Secretário-Geral discute situação na Líbia com Obama

O Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, conversou nesta segunda-feira (28/02) com o Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, sobre a situação na Líbia. Durante o encontro em Washington D.C. (EUA), Ban afirmou que o Presidente líbio, Muammar Kadafi, declarou guerra a seu próprio povo e deve ser responsabilizado por crimes contra a humanidade.

O Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, conversou nesta segunda-feira (28/02) com o Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, sobre a situação na Líbia. Durante o encontro em Washington D.C. (EUA), Ban afirmou que o Presidente líbio, Muammar Kadafi, declarou guerra a seu próprio povo e deve ser responsabilizado por crimes contra a humanidade.

”Nós concordamos que a comunidade internacional deve permanecer estritamente unida durante esta transição histórica para um Oriente Médio mais democrático, próspero e seguro”, declarou o Secretário-Geral. Ele elogiou a “liderança firme” de Obama e voltou a condenar os atos de violência dos aliados do governo líbio contra os manifestantes.

“Espero sinceramente que Kadafi ouça o pedido de sua população. Os capítulos mais trágicos da História são escritos quando deixamos de atender a este chamado”, disse Ban. Após a visita à Casa Branca, o Secretário-Geral foi ao Museu do Holocausto, onde lembrou os 70 anos do assassinato de seis milhões de pessoas por iniciativa de um Estado, e aproveitou a ocasião para reiterar seu pedido do fim da violência na Líbia.

Também nesta segunda-feira o Promotor do Tribunal Penal Internacional (TPI), Luis Moreno-Ocampo, disse que vai decidir sobre a possibilidade de abrir uma investigação para deliberar se a violenta repressão de manifestações pacíficas constitui crime contra a humanidade, ressaltando que não haverá impunidade para os dirigentes culpados.