Síria: Acesso humanitário a campo de Yarmouk é proibido pelo décimo dia consecutivo

Campo de refugiados de Yarmouk, na Síria, em janeiro deste ano. Foto: ONU

A Agência da ONU de Assistência aos Refugiados da Palestina (UNRWA) foi proibida pelo décimo dia consecutivo de entregar assistência humanitária aos refugiados do campo de Yarmouk, na Síria.

Na segunda-feira (17), a UNRWA pediu que tanto o governo quanto os seus opositores permitam e facilitem o acesso dos moradores a alimentos, medicamentos e outros tipos de ajuda.

A UNRWA não tem acesso a Yarmouk desde o dia 7 de fevereiro, quando combates entre forças nacionais e rebeldes eclodiram durante a noite. Segundo o porta-voz da agência, Christopher Gunness, um pacote de comida distribuído para cada família dura em torno de dez dias – ou seja, a partir de agora, os refugiados já estão passando fome novamente.

Antes desta última interrupção, a UNRWA foi capaz de distribuir mais de 6.500 cestas básicas, 10 mil vacinas contra a poliomielite e diversos outros suprimentos médicos desde o dia 18 de janeiro, quando, depois de meses de negociações com o governo e os rebeldes, o acesso à área foi restaurado pela primeira vez desde setembro.

Antes do conflito armado na Síria, que começou em março de 2011, mais de 160 mil palestinos moravam em Yarmouk.

Desde dezembro de 2012, quando confrontos começaram a acontecer na área, pelo menos 140 mil pessoas deixaram o campo à medida que grupos armados de oposição se estabeleceram no local, com forças do governo controlando a periferia.