Síria: conflito completa dois anos e Secretário-Geral da ONU reitera pedido por solução política

Ban Ki-moon também cobrou do Conselho de Segurança unidade para poder agir na crise que já matou mais de 70 mil pessoas.

Uma família que vive deslocado na área de Al-Shadadi, na província de Al Hassakeh, nordeste da Síria. Foto: PMA/Abeer Etefa

Uma família que vive deslocado na área de Al-Shadadi, na província de Al Hassakeh, nordeste da Síria. Foto: PMA/Abeer Etefa

Na semana em que o conflito da Síria entra em seu terceiro ano, o Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, ressaltou a necessidade urgente de uma solução política de acabar com os confrontos, que já tiraram mais de 70 mil vidas e provocaram uma crise humanitária de extrema gravidade.

“Todos precisamos injetar urgência para chegar a uma solução política, enquanto ainda há tempo para evitar a destruição completa da Síria”, afirmou Ban em um comunicado divulgado nesta segunda-feira (18).

“O objetivo final é claro para todos — deve haver um fim para a violência, uma ruptura com o passado e uma transição para uma nova Síria em que os direitos de todas as comunidades sejam protegidos e as legítimas aspirações de todos os sírios por liberdade, dignidade e justiça sejam atendidas”, acrescentou.

“Dois anos atrás, os sírios se levantaram em protestos populares pacíficos para exigir seus direitos e liberdades universais”, observou o comunicado. “Este apelo foi respondido com uma força brutal por parte das autoridades sírias. Hoje, o mundo está observando as consequências com horror.”

Ban Ki-moon pediu à região e à comunidade internacional — em particular ao Conselho de Segurança — para encontrar a unidade e dar o seu total apoio aos esforços do Representante Especial Conjunto das Nações Unidas e da Liga dos Estados Árabes, Lakhdar Brahimi, para ajudar o povo sírio a chegar a uma solução política para o conflito.