Somália: ONU parabeniza formação de novo gabinete político com participação de mulheres

A declaração dos parceiros internacionais também condenou o assassinato de um parlamentar por homens armados na capital Mogadíscio.

Membros da Força de Paz guardam o portão da Villa Somalia, a residência oficial e principal local de trabalho do presidente da Somália. Foto: AMISOM

Membros da Força de Paz guardam o portão da Villa Somalia, a residência oficial e principal local de trabalho do presidente da Somália. Foto: AMISOM

As Nações Unidas instaram o novo governo somali a agir rapidamente no cumprimento de sua agenda “Visão 2016”, após a aprovação de um Conselho de Ministros que inclui a participação de mulheres ministras.

“A participação das mulheres, grupos de jovens e das minorias e o compromisso de trabalhar de forma responsável permanecerá vital à medida que avançamos”, disse um comunicado emitido pela ONU, a União Africana, a União Europeia, a Autoridade Inter-Governamental para o Desenvolvimento (IGAD), o Reino Unido e os Estados Unidos após o Conselho de Ministros ter sido aprovado nesta terça-feira (10) pelo Parlamento da Somália.

Segundo o comunicado, “2015 é um ano crítico para assegurar o sucesso contínuo no caminho para a segurança e estabilidade sustentada na Somália e para melhorar a vida dos somalis comuns”. A declaração também condenou o assassinato, na segunda-feira (9), do parlamentar Abdullahi Qayad Barre, que foi morto por homens armados em Mogadíscio quando se dirigia ao Parlamento.

O Conselho de Segurança da ONU sublinhou a importância de o governo federal dar atenção às áreas mais prioritárias, propostas na “Visão 2016”, incluindo a aprovação de legislação chave para o estabelecimento de uma Comissão Eleitoral Independente, avanços no estabelecimento e fortalecimento das administrações interinas regionais, a estabilização de áreas recuperadas do grupo armado Al Shabaab e a continuidade da implementação e da revisão da Constituição Provisória.