Sudão: agências da ONU unem esforços para ajudar pequenos agricultores

O Programa Mundial de Alimentos (PMA) e o Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrícola (FIDA) anunciaram que vão unir esforços para reforçar a cooperação no Sudão, a fim de ajudar os pequenos agricultores a melhorar suas produções, bem como promover a segurança alimentar no país.

Agricultor sudanês em sua propriedade em Ed Damazine. Foto: OCHA

Agricultor sudanês em sua propriedade em Ed Damazine. Foto: OCHA

O Programa Mundial de Alimentos (PMA) e o Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrícola (FIDA) anunciaram na segunda-feira (29) que vão unir esforços para reforçar a cooperação no Sudão, a fim de ajudar os pequenos agricultores a melhorar suas produções, bem como promover a segurança alimentar no país.

“Esperamos plenamente que esta colaboração fortaleça nossos esforços contínuos para promover a resiliência e autoconfiança entre as comunidades vulneráveis que apoiamos”, disse o chefe do PMA no Sudão, Marco Cavalcante, em um comunicado à imprensa em conjunto.

“O escritório do FIDA no país tem o prazer de assinar este acordo com o PMA, que é um excelente exemplo de colaboração entre as agências com sede em Roma e aqui no Sudão”, disse o dirigente oficial do FIDA no país, Ahmed Subahi.

No âmbito do acordo, as duas agências da ONU vão trabalhar para melhorar o acesso dos pequenos agricultores aos recursos agrícolas, bem como proporcionar treinamentos agrícolas sobre métodos para reduzir as perdas pós-colheita. As agências também vão trabalhar para melhorar a disponibilidade de serviços de mercado para a produção.

Além disso, o acordo também permitirá que as duas agências reforcem a cooperação na análise do impacto das alterações climáticas sobre as atividades agrícolas, a fim de ajudar as comunidades a se adaptar à mudança dos padrões naturais.

De acordo com o comunicado conjunto, o PMA está ajudando atualmente 45 mil pequenos agricultores em todo o Sudão a melhorar a produção e se tornar autossuficientes. O objetivo é chegar a mais de 80 mil pequenos profissionais agrícolas em 2017.

O FIDA, por sua vez, investiu 257 milhões de dólares para financiar 20 programas e projetos desde o início de suas atividades no Sudão, em 1979. Até o final de 2015, o fundo havia implementado oito projetos que se prolongaram por 11 estados em 50 localidades, abrangendo áreas com alta concentração de populações rurais pobres.

Atualmente, projetos do FIDA se estendem a 731 comunidades e a mais de 400 mil beneficiários diretos.

Em 2013, o Sudão ficou em 166ª posição no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), em um ranking que considera 187 países. No Índice Global da Fome, realizado no mesmo ano, o Sudão se classificou como o quinto país com maior insegurança alimentar.

Segundo o PMA, o país continua sendo uma das emergências humanitárias mais complexas, devido aos conflitos recorrentes, aos novos e prolongados deslocamentos, devido à insegurança regional, aos níveis de desnutrição e insegurança alimentar, bem como por conta da pobreza crônica e da deterioração da economia.