Semana do Adolescente de Salvador discute serviços de saúde locais, com apoio de agência da ONU

Os participantes constataram que o racismo, a violência e as drogas são os maiores desafios e exigem atenção estratégica para promover saúde integral e de qualidade para todos.

Grupo Adolescer com Arte se apresenta durante o primeiro dia da Semana do Adolescente. Foto: UNFPA

Grupo Adolescer com Arte se apresenta durante o primeiro dia da Semana do Adolescente. Foto: UNFPA

A Semana do Adolescente de Salvador 2014 começou na última terça-feira (16), com o tema “Juventude Mostre sua Cara”. O evento conta com o apoio do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e está promovendo, por quatro dias, discussões sobre a importância dos serviços de saúde entre especialistas da área, adolescentes da capital baiana e profissionais da educação.

No primeiro dia, foram realizadas duas rodas de conversa para que representantes do governo e da sociedade civil debatessem com os adolescentes sobre a necessidade de adequar os serviços de saúde às suas demandas de desenvolvimento.

Dentre os maiores desafios enfrentados pelos adolescentes de Salvador, tiveram destaque o racismo, a violência e as drogas. Os participantes constataram serem essas as questões que exigem atenção estratégica para promover saúde integral e de qualidade para todos.

Michael Motta, de 17 anos, considera a conscientização dos adolescentes um fator essencial. “O maior problema que eu vejo é a educação. A gente tem um problema, mas não sabe a quem recorrer. É como se o jovem da periferia fosse educado a ser inimigo do setor público. A gente é ensinado a não gostar da política, a não participar.”

Nos dias 18 e 19, a programação continua com a participação de cerca de 240 estudantes em oficinas sobre violência, gravidez na adolescência, uso de álcool e outras drogas e direitos sexuais e reprodutivos.