Arquivo da tag: Ação contra a mudança global do clima

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número 13 diz: “Tomar medidas urgentes para combater a mudança climática e seus impactos”.

 

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número 13 diz: “Tomar medidas urgentes para combater a mudança climática e seus impactos”.

 

Mais sobre este ODS em https://nacoesunidas.org/pos2015/ods13 e na página sobre o Acordo de Paris sobre Mudanças Climáticas (nacoesunidas.org/acordodeparis).

 

Acompanhe abaixo todas as informações e esforços da ONU para combater a mudança climática e promover o desenvolvimento sustentável.

 

Bela Gil participa de Simpósio Internacional sobre o Futuro dos Alimentos, na sede da FAO, em Roma. Foto: FAO/Pier Paolo Cito

Bela Gil defende comida de verdade e proteção ambiental no Dia Mundial da Alimentação

Atualmente, as principais causas de mortes no mundo estão relacionadas às doenças crônicas não transmissíveis ocasionadas pela dieta de má qualidade, e que poderiam ser evitadas com uma alimentação saudável. O alerta foi feito pela chef de cozinha, nutricionista e apresentadora de TV Bela Gil, que participou em Brasília (DF) do início das comemorações do Dia Mundial da Alimentação.

Durante a palestra, que reuniu cerca de 200 pessoas, Bela Gil lembrou os problemas de saúde causados pela má alimentação e complementou: “precisamos mudar a maneira como nos alimentamos por uma questão de sobrevivência”. Ela afirmou que há atualmente uma epidemia de má nutrição, o que inclui a desnutrição e a obesidade.

Menina interage com colegas de classe em Uganda. Foto: UNICEF/Zahara Abdul

Dia Internacional das Meninas lembra 25 anos de progressos e desafios no horizonte

As mais de 1 bilhão de meninas do mundo estão sendo celebradas nesta sexta-feira (11) como uma força de mudança “sem roteiro e irrefreável” para a humanidade.

Todos os dias, meninas com menos de 18 anos desafiam estereótipos, quebram barreiras e lideram movimentos para lidar com problemas que as afetam e afetam outras pessoas, disse o secretário-geral da ONU, António Guterres, em mensagem para o Dia Internacional das Meninas.

Produtora rural colombiana transforma resíduos em energia renovável de baixo custo

Produtora rural do município de Santo Antônio, a colombiana Sandra Mendoza, de 46 anos, teve acesso a microcrédito e passou a adotar em sua propriedade o biodigestor, uma tecnologia que permite aproveitar resíduos para produzir energia renovável e de baixo custo.

Além de ser a primeira mulher presidente do Comitê Cafeeiro Municipal, Sandra fundou a Associação de Mulheres Cafeeiras de Santo Antônio. Também é a primeira a utilizar um biodigestor no estado de Tolima. Leia a reportagem da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

A exposição está aberta até 10 de novembro na Cidade das Artes, no Rio de Janeiro. Foto: O Dia Seguinte

Exposição no Rio mostra consequências e soluções frente às mudanças climáticas

O Programa das Nações Unidas para Assentamentos Humanos (ONU-HABITAT) e o Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio) apoiam a realização no Rio de Janeiro (RJ) da mostra interativa “O Dia Seguinte”, que alerta para as consequências e aponta soluções para enfrentar as mudanças climáticas.

A exposição está aberta até 10 de novembro na Cidade das Artes e faz parte do Circuito Urbano 2019, iniciativa do ONU-HABITAT que promove uma série de eventos pelo Brasil com o tema “Cidades Inovadoras e Inclusivas”.

"Nosso objetivo é usar o big data para coletar padrões do tráfego que possam ajudar os urbanistas a conduzirem um futuro mais eficiente", Sonika Manandhar, co-vencedora pela Ásia do prêmio Jovens Campeões da Terra 2019.

Na Ásia, vencedora de prêmio ambiental da ONU impulsiona transporte verde

A Green Energy Mobility, solução criada por uma jovem nepalesa, tem como objetivo tornar o transporte público, especificamente os micro-ônibus do Nepal, uma alternativa de qualidade aos veículos particulares, contribuindo para o combate das mudanças climáticas.

Ela é uma das sete ganhadoras do prêmio Jovens Campeões da Terra 2019, concedido pela ONU Meio Ambiente a jovens empreendedores de até 30 anos. Eles recebem financiamento, orientação e apoio de comunicação para ampliar seus esforços.

Katharine é uma pesquisadora do clima, e acredita que a comunicação tem um papel crucial em transformar nossas atitudes em relação às mudanças climáticas. Foto: PNUMA.

Cientista do clima recebe prêmio ambiental da ONU por ajudar a transformar atitudes públicas

Katharine Hayhoe, cientista e professora na Texas Tech University, ganhou o prestigioso prêmio ‘Campeões da Terra’ 2019, oferecido pela ONU Meio Ambiente, na categoria Ciência e Inovação.

Katharine é uma pesquisadora do clima, e acredita que a comunicação tem um papel crucial em transformar nossas atitudes em relação às mudanças climáticas.

“A coisa mais importante que eu acho que fiz, e que qualquer um pode fazer, é falar sobre isso.” Ela é uma das comunicadoras mais influentes sobre a realidade do clima no mundo, reconhecida pela sua capacidade em ajudar as pessoas a conectarem os pontos entre o que lhes interessa e o modo como serão afetadas pelas mudanças climáticas.

A ferramenta foi desenvolvida pela Fundação Plant-for-the-Planet, formada por crianças e jovens em janeiro de 2007. Foto: Divulgação | Plant-for-the-Planet.

Fundação alemã liderada por crianças e jovens cria aplicativo para reflorestamento global

O aplicativo ‘Plant-for-the-Planet’ (“Plante pelo planeta”, na tradução livre) lista organizações em todo o mundo comprometidas com o reflorestamento. De maneira simples, qualquer pessoa — quando quiser e onde estiver — pode ajudar a plantar árvores e combater as mudanças climáticas.

A ferramenta foi desenvolvida pela fundação alemã Plant-for-the-Planet, criada por crianças e jovens em janeiro de 2007, depois de um chamado à ação feito pela ativista ambiental e ganhadora do Prêmio Nobel da Paz de 2004 Wangari Maathai e pela ONU Meio Ambiente, através da campanha Billion Tree.

Com as políticas atuais em vigor, o mundo caminha para um aumento de temperatura de 3,5 °C neste século. Foto: PNUMA

Emissões de gases de efeito estufa subiram 1,6% ao ano entre 2008 e 2017

A ONU Meio Ambiente divulgou no fim de setembro (22) uma retrospectiva de dez anos de seu Relatório de Emissões — uma publicação que compara os níveis de emissão de gases de efeito estufa para evitar os piores impactos das mudanças climáticas.

O mundo parece ter passado a última década fazendo exatamente o oposto do que deveria. Apesar dos avisos nos relatórios anuais, as emissões de gases de efeito estufa cresceram a uma média de 1,6% ao ano entre 2008 e 2017. De fato, essas emissões são agora quase exatamente o que os primeiros relatórios projetavam para 2020 se o mundo não alterasse seus modelos de crescimento insustentáveis e poluentes.

A ONU Meio Ambiente reconheceu a Ant Forest na categoria "Inspiração e Ação". Foto: Reprodução

Aplicativo para reflorestamento na China vence principal prêmio ambiental da ONU

A iniciativa de sustentabilidade Ant Forest recebeu em setembro (19) o prêmio da ONU Meio Ambiente Campeões da Terra 2019 por transformar as boas ações de meio bilhão de pessoas em árvores reais, plantadas em algumas das regiões mais áridas da China.

Os usuários da Ant Forest são encorajados a registrar sua pegada de baixo carbono por meio de ações diárias, como no uso do transporte público ou pagando contas de serviços pela Internet.

Para cada ação, eles recebem pontos de “energia verde” e, quando acumulam um certo número de pontos, uma árvore é plantada. Leia mais na reportagem.

"O ar poluído está causando milhões de mortes prematuras em todo o mundo ", Inger Andersen, Diretora Executiva do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA). Foto: PNUMA.

Arte pelo Clima – na sede da ONU, instalações chamam atenção para a necessidade de ares mais limpos

Em meio aos muitos eventos que ocorreram na sede das Nações Unidas em Nova Iorque no mês de setembro, como as Cúpulas de Ação Climática e dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), as lideranças presentes reservaram um momento para recuperar o fôlego.

A necessidade urgente de reduzir a poluição do ar e de intensificar as ações climáticas foi destaque em algumas instalações de arte promovidas nos espaços da ONU pela Arte 2030, iniciativa que visa utilizar a arte como ferramenta para abordar os temas da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.

Recentemente, a Organização Mundial da Saúde (OMS) classificou o problema da poluição do ar como “emergência de saúde pública global”, quando nove em cada dez pessoas respiram um ar contendo altos níveis de poluentes. O relato é da ONU Meio Ambiente.

Secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, visita Vanuatu em última parada de missão ao Pacífico para ver os efeitos da mudança climática. Foto: ONU/Mark Garten

ARTIGO: O combate às alterações climáticas — um movimento que não para

Em artigo de opinião publicado nesta quinta-feira (3), o secretário-geral da ONU, António Guterres, afirma que Nações Unidas, empresas e pessoas de todo o mundo estão fazendo mais para combater a mudança climática, mas ele avisa que o que está sendo feito não é suficiente.

“O nosso planeta precisa de ação a uma escala verdadeiramente global. No entanto, tal não pode ser alcançado da noite para o dia e não pode acontecer sem o envolvimento total daqueles que mais contribuíram para esta crise”, disse Guterres. Leia o artigo completo.

Aliança ‘Jogando para o Planeta’ demonstra como a indústria de videogames, que atinge 2,6 bilhões de pessoas em todo o mundo, pode apoiar ações na agenda ambiental. Foto: Reprodução/CreativeCommons.

Gigantes da indústria de games entram na luta contra as mudanças climáticas

Alguns dos maiores nomes da indústria de videogames, com uma audiência conjunta de 970 milhões de jogadores, se comprometeram formalmente a aproveitar o poder de suas plataformas para agir em resposta à crise climática.

Combinados, os compromissos firmados pelas 21 empresas resultarão em uma redução de 30 milhões de toneladas de emissões de CO² até 2030; milhões de árvores plantadas; novos “estímulos verdes” no design de jogos; e melhorias no gerenciamento de energia dos dispositivos e nas embalagens recicláveis.

O anúncio foi feito em evento paralelo à Cúpula de Ação Climática das Nações Unidas deste ano, que ocorreu na sede da ONU, em Nova Iorque, em setembro.

Campanha Fé pelas Florestas visa unir pessoas de todas as religiões para acabar com o desmatamento tropical. Foto: IRI/CreativeCommons.

Campanha da ONU Meio Ambiente visa unir religiões em prol da conservação

A campanha Fé pelas Florestas foi lançada durante a Cúpula de Ação Climática 2019, iniciando um movimento global de mobilização, educação e ativismo de organizações religiosas em prol da justiça climática.

O anúncio foi feito pela diretora executiva da ONU Meio Ambiente, Inger Andersen, e por Sonia Guajajara, coordenadora executiva da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil, em 22 de setembro, na sede da ONU em Nova Iorque.

Fé pelas Florestas visa unir pessoas de todas as religiões para acabar com o desmatamento tropical.

O grupo formado por cerca de 60 pessoas retirou uma tonelada de lixo das margens de um rio da bacia amazônica. Foto: ACNUR/Cesar Nogueira

Venezuelanos e brasileiros removem 1 tonelada de lixo da maior bacia hidrográfica do mundo

No meio do principal parque urbano de Manaus (AM), por onde correm as águas que irão desembocar na maior bacia hidrográfica do mundo, um grupo de cerca de 60 pessoas se uniu para uma ação pontual, mas com um propósito muito maior: limpar as margens do igarapé como forma de contribuir para preservação do lugar que hoje eles chamam de lar.

Inspirados a contribuir com a comunidade que os acolheu e a preservar o meio ambiente, cerca de 30 venezuelanos se juntaram à iniciativa “Igarapés Limpos”, que promove mutirões de limpeza nas margens dos rios da bacia amazônica. Um deles foi Omar, venezuelano de 70 anos que vive na cidade desde setembro de 2017 e atua como promotor comunitário da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR).

#AceitaEstaCaneta convoca líderes do setor privado para engajarem suas empresas com ações contra a mudança global do clima. Imagem: Rede Brasil do Pacto Global.

Rede Brasil do Pacto Global lança movimento pelo clima

#AceitaEstaCaneta/#TaKeThisPen convoca líderes do setor privado para engajarem suas empresas com ações contra a mudança global do clima.

A ideia é chegar aos principais líderes corporativos para que assinem um compromisso público de limitar o aumento da temperatura da Terra a 1,5ºC, além de atingir o objetivo de zero emissão de gases de efeito estufa até 2050.

O movimento é promovido pela Rede Brasil do Pacto Global e pela Almap BBDO. As metas propostas fazem parte da frente de atuação ‘Action4Climate’, projeto do Pacto Global da ONU que promove ações pelo clima.

Os jovens criadores usaram a realidade virtual para mostrar os desafios de quem vive no Complexo da Maré. Foto: Joao Araio.

Jovens brasileiros exibem filme em realidade virtual na ONU

Produção brasileira “Descolonize o olhar” conta a história real do fotógrafo Bira Carvalho, que passou a usar uma cadeira de rodas aos 21 anos, após ter sido atingido por um tiro.

O curta-metragem de moradores de comunidades do Rio de Janeiro foi filmado com a tecnologia 360°. A produção foi selecionada juntamente com nove criações de jovens do mundo inteiro para ser exibida na mostra Meu Mundo 360º, durante a Assembleia Geral das Nações Unidas.

Thamyra Thamara, uma das realizadoras do filme, conversou com a ONU News.

Após a Cúpula de Ação Climática da ONU, em Nova Iorque, o diretor-geral da OIT, Guy Ryder, disse que uma transição justa significa garantir que as ações climáticas protejam o planeta, as pessoas e a economia. Foto: OIT

Em cúpula da ONU, países concordam em unir ação climática à proteção social

Países que participaram da Cúpula de Ação Climática da ONU, em Nova Iorque, na segunda-feira (23), se comprometeram a elaborar planos nacionais para uma transição justa rumo a uma economia neutra de emissões de carbono.

Segundo o diretor-geral da Organização Internacional do Trabalho (OIT), Guy Ryder, uma transição justa significa garantir que as ações climáticas que adotamos protejam o planeta, as pessoas e a economia.

“Esta iniciativa foi criada para incentivar a coerência das políticas em torno de medidas que aumentem as oportunidades de trabalho verde decente, o desenvolvimento de habilidades e a inovação empresarial, juntamente com medidas de proteção social para as pessoas mais vulneráveis.”

Adjany Costa trabalha com comunidades do Delta do Okavango em prol da conservação da vida selvagem e dos ecossistemas locais. Foto: ONU Meio Ambiente.

Protegendo os últimos espaços de vida selvagem do planeta

Vencedora do Prêmio ‘Jovens Campeões da Terra 2019 – região África’, Adjany Costa está salvando os últimos espaços selvagens do planeta.

A jovem angolana de 29 anos ganhou o prêmio da ONU Meio Ambiente por seus esforços na conservação de reservas preciosas de água e de biodiversidade em seu país.

A solução de Adjany foi abordar com as comunidades Luchaze — que vivem nos planaltos angolanos e em meio à floresta de Miombo — formas de preservar o meio ambiente e ao mesmo tempo garantir os meios de vida.

O movimento começou depois que Thunberg protestou em frente ao parlamento sueco por três semanas em 2018 para chamar a atenção para a emergência climática. Foto: ONU Meio Ambiente

Fridays for Future recebe prêmio Campeões da Terra da ONU por demandar ação climática

O Fridays for Future, um movimento dinâmico de estudantes do mundo todo inspirado pela ativista sueca Greta Thunberg, recebeu o prêmio Campeões da Terra 2019, a maior homenagem ambiental das Nações Unidas. A ONU Meio Ambiente reconheceu a iniciativa na categoria “Inspiração e Ação”.

O movimento começou depois que Greta Thunberg protestou em frente ao parlamento sueco por três semanas em 2018 para chamar a atenção para a emergência climática. Inspirados por seu exemplo, outros estudantes de todo o mundo começaram a organizar seus próprios protestos.

Abraham Bidal é refugiado sul-sudanês em Uganda. Foto: ACNUR | Michele Sibiloni.

Conheça oito refugiados que estão lutando pelo planeta

Mesmo longe de casa, esses refugiados fazem sua parte para combater as mudanças climáticas.

Assim como as lideranças e ativistas que participaram da Conferência do Clima 2019 da ONU, em Nova Iorque, muitos refugiados já se conscientizaram de que não é preciso ser um chefe de estado para entrar nessa luta.

Conheça a história de oito deles, que estão tomando ações concretas para combater os efeitos adversos das mudanças climáticas nos países que os receberam.

Os fundos arrecadados serão usados em projetos de restauração, reflorestamento e regeneração natural de terras desmatadas e degradadas. Foto: IBAMA

Rede Brasil do Pacto Global levanta fundos para reflorestamento em evento pelo clima

Com o apoio de celebridades, a Rede Brasil do Pacto Global das Nações Unidas lança na quinta-feira (26), em Nova Iorque, uma iniciativa de levantamento de fundos para reflorestamento.

Uma obra dos artistas plásticos e grafiteiros brasileiros Os Gêmeos será leiloada em evento paralelo à Assembleia Geral da ONU, como parte da frente de atuação de resposta às mudanças climáticas.

Os fundos arrecadados serão usados em projetos de restauração, reflorestamento e regeneração natural de terras desmatadas e degradadas. O Brasil se comprometeu com o Acordo de Paris a reduzir em 37% suas emissões de gases de efeito estufa até 2025, e em 43% até 2030. Para isso, precisa recuperar 12 milhões de hectares de terras. A Rede Brasil trabalha no engajamento do setor privado para que a restauração ganhe escala.

Iceberg derrete na Groenlândia – Foto: Aline Dassel/Pixabay

Relatório da ONU aponta que nível do mar pode subir mais de um metro até 2100

O Relatório Especial sobre Mudanças Climáticas, Oceanos e Criosfera, divulgado nesta quarta-feira (25) pelo Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) aponta que os oceanos estão mais quentes, mais ácidos e menos produtivos e o nível do mar está aumentando 3,6 milímetros por ano – o dobro do que no último século. Estes níveis podem aumentar acima de um metro até 2100 se as emissões de gás carbono continuarem a subir intensamente.

Mais de 100 autores de 36 países analisaram a mais recente literatura científica relacionada aos oceanos e criosfera, referenciando cerca de 7.000 publicações científicas. O relatório é uma peça chave para os líderes mundiais que se reúnem em negociações sobre o clima e o meio ambiente, como a Convenção Quadro sobre Mudança Climática da ONU (COP25) que ocorre em dezembro, no Chile.

O IPCC é o órgão das Nações Unidas que analisa dados relativos às mudanças climáticas.

Totens ilustram os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável na sede da ONU em Nova Iorque – Foto: Manuel Elias/UM Photo

Cúpula dos ODS: Brasil se compromete em reduzir mortalidade prematura em 1/3 até 2030

Quatro anos depois da adoção da Agenda 2030, líderes mundiais firmaram um acordo para uma década de ação ambiciosa para entregar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e anunciaram ações que estão sendo tomadas para avançar na Agenda.

Entre elas, o Brasil se comprometeu em reduzir a mortalidade prematura causada por doenças não transmissíveis para 1/3 até 2030; a Finlândia alcançará a neutralidade de carbono até 2035 e o México irá garantir acesso à internet para todos, incluindo pessoas em comunidades vulneráveis.

A declaração política foi adotada por unanimidade na apertura da Cúpula da ONU para os ODS.

Dispersão de poluentes na atmosfera pode influenciar equilíbrio climático. Foto: PEXELS (CC)

ONU Meio Ambiente: foco político na crise climática é o maior em uma década

A ONU Meio Ambiente divulgou no domingo (22) relatório mostrando que o foco político na crise climática é o maior em pelo menos uma década, inclusive por meio do Acordo de Paris para o clima. Eleitores e manifestantes do mundo todo, principalmente jovens, estão deixando mais claro que a crise climática é prioridade.

Além disso, cidades, regiões e empresas não estão esperando imposições de governos centrais. Cerca de 7.000 cidades de 133 países, 245 regiões de 42 países e 6.000 empresas com receita de pelo menos 36 trilhões de dólares se comprometeram a reduzir as emissões.

Tudo isso é um progresso importante, mas não chega perto do suficiente, segundo o documento. Os países devem pelo menos triplicar o nível de ambição refletido em suas promessas climáticas sob o Acordo de Paris para alcançar a meta de um aquecimento abaixo de 2°C. Eles devem aumentar a ambição pelo menos cinco vezes para a meta de 1,5 °C.

O astro de "Game of Thrones" e embaixador da Boa Vontade do PNUD, Nikolaj Coster-Waldau, em visita à floresta amazônica peruana. Foto: PNUD/Leonardo Fernandez para a Getty Images

Astro de ‘Game of Thrones’ viaja com PNUD à Amazônia peruana

O astro da série “Game of Thrones” e embaixador da Boa Vontade do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Nikolaj Coster-Waldau, retornou recentemente da floresta amazônica peruana, para onde viajou acompanhado da agência da ONU com o objetivo de descobrir as causas e os impactos dos incêndios florestais. A missão também visou compreender os efeitos das mudanças climáticas nas comunidades locais.

O ator dinamarquês descobriu que o desmatamento na Amazônia peruana, ao qual os incêndios são atribuídos, pode estar relacionado às desigualdades econômicas e sociais das comunidades que vivem nessa região.

Embaixador Tijjani Mohammad Bande foi eleito presidente da 74ª sessão da Assembleia Geral da ONU. Foto: ONU/Evan Schneider

Presidente eleito da Assembleia Geral da ONU defende paz e prosperidade para mais vulneráveis

O alcance global da ONU a torna a principal esperança para um mundo de paz e segurança, desenvolvimento sustentável e promoção e proteção dos direitos humanos e do progresso social, disse nesta terça-feira (24) o nigeriano Tijjani Muhammad-Bande, presidente eleito da Assembleia Geral das Nações Unidas, durante abertura do debate de alto nível, em Nova Iorque.

Na abertura dos debates da 74ª sessão da Assembleia Geral, ele se comprometeu a “promover parcerias necessárias com todos os atores para atingir nossos objetivos, e em última análise garantir que estejamos fazendo o melhor para garantir paz e prosperidade, particularmente, para os mais vulneráveis”.

Secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, visita Vanuatu em última parada de missão ao Pacífico para ver os efeitos da mudança climática. Foto: ONU/Mark Garten

Saiba o que foi prometido durante a histórica Cúpula de Ação Climática da ONU

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, alertou aos líderes para que não fossem à Cúpula de Ação Climática deste ano somente discursar, mas que apresentassem tanto planos concretos para cortar emissões de gases de efeito estufa quanto estratégias para neutralizar as emissões de carbono até 2050.

Mas o que exatamente foi prometido durante a histórica Cúpula, que ocorreu na sede da ONU, em Nova Iorque, em 23 de setembro? Saiba mais nesta reportagem.

A maior geleira dos Alpes suíços, o Aletschgletscher, está derretendo rapidamente e pode desaparecer completamente em 2100. Foto: Geir Braathen

Cientistas alertam que mudanças climáticas estão acontecendo ‘antes e pior’ do que o previsto

Cientistas especializados em clima apresentaram no domingo (22) um relatório que expõe de que forma, nos últimos anos, o aquecimento global, o aumento de nível dos mares, a diminuição das geleiras e a poluição por carbono aceleraram.

O relatório, apresentado durante Cúpula de Ação Climática das Nações Unidas na segunda-feira (23), destacou a disparidade crescente e evidente entre os objetivos e a realidade do combate às mudanças climáticas.

O documento mostrou que houve aumento recorde da temperatura média global, que está 1,1°C acima dos níveis pré-industriais (1850-1900) e 0,2°C mais quente do que no período de 2011-2015.

Secretário-geral da ONU, António Guterres, abre os debates da 74a Assembleia Geralda ONU - Foto: Cia Pak/ONU

Em discurso, António Guterres lembra que diversidade é uma riqueza e não uma ameaça

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, abriu nesta terça-feira (24), em Nova Iorque, o debate de alto nível da Assembleia Geral afirmando que a diversidade é uma riqueza e não uma ameaça e defendendo o multilateralismo.

Os 193 Estados-membros da ONU participarão em sessões presididas pelo diplomata nigeriano Tijjani Muhammad-Bande. A 74ª sessão terá como prioridades paz e segurança, erradicação da pobreza, fome zero, educação de qualidade, ação climática e inclusão. As reuniões também darão ênfase aos direitos humanos e à paridade de gênero.

A ativista do clima Greta Thunberg durante a abertura da Cúpula de Ação Climática da ONU, em Nova Iorque, em 23 de setembro de 2019. Foto: ONU/Cia Pak

Crianças e adolescentes registram queixa por falta de ação dos países na ação climática

Dezesseis crianças e adolescentes – incluindo a ativista sueca Greta Thunberg – de 12 países apresentaram na segunda-feira (23) uma queixa oficial ao Comitê dos Direitos da Criança das Nações Unidas para protestar contra a falta de ação governamental na crise climática.

Os jovens com idades entre 8 e 17 anos alegam que a falha dos Estados-membros em enfrentar a crise climática constitui uma violação dos direitos da criança. Eles instam o órgão independente a ordenar os países a tomarem medidas para proteger as crianças dos impactos devastadores das mudanças climáticas.

Anunciada em uma conferência de imprensa realizada na sede do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) em Nova Iorque, a denúncia visa inspirar as ações urgentes necessárias para conter o aquecimento global e mitigar o impacto da crise climática.

Vulcão na Costa Rica, país que venceu venceu prêmio ambiental da ONU na categoria Liderança Política. Foto: pixabay/InfiniteThought (CC)

Costa Rica recebe prêmio ambiental da ONU por combate às mudanças climáticas

A Costa Rica recebeu o Campeões da Terra de 2019, o maior prêmio ambiental da ONU, por seu papel na proteção da natureza e seu compromisso com políticas ambiciosas para o combate às mudanças climáticas.

A ONU Meio Ambiente reconheceu o país centro-americano na categoria Liderança Política por seu plano detalhado para descarbonizar a economia até 2050. A iniciativa vai ao encontro das diretrizes do Acordo de Paris para o clima e dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Mais de 98% da energia da Costa Rica é renovável e sua cobertura florestal é superior a 53%, após um meticuloso trabalho para reverter décadas de desmatamento. Em 2017, o país bateu um recorde de 300 dias movido apenas a energia renovável. O objetivo é atingir 100% até 2030. Espera-se que 70% de todos os ônibus e táxis do país sejam elétricos até 2030, com total eletrificação projetada para 2050.

Impacto das mudanças climáticas é ainda maior entre grupos mais vulneráveis, como pessoas vivendo com HIV. Foto: ONU/Eskinder Debebe

Como a mudança climática afeta as pessoas vivendo com HIV

Em meio à Cúpula de Ação Climática das Nações Unidas, que ocorre em Nova Iorque, fica evidente que a mudança climática afeta todos os países e continentes. Mas, frequentemente, o impacto é maior em regiões já afetadas por outros desafios e que têm grande número de grupos vulneráveis, incluindo pessoas vivendo com HIV.

Quando o ciclone Idai atingiu em março a cidade de Beira, em Moçambique, chuvas e ventos fortes causaram inundações repentinas, centenas de mortes e danos generalizados a residências e infraestruturas.

Teria sido um golpe devastador em qualquer lugar, mas foi ainda maior na província de Sofala, onde cerca de um em cada seis adultos vive com HIV. Quando as águas subiram, muitas pessoas tiveram seus medicamentos levados pela enchente. O relato é do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS).

Edifícios em Punta Pacifica, Cidade do Panamá, Panamá. Foto: Gerardo Pesantez/Banco Mundial

Bancos com mais de US$47 trilhões em ativos assinam compromisso com economia verde

Bancos que somam mais de 47 trilhões de dólares em ativos, ou um terço da indústria financeira global, assinaram no domingo (22) os novos princípios de responsabilidade bancária da ONU, em um importante impulso à ação climática e a uma migração para modelos de crescimento econômico sustentável.

De acordo com os novos princípios, lançados um dia antes da Cúpula do Clima em Nova Iorque, os bancos se comprometeram a alinhar estrategicamente seus negócios com os objetivos do Acordo de Paris para o clima e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), além de ampliar a escala de suas contribuições para o alcance das duas agendas.

Patagônia chilena - Foto: LuisValiente/Pixabay

IPCC divulgará relatório especial sobre mudanças climáticas em áreas congeladas

O Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) divulga, no dia 25 de setembro, o Relatório Especial sobre Mudanças Climáticas, Oceanos e Criosfera. O estudo está sendo analisado ao longo desta semana durante a 51ª sessão do Painel, realizada no Principado de Mônaco.

Para ter acesso ao material embargado e participar da coletiva de imprensa, veículos de mídia devem se credenciar para a coletiva de imprensa, que será transmitida ao vivo.

‘Vocês estão falhando conosco’, diz ativista Greta Thunberg a líderes mundiais

Falando no início da Cúpula de Ação Climática das Nações Unidas nesta segunda-feira (23), em Nova Iorque, a aclamada ativista Greta Thunberg, de 16 anos, não poupou críticas aos líderes mundiais, dizendo que eles não estão sendo capazes de ver a realidade como ela é no que se refere às mudanças do clima.

Ela acrescentou, sem rodeios: “vocês estão falhando conosco, mas os jovens estão começando a entender sua traição”. “Os olhos de todas as gerações futuras estão em vocês, e se vocês escolherem falhar, eu digo que nunca os perdoaremos.”

O secretário-geral da ONU visita o assentamento de Mandruzi, em Moçambique. Foto: ONU/Eskinder Debebe

Ação coletiva é única maneira de enfrentar desafios globais, diz Guterres

Os desafios globais de nosso tempo demandam soluções globais, e devemos demonstrar continuamente os méritos da cooperação multilateral, afirmou o secretário-geral da ONU, António Guterres, nesta segunda-feira (23), ao lançar o relatório anual de 2019 das Nações Unidas.

O relatório de 120 páginas documenta o progresso da Organização no ano passado no que se refere a desenvolvimento sustentável, paz e segurança; desenvolvimento da África, direitos humanos, assistência humanitária, direito internacional, desarmamento e prevenção ao crime, juntamente à luta contra o terrorismo.

Sede das Nações Unidas em Nova Iorque. Foto: ONU/Manuel Elias

Secretariado da ONU adota plano para cortar as próprias emissões pela metade até 2030

O Secretariado das Nações Unidas adotou um novo Plano de Ação pelo Clima para os próximos dez anos que pretende transformar suas operações para atingir 45% de redução de emissões de gases de efeito estufa e 80% de uso de energia elétrica de fontes renováveis.

O plano foi adotado pouco antes da Cúpula de Ação pelo Clima, que está sendo realizada pelo secretário-geral da ONU para incentivar metas globais mais ambiciosas e aumentar significativamente as ações para limitar as mudanças climáticas.

As operações globais do Secretariado da ONU representam aproximadamente 58% das emissões de gases de efeito estufa reportadas pelo Sistema ONU, de acordo com o mais recente relatório “Greening the Blue”, que apresenta ações ambientais da ONU e foi lançado pela ONU Meio Ambiente na última sexta-feira (20).

Secretário-geral da ONU, António Guterres (centro) e Greta Thunberg (a segunda à direita), na abertura da Cúpula da Juventude pelo Clima - Foto: Kim Haughton/UN Photo

Cúpula da Juventude pelo Clima da ONU: jovens pedem fim dos combustíveis fósseis

Um dia depois que milhares de pessoas marcharam pelo mundo – de Nova Iorque a Nova Deli, de Santiago a São Francisco – pedindo ações urgentes pelo clima, mais de 600 jovens participaram da Cúpula da Juventude para o Clima, no sábado (21), em Nova Iorque. Para eles, é necessário que os líderes políticos façam mudanças radicais no uso de combustíveis fósseis e rumo a energia limpa, proteção dos oceanos e promoção do consumo sustentável.

Organizada pelo secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, a Cúpula da Juventude pelo clima reuniu jovens de mais de 140 países e territórios para que eles compartilhem as soluções num palco global e passem um recado claro aos líderes mundiais: é necessário agir agora para as mudanças climáticas.

Arte: Rede Brasil do Pacto Global

Empresas anunciam ambiciosos planos para reduzir o aumento da temperatura global

Oitenta e sete empresas estão tomando ações para alinhar seus negócios com o que os cientistas avaliam ser necessário para limitar os piores impactos das mudanças climáticas.
Respondendo a um chamado feito em junho por um grupo de líderes empresariais, da sociedade civil e da Organização das Nações Unidas (ONU), estas empresas se comprometeram a estabelecer objetivos de clima em suas operações e cadeias de valores alinhadas para limitar o aumento da temperatura global a 1,5 graus Celsius e alcançar emissões zero de carbono até no máximo 2050.

A informação é divulgada na véspera da Cúpula da Acão do Clima, organizada pelo secretário-geral da ONU, António Gutteres, em Nova Iorque. A cúpula é uma oportunidade para que governos, empresas e outras partes interessadas apresentem planos claros de ação alinhados ao recente relatório do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), que alertou para as catastróficas consequências para o aquecimento global.