Vida terrestre

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número 15 diz: “Proteger, recuperar e promover o uso sustentável dos ecossistemas terrestres, gerir de forma sustentável as florestas, combater a desertificação, deter e reverter a degradação da terra e deter a perda de biodiversidade”.

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número 15 diz: “Proteger, recuperar e promover o uso sustentável dos ecossistemas terrestres, gerir de forma sustentável as florestas, combater a desertificação, deter e reverter a degradação da terra e deter a perda de biodiversidade”.

 

Mais sobre este ODS em https://nacoesunidas.org/pos2015/ods15 e notícias sobre o tema abaixo.

Garimpo artesanal é uma das atividades humanas responsável por lançar mercúrio no meio ambiente, ameaçando a natureza e a saúde de homens, mulheres e crianças. Foto: PIXABAY (CC)/johnnyshwang0

Com novas ratificações, convenção da ONU para combater uso de mercúrio entrará em vigor em agosto

Maio de 2017 entrará para a história do combate ao uso de metais pesados que ameaçam o meio ambiente e a saúde da população. A União Europeia e sete de seus Estados-membros ratificaram neste mês (18) a Convenção de Minamata sobre Mercúrio, ultrapassando — e cumprindo — a exigência mínima de 50 países ratificadores para que o acordo entre em vigor.

Documento passará a valer a partir de 16 de agosto desse ano. O pacto prevê que países signatários proíbam a abertura de novas minas de mercúrio, fechem as já existentes e regularizem a mineração artesanal e em pequena escala do ouro.

Mata Atlântica no Rio de Janeiro. Foto: Foto: Rodrigo Soldon (CC)

Turismo sustentável é ‘ferramenta poderosa’ para proteger biodiversidade, diz UNESCO

Em mensagem para o Dia Internacional para a Diversidade Biológica, lembrado na segunda-feira (22), a diretora-geral da UNESCO, Irina Bokova, defendeu o turismo sustentável como “ferramenta poderosa” para proteger ecossistemas e preservá-los para as gerações futuras. “Biodiversidade é vida”, ressaltou a chefe da agência da ONU, que lembrou como o organismo tem apoiado iniciativas em prol da conservação do meio ambiente.

Uma transformação radical na forma com a qual a energia é fornecida e utilizada será necessária caso o mundo pretenda atingir sua meta de manter o aumento da temperatura global abaixo de 2 graus Celsius. Foto: Wikicommons/Jürgen (CC)

Tecnologias de energia limpa reduzem emissão de poluentes, mas ampliam uso de metais

Uma transformação radical na forma com a qual a energia é fornecida e utilizada será necessária caso o mundo pretenda atingir sua meta de manter o aumento da temperatura global abaixo de 2 graus Celsius, como previsto pelo Acordo de Paris. No entanto, os impactos ambientais dessa mudança ainda não estão claros.

Segundo relatório de painel ligado à ONU Meio Ambiente, enquanto há claros benefícios ambientais com o uso dessas tecnologias, particularmente nas reduções da emissão de gases do efeito estufa, há também considerações a serem feitas, como um maior uso de metais.

Pesquisa da Floresta Nacional Chugach, Alaska. Foto: USDA Forest Service Alaska Region/CC BY 2.0

Prêmio Jovem Pesquisadores incentiva a publicação de dados ecológicos

Oferecido pelo Plataforma Global de Informação sobre Biodiversidade, o prêmio oferece dois auxílios de 5 mil euros, um para mestrado e outro para doutorado; inciativa promove a publicação de conjuntos de dados e metadados que forneçam informação de espécies observadas ou coletadas, podendo ser tanto dados ecológicos, quanto dados de coleções provenientes de eventos de amostragem. Prazo é 20 de junho.

Um dos objetivos principais do memorando de entendimento é fortalecer os meios de subsistência do meio rural e promover práticas agrícolas sustentáveis. Na imagem, uma mulher colhe piri-piri na sua plantação na Reserva Especial de Maputo. Foto: Banco Mundial/Andrea Borgarello

Banco Mundial apoia parceria entre Brasil e Moçambique para promover gestão sustentável de recursos naturais

Para ajudar Moçambique a explorar seus recursos naturais de forma sustentável, o Brasil firmou neste mês uma nova parceria com a nação africana. Cooperação conta com o apoio do Banco Mundial e contempla iniciativas voltadas para a proteção da biodiversidade, para o combate às mudanças climáticas e para a regulamentação de territórios. Moçambique possui 40 milhões de hectares de florestas naturais, mas por ano, 140 mil hectares são perdidos para o desmatamento.

A República do Congo, país centro-africano com mais de 4,7 milhões de pessoas, é altamente dependente dos recursos florestais para os meios de subsistência. Apesar de ser o segundo recurso natural mais valioso depois do petróleo, a contribuição das florestas para a economia nacional é relativamente baixa.

VÍDEO: Na República do Congo, envolver comunidades no manejo florestal sustentável traz benefícios

As taxas de desmatamento e de degradação, embora baixas em relação aos padrões internacionais, têm crescido rapidamente nos últimos anos na República do Congo. Prevê-se que se acelerem ainda mais à medida que o país tenta desenvolver áreas florestais, e à medida que a população cresce cerca de 3% ao ano.

Confira nesse vídeo como a iniciativa REDD+, a Redução de Emissões decorrentes do Desmatamento e da Degradação de Florestas, está ajudando a reverter esse processo.

Castanha é produto florestal importante para comunidades que vivem na região amazônia. Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

UNFPA e governo selecionam instituição para elaboração de documento sobre juventude e meio ambiente

Até 18 de maio, o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e o Ministério do Meio Ambiente do Brasil estão com edital aberto para institutos, fundações ou empresas que realizem pesquisas sobre o papel dos jovens na preservação da natureza. Processo de seleção vai escolher a instituição responsável pela elaboração de um documento técnico que será utilizado nas seções temáticas do processo de construção do Plano Nacional de Juventude e Meio Ambiente (PNJMA).

Gisele Bündchen defende tartarugas marinhas em campanha da ONU. Foto: PNUMA

Campanha da ONU contra caça e tráfico de vida silvestre ganha o ‘Oscar da Internet’

Criada pela ONU Meio Ambiente para conscientizar as pessoas sobre as consequências catastróficas da caça e tráfico ilegais de vida silvestre, a campanha ‘Feroz pela Vida’ foi eleita pelo público para receber um dos Webby Awards – premiação conhecida como o “Oscar da Internet”. Iniciativa das Nações Unidas teve apoio de Gisele Bündchen, Ian Somerhalder, Gael García Bernal, Neymar Jr. e outras celebridades que mobilizaram as redes sociais, alcançando mais de 1 bilhão de pessoas.

Ilha Grande (Angra dos Reis). Foto: Wikimedia Commons (CC)

Agência da ONU e parceiros lançam iniciativa de conservação ambiental da Baía de Ilha Grande (RJ)

A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e parceiros lançaram esta semana o Desafio BIG, iniciativa com o objetivo de promover a conservação ambiental na Baía da Ilha Grande, onde estão localizadas Ilha Grande, Parati e Angra dos Reis, no Rio de Janeiro.

Para participar do Desafio BIG é necessário se inscrever no site desafio.big2050.org entre os dias 10 e 23 de abril. Durante o processo de seleção ocorre também uma capacitação progressiva das propostas para que estas possam ser aprimoradas e apoiadas. Ao final, dez propostas poderão ser remuneradas em até R$ 50 mil e apoiadas para sair do papel.

Líderes e especialistas de mais de 40 países se reúnem em Brasília para promover consumo e produção sustentáveis

Cerca de 150 representantes de mais de 40 países da África, América Latina e Caribe se reunirão no Palácio Itamaraty, em Brasília, a partir de amanhã (6), para a Conferência sobre Cooperação Sul-Sul para Produção e Consumo Sustentáveis.

Evento promovido pela ONU Meio Ambiente terá a participação do ministro do Meio Ambiente do Brasil, Sarney Filho, de especialistas das Nações Unidas, de autoridades estrangeiras e do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE).

Foto: Flickr/percursodacultura (cc)

Fundação Banco do Brasil e ONU abrem inscrições para prêmio sobre desenvolvimento sustentável

Até 31 de maio, o Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social 2017 recebe inscrições de iniciativas desenvolvidas para resolver problemas em seis áreas — água e meio ambiente, agroecologia, economia solidária, educação, saúde e bem-estar, cidades sustentáveis e inovação digital — que formam as categorias temáticas do concurso. Premiação tem o apoio de quatro agências da ONU no país.

Representantes de 23 países da América Latina e do Caribe finalizaram reunião de negociação para acordo regional sobre direitos de acesso à informação, participação e Justiça ambientais. Foto: FAO/L. Dematteis

Negociação para o acordo regional sobre assuntos ambientais continuará na Argentina

Representantes de 23 países da América Latina e do Caribe finalizaram na semana passada em Brasília reunião de cinco dias com a finalidade de negociar um acordo regional sobre os direitos de acesso à informação, participação e Justiça ambientais, com o compromisso de dar sequência às conversações em julho na Argentina.

A 6ª Reunião do Comitê de Negociação do Acordo Regional sobre o Acesso à Informação, à Participação Pública e o Acesso à Justiça em Assuntos Ambientais na América Latina e no Caribe (Princípio 10) foi realizada na capital brasileira e organizada pelo governo do país e pela Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL).

Representantes da ONU no PAA África apresentam resultados do programa em Brasília

Representantes do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) África no Programa Mundial de Alimentos (PMA) e na Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) apresentam nesta semana ao governo brasileiro os resultados da segunda fase do programa.

O PAA África é uma iniciativa conjunta do governo brasileiro, do PMA e da FAO lançada em 2012 e implementada na Etiópia, Malaui, Moçambique, Níger e Senegal.

Criança se lava em Kallayanpur, um bairro pobre de Bangladesh. Foto: David McKelvey (CC)

Em plataforma global, UNESCO divulga informações sobre uso de recursos hídricos

O Programa Hidrológico Internacional da UNESCO lançou recentemente uma nova plataforma online e aberta com dados sobre ciclos da água, bacias hidrográficas, pluviometria, reservatórios de lençóis freáticos, irrigação e outros outros temas. Portal permite a usuários criar mapas personalizados com conteúdos sobre diferentes regiões do mundo e informações atualizadas sobre abastecimento, consumo, clima, desafios ecológicos e riscos de desastres.

Mãe e filha preparam mandioca em comunidade indígena próxima a Manaus. Foto: Banco Mundial/Julio Pantoja

PNUD premiará comunidades que promovem manejo sustentável de recursos naturais

Até 8 de março, a Iniciativa Equatorial — liderada pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) — recebe indicações para o Prêmio Equatorial 2017, que reconhece soluções locais para desafios ambientais. A edição deste ano da premiação é voltada para comunidades indígenas e pequenos grupos de áreas rurais que encontraram métodos inovadores para proteger, restaurar ou promover o manejo sustentável de recursos naturais.

Camada de ozônio protege planeta Terra da radiação ultravioleta. Foto: NASA

Agência da ONU lembra 30 anos do Protocolo de Montreal

Segundo dados da ONU, os países que fazem parte do Protocolo de Montreal já eliminaram cerca de 98% de substâncias nocivas para a Camada de Ozônio, impedindo, assim, que mais de 2 milhões de casos de câncer de pele atingissem a população por ano.

Os resultados desses 30 anos de existência mostram a importância de seguir avançando com ações para a proteção da Camada de Ozônio por meio de uma parceria bem sucedida entre governos, setor produtivo e sociedade, lembrou o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

Isidro Baldenegro López recebe Goldman Prize em 2005. Foto: The Goldman Environmental Prize

Agência da ONU condena assassinato de líder indígena mexicano

O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) condenou nesta quinta-feira (19) o assassinato do ativista mexicano Isidro Baldenegro López, líder de uma comunidade indígena mexicana que promoveu uma campanha pacífica contra a destruição de florestas ancestrais.

Baldenegro foi homenageado em 2005 com o mais prestigiado prêmio ambiental do mundo, o Goldman Environmental Prize. Ele é o segundo vencedor a ser morto em menos de um ano. Em março do ano passado, homens armados assassinaram a ativista indígena Berta Cáceres, líder do povo Lenca em Honduras.

2016: um ano de desafios e conquistas para o mundo

O ano de 2016 foi um período cheio de desafios para a comunidade internacional. A guerra na Síria se agravou, apesar dos esforços pela paz, e conflitos violentos também recrudesceram no Sudão do Sul, no Iêmen e em outras partes do mundo. Na comparação com 2015, houve um aumento de 5 milhões no número global de refugiados.

Ao mesmo tempo, 2016 foi histórico por conta de avanços positivos, como a entrada em vigor do Acordo de Paris e o início do mandato da Agenda 2030 da ONU, um plano ambicioso para colocar o planeta no caminho rumo ao desenvolvimento sustentável. Confira na retrospectiva especial produzida pelas Nações Unidas.