Arquivo da tag: Forças de Paz das Nações Unidas

Aqui você encontra todas as informações sobre as operações de paz das Nações Unidas. Outros detalhes em nacoesunidas.org/acao/paz-e-seguranca e www.un.org/peacekeeping

Forças de paz da missão da ONU na República Centro-Africana (MINUSCA) em patrulha na capital do país, Bangui. Foto: ONU/MINUSCA

Guterres diz que missão da ONU na República Centro-Africana está comprometida com proteção de civis

Em meio a um recente agravamento da violência na República Centro-Africana (RCA), o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, disse no sábado (17) que se solidariza com o país devastado pela crise, alertando que ataques contra civis e capacetes-azuis da ONU podem representar crimes de guerra.

Na quinta-feira (15), um ataque contra um acampamento para pessoas deslocadas internamente deixou ao menos 37 mortos. Em outro ataque na sexta-feira (16), contra uma base da missão de paz da ONU no país, um capacete-azul foi morto.

Mulher mostra sua casa, demolida por milícia local em Trípoli. Foto: ACNUR/Tarik Argaz

Líbia: cessar-fogo é respeitado em Trípoli, mas problemas centrais permanecem

O recente cessar-fogo na capital da Líbia, Trípoli, mediado pela missão das Nações Unidas no país, está sendo respeitado, disse na quinta-feira (8) o chefe da missão ao Conselho de Segurança, destacando esforços para manter a calma e ajudar a assegurar uma paz duradoura.

Falando de Trípoli por videoconferência, Salamé afirmou que um novo plano de segurança abrangente para a capital está em vigor, e que diversos grupos armados se retiraram de importantes edifícios governamentais.

Equipe de monitoramento do cessar-fogo trafega pela região de Smara, no Sahara Ocidental. Foto: ONU/Martine Perret

Conselho de Segurança estende missão de paz da ONU no Saara Ocidental

O Conselho de Segurança das Nações Unidas estendeu na quarta-feira (31) o mandato da Missão das Nações Unidas para o Referendo no Saara Ocidental (MINURSO) até 30 de abril do ano que vem.

Originalmente estabelecida em 1991, a MINURSO recebeu a tarefa de monitorar o cessar-fogo; supervisionar as trocas de prisioneiros de guerra; repatriar refugiados; e organizar eventualmente um referendo livre e justo no qual o povo do Saara Ocidental irá escolher entre independência e integração ao Marrocos.

Capacetes-azuis servindo à MINUSMA atuam em Mopti, no Mali. Foto: MINUSMA (arquivo)

Dois membros das forças de paz da ONU morrem após ataque no Mali

A Missão de Estabilização das Nações Unidas no Mali (MINUSMA), relatou no sábado (26) que dois membros das forças de paz foram mortos e diversos outros ficaram feridos após um ataque coordenado contra uma base no norte do país durante o amanhecer.

Uma proliferação de grupos armados lutando contra forças do governo e seus aliados em áreas no centro e no norte do Mali após uma tentativa fracassada de golpe há seis anos transformou a MINUSMA na missão mais perigosa para se servir como um capacete-azul da ONU.

Embarcação alemã, um dos navios da Força-Tarefa Marítima da UNIFIL, faz patrulha no litoral libanês. Foto: UNIFIL/Pasqual Gorriz

Militares brasileiros realizam treinamento para missão da ONU no Líbano

Militares da Marinha participaram neste mês de um treinamento do Ministério da Defesa para integrar a Força Interina das Nações Unidas no Líbano (UNIFIL). Oficiais fazem parte do estado-maior — grupo que auxilia o comandante no planejamento e coordenação de operações militares — de um destacamento que deixará o Brasil em fevereiro de 2019. Cerca de 200 brasileiros vão servir como soldados da Força-Tarefa Marítima da ONU.

Um novo contingente de policiais ruandeses, composto por 80 homens e 80 mulheres, reforçou em junho deste ano a Missão das Nações Unidas no Sudão do Sul, a UNMISS. Entre outras tarefas, o grupo será encarregado do controle de multidões, facilitando a prestação de assistência humanitária e proteção das instalações da ONU e dos civis.

Mulheres são metade dos ruandeses que reforçam missão da ONU no Sudão do Sul; vídeo

Um novo contingente de policiais ruandeses, composto por 80 homens e 80 mulheres, reforçou em junho deste ano a Missão das Nações Unidas no Sudão do Sul, a UNMISS. Entre outras tarefas, o grupo será encarregado do controle de multidões, facilitando a prestação de assistência humanitária e proteção das instalações da ONU e dos civis.

“A chegada delas hoje é um sinal para as mulheres não apenas no Sudão do Sul, mas em todo o mundo, de que as mulheres são capazes de fazer qualquer coisa quando recebem a oportunidade”, diz Teddy Ruyenzi, comandante da Unidade de Polícia de Ruanda, na capital Juba. Confira no vídeo da TV ONU.

Equipe escoltada da Seção de Governança e Estabilização da UNAMID, a missão da ONU em Darfur, a caminho da região de Birka, para conduzir uma conferência de paz para agricultores e pastores, em 2 de fevereiro de 2018. Foto: UNAMID/Mohamad Almahady

Expectativas para as forças de paz ‘superam em muito os recursos’, diz ONU

“As expectativas de manutenção da paz ultrapassaram os seus recursos até agora”, disse nessa terça-feira (25) o secretário-geral da ONU, António Guterres, ao abrir uma reunião de alto nível para assinalar o 70º aniversário das operações de manutenção da paz da ONU, na sede do organismo em Nova Iorque.

Guterres detalhou, durante o evento, a Iniciativa de Ação pela Manutenção da Paz (A4P), lançada em março deste ano, citando o número tragicamente alto de mortes por pacificadores observado durante seus primeiros meses no cargo.

Às vésperas da Assembleia Geral, chefe da ONU busca compromisso renovado com regras e valores globais

O secretário-geral da ONU, António Guterres, pediu nesta quinta-feira (20) um “compromisso renovado com uma ordem global baseada em regras” e com as Nações Unidas, destacando os principais temas a serem discutidos durante as reuniões de alto nível da Assembleia Geral, a partir de segunda-feira (24), em Nova Iorque.

Em coletiva de imprensa para jornalistas da sede da ONU, Guterres disse que, com 84 chefes de Estado e 44 chefes de governo participando dos debates gerais na semana que vem, a ONU mostra que ainda é “o fórum indispensável para a cooperação internacional”.

O objetivo do encontro foi discutir pesquisas realizadas pelos grupos de trabalho da rede e revisar problemas e sucessos das últimas operações de paz da ONU. Foto: UNIC Rio/Gael Moraes

Encontro no Rio discute conquistas e desafios de operações de paz da ONU

O II Encontro Anual da Rede Brasileira de Pesquisa sobre Operações de Paz (REBRAPAZ) reuniu na quinta-feira (5) profissionais e pesquisadores civis e militares, generais do exército, diplomatas e membros de organizações da sociedade civil na Escola de Comando e Estado Maior do Exército (ECEME), no Rio de Janeiro.

O objetivo foi discutir pesquisas realizadas pelos grupos de trabalho da rede e revisar problemas e sucessos das últimas operações de paz da ONU, especialmente a Missão das Nações Unidas para a Estabilização no Haiti (MINUSTAH), da qual o Brasil fez parte e comandou o componente militar por 13 anos (2004–2017).

Comboio da MINUSMA passa por rua de Meneka, nordeste do Mali. A região testemunhou uma escalada da violência e da insegurança. Foto: MINUSMA/Marco Dormino

Relator da ONU alerta para aumento das violações de direitos humanos no Mali

No Mali, um especialista das Nações Unidas descreveu um cenário de deterioração “alarmante” da segurança, dos direitos humanos e da situação humanitária no norte e leste do país.

Os comentários de Alioune Tine foram feitos após dois ataques mortíferos nos últimos dias contra forças internacionais no Mali, incluindo um homem-bomba em Gao, que deixou ao menos dois civis mortos e mais de 15 feridos.

Um número crescente de mulheres estão sendo mobilizadas para missões da ONU. No Haiti, membros do batalhão brasileiro ensinam um grupo de crianças locais a cuidar dos dentes. Foto: ONU/Marco Dormino, 2008

Serviço e Sacrifício: a contribuição do Brasil para a manutenção da paz

O Brasil tem uma longa história de contribuição com as operações de paz da ONU. Suas tropas estão presentes em dez missões das Nações Unidas globalmente, em localidades como Darfur (Sudão),  Chipre, Líbano e, até 2017, Haiti.

Este mês, o Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio), lançou no Brasil a campanha global “Serviço e Sacrifício”, em homenagem aos pacificadores — e em especial aos brasileiros. Veja fotos da atuação do Brasil nas forças de paz da ONU.

O diretor do UNIC Rio, Maurizio Giuliano, participou de palestra no CCOPAB sobre coordenação civil-militar de operações de paz da ONU. Foto: UNIC Rio

Palestra no Rio aborda coordenação civil-militar em operações de paz da ONU

O diretor do Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio), Maurizio Giuliano, realizou na quarta-feira (20) uma palestra no Centro Conjunto de Operações de Paz do Brasil (CCOPAB), no Rio de Janeiro, sobre coordenação civil-militar em operações de paz da ONU.

A apresentação, parte de curso de uma semana reconhecido pelas Nações Unidas, foi assistida por mais de 50 pessoas, entre oficiais militares do Brasil e de outros países da América Latina e da Europa.

No Sudão do Sul, a produção de mel vem transformando a vida de um grupo de mulheres. A péssima condição das estradas e a falta de segurança na região, contudo, dificultam a venda do produto e colocam em risco a comunidade. Em 2017, a Missão das Nações Unidas no país anunciou um plano para a reforma da principal estrada da área. Com a obra, a missão da ONU no Sudão do Sul poderá patrulhar melhor a região e garantir segurança para que a comunidade possa prosperar.

Com apoio da ONU, produtoras de mel melhoram vendas no Sudão do Sul; vídeo

No Sudão do Sul, a produção de mel vem transformando a vida de um grupo de mulheres. A péssima condição das estradas e a falta de segurança na região, contudo, dificultam a venda do produto e colocam em risco a comunidade.

Em 2017, a Missão das Nações Unidas no país anunciou um plano para a reforma da principal estrada da área. Com a obra, a missão da ONU no Sudão do Sul poderá patrulhar melhor a região e garantir segurança para que a comunidade possa prosperar. Saiba mais neste vídeo.

Militares da Índia e do Reino Unido servindo na missão de paz das Nações Unidas no Sudão do Sul usaram seus conhecimentos de engenharia para reformar o campo de futebol e as quadras de vôlei e de basquete no Estádio Malakal. Para os jovens da região, praticar esportes é uma oportunidade de diversão, mas também uma saída das frustrações vividas em um lugar com poucas oportunidades devido ao contínuo conflito.

No Sudão do Sul, missão da ONU incentiva prática de esportes entre os jovens; vídeo

Militares da Índia e do Reino Unido servindo na missão de paz das Nações Unidas no Sudão do Sul usaram seus conhecimentos de engenharia para reformar o campo de futebol e as quadras de vôlei e de basquete no Estádio Malakal. Para os jovens da região, praticar esportes é uma oportunidade de diversão, mas também uma saída das frustrações vividas em um lugar com poucas oportunidades devido ao contínuo conflito. Mais no vídeo.

Interior de um estúdio de rádio afegão, onde mulheres reivindicam democracia e direitos humanos. Foto: UNAMA/Fardin Waezi)

No Afeganistão, mulheres jornalistas desafiam a violência – e o machismo

Os perigos do trabalho como jornalista no Afeganistão foram relembrados em um novo ataque na capital Cabul no final de abril. Nove fotógrafos e repórteres afegãos foram mortos. Os profissionais, que estavam na região para reportar um ataque suicida, foram alvejados por um segundo homem-bomba ao chegar ao local.

Fora da capital afegã, os perigos de realizar reportagens, particularmente para mulheres jornalistas, nunca foram tão claros. Confira nessa matéria especial.

Guterres cumprimenta oficial da MINUSMA em cerimônia para marcar o Dia Internacional dos Trabalhadores das Forças de Paz, 29 de maio. Foto: MINUSMA

No dia das forças de paz, secretário-geral da ONU homenageia militares no Mali

Em visita ao Mali para o Dia Internacional dos Trabalhadores das Forças de Paz, o secretário-geral da ONU, António Guterres, disse “ter orgulho de ser colega” dos soldados que servem sob a bandeira da Organização, no país e em outras partes do mundo. Dirigente reconheceu que as circunstâncias na nação africana são “extremamente perigosas” e prometeu melhorias em treinamentos, equipamentos e capacidades operacionais.

Carla Daniel na sede da UNIFIL, no sul do Líbano. Foto: Acervo Pessoal

Capitão é 1ª militar brasileira a trabalhar no Departamento de Operações de Paz da ONU

Primeira e única mulher brasileira a concluir uma missão de paz da ONU a bordo de um navio, a capitão de fragata Carla Daniel, de 51 anos, acostumou-se a vanguardismos. Desde dezembro do ano passado, ela também é a primeira militar brasileira a trabalhar no Departamento de Operações de Paz das Nações Unidas (DPKO), em Nova Iorque.

Carla atua no Escritório de Assuntos Militares (OMA, na sigla em inglês), que faz parte do Serviço de Operações Militares em Andamento (CMOS), como oficial de assuntos de missões de paz. Ela faz o elo entre a missão, no caso a Força Interina de Segurança das Nações Unidas para Abyei (UNISFA), a ONU e o país que contribui com militares para essa operação, a Etiópia. Leia a entrevista concedida ao Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio).

No Sudão do Sul, mais de 5 mil pessoas foram mortas ou feridas por minas terrestres ou munições não detonadas desde 2004. Em memória do Dia Internacional de Sensibilização sobre Minas e Assistência à Desminagem, o Serviço de Ação Anti-Minas das Nações Unidas (UNMAS) organizou uma corrida para incentivar a conscientização sobre os perigos causados pelas minas. Desde 2004, a ONU já tornou mais de 1 bilhão de metros quadrados seguros para a população sul-sudanesa.

No Sudão do Sul, ONU trabalha para livrar população das minas terrestres; vídeo

No Sudão do Sul, mais de 5 mil pessoas foram mortas ou feridas por minas terrestres ou munições não detonadas desde 2004. Em memória do Dia Internacional de Sensibilização sobre Minas e Assistência à Desminagem, o Serviço de Ação Anti-Minas das Nações Unidas (UNMAS) organizou uma corrida para incentivar a conscientização sobre os perigos causados pelas minas. Desde 2004, a ONU já tornou mais de 1 bilhão de metros quadrados seguros para a população sul-sudanesa.

Eleitor em local de votação em Erbil, na região do Curdistão, no Iraque, participando das primeiras eleições nacionais desde que os militares iraquianos declararam a vitória sobre o Estado Islâmico do Iraque e do Levante (ISIL), no final de 2017. Foto: ONU/UNAMI

Iraque: chefe da ONU elogia realização da primeira eleição legislativa após derrota do Estado Islâmico

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, parabenizou o povo iraquiano pela realização das primeiras eleições parlamentares nacionais, no último sábado (12), desde que o país declarou vitória sobre o Estado Islâmico do Iraque e do Levante (ISIL/Dae’sh) no final do ano passado. ONU forneceu assistência técnica à Comissão Eleitoral Independente do Iraque.

Forças de paz da missão da ONU na República Centro-Africana (MINUSCA) em patrulha na capital do país, Bangui. Foto: ONU/MINUSCA

Fim da violência na República Centro-Africana ainda está distante, diz ONU

Na República Centro-Africana, o fim da violência e a garantia de estabilidade ainda são objetivos difíceis de serem alcançados, apesar dos esforços de diversos atores, disse um oficial sênior da ONU ao Conselho de Segurança.

O Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA) descreveu a República Centro-Africana como “um país frágil” devastado por anos de conflito e que enfrenta desafios estruturais e econômicos.

Única mulher a pilotar caças na Missão de Paz da ONU no Mali, Sandra Hernandez – que integra o contingente de El Salvador – sente que seu trabalho “pode ajudar a trazer segurança e um pouco mais de estabilidade e tranquilidade ao povo do Mali”. Voando pelo vasto deserto no norte do Mali, pilotos de helicópteros de El Salvador têm participado das operações da missão das Nações Unidas nos últimos três anos. Hernandez sonhava em ser pilota desde criança. Confira nesse vídeo

VÍDEO: A única mulher a pilotar caças da ONU no Mali

Única mulher a pilotar caças na Missão de Paz da ONU no Mali, Sandra Hernandez – que integra o contingente de El Salvador – sente que seu trabalho “pode ajudar a trazer segurança e um pouco mais de estabilidade e tranquilidade ao povo do Mali”.

Voando pelo vasto deserto no norte do Mali, pilotos de helicópteros de El Salvador têm participado das operações da missão das Nações Unidas nos últimos três anos. Hernandez sonhava em ser pilota desde criança. Confira nesse vídeo.