Secretário-geral da ONU pede que ucranianos encontrem caminho pacífico para solucionar crise

Ban Ki-moon envia assessor especial ao país e faz apelo por compromisso firme de todas as partes no respeito à democracia e aos direitos humanos para propiciar a realização de eleições livres e justas.

Memorial improvisado aos mortos e feridos nos confrontos em Kiev, capital da Ucrânia. Foto: ONU

Em meio a um cenário de mudanças rápidas na Ucrânia, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, pediu nesta segunda-feira (24) um processo político inclusivo para permitir que o país saia da crise, refletindo as soluções reflitam as aspirações do povo e preserve a unidade e a integridade territorial.

Ban reiterou seu pedido pela não violência e para que os ucranianos expressem diferenças de forma pacífica, por meio do diálogo, buscando uma solução durável.

De acordo com o porta-voz de Ban, o secretário-geral da ONU continua em contato com atores-chave do país para apoiar um caminho de paz para a Ucrânia neste momento de transformação.

No sábado, membros do Parlamento ucraniano – que testemunham protestos em massa desde novembro – aprovaram o impeachment do presidente Viktor Yanukovych e um mandado de prisão foi emitido contra ele pela morte de mais de 100 manifestantes na capital, Kiev.

Em busca de um futuro próspero e estável, disse o porta-voz, o secretário-geral da ONU “pediu um compromisso firme, por parte de todos os envolvidos, para defender os princípios-chave da democracia e dos direitos humanos e, assim, criar um ambiente propício para a realização de eleições livres e justas”.

Ban também enviou um assessor especial ao país, Robert Serry, para assegurar aos ucranianos o apoio das Nações Unidas e da comunidade internacional.