Sistema online sobre biodiversidade brasileira ganha nova plataforma

O Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, a ONU Meio Ambiente e a Rede Nacional de Pesquisa lançam nesta terça-feira (27), em Brasília (DF), o Atlas do Sistema de Informação sobre a Biodiversidade Brasileira (https://www.sibbr.gov.br).

O SiBBr, como é chamado, é o banco de dados de referência do governo brasileiro sobre a biodiversidade nacional e atualmente apresenta informações de 160 mil espécies, com um número total de registros de ocorrência de cerca de 15 milhões.

Além de todos estes dados, que poderão ser acessados de forma livre pela sociedade, a plataforma também disponibiliza informações sobre biomas, áreas protegidas no Brasil, coleções brasileiras, espécies ameaçadas, espécies nativas utilizadas na medicina ou na culinária e seu valor nutricional.

Os oceanos são tão importantes quanto as florestas para a regulação do clima da Terra. Foto: FAO

Os oceanos são tão importantes quanto as florestas para a regulação do clima da Terra. Foto: FAO

O Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, a ONU Meio Ambiente e a Rede Nacional de Pesquisa lançam nesta terça-feira (27), em Brasília (DF), o Atlas do Sistema de Informação sobre a Biodiversidade Brasileira (https://www.sibbr.gov.br).

O SiBBr, como é chamado, é o banco de dados de referência do governo brasileiro sobre a biodiversidade nacional e atualmente apresenta informações de 160 mil espécies, com um número total de registros de ocorrência de cerca de 15 milhões.

Além de todos estes dados, que poderão ser acessados de forma livre pela sociedade, a plataforma também disponibiliza informações sobre biomas, áreas protegidas no Brasil, coleções brasileiras, espécies ameaçadas, espécies nativas utilizadas na medicina ou na culinária e seu valor nutricional.

A base de dados do Sistema de Informação sobre a Biodiversidade Brasileira existe desde 2014 e passou por uma customização. A nova plataforma, baseada na infraestrutura da Plataforma ALA – Atlas o Living Australia, é mais funcional, facilita a indexação, integração e visualização dos dados e informações sobre a biodiversidade e favorece o compartilhamento de informações entre o Brasil e outros países.

Com o SiBBr, o país integra o maior esforço global para conhecer melhor a biodiversidade do planeta e disponibilizar gratuitamente as informações existentes. O Sistema também atua como o “nó brasileiro” da Plataforma Global de Informação sobre Biodiversidade (GBIF), que é a maior iniciativa multilateral de acesso virtual às informações biológicas de aproximadamente 60 países. Desta forma, informações publicadas no país podem ser disponibilizadas para esta rede internacional, e vice-versa.

“O Brasil é um país megadiverso, com o maior estoque de biodiversidade do planeta. Nesta riqueza natural encontramos as soluções baseadas na natureza que contribuem para regulação climática, hídrica, fertilidade dos solos, segurança alimentar, medicamentos, cosméticos, bem como possibilitam inovações para o desenvolvimento econômico”, afirmou a representante da ONU Meio Ambiente, Denise Hamú.

“Dada esta grande riqueza da biodiversidade brasileira, e para conservar este ativo ambiental e utilizá-lo de forma sustentável, é preciso conhecer, registrar e divulgar as informações existentes”, declarou. “O Sistema Brasileiro de Informação sobre a Biodiversidade Brasileira faz isso, ao reunir as informações da nossa biodiversidade e torná-las acessíveis, sem custos, aos tomadores de decisão, setor privado e sociedade em geral”.

Segundo o secretário de Políticas para Formação e Áreas Estratégicas, Marcelo Morales, o SIBBr torna-se uma ferramenta essencial nas pesquisas acadêmicas e na gestão ambiental ao disponibilizar um amplo conjunto de dados das espécies brasileiras e possibilitar cruzamentos diversos com estudos espacializados.

O evento de lançamento ocorrerá nesta terça-feira (27), a partir das 14h30, no auditório do MCTIC. A mesa de abertura contará com a presença de Denise Hamú (ONU Meio Ambiente), Marcelo Morales (MCTIC) e Nelson Simões (RNP), seguida de painéis liderados por Braulio Ferreira (UnB), Cléverson Ranniéri Meira dos Santos (MCTIC), Francine Leal (GSS Sustentabilidade e Bioinovação) e Antônio Carlos Fernandes Nunes (RNP)

Mais informações:

Data: 27 de agosto de 2019.
Horário: 14h30 às 17h30
Local: Auditório do MCTIC, Esplanada dos Ministérios, Bloco R, Brasília DF.

Programação:

14h30: Mesa de Abertura: Secretário de Políticas para Formação e Ações Estratégicas (SEFAE/MCTIC), Dr. Marcelo Morales; Representante da ONU Meio Ambiente Brasil, Sra. Denise Hamú; Diretor-geral da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa – RNP, Sr. Nelson Simões.
15h – Contextualização do SiBBr: importância dos dados para subsidiar políticas públicas e potencial do uso da biodiversidade no Brasil – Dr. Braulio Ferreira de Souza Dias, Departamento de Ecologia, Instituto de Ciências Biológicas, Universidade de Brasília.
15h30 – Estudo de caso 1: Coleções Biológicas do Museu Paraense Emílio Goeldi – Estruturação do sistema institucional de dados e sua importância para a biodiversidade na Amazônia – Cléverson Ranniéri Meira dos Santos, Coordenação de Zoologia, Museu Paraense Emílio Goeldi (MCTIC).
15h50 – Estudo de caso 2: Uso de ativos da biodiversidade em produtos cosméticos – Francine Leal, GSS Sustentabilidade e Bioinovação.
16h10 – Apresentação do Atlas SiBBr e suas principais funcionalidades – Antônio Carlos Fernandes Nunes, Diretor Adjunto de Soluções – Rede Nacional de Ensino e Pesquisa – RNP.
17h – Coquetel de Encerramento.