Fome zero e agricultura sustentável

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número dois diz: “Acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar e melhoria da nutrição e promover a agricultura sustentável”. Mais sobre este ODS em https://nacoesunidas.org/pos2015/ods2 e notícias sobre o tema abaixo.

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número dois diz: “Acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar e melhoria da nutrição e promover a agricultura sustentável”.

 

Mais sobre este ODS em https://nacoesunidas.org/pos2015/ods2 e notícias sobre o tema abaixo.

O coordenador-residente do Sistema ONU no Brasil, Niky Fabiancic (centro), recebe o presidente do Fida, Gilbert F. Houngbo (direita), em café da manhã em Brasília (DF). Foto: PNUD

Presidente de fundo agrícola da ONU é recebido com café da manhã em Brasília (DF)

O coordenador-residente do Sistema ONU no Brasil, Niky Fabiancic, recebeu na segunda-feira (20) o presidente do Fundo Internacional para Desenvolvimento Agrícola das Nações Unidas (FIDA), Gilbert F. Houngbo, em café da manhã na Casa da ONU em Brasília (DF).

Houngbo está na capital brasileira para a conferência internacional “Cooperação Triangular e Sul-Sul — Impulsionando Inovações do Sul Global para Apoio à Transformação Rural”, que tem por objetivo identificar soluções inovadoras para aumento da produção e da produtividade agrícola.

Mais países se mobilizam para combater a resistência antimicrobiana na alimentação e na agricultura. Foto: EBC

Países se mobilizam para combater resistência a antibióticos na alimentação e na agricultura

Os esforços para interromper a propagação de patógenos resistentes a antibióticos nas atividades agrícolas e nos sistemas alimentares ganharam impulso graças a um forte apoio dos governos e de técnicos que está potencializando a capacidade dos países de responder ao problema, disse a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

Os antimicrobianos são muito utilizados nos setores pecuário, avícola e aquícola para tratar ou prevenir doenças. Seu uso excessivo e indevido impulsiona a aparição e propagação de patógenos causadores de doenças que são resistentes aos medicamentos e, por isso, cada vez mais difíceis de tratar.

Crianças se banham em um lago formado por poços de escavação em Bentiu, Sudão do Sul. Em todo o país, apenas 41% das crianças têm acesso a água segura e limpa. Foto: UNICEF / Hatcher-Moore

Papa Francisco faz doação para ajudar 30 mil pessoas no Sudão do Sul

Cerca de 5 mil famílias vivendo no Sudão do Sul são as beneficiárias de uma doação de 25 mil euros feita neste mês pelo Papa Francisco. A verba foi doada para a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), que usou o montante para fornecer sementes e outros insumos agrícolas para pequenos produtores da região de Yei, na província de Equatoria Central. Financiamento está melhorando a vida de 30 mil pessoas.

Foto: Gregoire Gauthier e Satoshi Ogita

Banco Mundial financia transporte rodoviário e serviços públicos no Tocantins

O Banco Mundial financia o Projeto de Desenvolvimento Regional Integrado e Sustentável (PDRIS) no Tocantins, cujo objetivo é promover uma maior eficácia do transporte rodoviário e uma maior eficiência dos serviços públicos no estado.

Segundo o organismo internacional, o aumento da eficácia dos serviços de transporte rural melhorará a acessibilidade das populações remotas do estado e, ao mesmo tempo, promoverá a integração econômica regional.

Mulher trabalha em plantação de chá no Sri Lanka. Foto: FIDA/G.M.B.Akash

Empoderamento das mulheres é requisito para o fim da fome, defende FAO

Sem igualdade de gênero e sem o empoderamento social, econômico e político das mulheres, o mundo não conseguirá eliminar a fome. A avaliação é do representante da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) no Brasil, Alan Bojanic. Dirigente lembrou que as mulheres são responsáveis pela produção de mais da metade dos alimentos consumidos no planeta. Seu protagonismo, porém, nem sempre se traduz em acesso justo a direitos e recursos.

Papa Francisco discursa na 2ª Conferência Internacional sobre Nutrição (ICN2) na sede da FAO, em Roma. Foto: FAO / Giulio Napolitano

Papa Francisco critica gastos com armas nucleares e pede mais investimentos para combate à pobreza

Investimentos em armas nucleares poderiam ser redirecionados para resolver os reais problemas do mundo, como a pobreza, a falta de educação e a proteção ambiental. A avaliação é do papa Francisco, que se pronunciou neste mês (10) contra o que chamou de “corrida armamentista”. Segundo o pontífice, armamentos atômicos “não podem constituir a base de uma coexistência pacífica” entre os povos.

Agricultores no Níger. Foto: FIDA/David Rose

Alemanha doará € 20 mi para ajudar agricultores familiares a enfrentar mudanças climáticas

Em meios às atividades 23ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP23), em Bonn, o governo da Alemanha anunciou na quarta-feira (15) que doará 20 milhões de euros para o Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA). Montante será investido pela agência da ONU em projetos para ajudar agricultores familiares de países em desenvolvimento a se adaptar às transformações do clima.

Abdullah, de 6 anos, no leste Ghouta, perto de Damasco, na Síria; eles fugiram de um bombardeio recentemente. Foto: UNICEF/Almohibany

Síria: ONU pede acesso imediato e irrestrito para salvar vidas em zona rural de Damasco

Situação volta a se complicar após comboio ter alcançado região no final de outubro. Milhares de pessoas continuam vivendo em dez áreas sitiadas na Síria.

Segundo a OMS, há relatos de escassez grave de alimentos e de itens médicos no leste de Ghouta, zona rural da capital Damasco, onde até 400 mil pessoas continuam sitiadas e sem acesso a assistência vital.

Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) relata lenta volta à normalidade em Alepo, onde combates chegaram ao fim.

Uso indiscriminado de antibióticos na pecuária pode favorecer desenvolvimento de resistência de bactérias e micróbios a medicamentos. Foto: Departamento dos Estados Unidos para Agricultura / Ryan Thompson

FAO: produção agrícola responde por pelo menos 20% das emissões de gases do efeito estufa

Em pronunciamento na 23ª Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas, a COP23, o diretor-geral da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), José Graziano da Silva, alertou que as transformações do clima poderão arrastar milhões de pessoas para um ciclo vicioso de pobreza e má nutrição. Dirigente cobrou adoção de padrões mais sustentáveis na produção agrícola.

Uma avô cuida da neta em Moçambique. Foto: ONU

Organismos da ONU planejam projeto de conscientização sobre saúde em Moçambique

Para melhorar a nutrição das crianças de Moçambique, o Programa Mundial de Alimentos (PMA) resolveu apostar na comunicação. A agência da ONU criará comitês locais de saúde em 90 comunidades da província de Manica, onde atividades divulgarão informações que podem melhorar o bem-estar da população. O organismo também investirá na sensibilização por meio de transmissões em rádios locais. Público alcançado pelas ações deve chegar a quase 424 mil moçambicanos.

Alimentação escolar é crucial para atingir o objetivo global da ONU número dois, de fome zero. Foto: PMA/Alexandra Hilliard

Ministros africanos endossam estudo sobre alimentação escolar; experiência brasileira foi inspiração

Centro de Excelência contra a Fome do Programa Mundial de Alimentos da ONU (PMA), em colaboração com o Escritório do PMA para a África, realizou o estudo, após o Departamento da Recursos Humanos, Ciência e Tecnologia da Comissão da União Africana ter realizado uma visita de estudos ao Brasil para conhecer a experiência brasileira de alimentação escolar vinculada à agricultura local.

Relatório da FAO destacou desafios para garantia de direitos de mulheres rurais latino-americanas e caribenhas. Foto: EBC

Nova publicação da FAO destaca desafios para garantia de direitos das mulheres rurais

Segundo nova publicação da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), um dos elementos mais comuns que caracteriza a vida das mulheres rurais latino-americanas e caribenhas é a sobrecarga de atividades, devido a uma divisão sexual do trabalho que deixa nas mãos delas o cuidado dos filhos, dos anciãos e dos enfermos.

A “invisibilização” do trabalho que realizam no âmbito reprodutivo, produtivo e para o autoconsumo é outro fator-chave que se soma ao baixo acesso que têm aos meios de produção. O relatório também destaca dificuldades que enfrentam para a participação política e autonomia econômica.

Com um funcionamento diário de 15 horas, cada estação móvel pode produzir até 75 mil litros de água tratada por dia. Foto: Governo do Ceará

Governo do Ceará disponibiliza estações móveis de tratamento d´água para projeto da ONU no meio rural

Três estações móveis de tratamento de água foram disponibilizadas neste mês pelo governo do Ceará para o Projeto Paulo Freire, iniciativa do Executivo estadual em parceria com o Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) para combater a pobreza no meio rural. Equipamentos foram financiados pela agência da ONU e abastecerão cisternas instaladas nas comunidades beneficiadas pelo programa. Sistemas de purificação podem produzir até 75 mil litros de água limpa por dia.

Vanuatu, no Pacífico. Foto: Vanuatu Helicopters/Andy Martin

Líderes do Pacífico pedem à comunidade internacional que restrinja o aquecimento global a 1,5º C

Para os representantes de nove nações insulares, o restante do mundo precisa aumentar a ambição dos compromissos firmados no âmbito do Acordo de Paris e limitar o aumento da temperatura a 1,5ºC até 2100. A meta já consta no tratado internacional, mas um levantamento recente revelou que os compromissos voluntários de cada Estado-parte não seriam suficientes para bater o objetivo — ao contrário, promessas são insuficientes e, caso não sejam aprimoradas, abririam margem para uma elevação de 3ºC na temperatura média global.

Comunidades rurais do semiárido baiano são foco do projeto Pró-Semiárido. Foto: Governo da Bahia

Fundo agrícola da ONU visita comunidades da Bahia para planejar investimentos na agricultura familiar

Uma equipe do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) está na Bahia para planejar a implementação do programa Pró-Semiárido, uma iniciativa do governo estadual para combater a miséria e fortalecer a agricultura familiar em 32 municípios. Realizada em parceria com o organismo da ONU, a iniciativa prevê uma injeção de 300 milhões de reais nas regiões contempladas até 2021. A missão da agência das Nações Unidas será concluída na última semana de novembro.

Regata Transat Jacques Vabre de 2017. Foto: Wikimedia Commons/Pymouss (CC)

Programa Mundial de Alimentos divulga aplicativo de doações em regata que chega ao Brasil

A Transat Jacques Vabre é uma regata internacional que parte da França e percorre rotas de café. Na edição de 2017, os velejadores partiram no início de novembro (5) de Le Havre, na França, e chegarão no fim do mês a Salvador, na Bahia. Para chamar a atenção dos atletas e dos fãs do esporte para a questão da fome no mundo, o Programa Mundial de Alimentos (PMA) fez uma parceria com o evento para divulgar o aplicativo ShareTheMeal, que facilita a doação de pessoas físicas para iniciativas de segurança alimentar e nutricional.

Vista aérea da Amazônia. Foto: Flickr/CIAT/ Neil Palmer (cc)

Especialistas reúnem-se em Brasília para discutir agricultura de baixo carbono na região amazônica

Especialistas e técnicos da área ambiental reuniram-se em Brasília (DF) na sexta-feira (10) para um seminário que discutiu balanços e perspectivas de projeto da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e parceiros que dissemina práticas de Agricultura de Baixo Carbono (ABC) na região amazônica.

O “Seminário PRADAM: balanços e perspectivas” discutiu iniciativa desenvolvida pela FAO em parceria com Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA), Ministério da Agricultura e Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR). Ao todo, mais de 1,6 mil produtores rurais e técnicos em assistência já participaram das atividades desenvolvidas pelo Projeto de Recuperação das Áreas Degradadas da Amazônia (PRADAM).

O Centro de Excelência contra a Fome contribuiu para mudar o entendimento de governos de cerca de 30 países sobre o potencial da alimentação escolar. Foto: Jaelson Lucas/SMCS

Centro de Excelência contra a Fome completa seis anos de existência

O Centro de Excelência contra a Fome — fruto de uma parceria entre o governo brasileiro e o Programa Mundial de Alimentos (PMA) das Nações Unidas — celebrou seu sexto aniversário no início de novembro (7).

Durante esse período, a organização realizou iniciativas de Cooperação Sul-Sul com mais de 50 países, em áreas como segurança alimentar, nutrição e proteção social. Também ofereceu oportunidades de aprendizagem e assistência técnica a 30 países para ajudá-los a elaborar e implementar programas sustentáveis de alimentação escolar.

Plantação de algodão em Catuti (MG). Foto: OIT

Estudo mapeia informações sobre setor algodoeiro em seis países da América Latina

O algodão é um dos produtos agrícolas mais importantes do mundo. Estima-se que haja cerca de 35 milhões de hectares no produto plantados em 60 países. Na América Latina e no Caribe, esta cultura representa 80% das unidades produtivas da agricultura familiar.

A partir deste contexto, o projeto regional +Algodão publicou estudo que busca analisar a cadeia de valor do algodão em seis países da América Latina, a partir de um conjunto de marcos regulatórios para o seu desenvolvimento. O relato é da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

Produção de grãos no Paraná. Foto: ANPr / Jonas Oliveira

Aumenta peso das commodities para economia do Brasil, revela relatório da ONU

No biênio 2014-2015, as exportações de commodities do Brasil responderam por 6,5% do Produto Interno Bruto (PIB) do país — taxa 0,9% acima da proporção registrada para o período 2009-2010. Participação de minérios nas exportações de commodities caiu, enquanto peso da agricultura cresceu. É o que revela um novo levantamento da Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD).

O Centro de Excelência contra a Fome contribuiu para mudar o entendimento de governos de cerca de 30 países sobre o potencial da alimentação escolar. Foto: Jaelson Lucas/SMCS

Políticas agrícolas devem melhorar qualidade dos alimentos, diz FAO

Para enfrentar a má nutrição — seja sob a forma da fome ou da obesidade —, países terão de implementar políticas agrícolas para garantir o abastecimento da população com produtos nutritivos. É o que defende a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO). Segundo a ONU, problemas como o sobrepeso colocaram em evidência a necessidade de fornecer alimentos saudáveis para as pessoas.

Plantação de cana-de-açúcar no Brasil. Foto: Agência Brasil/Elza Fiúza

Real enfraquecido leva a queda dos preços do açúcar no mundo, aponta FAO

Os preços globais dos alimentos caíram em outubro deste ano, chegando a um índice 27% abaixo da máxima registrada para o mês, em 2011. O cálculo é da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), que atribui a queda de 1,3% na comparação com setembro a oscilações do setor de laticínios. A agência da ONU citou ainda o enfraquecimento do real brasileiro como uma das causas da queda no preço mundial do açúcar.

José Graziano da Silva, diretor-geral da FAO, em encontro de ministros do G7. Foto: FAO

Má nutrição poderá afetar mais da metade população mundial até 2030, alerta FAO

Em reunião de ministros dos países do G7, o diretor-geral da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), José Graziano da Silva, alertou para as múltiplas formas de má nutrição afetando a população mundial. Atualmente, mais de 2 bilhões de pessoas sofrem de alguma forma de deficiência nutricional e cerca de 1,9 bilhão de indivíduos têm sobrepeso — desses, 600 milhões são obesos.

Joyce é uma pescadora que superou muitos desafios. Ela é uma das centenas de empreendedoras que atualmente se beneficiam do Fundo Fiduciário de Solidariedade para a segurança alimentar da África. O fundo apoia programas de aquicultura no Quênia com o objetivo de aumentar a produção local de peixes e criar oportunidades de emprego decente para mulheres e homens jovens. Saiba mais neste vídeo da FAO

Empodere uma mulher e ela vai empoderar uma geração inteira: a história de Joyce

Joyce é uma pescadora que superou muitos desafios. Ela é uma das centenas de empreendedoras que atualmente se beneficiam do Fundo Fiduciário de Solidariedade para a segurança alimentar da África. O fundo apoia programas de aquicultura no Quênia com o objetivo de aumentar a produção local de peixes e criar oportunidades de emprego decente para mulheres e homens jovens. Saiba mais neste vídeo da FAO.

Mulheres do quilombo do Bonfim contam história do local. Imagem: Frame do vídeo do Centro de Excelência contra a Fome

VÍDEO: produção agrícola garante sustento de quilombolas na Paraíba

Na Paraíba, o Quilombo do Bonfim foi o primeiro a ter seu território reconhecido. São aproximadamente 120 hectares sob o domínio de 39 famílias quilombolas – das quais 28 são chefiadas por mulheres. A população vive da produção agrícola, que é escoada em parte para o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). A história do local virou tema de um vídeo, produzido pelo Centro de Excelência contra a Fome, do Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas (PMA).

FAO, Bolívia e Brasil promovem oficina sobre agricultura familiar e comércio bilateral

Com o apoio da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), a Embaixada da Bolívia no Brasil e o Ministério das Relações Exteriores promovem nos próximos dias 7 e 8 de novembro, na cidade boliviana de Puerto Suarez, uma Oficina Técnica Preparatória para a Reunião do Comitê Binacional de Integração Bolívia-Brasil. Evento discutirá a criação de um programa de produção de vegetais e leguminosas, tendo em vista o fortalecimento da agricultura familiar e da comercialização entre os dois países.

Leguminosas são fontes de nutrientes e podem ajudar no combate à fome. Foto: pixabay

Livro da FAO e parceiros resgata receitas culinárias tradicionais da região Sul do Brasil

A Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO) e parceiros foram buscar no Sul do Brasil saborosas receitas com leguminosas que venceram o tempo e foram transmitidas de geração em geração, de boca em boca ou manuscritas e que aproveitam o que de melhor a terra produz.

Tudo isso para elaborar a publicação de 100 páginas intitulada “Leguminosas, Receitas Culinárias do Sul do Brasil”. O livro reúne 83 receitas com objetivo de preservar os saberes tradicionais, valorizar a gastronomia repassada de geração em geração e incentivar a conexão com a produção de alimentos saudáveis, sobretudo da agricultura familiar.

Colheita de milho em Sertão Santana (RS). Foto: Pedro Revillion/Palácio Piratini/CC

ONU: agricultura latino-americana e caribenha precisa ampliar produtividade de forma inclusiva

O principal desafio para o futuro da agricultura e da vida rural na região da América Latina e do Caribe é melhorar a produtividade agrícola de maneira sustentável. Além disso, é preciso assegurar que os benefícios econômicos sejam distribuídos de maneira equitativa entre os habitantes dos territórios rurais.

Essa é a conclusão do livro “Perspectivas da Agricultura e do Desenvolvimento Rural nas Américas”, lançado por Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA) e Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL).

Essa é a mensagem de um grupo de agricultores e camponeses de Kasama, na Zâmbia – um país sem litoral na África Austral –, sobre um investimento único. Eles mostram o quão importante é o investimento na agricultura familiar, e como isso pode significar a redução da pobreza na África e a alimentação de um planeta com fome.

VÍDEO: Agricultores familiares têm uma importante mensagem para o mundo

Essa é a mensagem de um grupo de agricultores e camponeses de Kasama, na Zâmbia – um país sem litoral na África Austral –, sobre um investimento único.

Eles mostram o quão importante é o investimento na agricultura familiar, e como isso pode significar a redução da pobreza na África e a alimentação de um planeta com fome. Detalhes neste vídeo do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola da ONU, o FIDA.

Seca na Etiópia em 2015 foi a pior em 30 anos, levando o país a uma crise alimentar que deixou milhares passando fome. Foto: UNICEF Etiópia / Tanya Bindra

Agências da ONU pedem esforços conjuntos para combater todas as formas de má nutrição

Reunidas em Roma para a 44ª sessão plenária do Comitê Mundial de Segurança Alimentar (CFS), as três agências da ONU com sede na cidade instaram governos, organismos internacionais, empresas privadas e outros atores a trabalhar juntos para melhorar o sistema alimentar global.

A Organização para a Alimentação e a Agricultura (FAO), o Programa Mundial de Alimentos (PMA) e o Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) destacaram que tanto a fome quanto a obesidade estão aumentando no mundo. Cerca de 815 milhões de pessoas passaram fome em 2016, e as taxas de obesidade vêm crescendo em países desenvolvidos e em desenvolvimento.