Cidades e comunidades sustentáveis

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número 11 diz: “Tornar as cidades e os assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis”.

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número 11 diz: “Tornar as cidades e os assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis”.

 

Mais sobre este ODS em https://nacoesunidas.org/pos2015/ods11 e notícias sobre o tema abaixo.

Venezuelanos vivendo em tendas em Roraima. Foto: ONU Meio Ambiente/Daniel Stothart

Falta de serviços para atender venezuelanos em Roraima tem impacto ambiental

Após viagem a Roraima, o oficial de assuntos humanitários da ONU Meio Ambiente, Daniel Stothart, alertou para as condições de vida precárias dos venezuelanos na capital, Boa Vista, e em outras cidades. Refugiados e migrantes enfrentam falta de banheiros adequados e de saneamento, o que tem impactos ambientais. Outros problemas incluem o aumento do lixo hospitalar e a derrubada de árvores para a preparação de alimentos.

Projeto Ciclo Orgânico já reciclou 260 toneladas de resíduos orgânicos em dois anos no Rio de Janeiro. Foto: UNIC Rio/Brenno Felix

Projeto já reciclou 260 toneladas de resíduos orgânicos em dois anos no Rio; vídeo

Ao perceber que muitas pessoas se incomodavam com o resíduo orgânico e buscavam uma solução para dar o destino correto na hora do descarte, idealizador do ‘Ciclo Orgânico’ começou a oferecer o serviço de coleta e compostagem desse material.

Só na cidade do Rio de Janeiro, o orgânico representa pouco mais da metade de todos os resíduos produzidos. Iniciativa amplia ação em prol de um dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas, mais especificamente o que busca assegurar padrões de produção e de consumo sustentáveis.

Confira nesse vídeo especial do Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio).

Menina toma água em assentamento de Kutupalong, em Cox’s Bazar, Bangladesh. Foto: OIM/Muse Mohammed

ARTIGO: Água e migração — implicações para formuladores de políticas públicas

Em artigo, especialistas da Organização Internacional para as Migrações (OIM) abordam o impacto da escassez de água nas migrações e as políticas públicas necessárias para abordar o tema em escala global.

“A falta de segurança hídrica aumenta significativamente o potencial de migração, principalmente devido a seu impacto no bem-estar e nos meios de subsistência”, disseram os especialistas. Leia o artigo completo.

Médica analisa exame para eventual diagnóstico de tuberculose. Foto: AGECOM/Carol Garcia

Em dia mundial, OMS convoca líderes das Américas a acabar com tuberculose até 2030

Os avanços para reduzir os casos de tuberculose na região das Américas têm sido significativos. No entanto, de acordo com a Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS), é necessária a mobilização de líderes de todos os setores para pôr fim a essa doença até 2030.

“É possível acabar com a tuberculose na região das Américas. Devemos abordar os fatores que levam a essa doença: desde as condições de vida, às dificuldades de acesso aos serviços de saúde”, afirmou Marcos Espinal, diretor do Departamento de Doenças Transmissíveis e Determinantes Ambientais de Saúde da OPAS/OMS. “Precisamos de líderes em cada um dos setores da sociedade que se comprometam e implementem ações para alcançar essa meta”.

Em uma competição acirrada, os participantes apresentaram novas formas de reutilização, redução do desperdício e uso racional da água. Foto: Reprodução

Projetos de gestão da água da chuva e descontaminação de embalagens vencem Camp de Ecoinovação

Após três dias de mentorias, articulações e mais de dez painéis e dinâmicas sobre negócios de impacto socioambiental, as dez ideias e dez startups do “Camp de Ecoinovação: Desafio Água” tiveram suas propostas aperfeiçoadas a partir de um novo olhar para os negócios com foco na sustentabilidade.

Em uma competição acirrada, os participantes apresentaram novas formas de reutilização, redução do desperdício e de uso racional da água, bem como ideias para melhorar o saneamento e a poluição, frente ao desafio de solucionar problemas hídricos nas cidades, indústrias e na agricultura.

O evento foi uma iniciativa da ONU Meio Ambiente em parceria com SEBRAE e apoio da organização Green Nation.

Foto: Rafael Zart/ Concurso de Fotos ODS/ PNUD Brasil

Em Brasília, ‘Planeta ODS’ discute impacto das desigualdades na saúde da população

Os impactos das desigualdades, do planejamento e da ocupação das cidades na vida e na saúde da população foi o tema de debate na terça-feira (20) no Planeta ODS, em Brasília (DF). Os palestrantes apresentaram e discutiram experiências e estudos de caso sobre o tema, que representa um dos eixos da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.

O Planeta ODS é palco de atividades transversais ao 8º Fórum Mundial da Água, que acontece até esta sexta-feira (23). Mesas de debate, exibição de filmes no formato fulldome (360°) e de curtas metragens abordaram o tema água e desenvolvimento.

Manguezal derrubado no Timor-Leste. Foto: ONU/Martine Perret

UNESCO lança relatório mundial sobre desenvolvimento dos recursos hídricos

As soluções baseadas na natureza podem ter um papel importante na melhoria do abastecimento e da qualidade da água e na redução do impacto dos desastres naturais, de acordo com a edição de 2018 do Relatório Mundial das Nações Unidas sobre Desenvolvimento dos Recursos Hídricos.

O estudo, que será apresentado nesta segunda-feira (19) por Audrey Azoulay, diretora-geral da UNESCO, e por Gilbert Houngbo, diretor do UN Water (ONU Água, em tradução livre) durante 8º Fórum Mundial da Água, em Brasília, defende que reservatórios, canais de irrigação e estações de tratamento de água não sejam os únicos instrumentos de gestão hídrica à nossa disposição.

A Reserva da Biosfera de Bia, em Gana, é uma das três reservas na África que se beneficiou do projeto ‘Economia Verde em Reservas da Biosfera: um meio para conservação da biodiversidade, redução da pobreza e desenvolvimento sustentável na África subsaariana’.

Com apoio da UNESCO, Gana preserva reserva florestal e apoia comunidades locais; vídeo

A Reserva da Biosfera de Bia, em Gana, é uma das três reservas na África que se beneficiou do projeto ‘Economia Verde em Reservas da Biosfera: um meio para conservação da biodiversidade, redução da pobreza e desenvolvimento sustentável na África subsaariana’.

O objetivo do projeto era diversificar a economia das comunidades que vivem nas Reservas da Biosfera e ao seu redor, a fim de reduzir a dependência excessiva de recursos florestais, como os produtos florestais não madeireiros. O objetivo final é melhorar o status socioeconômico das comunidades locais e conservar a biodiversidade.

O projeto é financiado pela Agência de Cooperação Internacional da Coreia do Sul (KOICA) e implementado pela UNESCO no âmbito do Programa O Homem e a Biosfera (MaB). Saiba mais nesse vídeo especial.

Vigília na sede da OEA, em Washington, nos Estados Unidos, pela ativista ambiental e líder indígena hondurenha Berta Cáceres, assassinada em 2016. Foto: CIDH/Daniel Cima

ONU convoca países e setor privado a acabar com violência contra ambientalistas

A ONU Meio Ambiente lançou nesta terça-feira (6), em Genebra, a Iniciativa para Direitos Ambientais das Nações Unidas, uma estratégia para combater em todo o mundo as ameaças, intimidações, assédio e assassinatos de ambientalistas. O projeto tem por objetivo esclarecer para o público o que são os direitos ambientais e como defendê-los. Com isso, o organismo internacional espera aproximar a sociedade da proteção da natureza.

Premiação da ONU Meio Ambiente seleciona jovens de 18 a 30 anos. Foto: PEXELS

ONU Meio Ambiente recebe inscrições para prêmio Jovens Campeões da Terra

A ONU Meio Ambiente convoca jovens de 18 a 30 anos a participar do prêmio Jovens Campeões da Terra, que reconhecerá soluções criativas para os problemas ambientais mais urgentes de nosso tempo.

Organizada em parceria com a Covestro, a competição escolherá sete vencedores, que receberão 15 mil dólares para implementar seus projetos. Ganhadores também terão treinamento personalizado e participarão de uma conferência de alto nível das Nações Unidas.

Prazo: 2 de abril; saiba os detalhes aqui.

Mudanças climáticas ameaçam a Amazônia e, consequentemente, disponibilidade de recursos hídricos para países da região. Foto: Flickr (CC) / Dams999

FAO: países já têm conhecimento para acabar com desmatamento, mas falta vontade política

Ao longo dos últimos 25 anos, a taxa global de desmatamento caiu mais de 50%, segundo a ONU. Para as Nações Unidas, redução prova que um futuro com zero destruição de florestas pode deixar de ser uma aspiração para virar realidade. Mas será necessário mais vontade política, alertou o organismo internacional nesta semana (20) em conferência da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), em Roma.

Garrafa de plástico descartada inadequadamente no entorno do Taj Mahal. Foto: Flickr (CC)/Tamas Bodi

Índia sediará celebrações do Dia Mundial do Meio Ambiente em 2018

A ONU Meio Ambiente e o governo da Índia anunciaram, nesta segunda-feira (19), que em 2018 o país asiático sediará as celebrações globais do Dia Mundial do Meio Ambiente, lembrado em 5 de junho. Com o tema “#AcabeComAPoluiçãoPlástica”, a data chama governos, setor privado, comunidades e indivíduos a reduzir a produção e o consumo excessivo de produtos plásticos descartáveis, que contaminam nossos oceanos, prejudicam a vida marinha e afetam a saúde humana.

Índice de desmatamento na América Latina e Caribe é segundo maior do mundo. Foto: Eduardo Santos / Flickr (CC)

Pesquisadores dizem que fundamentos do direito à terra no Brasil geram desmatamento e violência

Para os pesquisadores André Sant’Anna e Carlos Young, no Brasil, há uma tradição vinculando a reivindicação do direito à posse da terra ao estabelecimento de um uso produtivo para os territórios de interesse. Isso estimula o desmatamento, usado como ferramenta para a expansão da fronteira agrícola. O estudo foi publicado em periódico do Centro Internacional de Políticas para o Crescimento Inclusivo da ONU (IPC-IG).

Foto: Flickr/EMBARQ Brasil (CC)

ARTIGO: Como aumentar a concorrência no transporte de passageiros de ônibus urbano?

Em artigo, especialistas em transporte público do Banco Mundial afirmam que, muitas vezes, as concessões de ônibus nas cidades latino-americanas não cumprem suas promessas, havendo uma percepção de que as autoridades não conseguiram gerenciar esses processos para maximizar os benefícios públicos. Os especialistas listam princípios fundamentais para o sucesso das concessões de ônibus. Leia o artigo completo.

Em sintonia com a Agenda 2030 da ONU, projeto da UFRJ simplifica a construção de moradias, escolas e hospitais em locais que sofreram e que são vulneráveis a desastres naturais. Utilizando um sistema de mutirão composto por pessoas das localidades afetadas, o ‘Solução Habitacional Simples’ (SHS) utiliza recursos naturais disponíveis para desenvolver construções com baixo custo e impacto ambiental reduzido.

Projeto de haitianos e brasileiros auxilia construção de moradias em locais vulneráveis a desastres

Em sintonia com a Agenda 2030 da ONU, projeto da UFRJ simplifica a construção de moradias, escolas e hospitais em locais que sofreram e que são vulneráveis a desastres naturais.

Utilizando um sistema de mutirão composto por pessoas das localidades afetadas, o ‘Solução Habitacional Simples’ (SHS) utiliza recursos naturais disponíveis para desenvolver construções com baixo custo e impacto ambiental reduzido. Confira nessa matéria especial em vídeo.

Especialização lato sensu da ENAP aborda desafios da gestão pública local e trabalha implementação municipal dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas (ODS). Foto: Flickr (CC)/Ronaldo Lima Jr.

Com apoio do PNUD, especialização em gestão pública local recebe inscrições até 6 de fevereiro

Funcionários públicos municipais terão a oportunidade de se especializar para melhorar a gestão local e ampliar as ações de desenvolvimento sustentável em seus locais de atuação. A Escola Nacional de Administração Pública (ENAP) promove, com o apoio do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), um curso lato sensu, com bolsa e alojamento financiados. As inscrições podem ser feitas até 6 de fevereiro.

Mumbai à noite. Índia quer melhorar eficiência no consumo de energia para iluminação urbana e doméstica. Foto: Flickr (CC)/Ville Hyvönen

ONU e Índia apostam na iluminação de LED para diminuir emissões de gás carbônico

A Índia é o terceiro maior emissor de gases do efeito estufa, ficando atrás apenas dos Estados Unidos e da China. Um dos grandes vilões no país é a matriz energética pouco sustentável e ainda muito dependente do carvão. Cerca de 70% das emissões da nação vem do setor de energia.

Mas o gigante do Sul asiático tem empreendido esforços para reduzir sua pegada de carbono. Uma das frentes de atuação é o investimento em eficiência elétrica — o país quer ser o primeiro no mundo a suprir todas as suas necessidades de iluminação com o uso de LEDs.

Mulheres da comunidade Batwa em Gashikanwa, Burundi, cultivam o solo para plantar batatas. Foto: FAO

Mapa de agência da ONU mostra quantidade de reservas de carbono nos solos do mundo

Coincidindo com as celebrações do Dia Mundial do Solo, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) apresentou no início de dezembro (5) um mapa detalhado sobre as reservas de carbono nos solos do mundo.

Como sistema fundamental de armazenamento de carbono, a conservação e restauração dos solos são essenciais tanto para a sustentabilidade da agricultura como para a mitigação da mudança climática.

Mulher e criança carregam pertences em estrada destruída pela tempestade tropical Tembin no município de Munai, norte da ilha de Mindanao, nas Filipinas. Foto: ACNUR/J. Pangalian

ONU oferece apoio às Filipinas após passagem de tempestade tropical

Expressando suas condolências diante das mortes e da devastação causada pela passagem da tempestade tropical Tembin pelas Filipinas, o secretário-geral da ONU, António Guterres, disse no sábado (23) que a Organização está pronta para fornecer apoio ao país.

Ao menos 200 pessoas morreram e mais de 100 estão desaparecidas. Até o momento, os registros indicam que cerca de 268 mil pessoas foram afetadas pela tempestade, das quais 160 mil foram deslocadas. O desastre também danificou casas e a infraestrutura do país.

Porto, em Portugal. Foto: Flickr (CC)/Berit Watkin

Programa da ONU lança tradução em português de livro sobre financiamento de urbanização sustentável

Em parceria com instituições de pesquisa, o Programa das Nações Unidas para Assentamentos Humanos (ONU-Habitat) lançou a tradução para o português do livro “Por uma estratégia de cidade sustentável: expansão urbana planejada, quadro legal e financiamento autárquico”. Publicação aborda desafios que países ricos e pobres enfrentaram — e continuam enfrentando — para implementar melhorias na infraestrutura urbana. Volume está disponível gratuitamente em meio virtual.

Irmãos sentam em sofá do lado de fora de sua casa severamente destruída pelo furacão Irma nas Ilhas Turcas e Caicos. Foto: UNICEF/Moreno Gonzalez

UNICEF: milhares de crianças precisam de ajuda no Caribe, três meses após furacões

Três meses após dois furacões de categoria 5 provocarem destruição no Caribe, milhares de crianças na região ainda precisam de apoio, disse o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), na semana passada (13).

“Mesmo antes de os furacões atingirem a região, o UNICEF estava no terreno, trabalhando com governos e parceiros locais para preparar comunidades, fornecendo recursos humanitários para as áreas de maior risco”, disse Maria Cristina Perceval, diretora regional do UNICEF para a América Latina e o Caribe.

Concurso irá selecionar práticas, projetos, empreendimentos ou projetos de lei que promovam a habitação adequada como motor do desenvolvimento sustentável na América Latina e no Caribe. Foto: EBC

ONU-Habitat premia boas práticas de desenvolvimento urbano na América Latina e no Caribe

O Programa das Nações Unidas para Assentamentos Humanos (ONU-Habitat) co-organiza o concurso “Habitação no Centro da Nova Agenda Urbana”, que irá selecionar práticas, projetos, empreendimentos ou projetos de lei que promovam a habitação adequada como motor do desenvolvimento sustentável na América Latina e no Caribe.

As inscrições podem ser feitas até 1º de fevereiro. Podem participar organizações de setor público, privado, acadêmico, sociedade civil ou organismos multilaterais. Pessoas físicas também poderão apresentar práticas desenvolvidas em parceria com um desses setores.

Prédios já construídos devem passar por processos de recondicionamento, para adotar sistemas mais sustentáveis. Foto: PEXELS

Emissões de gás carbônico do setor de construção chegaram a 76 gigatoneladas em 2010-2016

O segmento de construção e edificações precisará melhorar em 30% sua eficiência energética até 2030 para manter o planeta na caminho rumo às metas do Acordo de Paris. É o que revela um novo relatório da ONU Meio Ambiente, divulgado pela Aliança Global do setor no início deste mês (11). Levantamento aponta que essa área produtiva responde por 39% das emissões de gás carbônico associadas ao consumo e à produção de energia.

Mercado em Buenaventura, no departamento de Valle del Cauca, Colômbia. Foto do arquivo de agosto de 2014. Crédito: ACNUR / Juan Arredondo

ONU e parceiros lançam edital para projetos em cidades médias de Argentina e Colômbia

O Programa das Nações Unidas para Assentamentos Humanos (ONU-Habitat) e parceiros lançaram o edital “Cidade+Mais: Convocação para o fortalecimento de projetos de finanças municipais e economia urbana”.

O Cidade+Mais tem como objetivo fortalecer as capacidades econômicas e financeiras de cidades médias de Argentina e Colômbia. O prazo de inscrição é 10 de junho para cidades colombianas e 20 de junho para cidades argentinas.

Três de cada quatro migrantes na América Latina e no Caribe tinham cidades como origem e destino. Foto: WikiCommons / Flickr (CC)/Alicia Nijdam

CEPAL destaca esgotamento da migração rural-urbana na América Latina e no Caribe

Três em cada quatro migrantes na América Latina e no Caribe tinham as cidades como origem e destino, segundo dados dos censos de 2010, proporção maior do que a registrada nos censos de 2000. Além disso, a média regional mostra que, apesar de ainda existirem alguns países onde a migração rural-urbana mantém predomínio e protagonismo, esta é menor e segue em retrocesso inexorável, segundo pesquisa publicada na edição de dezembro da Revista CEPAL.

O Brasil é um dos dez países em que mais ocorrem desastres naturais no mundo. Nas últimas duas décadas, foram registradas mais de 23 mil catástrofes naturais no país, sendo a estiagem e a seca as principais. Foto: ONU/Logan Abassi

Escritório da ONU para redução de risco de desastres realiza oficina em São Paulo

Escritório das Nações Unidas para a Redução do Risco de Desastres (UNISDR) promoveu no fim de novembro uma oficina em São Paulo sobre a formulação de planos de redução de risco de desastres no nível local.

O Marco de Sendai para a Redução do Risco de Desastres 2015-2020 inclui entre suas metas globais o aumento considerável do número de países com estratégias de redução de risco de desastres no nível nacional e local até 2020. A oficina, de 20 horas, respondeu ao chamado para fortalecer as capacidades locais e apoiar as ações para alcançar esta meta.