Sem autoridades locais não haverá desenvolvimento, diz sociedade civil na Rio+20

Porta-Voz do Instituto Internacional de Governos Locais e Sustentabilidade pede liderança para acomodar crescente urbanização do Planeta.

A responsável por Governança Local pela Sustentabilidade no Conselho Internacional para as Iniciativas Ambientais Locais (ICLEI, sigla em inglês), Susanne Salz, participa dos Diálogos sobre Desenvolvimento Sustentável. ( UNIC Rio / Pieter Zalis)Para acomodar a crescente urbanização do Planeta, será necessário construir nos próximos 20 anos o equivalente a capacidade urbana adquirida pela humanidade nos últimos quatro mil anos. “Caberá essencialmente às autoridades locais administrar esse desafio”, contou Susanne Salz, Porta-Voz do Instituto Internacional de Governos Locais e Sustentabilidade (ICLEI – sigla em inglês).

Em parte, o desafio está sendo domado também por agentes da sociedade civil, que juntos formam um dos nove grupos de trabalho da sociedade civil atuando na Rio+20, denominado Autoridades Locais. Para Susanne Salz, após dois anos e meio de negociações, há consenso de que sem a forte atuação de governos locais não haverá progresso na implementação de uma política global de desenvolvimento sustentável.

“Entretanto, nós gostaríamos realmente que houvesse maior compreensão de que é preciso avançar noções relacionadas à eficiência de recursos para a adoção de um conceito de cidades produtivas”, disse Salz. “A cidade deve cada vez mais produzir a sua própria comida, reciclar sua água, reduzir o desperdício, gerar sua própria energia e assim tornar-se autossuficiente ao mesmo tempo em que autossustentável”, explica.

Trabalhando no escritório do Secretário Geral do ICLEI, Susanne, uma alemã de 27 anos, acredita que a inclusão dos jovens deveria ser da mais alta prioridade no planejamento do desenvolvimento mundial sendo discutido durante os próximos dias no Rio de Janeiro. “Meu chefe me disse que essa conferência não deveria ouvir ninguém com idade acima dos 30 anos”, porque o futuro será nosso, disse sorrindo.