Semana de Vacinação nas Américas 2018 começa em 21 de abril

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Entre os dias 21 e 28 de abril ocorre a 16ª campanha da Semana de Vacinação nas Américas (SVA), com foco no futebol em razão da Copa do Mundo de 2018. O lema é “Reforce suas defesas! #Vacine-se #AsVacinasFuncionam”, em alusão ao fortalecimento da zaga no futebol e das defesas do corpo contra doenças que podem ser prevenidas por vacinação.

Entre os dias 21 e 28 de abril ocorre a 16ª campanha da Semana de Vacinação nas Américas (SVA), com foco no futebol em razão da Copa do Mundo de 2018. O lema é “Reforce suas defesas! #Vacine-se #AsVacinasFuncionam”, em alusão ao fortalecimento da zaga no futebol e das defesas do corpo contra doenças que podem ser prevenidas por vacinação.

Promovida pela Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) em parceria com instituições nacionais e locais, a Semana de 2018 visa proteger 70 milhões de pessoas – 10 milhões a mais que no ano passado.

Cuba será a sede do lançamento regional da campanha. No dia 23 de abril, autoridades do país, junto com o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, a diretora da OPAS, Carissa Etienne, e representantes de outros países e agências da ONU vão inaugurar a Semana no Instituto de Ciências Básicas e Pré-Clínicas “Victoria de Girón”, em Havana.

A Semana de Vacinação nas Américas é um esforço dirigido aos países e territórios das Américas. As atividades da campanha fomentam a equidade e o acesso à vacinação; fortalecem os programas nacionais de imunização para chegar às populações com acesso limitado aos serviços de saúde regulares, com as que vivem nas periferias urbanas, zonas rurais e fronteiriças e em comunidades indígenas. A iniciativa também proporciona uma plataforma para sensibilizar a população sobre a importância da imunização e mantém o tema na agenda política.

Doenças

Onze países informaram que vão reforçar a imunização contra o sarampo, vacinando 6 milhões de pessoas. O vírus endêmico da doença foi eliminado da região, mas segue circulando em outras partes do mundo. Além disso, em 2017 foram registrados quase 900 casos em quatro países das Américas e, nos primeiros meses deste ano, mais de 380 casos foram notificados em 11 países.

Também durante a campanha, 14 países vacinarão pessoas contra a influenza. Dezesseis, contra a poliomielite. Treze, contra o HPV, e cinco, contra a febre amarela. Segundo a OPAS, 16 países também planejam realizar outras atividades de saúde pública, como a distribuição de vitamina A e a desparasitação.

Vacinação nas Américas

O continente americano é uma referência global em imunização. Em 1971, tornou-se a primeira região do mundo a eliminar a varíola. Em 1994, conseguiu obter o certificado de erradicação da poliomielite e, em 2015, acabou com o sarampo. Em 2017, o tétano neonatal também foi eliminado.

Além disso, as Américas estão na vanguarda da introdução de novas vacinas. Na região, 21 países e territórios já adotaram a vacina contra o rotavírus, 30 utilizam a vacina pneumocócica — que protege contra doenças causadas pela bactéria Streptococcus pneumoniae, como meningite e pneumonia — e 31 usam a imunização para prevenir o HPV.

Em 2002, motivados por um surto de sarampo na Venezuela e na Colômbia, os ministros de saúde dos países da região andina propuseram uma campanha de vacinação internacional coordenada para prevenir futuras epidemias.

Desde a primeira edição da Semana, em 2003, centenas de milhões de pessoas de todas as faixas etárias foram vacinadas contra uma ampla gama de doenças preveníveis, como sarampo, rubéola, febre amarela, difteria, tétano, poliomielite e gripe.


Mais notícias de:

Comente

comentários