Suécia, Bolívia, Etiópia e Cazaquistão passam a integrar Conselho de Segurança da ONU

Os 193 países-membros da Assembleia Geral das Nações Unidas elegeram Suécia, Bolívia, Etiópia e Cazaquistão como integrantes do Conselho de Segurança por um período de dois anos. Os países recém-eleitos substituirão Espanha, Malásia, Nova Zelândia, Angola e Venezuela.

O Conselho de Segurança é responsável pelas questões internacionais relacionadas à paz e segurança, além de recomendar a admissão de novos Estados-membros à ONU.

Vista do hall da Assembleia Geral da ONU, em Nova York, Foto: ONU

Vista do hall da Assembleia Geral da ONU, em Nova York, Foto: ONU

Os 193 países-membros da Assembleia Geral das Nações Unidas elegeram Suécia, Bolívia, Etiópia e Cazaquistão como integrantes do Conselho de Segurança por um período de dois anos. Os países recém-eleitos substituirão Espanha, Malásia, Nova Zelândia, Angola e Venezuela.

O mandato se inicia em 1º de janeiro de 2017. A quinta vaga é disputada por Itália e Holanda, que sugeriram dividir o mandato. Esta proposta ainda será validada.

O Conselho de Segurança é responsável pelas questões internacionais relacionadas à paz e segurança, além de recomendar a admissão de novos Estados-membros à ONU.

Os 10 assentos não permanentes são ocupados em formato de rodízio estabelecido em 1963, a fim de proporcionar representação de todas as partes do mundo: cinco da África e Ásia, um do Leste Europeu, dois latino-americanos e dois da Europa e outros estados.

Bolívia e Etiópia não enfrentaram outros competidores. O Cazaquistão venceu a Tailândia na vaga da Ásia, enquanto Itália, Holanda e Suécia disputaram o lugar europeu.

O Conselho de Segurança tem 15 países-membros, sendo cinco permanentes e com poder de veto: China, França, Rússia, Reino Unido e Estados Unidos. Os outros membros não permanentes são Japão, Egito, Senegal, Ucrânia e Uruguai.