Secretário-geral da ONU condena ataque a membros das forças de paz da ONU no Mali

Um número ainda desconhecido de membros do Chade estão entre os mortos. Ban Ki-moon afirma que ataque não vai deter determinação da ONU de apoiar a paz no país.

Membros das forças de paz das Nações Unidas pelo Chade servindo à missão da ONU em Bamako, Mali. Foto: MINUSMA/Marco Dormino

Membros das forças de paz das Nações Unidas pelo Chade servindo à missão da ONU em Bamako, Mali. Foto: MINUSMA/Marco Dormino

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, condenou o atentado suicida ocorrido nesta quarta-feira (23) por pessoas armadas desconhecidas em um posto de controle da missão das Nações Unidas no Mali. Um número ainda desconhecido de soldados do Chade foram mortos ou feridos.

“O secretário-geral oferece suas condolências às famílias dos soldados mortos e deseja uma rápida recuperação aos feridos”, disse um comunicado emitido pelo porta-voz de Ban Ki-moon.

O Conselho de Segurança criou a missão das Nações Unidas no Mali – conhecida como MINUSMA – em abril para apoiar a recuperação do país do oeste africano de um golpe de Estado e da ocupação da região norte por fundamentalistas islâmicos.

A missão também está apoiando a retomada da estabilidade e da governabilidade democrática, bem como ajudando a promover os direitos humanos e a fornecer ajuda humanitária.

“Este ataque não vai deter a determinação das Nações Unidas de apoiar o restabelecimento da segurança, da estabilidade e da paz sustentável no Mali”, afirma o comunicado.