Secretário-geral da ONU afirma que, se esforços continuarem, é possível acabar com o ebola em 2015

Médicos se protegem para tratar de pacientes com ebola. Foto: EC/Echo

“Se continuarmos acelerando nossa resposta, podemos conter e acabar com o surto do ebola em meados de 2015”, disse o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, afirmando que a ONU continuará intensificando seus esforços até que o último caso da doença seja identificado e tratado.

As declarações foram dadas após uma reunião do Conselho de Coordenação de Chefes Executivos da ONU, na sede do Banco Mundial, em Washington (EUA), nesta sexta-feira (21). O grupo de se reuniu para discutir uma resposta conjunta da ONU para combater o surto de ebola na África Ocidental. Na ocasião, Ban pediu mais recursos e o engajamento da comunidade internacional, pois os resultados dos esforços até o momento continuam desiguais.

Ele também anunciou que a Organização Mundial da Saúde (OMS) enviou uma missão para o Mali com o objetivo de avaliar a situação do ebola no país que tem sido motivo de “grande preocupação”. O intuito é verificar as alternativas para erradicar o vírus e o surgimento de novos casos. Dos seis casos registrados pela OMS no Mali, todos morreram; 327 outros casos estão sendo acompanhados.

A pedido dos membros do Conselho de Segurança e do secretário-geral da ONU, o chefe da Missão de Resposta de Emergência da ONU para o Ebola (UNMEER), Anthony Banbury, afirmou que a Missão irá abrir imediatamente um escritório no Mali para apoiar os esforços nacionais de luta contra o ebola.