Somália: Enviado especial da ONU afirma estar ‘chocado’ com ataque ‘covarde’ na capital

Relatos iniciais apontam que pelo menos 10 pessoas foram mortas por um carro contendo um dispositivo explosivo improvisado. País passa por momento positivo de mudanças políticas.

Representante Especial Augustine Mahiga. Foto: ONU/Eskinder Debebe

Representante Especial Augustine Mahiga. Foto: ONU/Eskinder Debebe

O enviado das Nações Unidas na Somália disse estar “chocado” e “entristecido” com um ataque utilizando um carro-bomba ocorrido nessa segunda-feira (18) na capital, Mogadíscio, matando várias pessoas e ferindo muitas outras.

O atentado foi próximo à Villa Somália, nos arredores do Teatro Nacional de Mogadíscio, segundo um comunicado de imprensa emitido pelo Escritório Político da ONU para a Somália (UNPOS).

Relatos iniciais apontam que pelo menos 10 pessoas foram mortas por um carro contendo um dispositivo explosivo improvisado. Há ainda relatos de que um oficial sênior de segurança da Somália pode ter sido alvo do ataque.

“O atentado de hoje foi totalmente inaceitável”, disse o Representante Especial do Secretário-Geral da ONU e chefe da UNPOS, Augustine P. Mahiga.

“A Somália tem feito grandes progressos rumo à estabilização e estes ataques terroristas covardes apenas reforçarão a determinação do povo somali de perseverar.”

A Somália – que tem sido afetada por conflitos há mais de duas décadas – obteve recentemente alguns ganhos políticos significativos.

Um dos acontecimentos históricos ocorreu em agosto de 2012, quando o país empossou o primeiro parlamento formal e encerrou o período de transição política que já durava nove anos. No mesmo ano, o país também elegeu Presidente e Primeiro-Ministro.