Secretário-Geral da ONU lamenta morte de civis durante confrontos armados na Nigéria

No fim de semana, confrontos entre militares e extremistas islâmicos causaram a morte de pelo menos 185 pessoas na cidade de Baga, afirmaram fontes da imprensa local.

Destruição causada pela milícia Boko Haram em uma sede da polícia em Kano, na Nigéria. Foto: IRIN/Aminu Abubakar

Destruição causada pela milícia Boko Haram em uma sede da polícia em Kano, na Nigéria. Foto: IRIN/Aminu Abubakar

O Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, expressou nesta segunda-feira (22) ‘choque’ e ‘tristeza’ com os relatos de um elevado número de civis mortos no Estado de Borno, na Nigéria, após confrontos armados entre as forças governamentais e um grupo extremista.

No fim de semana, confrontos entre militares e extremistas islâmicos da Nigéria causaram a morte de pelo menos 185 pessoas na cidade de Baga, afirmaram fontes da imprensa local.

“O Secretário-Geral reitera a sua firme convicção de que nenhum objetivo pretendido pode justificar este recurso à violência”, disse o porta-voz de Ban Ki-moon em um comunicado.

“Ele expressa as suas condolências às famílias em luto e exorta todos os grupos extremistas a cessar seus ataques.”

A violência alimentada por motivos sectários não é incomum na Nigéria, onde o grupo islâmico Boko Haram tem frequentemente recorrido a alvos civis. No ano passado, mais de 100 pessoas foram mortas quando o grupo radical atacou igrejas no estado de Kaduna, com consequente condenação de diversos representantes da ONU.

Ban Ki-moon “ressalta a necessidade de todos os interessados respeitarem plenamente os direitos humanos e protegerem as vidas de civis”, acrescentou a declaração do Secretário-Geral.