Arquivo da tag: Infância & Adolescência

Confira neste espaço todas as informações sobre o tema.

Kiara, de cinco anos, trabalha como vendedora num transporte público em Buenos Aires, Argentina. Foto: UNICEF/Sebastian Rich

Chefe de direitos humanos diz que o mundo está longe de garantir futuro melhor para as crianças

Alguns países estão longe de dar um futuro melhor para as crianças, que continuam morrendo precocemente ou são vítimas de pobreza, tráfico ou escravidão, afirmou nesta segunda-feira (14) a alta-comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Michelle Bachelet.

Em discurso de abertura da 80ª Sessão do Comitê sobre os Direitos da Criança – que revisa os históricos das nações de acordo com a Convenção sobre os Direitos da Criança –, Bachelet destacou que 2019 marca os 30 anos da adoção do documento.

A queniana Purity Soinato Oiyie escapou de uma mutilação genital e do casamento infantil quando tinha apenas 10 anos. Hoje, ela sonha em abrir uma escola para meninas em sua comunidade, Maasai. Foto: ONU Mulheres

Seis coisas que aprendemos com a luta das mulheres em 2018

O ano de 2018 foi marcado pela resistência das mulheres. Do lançamento do fundo de amparo jurídico #TimesUp para combater o assédio sexual nos locais de trabalho nos Estados Unidos, ao prêmio Nobel da Paz entregue àqueles que combatem o uso da violência sexual como arma de guerra, o ano passado teve como tema central a defesa dos direitos das mulheres. Ativistas da igualdade de gênero do mundo todo estão levantando suas vozes para denunciar a desigualdade e unir as comunidades por um futuro melhor para todas a todos.

Com o encerramento de 2018, a ONU Mulheres lembrou histórias de algumas das ativistas que se levantaram contra injustiças, desafiaram estereótipos e inspiraram a todos. Leia a reportagem completa.

Quando sua amiga ficou grávida inesperadamente, ainda bem jovem, Azlifa buscou um jeito de compartilhar informações sobre saúde sexual e reprodutiva com outros jovens. Foto: UNFPA Maldivas/Tatiana Almeida

Ativista quebra tabus sobre planejamento familiar nas Maldivas

Azlifa tinha 11 anos quando sua amiga teve de deixar a escola por ter engravidado. O fato marcou sua juventude e impulsionou seu ativismo em prol da divulgação de informações sobre saúde sexual e reprodutiva.

Nas Maldivas, o sexo fora do casamento é criminalizado, e o acesso ao planejamento familiar acaba ficando restrito a pessoas casadas. Azlifa teve de dar um Google na palavra “menstruação” quando ouviu pela primeira vez. O relato é do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA).

Favorecer o acesso e a adaptação de jovens refugiados no ambiente escolar é uma importante diretriz do ACNUR, dialogando com as políticas públicas implementadas pela Secretaria Estadual de Educação de São Paulo. Foto: ACNUR/Gabo Morales

SP lança documentos para orientar acolhimento de alunos refugiados e migrantes

Integrar alunos refugiados e migrantes nas escolas estaduais é uma das responsabilidades da Secretaria de Estado da Educação de São Paulo. Além de culturas e tradições diferentes, as crianças e adolescentes de fora do país dão maior pluralidade à rede de ensino.

A pasta desenvolveu documentos para nortear o atendimento desses estudantes dentro das unidades escolares. Lançados em 2018, os materiais contribuem para auxiliar as escolas desde o momento da matrícula até o acolhimento em sala de aula.

“O ACNUR, Agência da ONU para Refugiados, reconhece a importância da produção destes materiais para facilitar o ingresso e adaptação de crianças e jovens refugiados ao contexto escolar, sendo a escola um espaço fundamental de aprendizados e sociabilidades para o desenvolvimento humano integral”, afirma Maria Beatriz Nogueira, chefe do escritório do ACNUR em São Paulo.

Centro em Almaty, no Cazaquistão, oferece assistência a crianças vítimas de tráfico humano. Foto: UNICEF/Pirozzi

Crianças são quase um terço das vítimas de tráfico humano no mundo, diz ONU

Um novo relatório da ONU revelou nesta segunda-feira (7) que o tráfico de pessoas está avançando no mundo, com a exploração sexual das vítimas sendo a principal causa por trás do fenômeno. Segundo o levantamento, que analisou dados de 142 países, as crianças representam 30% de todos os indivíduos traficados, com o número de meninas afetadas sendo bem maior que o de meninos. Em 2016, em torno de 25 mil pessoas foram traficadas no planeta.

Crianças no vilarejo de Shade Bara, na província de Herat, no Afeganistão. Foto: PNUD/S. Omer Sadaat

OMS: Paquistão e Afeganistão são últimos bastiões do poliovírus selvagem

Há 30 anos, o poliovírus selvagem causava paralisia em mais de 350 mil crianças de pelo menos 125 países, a cada ano. Em 2018, foram notificados menos de 30 casos em apenas dois países – Afeganistão e Paquistão – e o mundo está prestes a alcançar, pela segunda vez na história, a erradicação global de uma doença humana.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) e os parceiros da Iniciativa Global de Erradicação da Pólio se comprometem a apoiar plenamente os governos do Afeganistão e do Paquistão para combater a pólio em seus últimos redutos e se livrar dessa doença debilitante de uma vez por todas.

A erradicação da poliomielite requer alta cobertura de imunização no mundo, para bloquear a transmissão desse vírus extremamente contagioso. Infelizmente, as crianças ainda estão perdendo a vacinação por várias razões, inclusive por falta de infraestrutura, insegurança e resistência à vacinação, locais remotos, movimento populacional e conflito.

Migrantes que atravessavam o Mar Mediterrâneo são resgatados por navio belga. Foto: Frontex/Francesco Malavolta

Agência da ONU pede que países ajudem 49 refugiados presos no Mar Mediterrâneo

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) pediu no último dia de 2018 para Estados-membros da ONU fornecerem locais seguros para desembarque de 49 refugiados e migrantes, incluindo crianças pequenas, a bordo de embarcações de resgate no mar Mediterrâneo.

Um navio de uma organização não governamental chamado The Sea Watch 3 tem 32 pessoas a bordo desde 22 de dezembro, enquanto outras 17 foram resgatadas pelo Sea Eye em 29 de dezembro.

A perigosa jornada pelo Mediterrâneo é feita por milhares de pessoas que tentam chegar à Europa em busca de uma vida melhor.

Menino de nove meses pesando 3 kg é tratado por desnutrição em hospital de Sanaa. Foto: OCHA/ Charlotte Cans

Nações Unidas denunciam desvio de ajuda humanitária no Iêmen

Após descobrir evidências de que entregas de alimentos estão sendo desviadas em Sanaa, capital do Iêmen controlada pelos rebeldes houthis, e em outras partes do país, o Programa Mundial de Alimentos (PMA) das Nações Unidas exigiu o fim imediato desta prática.

“Esta conduta equivale a roubar comida da boca das pessoas mais famintas”, disse o diretor-executivo do PMA, David Beasley, na segunda-feira (31).

A inspeção descobriu fraude em ao menos uma organização parceira local afiliada ao Ministério da Educação em Sanaa e que administrava e distribuía a assistência alimentar do PMA.

Crianças se abrigam em casa em meio ao fogo cruzado em cidade síria afetada pelo conflito. Foto: UNICEF/Romenzi

Mais de 4 milhões de crianças sírias só conhecem a guerra, diz UNICEF

Metade das crianças da Síria, em torno de 4 milhões, cresceu conhecendo apenas uma vida de violência, conforme o país entra em seu oitavo ano de conflito, informou em dezembro (13) o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF).

“Toda criança de oito anos na Síria está crescendo em meio a perigo, destruição e morte”, explicou a diretora-executiva da agência, Henrietta Fore, após uma visita de cinco dias ao país.

Crianças venezuelanas cantam músicas tradicionais de seu país. Foto: ACNUR/Allana Ferreira

Crianças venezuelanas participam de coral em abrigos de Boa Vista

Na semana que antecedeu o Natal, os Canarinhos da Amazônia, coral formado por 50 crianças e adolescentes venezuelanos, se apresentaram em seis dos dez abrigos de Boa Vista que acolhem refugiados e migrantes em situação de vulnerabilidade.

A Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) apoia os Canarinhos da Amazônia desde 2017, quando estabeleceu seu escritório em Boa Vista para responder mais adequadamente ao fluxo de venezuelanos na região.

Desde julho de 2018, o ACNUR e o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) têm aportado recursos adicionais no projeto em parceria com a União Europeia, por meio do seu Instrumento de Contribuição para a Estabilidade e a Paz (IcSP, da sigla em inglês).

Bebê recém-nascido no Quirguistão. Foto: UNICEF/Voronin

UNICEF: quase 400 mil bebês nasceram em todo mundo no 1º dia de 2019

No Brasil, a previsão da agência da ONU era de aproximadamente 7,8 mil nascimentos para o 1º de janeiro. O UNICEF também divulgou uma lista com os nomes mais populares para os recém-nascidos.

Entre os novos brasileirinhos, está previsto um número considerável de Helenas e Alices, além de Bernardos e Miguéis. Arthur, Sophia, Lorenzo, Heitor, Valentina e Isabella também estão entre os nomes preferidos pelas mães e pais da Virada.

Parceria da OPAS com governo do Maranhão contribui para diminuir casos de mortalidade materna e neonatal. Foto: OPAS

ONU ajuda Maranhão a reduzir mortes maternas

O ano de 2018 se encerrou com uma conquista para as mães e gestantes do Maranhão. A Regional de Saúde de Balsas, área que engloba 13 cidades do sul do estado, alcançou na sexta-feira passada a marca histórica de zero morte materna nos últimos 365 dias. O avanço é fruto do trabalho conjunto da Secretaria estadual de Saúde e das pastas municipais com a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) e o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS).

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) alertou que as crianças na República Centro-Africana estão enfrentando uma emergência negligenciada. Segundo a agência da ONU, duas em cada três crianças no país precisam de ajuda humanitária. Em um relatório divulgado no final de novembro (30), o UNICEF informou que 1,5 milhão de crianças precisam de assistência humanitária, um aumento de 300 mil desde 2016. Mais de 43 mil crianças menores de cinco anos devem enfrentar um risco extremamente elevado de morte por desnutrição aguda severa em 2019. Além disso, o relatório constatou que uma em cada quatro crianças é deslocada ou refugiada. Milhares também estão presas em atividades de grupos armados e milhares estão sujeitas à violência sexual.

UNICEF: 1,5 milhão de crianças na República Centro-Africana precisam de ajuda humanitária

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) alertou que as crianças na República Centro-Africana estão enfrentando uma emergência negligenciada. Segundo a agência da ONU, duas em cada três crianças no país precisam de ajuda humanitária.

Em um relatório divulgado no final de novembro (30), o UNICEF informou que 1,5 milhão de crianças precisam de assistência humanitária, um aumento de 300 mil desde 2016. Mais de 43 mil crianças menores de cinco anos devem enfrentar um risco extremamente elevado de morte por desnutrição aguda severa em 2019.

Além disso, o relatório constatou que uma em cada quatro crianças é deslocada ou refugiada. Milhares também estão presas em atividades de grupos armados e milhares estão sujeitas à violência sexual. Confira nesse vídeo.

James Korok tem apenas 19 anos, mas já passou por toda uma vida de dor lutando como uma criança-soldado na guerra civil no Sudão do Sul. Ele teve sorte. Liberado pelas forças armadas na remota área de Pibor, James está de volta à escola e está aprendendo a ser um alfaiate. Membros do Conselho de Segurança das Nações visitou a região em novembro desse ano para ouvir histórias dessas crianças.

Agências humanitárias trabalham para resgatar infância perdida no Sudão do Sul; vídeo

James Korok tem apenas 19 anos, mas já passou por toda uma vida de dor lutando como uma criança-soldado na guerra civil no Sudão do Sul. Ele teve sorte. Liberado pelas forças armadas na remota área de Pibor, James está de volta à escola e está aprendendo a ser um alfaiate. Membros do Conselho de Segurança das Nações Unidas visitou a região em novembro desse ano para ouvir histórias dessas crianças. Confira nesse vídeo.

Pela primeira vez no mundo, uma vacina foi lançada por drones em Vanuatu. A entrega da vacina cobriu quase 40 quilômetros de terreno acidentado montanhoso da Baía de Dillon, no lado oeste da ilha, até o patamar leste na remota Baía de Cook. Foto: UNICEF

Pela primeira vez, drone leva vacinas a ilha remota do Pacífico Sul

Em uma pequena ilha no remoto Pacífico Sul, um bebê de 1 mês se tornou a primeira criança do mundo a receber uma vacina entregue por um drone, anunciou o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) na semana passada (18).

A aeronave de última geração que transportou a vacina viajou quase 40 quilômetros sobre terreno montanhoso, saindo de Dillon’s Bay, no oeste de Vanuatu, para Cook’s Bay – uma comunidade acessível somente a pé ou com barcos pequenos – onde 13 crianças e cinco mulheres grávidas foram vacinadas por uma enfermeira.

Anuarite e Boniface foram obrigados a se casar prematuramente. Na República Democrática do Congo, a pobreza é tamanha que o casamento é visto pelas famílias como uma solução a curto prazo para aliviar a situação financeira. Segundo a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), a situação é ainda pior na região de Tanganyika, onde milhares de mulheres e crianças foram obrigadas a abandonar suas casa. Confira no vídeo.

Na República Democrática do Congo, conflito e pobreza aumentam chance do casamento infantil

Anuarite e Boniface foram obrigados a se casar prematuramente. Na República Democrática do Congo, a pobreza é tamanha que o casamento é visto pelas famílias como uma solução a curto prazo para aliviar a situação financeira.

Segundo a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), a situação é ainda pior na região de Tanganyika, onde milhares de mulheres e crianças foram obrigadas a abandonar suas casa. Confira no vídeo.

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) disse que 15 mil crianças permanecem separadas de suas famílias ou desaparecidas, cinco anos depois do início do conflito no Sudão do Sul. O UNICEF disse que mais de 4 milhões de pessoas foram deslocadas pelos combates no país, a maioria crianças. Desde o início do conflito, a agência da ONU e parceiros reuniram cerca de 6 mil crianças com seus pais ou responsáveis. Ele disse que cada reunificação é o resultado de meses e, muitas vezes, anos de trabalho para rastrear integrantes desaparecidos da família.

No Sudão do Sul, 15 mil crianças estão separadas das famílias ou desaparecidas; vídeo

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) disse que 15 mil crianças permanecem separadas de suas famílias ou desaparecidas, cinco anos depois do início do conflito no Sudão do Sul.

O UNICEF disse que mais de 4 milhões de pessoas foram deslocadas pelos combates no país, a maioria crianças.

Desde o início do conflito, a agência da ONU e parceiros reuniram cerca de 6 mil crianças com seus pais ou responsáveis. Ele disse que cada reunificação é o resultado de meses e, muitas vezes, anos de trabalho para rastrear integrantes desaparecidos da família.

Migrantes a bordo de trem que liga o México aos Estados Unidos (arquivo). Foto: OIM/Keith Dannemiller

Relator da ONU pede investigação da morte de menina migrante em centro de detenção nos EUA

Um especialista da ONU expressou nesta segunda-feira (24) sua profunda preocupação com a morte de uma menina migrante guatemalteca de 7 anos, enquanto ela estava sob a custódia de autoridades de imigração nos Estados Unidos.

O relator especial da ONU para os direitos humanos dos migrantes, Felipe González Morales, pediu uma investigação completa sobre como Jakelin Ameí Caal morreu. Ele também enfatizou que os EUA deveriam parar de deter crianças com base em seu status migratório.

A pobreza tem consequências para toda a vida da criança, incluindo saúde e nutrição precárias e baixo desempenho escolar. Foto: IPC-IG

Nova edição de revista especializada aborda políticas de proteção social às crianças

Políticas de proteção social sensíveis às necessidades das crianças são o foco da nova edição da revista “Policy in Focus” do Centro Internacional de Políticas para o Crescimento Inclusivo (IPC-IG), vinculado às Nações Unidas.

As editoras especialistas convidadas Anna Carolina Machado e Charlotte Bilo (IPC-IG) reuniram 15 artigos de acadêmicos, pesquisadores e gestores de políticas públicas, que compartilham diferentes perspectivas sobre os principais desafios enfrentados na promoção de programas de proteção social para crianças na América Latina, na Ásia, no Oriente Médio e na África subsaariana.

Mãe e filha em centro de saúde apoiado pelo UNFPA. Agência presta serviços de saúde reprodutiva, sexual, materna e neo-natal. Foto: UNFPA Namíbia/Emma Mbekele

Negar direitos sexuais e reprodutivos prejudica progresso socioeconômico dos países, diz relatório

Negar o direito de mulheres, casais ou indivíduos escolherem quando e quantos filhos desejam ter pode prejudicar o progresso socioeconômico dos países, uma vez que, com esses direitos negados, as pessoas não desenvolvem plenamente seus potenciais.

A conclusão é do relatório “O poder de escolha: direitos reprodutivos e a transição demográfica”, divulgado em outubro pelo Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA).

Rascunho de uma das primeiras versões da Declaração Universal dos Direitos Humanos. Foto: ONU/Greg Kinch

Artigo 25: Direito a um padrão de vida adequado

A Declaração Universal dos Direitos Humanos (DUDH) foi adotada em 10 de dezembro de 1948. Para marcar o aniversário de 70 anos, nas próximas semanas, o Escritório do Alto Comissariado da ONU para os Direitos Humanos (ACNUDH) publicará textos informativos sobre cada um de seus artigos.

A série tentará mostrar aonde chegamos, até onde devemos ir e o que fazer para honrar aqueles que ajudaram a dar vida a tais aspirações.

Leia mais sobre o Artigo 25:

1. Todo ser humano tem direito a um padrão de vida capaz de assegurar a si e à sua família saúde e bem-estar, inclusive alimentação, vestuário, habitação, cuidados médicos e os serviços sociais indispensáveis, e direito à segurança em caso de desemprego, doença, invalidez, viuvez, velhice ou outros casos de perda dos meios de subsistência fora de seu controle.

2. A maternidade e a infância têm direito a cuidados e assistência especiais. Todas as crianças, nascidas dentro ou fora do matrimônio, gozarão da mesma proteção social.

Jovens refugiados e solicitantes de refúgio recebem certificados de participação em oficinas de empregabilidade. Foto: ACNUR/Tainá Aragão

Jovens refugiados participam de oficinas de empregabilidade em Brasília

Na segunda edição das Oficinas de Criatividade com refugiados e solicitantes de refúgio, 13 jovens participaram de atividades em Brasília (DF) voltadas para a inserção no mercado de trabalho.

Fruto de parceria entre Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), Instituto de Migrações e Direitos Humanos (IMDH) e Centro de Integração Empresa Escola (CIEE), o projeto visou capacitar e assistir jovens refugiados e solicitantes de refúgio na busca de uma oportunidade de estágio ou de jovem aprendiz.

Em 29 de julho de 2018, o ator britânico e embaixador do UNICEF, Orlando Bloom, encontrou-se com uma menina e mãe de apenas 14 anos em Bangladesh, durante as filmagens de 'Tales by Light'. Na foto, a jovem carrega o filho. Foto: UNICEF

Em série da Netflix, ator Orlando Bloom alerta para trabalho infantil em Bangladesh

O ator britânico e embaixador do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), Orlando Bloom, estrela o primeiro episódio da nova temporada de Tales by Light, série documental da Netflix sobre fotojornalismo.

Bloom acompanhou o fotógrafo Simon Lister em sua viagem a Bangladesh, a fim de conhecer e denunciar o drama de crianças vítimas de trabalho infantil. Os novos programas vão ao ar a partir de 21 de dezembro em todo o mundo.

Seminário deu voz para crianças, adolescentes e adultos que estudam na rede municipal de ensino de Maceió. Foto: Jangada Filmes

PNUD e Prefeitura de Maceió reúnem alunos e professores para debate sobre educação

Vagner, Wendes, Noemi e Rita são apenas quatro dos cerca de 60 mil estudantes da rede municipal de ensino de Maceió, mas trazem o desejo de todos os seus colegas: ter uma educação pública de qualidade.

Nos dias 11 e 12 de dezembro, na capital alagoana, o seminário anual da parceria da Prefeitura com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) deu voz a essas crianças, jovens e adultos matriculados na educação pública.

ONU convida universidades brasileiras a participar de iniciativas de impacto acadêmico

O Departamento de Informação Pública das Nações Unidas convida universidades e demais instituições envolvidas no ensino superior e na produção de conhecimento do Brasil a ingressar na iniciativa Impacto Acadêmico (UN Academic Impact, UNAI).

Trata-se de uma associação com as Nações Unidas e da participação em uma rede de compartilhamento de conhecimento, pesquisa e soluções pautada em questões inter e multidisciplinares que dialoguem com os valores da ONU, como representados nos princípios da UNAI.

Mãe segura a mão de seu filho recém-nascido em Belgrado, na Sérvia, no Hospital Maternidade KBC Zvezdara. Foto: UNICEF/Holt

OMS: cerca de 30 milhões de bebês nascem prematuros por ano no mundo

Anualmente em todo o mundo, cerca de 30 milhões de bebês nascem prematuros ou com baixo peso ou adoecem logo nos primeiros dias de vida. É o que revela um relatório lançado nesta semana (13) por uma coalizão global, que inclui o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Em 2017, em torno de 2,5 milhões de recém-nascidos morreram nos primeiros 28 dias de vida, a maioria por causas evitáveis. Cerca de 80% dessas crianças tinham baixo peso ao nascer e em torno de 65% eram prematuras.

Gravidez na adolescência preocupa Fundo de População da ONU e Itaipu Binacional. Foto: UNFPA/Solange Souza

UNFPA e Itaipu defendem políticas de saúde e educação para prevenir gravidez na adolescência

Em Foz do Iguaçu (PR), o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e a Itaipu Binacional reafirmaram na terça-feira (11) seu compromisso em desenvolver políticas públicas para prevenir a gravidez entre adolescentes.

Instituições promovem seminário sobre o tema, com a participação de gestores do Oeste do Paraná, de outras partes do Brasil e também da Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Paraguai, Peru e Uruguai.

Jovem mexe no celular em escola em Cebu, nas Filipinas. Foto: UNICEF/Estey

Ação do UNICEF sobre violência sexual online alcança 1 milhão de pessoas

Cerca de 1 milhão de pessoas já interagiram com a Fabi Grossi, um perfil no Facebook programado para conversar sobre os riscos do compartilhamento de imagens íntimas — “nudes” — na rede.

A personagem é um “bot”, uma ferramenta de inteligência artificial criada pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) em parceria com a rede social e as desenvolvedoras Sherpas e Chat-Tonic. Iniciativa já alcançou 1 milhão de pessoas.

No Líbano, dois irmãos refugiados sírios estão desafiando sua deficiência visual e tendo sucesso na escola. Alaa usa um celular antigo para escrever: “Comecei a aprender as letras. Eu me concentrei nas letras. No começo, apertava uma tecla e ele me dizia o que era, depois duas letras, depois três. Foi assim que comecei a escrever palavras, frases e textos completos”. Confira nesse vídeo do ACNUR, a Agência das Nações Unidas para Refugiados.

No Líbano, dois irmãos sírios desafiam deficiência visual pela educação

No Líbano, dois irmãos refugiados sírios estão desafiando sua deficiência visual e tendo sucesso na escola. Alaa usa um celular antigo para escrever: “Comecei a aprender as letras. Eu me concentrei nas letras. No começo, apertava uma tecla e ele me dizia o que era, depois duas letras, depois três. Foi assim que comecei a escrever palavras, frases e textos completos”. Confira nesse vídeo do ACNUR, a Agência das Nações Unidas para Refugiados.