Erradicação da pobreza

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número 1 diz: “Acabar com a pobreza em todas as suas formas, em todos os lugares”.

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número 1 diz: “Acabar com a pobreza em todas as suas formas, em todos os lugares”.

 

Mais sobre este ODS em https://nacoesunidas.org/pos2015/ods1 e notícias sobre o tema abaixo.

Crianças no vilarejo de Shade Bara, na província de Herat, no Afeganistão. Foto: PNUD/S. Omer Sadaat

Jovens são metade da população global afetada pela pobreza, alerta relatório da ONU

Metade de todas as pessoas que vivem na pobreza no mundo tem menos de 18 anos, de acordo com estimativas de um novo relatório lançado nesta quinta-feira (20) por Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e parceiros.

Os novos números do Índice de Pobreza Multidimensional 2018 (MPI, na sigla em inglês) mostram que em 104 países de baixa e média renda, 662 milhões de crianças são consideradas pobres de acordo com múltiplos indicadores. Em 35 desses países, as crianças respondem por ao menos 50% do total.

Mulher busca água na Índia. Foto: UNICEF/Parelkar

Banco Mundial: pobreza extrema está diminuindo no mundo, mas a ritmo lento

O Banco Mundial anunciou na quarta-feira (19) que a extrema pobreza está diminuindo no mundo, mas a um ritmo cada vez mais lento.

De 1990 a 2015, o percentual de extrema pobreza passou de 36% para 10% da população mundial, com queda média de um ponto percentual ao ano. No período, mais de 1 bilhão de pessoas deixaram de viver abaixo da linha de pobreza extrema, com menos de 1,90 dólar ao dia.

No entanto, nos dois últimos anos desse intervalo, ou seja, de 2013 a 2015, a queda foi menos intensa. A análise do Banco Mundial indica que, se essa tendência se mantiver, será mais difícil erradicar a extrema pobreza até 2030.

Mulher indígena brasileira. Foto: Banco Mundial/Yosef Hadar

Nações Unidas alertam para violência contra povos indígenas mundialmente

O progresso que destrói culturas tradicionais, línguas, terras e patrimônio humano “não é desenvolvimento, mas destruição intencional”, disse a vice-alta-comissária da ONU para os direitos humanos nesta quarta-feira (19), em defesa dos povos indígenas em todos os lugares.

Os comentários de Kate Gilmore se seguiram aos da relatora especial da ONU para os povos indígenas, Victoria Tauli Corpuz, que manifestou preocupação com “o aumento dramático” dos ataques contra povos indígenas, e esforços no sentido de criminalizá-los.

Foto:Pixabay/kaboompics (cc)

CEPAL pede mais igualdade de gênero no acesso a serviços bancários

Para avançar rumo a sistemas financeiros inclusivos que contribuam para eliminar as desigualdades de gênero, é necessário contar com dados desagregados por sexo e assim romper com o silêncio estatístico que afeta as mulheres, disse na semana passada (10) a secretária-executiva da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL), Alicia Bárcena.

Segundo a chefe da CEPAL, as mulheres enfrentam barreiras para acessar o sistema financeiro e não gozam dos mesmos benefícios e direitos que os homens.

Para ela, as políticas macroeconômicas deveriam ser sensíveis às desigualdades de gênero, já que as mulheres acabam  amortecendo os choques econômicos nos períodos de crise, instabilidade ou recessão, principalmente através da sobrecarga de trabalho não remunerado.

Edifícios nos arredores de Wall Street. Foto: Michael Aston/Flickr (CC)

ARTIGO: Dez anos depois da quebra do Lehman Brothers — lições e desafios

Em artigo, a diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, afirma que as consequências da crise financeira de 2008 e seu pesado custo sobre as pessoas comuns estão entre os fatores-chave para explicar a atual reação contra a globalização — particularmente nas economias avançadas — e a erosão da confiança no governo e em outras instituições. Leia o artigo completo.

Vacina BCG, utilizada contra a tuberculose, é preparada em centro de saúde em Bougouni, no Mali, em março de 2018. Foto: UNICEF/Ilvy Njiokiktjien

Países não estão fazendo o suficiente para acabar com tuberculose, diz relatório da OMS

Os países não estão fazendo o suficiente para acabar com a tuberculose — a doença infecciosa mais letal do mundo — até 2030, alertou a Organização Mundial da Saúde (OMS) nesta terça-feira (18), ao lançar o mais recente relatório global sobre o tema.

O documento mostra que a disparidade geográfica é gritante, com 500 casos de tuberculose para cada 100 mil habitantes em países incluindo Moçambique, Filipinas e África do Sul; e menos de dez para cada 100 mil pessoas em países de alta renda.

Erradicar a pobreza é o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) número 1. Foto: ONU Habitat/Astrid Yanes

Países latino-americanos reafirmam compromisso de reduzir desigualdades na região

Dois vice-presidentes e cerca de 40 ministros de países latino-americanos e caribenhos se comprometeram na semana passada em encontro na Cidade do Panamá a tomar medidas concretas para reduzir as desigualdades estruturais que continuam impedindo que muitos participem das sociedades de forma significativa.

O 10º Fórum Ministerial para o Desenvolvimento na América Latina e no Caribe foi organizado pelo governo panamenho em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e a Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL).

No encontro, autoridades da região concordaram em ampliar os sistemas de proteção social universal; atuar e prestar especial atenção aos povos indígenas e populações afrodescendentes ao assumir o objetivo de “não deixar ninguém para trás”.

Luis López-Calva, novo diretor regional do PNUD para a América Latina e Caribe. Foto: PNUD

Economista mexicano assume direção de programa de desenvolvimento da ONU na América Latina

O economista mexicano Luis López-Calva assumiu neste mês (4) os cargos de administrador adjunto do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e diretor regional do organismo para a América Latina e o Caribe. Especialista traz para a agência quase 30 anos de experiência em instituições de cooperação internacional, como o Banco Mundial, e também de pesquisa acadêmica com foco em mercado de trabalho, pobreza e desigualdade.

Projeto visa contribuir para o desenvolvimento sustentável do setor algodoeiro na Bolívia. Foto: EBC

Agricultores da Bolívia visitam Brasil para conhecer produção sustentável de algodão

Uma delegação de agricultores da Bolívia concluiu na sexta-feira (31) uma visita ao Brasil, onde conheceram iniciativas bem-sucedidas de produção sustentável do algodão. A missão abordou políticas públicas para o setor, agroecologia, manufatura do algodão colorido e comercialização estatal.

Com a participação de oficiais e técnicos do governo boliviano, a viagem teve o apoio da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e da Agência Brasileira de Cooperação (ABC), do Ministério das Relações Exteriores.

Desde agosto de 2017, mais de 650 mil refugiados rohingya deixaram Mianmar rumo a Bangladesh em busca de segurança. Ali, vivem em condições precárias nos campos de refugiados superlotados e carecem de necessidades básicas. Foto: ACNUR/Roger Arnold

ARTIGO: Líderes comunitários fornecem a melhor esperança para um mundo conturbado

Em artigo publicado na revista The Economist, o alto-comissário da ONU para os direitos humanos em fim de mandato, Zeid Ra’ad Al Hussein, faz duras críticas à comunidade internacional e a políticos que, “desejosos de serem vistos como líderes viris”, prejudicam migrantes, refugiados e grupos mais vulneráveis da sociedade. Para Zeid, falta vontade sincera por parte dos Estados de trabalhar em conjunto, enquanto os sistemas internacionais para ação coletiva estão se decompondo.

Zeid, no entanto, elogia o trabalho de líderes comunitários e de movimentos sociais do mundo todo que, apesar das dificuldades e das constantes ameaças, estão dispostos a perder tudo — incluindo suas vidas — em defesa dos direitos humanos. Leia o artigo completo.

Projeto SOS Casa, vencedor nacional de 2017. Foto: Respostas para o Amanhã

Prêmio Respostas para o Amanhã divulga vencedores regionais de sua quinta edição

A fabricante de eletrônicos Samsung divulgou na quinta-feira (30) a lista com os 25 vencedores regionais da quinta edição do Prêmio Respostas para o Amanhã, que tem a parceria da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO).

O programa tem como objetivo selecionar projetos desenvolvidos em conjunto por professores e alunos da rede pública do Ensino Médio, com o intuito de integrar os conhecimentos de disciplinas como Ciências da Natureza e/ou Matemática para resolver problemas da comunidade em que vivem.

O projeto brasileiro “Rio Rural – Desenvolvimento Rural Sustentável em Microbacias Hidrográficas do Estado do Rio de Janeiro” é um dos 12 vencedores de concurso da FAO. Foto: FAO

Brasil é um dos vencedores de prêmio de desenvolvimento rural sustentável na América Latina

O projeto brasileiro “Rio Rural – Desenvolvimento Rural Sustentável em Microbacias Hidrográficas do Estado do Rio de Janeiro” é um dos 12 vencedores do concurso de iniciativas inovadoras e escalonáveis para o desenvolvimento rural sustentável, realizado pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

O Rio Rural, único projeto brasileiro entre os vencedores, tem foco na qualidade de vida no campo. A iniciativa carioca busca a conciliação do aumento da renda do produtor rural com a conservação e o uso sustentável dos recursos naturais, desenvolvendo estratégias de ação com as comunidades que vivem nas microbacias hidrográficas e espaços geográficos delimitados pela rede hídrica (nascentes, córregos, rios, aquíferos).

Foto: PNUD/Guilherme Larsen

Projeto promove desenvolvimento sustentável em comunidades de baixa renda do DF

Promover a disseminação do desenvolvimento sustentável por meio de ações com comunidades de baixa renda do Distrito Federal é a proposta do “Na Praia Social”, iniciativa que reúne crianças, adolescentes, adultos e pessoas portadoras de deficiência em um parque temático montado anualmente na orla do Lago Paranoá, em Brasília (DF).

Com a ação, o evento fortalece a promoção dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e garante a inclusão social de diferentes grupos locais às atividades. O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) apoia a iniciativa.

O ministro do Desenvolvimento Social, Alberto Beltrame. Foto: FAO

Brasil e FAO elaboram projeto de cooperação internacional de combate à fome e desnutrição

O ministro do Desenvolvimento Social, Alberto Beltrame, anunciou na quarta-feira (29) em Santiago, no Chile, que o governo brasileiro e a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) estão trabalhando na criação de um novo projeto de cooperação trilateral Sul-Sul com os países da América do Sul, focado em sistemas alimentares, combate à obesidade, fome e desnutrição.

O ministro explicou que o novo projeto deve refletir os compromissos assumidos pelos países no âmbito dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, especialmente o ODS 1 (erradicação da pobreza) e o ODS 2 (fome zero).

À luz dos 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, o encontro debateu os avanços dessa agenda ao longo da história. Foto: Pacto Global da ONU

Debate em SP discute relação entre objetivos globais, setor privado e direitos humanos

A relação entre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), o setor privado e os direitos humanos foi tema de painel da Virada Sustentável, promovido pela Rede Brasil do Pacto Global, na sexta-feira (24), em São Paulo.

À luz dos 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, o encontro debateu os avanços dessa agenda ao longo da história, projetando os desafios até 2030, prazo estipulado para o alcance dos ODS.

Entre os aspectos pouco difundidos sobre a declaração, foi destacada pelos palestrantes a importância do desenvolvimento econômico e da erradicação da pobreza como premissa para o cumprimento dos direitos humanos.

Foto: Globo/Estevam Avellar

Edição de 2018 do Criança Esperança arrecada R$ 17,7 milhões

A 33ª campanha do Criança Esperança chegou ao fim no domingo (26), arrecadando um total de 17,7 milhões de reais. Esse valor beneficiará 90 projetos sociais por todo o Brasil, possibilitando que milhares de crianças e jovens tenham suas vidas transformadas. As doações por telefone foram encerradas durante o programa Fantástico, da Rede Globo, após mais um dia de Mesão da Esperança. As colaborações, com valores a partir de 1 real, continuam abertas pelo site durante todo o ano.

O Criança Esperança é uma das principais iniciativas de responsabilidade social da Rede Globo. A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) é responsável pela aplicação dos recursos arrecadados.

Foto: PNUD Brasil

Fundo de População da ONU destaca aspectos positivos do envelhecimento populacional para o país

A dinâmica populacional brasileira traz oportunidades e desafios socioeconômicos. Diante da expectativa de que, em 21 anos, o país dobre seu contingente de pessoas com mais de 65 anos, é necessário discutir o perfil de suas políticas públicas para esse cenário.

Jaime Nadal, representante do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) no Brasil, lembrou durante evento em Brasília na semana passada (19) que, apesar de o envelhecimento populacional ser frequentemente associado aos custos previdenciário e com saúde, é preciso reconhecer e potencializar seus aspectos positivos.

“É necessário compreender que o envelhecimento é o resultado de avanços significativos no desenvolvimento e nas condições de vida dos países. As oportunidades que a demografia apresenta são infindáveis quanto às contribuições de uma população idosa economicamente ativa”, disse.

Funcionários do ACNUR entregam assistência humanitária para venezuelanos em Roraima. Foto: ACNU/Reynesson Damasceno

Com apoio de ONU e governo federal, municípios gaúchos receberão venezuelanos vindos de Roraima

Com o apoio da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e do governo federal, municípios gaúchos e entidades da sociedade civil irão promover a interiorização de cerca de 600 venezuelanos de Roraima para o Rio Grande do Sul. A ação humanitária ocorrerá entre 6 e 18 de setembro, e os migrantes e solicitantes de refúgio serão transportados em voos da Força Aérea Brasileira (FAB).

Na sexta feira (24), o Ministério do Desenvolvimento Social assinou com as prefeituras das cidades gaúchas de Esteio e Canoas termos de compromisso para repasses de 1,5 milhão de reais do governo federal. Os municípios estão localizados na região metropolitana de Porto Alegre, capital do estado.

Vista aérea de Teerã. Foto: Hansueli Krapf/Wikimedia Commons (CC)

Sanções dos EUA ao Irã são injustas e prejudicarão pessoas inocentes, diz especialista da ONU

As sanções contra determinado país devem ser justas e não levar ao sofrimento de pessoas inocentes, disse na quarta-feira (22) o relator especial das Nações Unidas para o impacto negativo de medidas coercitivas unilaterais para a garantia dos direitos humanos, Idriss Jazairy.

“A reimposição de sanções contra o Irã após a retirada unilateral dos Estados Unidos do acordo nuclear com o país, que havia sido unanimemente adotado pelo Conselho de Segurança com o apoio dos próprios EUA, mostra a ilegitimidade desta ação”, disse Jazairy.

Agricultores familiares e comunidades rurais na América Central estão altamente vulneráveis à seca e outros eventos climáticos extremos. Foto: PMA/Francisco Fion

Seca na América Central gera perdas e ameaça segurança alimentar de 2 milhões de pessoas

A seca recente levou à perda de cerca de 280 mil hectares de feijão e milho em Guatemala, El Salvador e Honduras, afetando potencialmente a situação alimentar e nutricional de mais de 2 milhões de pessoas, alertaram duas agências das Nações Unidas nesta sexta-feira (24).

A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e o Programa Mundial de Alimentos (PMA) estão preocupados com o fato de que os meses de junho e julho registraram menos chuvas que o esperado e clima mais seco que a média, o que afetou a primeira e principal safra na América Central.

Iniciativa busca desenvolver capacidades de trabalhadores rurais para aumentar e qualificar sua produção (agrícola e não agrícola). Foto: Programa Semear

FIDA promove evento em Recife sobre comercialização de produtos da agricultura familiar

Foi divulgada na segunda-feira (20), em Recife (PE), a programação do primeiro intercâmbio de estratégia em acesso a mercado, que reúne técnicos de projetos apoiados pelo Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) no Brasil. O evento formará novos assessores em acesso a mercado que auxiliarão agricultores familiares de várias partes do país a comercializarem seus produtos.

Até a sexta-feira (24), cerca de 30 técnicos dos projetos do FIDA no Brasil participarão de uma série de oficinas e visitarão comunidades rurais do interior do estado que trabalham com algum tipo de comercialização, além de empresas que recebem estes produtos para comercializar, a exemplo das redes varejistas Walmart e Grupo Pão de Açúcar, que receberão os técnicos de intercâmbio em seus centros de distribuição em Recife.

Projeto Paulo Freire tem o objetivo de contribuir para a redução da pobreza rural em municípios do semiárido do Ceará. Foto: EBC

Fundo da ONU inicia supervisão de projeto de desenvolvimento agrícola no Ceará

O secretário de Desenvolvimento Agrário do Ceará, Francisco Diniz, recebeu nesta semana a missão do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA), que em colaboração com o governo do estado fará a supervisão do Projeto Paulo Freire (PPF) no estado do Ceará.

A iniciativa é uma parceria entre o FIDA e o governo do estado, que através da Secretaria de Desenvolvimento Agrário (SDA) atua em 600 comunidades em situação de pobreza e extrema pobreza no semiárido cearense de modo a fortalecer e desenvolver a agricultura familiar.

UNICEF convoca candidatos a colocar infância e adolescência no centro da agenda eleitoral

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) pede que os candidatos e as candidatas à Presidência da República e aos governos dos estados e do Distrito Federal coloquem os direitos e o bem-estar das crianças e dos adolescentes no centro das suas agendas eleitorais.

“Nas últimas décadas, o Brasil atingiu conquistas importantes para suas crianças e adolescentes”, disse Florence Bauer, representante do UNICEF no Brasil.

“Porém, muitos deles ficaram excluídos do progresso. Nos próximos quatro anos, mais que manter os avanços, é preciso ir além e desenvolver políticas públicas que reduzam as desigualdades e providenciem para crianças e adolescentes mais oportunidades de desenvolver seu potencial.”

Confira nessa reportagem especial em vídeo.

Criança e avó no interior do Rio Grande do Norte. Foto: Mariana Ceratti/Banco Mundial

UNICEF: 6 em cada 10 crianças e adolescentes brasileiros vivem na pobreza

Estudo lançado pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) nesta terça-feira (14) mostrou que 61% das crianças e dos adolescentes brasileiros são afetados pela pobreza, em suas múltiplas dimensões.

De acordo com o levantamento, a pobreza na infância e na adolescência vai além da renda, sendo necessário observar o conjunto de privações de direitos a que meninas e meninos são submetidos. O estudo analisou o acesso a educação, informação, proteção contra o trabalho infantil, moradia, água e saneamento.

Erradicação da pobreza é o Objetivo do Desenvolvimento Sustentável (ODS) número 1. Foto: EBC

Conferência regional em Lima discute formas de combater a desigualdade e pôr fim à pobreza

A terceira reunião da Conferência Regional sobre População e Desenvolvimento da América Latina e do Caribe ocorre até quinta-feira (9) em Lima, no Peru, com um renovado compromisso dos países com a implementação do Consenso de Montevidéu, assim como o chamado a intensificar o combate à desigualdade e o impulso à erradicação da pobreza.

Durante o encontro, organizado pela CEPAL e pelo governo do Peru, com o apoio do UNFPA, os países da região apresentarão relatórios voluntários sobre o avanço nacional na implementação do Consenso de Montevidéu.

Seminário discutiu políticas públicas e projetos para habitação de interesse social e urbanização dos espaços urbanos das cidades do estado de Alagoas. Foto: EBC

ONU-Habitat promove seminário em Maceió sobre habitação de interesse social

O Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos (ONU-HABITAT) realizou no fim de julho (25), em parceria com o Governo de Alagoas, evento em Maceió (AL) sobre políticas públicas e projetos para habitação de interesse social e urbanização dos espaços urbanos das cidades do estado.

O “Seminário Assistência Técnica em Habitação de Interesse Social: Desafios e Estratégias para Acesso à Moradia Adequada em Alagoas” foi realizado por intermédio da Secretaria de Estado da Infraestrutura (SEINFRA) e do Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Alagoas (CAU-AL).

De acordo com o último relatório publicado por FAO e OPAS, a fome aumentou na América Latina e no Caribe pela primeira vez em mais de duas décadas. Foto: EBC

FAO lança concurso de cartazes para Dia Mundial da Alimentação 2018

Em comemoração ao Dia Mundial da Alimentação, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) convoca crianças e adolescentes do mundo inteiro a expressar, em forma de desenho, como o mundo pode alcançar a meta de erradicar a fome até 2030.

O concurso tem o objetivo de propor a criação de um cartaz para a campanha mundial Fome Zero e, por meio desta atividade, conscientizar a nova geração para o fato de que existem 815 milhões de pessoas passando fome no mundo. Além delas, 1,9 milhão estão acima do peso.

Os participantes devem ter entre 5 a 19 anos. Os desenhos podem ser fotografados ou escaneados e enviados pelo site do concurso após preenchimento de cadastro. As inscrições vão até 9 de novembro.

FIDA discute conceder um novo financiamento de 50 milhões de dólares ao governo do Ceará. O acordo possibilitará a ampliação do número de comunidades atendidas pelo Projeto Paulo Freire. Foto: FIDA

Novo gerente de fundo da ONU debate ampliação de projeto de fomento produtivo no Ceará

O Fundo Internacional de Desenvolvimento da Agricultura (FIDA) das Nações Unidas foi recebido no fim de julho (26) pelo secretário de Desenvolvimento Agrário do estado do Ceará, Francisco de Assis Diniz. Na ocasião, foram realizadas visitas de campo à segunda etapa do Projeto Dom Helder Câmara nos municípios de Sobral e Madalena, assim como a apresentação do novo gerente de programas do FIDA para o Brasil, Klaus Reiner, ao secretário estadual.

Atualmente, o FIDA discute conceder um novo financiamento de 50 milhões de dólares ao governo do Ceará. O acordo possibilitará a ampliação do número de comunidades atendidas pelo Projeto Paulo Freire nos mesmos territórios em que atua no estado. O programa de fomento produtivo visa erradicar a pobreza em 600 comunidades rurais de 31 municípios.

Projeto Dom Helder Câmara visa melhorar condições de vida de agricultores familiares do semiárido brasileiro. Foto: SEAD

Fundo da ONU destaca avanços em projeto de desenvolvimento do semiárido brasileiro

Representantes da Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (SEAD) receberam na quinta-feira (2) em Brasília (DF) oficiais do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) das Nações Unidas para revisão de meio termo do Projeto Dom Helder Câmara, que visa melhorar condições de vida de agricultores familiares do semiárido brasileiro.

O projeto cobre o semiárido de 11 estados (todos estados do nordeste, além de Minas Gerais e Espírito Santo) incluindo 913 municípios.

Os relatores lembraram que dados oficiais publicados recentemente mostraram uma elevação da taxa de mortalidade infantil no Brasil pela primeira vez em 26 anos. Foto: EBC

Brasil precisa colocar direitos humanos à frente da austeridade fiscal, dizem relatores da ONU

Um grupo de especialistas em direitos humanos das Nações Unidas pediu nesta sexta-feira (3) que o Brasil reconsidere seu programa de austeridade fiscal e coloque os direitos humanos de sua população, que está sofrendo duras consequências, no centro de suas políticas econômicas.

“Pessoas vivendo na pobreza e outros grupos marginalizados estão sofrendo desproporcionalmente como resultado de medidas econômicas restritivas em um país que já foi considerado exemplo de políticas progressistas para reduzir a pobreza e promover a inclusão social”, disseram os especialistas.

A Colômbia será um dos primeiros países onde as três agências das Nações Unidas com sede em Roma coordenarão seus planos de ação. Foto: FIDA

Agências da ONU com sede em Roma ampliam colaboração na América Latina e no Caribe

Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) e Programa Mundial de Alimentos (PMA) — as três agências das Nações Unidas com sede em Roma — estão preparando planos de trabalho conjunto para Haiti, Guatemala e Colômbia que incluem a erradicação da pobreza e da fome, a promoção do desenvolvimento rural e agrícola e a prevenção e gestão de desastres naturais.

A cobertura contributiva é notoriamente maior na região do Cone Sul (incluindo o Brasil), onde chega a 58,6%, em comparação com os países andinos, onde atingiu 31,4%, ou com a América Central e o México, onde alcançou 31,2%. Foto: Abr/Marcello Casal

Mais da metade dos trabalhadores na América Latina não contribui para a seguridade social

Mais da metade dos trabalhadores e trabalhadoras na América Latina não contribui para um sistema de seguridade social para enfrentar doenças, desemprego e riscos associados à velhice, afirma novo relatório da Organização Internacional do Trabalho (OIT), apresentado esta semana no México. O estudo destaca a necessidade de ações vigorosas para acabar com as lacunas de cobertura existentes atualmente, assim como as que surgirão no futuro.

“Estamos falando de 145 milhões de trabalhadores que não fazem contribuições numa região onde a população está envelhecendo, o que pode afetar seu futuro e o de suas famílias”, afirmou o diretor regional da OIT para a América Latina e o Caribe, José Manuel Salazar-Xirinachs.

Professora do DF debate igualdade de gênero nas escolas com obras escritas por mulheres

No Dia Internacional da Mulher Negra, Latino-Americana e Caribenha, lembrado em 25 de julho, o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) homenageia a professora do Distrito Federal Gina Vieira, que tem se destacado pelo ensino da igualdade de gênero nas escolas a partir de obras escritas por mulheres.

A homenagem faz parte da ação digital “Destaque Laranja”, uma iniciativa do Sistema ONU no Brasil em reconhecimento a pessoas, cidades, escolas, universidades, empresas e outras instituições com atuação relevante para a prevenção e eliminação da violência contra as mulheres e meninas no país. Leia a entrevista.

Porto de Salvador, na Bahia. Foto: Banco Mundial/Mariana Ceratti

Comércio global está ameaçado por medidas unilaterais, diz oficial da ONU

Apesar de uma melhora do cenário econômico, as perspectivas globais enfrentam riscos crescentes, na opinião do chefe de assuntos econômicos e sociais das Nações Unidas, que manifestou na quinta-feira (19) preocupação com medidas unilaterais que estão desafiando o sistema multilateral de comércio.

“São necessários esforços para revitalizar uma parceria global para o desenvolvimento sustentável a fim de construir um sistema comercial multilateral universal, baseado em regras, aberto, não discriminatório e equitativo”, disse Liu Zhenmin, subsecretário-geral para Assuntos Econômicos e Sociais da ONU.