Síria: 235 mil palestinos já foram deslocados pela violência, alerta ONU

Campos de refugiados são diretamente afetados pela intensificação dos conflitos. Cinco crianças palestinas foram mortas no início de março por tiros e bombardeios.

Campo de refugiados palestinos de Yarmouk na capital da Síria, Damasco. Foto: IRIN/ Gabriela Keller

Campo de refugiados palestinos de Yarmouk na capital da Síria, Damasco. Foto: IRIN/ Gabriela Keller

Aumenta o número de refugiados palestinos na Síria que são mortos, feridos ou deslocados em meio à intensificação da violência no país do Oriente Médio, advertiu nesta terça-feira (30) a Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados Palestinos (UNRWA).

A agência também apelou a todas as partes do conflito para estabelecer a paz por meio do diálogo e das negociações políticas.

Segundo o UNRWA, cerca de 235 mil palestinos dentro da Síria foram deslocados pelo conflito, enquanto os campos de refugiados palestinos são diretamente afetados pelo aumento da violência.

Em um comunicado, a UNRWA confirmou o deslocamento adicional de cerca de 6 mil palestinos do campo de refugiados de Ein El Tal, localizado 12 quilômetros ao norte da cidade síria de Aleppo, após grupos armados invadirem o local e o declararem como uma zona militar.

Enquanto os conflitos na Síria entram em seu segundo ano, a população de refugiados palestinos não foi poupada. Cinco crianças palestinas foram mortas no início de março, quando foram atingidas por tiros e bombardeios. No mês anterior, 12 refugiados foram mortos por armas pesadas em Yarmouk, subúrbio de Damasco. Cinco deles eram membros da mesma família.

De acordo com estatísticas divulgadas pela UNRWA no início deste ano, a maioria dos refugiados palestinos na Síria depende da agência como seu único meio de sustento. Várias escolas da UNRWA no país estão atuando como um último refúgio para 9 mil pessoas, enquanto dezenas de milhares sofrem por condições adversas nos países vizinhos. Além disso, cerca de 20 mil pessoas fugiram para campos superlotados de refugiados do Líbano.

Os confrontos na Síria começaram em março de 2011, em razão dos levantes contra o presidente Bashar al-Assad. A violência no país já matou mais de 70 mil pessoas e o número de deslocados internos chega a 4,25 milhões de pessoas, com 1,3 milhão já tendo buscado refúgio em países vizinhos.