Vida terrestre

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número 15 diz: “Proteger, recuperar e promover o uso sustentável dos ecossistemas terrestres, gerir de forma sustentável as florestas, combater a desertificação, deter e reverter a degradação da terra e deter a perda de biodiversidade”.

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número 15 diz: “Proteger, recuperar e promover o uso sustentável dos ecossistemas terrestres, gerir de forma sustentável as florestas, combater a desertificação, deter e reverter a degradação da terra e deter a perda de biodiversidade”.

 

Mais sobre este ODS em https://nacoesunidas.org/pos2015/ods15 e notícias sobre o tema abaixo.

Fundação Banco do Brasil reconhece projetos sociais. Imagem: Fundação BB

Fundação Banco do Brasil divulga projetos sociais reconhecidos por premiação em parceria com a ONU

A Fundação Banco do Brasil divulgou nesta terça-feira (25) o resultado da primeira fase do seu Prêmio de Tecnologia Social. Das 735 iniciativas inscritas neste ano, 173 foram consideradas aptas para receber a certificação oferecida pela instituição. Em 2017, a premiação conta com a parceria da UNESCO, da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), do Banco Mundial e do Programa da ONU para o Desenvolvimento (PNUD).

Centro cultural do BID em Washington é palco de exposição do Instituto Inhotim. Imagem: BID

Com a ONU, Inhotim inaugura exposição em Washington sobre impacto do homem na natureza

Em parceria com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), o Instituto Inhotim inaugurou na terça-feira (18), em Washington, uma exposição sobre o impacto das atividades humanas na natureza e os perigos das mudanças climáticas. A mostra reúne obras de arte e experiências audiovisuais inspiradas no centro de arte localizado em Minas Gerais.

Sítio Arqueológico do Cais do Valongo não é apenas o principal cais de desembarque de africanos escravizados em todas as Américas, como é o único que se preservou materialmente. Foto: UNIC Rio/Natalia da Luz

Cais do Valongo, no Rio, é inscrito na Lista do Patrimônio Mundial da UNESCO

O Comitê do Patrimônio Mundial da UNESCO decidiu incluir em sua Lista do Patrimônio Mundial o sítio arqueológico Cais do Valongo, no Rio de Janeiro, por seu significado para gerações passadas, presentes e futuras no que se refere à história do tráfico atlântico e a escravização de africanos. A decisão ocorreu no domingo (9) durante a 41ª reunião do Comitê, realizada na Polônia.

Para a representante interina da UNESCO no Brasil, Marlova Jovchelovitch Noleto, “o Cais do Valongo tem valor histórico, arqueológico e cultural, traz memórias de um período da história que não pode se repetir jamais e, por isso mesmo, precisa ser lembrado”.

Irmãs sírias que vivem no Brasil há quase dois anos posam para uma foto depois de terem plantado uma muda de uma espécie típica da Mata Atlântica em São Paulo. Foto: ACNUR/Miguel Pachioni

Crianças refugiadas participam de plantio de árvores da Mata Atlântica em São Paulo

Em São Paulo, o primeiro sábado de julho amanheceu sem sol, com frio e a famosa garoa. Mas para um grupo de cerca de 50 crianças refugiadas e brasileiras, isso pouco importava. Todas acordaram com uma missão especial: plantar mudas nativas da Mata Atlântica no Parque do Rodeio, zona leste da capital paulista. Atividade contou com a participação do ator Victor Fasano e da organização não governamental I Know My Rights (IKMR), parceira da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR).

Homem mostra ouriço de castanha-do-brasil na Floresta do Vale, reserva legal comunitária do assentamento Vale do Amanhecer, em Juruena (MT). Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

ONU: precisamos de soluções baseadas na floresta para melhorar a vida das pessoas

Atualmente, as florestas cobrem 30% da área terrestre do planeta, ou quase 4 bilhões de hectares. As florestas geridas de forma sustentável são ecossistemas saudáveis, produtivos, resilientes e renováveis, que fornecem bens vitais e serviços a pessoas em todo o mundo. Estima-se que 25% da população mundial – 1,6 bilhão de pessoas – depende das florestas para sua subsistência. A ONU lançou em 2017 um plano estratégico para as florestas e para as pessoas; saiba mais nesse vídeo.

Mulheres carregando símbolos religiosos em imagem que faz parte da mostra 'Vidas Deslocadas', em exibição a partir do dia 21 de junho no Museu do Amanhã. Foto: AFP/Philippe Lopez

Seminário e exposição fotográfica marcam Dia Mundial do Refugiado no Museu do Amanhã

Como parte das celebrações do Dia Mundial do Refugiado, lembrado em 20 de junho, o Museu do Amanhã realiza nesta semana, em parceria com a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e a Agence France-Presse (AFP), um seminário na terça-feira um seminário sobre deslocamento forçado causado pelas mudanças climáticas. No dia seguinte (21), tem início uma mostra fotográfica sobre o mesmo tema.

Desde 2008, uma média de 25 milhões de pessoas foram forçadas a se deslocar, a cada ano, por causa de intempéries como inundações, tempestades, incêndios florestais e temperaturas extremas.

Erik Solheim, diretor-executivo da ONU Meio Ambiente. Foto: UNIC Rio/Pedro Andrade

Chefe de agência da ONU recomenda revisão de Medidas Provisórias sobre unidades de conservação

Em visita ao Brasil, o diretor-executivo da ONU Meio Ambiente, Erik Solheim, recomendou ao presidente Michel Temer na segunda-feira (12) que altere ou vete o texto das Medidas Provisórias 756 e 758, ambas de 2016. Propostas foram ratificadas em maio de 2017 pelo Senado. Caso sancionadas pelo Executivo, reformas alterarão os limites da Floresta Nacional do Jamanxim, no Pará, e de outras unidades de conservação. Solheim falou sobre encontro com o chefe do Estado brasileiro em evento no Rio de Janeiro nesta terça-feira (13).

Castanha é produto florestal importante para comunidades que vivem na região amazônia. Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

FAO e Brasil debatem como monitorar cumprimento de diretrizes sobre políticas agroambientais

Representantes do governo brasileiro e da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) se reúnem nas próximas terça e quarta-feira (13 e 14), em Brasília, para debater o uso de estatísticas no monitoramento da implementação das Diretrizes Voluntárias para Políticas Agroambientais na América Latina e no Caribe. As recomendações da agência da ONU foram publicadas neste ano para estimular países da região a adotar modelos de crescimento mais sustentáveis.

O Instituto Moleque Mateiro, especializado em ações de educação ambiental, fez parte da ação, sendo os responsáveis pela oficina de plantio. Foto: ONU Meio Ambiente.

ONU Meio Ambiente e Flamengo unem-se em campanha #EstouComANatureza

Com oficina de plantio de mudas nativas da Mata Atlântica para crianças, o Clube de Regatas do Flamengo mostrou comprometimento e responsabilidade com a preservação da natureza e integrou as comemorações da Semana Mundial do Meio Ambiente da ONU.

Doadas pelo Jardim Botânico, paineira, pau-ferro, pau-brasil, mulungu, canafístula, pata-de-vaca, palmeira juçara e pitanga foram as mudas escolhidas, que passarão, em breve, a fazer parte do cenário do Centro de Treinamento George Helal, em Vargem Grande, no Rio de Janeiro.

Na Semana Mundial do Meio Ambiente, de 4 a 11 de junho pelas Nações Unidas, o Cristo Redentor se iluminou de verde para lembrar a importância de conservar a natureza. Na quinta-feira (9), véspera da abertura da primeira Virada Sustentável do Rio de Janeiro, uma projeção especial levou para o alto do Corcovado as imagens dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU.

Cristo Redentor recebe projeção da ONU para Semana do Meio Ambiente e Virada Sustentável do Rio

Na Semana Mundial do Meio Ambiente, lembrada de 4 a 11 de junho pelas Nações Unidas, o Cristo Redentor se iluminou de verde para lembrar a importância de conservar a natureza. Na quinta-feira (8), véspera da abertura da primeira Virada Sustentável do Rio de Janeiro, uma projeção especial levou para o alto do Corcovado as imagens dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU.

Representantes da ONU debateram novos e antigos desafios que países precisam enfrentar para promover o desenvolvimento sustentável. Foto: UNIC Rio/Pedro Andrade

No Rio, representantes da ONU alertam para mudanças climáticas e pedem compromisso com sustentabilidade

‘O nosso problema está na área de desmatamento.’ O diagnóstico é da representante da ONU Meio Ambiente no Brasil, Denise Hamú, que chamou a atenção na terça-feira (6) para os desafios que o país tem de enfrentar para combater as mudanças climáticas. Em simpósio realizado no Museu do Amanhã, a dirigente e outros especialistas das Nações Unidas defenderam políticas econômicas, ambientais e urbanas mais sustentáveis.

Agência da ONU firma parceria com Virada Sustentável para promoção dos objetivos globais

O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e o Instituto Virada Sustentável fecharam parceria com o objetivo de promover ações integradas no âmbito local para fortalecer a implementação da Agenda 2030 e dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

A primeira ação será a projeção dos ícones dos ODS no Cristo Redentor, nesta quarta-feira (8), no Rio de Janeiro. A ação dará início à Virada Sustentável na cidade. Entre 9 e 11 de junho, iniciativas em diferentes pontos da capital fluminense discutirão ações locais de promoção da sustentabilidade.

Entardecer no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros. Foto? Marcelo Camargo/Agência Brasil.

No Dia Mundial do Meio Ambiente, Brasil aprova decretos para ampliar e criar unidades de conservação

O Dia Mundial do Meio Ambiente (5 de junho) é a principal data das Nações Unidas para incentivar, em escala global, a sensibilização e a criação de iniciativas em favor do meio ambiente.

Nesse contexto, o Brasil reafirmou seu compromisso internacional com a data ao anunciar a ampliação de três importantes unidades de conservação: Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, em Goiás; Estação Ecológica do Taim, no Rio Grande do Sul; e a Reserva Biológica União, no Rio de Janeiro.

Pescadores em Evia, na Grécia, em janeiro de 1973. Foto: ONU/Tsagris

ONU pede que países revertam danos aos oceanos durante conferência em NY

Na abertura da primeira conferência internacional sobre a saúde dos oceanos e mares, realizada em Nova Iorque, representantes das Nações Unidas pediram nesta segunda-feira (5) ação global coordenada para proteger o planeta.

“Melhorar a saúde de nossos oceanos é um teste para o multilateralismo, e não podemos nos dar ao luxo de falhar nisso”, disse o secretário-geral da ONU, António Guterres, em sua primeira grande conferência desde que assumiu o cargo, no início deste ano.

Nessa semana, a ONU realiza a Conferência sobre os Oceanos. Coincidindo com o Dia Mundial do Meio Ambiente (5) e o Dia Mundial dos Oceanos (8), o evento promove parcerias e ações para apoiar a implementação do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) 14, que trata da conservação e uso sustentável dos oceanos, dos mares e dos recursos marinhos.

Concentração de plásticos nos oceanos é alarmante, dizem especialistas

Nessa semana, a ONU realiza a Conferência sobre os Oceanos. Coincidindo com o Dia Mundial do Meio Ambiente (5) e o Dia Mundial dos Oceanos (8), o evento promove parcerias e ações para apoiar a implementação do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) 14, que trata da conservação e uso sustentável dos oceanos, dos mares e dos recursos marinhos.

O Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio) ouviu especialistas e ativistas, que alertaram para problemas como a alta concentração de plásticos e a acidificação dos oceanos. Confira nesse vídeo especial.

Cercados pela mata atlântica, os atletas protagonizaram o lançamento da campanha #EstouComANatureza. Foto: Nilton Rolin

Brasil dá a largada para Semana Mundial do Meio Ambiente com maratona no Parque Nacional de Iguaçu

O Parque Nacional de Iguaçu, no Paraná, foi cenário no domingo (4) do início das celebrações do Dia Mundial do Meio Ambiente, recebendo milhares de corredores para duas provas de atletismo: a Meia Maratona Cataratas e o Desafio 8k.

Cercados pela mata atlântica e instigados pelo som das águas de uma das sete novas maravilhas da natureza, os atletas protagonizaram o lançamento da campanha da ONU Meio Ambiente #EstouComANatureza.

Jovens residentes da Floresta Nacional do Tapajós. Foto: ONU/Eskinder Debebe (arquivo)

No Dia Mundial do Meio Ambiente, ONU pede conexão com o planeta

O tema deste ano do Dia Mundial do Meio Ambiente é “Conectando pessoas à natureza”, e tem como objetivo enfatizar os benefícios para a saúde física e mental de estar em meio à natureza. As Nações Unidas lembram os vastos benefícios de tal engajamento, da segurança alimentar a uma melhor saúde, além de um suprimento adequado de água e estabilidade climática.

“Este é nosso meio ambiente. É a chave para um futuro sustentável. Sem um meio ambiente saudável, não poderemos acabar com a pobreza ou construir prosperidade”, disse o secretário-geral da ONU, António Guterres, em mensagem de vídeo para o dia.

Colônia de corais em manguezais em Raja Ampat, na Indonésia. Foto: Alex Lindbloom/USA/Prêmio do Dia Mundial dos Oceanos 2016

ONU realiza Conferência sobre os Oceanos para promover ações contra degradação marinha

De 5 a 9 de junho, a Organização das Nações Unidas reúne em Nova Iorque autoridades do mundo todo para incentivar ações que melhorem a qualidade dos oceanos. As atividades do homem estão afetando o habitat marinho, a qualidade e temperatura da água, a saúde da vida marinha e até a oferta de peixes e frutos do mar.

No Brasil, o evento terá ações educativas no AquaRio, onde o Centro de Informação das Nações Unidas (UNIC Rio) conscientizará o público sobre a necessidade de conservação dos oceanos. A principal mensagem é “Menos plástico e mais peixes. Somente juntos conseguiremos salvar os oceanos. Se não mudarmos nossas ações agora, teremos mais plásticos nos oceanos do que peixes em 2050”.

O Dia Mundial do Meio Ambiente em 2017 ganha o tema “Conectando as pessoas à natureza” e será comemorado mundo afora com mais de 1 mil eventos. Foto: ONU Meio Ambiente

Brasil entra na campanha #EstouComANatureza para celebrar Dia Mundial do Meio Ambiente

A ONU Meio Ambiente realiza de 4 a 11 de junho eventos nacionais para incentivar a conexão das pessoas com a natureza e incentivar sua proteção.

Impulsionando estilos de vida sustentáveis, a campanha realiza mais de 1 mil atividades mundiais. No Brasil, haverá a Meia Maratona das Cataratas, o Simpósio ‘Ecos da Rio 92’ no Museu do Amanhã, o lançamento nacional da Campanha #MaresLimpos, no AquaRio, entre outros eventos.

Garimpo artesanal é uma das atividades humanas responsável por lançar mercúrio no meio ambiente, ameaçando a natureza e a saúde de homens, mulheres e crianças. Foto: PIXABAY (CC)/johnnyshwang0

Com novas ratificações, convenção da ONU para combater uso de mercúrio entrará em vigor em agosto

Maio de 2017 entrará para a história do combate ao uso de metais pesados que ameaçam o meio ambiente e a saúde da população. A União Europeia e sete de seus Estados-membros ratificaram neste mês (18) a Convenção de Minamata sobre Mercúrio, ultrapassando — e cumprindo — a exigência mínima de 50 países ratificadores para que o acordo entre em vigor.

Documento passará a valer a partir de 16 de agosto desse ano. O pacto prevê que países signatários proíbam a abertura de novas minas de mercúrio, fechem as já existentes e regularizem a mineração artesanal e em pequena escala do ouro.

Mata Atlântica no Rio de Janeiro. Foto: Foto: Rodrigo Soldon (CC)

Turismo sustentável é ‘ferramenta poderosa’ para proteger biodiversidade, diz UNESCO

Em mensagem para o Dia Internacional para a Diversidade Biológica, lembrado na segunda-feira (22), a diretora-geral da UNESCO, Irina Bokova, defendeu o turismo sustentável como “ferramenta poderosa” para proteger ecossistemas e preservá-los para as gerações futuras. “Biodiversidade é vida”, ressaltou a chefe da agência da ONU, que lembrou como o organismo tem apoiado iniciativas em prol da conservação do meio ambiente.

Uma transformação radical na forma com a qual a energia é fornecida e utilizada será necessária caso o mundo pretenda atingir sua meta de manter o aumento da temperatura global abaixo de 2 graus Celsius. Foto: Wikicommons/Jürgen (CC)

Tecnologias de energia limpa reduzem emissão de poluentes, mas ampliam uso de metais

Uma transformação radical na forma com a qual a energia é fornecida e utilizada será necessária caso o mundo pretenda atingir sua meta de manter o aumento da temperatura global abaixo de 2 graus Celsius, como previsto pelo Acordo de Paris. No entanto, os impactos ambientais dessa mudança ainda não estão claros.

Segundo relatório de painel ligado à ONU Meio Ambiente, enquanto há claros benefícios ambientais com o uso dessas tecnologias, particularmente nas reduções da emissão de gases do efeito estufa, há também considerações a serem feitas, como um maior uso de metais.

Pesquisa da Floresta Nacional Chugach, Alaska. Foto: USDA Forest Service Alaska Region/CC BY 2.0

Prêmio Jovem Pesquisadores incentiva a publicação de dados ecológicos

Oferecido pelo Plataforma Global de Informação sobre Biodiversidade, o prêmio oferece dois auxílios de 5 mil euros, um para mestrado e outro para doutorado; inciativa promove a publicação de conjuntos de dados e metadados que forneçam informação de espécies observadas ou coletadas, podendo ser tanto dados ecológicos, quanto dados de coleções provenientes de eventos de amostragem. Prazo é 20 de junho.

Um dos objetivos principais do memorando de entendimento é fortalecer os meios de subsistência do meio rural e promover práticas agrícolas sustentáveis. Na imagem, uma mulher colhe piri-piri na sua plantação na Reserva Especial de Maputo. Foto: Banco Mundial/Andrea Borgarello

Banco Mundial apoia parceria entre Brasil e Moçambique para promover gestão sustentável de recursos naturais

Para ajudar Moçambique a explorar seus recursos naturais de forma sustentável, o Brasil firmou neste mês uma nova parceria com a nação africana. Cooperação conta com o apoio do Banco Mundial e contempla iniciativas voltadas para a proteção da biodiversidade, para o combate às mudanças climáticas e para a regulamentação de territórios. Moçambique possui 40 milhões de hectares de florestas naturais, mas por ano, 140 mil hectares são perdidos para o desmatamento.

A República do Congo, país centro-africano com mais de 4,7 milhões de pessoas, é altamente dependente dos recursos florestais para os meios de subsistência. Apesar de ser o segundo recurso natural mais valioso depois do petróleo, a contribuição das florestas para a economia nacional é relativamente baixa.

VÍDEO: Na República do Congo, envolver comunidades no manejo florestal sustentável traz benefícios

As taxas de desmatamento e de degradação, embora baixas em relação aos padrões internacionais, têm crescido rapidamente nos últimos anos na República do Congo. Prevê-se que se acelerem ainda mais à medida que o país tenta desenvolver áreas florestais, e à medida que a população cresce cerca de 3% ao ano.

Confira nesse vídeo como a iniciativa REDD+, a Redução de Emissões decorrentes do Desmatamento e da Degradação de Florestas, está ajudando a reverter esse processo.