Simulação de reuniões da ONU é realizada pela primeira vez no estado de Pernambuco

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Foi realizado no fim de junho (27), na Escola de Inovação e Políticas Públicas da Fundação Joaquim Nabuco, em Recife (PE), a primeira edição no estado do Modelo da Organização das Nações Unidas, ou MONU, simulação realizada por estudantes do ensino secundário ou universitários para simular o funcionamento da ONU e, assim, desenvolverem suas habilidades de falar em público.

“É excelente ver que estudantes tão variados em termos de gênero, idade e etnias, estão entusiasmados com o trabalho da ONU”, disse o diretor do Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio), Maurizio Giuliano.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Foi realizado no fim de junho (27), na Escola de Inovação e Políticas Públicas da Fundação Joaquim Nabuco, em Recife (PE), a primeira edição no estado do Modelo da Organização das Nações Unidas, ou MONU, simulação realizada por estudantes do ensino secundário ou universitários para simular o funcionamento da ONU e, assim, desenvolverem suas habilidades de falar em público.

Os MONU visam desenvolver as capacidades de jovens interessados em trabalhar no âmbito internacional, seja na carreira diplomática ou em tribunais internacionais. Os estudantes têm contato prático com a vivência em instituições de caráter supra-estatal e desenvolvem aspectos como a capacidade de argumentação, oratória e retórica, o entendimento sobre documentos e convenções internacionais, o poder de liderança e tomada de decisões, técnicas de negociação, entre outras práticas.

“É excelente ver que estudantes tão variados em termos de gênero, idade e etnias, estão entusiasmados com o trabalho da ONU”, disse o diretor do Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio), Maurizio Giuliano.

A edição em Pernambuco teve a participação de estudantes e graduandos dos cursos de Direito e Ciência Política da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). O objetivo foi introduzir uma cultura de simulações no estado e ampliar o exercício do estudo de práticas diplomáticas no Nordeste do país.

“Fico feliz em saber que posso ser uma inspiração para vocês por meio do meu trabalho, mas há algo muito mais importante: vocês são uma real e forte inspiração para mim. Nosso trabalho é feito não só para o presente, mas em boa parte para o futuro — para vocês, jovens, e aqueles que ainda não nasceram”, declarou Giuliano.

Durante sua palestra, Giuliano abordou o trabalho da ONU no mundo sob o ponto de vista de sua experiência, que desde o ano 2000 o levou a trabalhar para seis diferentes entidades das Nações Unidas em 14 países. No âmbito da campanha “Brasileiros na ONU”, o diretor do UNIC Rio também explicou os canais para trabalhar nas Nações Unidas, e deu dicas para os interessados.

O modelo em Pernambuco teve seis comitês, sendo cinco comitês temáticos e de imprensa internacional. Entre os temas abordados, estavam os limites do monitoramento no século 21; a Corte Interamericana de Direitos Humanos (CIDH); a violência de gênero; entre outros. Houve ainda comitês que abordaram o tema do trabalho infantil e proteção contra o trabalho escravo; a promoção do direito da criança à educação, entre outros. Com 105 inscritos, o evento ocorreu entre os dias 27 a 30 junho e deve ter uma segunda edição em 2019.


Mais notícias de:

Comente

comentários