Secretário-geral da ONU pede rápida conclusão de processo eleitoral na Somália

O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, elogiou nesta quinta-feira (29) a inauguração do novo parlamento federal da Somália, e pediu às autoridades do país que concluam o processo eleitoral o quanto antes.

Membros eleitos para o parlamento da Somália participam de cerimônia de inauguração em Mogadício no dia 27 de dezembro. Foto: ONU/Ilyas Ahmed

Membros eleitos para o parlamento da Somália participam de cerimônia de inauguração em Mogadício no dia 27 de dezembro. Foto: ONU/Ilyas Ahmed

O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, elogiou nesta quinta-feira (29) a inauguração do novo parlamento federal da Somália, e pediu às autoridades do país que concluam o processo eleitoral o quanto antes.

O décimo parlamento somaliano foi inaugurado na última quarta-feira (27) durante cerimônia que reuniu 283 parlamentares que prestaram juramento de fidelidade.

“A inauguração bem-sucedida do parlamento marca mais um progresso no sentido de garantir a estabilidade e a segurança política na Somália”, disse Ban em comunicado à imprensa.

O dirigente máximo da ONU pediu que o novo parlamento mantenha a dinâmica necessária e aja rapidamente para concluir o processo eleitoral, com as eleições dos presidentes das duas câmeras e do chefe de Estado.

“O parlamento deve abordar as prioridades legislativas urgentes, incluindo o estabelecimento de uma Constituição permanente da Somália que atenda ao interesse maior da população”, acrescentou.

O secretário-geral também pediu às autoridades que preencham rapidamente todos os lugares que ainda permanecem vagos na assembleia, assegurando que os lugares reservados às mulheres sejam ocupados por elas.

Ele também enfatizou que as irregularidades, abusos ou negligências relatadas pelos órgãos eleitorais federais e estaduais devem ser totalmente abordados para preservar a credibilidade do processo.

“Cumprimento o árduo trabalho empreendido pelas forças de segurança do país e pela Missão da União Africana na Somália (AMISOM) no sentido de proporcionar um ambiente seguro para o processo eleitoral de 2016 em Mogadíscio e nas capitais regionais”, concluiu Ban.