Consumo e produção responsáveis

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número 12 diz: “Assegurar padrões de produção e de consumo sustentáveis”.

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número 12 diz: “Assegurar padrões de produção e de consumo sustentáveis”. As metas incluem reduzir pela metade o desperdício de alimentos per capita mundial; alcançar o manejo ambientalmente saudável dos produtos químicos e todos os resíduos; e reduzir substancialmente a geração de resíduos por meio da prevenção, redução, reciclagem e reuso; entre outros.

 

Mais sobre este ODS em https://nacoesunidas.org/pos2015/ods12 e notícias sobre o tema abaixo.

Espécie de lagarto encontrada na Reserva de Vida Silvestre Texiguat, em Honduras. Foto: Flickr (CC)/Joe Townsend

ONU mobiliza setor privado em prol da biodiversidade no México, América Central e República Dominicana

A ONU Meio Ambiente e a Aliança Meso-Americana pela Biodiversidade firmaram uma parceria neste mês (9) para mobilizar o setor privado em prol da conservação da natureza. Cooperação visa prevenir a perda de flora e fauna silvestres no México, Guatemala, Belize, República Dominicana, Honduras, El Salvador, Nicarágua, Costa Rica e Panamá. Países concentram 7% de toda a diversidade biológica do planeta.

Mudanças climáticas causadas pelos humanos podem ser irreversíveis. Foto: Banco Mundial/L. Aliu

Pacto Global divulga plataforma para o setor privado sobre adaptação às mudanças climáticas

Em evento que reuniu lideranças empresariais e gestores de sustentabilidade na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP), a Rede Brasil do Pacto Global da ONU apresentou neste mês (10) a Plataforma AdaptaClima. O projeto do Ministério do Meio Ambiente difunde informações sobre o combate às mudanças climáticas, conscientizando sobre riscos aos negócios e novas oportunidades produtivas.

Cidade do Panamá. Foto: Flickr (CC)/Matthew Straubmuller

ONU e União Europeia ajudam Panamá a adotar meios de transporte elétricos

A ONU Meio Ambiente, a União Europeia e o governo do Panamá lançaram neste mês (9) uma parceria para tornar mais verdes e sustentáveis os meios de transporte do país centro-americano. Projeto visa popularizar a mobilidade elétrica. Segundo estimativas das Nações Unidas, se a atual frota de ônibus e táxis da Cidade do Panamá fosse substituída por veículos elétricos, seria possível impedir a liberação de 8,5 milhões de toneladas de CO2 até 2030.

Hindou Ibrahim defende direito à migração dos povos indígenas que praticam o nomadismo. Foto: Associação para as Mulheres e Povos Indígenas do Chade

Sem acesso a recursos naturais, não temos uma identidade, afirma ativista indígena do Chade

“Se não pudermos acessar e proteger nossos recursos naturais e o meio ambiente, não temos uma identidade e não temos orgulho”. É assim que a ativista indígena Hindou Ibrahim, da etnia Mbororo, do Chade, descreve a privação de direitos, terras e modos de vida tradicionais, um problema que ameaça culturas e povos originários de diferentes partes do mundo.

Em entrevista à ONU Meio Ambiente, para o 9 de agosto, Dia Internacional dos Povos Indígenas, a militante defende o reconhecimento de práticas ancestrais, como a migração nômade.

Elefante na selva, em Gana. Foto: Banco Mundial/Arne Hoel

Chefe ambiental da ONU pede mais esforços contra mudanças climáticas e destruição da natureza

Em entrevista às Nações Unidas, o chefe da ONU Meio Ambiente, Erik Solheim, cobrou que países e setor privado acelerem esforços contra as mudanças climáticas e a perda de vida silvestre. Dirigente lembrou que 2017 foi o primeiro ano em que a energia solar gerou mais eletricidade do que o uso de petróleo, carvão e gás somados. Marco histórico deve estimular mudanças mais amplas rumo a modelos de crescimento econômico sustentáveis.

Cardume de peixes em Belize. Foto: Flickr (CC)/Alex Bennett

Mudanças climáticas ameaçam pesca e vida marinha na corrente de Humboldt, diz FAO

O aquecimento global ameaça a pesca no Chile, Equador e Peru, aponta um novo informe da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO). Divulgado nesta semana (5), o relatório mostra que a elevação da temperatura global põe em risco o ecossistema formado pela corrente marítima de Humboldt, responsável em grande medida por sustentar a atividade pesqueira nos três países sul-americanos.

Maria Helena Gomes de Souza (70), quebra o babaçu com suas companheiras. Foto: ISPN/Peter Caton

Projeto do PNUD completa 25 anos promovendo produção sustentável no cerrado e caatinga

Presente em mais de cem municípios de 15 estados brasileiros, o Programa de Pequenos Projetos Ecossociais (PPP-ECOS) colocou 950 mil hectares da caatinga e do cerrado sob manejo sustentável. Iniciativa promove técnicas agrícolas e extrativistas ambientalmente responsáveis. Dezesseis mil famílias já foram beneficiadas. Estratégia tem o apoio do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

Produção de plástico ameaça vida marinha. Foto: ONU/Saeed Rashid

ONU cobra que setor privado monitore políticas de produção sustentável

O enviado especial da ONU para os Oceanos, Peter Thomson, cobrou nesta semana (12) que políticas empresariais de sustentabilidade sejam monitoradas adequadamente. Durante o Fórum Político de Alto Nível da ONU, em Nova Iorque, o especialista defendeu que o setor privado abandone o paradigma do “crescimento pelo crescimento”. Exploração de recursos de países em desenvolvimento pelas economias ricas também foi alvo de críticas.

Foco de queimada no Brasil. Foto: Agência Brasil/Renato Araújo

CEPAL denuncia ‘falsa dicotomia’ entre proteção ambiental e desenvolvimento econômico

Na sede da ONU, em Nova Iorque, a chefe da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL), Alicia Bárcena, convocou os países da região a ratificar o novo acordo ambiental sobre informação, participação e justiça. Firmado em 4 de março, em Escazú, na Costa Rica, o documento vinculante foi elogiado pela dirigente por redefinir as relações entre Estado, mercado e sociedade.

Segundo os especialistas da ONU, cinco dos dez pesticidas mais vendidos no Brasil não são autorizados em diversos outros países devido a seus riscos à saúde humana ou ecossistemas. Foto: EBC

Mudanças na lei de agrotóxicos no Brasil violariam direitos humanos, afirmam relatores da ONU

Relatores das Nações Unidas enviaram no início de junho (13) um comunicado ao governo brasileiro manifestando preocupações com as propostas de mudança da lei de agrotóxicos no país. Os especialistas alertaram que, caso aprovadas, tais alterações violarão direitos humanos de trabalhadores rurais, comunidades locais e consumidores dos alimentos produzidos com a ajuda de pesticidas.

De acordo com os relatores, alguns pontos do projeto de lei revisam as regulações para registro de pesticidas e seu uso no Brasil com o objetivo de tornar as regras mais flexíveis, facilitando o registro e a propaganda desses produtos no país. Essas modificações podem enfraquecer a regulação e o controle de pesticidas perigosos no Brasil, maior consumidor e importador desses produtos no mundo.

Nova tampa do Starbucks promete acabar com uso de canudos, mas solução também é feita de plástico descartável. Foto: Starbucks

ARTIGO: Fim dos canudos verdes da Starbucks – a nova tampa é a melhor solução?

Em artigo sobre a decisão da Starbucks de banir seus canudos, a campanha Mares Limpos da ONU Meio Ambiente aponta que a alternativa da empresa — uma nova tampa para os copos — ainda é feita de plástico descartável e não tem um reuso viável. Segundo a iniciativa das Nações Unidas, é necessário continuar a pressão sobre grandes empresas para garantir soluções sustentáveis de produção e consumo.

Nesta edição do fórum, 47 países apresentarão seus relatórios nacionais voluntários sobre o processo de implementação e acompanhamento dos ODS. Foto: ONU

Fórum político sobre desenvolvimento sustentável começa na sede da ONU, em NY

Representantes de governos, sociedade civil e setor privado reúnem-se em Nova Iorque, na sede das Nações Unidas, até a semana que vem (18) para o Fórum Político de Alto Nível sobre Desenvolvimento Sustentável.

Nesta edição do Fórum, 47 países apresentarão seus relatórios nacionais voluntários sobre o processo de implementação e acompanhamento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). A delegação brasileira apresentará documento que indica os avanços nacionais no alcance da Agenda 2030. Representantes do governo também participarão de eventos paralelos, workshops para a elaboração de revisões voluntárias nacionais e acompanharão discussões sobre exemplos de implementação dos ODS.

Desmatamento é responsável por mais de 20% das emissões de gases do efeito estufa do mundo. Foto: Flickr(CC)/Leonardo F. Freitas

Desmatamento é 2ª maior causa das mudanças climáticas, revela FAO

As florestas são aliadas do homem no combate às mudanças climáticas, absorvendo por ano cerca de 2 bilhões de toneladas de CO2. Mas quando são desmatadas, as coberturas vegetais do planeta se transformam em motores do aquecimento global. Aproximadamente 20% das emissões de gases do efeito estufa são causadas pelo desmatamento. Em relatório divulgado neste mês (6), a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO) identifica um aumento na destruição das superfícies verdes do planeta.

Voluntária ajuda em coleta de plástico numa praia de Watamu, no Quênia. Foto:

O que as empresas estão fazendo para frear a torrente de plásticos?

Diante das consequências inegáveis da poluição por plásticos, pessoas de todo o mundo estão rejeitando os produtos descartáveis e se comprometendo com estilos de vida mais sustentáveis.

Os governos também estão atuando: mais de 50 países se uniram à campanha Mares Limpos da ONU Meio Ambiente, o maior movimento mundial de luta contra o lixo marinho.

As empresas não podem ignorar esse protesto público. Muitas indústrias estão elaborando planos para eliminar os plásticos de uso único, utilizar mais plástico reciclado em suas embalagens e trabalhar em uma reciclagem mais efetiva. O relato é da ONU Meio Ambiente.

Concurso global de vídeos sobre ação climática recebe inscrições até 31/8

Jovens de todo o mundo podem se inscrever até 31 de agosto na Competição Global de Vídeo da Juventude de 2018. A iniciativa, que está em sua quarta edição, tem como objetivo destacar, por meio de vídeos, a ação climática tomada pelos jovens.

Para participar da competição, é necessário ter entre 18 e 30 anos e enviar um vídeo de no máximo três minutos sobre “produção e consumo responsável” ou “empregos ecológicos e amigáveis ​​ao clima”.

Seminário aborda papel da cooperação internacional na promoção do desenvolvimento sustentável. Foto: IPC-IG/Júlia Matravolgyi

Especialista diz que busca por desenvolvimento sustentável não deve ser competição entre países

O Centro Internacional de Pesquisas para o Crescimento Inclusivo (IPC-IG) deu início na semana passada (29), em Brasília, a um ciclo de três seminários sobre cooperação internacional. Em evento de abertura, o representante do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), José Eduardo Malta Sá Brandão, defendeu as parcerias entre as nações para promover o desenvolvimento sustentável.

Largo dos Açorianos em Porto Alegre, Rio Grande do Sul. Foto: Flickr (CC)/Filipe Castilhos

Critérios de sustentabilidade da ONU Meio Ambiente orientam compra pública no Rio Grande do Sul

A Advocacia-Geral da União (AGU) do Rio Grande do Sul realizou sua primeira aquisição de papel utilizando os critérios de sustentabilidade do projeto Compras Públicas Sustentáveis e Rotulagem Ambiental (SPPEL, na sigla em inglês), uma iniciativa da ONU Meio Ambiente. É a primeira vez no Brasil em que as orientações das Nações Unidas foram utilizadas.

O edital, além de especificar as características do produto, também olhou para sua cadeia de valor, considerando o processo de produção, o manejo florestal da matéria-prima e as condições de trabalho dos funcionários.

Pesca na região amazônica. Foto: Agência Brasil/ Tomaz Silva

Projeto da UNESCO lança publicações sobre pesca sustentável no Norte e Nordeste

No Amapá, Maranhão e Pará, cerca de 10 mil famílias de quase 30 comunidades pesqueiras participam do Projeto Pesca Sustentável na Costa Amazônica (PeSCA). Nas próximas duas semanas, a iniciativa lança três publicações, uma para cada estado, sobre os contextos social, cultural, econômico e ambiental em que vivem os moradores. Pesquisas também analisam a cadeia de valor do caranguejo e de espécies de camarão.

Durante evento em Brasília, o ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Jorge de Lima, oficializou a adesão da pasta à Rede Brasil do Pacto Global. Foto: Rede Brasil do Pacto Global

Ministério da Indústria oficializa adesão à Rede Brasil do Pacto Global

O Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) é o primeiro órgão federal brasileiro a se comprometer com o Pacto Global para o alcance dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas.

Em evento na quarta-feira (20) em Brasília, o ministro Marcos Jorge de Lima oficializou a adesão da pasta à Rede Brasil do Pacto Global.

O ministério e a secretaria-executiva da iniciativa da ONU já contam com um plano de trabalho para prover mais serviços ao setor privado, a exemplo de oficinas de capacitação para pequenas e médias empresas sobre a implantação dos ODS.

Combater as mudanças climáticas e seus impactos é um dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável propostos para serem adotados em setembro. Foto: Flickr/Tobias Sieben (CC)

ONU pede mudança nos padrões de consumo para evitar seca e desertificação

Em mensagem para o Dia Mundial de Combate à Desertificação e à Seca, lembrado neste domingo (17), a diretora-geral da UNESCO, Audrey Azoulay, alertou que 120 mil quilômetros quadrados de terra se tornam inférteis todos os anos, por causa da desertificação. A área afetada por esse “desastre contínuo e silencioso”, segundo a dirigente, equivale a metade do território do Reino Unido. ONU faz apelo por mudanças na gestão dos solos e recursos naturais.

Secretário-geral da ONU, António Guterres, é cumprimentado por oficiais ao chegar ao Canadá para a cúpula do G7. Foto: G7 Canadá/Xavier Dachez

Enfrentamos emergência global nos oceanos, diz chefe da ONU na cúpula do G7

A menos que uma mudança ocorra, a quantidade de lixo plástico nos oceanos do mundo irá superar o número de peixes que vivem neles até 2050, disse o secretário-geral da ONU no sábado (9), declarando que o mundo enfrenta agora uma “emergência global” nos oceanos.

“Os fatos estão claros. Nossos oceanos estão uma bagunça”, disse António Guterres durante evento na cúpula do G7 — grupo composto por Alemanha, Japão, Canadá, Estados Unidos, França, Itália e Reino Unido — que ocorreu em Charlevoix, Canadá.

No aquário do Rio, ONU Meio Ambiente participa de ação pela redução do consumo de plásticos. Foto: UNIC Rio/Brenno Felix

No aquário do Rio, ONU Meio Ambiente participa de ação pela redução do consumo de plásticos

Na última quarta-feira (6), no AquaRio, no Rio de Janeiro, foram anunciados os resultados do Desafio Mares Limpos 2017 com os Escoteiros do Brasil, em que mais de 3 mil escoteiros receberam insígnias da campanha da ONU Meio Ambiente #MaresLimpos por terem reduzido seu consumo de plásticos descartáveis.

Também foram anunciadas as medidas de redução do plástico descartável nas operações do Grupo Cataratas nos parques nacionais da Tijuca (RJ), Foz do Iguaçu (PR) e Fernando de Noronha (PE).

Baleias-jubarte. Foto: Flickr (CC)/Christopher Michel

Em dia dos oceanos, ONU celebra compromisso para proteger 62% dos litorais contra poluição plástica

No Dia Mundial dos Oceanos, lembrado neste 8 de junho, o chefe da ONU Meio Ambiente, Erik Solheim, comemorou a adesão nesta semana de oito novos países à campanha Mares Limpos, iniciativa para proteger as águas salgadas do mundo contra a poluição plástica. Com isso, chegou a 51 o número de nações envolvidas com a estratégia das Nações Unidas, lançada em fevereiro de 2017. Juntos, países respondem por 62% de todas as costas do planeta.

Reserva de vida silvestre no condado de Kent, em Maryland, nos Estados Unidos. Na imagem, vê-se o rio Chester, um dos cursos d'água que desemboca na Baía de Chesapeake. Foto: Programa da Baía de Chesapeake/Will Parson

Relator e chefe ambiental da ONU cobram reconhecimento do direito humano a um planeta saudável

Formalização do direito em nível global poderia vir por meio de resolução da Assembleia Geral, afirmaram o relator das Nações Unidas John Knox e o chefe ambiental da ONU Erik Solheim, em pronunciamento para o 5 de junho, Dia Mundial do Meio Ambiente.

Especialistas lembraram papel fundamental dos ambientalistas na proteção da natureza, mas alertaram: por semana, em algum parte do mundo, em média quatro ativistas morrem por defender o planeta.

Moradores de Watamu, no Quênia, trabalham coletando plástico nas praias. Foto: ONU Meio Ambiente/Cyril Villemain

Mundo está sendo ‘inundado’ por lixo plástico, diz secretário-geral da ONU

O mundo deve se unir para “vencer a poluição por plástico”, disse o secretário-geral da ONU, António Guterres, em mensagem para o Dia Mundial do Meio Ambiente, lembrando que as partículas de microplástico hoje presentes no oceano “superam as estrelas de nossa galáxia”.

“Nosso mundo está sendo inundado por resíduos plásticos prejudiciais”, afirmou. “Todos os anos, mais de 8 milhões de toneladas acabam nos oceanos”.

Imagem: Pixabay

ONU Meio Ambiente e Sebrae lançam plataforma de ecoinovação para pequenos negócios

A ONU Meio Ambiente e o Sebrae, por meio do Centro Sebrae de Sustentabilidade (CSS), comemoram o Dia Mundial do Meio Ambiente, em 5 de junho, com o lançamento inédito no país do seu Portal de Ecoinovação — www.ecoinovacao.com.br. Plataforma reúne conteúdos interativos, como infográficos, publicações e vídeos, que auxiliam o empreendedor brasileiro a embarcar no movimento global da sustentabilidade corporativa.

Lewis Pugh, embaixador da Boa Vontade da ONU Meio Ambiente, percorre a nado o Mar Vermelho. Foto tirada na Reserva Marinha de Aqaba, na Jordânia. Foto: ONU Meio Ambiente

Na semana do meio ambiente, UNESCO lança tradução de publicação sobre ciências oceânicas

Na Universidade de São Paulo (USP), a UNESCO lança na próxima quinta-feira (8), Dia Mundial dos Oceanos, a tradução para o português do resumo executivo do Relatório Mundial sobre a Ciência Oceânica. Iniciativa marca a Semana Mundial do Meio Ambiente. Divulgação acontece em evento no Instituto de Estudos Avançados (IEA) do centro universitário.

Agência da ONU também promoverá debates no Rio de Janeiro e em Brasília. Na capital fluminense, organismo apoia limpeza de praia em Ipanema.

No início de maio (3), líderes comunitários e representantes de associações dos morros da Babilônia e do Chapéu Mangueira reuniram-se com funcionários das Nações Unidas. Foto: UNIC Rio

Oficiais da ONU reúnem-se com líderes comunitários no Rio para discutir desenvolvimento sustentável

No início de maio (3), líderes comunitários e representantes de associações dos morros da Babilônia e do Chapéu Mangueira — situados no bairro de Copacabana, no Rio de Janeiro — organizaram um encontro para promover o desenvolvimento sustentável nas próprias comunidades no marco da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.

O diretor do Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio) Maurizio Giuliano, e Lorenzo Casagrande, do Centro Mundial para o Desenvolvimento Sustentável (Centro Rio+), participaram do encontro, que também teve a presença do cônsul-geral da Bélgica, Jean-Paul Charlier.

Ciclistas em Brasília. Foto: Agência Senado/Jefferson Rudy

ONU Meio Ambiente ajuda Brasília a implementar plano de mobilidade urbana sustentável

Atualmente, 41% dos deslocamentos em Brasília são feitos com carro — é o índice mais alto de todo o Brasil. Mas a Política de Mobilidade Ativa do Distrito Federal promete mudar esse cenário, incentivando alternativas como o uso de bicicleta e caminhadas. Elaborada com o apoio da ONU Meio Ambiente, a estratégia visa democratizar o acesso aos centros urbanos, garantindo que ciclistas e pedestres possam percorrer a capital federal e outras cidades do DF com segurança.

Homem mostra ouriço de castanha-do-brasil na Floresta do Vale, reserva legal comunitária do assentamento Vale do Amanhecer, em Juruena (MT). Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

FAO promove consultas sobre estatísticas agroambientais na América Latina e Caribe

Tem início amanhã (29), em Brasília, uma consulta promovida pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) para discutir indicadores agroambientais na América Latina e Caribe. Com especialistas e gestores brasileiros, encontro abordará quais estatísticas podem ajudar a região a monitorar a implementação de recomendações da ONU sobre produção agrícola e sustentabilidade.