Arquivo da tag: Consumo e produção responsáveis

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número 12 diz: “Assegurar padrões de produção e de consumo sustentáveis”.

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número 12 diz: “Assegurar padrões de produção e de consumo sustentáveis”. As metas incluem reduzir pela metade o desperdício de alimentos per capita mundial; alcançar o manejo ambientalmente saudável dos produtos químicos e todos os resíduos; e reduzir substancialmente a geração de resíduos por meio da prevenção, redução, reciclagem e reuso; entre outros.

 

Mais sobre este ODS em https://nacoesunidas.org/pos2015/ods12 e notícias sobre o tema abaixo.

O setor dos transportes é o principal consumidor de combustíveis fósseis na região latino-americana e a principal fonte de poluição atmosférica. Foto: PEXELS/Kaique Rocha

Governos e empresas debatem em Salvador impulso ao transporte público sustentável

Infraestrutura, cidades e ação global foi tema de painel promovido nesta quarta-feira (21) pela ONU Meio Ambiente e parceiros na Semana do Clima da América Latina e Caribe, em Salvador (BA).

Na ocasião, autoridades governamentais e representantes dos setores privado, financeiro e da sociedade civil da região apresentaram as principais iniciativas e lições aprendidas para acelerar a implementação de uma mobilidade urbana sustentável.

Lavoura recebe fumigação de agroquímicos - Foto: Pixabay/CC

Comitê de Direitos Humanos da ONU responsabiliza Paraguai por violações no uso de agrotóxicos

O Comitê de Direitos Humanos das Nações Unidas afirmou que o Paraguai precisa realizar uma investigação eficaz e minuciosa sobre fumigações de agroquímicos e o consequente envenenamento de pessoas, incluindo crianças, além da contaminação de água, solo e alimentos. O órgão também pediu que o governo paraguaio processe os responsáveis, compense as vítimas e publique a decisão em um jornal diário de grande circulação.

As vítimas trabalham em agricultura familiar no departamento de Canindeyú, no noroeste do país e na fronteira com os estados brasileiros do Mato Grosso do Sul e Paraná. A região tem forte expansão do agronegócio e amplo cultivo mecanizado de soja geneticamente modificada.

Mulheres indígenas da Colômbia. Foto: Gerardo Segura Warnholtz/PROFOR

Antropólogo fala sobre defesa da Amazônia colombiana e proteção de povos indígenas

Das 7 mil línguas faladas em todo o mundo, 4 mil são línguas indígenas, das quais quase 3 mil estão em perigo de desaparecer, de acordo com a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO). O Dia Internacional dos Povos Indígenas, celebrado em 9 de agosto — e que este ano coincidiu com o Ano Internacional das Línguas Indígenas — chamou a atenção para esse dado preocupante.

Nesse contexto, o Banco Mundial destaca o trabalho do antropólogo norte-americano naturalizado colombiano Martin von Hildebrand, fundador e presidente da organização não governamental Gaia Amazonas. O especialista dedicou a vida à defesa e à promoção dos direitos territoriais, e da conservação cultural e biológica na Amazônia colombiana. Leia a entrevista.

Solo ressecado próximo ao rio Nilo Branco, em Cartum, Sudão. Foto: Banco Mundial/Arne Hoel

Agricultura e usos do solo representam 23% das emissões de gases do efeito estufa, diz ONU

Novo relatório do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) aponta que mudanças no uso do solo são necessárias para limitar o aquecimento global a 2º C, conforme previsto pelo Acordo de Paris.

Atualmente, a agricultura, a silvicultura e outros tipos de uso do solo representam 23% das emissões humanas de gases do efeito estufa.

Ao mesmo tempo, a publicação alerta que as mudanças climáticas poderão agravar a degradação do solo no mundo, comprometendo a produção e a oferta de alimentos.

Malaiah sustenta sua família de quatro pessoas coletando e quebrando lixo eletrônico em Odo-Iyalaro. Foto: ONU Meio Ambiente/Irene Galan

Lei nigeriana busca responsabilizar indústria por reciclagem do lixo eletrônico

Em parceria com a agência nigeriana de normas ambientais, a ONU Meio Ambiente coordena um projeto de economia circular para lixo eletrônico no país, uma ambiciosa iniciativa de três anos com o objetivo de ver a Nigéria adotar uma abordagem de reciclagem financeiramente auto-sustentável para o setor.

A legislação nigeriana para a indústria eletrônica responsabiliza os fabricantes por todo o ciclo de vida de seus produtos — enfatizando uso prolongado, prevenção de resíduos, reciclagem e recuperação — com o objetivo de minimizar o impacto na saúde humana e no meio ambiente. Leia a reportagem completa.

Colheita de milho em Sertão Santana (RS). Foto: Pedro Revillion/Palácio Piratini/CC

Aliança empresarial publica guia sobre sustentabilidade no setor de alimentos e agronegócio

A Rede Brasil do Pacto Global — aliança corporativa alinhada aos valores da ONU — lançou na quarta-feira (31) um guia para que empresas de alimentação e o agronegócio adequem suas atividades produtivas aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). O chamado Manual do Replicador vai ajudar companhias do setor a buscar modelos mais responsáveis de cultivo e fabricação de alimentos.

Em Westminster, no Reino Unido, jovens protestam por ações climáticas urgentes. Foto: Flickr (CC)/Rox

Secretário-geral da ONU alerta que julho foi o mês mais quente já registrado

O secretário-geral da ONU, António Guterres, disse na quinta-feira (1º) que julho igualou ou superou o mês mais quente já registrado na história, segundo novos dados da Organização Meteorológica Mundial (OMM).

“De acordo com os dados mais recentes da OMM e de seu centro de clima, julho igualou se não superou o mês mais quente já registrado na história. Isso ocorre após o registro do junho mais quente já registrado”, disse o secretário-geral da ONU.

A estilista Magna Coeli decidiu fazer moda de um jeito diferente, reaproveitando materiais que seriam normalmente descartados. Foto: Refazenda

No dia de sobrecarga da Terra, ONU celebra estilista brasileira que transforma lixo em luxo

Neste 29 de julho, o mundo lembra o chamado Dia de Sobrecarga da Terra — a data em que o consumo de recursos do planeta pelos seres humanos ultrapassou a capacidade que a natureza tem de repor esses recursos ao longo do ano.

Para marcar o dia, a ONU Meio Ambiente celebra a trajetória da estilista brasileira Magna Coeli, que decidiu repensar a forma de se fazer moda, reaproveitando sobras de tecido e materiais que normalmente seriam descartados.

Manguezal no parque nacional Los Haitises, na República Dominicana. Foto: WkiMedia (CC)/Anton Bielousov

UNESCO afirma que manguezais são aliados do ser humano na luta contra as mudanças climáticas

Em mensagem para o Dia Internacional de Conservação do Ecossistema de Mangue, celebrado nesta sexta-feira (26), a diretora-geral da UNESCO, Audrey Azoulay, lembrou que esses ecossistemas são fundamentais tanto para comunidades de regiões costeiras — onde os manguezais são fonte de subsistência e proteção contra desastres naturais — quanto para o resto do mundo, que tem nos mangues um aliado contra o aquecimento global.

Na imagem, poluição atmosférica na cidade de São Paulo. Foto: Flickr (CC)/Thomas Hobbs

ONU convoca todos os níveis de governo a combater poluição do ar e mudanças climáticas

A ONU lançou nesta semana a ‘Iniciativa Ar Limpo’, que chama governos nacionais e subnacionais a comprometer-se em alcançar uma qualidade do ar segura para os cidadãos. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a cada ano, a poluição do ar causa 7 milhões de mortes prematuras.

O cumprimento do Acordo de Paris sobre mudanças climáticas poderia salvar mais de 1 milhão de vidas por ano até 2050. No marco dos esforços para alcançar as metas do acordo, a redução da poluição do ar, por si só, geraria benefícios de saúde estimados em 54,1 trilhões de dólares.

O relatório pede ajustes significativos na produção de alimentos, bem como mudanças no consumo das pessoas. Foto: ONU Meio Ambiente

Relatório da ONU pede mudanças na forma como o mundo produz e consome alimentos

Com a previsão de que a população mundial chegará a quase 10 bilhões em 2050, um novo relatório mostra que o sistema global de alimentos deve passar por mudanças urgentes para garantir que haja comida adequada para todos, sem destruir o planeta.

Produzido pelo World Resources Institute em parceria com Banco Mundial, ONU Meio Ambiente, Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e agências francesas de pesquisa agrícola CIRAD e INRA, o relatório apresenta soluções para reformular a forma como o mundo produz e consome alimentos de forma a garantir uma sustentabilidade para o sistema alimentar até 2050.

Imagem feita por satélite de Iquitos, no Peru, em meio à Floresta Amazônica. Foto: NASA/Good Free Photos

Na ONU, especialistas defendem acordo latino-americano sobre justiça ambiental

Os direitos de acesso a informação, participação pública e justiça em questões ambientais são pilares das sociedades democráticas e desempenham um papel crucial na busca pelo desenvolvimento sustentável, afirmaram na segunda-feira (15) delegações de governos e especialistas da ONU e da sociedade civil.

Em evento paralelo ao Fórum Político de Alto Nível, em Nova Iorque, autoridades lembraram o Acordo de Escazú, firmado por países latino-americanos e caribenhos para proteger ativistas ambientais.

Arte: Rede Brasil do Pacto Global

Setor privado brasileiro apresenta desafios de sustentabilidade nacionais na sede da ONU

A segunda edição do encontro SDGs in Brazil ocorreu na terça-feira (16) na sede da ONU, em Nova Iorque, com o objetivo de discutir os avanços e desafios brasileiros para atingir os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Cerca de 25 representantes dos setores público e privado do país participaram dos debates, junto a membros de agências das Nações Unidas.

Na área ambiental, os debates abordaram como os negócios devem lidar com a crise climática; as florestas como geradoras de prosperidade; os desafios de água e saneamento no Brasil e a relação da prática mineradora com os ODS.

Plataformas de conhecimento foram criadas por organismos internacionais, incluindo agências da ONU, para impulsionar práticas sustentáveis na indústria e nas finanças. Foto: Pixabay (CC)

Organismos internacionais lançam plataformas de conhecimento sobre indústria e finanças sustentáveis

Uma parceria entre organizações internacionais lançou nesta terça-feira (16), no Fórum Político de Alto Nível em Nova Iorque, duas iniciativas de troca de conhecimento em sustentabilidade — uma voltada para a indústria, outra direcionada a bancos, seguradoras e empresas de investimento. Projetos vão reunir pesquisas, dados e orientações para impulsionar a responsabilidade ecológica no setor privado.

Ruptura da barragem provocou a liberação de volume de 55 milhões a 60 milhões de metro cúbicos de rejeitos de minério no Rio Doce. A lama percorreu mais de 600 quilômetros até chegar ao oceano, matando peixes, a flora, a fauna e disparando uma crise social e ambiental que afetou a subsistência e o acesso à água da população, incluindo indígenas Krenak e milhares de pescadores. Foto: Fred Loureiro / SECOM ES

ONU premia filme brasileiro de realidade virtual sobre desastre em Mariana (MG)

O curta-metragem de realidade virtual ‘Rio de Lama’ — que leva o espectador para dentro do desastre ambiental de Mariana (MG) — venceu o Festival de Filmes da ONU sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

O diretor brasileiro Tadeu Jungle recebe na quinta-feira (11) o reconhecimento da mostra, que exibirá todos os filmes ganhadores em Nova Iorque, em meio às atividades do Fórum Político de Alto Nível.

Campus da Universidade do Estado da Califórnia, em Los Angeles, nos Estados Unidos. Foto: Wikimedia (CC)/Justefrain

Universidades de todo o mundo declaram emergência climática

Organizações que representam mais de 7 mil instituições de ensino superior de todos os seis continentes declararam nesta quarta-feira (10) uma emergência climática e acordaram um plano para neutralizar as suas emissões de carbono até 2030.

Centros de ensino e pesquisa também vão ampliar a educação sobre meio ambiente e sustentabilidade no currículo escolar, tanto nas universidades como em programas para a comunidade.

Mercado de alimentos em San Lucas Tolimán, na Guatemala. Foto: Banco Mundial/Curt Carnemark

FAO: América Latina e Caribe vão responder por mais de 25% das exportações agrícolas globais até 2028

Até 2028, a América Latina e o Caribe vão responder por mais de 25% das exportações globais de produtos agrícolas e pesqueiros, segundo um novo relatório da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Publicação ressalta expansão do protagonismo regional em meio à desaceleração na produção e nas trocas em nível mundial.

Colheita de soja. Foto Jonas Oliveira/ANPr

Fundo verde para financiar produção de soja sustentável no Brasil é lançado em Londres

O primeiro mecanismo financeiro do mundo a oferecer títulos verdes para financiar a produção sustentável da soja no Brasil foi lançado na quinta-feira (4) durante a Semana da Ação Climática em Londres (London Climate Action Week).

O Responsible Commodities Facility (Fundo de Commodities Responsáveis, em tradução livre), apresentado na Bolsa de Londres (London Stock Exchange), pretende fornecer linhas de crédito de juros baixos para produtores brasileiros de soja e milho comprometidos em utilizar pastos degradados e evitar o desmatamento e a retirada de mata nativa para agricultura. Para os produtores, a iniciativa oferecerá um complemento importante às linhas de crédito oficiais (crédito rural).

O instrumento financeiro é gerido pela empresa Sustainable Investment Management (SIM), com sede em Londres e no Rio de Janeiro, com o apoio do governo britânico e um acordo de colaboração com a ONU Meio Ambiente.

O arquipélogo de Fernando de Noronha foi declarado um patrimônio natural mundial pela UNESCO. Foto: EBC

ONU Meio Ambiente e Família Schurmann promovem expedição que documentará poluição plástica

Às vésperas da quarta e mais audaciosa expedição da Família Schurmann, a ONU Meio Ambiente e o grupo de navegadores brasileiros assinaram um memorando de entendimento, inserindo o projeto “Voz dos Oceanos” na campanha global Mares Limpos – da qual a família já é defensora desde 2017.

Os Schurmann, a primeira família latino-americana a circunvagar o mundo em um veleiro, vão içar suas velas em 12 de dezembro. A expedição “Voz dos Oceanos” terá duração de 18 meses, será apoiada pela ONU Meio Ambiente e irá registrar tudo o que os velejadores virem nos oceanos e nas partes remotas do planeta.

O objetivo é documentar, especificamente, a poluição plástica. A iniciativa visa identificar possíveis soluções para a poluição marinha, mobilizar governos, setor privado e indivíduos para limpar os oceanos e inspirar inovações para libertar os mares dos plásticos.

Em 2018, a “Impossible Foods” e a “Beyond Meat” foram eleitas ‘campeãs do planeta’ pela ONU Meio Ambiente. Ambas as startups criam alternativas à base de plantas e veem seus negócios crescendo. Nos EUA, redes de restaurantes focados em carnes, agora, estão incluindo os produtos veganos dessas empresas. A pecuária é responsável por mais de 9% das emissões globais de gases de efeito estufa. Reduzir o consumo de carnes é uma parte essencial para prevenir a degradação de nosso meio ambiente. Incluir hambúrgueres sem carne beneficia empreendimentos, consumidores e o nosso planeta.

Comidas sem carne se tornam tendência e beneficiam nosso planeta; vídeo

Em 2018, a “Impossible Foods” e a “Beyond Meat” foram eleitas ‘campeãs do planeta’ pela ONU Meio Ambiente.

Ambas as startups criam alternativas à base de plantas e veem seus negócios crescendo. Nos EUA, redes de restaurantes focados em carnes, agora, estão incluindo os produtos veganos dessas empresas.

A pecuária é responsável por mais de 9% das emissões globais de gases de efeito estufa.

Reduzir o consumo de carnes é uma parte essencial para prevenir a degradação de nosso meio ambiente. Incluir hambúrgueres sem carne beneficia empreendimentos, consumidores e o nosso planeta.

Confira nesse vídeo da ONU Meio Ambiente.

Academias de ciência pedem medidas urgentes contra a poluição do ar

Na sede da ONU, em Nova Iorque, representantes das academias de ciência e medicina de quatro países — entre eles, o Brasil — apresentaram neste mês (19) um apelo urgente por mais investimentos na luta contra a poluição do ar.

As instituições pediram que todas as nações do mundo adotem medidas de controle das emissões de poluentes e implementem sistemas de monitoramento da qualidade do ar. O relato é da ONU Meio Ambiente.

Empreendedora australiana desenvolveu aplicativo que ensina conceitos de biologia e ecologia para crianças, por meio de um jogo eletrônico. Foto: My Green World

Australiana usa tecnologia para promover educação ambiental de crianças

A australiana Natalie Kyriacou, fundadora e diretora-executiva da empresa My Green World, foi finalista do prêmio Jovem Campeão da Terra de 2018, da ONU Meio Ambiente. A empreendedora tem uma missão: lembrar as pessoas da conexão intrínseca que elas possuem com a natureza e mostrar como a empatia pela biodiversidade é fundamental para o futuro da vida na Terra.

A jovem desenvolveu uma plataforma digital de conteúdos pedagógicos sobre biologia e ecologia, adaptados para crianças. Outro produto da sua companhia é o aplicativo World of the Wild, que ensina conceitos de conservação por meio de um jogo eletrônico.

Foto de capa do vídeo: Unsplash/Mark Kucharski

FAO apoia investimento responsável na agricultura e nos sistemas alimentares; vídeo

Conheça neste vídeo a importância do investimento responsável na agricultura e nos sistemas alimentares para o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e, em particular, o ODS 2, para a ‘Fome Zero’.

A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) apoia na identificação, revisão, desenvolvimento e implementação de políticas, incentivos e marcos legais que promovam o investimento responsável nos níveis nacional e regional.

Lixo plástico ao longo da costa de Cingapura. Foto: Flickr (CC)/vaidehi shah

FAO lista cinco maneiras de reduzir nossa dependência do plástico

O plástico é tão comum em nossas vidas que nem percebemos mais — é conveniente, barato e onipresente. A infeliz verdade é que mais de 70% do plástico que usamos não é reciclado e grande parte desse lixo é arrastado de nossas praias para os oceanos ou é levado das ruas para os rios. Estima-se que, atualmente, 5 trilhões de unidades de plástico flutuem em nossos oceanos.

A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) listou cinco maneiras de reduzir o uso de plásticos no dia a dia.

Vista do Elevador Lacerda, em Salvador, na Bahia. Foto: Agência Brasil/Fabio Rodrigues Pozzebom

Capital baiana sedia em agosto Semana do Clima da América Latina e Caribe

Em meio a crescentes apelos por uma ação climática mais forte e mais rápida, a Semana do Clima da América Latina e Caribe, que acontece de 19 a 23 de agosto na cidade de Salvador (BA), deverá impulsionar a resposta da região à atual emergência climática.

Realizada todos os anos em África, América Latina e Caribe e Ásia-Pacífico, as Semanas Regionais do Clima são plataformas colaborativas únicas para entidades governamentais e não governamentais abordarem a amplitude das questões climáticas sob uma estrutura única. Saiba como participar.

Sede da ONU, em Nova Iorque. Foto: ONU/Rick Bajornas

Em Nova Iorque, empresariado brasileiro apresenta iniciativas para cumprir metas da ONU

O setor privado do Brasil mostrará ao mundo, na sede das Nações Unidas, em Nova Iorque, o que vem fazendo para avançar em sustentabilidade. Em 16 de julho, a Rede Brasil do Pacto Global — aliança corporativa alinhada a valores da ONU — reunirá CEOs e gestores do país e de outras nações para discutir boas práticas do empresariado brasileiro na promoção dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Lewis Pugh, embaixador da Boa Vontade da ONU Meio Ambiente, percorre a nado o Mar Vermelho. Foto tirada na Reserva Marinha de Aqaba, na Jordânia. Foto: ONU Meio Ambiente

Metade dos corais do mundo desapareceram nos últimos 150 anos, diz chefe da ONU

Em cerimônia para comemorar os 25 anos da entrada em vigor da Convenção da ONU sobre o Direito do Mar, o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, alertou na segunda-feira (17), em Nova Iorque, que os oceanos enfrentam ameaças inéditas devido às mudanças climáticas e outras ações humanas.

Nas últimas quatro décadas, a poluição plástica no mar aumentou dez vezes. Estima-se que um terço dos estoques naturais de peixeis estejam super-explorados. E os ecossistemas marinhos têm sofrido o impacto da acidificação, do aumento do nível dos oceanos e do crescimento de zonas mortas — regiões dos mares com níveis baixíssimos de oxigênio, o que inviabiliza a vida marinha.

Foto: Globo/Fábio Rocha

Série ‘Aruanas’ mostra necessidade de cuidar da Floresta Amazônica

A série brasileira de ficção “Aruanas” é uma produção original da TV Globo, coproduzida pela Maria Farinha Filmes, que conta a história de quatro mulheres lutando para proteger a floresta e as terras indígenas da devastação provocada pela mineração ilegal e pela corrupção.

A série apoia a Iniciativa de Defensores Ambientais, liderada pela ONU Meio Ambiente, que busca promover o respeito aos direitos ambientais e ampliar a proteção de defensores do meio ambiente.

No Brasil, “Aruanas” será lançada na plataforma de streaming da Globo, a Globoplay, no dia 2 de julho. O primeiro episódio será exibido no dia 3 de julho na TV Globo.

Mundo perde anualmente 24 bilhões de toneladas de terra fértil. Além disso, a degradação da qualidade do solo é responsável por uma redução do produto interno bruto (PIB) de até 8% ao ano. Foto: Lubo Minar/Unsplash/CC

Planeta perde 24 bilhões de toneladas de solo fértil todos os anos, alerta ONU

Em uma mensagem em vídeo divulgada para o Dia Mundial de Combate à Desertificação e à Seca, marcado nesta segunda-feira (17), o secretário-geral da ONU, António Guterres, alertou que o mundo perde anualmente 24 bilhões de toneladas de terra fértil.

Além disso, a degradação da qualidade do solo é responsável por uma redução do produto interno bruto (PIB) de até 8% ao ano.

“Desertificação, degradação da terra e seca são grandes ameaças que afetam milhões de pessoas em todo o mundo” – alertou Guterres – “particularmente mulheres e crianças”. Ele disse que é hora de mudar “urgentemente” essas tendências, acrescentando que proteger e restaurar a terra pode “reduzir a migração forçada, melhorar a segurança alimentar e estimular o crescimento econômico”, bem como ajudar a resolver a “emergência climática global”.

Projeto promove sustentabilidade no agroextrativismo de Marajó, no Pará. Foto: Bem Diverso

Em Marajó, PNUD difunde práticas sustentáveis de extração e manejo do açaí

Em Marajó, no Pará, os agroextrativistas estão aprendendo novas técnicas de manejo e coleta do açaí com o projeto Bem Diverso, do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). A iniciativa promove o uso sustentável dos recursos da biodiversidade brasileira.

A metodologia de manejo difundida permite aumentar em até três vezes a produção de frutos. Isso é possível por meio do estabelecimento de uma proporção adequada entre os açaizeiros e outras espécies da floresta amazônica numa mesma área.

Prêmio Jovens Campeões da Terra receberá votos do público para escolher vencedores. Foto: PEXELS

Brasileiros estão entre finalistas de premiação global sobre meio ambiente e empreendedorismo

Três brasileiros estão entre os cinco finalistas regionais da premiação Jovens Campeões da Terra, promovida pela ONU Meio Ambiente para viabilizar soluções inovadoras para problemas ambientais.

Os vencedores vão receber consultorias técnicas e uma verba de 15 mil dólares para tirar suas ideias do papel. Ganhadores serão anunciados em setembro durante evento das Nações Unidas em Nova Iorque.

Luis Alfonso de Alba, enviado especial da ONU para a Cúpula do Clima de 2019, durante reunião com empresários no Rio de Janeiro. Foto: UNIC Rio/Naiara Azevedo

Setor privado é essencial para mundo cumprir acordo climático, diz enviado especial

O setor privado brasileiro e global pode contribuir de maneira substancial para o cumprimento do Acordo de Paris para o clima, cujo principal objetivo é fortalecer a resposta mundial às mudanças climáticas ao manter a elevação de temperatura neste século abaixo do 1,5 grau Celsius.

A opinião é do enviado especial da ONU para a Cúpula do Clima de 2019, Luis Alfonso de Alba, que na quinta-feira (13) reuniu-se com empresários brasileiros no Rio de Janeiro (RJ) em um encontro articulado pela Rede Brasil do Pacto Global das Nações Unidas, braço no país da maior iniciativa de sustentabilidade corporativa do mundo.

“O setor privado a cada dia tem um papel mais claro, mais amplamente reconhecido por todos os atores, incluindo os governos, pela capacidade de inovação, pela capacidade que têm também de apoiar a transformação com recursos econômicos, e por uma série de ações coordenadas por setores que vão permitir uma transformação do modelo de desenvolvimento”, disse Alba em entrevista ao Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio).