Ação contra a mudança global do clima

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número 13 diz: “Tomar medidas urgentes para combater a mudança climática e seus impactos”.

 

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número 13 diz: “Tomar medidas urgentes para combater a mudança climática e seus impactos”.

 

Mais sobre este ODS em https://nacoesunidas.org/pos2015/ods13 e na página sobre o Acordo de Paris sobre Mudanças Climáticas (nacoesunidas.org/acordodeparis).

 

Acompanhe abaixo todas as informações e esforços da ONU para combater a mudança climática e promover o desenvolvimento sustentável.

 

Isidro Baldenegro López recebe Goldman Prize em 2005. Foto: The Goldman Environmental Prize

Agência da ONU condena assassinato de líder indígena mexicano

O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) condenou nesta quinta-feira (19) o assassinato do ativista mexicano Isidro Baldenegro López, líder de uma comunidade indígena mexicana que promoveu uma campanha pacífica contra a destruição de florestas ancestrais.

Baldenegro foi homenageado em 2005 com o mais prestigiado prêmio ambiental do mundo, o Goldman Environmental Prize. Ele é o segundo vencedor a ser morto em menos de um ano. Em março do ano passado, homens armados assassinaram a ativista indígena Berta Cáceres, líder do povo Lenca em Honduras.

2016: um ano de desafios e conquistas para o mundo

O ano de 2016 foi um período cheio de desafios para a comunidade internacional. A guerra na Síria se agravou, apesar dos esforços pela paz, e conflitos violentos também recrudesceram no Sudão do Sul, no Iêmen e em outras partes do mundo. Na comparação com 2015, houve um aumento de 5 milhões no número global de refugiados.

Ao mesmo tempo, 2016 foi histórico por conta de avanços positivos, como a entrada em vigor do Acordo de Paris e o início do mandato da Agenda 2030 da ONU, um plano ambicioso para colocar o planeta no caminho rumo ao desenvolvimento sustentável. Confira na retrospectiva especial produzida pelas Nações Unidas.

A Camada de Ozônio é responsável por proteger os seres humanos dos raios ultravioleta. Foto: AAkaashá/ FlickrCC.

Brasil avança em ações para proteção da Camada de Ozônio, diz PNUD

O Brasil avançou em ações para a proteção da Camada de Ozônio este ano, com a implementação da segunda etapa do Programa Brasileiro de Eliminação dos HCFCs, substância utilizada por algumas indústrias e que corrói essa área da estratosfera.

Para o próximo ano, a expectativa é que o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) continue apoiando os projetos do Protocolo de Montreal no Brasil como agência implementadora líder, em parceria com o governo federal e o setor produtivo.

UNESCO realiza em Paris encontro anual sobre proteção de ecossistemas marinhos

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), por meio de sua Comissão Oceanográfica Intergovernamental, promoveu no início de dezembro (6 a 8) em Paris o 18º Encontro Consultivo Anual de projetos para grandes ecossistemas marinhos.

O evento destacou avanços alcançados e o trabalho ainda necessário para uma eficaz gestão e governança dos ecossistemas transfronteiriços, diante do propósito de se atingir os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) até 2030.

Desde abril de 2016, 3,6 milhões de quilômetros quadrados de oceano — uma área maior que a Índia — foram designados áreas de proteção marinha. Foto: ONU

Agência da ONU elogia ampliação das áreas de proteção marinha no mundo

Desde abril, 3,6 milhões de quilômetros quadrados de oceano — uma área maior que a Índia — foram designados áreas de proteção marinha (MPAs, na sigla em inglês), o que significa que pela primeira vez, mais de 5% dos oceanos do mundo estão agora protegidos.

“O estabelecimento de tantas novas áreas de proteção é ótima notícia e deve dar àqueles que lutam incansavelmente para conservar os oceanos e mares do mundo uma enorme sensação de realização”, disse Erik Solheim, chefe do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA).

Miguel Quintero, consultor internacional especialista em espumas de poliuretano do PNUD. Foto: PNUD

Brasil é modelo para implementação do Protocolo de Montreal, diz especialista do PNUD

O Brasil pode ser considerado modelo para os demais países da América Latina quando se refere à implementação do Protocolo de Montreal, acordo em vigor desde 1989 que tem como objetivo eliminar a produção e o consumo de substâncias que destroem a Camada de Ozônio. A avaliação é do especialista sênior em espumas do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Miguel Quintero.

Abelha no vale do Kerio, no Quênia. Foto: FAO/Dino Martins

Produção de alimentos depende de animais polinizadores sob risco de extinção, dizem especialistas

Setenta e cinco porcento dos alimentos cultivados dependem em alguma medida da polinização animal, fenômeno que mobiliza mais de 20 mil espécies de abelhas e também outros seres vivos, como moscas, borboletas, mariposas, vespas, besouros, pássaros e morcegos. Apesar do importante papel desempenhado por esses bichos, mais de 40% dos polinizadores vertebrados — e 16% dos vertebrados — estão sob risco de extinção global.

Foto: FAO

América Latina e Caribe precisam impedir degradação ambiental causada por produção agrícola, diz FAO

Atualmente, 37% da superfície da América Latina e Caribe é utilizada para atividades agropecuárias. Exploração acelerada dos campos e das florestas coloca recursos naturais sob pressão e região já responde por 14% da degradação global dos solos, alerta a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO). Agência da ONU divulgou diretrizes para que países tornem produção mais sustentável.

Força Interina das Nações Unidas no Líbano (FINUL) usa energia solar para manter bases e escritórios. Foto: FINUL

ONU lança iniciativa para reduzir impacto ambiental de operações de paz

A fim de reduzir o uso de recursos naturais pelas operações de paz da ONU, o Departamento de Apoio de Campo das Nações Unidas anunciou nesta semana (29) uma nova estratégia para minimizar o impacto das missões nas sociedades e ecossistemas onde atuam. Objetivo é investir em energia renovável e proteção do meio ambiente. Departamento atua em mais de 30 países com forças da Organização e de países.

Trabalhadores agrícolas colhem cenouras em uma fazenda em Chimaltenango, Guatemala. Foto: Banco Mundial/Maria Fleischmann

Agência da ONU atualiza site com base de dados global sobre setor agrícola

A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) lançou na semana passada (24) uma nova versão do site FAOSTAT, cujo objetivo é facilitar o acesso a uma ampla base de dados sobre alimentação, agricultura, pesca, silvicultura, gestão de recursos naturais e nutrição.

A ferramenta contribui para monitorar os compromissos da comunidade internacional para erradicar a pobreza extrema, a fome e a má nutrição até 2030, assim como promover a agricultura sustentável.

Comunidade internacional precisa ampliar ações de combate às mudanças climáticas, diz agência ambiental da ONU. Foto: PNUMA

No último dia da COP22, secretário-geral elogia apoio global à ação pelo clima

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, elogiou nesta sexta-feira (18) os resultados obtidos na conferência da ONU para o clima (COP22), concluída em Marrakesh, no Marrocos.

Durante a conferência, governos endossaram a “Proclamação de Marrakesh”, que reafirma o contínuo apoio global ao Acordo de Paris para o clima e “demonstra a determinação de todos os governos à implementação do pacto o mais rápido possível”, disse Ban.

Iniciativa visa a auxiliar empresas de espumas de poliuretano a substituir o HCFC. Foto: Wikimedia Commons

Agência da ONU apresenta programa para eliminar HCFCs do setor de espumas

Especialistas no setor de espumas de poliuretano se reuniram em São Paulo para discutir novas tecnologias do setor, trocar experiências e lançar produtos para o mercado. O Ministério do Meio Ambiente e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) estiveram presentes para apresentar programa de eliminação dos HCFCs — substância utilizada nessa indústria e que destrói a Camada de Ozônio.

O presidente da COP22, Salaheddine Mezouar (esquerda), com a presidente da COP21, Ségolène Royal, durante a abertura da conferência deste ano em Marrakesh, Morrocos. Foto: UNFCCC

Chefes de Estado reúnem-se em Marrakesh para definir regras do Acordo de Paris

Dez dias depois da entrada em vigor do Acordo de Paris, dezenas de chefes de Estado e de governo reúnem-se de terça-feira (15) na 22ª Conferência das Partes da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (COP22), em Marrakesh, no Marrocos, para definir as regras do pacto e detalhar um plano viável para fornecer ao menos 100 bilhões de dólares por ano para que os países em desenvolvimento realizem ações de adaptação e combate às mudanças climáticas.

Xangai, China. Foto: ONU-Habitat/Julius Mwelu

COP22 destaca importância das cidades na implementação do Acordo de Paris

Durante encontro na última quinta-feira (10), a Conferência das Partes sobre o Clima (COP22), realizada em Marrakesh, no Marrocos, destacou a necessidade de ações conscientes executadas por cidades, bairros e regiões em todo mundo para a implementação do Acordo de Paris, que entrou em vigor no dia 4 de novembro.

Atualmente, as áreas urbanas representam cerca de 70% das emissões globais de poluentes.