Arquivo da tag: Infância & Adolescência

Confira neste espaço todas as informações sobre o tema.

Novo relatório do UNICEF faz um balanço do impacto da Convenção sobre os Direitos da Criança no Brasil em relação à legislação, programas e políticas. Foto: UNICEF | Tremeau.

Novo relatório do UNICEF destaca progressos e desafios sobre direitos da criança no Brasil

Em marco aos 30 anos da Convenção sobre os Direitos da Criança (CDC), o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) lançou na terça-feira (12) um relatório com um balanço do impacto da CDC no Brasil em relação à legislação, programas e políticas.

O documento também analisa as principais conquistas e desafios do país para os próximos anos. Segundo dados do relatório, há ainda quase dois milhões de meninas e meninos fora da escola; 32 meninas e meninos de 10 a 19 anos são assassinados diariamente no país; e se por um lado a desnutrição crônica caiu maciçamente – com a exceção das crianças indígenas, uma em cada três crianças brasileiras de cinco a nove anos está com sobrepeso.

Segundo o UNICEF, há uma tendência de redução do orçamento voltado aos temas da infância e adolescência no Brasil que precisa ser revertida. Nesse sentido, o Fundo reforça a importância de reafirmar os compromissos do Brasil com a Convenção sobre os Direitos da Criança; colocar crianças e adolescentes como prioridade absoluta; engajar toda a sociedade; consolidar os avanços alcançados até aqui; e investir na infância e na adolescência com um foco naqueles mais vulneráveis.

30 anos da Convenção sobre os Direitos da Criança. Foto: UNICEF | Dejongh.

UNICEF lança relatório sobre os 30 anos da Convenção sobre os Direitos da Criança

Em marco aos 30 anos da Convenção sobre os Direitos da Criança, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) lança amanhã (12), em Brasília, um relatório com dados sobre os avanços e os desafios dos direitos da criança e do adolescente no contexto brasileiro desde a ratificação do documento.

Segundo o UNICEF, em 30 anos, Brasil alcançou uma redução histórica da mortalidade infantil e efetivou outros diretos, mas perdeu milhares de crianças para a violência e possui outros desafios pela frente.

A Convenção, adotada por 196 países, é o tratado de direitos humanos mais ratificado da história. No Brasil, ela inspirou o Artigo 227 da Constituição Federal de 1988 e o Estatuto da Criança e do Adolescente, de 1990.

Escoteiros são incentivados a inspirar suas famílias, escolas e comunidades a mudar seus hábitos de consumo. Foto: Asociación de Scouts de México

Escoteiros da América Latina e do Caribe juntam-se à luta global contra a poluição por plástico

Milhares de escoteiros da América Latina e do Caribe irão participar dos esforços globais contra o lixo marinho com o desafio de reduzir o uso de plásticos por 10 semanas – parte da campanha Mares Limpos do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA).

Todo ano, mais de 8 milhões de toneladas de plástico chegam aos oceanos, ameaçando os ecossistemas marinhos do mundo.

UNICEF: O que você vai fazer pelos direitos das crianças?

Em comemoração aos 30 anos da Convenção sobre os Direitos da Criança, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) lança campanha convidando o público a contar o que faz ou pretende fazer pelos direitos de meninas e meninos.

“Queremos gerar uma corrente de boas histórias e depoimentos, mostrando como os brasileiros atuam, no seu dia a dia, para efetivar os direitos de meninas e meninos”, Michael Klaus, chefe de Comunicação e Parcerias do UNICEF no Brasil.

A Convenção é o tratado de direitos humanos mais amplamente ratificado da história. A partir dela, existem salvaguardas mais fortes para proteger as crianças e os adolescentes contra a violência e a exploração. O documento também permitiu que mais crianças e adolescentes tivessem suas vozes ouvidas e participassem de suas sociedades.

Chama na Solução é uma iniciativa do UNICEF Brasil que apoia mudanças positivas que possam potencialmente impactar a vida das crianças dos adolescentes do país. Foto: Generation Unlimited.

Iniciativa do UNICEF convida jovens cariocas a enviarem soluções para problemas locais

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) em parceria técnica com o Centro de Promoção da Saúde (CEDAPS) abre inscrições para a iniciativa Chama na Solução.

O objetivo da iniciativa é envolver os jovens na criação de soluções para problemas que os afetam, e nesse processo proporcionar seu desenvolvimento como cidadãos, potencializando habilidades e competências para a vida.

Meninas e meninos que possuem entre 14 e 24 anos e moram na periferia da cidade do Rio de Janeiro podem inscrever suas ideias. O edital segue aberto até 10 de novembro.

Atualmente, o trabalho do IPC-IG inclui um conjunto variado de tópicos, englobando a Agenda 2030 e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Foto: IPC-IG

Centro de políticas vinculado ao PNUD completa 15 anos de atividades no Brasil

O Centro Internacional de Políticas para o Crescimento Inclusivo (IPC-IG), vinculado ao Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), comemora 15 anos de atividade neste mês. Desde 2004, o Centro promove serviços e ferramentas para fortalecer as capacidades institucionais dos países, com o objetivo de apoiar o desenvolvimento, a implementação e a avaliação de políticas sociais e estimular o crescimento inclusivo.

Atualmente, o trabalho do IPC-IG inclui um conjunto variado de tópicos, englobando a Agenda 2030 e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) — proteção social; desenvolvimento rural e agricultura; políticas de redução da pobreza e de desenvolvimento; desenvolvimento sustentável; crescimento econômico e desigualdade; educação; saúde e nutrição; crianças/ jovens; e gênero.

ONU lança concurso de fotografia sobre atuação do jovem no desenvolvimento rural

O Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) lançou na sexta-feira (25) o concurso de fotografia “Juventude e Desenvolvimento Rural”. Os vencedores terão viagem paga para participar da cerimônia do “Prêmio Juventude Rural Inovadora”, e terão suas fotos exibidas no evento.

O FIDA busca imagens que mostrem jovens engajados em áreas rurais da região, especialmente com foco em práticas e soluções inovadoras. Serão selecionadas fotografias com base em originalidade, criatividade e conexão com o tema. O prazo para inscrição é 16 de dezembro.

O grupo Dá uma moral aí reúne adolescentes de diferentes idades para um acompanhamento psicológico realizado pela Secretaria de Saúde. Foto: Pexels/CC.

No oeste do Paraná, iniciativa da ONU inspira novos projetos de atenção à adolescência

O projeto Dá uma moral aí, desenvolvido pela Secretaria de Saúde de Santa Terezinha de Itaipu, município localizado no oeste do Paraná, reúne adolescentes, pais e profissionais da saúde, educação e assistência social para debater sexualidade e outros temas pertinentes à adolescência.

A iniciativa foi inspirada no projeto Prevenção e Redução da Gravidez Não Intencional na Adolescência nos Municípios do Oeste do Paraná, do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) no Brasil em parceria com a ITAIPU Binacional.

Juntos, os projetos têm possibilitado que adolescentes e jovens ajudem na construção de serviços acolhedores de saúde e tenham também garantidas as condições de ampliar suas habilidades para a vida e suas competências socioemocionais.

Luciana Collete, de 25 anos, foi selecionada para representar o Brasil. Foto: UNFPA

Brasileira participa de conferência no Egito sobre desenvolvimento e juventude

Com o apoio do presidente do Egito, Abdel Fattah al-Sisi, o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e o Ministério da Juventude do Egito lançaram, no dia 16 de outubro, o Modelo para a Juventude da Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento.

Durante dois dias, o evento reuniu mais de 200 jovens de 53 países, dando a eles a oportunidade de simular o marco da CIPD que ocorreu no Cairo, em 1994.

Entre as jovens estava a brasileira Luciana Collete, de 25 anos, que trabalha no UNFPA Brasil como assistente de campo em Roraima. Ela foi selecionada para representar o país no Cairo. “Aprendi que nós jovens também temos voz. A nossa participação é importante e podemos fazer muito.”

Vista panorâmica do Salão da Assembleia Geral da ONU durante as deliberações e a adoção da Convenção sobre os Direitos da Criança em 20 de novembro de 1989. Foto: UNICEF

UNICEF abre exposição ’30 anos da Convenção sobre os Direitos da Criança’ no Congresso Nacional

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) inaugura na semana que vem (30) uma exposição no Congresso Nacional sobre os 30 anos da Convenção sobre os Direitos da Criança (CDC). O público é convidado a conhecer a história da Convenção mais ratificada no mundo, assinada por 196 países, e como ela vem impactando a vida de meninas e meninos no Brasil.

Os 100 metros de exposição — localizada no corredor de acesso ao Plenário da Câmara dos Deputados — estampam depoimentos de crianças e adolescentes do Brasil e do mundo que lutam ativamente por seus direitos. O expectador é convidado a reviver os eventos históricos que levaram à assinatura da Convenção, se familiarizar com os princípios que regem a CDC, conhecer todos os direitos nela expressos e interagir com painéis de som para ouvir histórias reais de meninos e meninas.

Coordenador de juventude do município de Duque de Caxias (RJ), Ewerton Vital entregou a moção "Parceiros da Juventude" em reconhecimento aos trabalhos prestados pelo UNFPA. Foto: Divulgação/Ewerton Vital

Fundo de População da ONU debate parcerias com município de Duque de Caxias (RJ)

O coordenador de juventude de Duque de Caxias (RJ), Ewerton Vital, visitou a sede do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) em Brasília (DF) no início de outubro (8) para apresentar projetos de investimento em jovens do município e se colocar à disposição para ampliar o debate e estabelecer futuras parcerias.

Na ocasião, o oficial de programa para Juventude e HIV do UNFPA, Caio Oliveira, lembrou que o investimento na juventude é urgente. No Brasil, existem quase 50 milhões de jovens, e ao menos 11 milhões estão fora do mercado de trabalho e das instituições de ensino, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE).

Gelson Henrique, de 20 anos, é estudante de Ciências Sociais da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Foto: UNICEF/Rafael Duarte

‘Quero uma cidade que garanta nosso direito de viver’

Morador da periferia do Rio de Janeiro, Gelson Henrique, de 20 anos, percebeu na adolescência que não estava exercendo seu direito de aproveitar plenamente a cidade em que morava. Não conhecia, por exemplo, os museus, inacessíveis para famílias pobres que moram longe das regiões centrais. “Descobri que há toda uma estrutura que não quer que a gente ascenda. Mas também percebi que não existo sozinho. A pele preta traz toda uma ancestralidade”, declara.

A convite do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), Gelson participou este mês da Conferência sobre as Cidades Amigas da Criança, realizada em Colônia, na Alemanha. Junto a outros jovens e adolescentes do mundo, ele discutiu formas de as cidades garantirem o pleno desenvolvimento de cada criança e adolescente.

“Para mim, cidade amiga da criança é uma cidade que não viole nossos direitos, começando pelo direito à vida, que hoje está ameaçado para um jovem negro”, afirma Gelson.

Conheça a rotina de trabalho da equipe da Empodera, que se desloca pelo município do Rio de Janeiro, para acompanhar de perto a implementação do programa Uma Vitória Leva à Outra, garantindo continuamente sua qualidade. Foto: ONU Mulheres

ONU Mulheres conta rotina de implementadoras do programa ‘Uma Vitória Leva à Outra’

“Uma Vitória Leva à Outra” é um programa conjunto da ONU Mulheres e do Comitê Olímpico Internacional, em parceria com as ONGs Women Win e Empodera. Ele visa garantir que meninas e mulheres possam participar, trabalhar com, governar e desfrutar do esporte em igualdade de condições.

O programa foi reconhecido como um legado dos Jogos Olímpicos Rio 2016 e, em sua segunda fase, de 2018 a 2021, treina organizações a trabalhar com o empoderamento de meninas por meio do esporte e, assim, garantir resultados de longo prazo na quebra do ciclo da violência.

A ONU Mulheres detalhou a rotina de quatro profissionais que acompanham a implementação do programa no Rio de Janeiro (RJ). Leia a reportagem completa.

De acordo com o último boletim epidemiológico de sarampo do Ministério da Saúde do Brasil, o país registrou, nos últimos 90 dias, 6.192 casos confirmados de sarampo, o que corresponde a aumento de 15% em relação ao período de monitoramento anterior. Foto: EBC

Mobilização nacional visa aumentar número de pessoas vacinadas contra sarampo

Os postos de vacinação do Brasil abriram no sábado (19) para o “Dia D” de mobilização nacional contra o sarampo. A iniciativa — uma parceria do Ministério da Saúde com as secretarias estaduais e municipais de saúde — busca reforçar a importância da vacinação, principalmente nos grupos prioritários.

A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) participou da mobilização durante uma atividade realizada no Centro de Saúde I ‘Dr. Victor Araújo Homem de Mello’, no bairro de Pinheiros, em São Paulo (SP).

De acordo com o último boletim epidemiológico do Ministério da Saúde, o país registrou, nos últimos 90 dias, 6.192 casos confirmados de sarampo, aumento de 15% em relação ao período de monitoramento anterior. Vinte estados estão na lista de transmissão ativa da doença e 96% dos casos confirmados estão concentrados no estado de São Paulo, em 192 municípios.

As crianças sentam-se em frente à sua nova escola, feita de tijolos de plástico reciclado em Sakassou, no centro da Costa do Marfim. Foto: UNICEF/Frank Dejongh

Fim da pobreza extrema é crucial para um futuro sustentável, diz chefe da ONU

Um futuro sustentável para todos é improvável, a menos que a globalização beneficie todas as crianças, suas famílias e comunidades, afirmou o secretário-geral da ONU, António Guterres, em sua mensagem para o Dia Internacional pela Erradicação da Pobreza, nesta quinta-feira (17).

Observado a cada 17 de outubro, a data reconhece o esforço e a luta de mais de 700 milhões de pessoas em todo o mundo que vivem com menos de 1,90 dólar por dia.

“O fim da pobreza extrema está no centro dos esforços do mundo para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e construir um futuro sustentável para todos. Mas o sucesso em não deixar ninguém para trás permanecerá ilusório se não atingirmos as pessoas que estão mais atrás primeiro”, afirmou o secretário-geral.

Os estudantes aprendem sobre conservação ambiental, qualidade de vida e rendas geradas pela floresta. Foto: FAS/Rodolfo Pongelupe

Fundação Amazonas Sustentável vence prêmio UNESCO-Japão em educação

A diretora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), Audrey Azoulay, nomeou os três vencedores deste ano do Prêmio UNESCO-Japão em Educação para o Desenvolvimento Sustentável (ESD).

Os projetos Fundação Amazonas Sustentável (Brasil), Camphill Community Trust (Botsuana) e a cidade de Hamburgo (Alemanha) foram os vencedores. Cada um dos premiados receberá 50 mil dólares, em uma cerimônia que ocorrerá na sede da UNESCO em 15 de novembro, durante a Conferência Geral da Organização.

A Fundação Amazônia Sustentável venceu o prêmio por seu projeto “Educação Relevante para o Desenvolvimento Sustentável em Comunidades Remotas da Amazônia”, cujo foco é a geração de renda baseada em florestas, conservação ambiental e qualidade de vida.

Segundo OPAS/OMS, é essencial evitar alimentos ultraprocessados, que estão fortemente associados a sobrepeso, obesidade e doenças crônicas não transmissíveis. Foto: EBC

UNICEF defende inclusão de alertas em produtos alimentícios ultraprocessados

O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (IDEC), juntamente com outras organizações, tem liderado a discussão para a inclusão de alertas na parte frontal dos produtos alimentícios ultraprocessados para quando há excesso de nutrientes como açúcar, sódio e gorduras saturadas.

Na sexta-feira (11), Dia Mundial da Prevenção da Obesidade, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), instituição que também defende tal proposta, anunciou o apoio às ações do IDEC para informar a sociedade sobre os benefícios da rotulagem frontal.

A aliança acontece no momento em que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) está recebendo contribuições e opiniões dos consumidores, por meio de uma consulta pública, sobre qual o modelo de rotulagem nutricional deve ser adotado no país. O processo de participação popular termina em 6 de novembro.

Foto: UNICEF/Kent Page

Gestores superam distâncias na Amazônia para participar de capacitações do UNICEF

Maria Bethânia Barbosa iniciou sua jornada no Selo UNICEF de forma mais intensa no primeiro semestre de 2019, quando assumiu a articulação da iniciativa no município de Chaves, localizado na Ilha do Marajó (PA). Assim como ela, dezenas de articuladores e gestores municipais saem com muita antecedência de suas regiões para participar do 5º Ciclo de Capacitações do Selo UNICEF, em um dos 15 polos nos nove estados da Amazônia Legal.

Indígenas são uns dos grupos da população brasileira que mais sofrem com pobreza e discriminação. Foto: Daniel Caron/FAS

Quase 30% das crianças indígenas com menos de 5 anos sofrem de desnutrição

Nas últimas décadas, o Brasil reduziu significativamente a taxa de desnutrição crônica entre menores de 5 anos (de 19,6% em 1990 para 7% em 2006), atingindo, antes do prazo, a meta dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM).

Entretanto, a desnutrição crônica ainda é um problema em grupos mais vulneráveis, como indígenas, quilombolas e ribeirinhos.

De acordo com o Ministério da Saúde, em 2018, a prevalência de desnutrição crônica entre crianças indígenas menores de 5 anos era de 28,6%. Os números variam entre etnias, alcançando 79,3% das crianças ianomâmis. O relato é do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF).

Crianças refugiadas rohingya no campo de refugiados de Balukhali, no distrito de Cox's Bazaar, Bangladesh. Foto: ACNUR/Brian Sokol

ACNUR lista 5 ações que ajudam a garantir futuro melhor para crianças refugiadas

Metade dos refugiados do mundo são crianças. Muitas passam a infância inteira longe de casa, às vezes separadas de suas famílias. Em situações de crise e deslocamento, correm o risco de se tornarem vítimas de várias formas de abuso, violência, exploração, tráfico ou recrutamento militar.

A Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) trabalha para garantir que crianças, adolescentes e jovens sejam protegidos e que seus direitos sejam assegurados.

Menina interage com colegas de classe em Uganda. Foto: UNICEF/Zahara Abdul

Dia Internacional das Meninas lembra 25 anos de progressos e desafios no horizonte

As mais de 1 bilhão de meninas do mundo estão sendo celebradas nesta sexta-feira (11) como uma força de mudança “sem roteiro e irrefreável” para a humanidade.

Todos os dias, meninas com menos de 18 anos desafiam estereótipos, quebram barreiras e lideram movimentos para lidar com problemas que as afetam e afetam outras pessoas, disse o secretário-geral da ONU, António Guterres, em mensagem para o Dia Internacional das Meninas.

O aplicativo RealSolids ensina sobre os sólidos geométricos (figuras geométricas em três dimensões) a partir de locais reais. Foto: Divulgação | UNICEF.

Aplicativo criado em iniciativa do UNICEF ensina História por meio da Matemática

Idealizado por uma professora e quatro estudantes do Instituto Federal do Paraná (IFPR), aplicativo educativo permite que alunos do ensino fundamental aprendam geometria ao mesmo tempo em que conhecem monumentos históricos do Brasil e do mundo.

O aplicativo RealSolids ensina sobre os sólidos geométricos (figuras geométricas em três dimensões) a partir de locais reais, apresentando a localização geográfica e dados históricos da região em que estão.

O projeto foi desenvolvido por uma das equipes vencedoras da edição 2018 da ‘Maratona UNICEF SAMSUNG’, uma iniciativa que reúne estudantes de escolas públicas, professores, designers e programadores para desenvolver aplicativos voltados para turmas do ensino fundamental.

As inscrições para a Edição 2019 da Maratona UNICEF SAMSUNG seguem abertas até o dia 27 de outubro de 2019.

A ferramenta foi desenvolvida pela Fundação Plant-for-the-Planet, formada por crianças e jovens em janeiro de 2007. Foto: Divulgação | Plant-for-the-Planet.

Fundação alemã liderada por crianças e jovens cria aplicativo para reflorestamento global

O aplicativo ‘Plant-for-the-Planet’ (“Plante pelo planeta”, na tradução livre) lista organizações em todo o mundo comprometidas com o reflorestamento. De maneira simples, qualquer pessoa — quando quiser e onde estiver — pode ajudar a plantar árvores e combater as mudanças climáticas.

A ferramenta foi desenvolvida pela fundação alemã Plant-for-the-Planet, criada por crianças e jovens em janeiro de 2007, depois de um chamado à ação feito pela ativista ambiental e ganhadora do Prêmio Nobel da Paz de 2004 Wangari Maathai e pela ONU Meio Ambiente, através da campanha Billion Tree.

Foto: Albino Oliveira/Ministério da Economia

Com gibis da Turma da Mônica, projeto leva educação fiscal e financeira a crianças no DF

Promover educação fiscal e financeira para crianças do ensino fundamental. Essa é a proposta do projeto Em Busca do Tesouro, lançado na quinta-feira (3), em Brasília (DF), pela Secretaria do Tesouro Nacional (STN) em parceria com Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Escola Nacional de Administração Pública (ENAP) e Banco Interamericano Desenvolvimento (BID).

A iniciativa utiliza gibis, revistas e tirinhas digitais da Turma da Mônica para ensinar conceitos de finanças públicas, responsabilidade fiscal e transparência, promovendo o acompanhamento cidadão de políticas públicas desde a infância.

Profissionais de saúde de Foz do Iguaçu têm buscado aprimorar serviços para atender as adolescentes de forma amigável. Foto: UNFPA Brasil.

Foz do Iguaçu aprimora serviços públicos a fim de diminuir gravidez na adolescência

Em Foz do Iguaçu, somente em 2017 nasceram vivos 531 bebês de mães com idade entre 10 e 19 anos. O índice representa 12% dos nascimentos no município, de acordo com o DATASUS.

Na busca por ações que ajudem a reduzir esse índice, assim como evitar que uma segunda gravidez não intencional aconteça na adolescência, profissionais de diferentes setores têm investido na oferta de informações e serviços mais acolhedores.

O município participa do projeto ‘Prevenção e Redução da Gravidez Não Intencional na Adolescência nos Municípios do Oeste do Paraná’, iniciativa da ITAIPU Binacional em parceria com o Fundo de População das Nações Unidas no Brasil.

Escola em Rio Branco, no Acre. Foto: UNICEF/Ratão Diniz

Acre adere a projeto do UNICEF que busca reduzir evasão escolar no estado

A Secretaria de Educação do Acre realiza em 1º de outubro a solenidade de adesão à iniciativa Busca Ativa Escolar, ação que é parte da campanha Fora da Escola Não Pode!, realizada por Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e parceiros.

Com a adesão, o Acre apoiará as redes municipais de ensino, fortalecendo a aprendizagem do estudante desde a educação infantil para que ele chegue ao ensino médio com as habilidades necessárias à sua formação.

De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD/2015), mais de 26.103 crianças encontravam-se fora da escola no Acre (11,3%) e, de acordo com o Censo Escolar, 49.970 (26,9%) estavam em situação de distorção idade-série.

Acampamento 'Juventude Já', promovido pelo UNFPA e parceiros, oferece espaço para que os jovens incidem sobre as políticas públicas que os afetam. Foto: UNFPA.

Acampamento do UNFPA reúne jovens da América Latina a fim de impulsionar lideranças

Entre 20 e 23 de setembro de 2019 ocorreu o segundo Acampamento Regional ‘Juventudes Já’, uma iniciativa do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) para impulsionar a participação e a liderança juvenil na América Latina e no Caribe.

Durante os quatro dias, 50 jovens ativistas de diferentes países da região se reuniram no México para compartilhar experiências, construir alianças e fortalecer suas capacidades de incidência política, participação e reconhecimento.

Conheça o perfil de alguns desses jovens que já estão produzindo mudanças em seus contextos.

O movimento começou depois que Thunberg protestou em frente ao parlamento sueco por três semanas em 2018 para chamar a atenção para a emergência climática. Foto: ONU Meio Ambiente

Fridays for Future recebe prêmio Campeões da Terra da ONU por demandar ação climática

O Fridays for Future, um movimento dinâmico de estudantes do mundo todo inspirado pela ativista sueca Greta Thunberg, recebeu o prêmio Campeões da Terra 2019, a maior homenagem ambiental das Nações Unidas. A ONU Meio Ambiente reconheceu a iniciativa na categoria “Inspiração e Ação”.

O movimento começou depois que Greta Thunberg protestou em frente ao parlamento sueco por três semanas em 2018 para chamar a atenção para a emergência climática. Inspirados por seu exemplo, outros estudantes de todo o mundo começaram a organizar seus próprios protestos.

A maratona é uma iniciativa do UNICEF e da Samsung, desenvolvida em parceria com a Associação para Promoção da Excelência do Software Brasileiro (Softex), por meio do programa Brasil Mais TI. Foto: EBC

UNICEF e Samsung lançam 2ª edição de maratona voltada à criação de apps para escolas

Estão abertas as inscrições para a 2ª edição da Maratona UNICEF Samsung. Criada em 2018, a maratona junta alunos de escolas públicas, professores e profissionais de tecnologia para criar aplicativos para dispositivos móveis (apps) que contribuam com a educação brasileira.

As inscrições para a Maratona UNICEF Samsung estão abertas até 27 de outubro em maratonaunicefsamsung.org.br. A proposta é unir programadores, designers, desenvolvedores, estudantes e professores com o objetivo de promover o desenvolvimento de protótipos de aplicativos usáveis em sala de aula.

UNFPA e Itaipu coordenam capacitações de profissionais de saúde, educação e assistência social, voltadas aos municípios que aderiram ao projeto de prevenção e redução da gravidez na adolescência. Foto: UNFPA Brasil | Paola Bello.

No Paraná, UNFPA promove oficinas a profissionais da rede pública de saúde e educação

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) no Brasil e a ITAIPU Binacional realizam em setembro cinco oficinas voltadas para profissionais da rede pública que atendem diretamente adolescentes no Paraná – em especial nas áreas de educação, saúde e assistência social.

As capacitações acontecem na segunda quinzena de setembro e são parte das atividades realizadas no projeto Prevenção e Redução da Gravidez Não Intencional na Adolescência nos Municípios do Oeste do Paraná.

Agatha Félix, de 8 anos, morava no Complexo do Alemão. Foto: Acervo Pessoal

Declaração do UNICEF sobre a morte de Ágatha Félix

A morte da menina Ágatha Félix, assassinada por um tiro nas costas durante uma ação da Polícia Militar no Rio de Janeiro (RJ), nos revela a dor profunda das famílias, os sorrisos e os sonhos interrompidos de 32 crianças e adolescentes assassinados por dia no Brasil, disse o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), em comunicado.

“Continuamente, a violência armada afeta a vida de centenas de milhares de crianças e adolescentes, famílias, professores, policiais e toda a comunidade. Todos somos afetados. Mas é possível prevenir novas mortes e romper o ciclo da violência. É urgente desnaturalizar essas mortes e investir em políticas e ações que protejam e permitam o desenvolvimento pleno de cada pessoa.” Leia o texto completo.

A ativista do clima Greta Thunberg durante a abertura da Cúpula de Ação Climática da ONU, em Nova Iorque, em 23 de setembro de 2019. Foto: ONU/Cia Pak

Crianças e adolescentes registram queixa por falta de ação dos países na ação climática

Dezesseis crianças e adolescentes – incluindo a ativista sueca Greta Thunberg – de 12 países apresentaram na segunda-feira (23) uma queixa oficial ao Comitê dos Direitos da Criança das Nações Unidas para protestar contra a falta de ação governamental na crise climática.

Os jovens com idades entre 8 e 17 anos alegam que a falha dos Estados-membros em enfrentar a crise climática constitui uma violação dos direitos da criança. Eles instam o órgão independente a ordenar os países a tomarem medidas para proteger as crianças dos impactos devastadores das mudanças climáticas.

Anunciada em uma conferência de imprensa realizada na sede do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) em Nova Iorque, a denúncia visa inspirar as ações urgentes necessárias para conter o aquecimento global e mitigar o impacto da crise climática.

Quando o conflito armado começou no Iêmen, em 2015, o país já era considerado um dos mais pobres do mundo. Foto: PMA/Reem Nada

UNICEF: 29 milhões de bebês nasceram em áreas de conflito em 2018

Mais de 29 milhões de bebês nasceram em áreas afetadas por conflitos armados em 2018, disse o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) nesta sexta-feira (20). A violência armada em países como Afeganistão, Iêmen, Síria, Somália e Sudão do Sul significou que, durante o ano passado, ao menos um em cada cinco bebês em todo o mundo passou seus primeiros momentos em comunidades afetadas por conflitos, muitas vezes em ambientes profundamente inseguros e altamente estressantes.

“Todos os pais e mães deveriam poder valorizar os primeiros momentos do seu bebê, mas, para milhões de famílias que vivem em meio a conflito, a realidade é muito mais sombria”, disse Henrietta Fore, diretora-executiva do UNICEF.

Quando crianças pequenas experimentam eventos adversos e traumáticos prolongados ou repetidos, o sistema de gerenciamento de estresse do cérebro é ativado sem pausas, causando “estresse tóxico”. Com o tempo, as substâncias químicas do estresse quebram as conexões neurais existentes e inibem a formação de novas, levando a consequências duradouras para o aprendizado, o comportamento e a saúde física e mental das crianças.

Homem resgatado do trabalho escravo no interior do Maranhão - Foto: Marcello Casal/ABr

Maranhão leva projeto de combate ao trabalho escravo a todos os municípios do estado

O governo do Maranhão e a ONG Repórter Brasil lançaram na terça-feira (17) a terceira fase do projeto “Escravo, Nem Pensar!”, cujo objetivo é combater e prevenir o trabalho escravo por meio de ações educativas em escolas da rede estadual de ensino.

O projeto é fruto de uma parceria entre Organização Internacional do Trabalho (OIT), Ministério Público do Trabalho (MPT), Comissão Estadual para a Erradicação do Trabalho Escravo (COETRAE) e Secretarias Estaduais de Direitos Humanos e Participação Popular (SEDIHPOP) e de Educação (SEDUC).

Em 2015, o Maranhão foi o primeiro estado a aderir ao projeto “Escravo, Nem Pensar!”. Agora, com a implementação dessa última etapa, será o primeiro a alcançar todos os municípios com ações educativas em escolas estaduais voltadas à prevenção e ao combate ao trabalho escravo.

Desde 2000, as mortes infantis diminuíram quase a metade e as mortes maternas em mais de um terço, principalmente devido ao acesso melhorado a serviços de saúde disponíveis e de qualidade. Foto: UNICEF

ONU: uma grávida ou um recém-nascido morre a cada 11 segundos no mundo

Novas estimativas de grupo liderado por Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e Organização Mundial da Saúde (OMS) revelam que 6,2 milhões de crianças menores de 15 anos morreram em 2018 e mais de 290 mil mulheres morreram devido a complicações durante a gravidez e o parto em 2017. Do total de mortes infantis, 5,3 milhões ocorreram nos primeiros 5 anos, com quase metade delas no primeiro mês de vida.

As mulheres na África ao sul do Saara enfrentam um risco de morte de 1 em 37 durante a gravidez ou o parto. Em comparação, esse risco para uma mulher na Europa é de 1 em 6.500. A África ao sul do Saara e a Ásia Meridional são responsáveis por cerca de 80% das mortes maternas e infantis globais.

A meta global prevista nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável é reduzir a taxa de mortalidade materna global para menos de 70 por 100 mil nascidos vivos até 2030. O mundo ficará aquém dessa meta em mais de 1 milhão de vidas se o ritmo atual de progresso se mantiver.

A atividade é co-organizada pela Africa Teen Geeks, UNODC e Banco Mundial. Foto: Banco Mundial/Mariana Kaipper Ceratti

UNODC seleciona jovens para participar de ‘Hackathon for Justice’ nos EUA

O Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) abre inscrições para evento de programação “Hackathon for Justice”, a ser realizado na sede do Banco Mundial, em Washington, DC. O Brasil está na lista de países prioritários, e podem se candidatar jovens entre 13 e 18 anos, matriculados no enino fundamental e médio, com habilidades em programação e conhecimento da língua inglesa. O UNODC financiará a participação da delegação selecionada.

Até 30 jovens programadores serão selecionados para colaborar no desenvolvimento de soluções tecnológicas para acelerar a implementação do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável – ODS16 (Paz, Justiça e Instituições Fortes). Eles terão a oportunidade de demonstrar suas habilidades e receberão orientação de engenheiros experientes e especialistas da ONU.

O evento, que foi realizado pela primeira vez no DEGASE em 2016, tem o objetivo de valorizar a proteção da primeira infância. Foto: Rio Solidário/Marcia Costa

UNICEF apoia ações de proteção da primeira infância em unidades socioeducativas do RJ

O Departamento Geral de Ações Socioeducativas (DEGASE) do estado do Rio de Janeiro recebe até quinta-feira (19) a Semana do Bebê, agenda proposta pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) em parceria com estados e municípios.

A intenção é mobilizar as unidades socioeducativas a promover atividades sobre maternidade, paternidade e a primeira infância com os adolescentes que cumprem medidas socioeducativas e suas famílias.