Erradicação da pobreza

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número 1 diz: “Acabar com a pobreza em todas as suas formas, em todos os lugares”.

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número 1 diz: “Acabar com a pobreza em todas as suas formas, em todos os lugares”.

 

Mais sobre este ODS em https://nacoesunidas.org/pos2015/ods1 e notícias sobre o tema abaixo.

Complexo da Maré, no Rio de Janeiro. Foto: Agência Brasil/Tomaz Silva

UNESCO e parceiros lançam na segunda (11) índice de vulnerabilidade juvenil à violência

A Secretaria Nacional de Juventude da Presidência da República e a representação no Brasil da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), com apoio técnico do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, lançam na segunda-feira (11) o Índice de Vulnerabilidade Juvenil à Violência 2017.

O estudo é lançado por ocasião do Dia dos Direitos Humanos, celebrado em 10 de dezembro, e no âmbito da Campanha Vidas Negras das Nações Unidas pelo fim da violência contra jovens negros.

A atriz Taís Araújo participa da campanha #VidasNegras, que busca sensibilizar a sociedade pelo fim da violência contra a juventude negra no Brasil. Foto: Reprodução

Campanha Vidas Negras da ONU Brasil tem ampla repercussão nas redes sociais

Desde o lançamento no início de novembro, mês da Consciência Negra, a campanha Vidas Negras passou a ser um dos motes do debate sobre desigualdades raciais nas redes sociais. Os quatro vídeos produzidos pela iniciativa da ONU Brasil provocaram uma série de conversas sobre o tema.

As peças abordam diferentes impactos do racismo na experiência da juventude negra no Brasil, com a participação de Taís Araújo, Érico Brás, Kênia Maria, Elisa Lucinda e o grupo Dream Team do Passinho. Todo o material audiovisual da campanha fala da necessidade de superar o racismo para garantir igualdade, inclusive no direito à vida.

Joel Luiz Costa abordou a dificuldade de acessar um direito fundamental para superar a violência em comunidades pobres no Brasil: a educação. Foto: UNFPA/Agnes Cruz

ONU apresenta no Congresso campanha pelo fim da violência contra juventude negra

Deputados, religiosos, representantes da sociedade civil e do Sistema Judiciário participaram na quarta-feira (6) no Congresso Nacional em Brasília (DF) do lançamento da Frente Parlamentar pela Prevenção da Violência e Redução de Homicídios. A iniciativa já congrega quase 200 parlamentares de pelo menos 25 partidos, e tem como objetivo debater caminhos alternativos às propostas centradas unicamente em medidas repressivas e punitivas.

Falando em nome da ONU Brasil e da campanha Vidas Negras, Jaime Nadal, representante do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), enfatizou a distribuição desigual dos homicídios no país, o que aparece como conseqüência radical das desigualdades raciais.

Governo brasileiro e agências da ONU discutem cooperação trilateral do Brasil com outros países em desenvolvimento. Foto: ABC

ONU defende cooperação para difundir iniciativas ‘fantásticas’ do Brasil no combate à fome

Em evento paralelo à Expo Global de Desenvolvimento Sul-sul, em Antália, na Turquia, representantes da ONU e do Brasil reuniram-se neste mês (1º) para analisar as atuais práticas de cooperação trilateral do país latino-americano. Nação adota modelo de assistência que mobiliza organismos internacionais e Estados-membros. Para a ONU, experiências brasileiras de combate à fome são “fantásticas” e precisam ser compartilhadas.

Bandeira da ONU na sede em Nova Iorque. Foto: ONU/Mark Garten

PNUD lança em Nova Iorque plano estratégico de desenvolvimento para 2018-2021

O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) lançou na sexta-feira (1) em Nova Iorque seu plano estratégico para o período 2018-2021, ancorado na Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável e comprometido com os princípios de universalidade, igualdade e de não deixar ninguém para trás.

A estratégia tem como objetivo apoiar os países a atingir o desenvolvimento sustentável ao erradicar a pobreza em todas as suas formas e dimensões, acelerar transformações estruturais e construir resiliência para enfrentar crises e choques.

Quase 80% da população brasileira que depende do SUS se autodeclara negra. Foto: UNFPA Brasil/Solange Souza

Quase 80% da população brasileira que depende do SUS se autodeclara negra

Estudos e estatísticas oficiais de saúde apontam que as mulheres negras com idade entre 10 a 49 anos são bastante afetadas por mortes maternas provocadas por causas evitáveis como hipertensão, hemorragia e infecção puerperal. As mortes na primeira semana de vida também são mais frequentes entre crianças negras quando comparadas às brancas.

Além disso, quase 80% da população brasileira que depende do Sistema Único de Saúde (SUS) se autodeclara negra. Diante desse contexto, o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) participou nesta semana (4 e 5) de uma oficina promovida pelo Ministério da Saúde para monitoramento e implementação da Política Nacional de Saúde da População Negra.

Oficina em manejo de açaizais de várzea promovida pelo projeto Bem Diverso em Afuá, Ilha do Marajó (PA). Foto: Projeto Bem Diverso.

PNUD e parceiros promovem em Brasília evento sobre uso sustentável da biodiversidade

O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e parceiros realizam a partir desta terça-feira (5) em Brasília (DF) evento para discutir conservação ambiental, boas práticas de extrativismo sustentável de plantas e a influência da biodiversidade na gastronomia.

O Encontro Anual do Projeto Bem Diverso ocorre até quinta-feira (7) e reunirá populações tradicionais e especialistas para a troca de conhecimentos, experiências e informações. O projeto é resultado de uma parceria entre Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA), PNUD e Fundo Global de Meio Ambiente (GEF).

Produtor rural no semiárido. Foto: EBC

Delegação moçambicana visita comunidades agrícolas apoiadas pelo FIDA no semiárido nordestino

Uma delegação moçambicana composta por técnicos, gestores e secretários de Estado iniciou no domingo (3) uma visita a oito comunidades rurais brasileiras no semiárido nordestino atendidas por projetos apoiados pelo Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola no Brasil (FIDA).

O 1º Intercâmbio da Cooperação Sul-Sul em Agricultura Familiar – Brasil e Moçambique é promovido pelo Programa Semear Internacional, iniciativa do FIDA que promove o desenvolvimento sustentável e equitativo das zonas semiáridas do Nordeste brasileiro.

Relançamento da Natal Sem Fome lembra ativismo de Betinho contra a miséria. Imagem: Divulgação/Ação da Cidadania

Artistas brasileiros apoiam divulgação de Campanha Natal Sem Fome

Mais de 60 artistas brasileiros, entre eles Chico Buarque, Caetano Veloso, Daniela Mercury e Carlinhos Brown, participam este ano da divulgação da Campanha Natal Sem Fome, iniciativa da ONG Ação da Cidadania, fundada em 1993 pelo sociólogo Hebert de Souza (Betinho).

A campanha conta com parceria da representação no Brasil da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) e da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

Anastasia Chairet, de sete anos, atravessa uma ponte improvisada após a passagem do furacão Irma pelas ilhas Turks e Cacos, no Caribe. Foto: UNICEF/Manuel Moreno Gonzalez

Desastres naturais podem levar população latino-americana à pobreza, diz Banco Mundial

No Caribe, pelo menos um país por ano é atingido por um ciclone ou furacão. Quando considerados todos os terremotos do mundo, mais de 25% deles com magnitude 8.0 ou maior ocorrem no oeste da América do Sul. Os números detalham um cenário mais amplo e alarmante — de 1970 a 2014, a incidência de desastres naturais na América Latina triplicou. Fenômenos extremos, segundo relatório do Banco Mundial divulgado nesta semana (29), podem levar a aumento da pobreza.

Ronda (direita) não tem casa e lava suas roupas na unidade de proteção de civis da ONU em Wau, Sudão do Sul. Foto: UNICEF/Ohanesian (arquivo)

OIT: mais da metade da população global não está coberta por nenhum tipo de proteção social

Relatório divulgado pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) mostrou que mais da metade da população mundial, ou quase 4 bilhões de pessoas, não está coberta por nenhum tipo de proteção social.

Em entrevista à ONU News, o diretor do escritório da agência em Nova Iorque, Vinícius Pinheiro, explicou os principais pontos do relatório. “De fato, na Agenda 2030, há uma meta de proteção social para todos, que é a meta 1.3. O que o relatório mostra é que nós estamos muito longe de alcançar essa meta”, declarou.

Contraste entre as desigualdades no município do Rio de Janeiro. Foto: Luiz Gonçalves Martins - ODS 10

CEPAL pede mudança no modelo de desenvolvimento em vigor na América Latina e no Caribe

Em discurso de encerramento em colóquio internacional no México, a secretária-executiva da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL), Alicia Bárcena, pediu que os países da região mudem o estilo de desenvolvimento em vigor e transitem para um desenvolvimento sustentável com foco na igualdade.

“Temos que mudar profundamente o estilo de desenvolvimento, o capitalismo não funciona. Precisamos rumar para um futuro que efetivamente reconheça o mercado, mas um mercado que esteja a serviço da sociedade e não uma sociedade a serviço do mercado”, disse a secretária-executiva da CEPAL.

Na América Latina e Caribe, existem 16,5 milhões de fazendas de agricultura familiar. Foto: FAO

Apoio a agricultores familiares é fundamental na luta contra a fome, diz FAO

A luta contra a fome alcançou hoje um “ponto de inflexão”, e apoiar os agricultores familiares é fundamental para o sucesso, disse na segunda-feira (29) o diretor-geral da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), o brasileiro José Graziano da Silva, em discurso a parlamentares britânicos.

É um paradoxo o fato de os agricultores familiares — que produzem a maior parte dos alimentos no mundo — serem os mais ameaçados pela insegurança alimentar, disse Graziano.

Para erradicar a pobreza e a fome até 2030, há uma necessidade urgente de canalizar esforços globais para onde os problemas “acontecem mais profundamente no mundo”, disse o presidente do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA), Kanayo F. Nwanze. Em outubro, a ONU marcou o Dia Internacional das Mulheres Rurais (15) e o Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza (17). De acordo com Nwanze, o mundo precisa investir na população rural pobre, bem como estimular a agricultura familiar para que ela se torne parte importante do sistema produtivo. Confira neste vídeo

FAO conclui campanha de promoção dos direitos das mulheres rurais no Brasil

“Eu sou uma Maria quarqué, uma dessas muié que vive na roça que viaja de carroça, de cavalo ou a pé”.

Assim escreve Gracivan da Silva Santos Pereira, poeta natural de Xinguara (PA), uma das vencedoras do Concurso Vozes, Imagens, Histórias e Experiências das Mulheres Rurais do Brasil, promovido pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO).

O concurso fez parte da campanha “#Mulheres Rurais, mulheres com direito”, lançada em março e concluída agora pela agência da ONU.

Estabilidade da concentração de renda no topo da pirâmide brasileira é preocupante porque os níveis são muitos altos comparados a padrões internacionais, segundo pesquisadores. Foto: EBC/José Cruz

Concentração de renda manteve-se estável no Brasil na última década, diz centro da ONU

Artigo publicado pelo Centro Internacional de Políticas para o Crescimento Inclusivo (IPC-IG), instituição vinculada às Nações Unidas, mostrou que a concentração de renda no topo da pirâmide brasileira é maior do que se imaginava e não mudou entre 2006 e 2014.

De acordo com o artigo, enquanto as pesquisas domiciliares sugerem que a participação do 1% mais rico na renda total brasileira teria caído de 14,8% para 12,9% de 2006 a 2014, as estimativas baseadas em declarações de Imposto de Renda indicam que essa participação manteve-se alta e estável — em 22,4%, tanto no início como no fim desse período.

O Brasil lidera a lista de concentração de renda entre os 29 países analisados pelo levantamento, seguido por Estados Unidos, Colômbia, África do Sul e Argentina.

Pessoas usam máscara de proteção contra a tuberculose. Foto: IRIN/David Gough

Mais de 70 países prometem tomar medidas urgentes para acabar com tuberculose até 2030

Setenta e cinco ministros concordaram na semana passada (17) em tomar medidas urgentes para erradicar a tuberculose até 2030. O anúncio foi feito na primeira Conferência Ministerial Mundial da Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre o tema, que reuniu delegados de 114 países em Moscou, na Rússia.

“Este dia marca um ponto crítico na luta para acabar com a tuberculose”, disse o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Ghebreyesus. “Indica um compromisso mundial já muito atrasado para deter a morte e o sofrimento causado por essa antiga assassina”.

Foto: PMA/Arssalan Serra

Centro da ONU celebra Dia Africano de Segurança Alimentar e Nutricional na Costa do Marfim

No Dia Africano de Segurança Alimentar e Nutricional, celebrado durante evento na semana passada (18) na Costa do Marfim, o diretor do Centro de Excelência contra a Fome, Daniel Balaban, lembrou o importante papel do Programa Mundial de Alimentos (PMA) e dos governos para eliminar a fome e a desnutrição no continente.

“Estamos com mais pressão do que nunca para superar esses desafios rapidamente e atingir o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da Fome Zero”, disse.

Desemprego entre jovens no Brasil tem maior taxa em 27 anos, diz OIT. Foto: EBC

OIT: desemprego entre jovens brasileiros deve atingir 30% em 2017, maior taxa desde 1991

A região da América Latina e Caribe deve registrar o maior aumento das taxas de desemprego entre jovens no mundo, segundo relatório divulgado na segunda-feira (20) pela Organização Internacional do Trabalho (OIT).

As perspectivas regionais são negativamente afetadas pelo fraco desempenho econômico do Brasil, onde a taxa de desemprego entre jovens deve atingir 30%, o maior índice desde 1991, segundo o documento “Tendências Globais de Emprego para a Juventude 2017”.

Projetos de Argentina e El Salvador concorrem ao Prêmio de Tecnologia Social na categoria internacional. Foto: Fundação Banco do Brasil.

ONU apoia premiação que reconhece soluções para desafios sociais na América Latina

Com o apoio de agências das Nações Unidas, a Fundação Banco do Brasil promove nesta quinta-feira (23) a entrega do Prêmio de Tecnologia Social, um dos principais do terceiro setor. A premiação tem como objetivo identificar e reconhecer soluções para desafios sociais, e este ano incluiu uma categoria para projetos desenvolvidos na América Latina.

Realizado a cada dois anos, o prêmio tem a cooperação da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) no Brasil e o apoio de Banco Mundial, Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), entre outros parceiros.

O coordenador-residente do Sistema ONU no Brasil, Niky Fabiancic (centro), recebe o presidente do Fida, Gilbert F. Houngbo (direita), em café da manhã em Brasília (DF). Foto: PNUD

Presidente de fundo agrícola da ONU é recebido com café da manhã em Brasília (DF)

O coordenador-residente do Sistema ONU no Brasil, Niky Fabiancic, recebeu na segunda-feira (20) o presidente do Fundo Internacional para Desenvolvimento Agrícola das Nações Unidas (FIDA), Gilbert F. Houngbo, em café da manhã na Casa da ONU em Brasília (DF).

Houngbo está na capital brasileira para a conferência internacional “Cooperação Triangular e Sul-Sul — Impulsionando Inovações do Sul Global para Apoio à Transformação Rural”, que tem por objetivo identificar soluções inovadoras para aumento da produção e da produtividade agrícola.

Na Somalilândia, o desemprego entre jovens é um dos maiores no mundo, entre 60% e 70%. Foto: IRIN / Adrian Leversby

Jovens representam mais de 35% dos desempregados do mundo, alerta OIT

A juventude representa mais de 35% da população desempregada em todo o mundo, segundo relatório lançado nesta segunda-feira (20) pela Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Apesar de o número estimado de 70,9 milhões de jovens desempregados este ano representar uma melhora frente ao auge da crise em 2009, a OIT estima que esse volume deve aumentar em mais 200 mil em 2018, atingindo um total de 71,1 milhões.

ONU Mulheres divulga novos dados de pesquisa sobre violência contra as mulheres no Nordeste. Foto: Mídia Ninja

ONU Mulheres divulga na quinta (23) estudo sobre violência de gênero no Nordeste

A ONU Mulheres divulgará na quinta-feira (23) estudo inédito sobre violência baseada em gênero no Nordeste brasileiro, detalhando situação de vulnerabilidade racial e socioeconômica das vítimas.

O estudo é realizado por Universidade Federal do Ceará, Instituto para Estudos Avançados de Toulouse e Instituto Maria da Penha, em cooperação com a Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres, com apoio do Instituto Avon. A divulgação é feita em parceria com a ONU Mulheres Brasil.

Alicia Bárcena e Noam Chomsky. Foto: CEPAL

CEPAL cita necessidade de novo modelo de desenvolvimento em fórum com Noam Chomsky

A América Latina e o Caribe precisam avançar rumo a um novo paradigma de desenvolvimento baseado na igualdade e na sustentabilidade ambiental como motor do crescimento. O atual modelo, o capitalismo, não funciona.

As declarações foram feitas na quarta-feira (15) pela secretária-executiva da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL), Alícia Bárcena, durante fórum realizado na Cidade do México ao lado de personalidades como o linguista e filósofo Noam Chomsky.

Agricultores no Níger. Foto: FIDA/David Rose

Alemanha doará € 20 mi para ajudar agricultores familiares a enfrentar mudanças climáticas

Em meios às atividades 23ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP23), em Bonn, o governo da Alemanha anunciou na quarta-feira (15) que doará 20 milhões de euros para o Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA). Montante será investido pela agência da ONU em projetos para ajudar agricultores familiares de países em desenvolvimento a se adaptar às transformações do clima.

Uso indiscriminado de antibióticos na pecuária pode favorecer desenvolvimento de resistência de bactérias e micróbios a medicamentos. Foto: Departamento dos Estados Unidos para Agricultura / Ryan Thompson

FAO: produção agrícola responde por pelo menos 20% das emissões de gases do efeito estufa

Em pronunciamento na 23ª Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas, a COP23, o diretor-geral da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), José Graziano da Silva, alertou que as transformações do clima poderão arrastar milhões de pessoas para um ciclo vicioso de pobreza e má nutrição. Dirigente cobrou adoção de padrões mais sustentáveis na produção agrícola.

Uma avô cuida da neta em Moçambique. Foto: ONU

Organismos da ONU planejam projeto de conscientização sobre saúde em Moçambique

Para melhorar a nutrição das crianças de Moçambique, o Programa Mundial de Alimentos (PMA) resolveu apostar na comunicação. A agência da ONU criará comitês locais de saúde em 90 comunidades da província de Manica, onde atividades divulgarão informações que podem melhorar o bem-estar da população. O organismo também investirá na sensibilização por meio de transmissões em rádios locais. Público alcançado pelas ações deve chegar a quase 424 mil moçambicanos.

Com um funcionamento diário de 15 horas, cada estação móvel pode produzir até 75 mil litros de água tratada por dia. Foto: Governo do Ceará

Governo do Ceará disponibiliza estações móveis de tratamento d´água para projeto da ONU no meio rural

Três estações móveis de tratamento de água foram disponibilizadas neste mês pelo governo do Ceará para o Projeto Paulo Freire, iniciativa do Executivo estadual em parceria com o Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) para combater a pobreza no meio rural. Equipamentos foram financiados pela agência da ONU e abastecerão cisternas instaladas nas comunidades beneficiadas pelo programa. Sistemas de purificação podem produzir até 75 mil litros de água limpa por dia.

Laís Abramo, diretora da Divisão de Desenvolvimento Social da CEPAL,. participou da reunião no Rio. Foto: UNIC Rio/Pedro Andrade

Nações Unidas discutem abordagem policial e racismo no Brasil

Jovens negros brasileiros são frequentemente vítimas de ações abusivas das forças policiais que, de maneira seletiva, prendem, fazem buscas pessoais e operações de vigilância que geram taxas desproporcionais de aprisionamento dessa população.

Pensando nesse problema, o Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH) promoveu esta semana (8 e 9) no Rio de Janeiro uma reunião sobre o chamado “racial profiling”, ou “perfilamento racial”.

ONU apoia integração e inclusão laboral de indígenas venezuelanos em Roraima

A partir desta sexta-feira (3), o Centro de Atendimento ao Turista da Orla Taumanan em Boa Vista (RR) terá um espaço permanente para exposição e venda de artesanato do povo indígena Warao. A inauguração do espaço será celebrada pela exposição “Warao – Gente da Água, Em Movimento”, que reúne fotografias, desenhos e grafismos, e ficará em exibição até 3 de dezembro.

A iniciativa é parte de uma parceria da Universidade Federal de Roraima (UFRR) com Agência da ONU para os Refugiados (ACNUR), Organização Internacional para as Migrações (OIM), Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), entre outros parceiros.

O processo de urbanização na América Latina e no Caribe melhorou os indicadores de desenvolvimento, no entanto, as cidades ainda são espaços de desigualdades, segundo a CEPAL. Foto: ONU-Habitat/Lucille Kanzawa

CEPAL: cidades ainda são marcadas por acesso desigual a serviços públicos

O processo de urbanização na América Latina e no Caribe melhorou os indicadores de desenvolvimento, no entanto, as cidades ainda são espaços de desigualdades, com um acesso díspar a serviços públicos de qualidade e altos níveis de segregação residencial socioeconômica, afirma nova publicação da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL).

“A segregação socioeconômica — a expressão da desigualdade — aprofunda e reproduz essa desigualdade e contribui para a fragmentação social e os altos níveis de violência que existem em muitas cidades na América Latina”, afirma Alicia Bárcena, secretária-executiva da CEPAL, no prólogo do documento.

Leguminosas são fontes de nutrientes e podem ajudar no combate à fome. Foto: pixabay

Livro da FAO e parceiros resgata receitas culinárias tradicionais da região Sul do Brasil

A Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO) e parceiros foram buscar no Sul do Brasil saborosas receitas com leguminosas que venceram o tempo e foram transmitidas de geração em geração, de boca em boca ou manuscritas e que aproveitam o que de melhor a terra produz.

Tudo isso para elaborar a publicação de 100 páginas intitulada “Leguminosas, Receitas Culinárias do Sul do Brasil”. O livro reúne 83 receitas com objetivo de preservar os saberes tradicionais, valorizar a gastronomia repassada de geração em geração e incentivar a conexão com a produção de alimentos saudáveis, sobretudo da agricultura familiar.

Foto: Fora do Eixo (CC)

Homicídio de jovens no Brasil é parte de uma série de violações de direitos, diz agência da ONU

A cada 23 minutos, um jovem negro é assassinado no Brasil. Segundo dados do Ministério da Saúde, das 60 mil pessoas assassinadas por ano no país, 67,9% têm entre 15 e 19 anos e, destes, 71,5% são negros e negras. Entre a população jovem negra assassinada, 93,4% são do sexo masculino.

Para o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), os homicídios são a ponta do iceberg de uma série de violações de direitos da juventude. “É necessário fortalecer trajetórias e investir em juventude, incluindo uma vida sem discriminação e violência, sem racismo, com o devido acesso à Justiça, à educação de qualidade, à saúde e ao emprego digno”, afirmou Anna Cunha, oficial de programa da agência da ONU.

Colheita de milho em Sertão Santana (RS). Foto: Pedro Revillion/Palácio Piratini/CC

ONU: agricultura latino-americana e caribenha precisa ampliar produtividade de forma inclusiva

O principal desafio para o futuro da agricultura e da vida rural na região da América Latina e do Caribe é melhorar a produtividade agrícola de maneira sustentável. Além disso, é preciso assegurar que os benefícios econômicos sejam distribuídos de maneira equitativa entre os habitantes dos territórios rurais.

Essa é a conclusão do livro “Perspectivas da Agricultura e do Desenvolvimento Rural nas Américas”, lançado por Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA) e Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL).

Essa é a mensagem de um grupo de agricultores e camponeses de Kasama, na Zâmbia – um país sem litoral na África Austral –, sobre um investimento único. Eles mostram o quão importante é o investimento na agricultura familiar, e como isso pode significar a redução da pobreza na África e a alimentação de um planeta com fome.

VÍDEO: Agricultores familiares têm uma importante mensagem para o mundo

Essa é a mensagem de um grupo de agricultores e camponeses de Kasama, na Zâmbia – um país sem litoral na África Austral –, sobre um investimento único.

Eles mostram o quão importante é o investimento na agricultura familiar, e como isso pode significar a redução da pobreza na África e a alimentação de um planeta com fome. Detalhes neste vídeo do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola da ONU, o FIDA.