Secretário-geral da ONU apresenta síntese dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável pós-2015

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Relatório final será apresentado no dia 31 de dezembro. O documento, intitulado “O Caminho para a Dignidade até 2030: Acabando com a Pobreza, Transformando Todas as Vidas e Protegendo o Planeta” é resultado de um trabalho de dois anos, que mobilizou milhares de pessoas em todos os países do mundo.

Este é o momento para ação global, diz secretário-geral da ONU.

Este é o momento para ação global, diz secretário-geral da ONU.

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, apresentou, nesta quinta-feira (4), aos 193 Estados-membros da Assembleia Geral, uma síntese do relatório “O caminho para a dignidade até 2030: acabando com a pobreza, transformando todas as vidas e protegendo o planeta“, sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável pós-2015.

O documento final será apresentado no dia 31 de dezembro e deve guiar as negociações dos Países-membros para construção de uma nova agenda global centrada nas pessoas e no planeta, baseada nos direitos humanos, que será aprovada em 2015.

O relatório

Sobre o relatório que será publicado, Ban disse que “nunca antes uma consulta tão ampla e profunda tinha sido feita sobre a questão do desenvolvimento”. Ele lembrou que o documento vem sendo elaborado há dois anos, desde a Rio+20 e conta com a colaboração dos governos, de todo o Sistema da ONU, de especialistas, da sociedade civil, de empresários e milhões de pessoas em todo o mundo, que se uniram com criatividade para um propósito comum.

O secretário-geral também agradeceu o projeto do Grupo de Trabalho que apresentou os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável com 169 alvos de atuação específicos. Para ele, o resultado expressa a visão clara dos Países-membros e o seu desejo de ter uma agenda que possa acabar com a pobreza, alcançar a paz e a prosperidade, proteger o planeta e não deixar ninguém para trás.

A construção da nova agenda global pós-2015

“Em 2015, anunciaremos medidas de longo alcance sem precedentes que vão assegurar o nosso bem-estar futuro”, disse Ban Ki-moon, ao falar sobre a nova agenda global que irá suceder os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM), um esforço apoiado pela ONU para reduzir a pobreza extrema e a fome, promover a educação, especialmente para as meninas, combater doenças e proteger o meio ambiente, cujo prazo expira em 2015.

Ele também pediu aos Países-membros para serem inovadores, inclusivos, ágeis e determinados nas negociações, e reforçou a “responsabilidade histórica” para entregar uma agenda transformadora.

“Estamos no limiar do ano mais importante para o desenvolvimento desde a fundação da própria ONU. Temos que dar sentido à promessa desta Organização que reafirma a fé na dignidade e no valor da pessoa humana e dar ao mundo um futuro sustentável”, disse Ban. “Temos uma oportunidade histórica e o dever de agir de forma corajosa, enérgica e rápida”, ressaltou.

Ele afirmou que a agenda pós-2015 deve ser construída tendo como base a cooperação global e a solidariedade, pedindo que as metas levem em consideração as diferentes realidades das nações, a capacidades e os níveis de desenvolvimento de cada uma e respeitar políticas nacionais e prioridades.

Além disso, Ban destacou uma série de “elementos essenciais”, que segundo ele, vão servir de guia para o trabalho que deve ser feito. Na lista incluem-se a dignidade, essencial para o desenvolvimento humano e que engloba a luta contra a pobreza e a desigualdade, a população, a prosperidade, o planeta, a justiça e a parceria.

O chefe da ONU disse que em julho de 2015, em Adis-Abeba, na Etiópia, os países devem formar uma nova parceria global. Em setembro do próximo ano, em Nova York, a comunidade internacional deve chegar a um acordo sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e em dezembro, em Paris, as autoridades devem chegar a consenso nas negociações sobre o clima.

“Temos que abraçar as possibilidades e as oportunidades que chegam até nossas mãos”, concluiu.


Comente

comentários