Cultura e comunicação

Todas as notícias sobre estes temas.

Jamal Khashoggi, jornalista crítico ao governo da Arábia Saudita, desapareceu após entrar no consulado do seu país em Istambul. Foto: Project on Middle East Democracy/April Brady (CC)

Bachelet pede que Arábia Saudita revele tudo o que sabe sobre desaparecimento de jornalista saudita

Duas semanas após o desaparecimento de Jamal Khashoggi, a chefe de direitos humanos da ONU, Michelle Bachelet, pediu nesta terça-feira (16) aos governos da Arábia Saudita e da Turquia que revelem tudo o que sabem sobre o desaparecimento e possível assassinato do jornalista saudita depois de ele ter visitado o consulado de seu país em Istambul.

“De acordo com o direito internacional, tanto o desaparecimento forçado quanto o assassinato extrajudicial são crimes muito graves, e a imunidade não deve ser usada para impedir investigações sobre o que aconteceu e quem é o responsável. Duas semanas é muito tempo para a provável cena de um crime não ter sido submetida a uma investigação forense completa”, disse Bachelet.

Foto: Domínio Público

UNESCO chama de ‘atrocidade’ assassinato e estupro de jornalista búlgara

A chefe da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) condenou na terça-feira (9) o assassinato “brutal” da repórter investigativa búlgara Victoria Marinova. O corpo da jovem foi encontrado na cidade de Ruse, com indícios de sufocamento e abuso sexual.

“Ataques a jornalistas erodem o direito humano fundamental de liberdade de expressão e seus corolários: a liberdade de imprensa e o livre acesso à informação”, declarou Audrey Azoulay, diretora-geral da UNESCO. “Além disso, o abuso sexual e físico para silenciar uma jornalista é um ultraje contra a dignidade e os direitos básicos de toda a mulher”.

Vista da cidade de Quito, no Equador, onde acontece ao final de outubro conferência da alto nível da ONU sobre moradia e habitação. Foto: Flickr (CC) / David Berkowitz

Relator da ONU elogia medidas do Equador para proteger liberdade de expressão no país

Um especialista em direitos humanos das Nações Unidas disse nesta quinta-feira (11) ter acolhido com satisfação as mudanças legais e políticas empreendidas pelo governo equatoriano para promover e proteger os direitos à liberdade de opinião e expressão no país.

O relator também pediu a promoção decidida do jornalismo independente e da segurança dos jornalistas; um esforço de todo o governo para ampliar e garantir acesso à informação detida por autoridades públicas, incluindo o desenvolvimento de mecanismos de proteção para informantes, tanto funcionários públicos como empregados do setor privado; e várias medidas para melhorar os direitos que as pessoas no Equador desfrutam na rede, especialmente fortalecendo a segurança digital e a proteção de dados pessoais, e negando ao governo a possibilidade de utilizar as leis de direitos autorais para limitar a difusão de informação pública.

Avenida em Istambul, na Turquia. Foto: ONU

Relatores da ONU exigem investigação sobre desaparecimento de jornalista saudita em Istambul

Especialistas da ONU manifestaram nesta terça-feira (9) grande preocupação com o desaparecimento do jornalista e crítico do governo saudita Jamal Khashoggi em Istambul, e pediram uma rápida investigação independente e internacional sobre o caso.

“Estamos preocupados que o desaparecimento de Khashoggi esteja diretamente ligado às suas críticas às políticas sauditas nos últimos anos”, disseram os especialistas. “Reiteramos nossos repetidos apelos às autoridades sauditas para abrir espaço para o exercício dos direitos fundamentais, incluindo o direito à vida, à liberdade de expressão e ao dissenso”.

Crianças lendo a Declaração Universal dos Direitos Humanos (DUDH), pouco após sua adoção. Foto: Arquivo da ONU

Direitos humanos não têm cor política, diz diretor do UNIC Rio em palestra

O diretor do Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio), Maurizio Giuliano, participou no fim de setembro (27) de evento organizado pela Academia Brasileira de Filosofia (ABF), no Rio de Janeiro, para lembrar os 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos (DUDH).

Na ocasião, o diretor do UNIC Rio falou sobre defensores dos direitos humanos brasileiros que perderam a vida ao realizar seu trabalho, como a vereadora Marielle Franco, e lembrou também os inúmeros casos de policiais mortos por defender o direito de todos a viver num país sem crime.

Membros da Rede de Juventude Indígena participaram no fim de setembro (de 26 a 29) da reunião no Mato Grosso do Sul. Foto: REJUIND/Jorge Perez

Rede de jovens indígenas reúne-se no MS para discutir plano de comunicação

Membros da Rede de Juventude Indígena participaram no fim de setembro (de 26 a 29) da reunião “REJUIND 10 anos: protagonismo e fortalecimento institucional para prosseguir – Aprimorar a comunicação institucional para os 10 anos da Rede”. A iniciativa, apoiada pelo Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), aconteceu na Aldeia Buriti, onde reside o povo Terena, no Mato Grosso do Sul.

Segundo o jornalista Erisvan Bone Guajajara, um dos participantes do evento, a REJUIND é uma ferramenta de aproximação da juventude indígena e potencializa suas capacidades. “Agradeço às lideranças por poder dialogar com a juventude Terena da Aldeia Tereré, e poder compartilhar da conjuntura atual. É importante a participação da juventude no processo de transformação da sociedade brasileira”, disse.

Foto: ONU

Evento paralelo à Assembleia Geral da ONU alerta para prisões e assassinatos de jornalistas no mundo

Frequentemente ameaçados, atacados e mortos, jornalistas também estão sendo presos em número recorde em todo o mundo, destacou um evento paralelo da Assembleia Geral da ONU na sexta-feira (28). Essas práticas prejudicam não apenas os direitos humanos fundamentais dos próprios repórteres, mas também o direito do público de receber e transmitir informações, alertaram os especialistas em direitos humanos.

De acordo com o Comitê para a Proteção dos Jornalistas (CPJ), no final de 2017, 262 jornalistas foram presos, incluindo mais de 70 na Turquia, 40 na China e 20 no Egito. Cerca de 52% dos presos estavam atrás das grades por causa de reportagens sobre violações de direitos humanos, disse o CPJ.

Nyle DiMarco, ativista surdo, modelo e ator, em discurso na 67ª edição da Conferência da ONU de organizações não governamentais (ONG), do Departamento de Informação Pública (DPI) das Nações Unidas. Foto: ONU/Loey Felipe

Ativista surdo destaca importância das línguas de sinais em dia especial da ONU

Nyle DiMarco é apenas um estrangeiro se comunicando em uma língua diferente. É assim que o ator, modelo e ativista se apresenta para aqueles que nunca conheceram uma pessoa surda.

DiMarco, que conquistou fama após vencer o reality show norte-americano America’s Next Top Model, é um ativista que defende o ensino de língua de sinais para crianças. O jovem de 29 anos cresceu em uma família de surdos e tem mais de 25 parentes com algum tipo de deficiência auditiva.

Pombas brancas voam ao redor da mesquita de Hazrat-i-Ali, na cidade de Mazar-i-Sharif, no Afeganistão, em comemoração do Dia Internacional da Paz organizada pela Missão de Assistência da ONU no Afeganistão (UNAMA), em 2007. Foto: ONU/Helena Mulkerns

ONU diz que direitos humanos são caminho para ‘paz duradoura’ no mundo

Em mensagem para o Dia Internacional da Paz, lembrado neste 21 de setembro, o secretário-geral da ONU, António Guterres, lembrou o 70º Aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos, celebrado neste ano, e disse que os valores do documento podem assegurar a paz duradoura no mundo.

Também por ocasião da data, a diretora-geral da UNESCO, Audrey Azoulay, alertou para a proliferação do populismo e do extremismo, que constituem um obstáculo aos ideais de paz e direitos universais.

Fachada do Museu Nacional do Rio de Janeiro após incêndio Foto: Agência Brasil/Tomaz Silva

UNESCO diz que há chance de recuperar parte do acervo do Museu Nacional

Após duas visitas técnicas ao Museu Nacional do Rio de Janeiro, especialistas da UNESCO afirmaram na terça-feira (18) que existem chances de recuperar partes do acervo da instituição, destruída no início do mês por um incêndio. Mas como equipes técnicas ainda não puderam entrar no prédio, por questões de segurança e investigações da polícia, não é possível saber quais itens da coleção poderão ser encontrados e restaurados.

Foto: Pixabay

ONU é parceira do Festival do Minuto, que premiará vídeos sobre Direitos Humanos

O Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH) é parceiro da 14ª edição do Mobile Film Festival, ao lado da União Europeia e do canal Youtube Creators for Change. Neste ano, o tema do concorrido concurso é a Declaração Universal dos Direitos Humanos, que completa 70 anos em dezembro.

As premiações somam 66 mil euros, incluindo Grande Prêmio Internacional (20 mil euros) e prêmios de roteiro e direção (3 mil euros, cada). Os filmes devem ter 1 minuto e utilizar tecnologia móvel (celular ou tablet).

Bombeiros apagam pontos de fogo no Museu Nacional após incêndio. Foto: Agência Brasil/Tomaz Silva

UNESCO realiza na terça-feira (18) coletiva de imprensa sobre missão ao Museu Nacional

Após se reunir com as autoridades brasileiras e com os atores locais e nacionais envolvidos com o Museu Nacional, a chefe da Missão de Emergência da UNESCO para o Museu Nacional, Cristina Menegazzi, concederá entrevista coletiva nessa terça-feira (18), às 11h, no escritório da UNESCO no Brasil, em Brasília. A especialista está no Brasil desde a última quinta-feira (13) e já realizou visitas técnicas ao Museu.

A subsecretária-geral das Nações Unidas para as Comunicações Globais, Alison Smale (primeira da esquerda para a direita), participa do Seminário Internacional de Mídia das Nações Unidas sobre Paz no Oriente Médio, em Moscou, Rússia, em 5 de setembro de 2018. Foto: ONU/Shymaa El-Ansary

Palavras são mais fortes que armas, diz chefe da ONU em seminário sobre paz no Oriente Médio

O debate sobre como resolver o conflito entre Israel e Palestina e promover a paz no Oriente Médio é um lembrete de que palavras têm mais poder que armas, disse o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, para o Seminário Internacional de Mídia sobre a Paz no Oriente Médio deste ano, que ocorreu em Moscou, no início de setembro (5 e 6). O evento foi organizado pelo Departamento de Informação Pública das Nações Unidas e parceiros.

Incêndio atinge prédio do Museu Nacional do Rio de Janeiro, na Quinta da Boa Vista. Foto: Agência Brasil/Vitor Abdala

ONU: incêndio no Museu Nacional é ‘perda inestimável’ para o Brasil e o mundo

O coordenador-residente da ONU Brasil, Niky Fabiancic, lamentou nesta segunda-feira (3) a destruição do Museu Nacional do Rio de Janeiro, atingido por um incêndio na noite de domingo. Episódio foi “perda inestimável de um acervo tão precioso para o país e o mundo”, afirmou o dirigente. Para a representação da UNESCO, incidente “expõe fragilidade” dos mecanismos nacionais de preservação de bens culturais.

Foto: PNUD/Guilherme Larsen

Projeto promove desenvolvimento sustentável em comunidades de baixa renda do DF

Promover a disseminação do desenvolvimento sustentável por meio de ações com comunidades de baixa renda do Distrito Federal é a proposta do “Na Praia Social”, iniciativa que reúne crianças, adolescentes, adultos e pessoas portadoras de deficiência em um parque temático montado anualmente na orla do Lago Paranoá, em Brasília (DF).

Com a ação, o evento fortalece a promoção dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e garante a inclusão social de diferentes grupos locais às atividades. O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) apoia a iniciativa.

Menina que cumpria medida socioeducativa no DF vence concurso de textos da UNESCO

O livro “Cartas de uma menina presa” reúne troca de correspondências entre a antropóloga brasileira Débora Diniz, da Anis – Instituto de Bioética, e Talia, nome fictício de uma jovem que cumpria medida socioeducativa em Brasília (DF), com quem a pesquisadora manteve contato em 2015.

A publicação – que traz texto vencedor de concurso realizado pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) no Brasil para homenagear os professores — será lançada nesta terça-feira (28), às 19h, no Café Objeto Encontrado (CLN 102, bl. B, loja 46), na capital federal.

Vista aérea da cidade e do porto de Santos (SP). Foto: EBC

Santos sediará em 2020 encontro da Rede de Cidades Criativas da UNESCO

Santos (SP) foi escolhida para sediar, em 2020, o encontro anual da Rede de Cidades Criativas da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO). A cidade concorreu com outros dois municípios finalistas: Belém (PA) e Puebla, no México. O objetivo do encontro é demonstrar o poder da criatividade e da cultura como fator de desenvolvimento social, urbano, econômico e sustentável para redução das desigualdades no mundo.

Até 30 de agosto, estão abertas as inscrições para o edital que selecionará cinco cidades brasileiras para receber apoio técnico à candidatura ao título de cidade criativa da UNESCO. Cada cidade deve identificar a área temática preferencial, dentro das seguintes categorias: artesanato e artes folclóricas, design, cinema, gastronomia, literatura, artes midiáticas ou música.

Foto: Agência Brasil / Wilson Dias

UNESCO lança site para ano internacional das línguas indígenas

O Dia Internacional dos Povos Indígenas, celebrado anualmente em 9 de agosto, foi a ocasião para a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) lançar um site especial dedicado ao Ano Internacional das Línguas Indígenas, que será comemorado por membros e parceiros da agência da ONU durante 2019.

Grande parte das línguas faladas por povos indígenas continuarão a desaparecer em um ritmo alarmante. Sem medidas apropriadas para abordar esse problema, a contínua perda de línguas e de suas histórias, tradições e memórias reduzirão consideravelmente a riqueza da diversidade linguística no mundo.

Arte de Inaê Pereira Gouveia Coelho, 1o lugar na categoria profissional do Concurso Maria da Penha.

Banco Mundial premia ilustrações sobre a Lei Maria da Penha

O Concurso de Ilustração da Lei Maria da Penha, promovido pelo Banco Mundial e pela Câmara dos Deputados, premiou uma nova geração de artistas que veem na diversidade e na solidariedade o caminho para dar mais poder às mulheres e enfrentar a violência.

Quarenta e quatro trabalhos concorreram nas categorias profissional (19) e amador (25). Os seis vencedores — condecorados no Congresso Nacional — foram escolhidos por voto popular, nas redes sociais, onde também é forte o movimento por mais direitos e menos abusos em todas as esferas da vida das mulheres.

Em Cabul, Talibã foi responsável por três atentados na primeira semana de 2016. Foto: WikiCommons / Scott Clarkson

UNESCO lança manual para jornalistas sobre cobertura de terrorismo

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) produziu um manual para jornalistas sobre a cobertura de terrorismo, escrito pelo escritor e jornalista belga Jean-Paul Marthoz.

A publicação, que acaba de ser traduzida para o Dia Internacional de Lembrança e Tributo às Vítimas do Terrorismo (21), foi elaborada para ajudar os profissionais da imprensa a realizar seu trabalho e evitar o risco de acabar colaborando para que terroristas atinjam o objetivo de dividir sociedades e colocar as pessoas umas contra as outras.

Parque Nacional das Sempre-Vivas, em Minas Gerais. Foto: Wikimedia Commons/Carolina Teixeira de Melo Franco (CC)

FAO e secretaria de desenvolvimento agrário assinam acordo de cooperação

Em busca do reconhecimento e da proteção de tradicionais sistemas agrícolas brasileiros, foi assinado na quinta-feira (16) um acordo de cooperação no qual a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) reconhece a Secretaria Especial de Agricultura Familiar e Desenvolvimento Agrário (SEAD) como ponto focal no levantamento e na identificação de candidaturas para o programa de reconhecimento de Sistemas Importantes do Patrimônio Agrícola Mundial (SIPAM).

A campanha Criança Esperança foi lançada oficialmente no sábado (28). Foto: UNESCO/Criança Esperança

Mais de 80 instituições serão beneficiadas com doações do Criança Esperança

A campanha anual do Criança Esperança teve início no fim de julho, quando começou a receber doações por telefone. Todo o valor doado irá beneficiar mais de 80 instituições em 22 estados brasileiros, nas cinco regiões do país.

Os projetos foram selecionados por meio de um edital público lançado no ano passado. A cada ano, o Criança Esperança lança um edital para que as organizações interessadas possam se inscrever para receber os recursos doados.

Cartaz de Mulheres Divinas

Consulado da Suíça no Rio exibe filme sobre a luta das mulheres pelo direito de votar; participe

O Consulado Geral da Suíça no Rio de Janeiro, com apoio do Centro de Informação das Nações Unidas no Brasil (UNIC Rio), realiza neste sábado (18) às 15h, no teatro do Centro Cultural Correios, a apresentação do filme suíço “Mulheres Divinas”, que narra a campanha das mulheres suíças pelo direito ao voto nos anos 1970.

A entrada é franca, com espaço sujeito à lotação (200 lugares).

No campo de Nduta, na Tanzânia, vivem 125 mil refugiados burundineses. Como há carência de salas de aula, as crianças estudam embaixo de árvores. Há uma professora para cada 200 alunos. Só 7% do apelo humanitário do ACNUR para 2017 foi financiado. Foto: ACNUR/Georgina Goodwin

Agência da ONU inaugura exposição no Rio sobre refúgio e migração forçada

A Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) inaugura na próxima quarta-feira (15) a mostra “Faces do Refúgio”, que leva para o Centro Cultural dos Correios 52 fotografias sobre migrações forçadas. Essa é a primeira vez em que a exposição desembarca na capital fluminense. Iniciativa aborda as principais crises de deslocamento da atualidade, em países como Síria, Sudão do Sul, República Democrática do Congo e Mianmar.

O brasileiro Sergio Vieira de Mello em uma de suas últimas reuniões na ONU em Nova York, em julho de 2003. Foto: ONU/Mark Garten

Livro e documentário contam trajetória do diplomata brasileiro Sergio Vieira de Mello

Em meio às homenagens pelos 15 anos da morte de Sergio Vieira de Mello, a ZAZ Produções lança na quinta-feira (16), no Palácio do Itamaraty, no Rio de Janeiro, livro e documentário sobre a trajetória do diplomata brasileiro.

O lançamento da obra “Sergio Vieira de Mello: o legado de um herói brasileiro” tem o apoio do Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio).

UERJ recebe até 24 de setembro inscrições para 7º Festival Curta

A Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) recebe até 24 de setembro inscrições para seu 7º Festival Curta, que em 2018 lembra o aniversário de 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos. O concurso é apoiado pelo Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio).

Poderão ser inscritos vídeos com duração máxima de 10 minutos sobre avanços e desafios de direitos humanos. Os curtas devem abordar maneiras de os direitos humanos serem respeitados no dia a dia, iniciativas da sociedade, das escolas e dos governos para ampliar a conscientização sobre a Declaração, entre outros assuntos. Saiba como se inscrever.

O artista brasileiro Otávio Roth cumprimenta o então secretário-geral das Nações Unidas, Kurt Waldheim, no lançamento da série de 30 xilogravuras ilustrativas da Declaração Universal dos Direitos Humanos, em Nova Iorque. Foto: Acervo Otávio Roth

Após 30 anos, xilogravuras da Declaração dos Direitos Humanos são expostas no Brasil

A ONU Brasil realizará em agosto uma exposição no Rio de Janeiro com obras do artista paulistano Otávio Roth, que em 1978 criou e imprimiu xilogravuras que ilustram os trinta artigos da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

É a primeira vez em mais de 30 anos que as xilogravuras — expostas permanentemente nas sedes da Organização em Nova Iorque, Viena e Genebra — têm exibição no país.

Em entrevista ao Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio), a filha do artista, Isabel Roth, falou sobre o legado de Otávio e suas contribuições para a divulgação da Declaração, que completa 70 anos em 2018, e do trabalho das Nações Unidas globalmente. Leia a reportagem completa.