Forças de Paz das Nações Unidas

Aqui você encontra todas as informações sobre as operações de paz das Nações Unidas. Outros detalhes em nacoesunidas.org/acao/paz-e-seguranca e www.un.org/peacekeeping

Secretário-geral da ONU, António Guterres (direita) entrega guirlanda de flores em homenagem a membros das Forças de Paz mortos em serviço. Foto: ONU/Mark Garten

Em dia internacional, ONU presta homenagem a membros das Forças de Paz

Para marcar o Dia Internacional dos Trabalhadores das Forças de Paz, lembrado em 29 de maio, as Nações Unidas realizam nesta quarta-feira (24) uma cerimônia em sua sede em Nova Iorque para homenagear as mais de 3,5 mil pessoas que morreram em serviço desde 1948, reconhecendo sua dedicação e coragem.

“Todos os dias, soldados das Forças de Paz ajudam a trazer paz e estabilidade a sociedades afetadas pela guerra no mundo todo”, disse o secretário-geral da ONU, António Guterres, em mensagem para o dia. Assista ao vídeo.

Capacetes azuis e uniformes dos representantes das forças de paz da ONU. Foto: ONU/Marco Dormino

Soldado brasileiro morto no Haiti será homenageado na ONU em Dia Internacional das Forças de Paz

A sede das Nações Unidas em Nova Iorque lembrará o Dia Internacional dos Trabalhadores das Forças de Paz na quarta-feira (24).

O secretário-geral da ONU, António Guterres, entregará uma guirlanda de flores em homenagem aos soldados mortos, e presidirá uma cerimônia na qual a medalha Dag Hammarskjöld será entregue postumamente a 117 militares, policiais e pessoal civil que perderam suas vidas enquanto serviam as operações de paz em 2016.

Um soldado brasileiro está entre os que serão homenageados postumamente com a medalha Dag Hammarskjöld — o sargento Vicente Medeiros, que perdeu sua vida enquanto servia à Missão das Nações Unidas para Estabilização do Haiti (MINUSTAH).

Secretário-geral da ONU, António Guterres. Foto: ONU / Evan Schneider

‘União no Conselho de Segurança é vital para prevenir atrocidades em massa’, diz António Guterres

Em reunião no Conselho de Segurança, o secretário-geral da ONU, António Guterres, destacou na terça-feira (18) a importância da união no órgão de 15 membros para abordar efetivamente as violações dos direitos humanos e prevenir atrocidades em massa.

O chefe da ONU também enfatizou que a garantia de uma ação melhorada e menos politizada sobre os direitos humanos também é imprescindível para o avanço dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Durante décadas, a República Centro-Africana sofreu com a instabilidade e os conflitos. No entanto, na pequena cidade ocidental de Bouar, ex-combatentes estão entregando suas armas para trabalhar em projetos comunitários. Com o apoio da missão de paz da ONU no país, a MINUSCA, estes ex-combatentes estão agora centrados na paz e na estabilidade para promover o progresso em seu país. Confira nessa matéria em vídeo da ONU

VÍDEO: Restaurando a paz na República Centro-Africana

Durante décadas, a República Centro-Africana sofreu com a instabilidade e os conflitos. No entanto, na pequena cidade ocidental de Bouar, ex-combatentes estão entregando suas armas para trabalhar em projetos comunitários. Com o apoio da missão de paz da ONU no país, a MINUSCA, estes ex-combatentes estão agora centrados na paz e na estabilidade para promover o progresso em seu país. Confira nessa matéria em vídeo da ONU.

Nova missão da ONU no Haiti sucederá MINUSTAH e terá pouco mais de mil policiais em seu efetivo. Foto: ONU/Marco Dormino

Conselho de Segurança aprova fim da missão da ONU no Haiti

Em resolução adotada unanimemente nesta quinta-feira (12) pelos membros do Conselho de Segurança das Nações Unidas, o organismo decisório determinou que a Missão de Estabilização da ONU no Haiti (MINUSTAH) deverá se retirar gradualmente do país pelos próximos seis meses, até 15 de outubro, data oficial do fim da operação.

Decisão também determina criação de nova missão, voltada para o fortalecimento do Estado de Direito e para o monitoramento dos direitos humanos.

Guterres confirma morte de peritos na República Democrática do Congo

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, confirmou as mortes de Michael Sharp e Zaida Catalan, dois integrantes do Grupo de Peritos na República Democrática do Congo (RDC) desaparecidos desde 12 de março.

Eles apoiavam o trabalho do Comitê estabelecido pelo Conselho de Segurança da ONU para supervisionar sanções impostas aos grupos armados no país, incluindo embargo de armas, proibição de viagens e congelamento de bens.

Capacetes azuis e uniformes dos representantes das forças de paz da ONU. Foto: ONU/Marco Dormino

Secretário-geral lança estratégia para combater abuso sexual na ONU

O secretário-geral da ONU, António Guterres, lançou nesta quinta-feira (9) um relatório sobre medidas especiais para a proteção contra exploração e abuso sexual na Organização. O documento deverá ser analisado pela Assembleia Geral das Nações Unidas.

“Tais atos de crueldade nunca deveriam ocorrer. Certamente, nenhuma pessoa servindo às Nações Unidas deve ser associada a tais crimes repugnantes e cruéis”, disse o secretário-geral em mensagem de vídeo.

Resumo semanal da ONU em imagens #109

Resumo semanal da ONU em imagens #109

O principal organismo de direitos humanos das Nações Unidas lançou nessa semana um apelo de 253 milhões de dólares – o maior de sua história – com o objetivo de reforçar o seu programa de trabalho de 2017 para proteger e promover os direitos das pessoas em todo o mundo;

Devido aos conflitos, à crise econômica e aos impactos climáticos, o Sudão do Sul enfrenta uma grave emergência humanitária, com mais de 100 mil pessoas passando fome no país; a ONU deu início aos preparativos para uma conferência global sobre oceanos, em junho desse ano – estes são alguns dos destaques da ONU em imagens.

Mulher segurando criança em Bambari, na província de Ouaka, na República Centro-Africana, onde a violência perpetrada por grupos armados causou o deslocamento de várias pessoas. Foto: OCHA / Gemma Cortes

República Centro-Africana: quatro soldados da paz da ONU são feridos em emboscada com rebeldes

Missão da ONU na República Centro-Africana reportou nessa semana que quatro integrantes das forças de paz da Organização ficaram feridos em uma emboscada promovida por grupos armados próximo a Ippy, na prefeitura de Ouaka. Missão da ONU impediu entrada de combatentes em campo para deslocados, enquanto em outras regiões a situação também permanece tensa.

Confrontos entre a coalizão ex-Séléka, majoritariamente muçulmana, e a milícia anti-Balaka, de maioria cristã, colocaram o país de 4,5 milhões de pessoas em conflito civil desde 2013.