Situação da Síria é ‘insustentável’, afirma Ban no dia em que país completa um ano de protestos

ONU e Organização de Cooperação Islâmica vão acompanhar missão para apurar informações sobre a situação humanitária em seis cidades e área rural da capital Damasco.

Revolta popular na Síria completa um ano.O Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, marcou o aniversário da revolta na Síria nesta quinta-feira (15/03) com uma mensagem pedindo o fim ao derramamento de sangue, que já custou mais de oito mil vidas desde que os protestos populares começaram. Ele criticou a “repressão brutal que continuou inabalável” e classificou a situação no país como “insustentável”.

“É urgente romper o ciclo da violência, parar as operações militares contra os civis e evitar uma maior militarização do conflito na Síria. O status quo na Síria é insustentável”, disse Ban por meio de seu porta-voz.

Em resposta à chefe de assuntos humanitários da ONU, Valerie Amos, que esteve no país na última semana, o Governo sírio informou agora que vai liderar a partir desse final de semana uma missão para avaliar o estado de sete regiões no país. Membros da ONU e da Organização de Cooperação Islâmica (OIC, em inglês) vão acompanhar a missão.

“É cada vez mais vital que organizações humanitárias tenham acesso irrestrito para atender as necessidades urgentes, promover cuidados emergenciais e suprimentos básicos”, defendeu a Subsecretária-Geral das Nações Unidas para Assuntos Humanitários, Valerie Amos. Serão visitadas as cidades de Homs, Hama, Lattakia, Aleppo, Dayr Az Zor, Deraa e a parte rural de Damasco.