Secretaria do DF promove oficina para discutir situação da saúde

Parceira do Centro de Excelência contra a Fome do Programa Mundial de Alimentos (PMA), a secretaria de Saúde do Distrito Federal promoveu a primeira oficina de atenção à saúde, propondo uma reflexão sobre a atual situação do setor tanto local como globalmente. Por ser um tema transversal, a nutrição esteve no centro dos debates.

Centro de Excelência contra a Fome combina alimentação escolar à compra de alimentos da agricultura local para promover segurança nutricional e desenvolvimento econômico. Foto: PMA / Mariana Rocha

Centro de Excelência contra a Fome combina alimentação escolar à compra de alimentos da agricultura local para promover segurança nutricional e desenvolvimento econômico. Foto: PMA / Mariana Rocha

A secretaria de Saúde do Distrito Federal, com o apoio do Centro de Excelência contra a Fome do Programa Mundial de Alimentos (PMA), realizou na semana passada (14 a 16) em Brasília a primeira oficina de planificação da atenção à saúde.

O encontro tratou da atual situação de saúde no mundo, no Brasil e no Distrito Federal, discutindo os principais problemas, a urgência em mudar o modelo de atenção às necessidades da população e, assim, melhorar os resultados do sistema.

O evento detalhou casos de boas práticas. Por ser um tema transversal, a nutrição esteve no centro dos debates e oficinas, assim como as doenças crônicas não transmissíveis, que já são consideradas epidêmicas e afetam significativamente países em desenvolvimento que ainda falham na garantia da segurança nutricional da população.

Por meio da Cooperação Sul-Sul e triangular, o conhecimento e as práticas discutidas serão intercambiados entre Brasil e países parceiros, com apoio do Centro de Excelência contra a Fome, visando ao alcance do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável número 2, que visa a acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar e a agricultura sustentável.

O diretor do Centro de Excelência, Daniel Balaban, compôs a mesa de abertura e destacou o alto nível do trabalho e organização dos setores da saúde no DF e no Brasil.

Ele ressaltou que, apesar dos desafios ainda enfrentados, o Brasil é uma referência para outros países em desenvolvimento nas áreas de saúde e nutrição.