Arquivo da tag: Paz; justiça e instituições eficazes

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número 16 diz: “Promover sociedades pacíficas e inclusivas para o desenvolvimento sustentável, proporcionar o acesso à justiça para todos e construir instituições eficazes, responsáveis e inclusivas em todos os níveis”.

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número 16 diz: “Promover sociedades pacíficas e inclusivas para o desenvolvimento sustentável, proporcionar o acesso à justiça para todos e construir instituições eficazes, responsáveis e inclusivas em todos os níveis”.

 

Mais sobre este ODS em https://nacoesunidas.org/pos2015/ods16 e notícias sobre o tema abaixo.

Em uma operação de dois dias, a Organização Mundial da Saúde (OMS) enviou sete caminhões, ou 55 toneladas de remédios e suprimentos médicos, da Turquia para a província de Idlib e partes de Alepo. Foto: OMS

Síria: Idlib tem caos em meio à violência; Guterres pede cessar-fogo imediato

A rápida escalada do conflito no noroeste da Síria criou um “caos” na área da saúde, em meio a relatos de pessoas deslocadas que se aproximavam da fronteira turca em busca de abrigo, disse a Organização Mundial da Saúde (OMS) nesta sexta-feira (28). O secretário-geral da ONU, António Guterres, pediu a todas as partes que recuem diante de uma nova escalada.

O chefe das Nações Unidas descreveu a atual crise de deslocamento dentro e ao redor de Idlib e a intensificação dos confrontos entre as forças turcas e sírias, estas últimas apoiadas pela Rússia, como “um dos momentos mais alarmantes” da guerra de quase uma década.

Sardar, um médico que fugiu do Afeganistão depois de receber ameaças de morte, observa um raio-X de um solicitante de refúgio com câncer no centro de recepção e identificação de Moria, em Lesbos. Foto: ACNUR/Achilleas Zavallis

Solicitantes de refúgio sofrem com falta de atendimento médico na Grécia

No ano passado, as condições no maior centro de acolhimento para solicitantes de refúgio nas ilhas gregas eram sombrias. As pessoas careciam do básico em termos de higiene, banheiros, segurança e serviços médicos, e a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) pediu urgentemente por melhorias. Desde então, as coisas em Moria se tornaram ainda mais difíceis.

Os médicos de Moria e do hospital local estão sobrecarregados. ONGs e médicos voluntários trabalham dia e noite. Mesmo assim, muitas vezes eles só conseguem atender os casos mais urgentes e até condições crônicas graves são deixadas sem tratamento.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, explica seu compromisso com a igualdade de gênero na The New School, em Nova Iorque. Foto: ONU/Mark Garten

‘O século 21 deve ser o século da igualdade para as mulheres’, diz chefe da ONU

Falando a professores e alunos da The New School, uma universidade na cidade de Nova Iorque, o chefe da ONU declarou-se feminista orgulhoso e pediu aos homens em todos os lugares apoio aos direitos das mulheres.

“Assim como a escravidão e o colonialismo eram uma mancha nos séculos anteriores, a desigualdade para as mulheres deveria nos envergonhar no século 21. Porque não é apenas inaceitável; é estúpido”, disse.

Maestro João Carlos Martins se apresenta no maior abrigo para refugiados e migrantes na América Latina, em Boa Vista (RR). Foto: ACNUR/Allana Ferreira

Pianista João Carlos Martins apresenta-se para refugiados e migrantes em Roraima

Conhecido mundialmente no circuito de música erudita, o maestro e pianista brasileiro João Carlos Martins usou mais uma vez a música para romper barreiras e unir nações.

Em uma recente visita a Roraima, ele levou inspiração às famílias que vivem no abrigo temporário para refugiados e migrantes venezuelanos Rondon 3, o maior abrigo para esta população na América Latina. Leia o relato da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR).

O secretário-geral da ONU, António Guterres. Foto: TASS/UN DPI

Chefe da ONU diz que direitos humanos estão sob ataque no mundo

O secretário-geral da ONU, António Guterres, lançou na segunda-feira (24) um chamado global por ação em prol dos direitos humanos.

Ao abrir a 43ª sessão do Conselho de Direitos Humanos em Genebra, Guterres disse que tal chamado ocorre no ano do 75º aniversário da ONU e em meio a um cenário em que “os direitos humanos estão sob ataque”.

Como exemplos, Guterres citou violações do direito internacional em conflitos, o tráfico de pessoas, a exploração e abuso de mulheres e meninas escravizadas, a prisão de ativistas, a perseguição de grupos religiosos e minorias e o assassinato ou assédio de jornalistas.

Mohammad Azeem, 27, vende especiarias em sua loja no mercado da Praça Al-Asif, em Karachi. Foto: ACNUR/Roger Arnold

Com apoio local, refugiado afegão reconstrói vida no Paquistão

Em uma esquina de um mercado movimentado no sul do Paquistão, Mohammad Azeem passa os dedos por um barril de páprica vermelha brilhante. Ele sorri. Suas especiarias estão vendendo bem hoje.

Por anos, Mohammad foi um refugiado afegão sem acesso ao sistema bancário. Como consequência, foi forçado a contar com amigos para fazer cheques e manter seu dinheiro seguro. Agora, os negócios estão crescendo depois que novas leis lhe permitiram abrir uma conta bancária. Leia o relato da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR).

Crianças indígenas waraos brincam no Súper Panas apoiado pelo UNICEF no abrigo Janakoida, em Pacaraima, Roraima, perto da fronteira com a Venezuela. Crédito: UNICEF/Hiller.

Abrigos de Belém contarão com espaço UNICEF de integração de crianças refugiadas e migrantes

O Fundo das Nações para a Infância (UNICEF), com apoio da Agência das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR), realizou em Belém uma oficina de formação para funcionários públicos com o intuito de preparar os abrigos da cidade para a inauguração de espaços Súper Panas.

O espaço Super Panas, do UNICEF – que significa “super amigos” em espanhol – oferece atividades recreativas, educativas e de apoio psicossocial, fundamentais para o desenvolvimento e a recuperação emocional dos crianças refugiadas e migrantes.

A convite da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), o representante da ONU viajou para Belo Horizonte, onde foi recebido pelo Grupo de Trabalho da ALMG sobre a situação em Brumadinho. Foto: ALMG

No Brasil, representante da ONU discute direitos humanos com autoridades e sociedade civil

O representante para América do Sul do Escritório das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Jan Jarab, realizou sua primeira visita oficial ao Brasil.

Entre 17 e 19 de fevereiro, Jarab participou em reuniões com governo e parlamentares em Brasília, bem como em atividades no estado de Minas Gerais, com foco na situação de Brumadinho — após a tragédia causada pelo rompimento de uma barragem de mineração em 2019.

Na visita, a agenda do representante teve ênfase em assuntos relacionados com a prevenção da tortura, os direitos dos povos indígenas, empresas e direitos humanos e nos direitos econômicos, sociais, culturais e ambientais em geral.

Foto: ACNUR

Síria: chefe da ONU para refugiados pede segurança para civis sitiados

Com o agravamento da situação na província de Idlib, na Síria, onde cerca de 1 milhão de pessoas estão em grave perigo, o alto-comissário da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), Filippo Grandi, disse nesta semana apoiar os pedidos pelo fim das hostilidades e apela para ações urgentes que permitam as pessoas presas no conflito se deslocarem para locais seguros.

Estima-se que mais de 900 mil pessoas tenham fugido de suas casas ou abrigos em Idlib nos últimos meses. A maioria está agora nas províncias ao norte de Idlib e Aleppo, agravando a situação humanitária já desastrosa em meio a condições adversas no inverno rigoroso.

OIM em ação em Beira, Mozambique. Foto: OIM

OIM lança guia sobre proteção e assistência a migrantes vulneráveis à violência

A Organização Internacional para as Migrações (OIM) lançou nesta quinta-feira (20) um conjunto de publicações para apoiar a identificação de vulnerabilidades associadas à migração e melhorar a proteção e assistência disponíveis aos migrantes.

Disponíveis inicialmente em inglês, esses instrumentos são inéditos e ajudarão os formuladores de políticas e os profissionais, estabelecendo uma direção operacional clara, fornecendo proteção e assistência aos migrantes vulneráveis ou que tenham sofrido violência, exploração e abuso.

Em 12 de fevereiro de 2020, famílias se abrigam em um assentamento informal recentemente estabelecido que continua a receber famílias recém-deslocadas do sul de Idlib e das províncias rurais de Alepo, no noroeste da Síria. Foto: UNICEF/Baker Kasem

Enviado especial da ONU pede a Conselho de Segurança solução para conflito sírio

Com o progresso interrompido nas frentes política e de paz na Síria, o enviado especial da ONU para o país, Geir Pedersen, instou nesta quarta-feira (19) os embaixadores do Conselho de Segurança a encontrar uma solução para acabar com quase nove anos de conflito.

Seu apelo foi feito diante de um cenário da rápida deterioração humanitária no noroeste da Síria, onde uma ofensiva militar em andamento deslocou quase 900 mil pessoas desde dezembro.

O objetivo da oficina realizada pela OIM foi sensibilizar o setor privado para a inserção laboral de pessoas migrantes e refugiadas. Foto: OIM

Rio Branco recebe oficina para inclusão de migrantes no mercado de trabalho

A Organização Internacional para as Migrações (OIM) realizou na terça-feira (18) a segunda capacitação do ano voltada à implementação de políticas para migrantes em situação de vulnerabilidade no mercado de trabalho. Desta vez, a atividade aberta ao público aconteceu em Rio Branco (AC).

O objetivo do evento foi sensibilizar o setor privado para a inserção laboral de pessoas migrantes e refugiadas. Na capital do Acre, também foram dados esclarecimentos sobre a estratégia de interiorização dos venezuelanos e venezuelanas, que os leva voluntariamente de Roraima a outros estados do Brasil visando uma melhor integração socioeconômica na sociedade brasileira.

Foi exibido filme para que as crianças e adultos pudessem se distrair durante a espera no cadastramento. Foto: ACNUR

Mutirão de documentação no Pará beneficia mais de 100 indígenas venezuelanos

Em um esforço coordenado entre Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), Polícia Federal e Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos do Pará, 106 indígenas venezuelanos da etnia Warao foram cadastrados nos últimos dois meses junto ao sistema SISCONARE como solicitantes de refúgio, sendo que 70 já tiveram seus protocolos emitidos.

O constante deslocamento dessa população pela região Norte e a complexidade logística de Belém, associados aos desafios linguísticos dos Warao, tornaram desafiador para a rede local de proteção atender suas necessidades de documentação.

Foto: upslon/Flickr

Embaixadores da Juventude debatem em Lisboa combate à violência contra mulher

Em Lisboa, a rede de Embaixadores da Juventude foi convidada para compartilhar a perspectiva brasileira de prevenção à violência orientada por questões de gênero a partir de uma perspectiva da juventude masculina.

O jovem embaixador Ronan Firmino, selecionado pelo Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) e pelo Instituto Caixa Seguradora, destacou a importância de incluir diferentes setores da sociedade no debate sobre formas de prevenir e combater a violência contra mulheres.

Criança caminha na neve em um assentamento informal recentemente estabelecido que continua a receber famílias deslocadas do sul de Idlib e das províncias rurais de Alepo, no noroeste da Síria. Foto: UNICEF/Baker Kasem

Chefe de direitos humanos da ONU alerta sobre mortes de civis no noroeste da Síria

Enfrentando temperaturas congelantes e bombardeios, mais de 900 mil civis no noroeste da Síria foram forçados a se deslocar para áreas cada vez menores em busca de segurança, disse nesta terça-feira (18) a principal autoridade de direitos humanos da ONU.

Desde 1º de janeiro, o Escritório do Alto Comissariado da ONU para os Direitos Humanos (ACNUDH) confirmou 299 mortes de civis em Idlib, enquanto o governo sírio continua sua grande ofensiva militar para retomar a última área controlada por grupos armados não estatais da oposição.

O desafio de ajudar crianças refugiadas na Líbia a superar traumas

Tentativas de suicídio, comportamento agressivo, distúrbios do sono e fazer xixi na cama. Esses são apenas alguns dos sintomas apresentados por muitos jovens solicitantes de refúgio e refugiados na Líbia que passaram por momentos de grande violência e sofrimento em sua terra natal, bem como durante suas jornadas difíceis e perigosas em busca de segurança.

A Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) apoia atividades para ajudar refugiados e solicitantes de refúgio a lidar com sua angústia mental. Na capital líbia, Trípoli, um programa foi projetado especificamente para crianças no Centro de Reuniões e Partidas (CRP).

Arte: EV.G

Curso sobre migrações de OIM e DPU é lançado em plataforma da ENAP

O curso “Uma Introdução às Migrações Internacionais no Brasil”, realizado por Organização Internacional para as Migrações (OIM) e Defensoria Pública da União (DPU), já está disponível na plataforma Escola Virtual de Governo (EV.G) da Escola Nacional de Administração Pública (ENAP), nova parceira do projeto.

Desde início de fevereiro, os interessados podem se inscrever e participar da capacitação gratuita que reforça o compromisso das instituições com o fortalecimento da atuação qualificada junto ao público migrante.

Jogadora Marta leva Objetivos de Desenvolvimento Sustentável ao Carnaval do Rio

A jogadora de futebol Marta Vieira da Silva será homenageada por uma escola de samba no Rio de Janeiro (RJ) por conta de sua jornada de empoderamento e superação das barreiras de gênero. Meninas do programa “Uma vitória leva à outra”, iniciativa de esportes e habilidades para a vida da ONU Mulheres e do Comitê Olímpico Internacional (COI), também participarão do desfile no sábado (22) de Carnaval no Sambódromo.

Sempre que consegue uma pausa durante o dia, a jovem de 16 anos lê e escreve contos. Foto: ACNUR/Hannah Maule-ffinch

Refugiada somali retoma estudos em escola criada pela ONU no Quênia

A jovem somali Mumina passa todo seu tempo livre viajando o mundo por meio da literatura. Sempre que consegue uma pausa durante o dia, a menina de 16 anos lê e escreve contos, os quais são compartilhados com amigos no campo de refugiados de Kakuma, no Quênia.

Ela acabou de concluir seu último ano em uma das instituições de ensino mais prestigiadas do Quênia e única destinada a crianças em idade escolar localizada em um campo de refugiados. A escola foi criada pela Agência da ONU para Refugiados (ACNUR).

A palha de cabuya ou ojidu, conhecido como buriti no Brasil, é a principal matéria-prima das peças. Foto: ACNUR/ Felipe Irnaldo

Em Manaus, artesãs venezuelanas Warao participam de oficina de inovação para gerar renda

A criatividade e o saber ancestral da etnia Warao podem se tornar uma fonte de renda e esperança para refugiadas e migrantes desta população indígena acolhida em Manaus (AM).

Uma parceria da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) com o Museu Casa do Objeto Brasileiro promoveu  em novembro uma oficina de inovação para artesãs indígenas moradoras do Abrigo Alfredo Nascimento, localizado na zona norte da cidade.

ONU Mulheres recebe inscrições para Coalizões de Ação da Geração Igualdade

A ONU Mulheres recebe até 21 de fevereiro candidaturas de instituições interessadas em compor as Coalizões de Ação da Geração Igualdade.

Trata-se de uma chamada internacional para Estados-membros da ONU; organizações e movimentos de mulheres e agentes da sociedade civil; instituições do setor privado; entre outros.

Para a ONU Mulheres, as Coalizões de Ação serão fundamentais para garantir uma aliança sólida orientada à obtenção de resultados para a igualdade de gênero durante a Década de Ação das Nações Unidas (2020-2030) com foco no alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

Em Teknaf, Bangladesh, a apresentadora Joya Pul Happy (à esquerda) e sua produtora Shanta Pul na rádio comunitária, trabalham em um próximo programa. (Agosto de 2018). Foto: UNICEF/Brown

ONU destaca promoção de diversidade e inclusão no Dia Mundial do Rádio

Em uma mensagem para o Dia Mundial da Rádio 2020, comemorado nesta quinta-feira (13), o secretário-geral da ONU, António Guterres, destacou como o meio pioneiro de comunicação celebra a diversidade e contribui para a paz global.

“Enquanto nos esforçamos para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e enfrentar a crise climática, o rádio tem um papel fundamental a desempenhar como fonte de informação e inspiração”, disse Guterres.

As receitas são preparadas com itens das marmitas entregues diariamente pela Operação Acolhida. Os abrigados também se unem para complementar o estoque da cozinha. Foto: ACNUR/Allana Ferreira

Cozinha em abrigo de Roraima adapta cardápio para venezuelanos com restrições alimentares

São sete da manhã, e o cheirinho de mingau fresquinho começa a tomar conta do abrigo para refugiados e migrantes Nova Canaã, em Boa Vista (RR). As cozinheiras, que são voluntárias e moram do local, preparam as primeiras refeições para bebês entre 0 e 2 anos, jovens e adultos que seguem uma dieta restrita devido a questões médicas. Leia o relato da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR).

A representante do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) no Brasil, Astrid Bant, em atividade com jovens mães em Manaus (AM). Foto: UNFPA/Keyla Serruya

ARTIGO: Cedo ou tarde, será preciso ter informações sobre sexualidade e direitos

Em artigo, a representante do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), Astrid Bant, afirma que informação, métodos contraceptivos e serviços em saúde sexual e reprodutiva têm se mostrado, ao longo do tempo e no mundo todo, como a estratégia mais eficaz de prevenção a gravidez não intencional ao longo da vida reprodutiva das mulheres.

“Contudo, o fenômeno da gravidez não intencional na adolescência não se resume a isso. Em contextos marcados pela falta de oportunidades, pela discriminação de gênero, pela violência e exploração sexual e pelo casamento precoce, é preciso ir além neste debate.” Leia o artigo completo.

A 2ª edição do Circuito Urbano terá como tema geral “Cidades Inovadoras e Inclusivas” e como pergunta inspiradora “Como a inovação pode aprimorar serviços e políticas urbanas de maneira inclusiva e sustentável?”. Foto: ONU-Habitat/Lucille Kanzawa

Para prevenir violência no Brasil, estudo recomenda investir em jovens e reduzir acesso a armas

Na última década, as taxas de assassinatos de jovens no Brasil cresceram 17%. Quase metade do total de homicídios do país em 2018 (56 mil) corresponde à morte de homens negros, com idade entre 15 e 29 anos. Os dados foram compilados no estudo “Prevenção da violência juvenil no Brasil: uma análise do que funciona”, produzido pelo Instituto Igarapé com apoio do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA).

Os autores do diagnóstico, Robert Muggah e Ana Paula Pellegrino, alertam que, para reduzir a violência, é necessário ampliar as oportunidades para pessoas jovens por meio de investimentos em educação e empregabilidade equitativos e capazes de desafiar estereótipos de identidade e raça. O foco deve ser dado às regiões menos assistidas pelas políticas públicas. Além disso, é recomendada a redução do acesso às armas de fogo.

30 inspetores e inspetoras do trabalho malineses participaram do treinamento. Foto: OIT

Oficina no Mali visa promover o trabalho decente na cadeia produtiva do algodão

A inspeção do trabalho como estratégia para promover o trabalho decente e combater o trabalho infantil na cadeia produtiva do algodão no Mali foi tema de uma oficina técnica de capacitação, organizada pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) e pelo governo brasileiro na capital do país, Bamako.

Entre os dias 5 e 7 de fevereiro, 30 inspetores e inspetoras do trabalho malineses participaram do treinamento, que abordou técnicas de identificação de déficits no trabalho decente, temas como saúde e segurança e o monitoramento de trabalho infantil no país.

Professora ajuda aluna de uma turma de crianças colombianas e venezuelanas refugiadas no Paraguai. Foto: ACNUR/Vincent Tremeau

O que aprendemos com o primeiro Fórum Global sobre Refugiados?

O primeiro Fórum Global sobre Refugiados reuniu 3 mil participantes do mundo todo em Genebra. O objetivo foi renovar as respostas aos milhões que estão longe de casa devido a guerras e perseguições, e apoiar as comunidades que os acolhem.

Durante o Fórum, grandes compromissos foram firmados com o objetivo de melhorar a vida de 25,9 milhões de refugiados e de seus anfitriões, que estão principalmente nos países em desenvolvimento. Leia o relato da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR).

A cidade de Belo Horizonte, no Brasil. Foto: ONU-Habitat

OIM realiza oficina em BH para inclusão de migrantes no mercado de trabalho

A Organização Internacional para as Migrações (OIM) realiza na terça-feira (11) mais uma capacitação voltada à implementação de políticas para a inserção de migrantes em situação de vulnerabilidade no mercado de trabalho. Nesta primeira edição de 2020, a atividade acontece em Belo Horizonte, e é aberta ao público.

O evento terá sessões de tira-dúvidas sobre direitos laborais por fiscais do trabalho, e depoimentos de empresas e empregados sobre experiências de sucesso.

O respeito à identidade de gênero é uma das principais demandas da população trans - Foto: ONU Brasil

ONU lembra Dia da Visibilidade Trans e Travesti com debate sobre saúde, trabalho e direitos

Desde 2004, o Brasil celebra em 29 de janeiro o Dia da Visibilidade Trans e Travesti. Este ano, o Escritório de Direitos Humanos da ONU para a América do Sul (ACNUDH), o Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS), o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), a Embaixada da Austrália, o Ministério Público do Trabalho e a Secretaria Global do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos uniram-se às celebrações com uma reunião técnica em Brasília (DF) sobre saúde, trabalho, direitos e inclusão social da população trans e travesti.

Segundo o ACNUDH, a realização dessa reunião técnica foi fundamental para articular os debates locais com o debate nacional e promover a discussão sobre elaboração, implementação e execução de políticas públicas destinas à garantia da saúde, trabalho digno e decente e inclusão social de grupos vulneráveis de forma transdisciplinar e interseccional.