‘Start-ups’ podem promover crescimento social inclusivo através da tecnologia, destaca chefe da ONU

Empresas de médio e pequeno porte respondem por mais de 90% dos negócios de todo o mundo. Entre essas companhias, estão ‘start-ups’ que apostam em inovações das tecnologias de comunicação e informação. Impacto social e empreendedorismo foram tema das comemorações do Dia Mundial das Telecomunicações e da Sociedade da Informação.

Empresas pequenas e de médio porte como "start-ups" apostam em inovação das tecnologias e podem encontrar soluções práticas e avançar desenvolvimento em países emergentes. Foto: Pexels

Empresas pequenas e de médio porte como “start-ups” apostam em inovação das tecnologias e podem encontrar soluções práticas e avançar desenvolvimento em países emergentes. Foto: Pexels

Empresas de médio e pequeno porte respondem por mais de 90% dos negócios de todo o mundo. Entre essas companhias, estão start-ups que apostam em inovações das tecnologias de comunicação e informação (TICs) e podem contribuir para o crescimento inclusivo das sociedades.

As informações são do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, em pronunciamento para as comemorações do Dia Mundial das Telecomunicações e da Sociedade da Informação – celebrado na terça-feira (17).

Segundo o dirigente máximo das Nações Unidas, é necessário investir na juventude que já é “fluente” na utilização das TICs. Como futuros empreendedores, esse público poderá gerar novas fontes de emprego e beneficiar economias inteiras. Em países em desenvolvimento, empresas menores podem encontrar formas de combater a pobreza.

“Essas tecnologias oferecem soluções inteligentes para lidar com a mudança climática, a fome, a pobreza e outros desafios globais”, destacou Ban Ki-moon. “São instrumentos fundamentais para possibilitar assistência médica móvel, acesso à educação e ao empoderamento feminino, ganhos de eficiência na produção industrial e da agricultura e preservação do meio ambiente.”

O secretário-geral ressaltou ainda o papel das novas tecnologias na construção de sociedades mais inclusivas para pessoas com deficiência. De acordo com o chefe da ONU, as TICs podem ser usadas também para aprimorar o aprendizado de crianças e manter pessoas idosas ativas.

Dia Mundial marca 151º aniversário de agência da ONU

As celebrações da terça-feira foram organizadas em Genebra pela União Internacional de Telecomunicações (UIT) — agência da ONU criada muito antes das próprias Nações Unidas, em 1865, quando foi assinada a primeira Convenção Internacional de Telégrafos. O documento daria origem à UIT posteriormente.

O organismo é responsável por estabelecer padrões de conectividade e transmissão de dados e por promover a superação da “divisa digital” que ainda faz com que algumas sociedades tenham menos acesso a tecnologia do que outras.

Os eventos comemorativos reuniram pesquisadores, empreendedores e líderes de incubadoras digitais para discutir os impactos positivos que as TICs podem ter sobre as sociedades.

Entre os convidados, o brasileiro Raphael Silva chamou atenção para a relação entre as TICs e a promoção da acessibilidade. O participante é cofundador do Ludwig Project — iniciativa que busca, por meio da tecnologia, traduzir experiências sonoras e musicais para deficientes auditivos.

Durante as comemorações, o secretário-geral da UIT, Houlin Zhao, elogiou o progresso da comunidade internacional em inserir, em tão pouco tempo, bilhões de pessoas dentro dos circuitos globais de informação criados por tecnologias digitais.

O dirigente destacou que, conforme os desafios de infraestrutura e conectividade forem superados, o papel dos serviços e aplicativos deverá crescer — junto com o potencial para que novos interessados entre no mercado com soluções para necessidades locais.

“O empreendedorismo das TICs deve provocar uma mudança de paradigma na produção de impactos sociais significativos. Precisamos das suas especializações (dos empreendedores), inovações e investimento para alcançar nossos objetivos comuns de desenvolvimento social e econômico sustentável.”