Arquivo da tag: Cooperação Sul-Sul

A Cooperação Sul-Sul é um mecanismo de desenvolvimento conjunto entre países emergentes em resposta a desafios comuns. Acesse abaixo todas as informações sobre o tema.

Plantação de algodão no Brasil. Foto: Assegov/Lia Mara

Cooperação entre Brasil, Peru e Paraguai visa promover trabalho decente na cadeia do algodão

Organização Internacional do Trabalho (OIT) e parceiros promoveram no fim de setembro em Belo Horizonte (MG) oficinas de capacitação de inspetoras e inspetores do trabalho de Paraguai e Peru como forma de impulsionar o trabalho decente na cadeia de valor do algodão.

Organizada em conjunto com a Subsecretaria de Inspeção do Trabalho do Brasil e a Superintendência Regional do Trabalho (SRTE) de Minas Gerais, o treinamento buscou fortalecer as capacidades técnicas dos funcionários dos ministérios peruano e paraguaio, para que possam realizar inspeções mais eficientes.

Delegações conheceram o Projeto Algodão da Paraíba e outras iniciativas de desenvolvimento do setor algodoeiro de pequena escala. Na foto, produtor de algodão da Paraíba. Foto: Governo da Paraíba

Delegações de Colômbia, Mali e Moçambique conhecem algodão sustentável da Paraíba

Delegações de países de América Latina e África, parceiros dos projetos de Cooperação Sul-Sul Trilateral com Brasil, Organização Internacional do Trabalho (OIT) e Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), realizaram esta semana visitas técnicas à Paraíba com o objetivo de conhecer a cadeia de produção do algodão envolvendo pequenos produtores, associativismo e inovações tecnológicas.

Um dos objetivos da visita foi proporcionar aos produtores de Colômbia, Mali e Moçambique um maior conhecimento prático sobre organização, associativismo e inovação nas áreas de pesquisa, produção, extensão rural e agricultura familiar brasileira.

O algodão é produzido por cerca de 150 países e é um dos 20 produtos mais exportados do mundo. Foto: Secom-MT/Mayke Toscano

OIT e parceiros apresentam resultados de cooperação técnica no setor algodoeiro

A Organização Internacional do Trabalho (OIT) e a Agência Brasileira de Cooperação (ABC) participam até quinta-feira (29) do 12º Congresso Brasileiro do Algodão em Goiânia (GO), onde apresentam resultados da cooperação técnica do Brasil com outros países de África e América Latina nesse setor.

“O algodão é um dos principais produtos agrícolas do mundo, responsável pela geração de emprego e de renda, especialmente em países em desenvolvimento. O setor ocupa posição estratégica na política de desenvolvimento econômico e social nos programas nacionais de redução da pobreza de diversos países parceiros do Brasil na África e na América Latina”, disse o embaixador Ruy Carlos Pereira, diretor da ABC.

Os projetos de cooperação são desenvolvidos em parceria com 13 instituições públicas brasileiras, contam com o apoio do Instituto Brasileiro do Algodão (IBA) e são executados com agências especializadas das Nações Unidas, como OIT, Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e Centro de Excelência Contra a Fome, do Programa Mundial de Alimentos (PMA).

Projeto Cotton Victoria, na Tanzânia. Foto: ABC

Setor algodoeiro brasileiro compartilha boas práticas com países em desenvolvimento

Quarto produtor mundial de algodão e segundo maior exportador global desse produto, o Brasil tem compartilhado seu conhecimento com outros países que também têm na cotonicultura uma importante fonte de renda para seus agricultores.

Nesse contexto, o projeto “Apoio ao desenvolvimento do setor algodoeiro por meio da Cooperação Sul-Sul”, da Agência Brasileira de Cooperação (ABC) em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), utiliza experiências e conhecimentos disponíveis no Brasil para contribuir com o crescimento do setor algodoeiro em nações em desenvolvimento.

Semana do Clima da América Latina e Caribe ocorre em Salvador (BA). Foto: UNclimatechange

Países latino-americanos e caribenhos unem-se para ampliar transparência de acordo climático

Com o objetivo de fortalecer a transparência da ação climática na América Latina e Caribe, em sintonia com o Acordo de Paris, foi promovido nesta terça-feira (20) em Salvador (BA) o workshop “Elaborando oportunidades de aprendizagem entre pares Sul-Sul”.

O evento integrou as atividades da Semana do Clima da América Latina e Caribe e foi organizado pelo Centro de Transparência Climática da ONU Meio Ambiente e pela Aliança PNUMA DTU (Universidade Técnica da Dinamarca), em coordenação com a Iniciativa para a Transparência da Ação Climática (ICAT, em inglês).

Na Argélia, a inclusão de mulheres nas capacitações está entre as maiores conquistas da parceria. Foto: ABC

Publicação celebra parcerias de cooperação técnica entre Brasil e África

Publicação lançada por Agência Brasileira de Cooperação (ABC) e Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) teve como objetivo celebrar parcerias que impulsionaram o desenvolvimento de países da África e marcaram as relações entre brasileiros e africanos.

O texto sobre cooperação técnica entre Brasil e cinco países da África, disponível em português, inglês e francês, mostra como os brasileiros passaram a atuar como atores relevantes da Cooperação Sul-Sul, mecanismo de interação entre países em desenvolvimento que tem adquirido importância crescente nas últimas décadas.

A missão faz parte das atividades do projeto "Promoção de trabalho decente na cadeia do algodão no Peru", que reúne os governos brasileiro e peruano e conta com assistência técnica da OIT. Foto: OIT

Brasil e Peru discutem em Brasília (DF) desafios e oportunidades do futuro do trabalho

O que o setor de telecomunicações no Brasil tem em comum com a produção de algodão no Peru? Quando se trata de mapear e de entender os desafios e as oportunidades apresentados pelo presente e futuro do trabalho e de antecipar habilidades profissionais, muito conhecimento pode ser compartilhado entre os dois países.

Com esse objetivo, escritório da Organização Internacional do Trabalho (OIT) no Brasil, a Agência Brasileira de Cooperação (ABC), do Ministério das Relações Exteriores, e o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) recebem representantes do governo do Peru para uma missão de capacitação no âmbito da Cooperação Sul-Sul, que ocorre até sexta-feira (16), em Brasília (DF).

A missão de capacitação ajudará o governo peruano a mapear e antecipar as competências e habilidades profissionais para o futuro do trabalho na cadeia produtiva do algodão do país.

Países africanos têm buscado cooperação técnica com IBGE. Foto: EBC

Representante do UNFPA apresenta em Nova Iorque experiência do Brasil em Cooperação Sul-Sul

O representante do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) no Brasil, Jaime Nadal, apresentou durante evento na sede da ONU, em Nova Iorque, os avanços alcançados pelo país por meio da Cooperação Sul-Sul e os benefícios deste tipo de modelo durante apresentação voltada para especialistas da agência das Nações Unidas em todo o mundo.

A Cooperação Sul-Sul é um modelo de cooperação em que dois ou mais países em desenvolvimento atuam em conjunto, por meio do intercâmbio de conhecimentos e habilidades, para atingir determinados objetivos. No Brasil, os projetos são viabilizados por meio do diálogo constante e da parceria com a Agência Brasileira de Cooperação (ABC).

Como exemplos, o representante do UNFPA citou o projeto que visa buscar a igualdade de gênero e o empoderamento de mulheres em países africanos, uma cooperação entre Brasil e Moçambique, com a participação do UNFPA; e o projeto do Censo Eletrônico, que leva o pioneirismo da tecnologia do Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE) no levantamento e registro de dados populacionais a países da África.

O evento "Parques Industriais para o Desenvolvimento Industrial Inclusivo e Sustentável" reuniu mais de 700 participantes em Lima, no Peru. Foto: UNIDO

Conferência sobre parques industriais reúne mais de 700 participantes em Lima

Uma conferência internacional realizada em junho em Lima, no Peru, para promover diálogo e troca de experiência sobre como gerar as condições apropriadas para o desenvolvimento de parques industriais foi organizada pela Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (UNIDO), pela Associação Nacional das Indústrias (SNI) do Peru e pelo Ministério da Produção do país.

Mais de 700 participantes de 30 países de América Latina, África, Ásia e Europa ouviram as palestras de 60 painelistas internacionais e nacionais, incluindo representantes de governos de Peru, Argentina, Etiópia e Indonésia, entre outros. Durante os dois dias de discussões (11 e 12 de junho), os participantes compartilharam melhores práticas e lições aprendidas sobre gestão e desenvolvimento de parques industriais, e como apresentá-los como um modelo de sucesso a ser replicado no mundo todo.

Produção de algodão na Tanzânia. Foto: Gatsby Charitable Foundation (CC)

Universidade mineira apoia projeto da ONU para fortalecer produção de algodão em países africanos

A Universidade Federal de Lavras, em Minas Gerais, é a mais nova parceira do projeto Além do Algodão, uma iniciativa do Centro de Excelência contra a Fome da ONU e da Agência Brasileira de Cooperação para fortalecer a cadeia do algodão e de seus subprodutos em quatro países africanos — Benim, Moçambique, Quênia e Tanzânia.

A instituição mineira vai apoiar ações de capacitação em nutrição, processamento de alimentos e aprimoramento da produção.

Acesso a água e saneamento em espaços públicos é tema de desafio online para jovens. Foto: Banco Mundial/Allison Kwesell

Cidades latino-americanas criam aliança para melhorar gestão de recursos hídricos

Mais de 100 representantes de megacidades latino-americanas, de empresas de água e saneamento e de universidades reuniram-se em São Paulo (SP) nesta semana (7 e 8) em evento organizado pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) para discutir desafios e soluções relacionados à gestão da água diante das mudanças climáticas. O encontro também debateu a criação de uma Aliança Regional de Megacidades para a Água e o Clima.

Os representantes das cidades concordaram que mesmo tendo características específicas, as soluções para garantir segurança hídrica nas megacidades podem ser compartilhadas. Participaram da conferência representantes de Bogotá, Buenos Aires, Cidade do México, Rio de Janeiro, São Paulo, Lima e Santiago.

Camponesa no Senegal. Foto: FAO

Fundo de População da ONU e IBGE ajudam países africanos a implantar coleta eletrônica de estatísticas

Representantes do Senegal e de Cabo Verde reuniram-se nesta semana, no Rio de Janeiro (RJ), com equipes do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), a fim de avaliar o andamento de um projeto conjunto sobre a realização de censos eletrônicos na África.

Iniciativa visa capacitar instituições de coleta de dados dos dois países africanos, com base na experiência bem-sucedida do IBGE com o uso de tecnologia em suas pesquisas.

O Brasil do século 21, onde existem 108 celulares para cada 100 habitantes, convive com um Brasil ainda no século 19, onde 45 a cada 100 habitantes não têm solução adequada de esgotos. Foto: EBC

Evento em SP discute mudanças climáticas e gestão da água nas megacidades latino-americanas

Mais de 100 representantes de megacidades latino-americanas, assim como de universidades e empresas de água e saneamento, reúnem-se em São Paulo (SP) esta semana (7 e 8) para discutir desafios e soluções relacionados à gestão da água diante das mudanças climáticas.

A Conferência América Latina: Megacidades, Água e Mudança Climática acontece na Prefeitura de São Paulo, no auditório do Edifício Matarazzo (Viaduto do Chá, 15 – Centro, São Paulo – SP).

O evento é realizado pela sede da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), pelo Escritório Regional da UNESCO para Ciências na América Latina e Caribe (UNESCO em Montevidéu) e pelo Escritório da UNESCO no Brasil, no âmbito do Programa Hidrológico Internacional da Organização (IHP, na sigla em inglês).

Ações do Centro de Excelência contra a Fome beneficiam 4 milhões de crianças

O Centro de Excelência contra a Fome – fruto de uma parceria entre o governo brasileiro e o Programa Mundial de Alimentos (PMA) – lançou na semana passada (5) seu relatório anual de 2018, que analisa os impactos de suas atividades em países parceiros.

Ao longo do ano, o Centro de Excelência realizou ações para o fortalecimento dos programas de alimentação escolar em 17 países, o que beneficiou aproximadamente 4 milhões de crianças e milhares de agricultores familiares.

Representante do UNFPA no Brasil, Jaime Nadal, participou de atividade no IBGE, durante a qual ressaltou importância de estabelecer novas parcerias em prol da modernização dos sistemas estatísticos. Foto: UNFPA Brasil/Vinicius Monteiro

Agência da ONU apoia evento no IBGE sobre censo demográfico de 2020

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) promoveu na semana passada (2 a 4) no Rio de Janeiro (RJ) um encontro para discutir formas de melhorar a qualidade das informações coletadas para a realização do próximo censo demográfico no país, em 2020.

O evento, realizado em parceria com o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e a Agência Brasileira de Cooperação do Ministério das Relações Exteriores (ABC/MRE), reuniu instituições censitárias de vários países.

O governo do Togo está revisando seus modelos de alimentação escolar e solicitou o apoio do Centro de Excelência contra a Fome. Foto: PMA

Togo revisa modelos de alimentação escolar com apoio de Centro de Excelência contra a Fome

O governo do Togo está revisando seus modelos de alimentação escolar e solicitou o apoio do Centro de Excelência contra a Fome — fruto de uma parceria entre o governo brasileiro e o Programa Mundial de Alimentos (PMA) — para avaliar o modelo comunitário que está sendo testado em todas as regiões do país.

Essa nova abordagem foi iniciada pelo governo do Togo em escolas-piloto em 2018 e enfatiza a participação comunitária na implementação do programa de alimentação escolar. Para realizar essa avaliação, o Centro de Excelência fez uma missão técnica no país de 12 a 18 de março, com apoio do escritório local do PMA.

Conferência BAPA+40 reuniu políticos, líderes empresariais e da sociedade civil na semana passada em Buenos Aires. Foto: PNUD/Vanessa Hidalgo

ARTIGO: Do sul ao mundo — Cooperação Sul-Sul para o Desenvolvimento Sustentável

Em artigo, o administrador do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Achim Steiner, afirma que a Agenda 2030 e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) reconhecem o papel fundamental da Cooperação Sul-Sul no desenvolvimento mundial.

Nesse contexto, o Sistema ONU vem intensificando seus esforços para promover a Cooperação Sul-Sul como um importante complemento de cooperação tradicional para o desenvolvimento. Leia o artigo completo.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, durante discurso em conferência sobre Cooperação Sul-Sul em Buenos Aires. Foto: UNIC Buenos Aires

Cooperação Sul-Sul é vital para luta contra mudança climática, diz Guterres em Buenos Aires

A Cooperação Sul-Sul é chave para o desenvolvimento sustentável e para a luta contra o aquecimento global, disse o secretário-geral das Nações Unidas na quarta-feira (20), na sessão de abertura da Segunda Conferência da ONU sobre Cooperação Sul-Sul, na capital argentina, Buenos Aires.

Segundo Guterres, a cooperação pode permitir que países em desenvolvimento aprendam uns com os outros e cresçam mais rapidamente, diminuindo diferenças de renda e construindo sociedades inclusivas e resilientes.

“A Cooperação Sul-Sul será vital para garantir apoio mútuo e troca de conhecimentos, para melhorar adaptação e aumentar a resiliência de países em desenvolvimento e comunidades que enfrentam os impactos devastadores da mudança climática”, declarou.

Jorge Chediek, enviado do secretário-geral da ONU para a Cooperação Sul-Sul, e o presidente do Uruguai, Tabaré Vásquez (centro), no lançamento de relatório sobre a cooperação entre países em desenvolvimento no mundo digital. Foto: ONU/Laura Quinones

ONU lança plataforma para cooperação técnica entre países do Sul Global

Quando países do Sul Global fecharam um histórico acordo de cooperação técnica há 40 anos, a tecnologia digital era algo do futuro, mas nações em desenvolvimento avançaram um longo caminho desde então. A China, por exemplo, conseguiu enviar um veículo de exploração para o lado escuro da Lua, enquanto a Índia tem um satélite orbitando Marte.

Uma nova ferramenta digital lançada na terça-feira (19), pouco antes da Segunda Conferência de Alto Nível da ONU para Cooperação Sul-Sul, busca fortalecer o compartilhamento de tecnologias em benefício dos países em desenvolvimento.

Por meio da Cooperação Sul-Sul, treinamento e orientações técnicas sobre produção de arroz foram fornecidos a agricultores africanos. Agora, a Costa do Marfim comemora uma farta colheita do produto. Foto: FAO/Wang Jinbiao

O que é Cooperação Sul-Sul e por que ela importa?

Mais de 1 mil pessoas, incluindo delegações governamentais e representantes do setor privado e da sociedade civil, irão se reunir nesta semana (de 20 a 22) na capital da Argentina, Buenos Aires, para a Segunda Conferência de Alto Nível das Nações Unidas para a Cooperação Sul-Sul, ou BAPA+40.

A Cooperação Sul-Sul se refere à cooperação técnica entre países em desenvolvimento no Sul Global. É uma ferramenta usada por Estados, organizações internacionais, acadêmicos, sociedade civil e setor privado para colaborar e compartilhar conhecimento, habilidades e iniciativas de sucesso em áreas específicas, como desenvolvimento agrícola, direitos humanos, urbanização, saúde, mudança climática etc.

O tema central das discussões de Buenos Aires será como a Cooperação Sul-Sul representa uma oportunidade de alcançar a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, o modelo globalmente aceito para paz e prosperidade às pessoas e ao planeta.

Cerimônia de transferência da presidência do G77 do Egito para a Palestina. Foto: ONU/Manuel Elias

Palestina assume presidência de grupo de países em desenvolvimento

Reconhecendo um “longo caminho à frente” para a ambiciosa agenda das Nações Unidas, o secretário-geral da ONU, António Guterres, deu boas-vindas na terça-feira (15) à “histórica liderança do Estado da Palestina” na presidência do Grupo dos 77 (G77) de países em desenvolvimento.

“A Palestina e seus cidadãos vivenciaram em primeira mão alguns dos problemas globais mais desafiadores e dramáticos que enfrentamos”, disse Guterres em discurso na cerimônia anual para entrega da presidência rotativa do G77.

“O Grupo dos 77 e a China demonstraram forte liderança ao longo de 2018 e provaram mais uma vez serem uma força central na demonstração de que multilateralismo é a única maneira de responder aos nossos desafios compartilhados”, afirmou Guterres.

Centro de pesquisas vinculado à ONU lança nova identidade visual

O Centro Internacional de Políticas para Crescimento Inclusivo (IPC-IG) apresentou nesta segunda-feira (14) sua nova identidade visual para comemorar 15 anos de atividades do fórum global destinado a impulsionar o diálogo Sul-Sul sobre políticas inovadoras de desenvolvimento.

Fundado em 2004 com o nome de Centro Internacional para a Pobreza (IPC), o centro é resultado de uma parceria entre o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e o governo brasileiro, representado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA).

O projeto "Além do Algodão" pretende apoiar agricultores familiares de algodão e instituições públicas em Benim, Moçambique, Quênia e Tanzânia. Foto: PMA

Projeto ‘Além do Algodão’ impulsiona geração de renda em países africanos

Equipe do Centro de Excelência contra a Fome — uma parceria entre o governo brasileiro e o Programa Mundial de Alimentos (PMA) das Nações Unidas — realizou duas missões em Moçambique e Benim em dezembro para discutir com oficiais de governo e outros atores demandas e potenciais da cadeia de produção do algodão.

O projeto “Além do Algodão” pretende apoiar agricultores familiares de algodão e instituições públicas em Benim, Moçambique, Quênia e Tanzânia. A iniciativa vai conectar os subprodutos do algodão, como óleo e torta, e culturas consorciadas como milho, sorgo e feijão, a mercados estáveis, inclusive os programas de alimentação escolar. A iniciativa pretende contribuir para a geração de renda para agricultores familiares e para o aumento da segurança alimentar e nutricional em áreas rurais.

Para o oficial do UNFPA Vinícius Monteiro, o projeto contribui para a implementação e o monitoramento do alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, além das metas da "Agenda 2063: A África que queremos". Foto: PNUD

Brasil apoia países africanos na coleta de dados para a realização de censos

O projeto de cooperação técnica “Centros de Referência em Censos com Coleta Eletrônica de Dados” está entre as cinco melhores ações de Cooperação Sul-Sul do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) em todo o mundo.

O objetivo da ação é capacitar os institutos de estatística de Cabo Verde e Senegal, por meio da troca de experiências e conhecimento com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a Agência Brasileira de Cooperação (ABC) e o UNFPA.

Durante visita na primeira semana de dezembro à EMBRAPA Milho e Sorgo (Sete Lagoas-MG), a missão marroquina conheceu a biologia da lagarta-do-cartucho, principal praga do milho, seus hábitos alimentares e estratégias de controle. Foto: FAO

EMBRAPA apoia Marrocos no combate a praga do cultivo de milho

Um acordo de cooperação entre o governo do Marrocos e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) deve ser firmado por meio da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) para a adoção de medidas de controle contra a Spodoptera frugiperda, a lagarta-do-cartucho, principal praga do milho.

A praga, responsável por perdas de até 40% na produção do cereal, está se aproximando do Marrocos, e a missão do país africano é implantar um plano de vigilância fitossanitária para proteção do patrimônio vegetal.

Nova política do Burundi visa estabelecer um mercado estável para produtos alimentares locais produzidos por agricultores familiares. Foto: PMA

Burundi aprova política nacional de alimentação escolar

A Política Nacional de Alimentação Escolar do Burundi foi aprovada pelo Conselho de Ministros do país em sua sessão de novembro.

A nova política foi elaborada com apoio técnico do Centro de Excelência contra a Fome — fruto de uma parceria entre o governo brasileiro e o Programa Mundial de Alimentos (PMA) das Nações Unidas — durante 2017.

Entre os principais objetivos da política, estão aumentar o consumo de alimentos adequados e nutritivos para reduzir a insegurança alimentar entre crianças em idade escolar; e promover o desenvolvimento da agricultura e de comunidade locais.

Programas de alimentação escolar podem fortalecer agricultura local e garantir que crianças frequentam o colégio. Foto: PMA / Vinícius Limongi

Subsecretário-geral da ONU elogia liderança do Brasil em alimentação escolar

“O Brasil tem sido um líder absoluto na alimentação escolar”, afirmou o diretor-executivo do Programa Mundial de Alimentos (PMA) e subsecretário-geral das Nações Unidas, David Beasley.

Em encontro recente em Roma com representantes do país sul-americano e também de nações africanas, o dirigente lembrou que o programa brasileiro de refeições em escolas é o segundo maior do mundo, o que representa “um grande compromisso”.

Katowice, na Polônia, sediará a 24ª Conferência das Partes da Convenção Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC). Foto: ONU

Empresas e governo brasileiro mobilizam setor privado na Conferência do Clima da ONU

A Rede Brasil do Pacto Global — uma aliança do setor privado que promove padrões responsáveis de produção — desembarca na próxima segunda-feira (3) em Katowice, Polônia, para a Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas, também conhecida como COP24. A iniciativa nacional promove debates com o empresariado no chamado Espaço Brasil, criado pelo Ministério do Meio Ambiente e pelo Ministério das Relações Exteriores.

Entregue ao governo haitiano em 2014, e inaugurado oficialmente em 2017, o hospital é um dos três construídos pelo Brasil no país. Foto: Bobby Moon

Documentário mostra impacto de cooperação brasileira na saúde pública do Haiti

Mais de 200 pessoas são atendidas por dia no hospital comunitário de Porto Príncipe, no Haiti, que leva o nome de Zilda Arns, médica brasileira três vezes indicada ao Nobel da Paz. Vítima fatal do terremoto que devastou a capital haitiana em 2010, Zilda era pediatra, um dos focos de atendimento da unidade de saúde que também oferece assistência em Ortopedia, Ginecologia e Obstetrícia.

O projeto do hospital foi implementado pelo Ministério da Saúde brasileiro com apoio da Agência Brasileira de Cooperação (ABC), do governo cubano, da Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial de Saúde (OPAS/OMS) do Haiti, do Escritório das Nações Unidas para Serviços de Projetos (UNOPS) e do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD Brasil).

Em fase final de desenvolvimento, os resultados do projeto são apresentados no documentário institucional “Haiti 12 Janvier”, que apresenta o impacto da construção dos hospitais para a população local.

Representantes do Centro de Excelência contra a Fome — fruto de uma parceria entre o governo brasileiro e o Programa Mundial de Alimentos (PMA) das Nações Unidas — participaram de evento em Moçambique este mês para harmonizar as ferramentas de gestão do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PRONAE). Foto: PMA

Com apoio do Brasil, Moçambique revisa estratégia nacional de alimentação escolar

Representantes do Centro de Excelência contra a Fome — fruto de uma parceria entre o governo brasileiro e o Programa Mundial de Alimentos (PMA) das Nações Unidas — participaram de evento em Moçambique este mês para harmonizar as ferramentas de gestão do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PRONAE).

O encontro teve como objetivo revisar a proposta da Estratégia de Alimentação Escolar do país junto aos atores envolvidos na implementação do PRONAE.

Cena do filme “Histórias da Fome no Brasil”, dirigido por Camilo Tavares. Foto: Reprodução

Parlamentares latino-americanos promovem encontro em Madri para debater fome zero na região

Mais de 60 deputados da Frente Parlamentar contra a Fome da América Latina e do Caribe declararam nesta segunda-feira (29) em Madri que o desenvolvimento sustentável não será alcançado sem um trabalho parlamentar ativo e eficaz rumo à fome zero.

Além de elaborarem leis para garantir o direito à alimentação, os integrantes da frente definiram que o principal foco será potencializar as ações de fiscalização para assegurar que tenham impacto nos territórios mais vulneráveis da região.

O relato é da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

Foto: PMA/Alejandro Chicheri

Brasil e FAO reforçam cooperação internacional para combate à fome e à pobreza

O diretor-geral da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), José Graziano, e representantes do governo brasileiro assinaram na semana passada (17) em Roma, na Itália, uma carta de intenções para reforçar a continuidade da cooperação técnica promovida por meio de parceria entre FAO e Brasil.

Na ocasião, assinaram o documento pelo Brasil o ministro do Desenvolvimento Social, Alberto Beltrame, e o diretor da Agência Brasileira de Cooperação (ABC), Ruy Pereira. O compromisso se refere a projetos internacionais de compartilhamento de experiências e boas práticas de tecnologias e políticas públicas brasileiras com outros países do Sul Global em temas relacionados ao combate à fome e à pobreza.

Haviz, de apenas sete anos, anda em meio aos destroços de um prédio atingido pela catástrofe em Sulawesi. Foto: UNICEF/Wilander

Brasil doa US$ 100 mil para vítimas de terremoto e tsunami na Indonésia

O governo do Brasil anunciou neste mês (19) uma doação de 100 mil dólares para a resposta humanitária à crise na Indonésia, que foi palco de um terremoto e um tsunami em setembro último (28). Catástrofes atingiram a província de Sulawesi Central, deixando mais de 2,1 mil mortos e 4,6 mil indonésios com ferimentos graves. De acordo com a Organização Internacional para as Migrações (OIM), 212 mil cidadãos foram deslocados pela tragédia.

José Graziano da Silva, chefe da FAO (ao centro), ao lado de Alberto Beltrame (à esquerda), ministro do Desenvolvimento Social do Brasil, em reunião com gestores e autoridades ministeriais brasileiros. Foto: FAO/Giuseppe Carotenuto

FAO e Brasil firmam plano para ampliar cooperação com países em desenvolvimento

Em Roma, o ministro do Desenvolvimento Social do Brasil, Alberto Beltrame, assinou na quarta-feira (17) um plano estratégico que define os rumos da parceria entre o país e a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

Documento prevê a ampliação de iniciativas de cooperação Sul-Sul, com países da América Latina, Caribe e África, nas áreas alimentação e proteção social. O marco também aborda a colaboração da FAO com o governo brasileiro nas áreas de nutrição, alimentação escolar e agricultura familiar.

Preparação de merenda escolar no condado de Montserrado, na Libéria. Foto: UNMIL/Christopher Herwig

ONU cria centro de combate à fome no oeste da África

O Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas (PMA) anunciou neste final de semana (5) a criação do Centro de Excelência contra a Fome e a Má Nutrição no Oeste e Centro da África. Com sede em Abidjan, capital da Costa do Marfim, o organismo funcionará como uma plataforma de cooperação entre os países do continente, permitindo a difusão de boas práticas em agricultura familiar, manejo de perdas pós-colheita, proteção social e resiliência comunitária.