Síria: ataques no oeste de Alepo podem ser considerados crimes de guerra, diz Ban

Criança em frente a escola destruída após bombardeio em Ainjara, em Alepo rural, na Síria. Foto: UNICEF/Khalil Alshawi

O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, condenou o ataque realizado na semana passada (28) contra uma escola na parte ocidental da cidade de Alepo, na Síria. De acordo com dados da imprensa, o atentado — que deixou várias crianças mortas — foi promovido por grupos armados da oposição.

Em comunicado à imprensa emitido pelo ser porta-voz, Ban Ki-moon reiterou seu apoio ao Conselho de Segurança da ONU para levar a situação dos crimes ocorridos na Síria ao Tribunal Penal Internacional.

“Se esses ataques foram deliberados, eles podem ser considerados crimes de guerra. Os responsáveis por esses atos devem ser levados à justiça”, frisou o dirigente máximo da ONU.

O enviado especial das Nações Unidas à Síria, Staffan de Mistura, disse no domingo (31) que está chocado com o alto número de foguetes sendo lançados contra áreas de moradores de Alepo.

“Aqueles que argumentam que essas ações são destinadas a aliviar o cerco do leste de Alepo devem se lembrar que nada justifica o uso desproporcional das armas”, disse Mistura. Segundo ele, a utilização indiscriminada de armamentos em áreas resideciais pode constituir crime de guerra.

“Os civis, em ambos os lados do conflito, já sofreram muito devido a tentativas fúteis e mortais de controlar a cidade. Este é o momento de promover um cessar-fogo estável para esta antiga cidade síria”, ressaltou.