Taís Araújo e Fórum Nacional das Mulheres Negras fazem live sobre violência doméstica na pandemia

Para dar visibilidade ao aumento dos casos de violência doméstica durante o isolamento social causado pela pandemia da COVID-19, celebridades vão abordar o problema em lives no Facebook e Instagram.

Além de informações e orientações, serão apresentados os novos recursos para enfrentamento da violência doméstica da ISA.bot, uma bot voltada à segurança da mulher. A ferramenta foi criada pela ONG Think Olga e o Mapa do Acolhimento, projeto do Nossas.Org, com apoio do Facebook, Google e da ONU Mulheres.

Taís Araújo, defensora da ONU Mulheres Brasil para os Direitos das Mulheres Negras, conversará com Clátia Vieira, do Comitê Mulheres Negras Rumo a um Planeta 50-50 em 2030 (vinculado à ONU Mulheres) e do Fórum Nacional de Mulheres Negras, na quinta-feira (21), às 19h, pela conta da atriz (@taisdeverdade) e de Clátia Vieira (@clatiavieira).

O bate-papo abordará a violência doméstica com foco na situação das mulheres negras, que são as que mais sofrem violência doméstica no Brasil. Segundo o Atlas da Violência de 2019, mais de 60% das mulheres assassinadas no país são negras.

A primeira live da série aconteceu com Juliana Paes, defensora da ONU Mulheres Brasil para Prevenção e Eliminação da Violência contra as Mulheres, e Maíra Liguori, diretora do Think Olga, em 8 de maio. O evento iniciou a série de bate-papos virtuais entre artistas e ativistas sobre violência doméstica e familiar contra as mulheres. A conversa entre Juliana e Maíra teve mais de 300 mil visualizações.

De acordo com a ONU Mulheres, em diversos países, os índices de violência doméstica contra mulheres vêm crescendo durante a quarentena pelo coronavírus. No Brasil, uma pesquisa recente divulgada pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública traz indícios desse aumento. O estudo aponta que o confinamento dificulta ainda mais as denúncias. Diante disso, serviços de atendimento online, como a ISA.bot, são ainda mais necessários para dar suporte às vítimas.

Para ativar a ISA.bot, basta chamá-la no Messenger da Página IsaBot no Facebook, e ativando, por escrito ou verbalmente, por “OK Google, falar com Robô Isa” no Google Assistente. Atualmente, a ferramenta já é acessada por mais de 69 mil mulheres.

Novos recursos da ISA.bot

A ISA.bot, bot para segurança de mulheres lançado no final de 2019, no Messenger e no Google Assistente, ganhou uma atualização para trazer informações e ferramentas para mulheres em situação de violência doméstica.

Agora, a bot dá dicas e orientações para mulheres que estejam vivendo essa situação ou para pessoas que possam estar em condições de ajudar. São informações para se manter segura, como, por exemplo, informar alguém de confiança sobre o que está acontecendo, ou pedir que ligue diariamente para saber como está.

Há ainda recursos sobre o que fazer em situações urgentes, como a linha telefônica policial, 190, e a linha de apoio específica para violência doméstica, 180. Caso não possam usar o telefone, as mulheres também encontrarão informações sobre ferramentas online, como o aplicativo PenhaS ou a plataforma do Mapa do Acolhimento, uma rede de solidariedade que conecta mulheres que sofreram violência de gênero a psicólogas e advogadas voluntárias de todo o Brasil.

A ideia da bot nasceu durante um workshop criativo realizado pela Think Olga e pelo Facebook, quando 10 organizações de defesa aos direitos das mulheres, como a própria ONU Mulheres, se reuniram com o objetivo de pensar em ferramentas e recursos para promover uma internet mais segura para as mulheres.