Arquivo da tag: Paz; justiça e instituições eficazes

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número 16 diz: “Promover sociedades pacíficas e inclusivas para o desenvolvimento sustentável, proporcionar o acesso à justiça para todos e construir instituições eficazes, responsáveis e inclusivas em todos os níveis”.

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número 16 diz: “Promover sociedades pacíficas e inclusivas para o desenvolvimento sustentável, proporcionar o acesso à justiça para todos e construir instituições eficazes, responsáveis e inclusivas em todos os níveis”.

 

Mais sobre este ODS em https://nacoesunidas.org/pos2015/ods16 e notícias sobre o tema abaixo.

Presídio de Águas Lindas, em Goiás, em 2009. Foto: Agência Brasil/Antonio Cruz

ONU alerta para condições precárias nas prisões das Américas em meio à pandemia; cita Brasil

As condições em muitas prisões da região das Américas são profundamente preocupantes. Problemas estruturais preexistentes, como superlotação crônica e péssimas condições de higiene, juntamente com a falta de acesso adequado aos cuidados de saúde, permitiram a rápida disseminação da COVID-19 em muitas instalações.

O alerta foi feito pelo porta-voz do Escritório do Alto Comissariado da ONU para os Direitos Humanos (ACNUDH), Rupert Colville, em comunicado publicado na terça-feira (5).

“As condições nos centros de detenção e prisões e o tratamento dos detidos devem ser monitorados regularmente por órgãos independentes, e os prisioneiros que adoecem devem ser colocados em isolamento não punitivo ou quarentena em instalações onde possam receber cuidados médicos adequados.”

Conheça a história de mães refugiadas que fizeram o impossível pelos filhos

Elas cruzaram rios com seus filhos no colo sem saber nadar, caminharam por quilômetros sem saber aonde iam chegar, algumas abriram mão de suas vidas para priorizar a de seus filhos. Não importa de onde elas sejam, as mães refugiadas têm em comum uma força que impressiona e inspira. Apesar de terem fugido com medo e assustadas, elas encontraram dentro de si coragem para proteger seus filhos.

Conheça a história de Christine, Opani, Maysaa, Jorina e Annabel. Apesar de terem fugido com medo e assustadas, elas encontraram dentro de si coragem para proteger seus filhos.

UNICEF inicia capacitações online de gestores municipais sobre resposta à COVID-19 e Selo UNICEF

O UNICEF e parceiros técnicos realizam capacitações online direcionada a todos os 1.924 municípios dos 18 Estados do Semiárido e Amazônia Legal brasileira. As primeiras capacitações online começam pelos municípios paraibanos, paraenses, amapaenses e amazonenses, participantes do Selo UNICEF.

O conteúdo inclui orientações técnicas do UNICEF aos municípios na prevenção e resposta à pandemia de coronavírus e orientações relacionadas à metodologia regular do Selo UNICEF, cujo ciclo termina este ano.

Evento de lançamento da cartilha no auditório do Banco Central, em novembro de 2019. Foto: ACNUR/Alan Azevedo

Banco Central lança nova edição de cartilha financeira para refugiados e migrantes

O Banco Central (BC) atualizou a Cartilha de Informações Financeiras para Migrantes e Refugiados. O guia é feito em parceria com o Ministério da Justiça e Segurança Pública, a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e a Organização Internacional para as Migrações (OIM).

Além da versão em português, as cartilhas estão disponíveis em inglês, francês, espanhol e árabe.

Na nova versão, a cartilha atualiza detalhes sobre regras para o cheque especial e agrega informações sobre abertura de conta corrente.

Atletas com deficiências jogam basquete no Sudão do Sul em 2012. Foto: UNMISS/Isaac Billy

Resposta à COVID-19 deve incluir pessoas com deficiência, diz relatório da ONU

A pandemia da COVID-19 está intensificando as desigualdades vivenciadas por 1 bilhão de pessoas com deficiência do mundo, disse o secretário-geral da ONU, António Guterres, ao lançar um relatório nesta quarta-feira (6) que pede que a recuperação e a resposta à crise incluam pessoas com deficiência.

Mesmo em circunstâncias normais, é menos provável que as pessoas com deficiência tenham acesso a oportunidades de educação, saúde e renda ou participem de suas comunidades, de acordo com Guterres.

Elas também são mais propensas a viver na pobreza e a sofrer taxas mais altas de violência, negligência e abuso. “A pandemia está intensificando essas desigualdades – e produzindo novas ameaças”, revelou.

Empreendedores refugiados se beneficiarão de informações sobre microcrédito por meio de acordo firmado entre ACNUR e ABCRED. Foto: Arquivo pessoal/Duchelier Mahonza Kinkani

ACNUR firma acordo para promover informações sobre microcrédito a refugiados empreendedores no Brasil

A Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e a Associação Brasileira de Entidades Operadoras de Microcrédito e Microfinanças (ABCRED) firmaram em abril (14) um acordo de cooperação que busca prover informações sobre o acesso ao microcrédito e microfinanças a refugiados que já são empreendedores ou que queiram abrir seu próprio negócio no Brasil.

A parceria é firmada em meio à pandemia causada pelo novo coronavírus, na qual pequenos e médios empreendedores estão tendo dificuldades para manter seus negócios em funcionamento.

Foto: Marcello Casal Jr./ABr

Tribunais debatem enfrentamento da COVID-19 em contextos de privação de liberdade

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) realiza este mês, em parceria com agências das Nações Unidas, uma série de reuniões virtuais com magistrados da área carcerária e do sistema socioeducativo do Judiciário.

Os representantes dos tribunais discutem ações coordenadas para um posicionamento efetivo e uniforme do Judiciário diante do desafio do novo coronavírus para o sistema prisional e socioeducativo.

Uma das propostas da reunião será o fortalecimento dos fluxos de coleta de informação no Judiciário para o acompanhamento e fiscalização de medidas e monitoramento de casos de COVID-19 no sistema prisional.

Jean Pierre-Lacroix, chefe das Operações de Paz da Nações Unidas, em viagem oficial ao Mali. Foto: MINUSMA

ARTIGO: As Forças de Paz da ONU devem manter o curso

Em artigo, o subsecretário-geral do Departamento de Apoio Operacional da ONU e o subsecretário-geral do Departamento de Operações de Paz das Nações Unidas afirmam que quando o vírus da COVID-19 se espalhar ainda mais em países já enfraquecidos pela guerra e pela pobreza, ele não apenas ameaçará a vida de milhares de pessoas, mas também poderá pender a frágil balança da paz de volta para o conflito e o desespero.

“Para essas comunidades, os riscos não poderiam ser maiores e a importância do apoio da ONU nunca foi tão grande.” Leia o artigo completo.

Ibrahim Al Hussein (à esquerda) é um dos refugiados que participam do documentário 'THF: Aeroporto Central', do brasileiro Karim Aïnouz. Imagem: THF

Cineasta brasileiro espera que pandemia gere mais empatia por situação de refugiados

Em vez de medo e xenofobia, o isolamento e a incerteza em relação ao futuro provocada pela pandemia têm o potencial de gerar mais empatia em relação ao outro, especialmente em relação àqueles que já enfrentavam dificuldades antes mesmo de a COVID-19 emergir, como refugiados, migrantes e pessoas em situação de vulnerabilidade social.

A expectativa é do cineasta brasileiro Karim Aïnouz, que lançou na sexta-feira (24), diretamente nas plataformas de streaming, seu filme “Aeroporto Central”, que trata da situação de solicitantes de refúgio abrigados no extinto Aeroporto de Tempelhof, em Berlim. Leia a entrevista concedida à ONU Brasil.

Começam as aulas da Capacitação para o Empreendedorismo para refugiados e migrantes

A primeira turma da Capacitação para o Empreendedorismo oferecida para migrantes e refugiados no estado de Santa Catarina já está ativa desde 27 de abril. As aulas, que são on-line, ocorrem por meio da parceria entre a Organização Internacional para as Migrações (OIM) e a ONG Círculos de Hospitalidade.

A iniciativa aumentará o conhecimento dos beneficiários sobre o acesso a direitos, fornecerá apoio psicossocial, promoverá programas de emprego compostos por treinamento de habilidades, treinamento em empreendedorismo, capital inicial, feiras econômicas, setor privado e mapeamento de oportunidades de emprego; e oferecerá aulas de língua portuguesa.

Para a representante da ONU Mulheres Brasil, Anastasia Divinskaya, “a campanha é fundamental para aumentar a consciência pública sobre a violência contra as mulheres e evitar aumento de casos durante a fase de isolamento social.

Campanha de Globo, GNT e ONU Mulheres alerta sobre violência doméstica no isolamento social

Uma campanha de conscientização para prevenção e combate à violência doméstica, realizada em conjunto com a ONU Mulheres, teve início na terça-feira (5) com chamadas especiais durante a programação da TV.

Os vídeos ressaltam que, durante o isolamento, a vítima tem suas ferramentas de denúncia limitadas devido à vigilância constante do agressor. Neste momento, vizinhos, vizinhas e pessoas próximas se tornam os grandes aliados e aliadas.

No dia da liberdade de imprensa, ONU pede apoio a trabalhadores da mídia em meio à pandemia

No dia da liberdade de imprensa, ONU pede apoio a trabalhadores da mídia em meio à pandemia

“Jornalistas e profissionais da mídia são cruciais para nos ajudar a tomar decisões informadas. À medida que o mundo luta contra a pandemia da COVID-19, essas decisões podem fazer a diferença entre a vida e a morte.”

Assim começa a mensagem em vídeo do secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, para marcar o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa. Lembrada anualmente em 3 de maio, a data tem como tema esse ano o “Jornalismo sem medo ou favor”.

Guterres fez um apelo aos governos – e a toda a sociedade – para garantir que os jornalistas possam fazer seu trabalho durante a pandemia da COVID-19, incluindo em outros temas. Os chefes da ONU e da UNESCO alertaram ainda sobre a onda de boatos que tomou o planeta durante a crise – classificada como “infodemia”.

Doação de ultrassom reforça diagnósticos de câncer e exames de pré-natal em Boa Vista

A doação feita pela Organização Internacional para as Migrações (OIM) à Secretaria Municipal de Saúde de Boa Vista de um ultrassom com alta resolução de imagem permitirá beneficiar até 48 mil usuários do sistema público do município em um ano. Esta foi a quarta doação de equipamentos de saúde realizada em Roraima este ano.

Os exames reforçarão os diagnósticos de câncer e os exames de pré-natal, beneficiando a comunidade local, de refugiados e de migrantes, sobretudo as mulheres grávidas. O equipamento será instalado no Centro de Tratamento e Prevenção ao Câncer, unidade de referência especializada em diagnóstico de Boa Vista.

Uma menina de 7 anos recebe triagem médica da Dra. Antonella Tochiaro em um assentamento informal onde mora em Roma, uma das milhões de crianças durante a pandemia que estão fora da escola. Foto: UNICEF/Alessio Romenzi

Como as escolas podem abrir novamente com segurança? ONU publica novas diretrizes

Enquanto os países enfrentam graves interrupções na educação causadas pela COVID-19, várias agências da ONU – como parte da Coalizão Global de Educação – emitiram novas diretrizes na quinta-feira (29) para ajudar os governos a tomar decisões sobre a reabertura de escolas com segurança para os 1,3 bilhão de estudantes do mundo afetados por fechamentos em andamento.

Lançada em março por Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), Programa Mundial de Alimentos (WFP) e Banco Mundial, a Coalizão trabalha para promover oportunidades de aprendizado inclusivas.

Crianças e adolescentes têm os mesmos direitos que a condição de refugiado confere a seus pais e mães, podendo tirar a Carteira de Registro Nacional Migratório e pedir a naturalização brasileira em quatro anos. Foto: ACNUR/Victor Moriyama

Em reunião online, Brasil reconhece 772 crianças e adolescentes venezuelanos como refugiados

A Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) elogiou o governo brasileiro pelo reconhecimento, na terça-feira (28), da condição de refugiado de 772 crianças e adolescentes venezuelanos.

As crianças e adolescentes beneficiadas pela decisão são filhos ou dependentes de venezuelanos que já haviam sido reconhecidos como refugiados pelo governo brasileiro – e que solicitaram a extensão deste reconhecimento aos seus familiares com menos de 18 anos.

COVID-19: Refugiados sírios se adaptam ao isolamento em campos da Jordânia

Mesmo sem ter casos confirmados da COVID-19 até agora, a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) está ajudando cerca de 120 mil refugiados que vivem nos maiores campos da região, fazendo o possível para mitigar ameaças.

Conheça um pouco os desafios enfrentados por dois refugiados que vivem em campos da Jordânia e estão isolados desde 21 de março. Com tantas pessoas vivendo tão próximas e com acesso apenas às instalações básicas de saúde e saneamento, muitos temem o que acontecerá se o vírus chegar aos campos.

Crianças que participam da estratégia de interiorização ganham companhia especial

A partir de abril, as crianças venezuelanas de 6 a 11 anos que participam da estratégia de interiorização do governo federal recebem a cartilha “Viajando por Brasil com Felipe y Elena”. O livro apresenta o novo país aos pequenos com informações culturais e geográficas, através dos olhares do brasileiro Felipe e da venezuelana Elena.

O livro é parte do “Passaporte para a Educação”, uma iniciativa do projeto Education Cannot Wait (A Educação não Pode Esperar), implementado em Roraima pela Organização Internacional para as Migrações (OIM) e pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF).

Com apoio da ONU Mulheres, Isa Bot ganha novos conteúdos para enfrentar violência doméstica

A organização Think Olga e o Mapa do Acolhimento, projeto do Nossas.Org, anunciaram na terça-feira (28) uma atualização da ISA.bot, robô para Messenger e Google Assistente lançado no fim de 2019 com recursos para segurança online das mulheres.

A ISA.bot apresentará dicas e orientações para mulheres que estejam vivendo essa situação ou para pessoas que possam estar em condições de ajudar. São informações e dicas para se manter segura, como, por exemplo, informar alguém de confiança sobre o que está acontecendo, ou pedir que ligue diariamente para saber como está.

Cáritas e OIM acolhem refugiados e migrantes venezuelanos

Os refugiados e migrantes venezuelanos que participaram da estratégia de interiorização do governo federal e foram impactados pela pandemia do novo coronavírus serão acolhidos em casas de passagem.

O projeto irá acolher cerca de 400 refugiados e migrantes que perderam seus empregos, sua renda e sua moradia, contribuindo para as medidas de isolamento social e para a proteção de pessoas vulneráveis. Além de aliviar o sistema público de saúde, beneficiando toda a sociedade brasileira.

A indiana Fátima Babu lidera campanha contra a fundição de cobre Sterlite em Tuticorin há 24 anos. Foto: Thom Pierce /Guardian/Global Witness/PNUMA

ONU e parceiros coordenam esforços para apoiar defensores ambientais

Programas das Nações Unidas, defensores do meio ambiente, ONGs e instituições acadêmicas se reuniram em Genebra no fim de fevereiro para discutir como mobilizar a comunidade internacional para apoiar os defensores ambientais.

Em todo o mundo, esses defensores estão lutando por um meio ambiente mais saudável ​​– não apenas para suas comunidades, mas para todos. Apesar de seu trabalho valioso e corajoso, eles continuam altamente vulneráveis ​​e sob crescente ataque em todo o mundo. Leia o relato do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA).

OIM e Cáritas trabalham juntas para apoiar a integração econômica de migrantes no Paraná

A Organização Internacional para as Migrações (OIM) e a Cáritas Brasileira Regional Paraná assinam acordo para promover a inserção econômica e laboral de migrantes vulneráveis, incluindo venezuelanos, no estado do Paraná. O projeto pretende beneficiar 400 migrantes em três frentes principais de ação: capacitação profissional, empreendedorismo e economia solidária.

Esta iniciativa é realizada no marco do projeto “Oportunidades – Integração no Brasil”, implementado pela OIM e realizado com o financiamento da Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID).

COVID-19: Combate ao crime relacionado a produtos médicos falsificados

A falsificação de produtos médicos é um crime que afeta todas as regiões do mundo e são uma ameaça à vida das pessoas. Durante a crise da COVID-19, os grupos de crime organizado se envolvem em crimes relacionados a produtos médicos falsificados, utilizando as mesmas técnicas empregadas no tráfico de outras mercadorias ilícitas. Eles se aproveitam do desejo das pessoas de encontrar uma cura para a COVID-19 e praticam a venda on-line destes produtos.

O Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) apoia a integridade do sistema de fornecimento de produtos médicos, prevenindo e combatendo crimes relacionados a produtos médicos falsificados.

Cartilha multilíngue auxilia na promoção da saúde de indígenas venezuelanos refugiados no Brasil

Nos esforços para apoiar as populações mais vulneráveis à pandemia do novo coronavírus, a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e a Instituição Fraternidade – Federação Humanitária Internacional (FFHI) lançam a cartilha ‘Comunicação sobre Saúde com Indígenas Warao e Eñepa’, disponível em português, espanhol, e também nos idiomas nativos dessa população indígena em situação de refúgio no Brasil.

Voltado também para profissionais de saúde, a publicação traz uma perspectiva intercultural para facilitar a comunicação e o entendimento com a população indígena sobre saúde, diagnóstico e tratamento de acordo com a cosmologia de cada grupo. O material foi produzido em estreita colaboração com lideranças dessas duas etnias, que apoiaram na tradução, revisão e ilustração.

Oito filmes para entender os desafios enfrentados pelos refugiados

Em meio à pandemia do novo coronavírus, o mercado cinematográfico tem buscado alternativas para sobreviver à crise. Pela primeira vez, o cearense Karim Aïnouz lançou o filme “TFH: Aeroporto Central” online e disponibilizou nos serviços de streaming. A obra resgata a importância do extinto Aeroporto de Tempelhof, em Berlim, que teve seus hangares usados como abrigos de emergência para refugiados que buscavam asilo, entre 2015 e 2019.

Além do longa “Aeroporto Central”, a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) fez uma lista com mais oito filmes que refletem a dura realidade de milhões de pessoas em todo o mundo que foram forçadas a deixar suas casas para sobreviver.

Equipamentos de Saúde doados pela OIM irão reforçar a rede pública de Roraima

Com o intuito de reforçar a rede pública de saúde a enfrentar a pandemia da COVID-19 e responder a demanda dos roraimenses e venezuelanos, a Organização Internacional para as Migrações (OIM) doou dois ultrassons à Secretária de Estado da Saúde de Roraima. A ação irá beneficiar mais de 50 mil usuários do Sistema Único de Saúde do estado no período de um ano.

Os equipamentos de alta resolução acompanhados de transdutores reto, curvo e endocavitário ficarão disponíveis no Hospital Materno Infantil Nossa Senhora de Nazareth, em Boa Vista, e no Hospital de Rorainópolis, duas das principais unidades hospitalares do estado. Eles serão úteis para procedimentos variados incluindo exames de pré-natal, diagnósticos cirúrgicos e observação de fraturas, por exemplo.

COVID-19: UNODC e DEPEN discutem cooperação no sistema prisional

Representantes do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) e do Departamento Penitenciário Nacional (DEPEN) realizaram uma vídeoconferência para discutir sobre o trabalho em parceria que precisará ser realizado no sistema prisional durante e após a pandemia da COVID-19.

Foram identificadas áreas de interesse comum como capacitação, ensino à distância em diferentes áreas da gestão penitenciária, enfrentamento ao crime organizado, trabalho no sistema prisional e fortalecimento das ações de inteligência.

'Cooperação internacional deve se adaptar aos novos tempos', diz chefe da ONU

‘Cooperação internacional deve se adaptar aos novos tempos’, diz chefe da ONU

Marcando o Dia Internacional do Multilateralismo e da Diplomacia pela Paz, lembrado neste 24 de abril, o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, destacou que a cooperação internacional deve se adaptar aos novos tempos.

“Não basta proclamar as virtudes do multilateralismo; devemos continuar a evidenciar o seu valor acrescentado”, disse, em uma mensagem em vídeo especial para a data.

“A pandemia da COVID-19 lembra-nos de forma trágica como estamos profundamente conectados. O vírus não conhece fronteiras e é um desafio global por excelência. Para combatê-lo, precisamos trabalhar juntos como uma família humana”, ressaltou; confira aqui o vídeo.

Presidente da Assembleia Geral fará um evento nesta sexta-feira (24) para marcar a data.

Livros sobre refúgio para ler durante o afastamento social

Para celebrar o Dia Mundial do Livro, a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) selecionou 12 obras, incluindo títulos para crianças e adultos, para ajudar as pessoas entenderem mais sobre o refúgio.

A cada minuto, 25 pessoas são deslocadas à força em decorrência de conflitos ou perseguições.

Nestes tempos difíceis, discutir o tema do refúgio é ainda mais relevante, uma vez que os refugiados estão entre as populações mais vulneráveis ao novo coronavírus.

Desinformação: uma arma secreta em tempos de pandemia

A pandemia da COVID-19 possui uma particularidade que a diferencia das crises de saúde anteriores que assolaram o mundo: o papel das mídias sociais e seu impacto nas populações em todo o mundo. Poderosas plataformas digitais circulam informações valiosas e atualizações de notícias em questão de segundos, em todo o mundo. Dentro da mesma capacidade, essas ferramentas também são capazes de circular conteúdo falso ou enganoso que pode ameaçar o bem-estar das populações.

A UNESCO recomenda que as pessoas prestem atenção ao conteúdo que recebem e replicam de seus celulares, mantenham a calma diante do bombardeio de informações e sejam cautelosos, compartilhando apenas o conteúdo verificado por fontes confiáveis de informação. E, acima de tudo, promovam essa conscientização.

Em uma mensagem em vídeo em que destacou o vínculo entre os direitos humanos e a resposta e recuperação da crise provocada pela pandemia da COVID-19, o secretário-geral das Nações Unidas destacou que “a ameaça é o vírus, não as pessoas”. (Foto: CIDH/OEA)

COVID-19: ‘a ameaça é o vírus, não as pessoas’, diz secretário-geral da ONU

Em uma mensagem em vídeo em que destacou o vínculo entre os direitos humanos e a resposta e recuperação da crise provocada pela pandemia da COVID-19, o secretário-geral das Nações Unidas destacou que “a ameaça é o vírus, não as pessoas”.

“Os direitos humanos não podem ser negligenciados em tempos de crise, e agora enfrentamos a maior crise internacional das últimas gerações”, afirmou António Guterres, ressaltando que a melhor resposta “é a que responde de forma proporcional a ameaças imediatas, protegendo os direitos humanos e o Estado de Direito”.

“O vírus é uma ameaça para todos. Os direitos humanos trazem dignidade para todos”, acrescentou. “Respeitando os direitos humanos em tempos de crise, construiremos soluções mais eficazes e inclusivas para a emergência de hoje e para a recuperação de amanhã.”

Confira aqui a mensagem na íntegra e acesse o relatório sobre o tema lançado por Guterres.

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, enviou uma mensagem em vídeo marcando o início do Ramadã, tradicional mês sagrado para os muçulmanos, lembrando que milhões de fiéis estão prontos para as celebrações deste ano.

Em mensagem em vídeo, secretário-geral da ONU saúda início do Ramadã

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, enviou uma mensagem em vídeo marcando o início do Ramadã, tradicional mês sagrado para os muçulmanos, lembrando que milhões de fiéis estão prontos para as celebrações deste ano.

Guterres lembrou que este será um Ramadã diferente, já que muitas atividades comunitárias serão naturalmente afetadas pelas medidas de combate à pandemia da COVID-19.

“O Ramadã é também sobre apoiar os mais vulneráveis. Agradeço a todos os governos e pessoas em todo o mundo muçulmano que vivem a sua fé, apoiando aqueles que fogem do conflito na melhor tradição muçulmana de hospitalidade e generosidade – uma lição notável neste mundo onde tantas portas se têm fechado aos que precisam de proteção, mesmo antes da COVID-19”, disse.

Acesso à informação e às TIC estimulam a paz e o desenvolvimento na África

Agora, mais do que nunca, saúde pública, prosperidade social e crescimento econômico são inseparáveis do progresso técnico. No entanto, os ecossistemas tecnológicos não podem atingir as metas de desenvolvimento econômico sem o acesso à informação. Este e outros assuntos como inteligência artificial e tecnologias emergentes foram debatidos durante o segundo Fórum Regional Africano de Ciência, Tecnologia e Inovação, que ocorreu no Zimbábue em fevereiro. Com a pandemia da COVID-19, o compromisso de vincular tecnologia e acesso à informação ecoam ainda mais forte.

O evento foi realizado em cooperação com a UNESCO, que defende a inclusão, a paz, a participação e a igualdade, por meio do uso inovador das tecnologias da informação e comunicação (TIC) e é comprometida com o avanço da tecnologia e o acesso a políticas de informação para o desenvolvimento sustentável.

ONG apoia mulheres vivendo com a HIV a alcançar a estabilidade financeira no Quênia

A atual pandemia da COVID-19 preocupa Karambu Ringera, fundadora e presidente da ONG Iniciativas Internacionais pela Paz, que ajuda órfãos, mulheres vivendo com o HIV e sobreviventes de violência a realizarem iniciativas sustentáveis para que alcancem estabilidade e autossuficiência.

Uma das iniciativas da ONG – a Casa Kithoka Amani – abriga 76 crianças e oferece três refeições diárias, mas está fechada desde o início da pandemia do coronavírus. “Sinto que cada vez mais as pessoas precisam criar seus próprios sistemas sustentáveis onde elas estão, para que durante desafios como esse, pelo menos possam ter sua própria alimentação”. Leia o relato do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS).

Cessar-fogo global serviria de modelo de cooperação para combater COVID-19, diz UNICEF

Em artigo, a diretora-executiva do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), Henrietta Fore, pede que as partes em guerra atendam ao chamado do secretário-geral da ONU de depor suas armas como parte de um cessar-fogo global para enfrentar a pandemia da COVID-19. “Um cessar-fogo global protegeria as crianças de serem mortas, mutiladas ou forçadas a partir de suas casas por causa dos conflitos”.

“Um cessar-fogo não apenas melhoraria significativamente nossas chances de derrotar a doença a curto prazo, como também poderia estabelecer as bases para uma paz estável e duradoura – e isso seria decisivo para as crianças e seu futuro”. Leia o artigo na íntegra.

Conheça Sérgio Vieira de Mello e sua trajetória no trabalho humanitário

Sérgio Vieira de Mello iniciou sua trajetória trabalhando com ajuda humanitária em 1969, quando tinha apenas 21 anos. Passou a maior parte de sua carreira participando de missões pelo ACNUR em Bangladesh, Sudão, Chipre, Moçambique e Camboja. Entre 1999 e 2002, Sérgio liderou a missão da ONU que acompanhou a transição do Timor Leste para a independência.

O compromisso do brasileiro com as causas humanitárias o levou ao cargo de Alto Comissário das Nações Unidas para Direitos Humanos em 2002. Em 2003, enquanto atuava como representante oficial do Secretário-geral das Nações Unidas para o Iraque, buscando solucionar o violento conflito que assolava o país, Sérgio foi vítima de um ataque fatal à sede da ONU em Bagdá.

Fatima, 16, e seu filho recém-nascido em um abrigo para meninas e mulheres que sofreram violência sexual e de gênero, em Mogadíscio, Somália. Foto: UNICEF / Kate Holt

Relatora da ONU recebe informações sobre violência contra mulheres durante crise de COVID-19

A relatora especial da ONU sobre violência contra a mulher deseja receber informações relevantes de todos os países sobre o aumento dos casos de violência de gênero no contexto da pandemia de COVID-19. As informações podem ser enviadas por organizações da sociedade civil, Estados, instituições nacionais de direitos humanos, organizações internacionais, academia e outras partes interessadas. O prazo de submissões é 30 de junho.