Semana Mundial da Harmonia Ecumênica – 1 a 7 de fevereiro de 2011

A primeira Semana Mundial da Harmonia Ecumênica nos oferece a oportunidade de concentrar a atenção mundial nos esforços desenvolvidos pelos líderes religiosos, os movimentos interreligiosos e as pessoas do mundo inteiro para promover a compreensão e o respeito entre os seguidores das diferentes religiões e crenças.

Ban Ki-moonMensagem do Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon

A primeira Semana Mundial da Harmonia Ecumênica nos oferece a oportunidade de concentrar a atenção mundial nos esforços desenvolvidos pelos líderes religiosos, os movimentos interreligiosos e as pessoas do mundo inteiro para promover a compreensão e o respeito entre os seguidores das diferentes religiões e crenças. Estes parceiros desempenham um papel indispensável nos esforços em busca da paz das Nações Unidas.

Ao proclamar esta celebração, a Assembleia Geral das Nações Unidas encoraja todos os Estados a aproveitaram a primeira semana de fevereiro para difundir “nas igrejas, mesquitas, sinagogas, templos e outros locais de culto do planeta uma mensagem de harmonia ecumênica e de boa vontade, assente no amor a Deus e ao próximo ou no amor ao bem e ao próximo, segundo suas tradições ou convicções religiosas”.

O respeito à diversidade e o diálogo pacífico são essenciais para que a família humana possa cooperar, em nível mundial, para enfrentar as ameaças e aproveitar as oportunidades comuns. Daí que os esforços dos Estados, da sociedade civil e de outros atores para reforçar a confiança entre as comunidades e as pessoas, estejam no centro de tantas iniciativas das Nações Unidas – desde a Aliança das Civilizações à nossa ampla ação para proteger os direitos humanos, promover a coesão social e criar uma cultura de paz.

A Semana será marcada por um vasto leque de atividades, no mundo inteiro. Em Nova York, a celebração incluirá a projeção de filmes e conversas com a ativa participação da sociedade civil, de entidades das Nações Unidas e de outras organizações intergovernamentais.

Espero continuar trabalhando com pessoas de todas as religiões, para que superemos as tensões e concepções errôneas que tantas vezes nos dividem e para que encontremos a via da harmonia e da dignidade para todos.