Sudão: ONU amplia ajuda no estado do Nilo Azul, devastado por conflitos

Programa Mundial de Alimentos conseguiu chegar esta semana com ajuda alimentar a 51 mil pessoas, pela primeira vez em 19 meses. Região faz fronteira com o Sudão do Sul.

Mães de refugiados no estado do Nilo Azul, no Sudão, esperam em uma clínica no Sudão do Sul para que seus filhos sejam medidos para avaliação de desnutrição e vacinádos contra o sarampo. Foto: IRIN/Hannah McNeish

Mães de refugiados no estado do Nilo Azul, no Sudão, esperam em uma clínica no Sudão do Sul para que seus filhos sejam medidos para avaliação de desnutrição e vacinádos contra o sarampo. Foto: IRIN/Hannah McNeish

As Nações Unidas conseguiram chegar esta semana a 51 mil pessoas com ajuda alimentar no estado Nilo Azul, no Sudão. Estas são as primeiras entregas em 19 meses na região arruinada por um conflito. No entanto, a ONU alertou que precisa de mais fundos para alimentar todas as pessoas necessitadas.

A primeira rodada de distribuições foi composta de rações de dois meses de alimentos para cerca de 12 mil pessoas em Geissan e 39 mil em Kurmuk, disse o Programa Mundial de Alimentos (PMA) na quinta-feira (11).

A agência da ONU pretende alcançar pessoas de seis localidades antes da estação chuvosa que tem início em maio, mas ainda precisa de cerca de 20 milhões de dólares para assegurar 17 mil toneladas de alimentos para a resposta de emergência.

No que chamou de um “grande avanço”, o PMA anunciou na semana passada que as primeiras rações alimentares da ONU chegaram a atingidos por conflitos na região. Esta seria a primeira vez que a Organização teria alcançado o local desde 2011, quando a remota área rural, perto da fronteira com o Sudão do Sul, foi isolada por restrições de segurança e de movimento imposta pelo Governo.

“Enquanto nós continuamos a lutar pelo acesso a todas as áreas, este ainda é um grande avanço que vai nos permitir ajudar aqueles que continuam a ser deslocados pelo conflito ou aqueles que decidiram voltar para suas casas e estão em extrema necessidade de assistência alimentar”, Disse o Diretor do PMA no país, Adnan Khan.

Os combates entre as forças armadas sudanesas e movimentos rebeldes eclodiram no estado vizinho ao Sudão do Sul após este ter se separado no âmbito do Acordo de Paz Global de 2005, que pôs fim a uma guerra civil de décadas. Os combates em no estado do Nilo Azul deixaram dezenas de milhares de pessoas deslocadas e isoladas.