Secretário-geral da ONU pede contribuição da juventude para futuro melhor

A juventude do mundo precisa ter voz e compartilhar suas histórias, diante de desafios globais como mudanças climáticas, desemprego e desigualdade, disse o secretário-geral da ONU, António Guterres, durante Fórum da Juventude em Nova Iorque.

“Digam como as Nações Unidas devem ver o mundo sob sua perspectiva — e como devem responder às suas preocupações”, disse Guterres em mensagem de vídeo dirigida a representantes reunidos na sede da ONU para o evento anual.

Antonio Gueterres foi primeiro-ministro de Portugal de 1995 a 2002. Foto: ONU.

Guterres declarou que os jovens também são a vanguarda do progresso — como empreendedores, ativistas e líderes comunitários. Foto: ONU.

A juventude do mundo precisa ter voz e compartilhar suas histórias, diante de desafios globais como mudanças climáticas, desemprego e desigualdade, disse o secretário-geral da ONU, António Guterres, na segunda-feira (30), durante Fórum da Juventude em Nova Iorque.

“Digam como as Nações Unidas devem ver o mundo sob sua perspectiva — e como devem responder às suas preocupações”, disse Guterres em mensagem de vídeo dirigida a representantes reunidos na sede da ONU para o evento anual.

De acordo com estimativas, cerca de 74 milhões de pessoas no mundo não encontram emprego, muitos jovens são obrigados a deixar suas casas devido a conflitos e, em lugares onde há paz, sofrem com violência e discriminação.

Guterres declarou, no entanto, que os jovens também são a vanguarda do progresso — como empreendedores, ativistas e líderes comunitários.

“Vocês inspiram a mudança (…), vocês têm talento, energia e ideais para evitar conflitos, defender os direitos humanos, garantir a paz e a realização da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável”, acrescentou, completando que suas mensagens ajudarão a “criar um mundo mais seguro e mais estável para todos”.

Realizado anualmente pelo Conselho Econômico e Social das Nações Unidas (ECOSOC) desde 2012, o Fórum da Juventude oferece aos jovens a oportunidade de manifestar suas opiniões, compartilhar ideias e pensar sobre o que podem fazer para atingir o desenvolvimento sustentável.

Segundo o presidente do ECOSOC, Frederick Shava, todos os dias muitos jovens arriscam suas vidas ao buscar refúgio da guerra e de conflitos. Além disso, muitos fogem de crises causadas por deslocamentos financeiros e mudanças climáticas.

Tais deslocamentos não planejados, combinados a outros processos associados à globalização, “são vistos como causas para rendas menores, enfraquecimento de identidades culturais e religiosas e aumento das desigualdades”.

Enfatizando a importância dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), particularmente para os jovens, ele acrescentou: “é o futuro de vocês que estamos construindo ao implementar a agenda”. “É por isso que precisamos que vocês tenham um papel na construção do mundo no qual vocês viverão”.

Na mesma linha, o presidente da Assembleia Geral da ONU, Peter Thomson, também enfatizou a importância dos ODS e disse que a Agenda 2030, junto com o Acordo de Paris para o clima, fornece um plano para colocar a humanidade na trajetória de um futuro mais seguro e próspero para todos.

Para o enviado especial da ONU para a juventude, Ahmad Alhendawi, pediu que os jovens não desistam e se transformem em fonte de esperança para o mundo, pedindo que todos os setores da sociedade trabalhem com os jovens.

Jovens brasileiros participam do Fórum

O Fórum da Juventude 2017 entrou nesta terça-feira (31) no seu segundo e último dia com a ideia de discutir o papel dos jovens na erradicação da pobreza e na promoção dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Para abordar esses temas, a ONU News entrevistou três jovens brasileiros que participaram da reunião na sede da ONU em Nova Iorque.

Na opinião de Marcela Lorenzoni, da organização Global Atitude, programa Diplomacia Civil, é necessário adaptar o sistema educacional dos países à nova realidade do mercado de trabalho. “Passamos por uma revolução do mercado de trabalho, mas a educação ainda não se adaptou a essa realidade. A escola ainda não se adaptou ao que o mercado exige”, lembrou.

 

Lucas dos Santos, representante da organização Save the Children, afirmou que é preciso informar os jovens sobre os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável. “Quantos amigos sabem dos ODS? Quase ninguém. Falta disseminação, esse é o primeiro passo”, declarou.

Para Alexandre Carvalho, representante dos Embaixadores da Juventude, programa da Caixa Seguradora e do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC), é possível buscar soluções socioeconômicas dentro das próprias comunidades marginalizadas. “As soluções têm que vir de dentro das comunidades, e não de cima para baixo”, disse.

Ouça a entrevista completa no site da ONU News.