‘Situação na Venezuela continua muito preocupante’, diz ONU

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Em Genebra, o porta-voz do Alto Comissariado da ONU para os Direitos Humanos, Rupert Colville, disse que o governo venezuelano precisa “lembrar que a liberdade de reunião é um direito humano universal”. Ele destacou que os manifestantes têm o direito de protestar de forma pacífica.

Protesto ocorrido no início de 2014 na Venezuela. Foto: EBC

Protesto ocorrido no início de 2014 na Venezuela. Foto: EBC

O Escritório de Direitos Humanos da ONU (ACNUDH) alertou na terça-feira (18) que a situação na Venezuela continua “muito preocupante”, especialmente após a morte de pessoas que protestavam no país.

Em Genebra, o porta-voz do ACNUDH, Rupert Colville, disse que “o governo venezuelano precisa lembrar que a liberdade de reunião é um direito humano universal”. Ele destacou que os manifestantes têm o direito de protestar de forma pacífica.

Segundo Colville, o Escritório recebeu a confirmação de quatro assassinatos. A ONU pediu ao governo que conduza investigações imparciais. As forças de segurança teriam matado dois manifestantes nos dias 7 e 10 de abril. Um outro homem foi morto a tiros no dia 11, além de um menor de idade.

O funcionário da ONU alegou que as “tensões precisam ser dissipadas e não aumentadas, já que armar civis é uma medida carregada de riscos”.

O porta-voz também pediu que nenhum civil seja preso por protestar de forma pacífica, nem tratado de forma violenta, e lembrou à população do país a importância de manter a paz durante as manifestações.

Segundo as agências de notícias, novos protestos da oposição e do governo estão marcados para esta quarta-feira (19).


Mais notícias de:

Comente

comentários