakano

Em meio a ‘deterioração dramática’ na RD Congo, ONU e parceiros lançam pedido de ajuda humanitária

Alertando sobre uma “dramática deterioração” na crise humanitária da República Democrática do Congo (RDC) nos últimos 12 meses, agências das Nações Unidas e parceiros humanitários lançaram o maior pedido de financiamento já feito em toda a história para o vasto país da África Central.

De acordo com o Escritório de Coordenação de Assuntos Humanitários das Nações Unidas (OCHA), o apelo de 2018 – US$ 1,68 bilhão – visa alcançar 10,5 milhões de pessoas vulneráveis em todo o país, onde mais de 13 milhões precisam de assistência.

Em Ruanda, uma invenção vem melhorando substancialmente a vida das pessoas. O Flexi-biogas, um sistema desenvolvido na África, transforma esterco de vaca em gás de cozinha. O projeto, que será testado por 100 produtores locais, é uma das iniciativas do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola da ONU (FIDA) e do governo de Ruanda para promover a utilização de fontes de energia limpas e renováveis. Confira nessa reportagem especial

Em Ruanda, projeto inovador transforma esterco de vaca em gás de cozinha

Em Ruanda, uma invenção vem melhorando substancialmente a vida das pessoas. O Flexi-biogas, um sistema desenvolvido na África, transforma esterco de vaca em gás de cozinha. O projeto, que será testado por 100 produtores locais, é uma das iniciativas do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola da ONU (FIDA) e do governo de Ruanda para promover a utilização de fontes de energia limpas e renováveis. Confira nessa reportagem especial em vídeo.

Crianças coletam água limpa e segura no campo de Kyein Ni Pyin, que abriga quase 6 mil rohingya deslocados pela violência no estado de Rakhine, em Mianmar. Foto: UNICEF/Thame

Mianmar: crianças rohingya estão em condições ‘assustadoras’, alerta UNICEF

Porta-voz do UNICEF, Marixie Mercado, passou quase um mês no país; ela falou sobre 60 mil crianças rohingya “esquecidas”. Milhares não recebem tratamento para desnutrição; abrigos estão perto de depósito de lixo; pessoas não conseguem viajar para obter ajuda médica.

Iniciativa do Programa Mundial de Alimentos da ONU garante a 90 mil refugiados um cartão de débito pré-pago que pode ser utilizado para comprar uma variedade de alimentos, fornecidos às mulheres para que elas possam decidir por suas famílias o que comprar.

Mulher indígena no Brasil. Foto: Banco Mundial/Yosef Hadar

FAO critica preconceito de gênero, classe e etnia enfrentado por mulheres indígenas

O diretor-geral da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), José Graziano da Silva, pediu nesta sexta-feira (12) o fim da “discriminação tripla” enfrentada pelas mulheres indígenas, suscetíveis a preconceito e exclusão por seu gênero, por serem de povos originários e por serem pobres. Em fórum regional, no México, chefe da agência da ONU defendeu o empoderamento social e econômico desse grupo.

Cerca de 130 mil congoleses e burundeses dependem de assistência humanitária em Ruanda. Foto: ACNUR/S. Masengesho

ONU pede mais financiamento para evitar corte de 25% na comida para refugiados em Ruanda

Agências de assistência humanitária da ONU fizeram um apelo na quinta-feira (11) por mais financiamento para programas que levam comida e renda a refugiados vivendo em Ruanda. Falta de verba levou a uma redução de 25% na quantidade de alimentos e de recursos financeiros disponibilizados para 100 mil estrangeiros no país. Cerca de 11 milhões de dólares são necessários para retomar prestação adequada de serviços.

Agricultores semeando alface crespa. Foto: Flickr/ Orgânicos do Pivas (Creative Commons)

Concurso irá escolher práticas agrícolas tradicionais de destaque no Brasil

Foram prorrogadas até 20 de fevereiro as inscrições para o prêmio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) de Boas Práticas para Sistemas Agrícolas Tradicionais (SAT). O objetivo é reconhecer 15 iniciativas brasileiras, bem como incentivar e fortalecer a articulação, mobilização e formação de redes comunitárias em torno desses sistemas.

O prêmio é uma parceria entre BNDES, Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA), com o apoio da Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (SEAD).