Secretário-geral da ONU lamenta falta de acordo em reunião sobre conflito no Chipre

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, disse nesta sexta-feira (7) “lamentar profundamente” que, apesar do forte comprometimento e engajamento entre as partes, a conferência sobre o Chipre, organizada pela ONU, não tenha alcançado um acordo para o fim do conflito no país.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, durante coletiva de imprensa após reunião sobre conflito no Chipre realizada na Suíça. Foto: ONU/ Jean-Marc Ferré

O secretário-geral da ONU, António Guterres, durante coletiva de imprensa após reunião sobre conflito no Chipre realizada na Suíça. Foto: ONU/ Jean-Marc Ferré

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, disse nesta sexta-feira (7) “lamentar profundamente” que, apesar do forte comprometimento e engajamento entre as partes, a conferência sobre o Chipre, organizada pela ONU, não tenha alcançado um acordo para o fim do conflito no país.

“Infelizmente, um acordo não foi possível e a conferência foi encerrada sem trazer uma resolução a esse problema dramático e persistente”, afirmou Guterres à imprensa na cidade de Crans-Montana, na Suíça, onde ocorreu a reunião.

Ele notou, entretanto, que apesar do encerramento da conferência, iniciativas ainda podem ser buscadas e desenvolvidas para abordar questões que ainda não foram discutidas. “O papel da ONU é o de facilitador, e sempre estaremos à disposição das partes dispostas a chegar a um acordo, se esse for o caso”, acrescentou.

A conferência, iniciada no dia 28 de junho, esperava alcançar uma solução abrangente para o conflito que divide a ilha do Mediterrâneo por mais de quatro décadas.

Em suas observações, Guterres também agradeceu a participação dos líderes greco-cipriota e turco-cipriota, bem como aos representantes de Grécia, Turquia, Reino Unido e a União Europeia, que atuou como observadora.


Comente

comentários