Arquivo da tag: Vida na água

Entre os dias 5 e 9 de junho a ONU realizará em sua sede em Nova Iorque a Conferência sobre os Oceanos.

Entre os dias 5 e 9 de junho a ONU realizou em sua sede em Nova Iorque a Conferência sobre os Oceanos.

Trata-se de um encontro com os principais chefes de Estado e de Governo do mundo, bem como representantes de organizações que trabalham com o tema, para apoiar a implementação do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 14: conservar e utilizar de forma sustentável os oceanos, os mares e os recursos marinhos para o desenvolvimento sustentável.

Acompanhe todos os detalhes nessa página especial, na página oficial do evento (oceanconference.un.org) ou pelas hashtags #SaveOurOcean e #MaresLimpos. Acesse também um texto com perguntas e respostas sobre a conferência clicando aqui.

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número 14 diz: “Conservação e uso sustentável dos oceanos, dos mares e dos recursos marinhos para o desenvolvimento sustentável”.

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número 14 diz: “Conservação e uso sustentável dos oceanos, dos mares e dos recursos marinhos para o desenvolvimento sustentável”. Mais sobre este ODS em https://nacoesunidas.org/pos2015/ods14; notícias sobre o tema abaixo.

Painel na Quarta Assembleia da ONU para o Meio Ambiente discutiu o problema do lixo marinho. Foto: Flickr (CC)/Bo Elde

Painel em Nairóbi discute formas de combater o lixo marinho e a poluição por microplásticos

O painel de discussão sobre Lixo Marinho — Impactos, Desigualdade e Injustiça Ambiental, realizado durante a Quarta Assembleia da ONU para o Meio Ambiente, em Nairóbi, no Quênia, no início de março, abordou o papel da justiça ambiental nas comunidades afetadas pela poluição por resíduos marinhos e microplásticos.

“A menos que o Estado de Direito ambiental seja fortalecido, mesmo regras aparentemente rigorosas são destinadas a falhar, e o direito humano fundamental a um meio ambiente saudável não será realizado”, disse na ocasião David Boyd, relator especial da ONU para os direitos humanos e o meio ambiente. O relato é da ONU Meio Ambiente.

Crianças de famílias deslocadas coletam água em uma torneira em Maiduguri, no estado de Borno, nordeste da Nigéria. A crise humanitária na região forçou centenas de milhares a deixar suas casas e depender de assistência humanitária. Foto: UNICEF/Gilbertson VII Photo

ONU ajuda países a administrar impactos ambientais dos deslocamentos de população

Em janeiro de 2018, a ONU Meio Ambiente, em colaboração com a Organização Internacional para as Migrações (OIM) e o Escritório de Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA), lançaram um projeto com o objetivo de fortalecer a capacidade dos países de enfrentar os impactos ambientais das respostas humanitárias a populações deslocadas em Guatemala, Líbano e Nigéria. As atividades do projeto também foram ampliadas para Brasil, Turquia e Vanuatu.

Em 2016, na 71ª sessão da Assembleia Geral da ONU, Estados-membros, por meio da Declaração de Nova Iorque para Refugiados e Migrantes, se comprometeram a fornecer assistência a comunidades anfitriãs para proteger e reabilitar o meio ambiente em áreas afetadas por amplos movimentos de pessoas deslocadas, assim como garantir cooperação e encorajar o planejamento conjunto entre atores humanitários e outros, como trabalhadores de desenvolvimento.

Will Gadd desce uma fenda na segunda maior geleira da Groenlândia. Foto: Christian Pondella/Red Bull Content Pool

Alpinista e herói da ONU explora os subterrâneos de calota de gelo na Groenlândia

O alpinista e explorador Will Gadd coleciona recordes e títulos. O Herói das Montanhas da ONU Meio Ambiente e Aventureiro do Ano da National Geographic em 2015 foi a primeira pessoa a escalar as águas congeladas das Cataratas do Niágara, na divisa entre EUA e Canadá.

Mas o seu maior – e mais perigoso desafio – foi em cima e embaixo da calota de gelo da Groenlândia – uma expedição concebida para coletar dados sobre buracos nas geleiras conhecidos como “moulins”.

ONU Meio Ambiente lança publicação detalhando suas atividades no Brasil

A ONU Meio Ambiente lançou uma publicação que detalha o portfólio de atuação da agência no país, com foco especial para o período de 2017 a 2018. O documento, voltado ao público geral e atores ambientais, apresenta os projetos desenvolvidos nas seis áreas temáticas do organismo: eficiência de recursos, mudança do clima, ecossistemas saudáveis e produtivos, meio ambiente em estudo, governança ambiental e químicos, resíduos e qualidade do ar.

Primatologista e mensageira da Paz da ONU, Jane Goodall. Foto: Instituto Jane Goodall/Michael Neugebauer

Ambientalista e mensageira da paz da ONU completa 85 anos

A primatologista e mensageira da Paz da ONU, Jane Goodall, completa 85 anos neste 3 de abril com um apelo para cada cidadão do planeta: fazer escolhas sustentáveis que permitam reparar os danos causados pela humanidade à natureza, revertendo a trajetória de destruição dos ecossistemas e da vida silvestre.

Nascida em Londres, a britânica revolucionou o estudo dos primatas com a sua descoberta em 1960 de que chimpanzés são capazes de construir e usar ferramentas.

Fotografia do planeta Terra feita pelo satélite Suomi NPP, a 826 km de altitude. Foto: NASA/NOAA/GSFC/Suomi NPP/VIIRS/Norman Kuring

Humanidade consome recursos da Terra a taxas insustentáveis, alerta agência da ONU

George Monbiot, correspondente do jornal britânico The Guardian e conhecido por seu ativismo ambiental e político, fez um apelo surpreendente para que as pessoas no Reino Unido reduzissem o uso de carros em 90% ao longo da próxima década.

Muitos indivíduos podem se mostrar avessos a essa ideia, mas talvez ela soe um pouco menos bizarra à luz de um novo relatório da ONU Meio Ambiente sobre a taxa com que estamos abocanhando os recursos do planeta Terra.

Cerrado. Foto: Agência Brasil/Elza Fiúza

PNUD promove recuperação do Cerrado brasileiro para proteger ciclos hidrológicos

Conhecido como “berço das águas” ou “caixa d’água do Brasil”, o Cerrado abriga oito das 12 regiões hidrográficas do país e abastece seis das oito grandes bacias brasileiras. Mas o bioma também é conhecido pelos altos índices de degradação ambiental — a devastação da sua cobertura vegetal já alcançou 52%. O desmatamento afeta o ciclo hidrológico dos ecossistemas, prejudicando o abastecimento da população.

Sobrevoo da área atingida pelo rompimento da barragem em Brumadinho (MG). Foto: Presidência da República/Isac Nóbrega

ONU apoia criação de padrões globais para barragens de mineração

Em resposta ao recente rompimento da barragem da mineradora Vale em Brumadinho (MG), que deixou ao menos 214 mortos e 91 desaparecidos, o Conselho Internacional de Mineração e Metais, a ONU Meio Ambiente e os Princípios para o Investimento Responsável (PRI) lançarão uma revisão independente com o objetivo de estabelecer padrões internacionais para instalações que armazenam rejeitos de mineração.

As falhas nas barragens de rejeitos têm consequências ambientais de longo alcance, com a lama tóxica liberada se infiltrando no solo e nos rios próximos. O desastre de Brumadinho mostrou a necessidade da implementação rápida de fortes padrões internacionais para a contenção de resíduos tóxicos de mineração, apontou a ONU Meio Ambiente.

Mata fechada na Amazônia peruana. Foto: Flickr (CC)/Joseph King

Em dia internacional, ONU defende educação sobre florestas para preservar recursos naturais

No Dia Internacional das Florestas, lembrado nesta quinta-feira (21), a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) defende a educação sobre esses ecossistemas como estratégia para preservar os recursos naturais do planeta

Cerca de 90% de todas as espécies terrestres de seres vivos são encontradas nas florestas, que oferecem não apenas um habitat para a biodiversidade, mas também uma série de serviços ecossistêmicos para os humanos.

Assembleia em Nairóbi, no Quênia, reuniu 4,7 mil participantes, entre ministros, cientistas, empresários e lideranças da sociedade civil. Foto: ONU Meio Ambiente/Natalia Mroz

Ministros adotam resoluções sobre economia circular e produção sustentável

Após cinco dias de diálogos na Quarta Assembleia da ONU para o Meio Ambiente, em Nairóbi, no Quênia, ministros de mais de 170 países adotaram na sexta-feira (15) um plano que pede a aceleração da mudança para modelos sustentáveis de desenvolvimento. Documento afirma que é necessário usar ciência e inovação para tornar o uso de recursos naturais mais eficiente, reduzir o uso de plástico descartável e promover economias de baixo carbono.

Imagem feita por satélite de Iquitos, no Peru, em meio à Floresta Amazônica. Foto: NASA/Good Free Photos

Danos ao planeta serão desastrosos para saúde humana se ações não forem tomadas, diz relatório

Lançado hoje (13) em Nairóbi, no Quênia, o sexto Panorama Ambiental Global afirma que, se não ampliarmos drasticamente a proteção ambiental, cidades e regiões na Ásia, Oriente Médio e África poderão testemunhar milhões de mortes prematuras até a metade do século.

A publicação também alerta que os poluentes em nossos sistemas de água potável farão com que a resistência antimicrobiana se torne a maior causa de mortes até 2050 e com que substâncias químicas nocivas afetem a fertilidade masculina e feminina, bem como o desenvolvimento neurológico infantil.

Ministro do Meio Ambiente do Quênia, Keriako Tobiko, ao lado de Joyce Msuya, chefe interina da ONU Meio Ambiente, durante abertura da Quarta Assembleia da ONU para o Meio Ambiente. Foto: ONU Meio Ambiente/Natalia Mroz

Líderes mundiais se reúnem em Nairóbi para principal cúpula ambiental da ONU

Em Nairóbi, no Quênia, mais de 4,7 mil chefes de Estado, ministros, líderes empresariais, oficiais seniores da ONU e representantes da sociedade civil se reúnem para discutir padrões sustentáveis de produção e consumo.

A Quarta Assembleia da ONU para o Meio Ambiente teve início na segunda-feira e promove debates e lançamentos de pesquisas científicas sobre lixo marinho, economia circular e mudanças climáticas até o final da semana.

Para ONU Meio Ambiente, gestão de produtos químicos deve contar com estruturas de governança globais mais abrangentes. Foto: Pixabay

Relatório da ONU pede ação urgente para enfrentar poluição por substâncias químicas

Pesquisa apresentada nesta segunda-feira (11) durante a Assembleia da ONU para o Meio Ambiente, em Nairóbi, revela que a atual capacidade de produção de químicos, de 2,3 bilhões de toneladas, deve dobrar até 2030. O atual volume de químicos tem valor anual de 5 trilhões de dólares.

Apesar de compromissos para maximizar benefícios e minimizar os impactos dessa indústria, os químicos perigosos continuam a ser liberados no meio ambiente em grandes quantidades. Eles são onipresentes no ar, na água e no solo, na comida e nos seres humanos.

Amazônia. Foto: Paulo Santos/2001/Amazônia Sob Pressão (via Agência Brasil)

ONU pede que países da América Latina ratifiquem acordo inédito sobre direitos ambientais

Na semana que marca um ano da adoção do Acordo de Escazú, o primeiro tratado ambiental da América Latina e Caribe, a comissão econômica da ONU para a região, a CEPAL, pediu que todos os países assinem e ratifiquem o documento o mais rápido possível. Até o momento, 16 das 33 nações assinaram o texto, o primeiro pacto entre Estados no mundo com disposições específicas para proteger defensores de direitos humanos em temas ambientais.

Derretimento de calotas polares e de geleiras são consequências do aquecimento global e contribuem para a elevação do nível do mar. Foto: PNUD

Chefe interina da ONU Meio Ambiente pede coragem dos países para lutar por um mundo sustentável

Em carta aos Estados-membros das Nações Unidas, a chefe interina da ONU Meio Ambiente, Joyce Msuya, afirma que já passou da hora de politicagens, pois o mundo precisa transformar compromissos em ações concretas contra as mudanças climáticas, a perda da biodiversidade e outros desafios ambientais.

Apelo à ação foi feito às vésperas da Quarta Assembleia das Nações Unidas para o Meio Ambiente (UNEA), que será realizada em Nairóbi, de 11 a 15 de março. Evento reunirá chefes de Estado, ministros do Meio Ambiente, pesquisadores, ativistas e representantes do setor privado.

Foto: FAO/Giulio Napolitano

ONU declara Década sobre Restauração de Ecossistemas

A Assembleia Geral das Nações Unidas declarou o período 2021-2030 como a Década da ONU sobre Restauração de Ecossistemas. A nova data é uma oportunidade única para a criação de empregos, a segurança alimentar e o enfrentamento da mudança climática.

A restauração pode remover até 26 gigatoneladas de gases de efeito estufa da atmosfera. Duas agências da ONU – ONU Meio Ambiente e FAO – lideram a implementação da Década.

O Brasil está no topo da lista dos 18 países mais diversos do mundo. Abriga entre 15% e 20% da diversidade biológica global. Foto: José Sabino

Sistema online impulsiona gestão de dados sobre biodiversidade no Brasil

O Brasil está no topo da lista dos 18 países mais diversos do mundo. Abriga entre 15% e 20% da diversidade biológica global, com mais de 120 mil espécies de invertebrados, cerca de 9 mil vertebrados e mais de 4 mil espécies de plantas. Com isso, surge um enorme potencial para impulsionar o crescimento econômico e a inclusão social, mas também uma enorme responsabilidade.

Com o apoio da ONU Meio Ambiente e do Fundo Mundial para o Meio Ambiente (GEF, na sigla em inglês), uma iniciativa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações tem trabalhado para criar uma ferramenta abrangente para compilar dados e informações sobre a biodiversidade nacional.

Campanha da ONU visa proteger oceanos e vida marinha contra a poluição por plástico. Foto: PxHere

Campanha Mares Limpos celebra dois anos de atividades contra o lixo plástico

Lançada em fevereiro de 2017, a campanha Mares Limpos, da ONU Meio Ambiente, tem inspirado governos, empresas e cidadãos a se engajar na luta contra os plásticos descartáveis, que ameaçam a saúde dos oceanos, da vida marinha e dos próprios seres humanos.

Setenta e cinco países — da Argentina ao Iêmen — aderiram à iniciativa, comprometendo-se a combater os plásticos descartáveis, proteger suas águas territoriais e encorajar mais reciclagem. Compromissos junto à campanha cobrem mais de 60% dos litorais do mundo.

Indígena da etnia Bororo Boé durante os Jogos Mundiais dos Povos Indígenas. Foto: Agência Brasil/Marcelo Camargo

Especialistas defendem que conhecimentos indígenas são essenciais para enfrentar mudanças climáticas

Em fórum realizado neste mês em Manágua, na Nicarágua, representantes de organismos internacionais e de povos indígenas da América Latina e Caribe defenderam os conhecimentos que essas populações têm a oferecer para o combate às mudanças climáticas e aos problemas ambientais. Reunião foi promovida pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e parceiros.

Abelhas podem visitar cerca de 7 mil flores por dia. Foto: PEXELS

FAO alerta que desaparecimento da biodiversidade ameaça produção de alimentos

A expansão de atividades produtivas insustentáveis, como a agropecuária intensiva, é uma das causas do desaparecimento da biodiversidade no mundo, o que por sua vez poderá comprometer a produção de alimentos e o próprio desempenho do setor agrícola no futuro. A conclusão é de relatório divulgado nesta sexta-feira (22) pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

A dinamarquesa Inger Andersen é atualmente diretora-geral da União Internacional para a Conservação da Natureza. Foto: ONU Meio Ambiente

Assembleia Geral da ONU nomeia economista dinamarquesa como chefe da ONU Meio Ambiente

Após sua indicação pelo secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, a Assembleia Geral da ONU aprovou nesta quinta-feira (21) a nomeação da economista dinamarquesa Inger Andersen para um mandato de quatro anos como diretora-executiva da ONU Meio Ambiente.

A economista ocupou diversos cargos de liderança no Banco Mundial e nas Nações Unidas, mais recentemente como vice-presidente para Oriente Médio e Norte da África no Banco Mundial (2011-2015) e vice-presidente de desenvolvimento sustentável e chefe do grupo consultivo do Fundo Internacional de Pesquisa Agrícola (2010-2011).

Homem mostra ouriço de castanha-do-brasil na Floresta do Vale, reserva legal comunitária do assentamento Vale do Amanhecer, em Juruena (MT). Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

FAO lança 1º relatório sobre contribuições da biodiversidade para produção agrícola

A FAO realiza no próximo 15 de fevereiro uma coletiva de imprensa para apresentar as conclusões do seu relatório Estado da Biodiversidade Mundial para a Alimentação e a Agricultura. A publicação é a primeira a analisar o estado das plantas, animais e microrganismos que apoiam a produção agrícola e alimentar — nos níveis genético, das espécies e do ecossistema. O documento será lançado em 22 de fevereiro.

Foto: Shutterstock

Assembleia Ambiental da ONU mira soluções inovadoras para futuro global

As Nações Unidas convidam governos e setores público e privado a repensar seus padrões de consumo e produção sob o tema “Pense no planeta, Viva simples”, durante a 4ª Assembleia Ambiental da ONU, que ocorre de 11 a 15 de março em Nairóbi, no Quênia.

A Assembleia Ambiental das Nações Unidas (UNEA) é o maior fórum mundial de alto nível para questões de meio ambiente. Nela, chefes de Estado, ministros do Meio Ambiente, ativistas, presidentes de multinacionais, ONGs e outros convidados se reúnem para discutir e assumir compromissos globais com a proteção ambiental.

Produção de plástico ameaça vida marinha. Foto: ONU/Saeed Rashid

ONU lança desafio de volta às aulas para combater poluição plástica nos mares

A ONU Meio Ambiente convida professores e estudantes de todo o Brasil para o Desafio de Volta às Aulas Mares Limpos, uma mobilização global para reduzir o uso de plástico descartáveis nas escolas e no dia a dia das crianças.

Para participar, os docentes interessados deverão desenvolver um projeto para a redução do uso de plásticos descartáveis na escola e/ou no dia a dia dos alunos, a ser implementado ao longo do primeiro semestre escolar. Saiba mais:

Vista aérea da Floresta Amazônica. Imagem feita próximo a Manaus. Foto: CIAT (CC)/Neil Palmer

ONU Meio Ambiente promove curso online sobre conflitos por recursos naturais

A ONU Meio Ambiente — em colaboração com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), o Environmental Law Institute, a Universidade da Califórnia em Irvine, o Earth Institute, a Universidade de Columbia e a Universidade Duke — recebem inscrições para curso online gratuito sobre Segurança Ambiental e Sustentabilidade da Paz.

O curso de oito semanas apresenta uma introdução detalhada sobre os múltiplos papéis que os recursos naturais e o meio ambiente desempenham no surgimento, escalada, resolução e recuperação após conflitos violentos.

As atividades ocorrem de 11 de fevereiro a 21 de abril de 2019. Saiba como se inscrever.

Foto: ONU Meio Ambiente

Seu celular é realmente inteligente?

Os smartphones revolucionaram nossas vidas cotidianas. Com mensagens instantâneas na ponta dos dedos, a comunicação atual é rápida, eficaz e barata. Mas o quão inteligentes são nossos telefones no que se refere ao impacto ambiental? Você sabe o que tem dentro do seu celular?

Grandes nomes da indústria tomaram medidas significativas para melhorar sua pegada ecológica, mas as preocupações ambientais, sociais e econômicas permanecem, especialmente no que se refere aos direitos humanos e à extração de metais preciosos em geral.

Ouro, prata, cobalto, estanho, tântalo, tungstênio e cobre são componentes essenciais de telefones celulares e outros aparelhos elétricos que usamos diariamente. E, sendo a mineração um dos setores de uso mais intensivo de óleos combustíveis derivados de petróleo, a extração contribui significativamente para a mudança climática.

Arte: ONU Meio Ambiente

ONU recebe inscrições para prêmio internacional Jovens Campeões da Terra

As Nações Unidas anunciaram na segunda-feira (28) que estão recebendo inscrições para o Jovens Campeões da Terra de 2019 — o principal prêmio ambiental da ONU para jovens empreendedores entre 18 e 30 anos com ideias inovadoras para o futuro do planeta.

Cada um dos sete vencedores receberá 15 mil dólares em capital semente para investir em seus projetos, 9 mil dólares para investir em comunicação e marketing, além de convites e financiamento para participar de reuniões da ONU para compartilhar suas ideias com o mundo. Saiba como se inscrever.

Lançado em 2017, o Jovens Campeões da Terra é inspirado no Campeões da Terra, que permanece como a principal premiação da ONU na área ambiental. Ao engajar jovens visionários, a ONU Meio Ambiente busca impulsionar uma nova geração de líderes enquanto eles tentam construir um mundo melhor.

Indígenas Pataxó Hã-hã-hãe vivem na aldeia Naõ Xohã, às margens do rio Paraopeba que foi afetado pelo colapso da barragem em Brumadinho (MG). Foto: FUNAI/Lucas Hallel

Brumadinho: relator da ONU alerta para necessidade de monitorar qualidade da água

As ações dos próximos dias serão cruciais para interromper a contaminação dos rios na região de Brumadinho (MG), palco de desastre ambiental após o rompimento de uma barragem de rejeitos de atividades mineradoras. A opinião é do relator especial da ONU para o direito à água e ao saneamento, Leo Heller, em entrevista à ONU News.

“As empresas afirmam que os resíduos não contêm material tóxico. Mas os rios em geral de regiões de mineração têm muitos metais sedimentados no fundo. Particularmente o rio Paraopeba é um rio situado em uma região de intensa atividade de mineração e industrial, no fundo desse rio existem metais acumulados, nocivos à saúde. A chegada da lama no rio Paraopeba muito provavelmente vai revolver, colocar em circulação muitos metais e isso pode ser muito nocivo à saúde humana”, declarou.

Aterro sanitário em Danbury, Connecticut. Foto: ONU/Evan Schneider

Economia circular pode ajudar países a combater mudanças climáticas, diz relatório

Um relatório da Circle Economy, grupo apoiado pela ONU Meio Ambiente, aponta que apenas 9% da economia global é circular, o que significa que o planeta reutiliza menos de 10% das 92,8 bilhões de toneladas de minerais, combustíveis fósseis, metais e biomassa usados todos os anos em processos produtivos.

Divulgado na terça-feira (22) no Fórum Econômico Mundial, em Davos, o documento destaca o potencial do reaproveitamento e da reciclagem para combater as mudanças climáticas e cumprir o Acordo de Paris.

Vista aérea da floresta amazônica, próximo a Manaus. Foto: Flickr (CC)/CIAT/Neil Palmer

ARTIGO: Por que um planeta saudável e uma economia saudável andam de mãos dadas

Em artigo, a chefe da Convenção da ONU sobre Diversidade Biológica, Cristiana Pasca Palmer, ressalta que os ecossistemas naturais oferecem serviços de importante valor para a humanidade, como a polinização feita pelos insetos e animais, associada a mais 75% dos cultivos alimentares do mundo.

Florestas, como a Amazônia, também desempenham um papel crítico na preservação do equilíbrio climático e na absorção de gás carbônico, afirma a dirigente.

Publicação de organismos do Distrito Federal aborda métodos de ensino de práticas sustentáveis. Imagem: ADASA/SEEDF

Distrito Federal lança publicação sobre práticas sustentáveis nas escolas

Elaborada com apoio de projeto da UNESCO, a publicação apresenta práticas ambientalmente responsáveis para as instituições e professores, além de métodos para a sua aplicação no ensino.

A proposta do material é estabelecer, a partir de um diagnóstico do desempenho do colégio, metas sobre redução de gastos com água e energia, entre outros temas. Esses objetivos deverão ser cumpridos com a participação da escola, do aluno e da comunidade local.