Síria deve parar já uso da força e prisões, diz Ban

Secretário-Geral das Nações Unidas reiterou o pedido para que missões de agentes humanitários internacionais e Alto Comissariado de Direitos Humanos possam entrar no país.

Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, conversa com o presidente sírio, Bashar al-Assad (arquivo)O Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, voltou a falar por telefone com o Presidente sírio Bashar al-Assad no sábado (06/08) para pedir a suspensão imediata do uso da força contra civis e expressar a forte preocupação da comunidade internacional com a violência dos últimos dias.

Cerca de duas mil pessoas morreram em confrontos pelo país desde março, quando manifestantes começaram a sair às ruas exigindo mais liberdade. Em resposta a referência de al-Assad sobre o grande número de mortos entre as forças de segurança, Ban afirmou que condena a violência dos dois lados.

Ban ressaltou que o uso da força e prisões em massa precisam parar já para que as medidas anunciadas recentemente pelo Presidente tenham alguma credibilidade. O Secretário-Geral reiterou o apelo para que o Governo sírio receba missões de agências humanitárias internacionais e do Escritório do Alto Comissariado da ONU para os Direitos Humanos (ACNUDH).

Os protestos na Síria são parte de uma onda de revoltas populares no norte da África e no Oriente Médio, que ocorrem desde o início deste ano e já derrubaram regimes na Tunísia e no Egito e levaram ao conflito na Líbia.