Arquivo da tag: Paz; justiça e instituições eficazes

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número 16 diz: “Promover sociedades pacíficas e inclusivas para o desenvolvimento sustentável, proporcionar o acesso à justiça para todos e construir instituições eficazes, responsáveis e inclusivas em todos os níveis”.

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número 16 diz: “Promover sociedades pacíficas e inclusivas para o desenvolvimento sustentável, proporcionar o acesso à justiça para todos e construir instituições eficazes, responsáveis e inclusivas em todos os níveis”.

 

Mais sobre este ODS em https://nacoesunidas.org/pos2015/ods16 e notícias sobre o tema abaixo.

“Conversei pela primeira vez com meu companheiro sobre sexualidade”, conta migrante venezuelana depois de participar de formação do UNFPA em Roraima. Foto: UNFPA Brasil | Yareidy Perdomo.

Em Roraima, UNFPA promove formação em saúde sexual e reprodutiva a mulheres venezuelanas

Keibelin Yanez, 27, migrou da Venezuela para o Brasil em 2017 e participa das formações em saúde sexual, reprodutiva e direitos promovidas pelo Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) em Roraima.

Ela e o esposo decidiram sair da Venezuela quando Keibelin descobriu estar grávida do terceiro filho. Segundo ela, o que ganhavam em seu país de origem mal dava para cuidar das duas crianças que já tinham.

A participação nas formações oferecidas pela ONU ofereceu à Keibelin a possibilidade de cuidar melhor de sua saúde e da saúde de sua família. A reportagem é do UNFPA Brasil.

Mulher síria é confortada por funcionária do ACNUR após chegar ao campo de refugiados de Bardarash em Duhok, Iraque. Foto: ACNUR | Rasheed Hussein Rasheed.

“Isso não é vida”, senhora de 64 anos relata momentos de angústia ao escapar dos conflitos no nordeste da Síria

Cerca de 900 a 1.200 pessoas chegam ao campo de Bardarash, no Iraque, por dia, relatou a Agência das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR). Segundo oficiais da agência, é provável que o campo atinja sua capacidade máxima nesta semana.

Para lidar com o fluxo contínuo, autoridades regionais curdas estão planejando abrir mais campos. O ACNUR está registrando todos os recém-chegados e, juntamente com seus parceiros, fornece serviços de saúde e proteção, incluindo apoio psicossocial e serviços específicos para crianças desacompanhadas e pessoas com necessidades específicas.

À medida que o número de sírios que fogem do nordeste do país rumo ao Iraque chega a 10 mil, recém-chegada conta sobre o que viu no caminho e sobre o medo do inverno que se aproxima. A reportagem é do ACNUR.

Durante o segundo semestre de 2019, o Empoderando Refugiadas promove workshops temáticos para mulheres refugiadas em São Paulo (SP) e Boa Vista (RR). Foto: Fellipe Abreu

Refugiadas são treinadas em leis trabalhistas e canais de denúncia de violência de gênero em SP

A conscientização sobre o direito trabalhista brasileiro e as possibilidades de enfrentamento da violência contra a mulher no Brasil foram temas de workshop realizado no escritório de advocacia Mattos Filho, em São Paulo (SP), na última terça-feira (22).

O encontro reuniu profissionais do Direito e as participantes da quarta edição do projeto Empoderando Refugiadas – iniciativa de Rede Brasil do Pacto Global, Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e ONU Mulheres, com foco na empregabilidade de mulheres em situação refúgio no Brasil.

Vista panorâmica do Salão da Assembleia Geral da ONU durante as deliberações e a adoção da Convenção sobre os Direitos da Criança em 20 de novembro de 1989. Foto: UNICEF

UNICEF abre exposição ’30 anos da Convenção sobre os Direitos da Criança’ no Congresso Nacional

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) inaugura na semana que vem (30) uma exposição no Congresso Nacional sobre os 30 anos da Convenção sobre os Direitos da Criança (CDC). O público é convidado a conhecer a história da Convenção mais ratificada no mundo, assinada por 196 países, e como ela vem impactando a vida de meninas e meninos no Brasil.

Os 100 metros de exposição — localizada no corredor de acesso ao Plenário da Câmara dos Deputados — estampam depoimentos de crianças e adolescentes do Brasil e do mundo que lutam ativamente por seus direitos. O expectador é convidado a reviver os eventos históricos que levaram à assinatura da Convenção, se familiarizar com os princípios que regem a CDC, conhecer todos os direitos nela expressos e interagir com painéis de som para ouvir histórias reais de meninos e meninas.

Salsabil e sua família vieram da Síria para recomeçar em São Paulo. Hoje, trabalham com culinária árabe. Foto: ACNUR/Érico Hiller

ACNUR e Caritas lançam mapeamento de pessoas em situação de refúgio em São Paulo

A Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e a Caritas Arquidiocesana de São Paulo (CASP) lançaram na quarta-feira (23) o relatório “Georreferenciamento de Pessoas em Situação de Refúgio Atendidas pela Caritas Arquidiocesana de São Paulo em 2018”. Os dados foram levantados a partir dos atendimentos a pessoas em situação de refúgio pelo Centro de Referência para Refugiados da Caritas SP no último ano.

Das 84 nacionalidades atendidas pela Caritas em 2018, cinco países representam quase 70% do total de pessoas, sendo eles Angola (20%), Venezuela (19,8%), República Democrática do Congo (13,6%), Síria (10,7%) e Nigéria (4,15%). Ainda, é possível destacar que a maior parte das pessoas em situação de refúgio vive na zona leste da capital paulista (55%), mesmo que Sé e República sejam as localidades com maior número absoluto de residentes – 521 e 466, respectivamente.

Forças Especiais de Policiais vigiam protesto em Santiago, no Chile, em 19 de outubro de 2019. Foto: Wikimedia Commons/Jorge Morales Piderit (CC)

Escritório de direitos humanos da ONU investigará denúncias no Chile

O Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH) anunciou nesta sexta-feira (25) que realizará missão no Chile para analisar denúncias de violações nos recentes protestos ocorridos no país.

“Acompanhamos de perto a crescente crise no Chile, incluindo denúncias de violações e abusos aos direitos humanos no contexto das recentes manifestações e da declaração de estado de emergência” no país, afirmou o ACNUDH em comunicado.

Na Bolívia, o ACNUDH manifestou preocupação com as denúncias de violência e uso excessivo da força durante manifestações após as eleições de domingo passado (20).

Capacetes-azuis da Força Interina das Nações Unidas no Líbano (UNIFIL) durante patrulha em Rumaysh, sul do país, em dezembro de 2017. Foto: UNIFIL/Pasqual Gorriz

Carta da ONU permanece como âncora em meio às turbulências globais, diz secretário-geral

Em sua mensagem anual para o Dia da ONU nesta quinta-feira (24), o secretário-geral António Guterres lembrou o papel que a Organização deve desempenhar, concentrando-se nos problemas reais das pessoas reais, como uma “âncora moral compartilhada” em meio a “mares globais tempestuosos”.

“Estamos trabalhando para uma globalização justa e uma ação climática ousada”, disse o chefe da ONU. “Estamos pressionando pelos direitos humanos e pela igualdade de gênero — e dizendo ‘não’ ao ódio de qualquer tipo. E estamos nos esforçando para manter a paz — ao mesmo tempo em que levamos ajuda para salvar vidas a milhões de pessoas envolvidas em conflitos armados.”

Arte: Tumisu/Pixabay

Banco Mundial aponta que valor de salários é responsável pelo alto gasto com funcionalismo público no Brasil

Novo Relatório Gestão de Pessoas e Folha de Pagamentos do Banco Mundial aponta que o gasto do setor público brasileiro com folha de pagamento é alto para os padrões internacionais. De acordo com o estudo, isto acontece por conta do alto valor das remunerações e não pelo número de funcionários.

O estudo mostra ainda que a complexidade da estrutura de cargos e salários no setor público é muito alta e projeções do Banco Mundial mostram que a política salarial dos próximos anos será decisiva para as finanças públicas.

Elizabeth Saenz, coordenadora de Programas Globais de Tratamento para Dependentes Químicos do UNODC - Foto: Divulgação

UNODC realiza treinamento sobre prevenção e tratamento do uso de drogas

O Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) realiza nesta semana, em Brasília, uma capacitação sobre natureza, prevenção e tratamento de transtornos relacionados ao uso de drogas. O encontro reúne representantes dos governos federal, estaduais e do Distrito Federal envolvidos na prevenção, tratamento e reinserção social de usuários e no combate ao tráfico.

A capacitação foi organizada em parceria com o Ministério da Cidadania e a Secretaria Nacional de Cuidados e Prevenção às Drogas (Senapred), com apoio da Embaixada dos Estados Unidos, por meio do Bureau Internacional de Narcóticos e Aplicação da Lei (INL, na sua sigla em inglês).

Vista de La Paz, Bolívia. Foto: Carakan/Flickr/CC

ONU manifesta preocupação com atos de violência na Bolívia após eleições

A ONU anunciou nesta terça-feira (22) estar acompanhando de perto os últimos acontecimentos na Bolívia, e manifestou preocupação com relatos de uso da violência após o pleito de domingo (20) que reelegeu o presidente Evo Morales.

Durante seu encontro diário com a imprensa em Nova Iorque, o porta-voz da ONU, Stéphane Dujarric, instou todos os líderes políticos bolivianos e seus seguidores a reduzir as tensões no país. Pediu o fim de atos violentos e a utilização de meios legais para a resolução de disputas eleitorais.

Gelson Henrique, de 20 anos, é estudante de Ciências Sociais da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Foto: UNICEF/Rafael Duarte

‘Quero uma cidade que garanta nosso direito de viver’

Morador da periferia do Rio de Janeiro, Gelson Henrique, de 20 anos, percebeu na adolescência que não estava exercendo seu direito de aproveitar plenamente a cidade em que morava. Não conhecia, por exemplo, os museus, inacessíveis para famílias pobres que moram longe das regiões centrais. “Descobri que há toda uma estrutura que não quer que a gente ascenda. Mas também percebi que não existo sozinho. A pele preta traz toda uma ancestralidade”, declara.

A convite do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), Gelson participou este mês da Conferência sobre as Cidades Amigas da Criança, realizada em Colônia, na Alemanha. Junto a outros jovens e adolescentes do mundo, ele discutiu formas de as cidades garantirem o pleno desenvolvimento de cada criança e adolescente.

“Para mim, cidade amiga da criança é uma cidade que não viole nossos direitos, começando pelo direito à vida, que hoje está ameaçado para um jovem negro”, afirma Gelson.

Vista da cidade de Quito, no Equador. Foto: Flickr (CC) / David Berkowitz

Missão no Equador investiga alegações de violação de direitos humanos em protestos

Uma equipe de três pessoas do Escritório do Alto Comissariado da ONU para os Direitos Humanos (ACNUDH) chegou no domingo (20) ao Equador para investigar até 8 de novembro alegações de violações e abusos de direitos humanos cometidos no país no contexto dos recentes protestos.

Durante sua visita, a equipe se reunirá com oficiais do governo, líderes indígenas, representantes da sociedade civil, jornalistas e outras partes interessadas para coletar informações em primeira mão sobre as circunstâncias da violência que se espalhou pelo país a partir de 3 de outubro.

Menina de 4 anos caminha por campo de Bardarash, em Duhok, no Iraque. Ela é um dos milhares de refugiados que fugiram dos confrontos no nordeste da Síria. Foto: ACNUR/Hossein Fatemi

Conflito no nordeste da Síria já deslocou 180 mil pessoas; necessidades se multiplicam

Depois de quase duas semanas de combates no nordeste da Síria, agências humanitárias da ONU estimam que cerca de 180 mil pessoas foram forçadas a deixar suas casas ou abrigos, incluindo 80 mil crianças, todas necessitando desesperadamente de assistência.

As chegadas de refugiados ao norte do Iraque continuam. A Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) estima que mais de 7,1 mil chegaram desde segunda-feira passada (14). A maioria está abrigada no campo de Bardarash, cerca de 140 km a leste da fronteira Iraque-Síria.

A ONU e seus parceiros estão ampliando a assistência para salvar vidas, apesar dos contínuos obstáculos de segurança. Alimentos e cobertores estão sendo distribuídos a cerca de 580 mil civis nas províncias de Raqqa e Hasakeh, e estão sendo feitos esforços para fornecer serviços essenciais, em preparação para o início do inverno.

Mãe e filha em centro de saúde apoiado pelo UNFPA. Agência presta serviços de saúde reprodutiva, sexual, materna e neo-natal. Foto: UNFPA Namíbia/Emma Mbekele

UNFPA lança ‘Jornada Zero Violência contra Mulheres e Meninas’ no Distrito Federal

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) tem trabalhado no mundo para alcançar a meta de três zeros até 2030: zero necessidades insatisfeitas de contracepção, zero mortes maternas evitáveis e zero violências ou práticas nocivas contra mulheres e meninas.

Nesse sentido, o UNFPA Brasil, a Secretaria da Mulher e outros órgãos do Governo do Distrito Federal (GDF) lançaram no início de outubro (9) o programa “Jornada Zero Violência contra mulheres e meninas” no Paranoá (DF).

O objetivo é mobilizar a sociedade e articular uma rede de enfrentamento à violência contra a mulher nas regiões administrativas do Distrito Federal.

Alta-comissária da ONU para os direitos humanos, Michelle Bachelet, concede coletiva de imprensa na sede das Nações Unidas, em Nova Iorque. Foto: ONU/Jean-Marc Ferre

Bachelet pede diálogo imediato para resolver crise no Chile

A alta-comissária da ONU para os direitos humanos, Michelle Bachelet, pediu nesta segunda-feira (21) a todos os atores políticos e da sociedade civil do Chile que se envolvam em um diálogo imediato e evitem polarizar ainda mais a situação com palavras ou atos, após a violência e a agitação que assolaram o país nos últimos dias.

“É preciso haver um diálogo aberto e sincero entre todos os atores envolvidos para ajudar a resolver essa situação, incluindo um exame profundo da ampla gama de questões socioeconômicas subjacentes à crise atual”, disse.

A alta-comissária alertou que “o uso de retórica inflamatória servirá apenas para agravar ainda mais a situação, arriscando criar medo generalizado”.

UNFPA participa de Semana Acadêmica em comemoração aos 25 anos da Conferência do Cairo

A Universidade Federal de Roraima (UFFR) sediará, entre os dias 29 de outubro e 1º de novembro, a 5ª Semana Acadêmica de Relações Internacionais. O evento é fruto da parceria entre o Curso de Relações Internacionais da UFFR e o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA).

O encontro deste ano vai lembrar os 25 anos da Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento (CIPD), realizada no Cairo, Egito, em 1994.

O debate se concentrará nos temas: desenvolvimento sustentável com equidade para todas e todos por meio da promoção dos direitos humanos e da dignidade; igualdade de gênero e empoderamento; juventudes e direitos humanos na agenda global de desenvolvimento; e saúde sexual e reprodutiva.

Os assuntos serão analisados à luz do contexto migratório atual observado no norte do país, sobretudo no estado de Roraima.

A Missão das Nações Unidas no Haiti (MINUSTAH) trabalha com membros do Conselho Eleitoral Provisional do Haiti para transportar as urnas de votação de todo o país para a capital, Porto Princípe, para contagem – Foto: Logan Abassi/ UN Photo

Haiti: secretário-geral da ONU promete compromisso contínuo para a paz

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, prometeu compromisso contínuo para apoiar os haitianos no caminho para a paz e o desenvolvimento. Este compromisso seria uma nova parceria, afirmou, ao reconhecer a substancial contribuição dada ao país caribenho ao longo dos 15 anos da Missão de Estabilização das Nações Unidas, MINUSTAH, e a Missão das Nações Unidas para Apoio à Justiça no Haiti (MINUJUSTH).

Guterres afirmou que o novo Escritório Integrado das Nações Unidas no Haiti (BINUH), que iniciou suas atividades na última quarta-feira (16), trabalhará ao lado da equipe de país da ONU em atividades integradas “para apoiar os esforços nacionais para assegurar estabilidade duradoura e a implementação da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.”

“Uso a música para que elas se divirtam e não se sintam entediadas”, Koat Reath, professor sul-sudanês do campo de refugiados Jewi, na Etiópia. Foto: ACNUR | Eduardo Soteras Jalil.

Professor do Sudão do Sul dedica sua vida para ensinar crianças refugiadas

Mesmo com turmas superlotadas – às vezes com até 100 crianças em uma sala – e livros insuficientes, o professor Koat Reath (41) utiliza a música para conseguir manter a atenção dos estudantes. A energia do professor muitas vezes é a mesma de seus alunos, que possuem entre cinco e 15 anos de idade.

A precariedade do acesso à educação nos campos de refugiados na Etiópia é uma das preocupações do chefe do escritório da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) em Gambella, Patrick Kawuma.

Apenas dois terços das crianças do Sudão do Sul que estão na Etiópia têm acesso à escola primária e a grande maioria – 86% – não frequenta o ensino médio. A reportagem é do ACNUR.

“Me ensinaram muito sobre os direitos das pessoas LGBTI+ no Brasil. Eu não tinha ideia porque no meu país isso não existe”, Riri, 22 anos. Foto: UNFPA Brasil | Yareidy Perdomo.

Espaço Amigável do UNFPA oferece apoio a migrantes LGBTI+ em Roraima

Depois de ter mantido uma luta constante contra a LGBTIfobia e a discriminação na Venezuela, Riri, de 22 anos, migrou pela segunda vez para o Brasil. Riri relata ter vivido com medo e sofrido “abuso e agressão por ser diferente” em seu país de origem.

“Muitas vezes me perguntam se sou uma mulher transexual, e não sou. Sou uma pessoa que não se identifica com nenhum gênero, e é isso que inquieta as pessoas”, explicou.

Hoje, depois de passar por aquilo que chamou “um turbulento caminho”, fruto da crise econômica da Venezuela, Riri encontrou um lar em Roraima. Logo após ter cruzado a fronteira, conheceu o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), que o forneceu apoio e orientação sobre os direitos das pessoas LGBTI+ vivendo no Brasil.

Os venezuelanos Gabriel e Rosalva interpretam os personagens Javier e Alejandra na nova série da Globo, Segunda Chamada. Foto: Globo/Mauricio Fidalgo

Dupla da Venezuela se reinventa para atuar na série ‘Segunda Chamada’, da Globo

Rosalva e Gabriel tiveram que deixar a Venezuela em momentos distintos e, no Brasil, não imaginavam que teriam a oportunidade de contracenar com grandes nomes da teledramaturgia. Eles interpretam os personagens Javier e Alejandra na nova série da TV Globo, “Segunda Chamada”. O relato é da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR).

A série, escrita por Carla Faour e Julia Spadaccini, destaca a história de cinco professores que, dedicados à educação de jovens e adultos, superam dificuldades do ensino público para melhorar as condições de vida dos alunos.

Câmara do Conselho de Direitos Humanos em Genebra. Foto: ONU/Elma Okic

Venezuela, Polônia e Sudão estão entre 14 novos membros do Conselho de Direitos Humanos

Quatorze novos membros foram eleitos para o Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas nesta quinta-feira (17), após votação realizada na Assembleia Geral da ONU em Nova Iorque. Entre os novos membros, estão Venezuela, Polônia e Sudão. O Brasil foi reeleito para um segundo mandato consecutivo.

O Conselho, que se reúne durante o ano no escritório da ONU em Genebra, é um organismo internacional, dentro do Sistema Nações Unidas, composto por 47 Estados, e é responsável por promover e proteger os direitos humanos no mundo. Tem o poder de lançar missões de investigação e estabelecer comissões de inquérito em situações específicas.

Refugiada síria abraça seu filho após chegar em segurança à ilha de Lesbos, na Grécia, em 2015. A mãe e o filho da foto viajaram a partir da Turquia pelo Mar Egeu, em um bote inflável. Foto: ACNUR/Achileas Zavallis

ONU pede que Europa amplie esforços para proteger crianças refugiadas e migrantes

A Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) pediu que os Estados europeus intensifiquem seus esforços para proteger crianças refugiadas e migrantes, que passam por viagens difíceis e perigosas e enfrentam riscos quando chegam à Europa, incluindo acomodações inseguras e falta de cuidados adequados.

A Grécia recebeu a maior parte dos refugiados e migrantes na região do Mediterrâneo este ano — mais do que Espanha, Itália, Malta e Chipre juntos. Até o momento, mais de 12.900 crianças chegaram à Grécia por via marítima, incluindo quase 2.100 crianças desacompanhadas ou separadas dos familiares.

As condições nos centros de recepção superlotados e insalubres nas ilhas gregas do mar Egeu são extremamente preocupantes, alertou o ACNUR.

Segundo estimativas, os fluxos financeiros ilícitos de países em desenvolvimento relacionados a evasão fiscal, crime, corrupção e outras atividades somaram 1,1 trilhão de dólares em 2013. Foto: ONU

UNODC organiza debates para revisão de convenção da ONU contra crime organizado

Cerca de 40 representantes de Organizações Não Governamentais (ONGs), academia e setor privado de 18 países se reuniram em Viena, na semana passada, para um workshop sobre o engajamento das partes interessadas no processo de revisão da Convenção das Nações Unidas contra o Crime Organizado Transnacional (UNTOC).

O workshop, organizado pela equipe da sociedade civil do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) em conjunto com a Iniciativa Global contra o Crime Organizado Transnacional, analisou os atuais papéis e desafios dos atores não estatais na abordagem das questões do crime organizado relacionados à Convenção.

Lucas Rocha, assistente de campo do UNFPA em Paracaima, Roraima. Foto: UNFPA Brasil | Yareidy Perdomo.

UNFPA completa dois anos de atuação na resposta humanitária em Roraima

Em setembro de 2019, o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) completou dois anos atuando em Roraima, onde presta assistência a grupos com necessidades específicas de proteção.

Neste período, por meio de seu programa de Assistência Humanitária, a agência já atendeu mulheres, gestantes, lactantes, jovens, mães com crianças, população LGBTI, pessoas vivendo com HIV, indígenas, pessoas idosas, com deficiência, entre outros grupos que chegam diariamente ao Brasil, vindos da Venezuela.

O Fundo de População conta, hoje, com uma equipe de 26 pessoas que fazem parte do trabalho humanitário em Brasília, Roraima e, desde setembro de 2019, também em Manaus, capital do Amazonas.

Planejamento da carreira e empreendedorismo são alguns dos temas abordados no projeto Empoderando Refugiadas. Foto: Rede Brasil do Pacto Global/Fellipe Abreu

Refugiadas recebem treinamento em SP para entrar no mercado de trabalho

O Espaço Fit Carrefour recebeu no dia 26 de setembro, em São Paulo (SP), o primeiro workshop da quarta edição do Empoderando Refugiadas – iniciativa de Rede Brasil do Pacto Global, Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e ONU Mulheres que trabalha a empregabilidade de mulheres em situação de refúgio no Brasil.

Especialistas em recrutamento e inclusão do setor privado conversaram com as participantes sobre técnicas de entrevista, elaboração de currículos e objetivos profissionais.

O treinamento é o primeiro de uma série de workshops que serão realizados no segundo semestre de 2019, focados no temas de mercado de trabalho, legislação brasileira, empreendedorismo, mídias sociais e educação financeira. Cada encontro é recebido por uma empresa parceira e conta com a participação de profissionais do mercado.

Sírios deslocados, que deixaram suas casas na cidade fronteiriça de Ras al-Ain, recebem ajuda humanitária em 12 de outubro de 2019 na cidade de Tal Tamr, interior da província de Hasakeh, nordeste da Síria. Foto: ACNUR/Delil Souleiman

Agência da ONU para Refugiados amplia ajuda no nordeste da Síria

Desde a escalada da violência no nordeste da Síria na semana passada, equipes da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) prestaram assistência a 31.800 pessoas. Em Al-Hassakeh e Tal Tamer, o ACNUR distribuiu cobertores e outros itens essenciais de assistência a cerca de 20.250 pessoas em três campos de deslocados internos e a outras 11.550 pessoas que vivem em abrigos comunitários.

O ACNUR também enviou ajuda adicional, incluindo cobertores para 52.000 pessoas, lonas para 15.000 e lâmpadas solares para 20.000 pessoas em Qamishli. Através de parceiros de proteção, continua realizando avaliações em abrigos comunitários em Al-Hassakeh, Tal Tamer e Ar-Raqqa.

Muitas famílias recém-deslocadas se estabeleceram nas comunidades anfitriãs e suas necessidades também estão sendo avaliadas. Entre as necessidades imediatas de proteção identificadas estão a falta de documentação, uma vez que as pessoas saem de casa sem documentos e outros pertences. Famílias também foram separadas.

As atividades incluíram debates, exercícios técnicos e a apresentação de casos. Foto: Conexões Éticas do Terceiro Setor

UNESCO e parceiros promovem capacitação sobre transparência no terceiro setor

As aulas de capacitação do projeto Conexões Éticas do Terceiro Setor foram encerradas na sexta-feira (11), em Brasília (DF). Durante cinco dias, representantes de 20 Organizações da Sociedade Civil (OSCs) participaram de uma programação voltada para a construção de um modelo de gestão mais participativa e transparente em suas áreas de atuação.

As atividades incluíram debates, exercícios técnicos e a apresentação de casos sobre temas como ambiente regulatório, princípios de compliance, gestão de risco no terceiro setor e dinâmicas de trocas comerciais, assistenciais e socioambientais. O evento foi uma parceria entre Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) no Brasil, Petrobras e Universidade Federal Fluminense.

Em 11 de outubro de 2019. na Síria, mulher e criança sentam debaixo de caminhão enquanto população deslocada de Ras al-Ain chega a Tal Tamer, fugindo da violência. Foto: UNICEF/Delil Souleiman

Operação militar turca no nordeste da Síria pode libertar membros do Estado Islâmico

A incursão militar turca em andamento no nordeste da Síria pode, involuntariamente, levar à libertação de dezenas de pessoas associadas ao grupo terrorista Estado Islâmico, afirmou o secretário-geral da ONU, António Guterres.

Guterres pediu uma redução imediata dos combates, que deixaram muitas vítimas civis e deslocaram até 160 mil pessoas em menos de uma semana.

“Ele também observa com séria preocupação o fato de que as operações militares atuais possam levar à libertação não intencional de indivíduos associados ao Estado Islâmico, com todas as conseqüências que isso pode acarretar”, segundo comunicado divulgado nesta segunda-feira (14) por seu porta-voz.

O secretário-geral da ONU, António Guterres. Foto: TASS/UN DPI

Secretário-geral da ONU elogia iniciativa de diálogo no Equador

O secretário-geral da ONU, António Guterres, fez um apelo para que todos os envolvidos na crise equatoriana se comprometam com um diálogo inclusivo e eficaz e trabalhem em busca de uma solução pacífica para os importantes desafios que o Equador enfrenta.

Em comunicado emitido por seu porta-voz, o chefe da ONU também pediu que todas as partes reduzam as tensões, evitem atos de violência e ajam com o máximo de moderação.

Crianças refugiadas rohingya no campo de refugiados de Balukhali, no distrito de Cox's Bazaar, Bangladesh. Foto: ACNUR/Brian Sokol

ACNUR lista 5 ações que ajudam a garantir futuro melhor para crianças refugiadas

Metade dos refugiados do mundo são crianças. Muitas passam a infância inteira longe de casa, às vezes separadas de suas famílias. Em situações de crise e deslocamento, correm o risco de se tornarem vítimas de várias formas de abuso, violência, exploração, tráfico ou recrutamento militar.

A Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) trabalha para garantir que crianças, adolescentes e jovens sejam protegidos e que seus direitos sejam assegurados.

O evento teve a participação de Sekacheva Lyudmila, presidente da organização regional pública "BRICS THe World Traditions". Foto: UNIC Rio

Evento no Rio busca intensificar relações diplomáticas entre países dos BRICS

O consulado geral da Rússia no Rio de Janeiro (RJ) realizou nesta segunda-feira (14) no Palácio do Itamaraty, na região central da capital fluminense, o evento “Os grandes professores dos BRICS: projeto cultural e de pesquisa internacional de manutenção da paz”.

O projeto que envolve representantes da sociedade civil e de organizações não governamentais dos países dos BRICS — Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul —, tem como objetivo intensificar as trocas culturais e diplomáticas do grupo com base nos ensinamentos de pensadores e filósofos desses países.

Menina interage com colegas de classe em Uganda. Foto: UNICEF/Zahara Abdul

Dia Internacional das Meninas lembra 25 anos de progressos e desafios no horizonte

As mais de 1 bilhão de meninas do mundo estão sendo celebradas nesta sexta-feira (11) como uma força de mudança “sem roteiro e irrefreável” para a humanidade.

Todos os dias, meninas com menos de 18 anos desafiam estereótipos, quebram barreiras e lideram movimentos para lidar com problemas que as afetam e afetam outras pessoas, disse o secretário-geral da ONU, António Guterres, em mensagem para o Dia Internacional das Meninas.

O premiê etíope, Abiy Ahmed, fala durante fórum sobre liberdade de imprensa em Addis Ababa. Foto: UNESCO/Vintage Pixels

Secretário-geral da ONU elogia escolha de premiê etíope para Nobel da Paz

O secretário-geral da ONU, António Guterres, elogiou nesta sexta-feira (11) a escolha do premiê etíope, Abiy Ahmed, como vencedor do prêmio Nobel da Paz por seus esforços para resolver duas décadas de conflito com a Eritreia.

“Eu afirmei muitas vezes que ventos de esperança estão soprando cada vez mais fortemente em toda a África. O primeiro-ministro Abiy Ahmed é uma das principais razões para isso”, afirmou o chefe da ONU, em comunicado.

Secretário-geral da ONU, António Guterres, ressaltou que violência de gênero é pandemia global. Foto: ONU/Loey Felipe

ONU diz estar disposta a apoiar diálogo em meio às manifestações no Equador

O secretário-geral da ONU, António Guterres, disse na quinta-feira (10) estar preocupado com os recentes acontecimentos no Equador e instou todas as partes a reduzir as tensões, evitar atos de violência e exercer a máxima moderação.

A ONU confirmou ter recebido solicitação por parte do governo equatoriano para facilitar o diálogo com os diferentes setores da sociedade civil, após os protestos iniciados na semana passada por conta da alta dos preços dos combustíveis anunciada pelo presidente Lenín Moreno.

Tribunais e magistrados do país agora contam com um manual de orientações sobre indígenas processados criminalmente. Foto: PNUD/Tiago Zenero

PNUD publica manual para assegurar direitos de indígenas processados criminalmente

Tribunais e magistrados do país agora contam com um manual de orientações sobre indígenas processados criminalmente. Publicado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) no âmbito do Programa Justiça Presente, o guia aborda a Resolução 287/2019, que estabelece procedimentos para o tratamento das pessoas indígenas acusadas, rés, condenadas ou privadas de liberdade, e dá diretrizes para assegurar os direitos dessa população no âmbito criminal do Poder Judiciário.

Criança caminha no campo de Al Hol, nordeste da Síria. O campo abriga mais de 70 mil pessoas, das quais mais de 90% são mulheres e crianças. Foto: OCHA/Hedinn Halldorsson

Civis ‘não podem ser um alvo’, diz ACNUR após escalada militar no norte da Síria

O aumento das operações militares no nordeste da Síria obrigou dezenas de milhares de civis a procurar abrigo, disse a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) nesta quinta-feira (10), um dia depois de a Turquia ter lançado ataques aéreos e uma ofensiva terrestre na fronteira entre os dois países.

A chefe do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) também manifestou preocupação com os últimos desenvolvimentos no país devastado pela guerra, decorrentes da decisão anunciada no domingo (6) pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de retirar as tropas norte-americanas da região.