Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável

Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU

Acesse todas as informações contextuais sobre a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável em nacoesunidas.org/pos2015 e as últimas notícias abaixo.

Foto: Agência Brasil

ONU Meio Ambiente participa da 1ª Conferência Virtual de Protagonismo Juvenil

Quase metade da população mundial tem menos de 25 anos e, atualmente, existem mais jovens do que em qualquer outro período da história. Só no Brasil, são 51 milhões. Com o objetivo de estimular o engajamento dessa população em temas como política, sustentabilidade, ciência e educação, ocorre até domingo (14) a 1ª Conferência Virtual de Protagonismo Juvenil. O evento online teve a participação da ONU Meio Ambiente.

Governos, setor privado, sociedade civil e academia promoveram ações para incentivar a adoção dos ODS em 2017. Foto: PNUD/Guilherme Larsen.

Brasil avançou em 2017 na formulação de políticas para atingir objetivos globais

Para fortalecer a implementação da Agenda 2030, o Brasil avançou em 2017 na formulação de políticas que estimulam a adoção dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável nos âmbitos federal, estaduais e municipais, de acordo com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

Governos, sociedade civil, setor privado e organismos internacionais promoveram ações que dialogam com o cumprimento dos ODS por meio de ações integradas para erradicar a pobreza, promover o crescimento econômico e a sustentabilidade global.

Superciclo das commodities impulsionou crescimento do Brasil no passado. Foto: EBC

Países dependentes de matérias-primas precisam diversificar economia, diz relatório

Sem uma decidida vontade de realizar mudanças de política econômica até 2030, os países em desenvolvimento que dependem de produtos básicos serão superados por economias mais diversificadas em termos de conquistas sociais e econômicas, segundo relatório publicado em dezembro (11) por Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD) e Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

Segundo o relatório, entre as medidas econômicas que podem promover o crescimento inclusivo nos próximos 15 anos, estão a diversificação econômica, a ampliação dos vínculos entre o setor de produtos básicos e a economia nacional, a adoção de políticas de gasto de caráter anticíclico que permitam constituir reservas durante os períodos de preços altos e utilizá-las durante os períodos de redução de preços, a geração de valor agregado nas matérias-primas e o investimento em proteção social, saúde e educação.

Sede das Nações Unidas em Nova Iorque. Foto: ONU/Rick Bajornas

Assembleia Geral corta em 5% orçamento da ONU para biênio 2018-2019

A Assembleia Geral das Nações Unidas aprovou no domingo (24) um orçamento de quase 5,4 bilhões de dólares para as atividades da Organização durante o biênio 2018-2019. Em comparação ao orçamento do biênio anterior (2016-2017), o montante é 5% menor — o equivalente a 286 milhões de dólares a menos. Valor também está abaixo do solicitado pelo secretário-geral da ONU, António Guterres, em outubro, quando o dirigente apresentou uma proposta que previa 193 milhões de dólares a mais em relação à verba acordada nesta semana.

Marcos Neto, do Centro Internacional do PNUD para o Setor Privado. Foto: PNUD/Gabriela Borelli

Investimento privado em filantropia chega a R$ 2,9 bi no Brasil, mas é insuficiente, aponta relatório

No Brasil, o investimento social privado na filantropia chegou a 2,9 bilhões de reais em 2016, valor equivalente a 0,23% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional. O montante pode impressionar, mas está abaixo do necessário, aponta o novo relatório do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e da Plataforma de Filantropia. Lançado na última terça-feira (12), no Rio de Janeiro, documento aborda engajamento de entidades filantrópicas com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU.

Imagem: Pixabay

Impulso da economia global é oportunidade para enfrentar problemas de desenvolvimento, aponta relatório da ONU

Uma recuperação na economia global – agora crescendo cerca de três por cento – pavimenta o caminho para reorientar políticas para enfrentar problemas de longo prazo, como mudanças climáticas e desigualdade, e remover obstáculos institucionais para o desenvolvimento.

A conclusão está no relatório das Nações Unidas Situação Econômica Mundial e Perspectivas 2018 (WESP, na sigla em inglês), lançado nesta segunda-feira (11) em Nova Iorque.

Para o secretário-geral da ONU, António Guterres, o documento “demonstra que as atuais condições macroeconômicas oferecem aos decisores políticos uma capacidade maior de enfrentar alguns dos problemas mais enraizados que continuam a impedir o progresso rumo aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável”.

Bandeira da ONU na sede em Nova Iorque. Foto: ONU/Mark Garten

PNUD lança em Nova Iorque plano estratégico de desenvolvimento para 2018-2021

O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) lançou na sexta-feira (1) em Nova Iorque seu plano estratégico para o período 2018-2021, ancorado na Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável e comprometido com os princípios de universalidade, igualdade e de não deixar ninguém para trás.

A estratégia tem como objetivo apoiar os países a atingir o desenvolvimento sustentável ao erradicar a pobreza em todas as suas formas e dimensões, acelerar transformações estruturais e construir resiliência para enfrentar crises e choques.

O treinamento, desenvolvido pelo Grupo Temático ODS da Rede Brasil do Pacto Global, aborda os cinco passos contemplados na publicação por meio de conteúdos expositivos, cases e dinâmicas. Foto: Rede Brasil do Pacto Global/Fellipe Abreu

Rede Brasil do Pacto Global promove inserção dos ODS nas práticas corporativas

Na medida em que as empresas assumem mais compromissos com a sustentabilidade, a busca por ferramentas e treinamentos que auxiliam na inserção dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) nas práticas corporativas é crescente. Um exemplo foi o workshop sobre o Guia de Implementação dos ODS para empresas (SDG Compass), realizado desde o ano passado pela Rede Brasil do Pacto Global e parceiros em cinco estados brasileiros.

De acordo com o último relatório publicado por FAO e OPAS, a fome aumentou na América Latina e no Caribe pela primeira vez em mais de duas décadas. Foto: EBC

Agências da ONU unem esforços para erradicar fome e má nutrição na América Latina e no Caribe

As três agências das Nações Unidas com sede em Roma — Programa Mundial de Alimentos, Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) — anunciaram nesta quinta-feira (30) uma nova aliança que permitirá unir esforços para apoiar os países latino-americanos e caribenhos na erradicação da fome, da má nutrição e da pobreza, impulsionar o desenvolvimento rural e avançar rumo aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Esta nova aliança responde ao momento crítico enfrentado por América Latina e Caribe. De acordo com o último relatório publicado pela FAO e pela Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), a fome aumentou na região pela primeira vez em mais de duas décadas.

Contraste entre as desigualdades no município do Rio de Janeiro. Foto: Luiz Gonçalves Martins - ODS 10

CEPAL pede mudança no modelo de desenvolvimento em vigor na América Latina e no Caribe

Em discurso de encerramento em colóquio internacional no México, a secretária-executiva da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL), Alicia Bárcena, pediu que os países da região mudem o estilo de desenvolvimento em vigor e transitem para um desenvolvimento sustentável com foco na igualdade.

“Temos que mudar profundamente o estilo de desenvolvimento, o capitalismo não funciona. Precisamos rumar para um futuro que efetivamente reconheça o mercado, mas um mercado que esteja a serviço da sociedade e não uma sociedade a serviço do mercado”, disse a secretária-executiva da CEPAL.

O novo representante do UNFPA no Brasil traz para o cargo mais de 20 anos de experiência no Sistema das Nações Unidas. Foto: UNFPA

Objetivos das Nações Unidas precisam virar realidade concreta para população, diz UNFPA

Em aula na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), em Natal, o representante do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) no Brasil, Jaime Nadal, defendeu na terça-feira (28) que os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU (ODS) sejam traduzidos em melhorias concretas na vida das pessoas. Dirigente participou da abertura de um curso sobre uso de dados na elaboração de políticas públicas. Apoiada pelo organismo internacional, formação reúne até amanhã (30) servidores e sociedade civil.

Grupo coordenado por UNFPA e OPAS/OMS promoveu o debate sobre Estratégia Global para a Saúde das Mulheres, das Crianças e dos Adolescentes 2016-2030. Foto: OMS

ONU e parceiros discutem estratégia nacional para saúde de mulheres, crianças e adolescentes

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e a Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) receberam na quinta-feira (23) representantes de outras agências da ONU, do Ministério da Saúde brasileiro, da União de Nações Sul-Americanas (UNASUL) e da sociedade civil para discutir a implementação da Estratégia Global para a Saúde das Mulheres, das Crianças e dos Adolescentes 2016-2030 no país.

A iniciativa foca no apoio aos países para que as políticas públicas de saúde efetivamente promovam a equidade e sejam voltadas aos mais vulneráveis, sem deixar ninguém para trás.

Cerimônia de abertura do curso de capacitação em Cabo Verde. Foto: ABC

Fundo de População da ONU e IBGE apoiam institutos de estatística africanos na coleta eletrônica de dados

Dados estatísticos confiáveis e de qualidade são fundamentais para a identificação da realidade de cada país e para a elaboração de políticas públicas relacionadas à Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.

A conclusão é de participantes do curso de capacitação de técnicos dos institutos de estatísticas de Senegal e de Cabo Verde, realizada por uma parceria entre a Agência Brasileira de Cooperação (ABC), o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA).

Representantes e especialistas no tema do setor privado, governo, organizações não governamentais e instituições de pesquisa marcaram presença em apresentações e mesas de debate com foco no cumprimento da Agenda 2030. Foto: Centro RIO+/Brenda Hada

No Rio, ONU discute papel da ciência e da tecnologia para a saúde e o bem-estar

O Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais das Nações Unidas, o Mecanismo de Facilitação de Tecnologia da ONU, o Centro Mundial para o Desenvolvimento Sustentável (Centro RIO+) e a Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ) promoveram na semana passada uma consulta internacional sobre o papel da ciência, da tecnologia e da inovação no cumprimento da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, especialmente no que se refere à saúde e ao bem-estar.

Representantes e especialistas de setor privado, governo, organizações não governamentais e instituições de pesquisa estiveram presentes em apresentações e debates cujo foco foi o cumprimento da Agenda 2030 por meio da ciência, da tecnologia e da inovação. Discutiu-se também oportunidades de avanço na saúde e experiências de uso de plataformas online.

Jovens são 11% da população do Brasil. Foto: AGECOM/Carol Garcia.

Fundo de População da ONU destaca importância da juventude para conquista de objetivos globais

Os jovens devem estar engajados com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) para garantir que suas metas sejam cumpridas, disse a oficial de programa do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), Anna Cunha, na sexta-feira (10), durante evento em Brasília (DF).

“Para isso, se faz necessário adotar medidas eficazes que contribuam para mudar a realidade dessa parcela da sociedade que em muitos casos se encontra em vulnerabilidade social e à margem de direitos humanos que são essenciais para uma vida digna”, ressaltou.

Vice-secretária-geral da ONU, Amina Mohammed (à esquerda), e a enviada especial para o Haiti, Josette Sheeran (canto superior esquerdo), em encontro com famílias haitianas afetadas pela cólera. Foto: ONU Haiti

ONU caminhará junto ao Haiti rumo ao desenvolvimento sustentável, diz vice-chefe da organização

A vice-secretária-geral das Nações Unidas, Amina Mohammed, e a enviada especial do secretário-geral para o Haiti, Josette Sheeran, realizaram uma visita de três dias no Haiti que terminou no último domingo (5).

Elas se comprometeram com mais ajuda para superar o cólera, bem como mais assistência ao governo haitiano para alcançar os objetivos mais abrangentes da Agenda 2030 da ONU para o Desenvolvimento Sustentável.

Equipe do Centro Pan-Americano de Febre Aftosa (PANAFTOSA) esteve presente no show de aniversário de 72 anos da ONU no Rio. Foto: UNIC Rio/Pedro Andrade

Show de aniversário dá visibilidade ao trabalho da ONU no Brasil

O show para comemorar o aniversário das Nações Unidas, realizado na terça-feira (24) na Fundição Progresso, no centro do Rio de Janeiro, contribuiu para divulgar o trabalho da ONU localmente e para integrar a Organização à vida cultural da cidade, na avaliação das agências que contribuíram para que o evento acontecesse.

O encontro reuniu cerca de 200 pessoas e contou com a apresentação musical da banda Bomoko, formada por refugiados de Angola e da República Democrática do Congo, e de representantes do coletivo Baixada Nunca se Rende, composto por mais de 100 artistas da Baixada Fluminense.

Seminário abordará os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU. Imagem: PNUD

Seminário discute mudança do clima, erradicação da pobreza e desenvolvimento humano

A mudança do clima, caso não seja controlada, reverterá os ganhos de desenvolvimento alcançados nas últimas décadas e tornará impossível a obtenção de ganhos adicionais. Esta será a base de discussão do Seminário “Diálogo Estratégico sobre Mudança do Clima, Erradicação da Pobreza e Desenvolvimento Humano”, na Casa da ONU, em Brasília, que ocorre nesta quinta-feira (26), das 14h às 18h. O evento será transmitido ao vivo pela Internet.

O seminário é uma iniciativa do Sistema ONU no Brasil, organizado pela Comissão Econômica para a América Latina (CEPAL), Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), ONU Meio Ambiente e Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

Grupo Bomoko. Foto: UNIC Rio/Pedro Andrade

Show de aniversário da ONU reúne 200 pessoas no Rio de Janeiro

Cerca de 200 pessoas reuniram-se na Fundição Progresso, no centro do Rio de Janeiro, na terça-feira (24), para o aniversário de 72 anos das Nações Unidas, celebrado com o show de uma banda de refugiados africanos e outra de artistas da Baixada Fluminense. O evento teve como foco a Década Internacional de Afrodescendentes, adotada em 2015 pelos Estados-membros da ONU, entre eles o Brasil, para enfrentar o racismo.

“A grande participação neste evento mostra que a ONU pode ter uma imagem menos formal, menos protocolar”, disse o diretor do Centro de Informação das Nações Unidas no Brasil (UNIC Rio), Maurizio Giuliano, organizador da festa. “Precisamos estar mais perto dos jovens, das pessoas para as quais trabalhamos, abraçando suas diversidades de opiniões, raças, culturas”.

Crianças do Botafogo entraram em campo com símbolos dos ODS. Foto: UNIC Rio/Pedro Andrade

Agência da ONU e Botafogo começam parceria com ação sobre sustentabilidade

O Botafogo fechou a 30ª rodada do Brasileirão com uma vitória e uma ação de conscientização especial. Na noite da segunda-feira (23), ao enfrentar — e vencer por 2×1 — o Corinthians, o time carioca abriu as portas do Estádio Nilton Santos para a ONU.

Em iniciativa para marcar o início de uma parceria entre o clube e o Programa das Nações Unidas para Assentamentos Humanos (ONU-HABITAT), crianças botafoguenses entraram em campo carregando os símbolos dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Os jogadores exibiam a marca da agência nas mangas.

Estatísticas serão fundamentais para monitorar cumprimento da Agenda 2030. Foto: PEXELS

Brasil deve aproveitar dados de programas sociais para monitorar objetivos da ONU, defendem especialistas

Para monitorar o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), nações terão de definir indicadores adequados, capazes de fornecer dados precisos sobre erradicação da pobreza, igualdade de gênero, mudanças climáticas e outros desafios visados pela ONU. Para especialistas do IPEA e do IBGE, Brasil precisa garantir periodicidade na divulgação de estatísticas e aproveitar registros administrativos de programas de proteção social.

Oficina de Trabalho sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e Direitos Humanos, na Casa das Nações Unidas, em Brasília. Foto: PNUD Brasil/Guilherme Larsen

Objetivos da ONU dependem da garantia dos direitos humanos, dizem especialistas

Como os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas (ODS) — um conjunto de metas para erradicar a pobreza, promover a igualdade de gênero e combater as mudanças climáticas — podem levar países a cumprir com suas obrigações de direitos humanos, e vice-versa? A pergunta foi tema de oficina realizada nesta semana, em Brasília, pela ONU e pelo Instituto de Desenvolvimento e Direitos Humanos (IDDH). Para especialistas, pautas dependem umas das outras.